Você está na página 1de 12

Dimensionamento de Lajes

Lajes são peças estruturais laminares submetidas a cargas predominantemente


normais à superfície média.
O detalhamento total de uma laje em concreto armado consiste no cálculo de sua
armadura. A armadura por sua vez, é função dos momentos fletores atuantes na laje.
Lajes Maciças: Lajes convencionais de concreto armado apoiadas em vigas.
™ Classificação:
Î Lajes armadas em uma direção: λ > 2

- Apenas os bordos maiores são considerados como apoios, para fins de cálculo,
e os momentos são calculados apenas na direção correspondente ao menor vão.
Ex.:
λ = maior lado da laje/menor lado da laje
λ = 7/3
apoios
7,0 m λ = 2,33
(1 direção)

3,0 m

Î Lajes armadas em duas direções (em cruz): λ ≤ 2

- Os momentos nessas lajes são calculados segundo as duas direções para


quaisquer condição de apoio: engaste ou apoio simples.
Ex.:
λ = maior lado da laje/menor lado da laje
λ = 6/4
apoios 6,0 m
λ = 1,50
apoios

(2 direções)
4,0 m

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 1


™ Espessura:
Nas lajes maciças devem ser respeitados os seguintes limites mínimos para a
espessura:
a) 5 cm para lajes de cobertura não em balanço;
b) 7 cm para lajes de piso ou de cobertura em balanço;
c) 10 cm para lajes que suportem veículos de peso total menor ou igual a 30 kN;
d) 12 cm para lajes que suportem veículos de peso total maior que 30 kN.
™ Carregamento da Laje (kgf/m2):
Para o cálculo dos momentos fletores, parte-se do carregamento distribuído
uniformemente na área da laje, calculando-se, para obtenção dos momentos, a carga
distribuída em 1m2 da laje.

1,0 m
q = carga
(kgf/m2 )
1,0 m

A carga q, constituída de todos os carregamentos que a laje deverá suportar


(suposta igual para toda a área), é composta de:
a) Peso Próprio (pp):
Para cada metro quadrado, o peso da laje é calculado partindo-se do peso
específico do concreto (γconc = 2500kg/m3).

1,0 m 1,0 m h
1,0 m
2,5 ton
1,0 m
1,0 m

pp = γconc × h ; sendo h a altura da laje


Ex.: pp = 2500 × 0,08 = 200 kgf/m2

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 2


b) Revestimento:
- Acabamento de pisos: 100 kgf/m2
- Acabamento de forros: 30 kgf/m2
- Revestimento em granito: 150 kgf/m2
- Impermeabilização: 150 kgf/m2
c) Principais Cargas Acidentais (sobrecargas):
- Dormitórios, salas, copas, cozinhas e banheiros: 150kgf/m2;
- Compartimentos destinados a forros que não servirão de depósitos:
50 kgf/m2;
- Compartimentos destinados à reunião ou acesso ao público (escolas,
teatros, cinemas, etc...): 300 kgf/m2;
- Compartimentos destinados à despensas, lavanderia e área de serviços:
200 kgf/m2;
- Compartimento destinados à bailes, ginásticas e esporte em geral:
500 kgf/m2;
- Salas com estantes de livros: 600 kgf/m2;
- Escritórios: 200 kgf/m2;
- Escadas: 300 kgf/m2;
- Sala de máquina de elevadores e lajes para pouso de helicóptero:
1000 kgf/m2.
d) Peso das paredes:
Quando as paredes são erguidas diretamente sobre as lajes, e não estão apoiadas
sobre vigas, o peso da alvenaria deverá ser somadas às demais cargas. Permitindo-se
considerar a carga da parede como distribuída por toda a área da laje.
P=γ× v → P = γ × (e × L × h)
L → comprimento da parede;
h → altura da parede;
γ → peso específico do material:
- Alvenaria acabada de tijolos maciços: 1800 kgf/m3;
- Alvenaria acabada de tijolos furados: 1300 kgf/m3;
- Alvenaria acabada de blocos de concreto: 1400 kgf/m3.

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 3


e) Floreira (calha):
q=γ×h

™ Momento das Lajes Armadas em Uma Direção (λ > 2):


As armaduras são obtidas dos esforços calculados em faixas paralelas à menor
direção, calculadas como vigas de largura unitária. Na maior direção, coloca-se uma
armadura de distribuição, fixada como uma fração da armadura principal.
Considera-se “L” o menor lado
apoio * As reações das lajes para
simples q
as vigas são iguais a qL/2.
1m
+
M = qL2/8

X = -qL2/8 q
* As reações das lajes para
engaste
as vigas são:
1m + R1 = 5qL/8
R2
R1
M = qL2/14,22 R2 = 3qL/8

X = -qL 2/12 * As reações das lajes para


q
as vigas são iguais a qL/2.
1m
+
R1 R2
M = qL2/24

X = -qL2/2 * A reação da laje para a


q viga é igual a qL.
1m

R1
bordo livre

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 4


™ Critérios para Engastamento de Lajes:
1. Duas lajes para estarem engastadas, preferencialmente devem estar niveladas;
2. Uma laje maior só pode ser engastada em uma laje menor quando pelo menos
70% da mesma estiver em contato com a laje menor;
7 x 0,7 = 4,9 m (não pode engastar).
* O momento torçor aquenta até 30%,
causa fissuras no bordo superior direito da
7m
laje maior.
X 4m

obs.: uma laje não pode ser engastada em outra quando esta for uma laje de balanço,
pode sobrecarrega-la;
3. O comprimento do ferro negativo não pode passar da metade da laje.
* ¼ x 5 = 1,25

5m 4m 1,25 < 4/2 → CERTO

* ¼ x 5 = 1,25
1,25 > 2/2 → ERRADO
5m 2m

™ Cálculo das Flechas: (f ≤ L/300)


f = 5qL4/384EI → E = módulo de
1o Caso: elasticidade, I = momento de inércia

f = 2qL4/384EI
2o Caso:

f = qL4/384EI
3o Caso:
obs.: caso a flecha não passe, aumenta-se a espessura da laje → aumenta o I e diminui
a flecha.

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 5


Exemplos de Dimensionamento de Lajes
1) Dimensionar e detalhar as lajes de uma escola representadas na figura baixo.
Considerar a resistência do concreto igual a 200 kgf/cm2, hlaje=10cm e bviga=15cm .

L1=7/3=2,33 (1 direção)

L1 L2

L2=6/2,5=2,4 (1 direção)

™ Carregamento nas lajes (L1= L2):


→ Peso próprio (pp) ................ 2500 x 0,10 = 250 kgf/m2
→ Revestimento (rev.) .....................................100 kgf/m2
→ Sobrecarga (sob.) ........................................ 300 kgf/m2
Carregamento total ........................................... 650 kgf/m2
™ Critério para engastamento de lajes: 7 x 0,7 = 4,9 m (pode engastar)
™ Cálculo dos momentos:
L1) M = qL2/14,22 = 650x3,152/14,22

- M = 454 kgf⋅m (positivo)


650 X = -qL2/8 = -650x3,152/8
+ X = -806 kgf⋅m (negativo)
3,15 m

L2) M = qL2/14,22 = 650x2,652/14,22

- M = 321 kgf⋅m (positivo)


650 X = -qL2/8 = -650x2,652/8
+
X = -571 kgf⋅m (negativo)
2,65 m

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 6


™ Cálculo das flechas:
L 315 L 265
Laje L1: f ≤ = = 1,05cm (flecha limite) Laje L2: f ≤ = = 0,88cm (flecha limite)
300 300 300 300

2qL4 2qL4
f= f=
384EI 384EI
E = 5600 20 = 25043,96 MPa 2 ⋅ 650 ⋅ (2,65) 4 ⋅12
f =
384 ⋅ 250439,6 ⋅10 4 ⋅ 0,10 3
E = 250439,6 kgf/cm2
I = b⋅h3/12 → b = 1m, h = 0,1m f = 0,0008 m = 0,08 cm (ok!)

2 ⋅ 650 ⋅ (3,15) 4 ⋅12


f =
384 ⋅ 250439,6 ⋅10 4 ⋅ 0,10 3
f = 0,0016 m = 0,16 cm (ok!)

454 321
571
806

L1 L2

Equilíbrio de Momento Negativo (utilizar o maior momento)


a) (806+571)/2 = 689 kgf⋅m
b) 80% do maior momento = 0,8⋅806 = 645 kgf⋅m
O momento de equilíbrio utilizado no cálculo: 689 kgf⋅m

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 7


obs1.: cobertura da armadura (cobrimentos mínimos – norma antiga): cobrimento de
concreto pelo menos igual ao diâmetro da barra, mas não menor que:
1. Concreto revestido com pelos menos 1cm de argamassa:
9 Lajes no interior de edifícios .................................... 0,5 cm
9 Paredes no interior de edifícios ............................... 1,0 cm
9 Lajes e paredes ao ar livre ...................................... 1,5 cm
9 Vigas, pilares e arcos no interior de edifícios .......... 1,5 cm
9 Vigas, pilares e arcos ao ar livre ............................. 2,0 cm
2. Concreto aparente:
9 No interior de edifícios ............................................ 2,0 cm
9 Ao ar livre ................................................................ 2,5 cm
3. Concreto em contato com o solo: ................................. 3,0 cm
4. Concreto em meio fortemente agressivo: ..................... 4,0 cm
O esquema:

c
Pastilha de argamassa
ah ou espaçador plástico
av
c

Quando c > 6 deve-se empregar armadura de pele cujo cobrimento mínimo deve
respeitar os valores já dados.
Como informação adicional dão-se valores mínimos de:

2 cm 2 cm
ah 1φ av 1φ
1,2 dagregado 0,5 dagregado

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 8


™ Determinação da armadura positiva:
Conhecendo a resistência do concreto fck = 20MPa e o tipo de aço, CA 50,

b ⋅ d2
determina-se o valor de k6 através da equação: k 6 = .
M
onde:
b = 100 cm (cálculo por metro)
d = distância da borda mais comprimida ao centro de gravidade da armadura
em cm.
d = h -2cm para maior momento positivo
d = h -2,5cm para menor momento positivo
d = h -2cm para momentos negativos
M = momento em tf⋅cm
metro borda mais comprimida
M
d centro de
gravidade da
armadura
c
obs1.: As tabelas que serão utilizadas, já incorporam os coeficientes de minoração de
resistência dos materiais e os coeficientes de majoração de cargas.
M = 45,4 tf⋅cm (L1) M = 32,1 tf⋅cm (L2)
d = 8,0 cm d = 8,0 cm
100 ⋅ 8,0 2 100 ⋅ 8,0 2
k6 = = 140,97 (tabela) k6 = = 199,38 (tabela)
45,4 32,1
k 3 = 0,336 k 3 = 0,332

Encontrados os valores de k3, determina-se a seção de aço em cm2/m através


k ⋅M
da equação: A s = 3
d

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 9


Laje L1: Laje L2:
0,336 ⋅ 45,4 0,332 ⋅ 32,1
As = → A s = 1,91 cm2/m As = → A s = 1,33 cm2/m
8,0 8,0

Armadura Principal → φ5.0mm c/10cm 0,15


norma → A s min = 0,15%(b ⋅ h) = (100 ⋅ 10)
100
A s = 1,50 cm2/m (adotada)

Armadura Principal → φ5.0mm c/13cm


Armadura Secundária → φ5.0mm c/22cm Armadura Secundária → φ5.0mm c/22cm

obs2.: De um modo geral o diâmetro das barras utilizadas em lajes é de 4 a 10mm.


Obs3.: Para lajes, as barras são dispostas com espaçamentos que deverão obedecer:
9 espaçamento mínimo = 7cm;
9 espaçamento máximo = 20cm (armada em cruz);
= 2xh (armada em uma direção).

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 10


Detalhe da Armadura Positiva

armadura de
complemento

12φ5.0c/22-6,15
70φ5.0 c/10-2,55

14φ5.0c/22-7,15
47φ5.0 c/13-2,15

obs4.: Critérios para contrafiamento de armadura positiva (gera economia).


1. Se a φ utilizada for de 5.0 mm, e estando espaçada acima de 13cm, não deve ser
contrafiada;
2. Se a φ utilizada for de 5.0 mm, e estiver espaçada de 13cm ou abaixo, deve
contrafiar, sendo que o comprimento da barra deve ser 80% da medida de eixo a eixo
do apoio;
3. Se a φ utilizada for de 6.3 mm ou mais grossa, deve-se contrafiar, independente do
espaçamento, sendo o comprimento da barra 80% da medida de eixo a eixo de apoio.
obs5.: Critérios para armadura mínima.
1. A armadura mínima de tração deve possuir área igual ou maior que 0,15% de bw⋅h;
2. O diâmetro máximo da barras das armaduras não deve ser superior a 10% da
espessura da laje;
3. Nas regiões centrais das lajes, onde agem os máximos momentos fletores, o
espaçamento das barras da armadura principal não deve ser superior a 20cm. No caso
de lajes armadas numa direção, esse espaçamento, além de atender a exigência
acima, também não deve ser superior a 2h;

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 11


4. A armadura secundária de flexão deve corresponder à percentagem de armadura
igual ou superior a 20% da armadura principal ou 0,9cm2/m, prevalecendo a maior taxa
de armadura, mantendo-se, ainda, um espaçamento entre barras de no máximo 33cm.
™ Determinação da armadura Negativa: o mesmo procedimento da armadura positiva.
M = 689 kgf⋅m , d = 8 cm k ⋅M
As = 3
d
100 ⋅ 8 2
k6 = = 93,02 (tabela)
68,9 0,344 ⋅ 68,9
As = → A s = 2,96 cm2/m
8
k 3 = 0,344
Armadura Negativa → φ6.3mm c/10cm
Detalhe da Armadura Negativa
3,15/4 ≅ 0,80
0,80/3 ≅ 30
ancoragem = h-2
10 -2 = 8 cm

60φ6.3 c/10-1,46
Detalhe:

130
8 8

Prof. Roldão Araújo – M.Sc. Estruturas 12