P. 1
Colagem de Azulejos a Cimento Cola

Colagem de Azulejos a Cimento Cola

|Views: 4.694|Likes:
Publicado porabobadasneves7060
Construção
Construção

More info:

Published by: abobadasneves7060 on Jul 21, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/07/2013

pdf

text

original

LADRILHO 2

ASSENTAMENTO DE AZULEJO

1

João Neves

21-07-2010

ASSENTAMENTO DE AZULEJOS E PEÇAS CERAMICAS EM PAREDES INTERIORES E EXTERIORES
PROCESSOS CONSTRUTIVOS

2

João Neves

21-07-2010

introdução

y Revestimento cerâmico vem sendo usado desde a antiguidade para

revestir pisos e paredes. y A grande vantagem de sua utilização reside principalmente nas características de durabilidade, facilidade de limpeza, além do aspecto estético agradável. O assentamento correcto das peças cerâmicas é fundamental para garantir que estas não se desprendam das paredes ou pisos aos quais foram coladas. y O assentamento de revestimento cerâmico em paredes internas deve seguir os procedimentos apresentados neste manual. Os pontos mais importantes foram seleccionados e apresentados aqui de forma detalhada e respeitando as normas técnicas.
3 João Neves 21-07-2010

y Uma parede revestida com placas cerâmicas é formada

y y y y y y

basicamente por 6 camadas de materiais diferentes: base, chapisco, emboço, argamassa colante, revestimento cerâmico, tratamento das juntas. O método de assentamento segue as seguintes etapas: Escolha dos materiais, equipamentos e ferramentas Definição do número e espessura das juntas estruturais, de movimentação e de assentamento Preparo da base : Chapisco Emboço Aplicação do revestimento cerâmico e execução das juntas.

4

João Neves

21-07-2010

5

João Neves

21-07-2010

Aplicação do Chapisco
y O chapisco pode ser aplicado, em função das características

superficiais da base: y Chapisco convencional: y Consiste numa mistura de cimento e areia grossa no traço 1:3 (em volume), de consistência fluida, lançada energicamente com colher de pedreiro contra a superfície a ser revestida. Deve-se permitir a secagem do chapisco durante, pelo menos, 3 dias antes da aplicação da camada de regularização.

6

João Neves

21-07-2010

Condições para iniciar o Assentamento
y Para que o assentamento se possa iniciar, a superfície da

y y y y y

parede para aplicação da argamassa colante deve apresentarse da seguinte forma: limpa sem fissuras ou rachaduras coesa (não se deve esfarelar) bem ligada à base (não deve apresentar som cavo quando percutida) alinhada em todas as direcções (toda a superfície deve pertencer ao mesmo plano) o desvio máximo de desempeno deve ser de 2 mm em relação a uma régua de 2 metros de comprimento
21-07-2010

7

João Neves

Condições para iniciar o Assentamento
y A superfície das paredes devem

estar no prumo e livre de defeitos. Uma rachadura mais extensa pode eventualmente prejudicar o revestimento cerâmico, a menos que a causa seja corrigida e a superfície consertada. Pinturas, especialmente com tinta látex, devem ser completamente removidas. Paredes severamente danificadas requerem sua substituição por uma nova, antes de se proceder a instalação pelo método com argamassa colante com espessura fina.

Verificação desempeno da parede

8

João Neves

21-07-2010

Para aplicação do revestimento cerâmico, a camada de emboço deverá ter idade mínima de 14 dias.

O revestimento de fachada somente poderá ser feito depois que a estrutura suporte já estiver carregada com seu peso próprio e com todas as alvenarias.
9 João Neves 21-07-2010

Processo de execução do reboco da base
y O reboco da base deve ser y Enchimento e desempeno

efectuado, recorrendo às técnicas correntes do pedreiro. y Após decorrido o tempo para a cura do chapisco (3 dias) deve-se proceder à colocação dos pontos e enchimento e sarrafagem das mestras.
João Neves

dos painéis, chapando a argamassa com a colher e apertando, sarrafando as argamassas sobrantes com uma régua de alumínio, desempenando depois com a talocha.

10

21-07-2010

PREPARAÇÃO DA BASE DESEMPENO COM FASQUIAS 
FERRAMENTAS E

EQUIPAMENTOS  Fasquias de madeira.  Colher de folha.  Fio de prumo.  Réguas de alumínio.  Talocha.  Pincel.  Luvas de borracha.  Gamela.
11 João Neves 21-07-2010

Processo de execução 
1- Coloca o fio para verificar as prumadas e os

alinhamentos .  2- Chapa a argamassa na mestra.  3- Coloca a fasquia, batendo-a ligeira e uniformemente, com o bico da colher.  4- Distorce-a com o auxilio de régua.  5- Apruma-a, com o fio de prumo.  6- A fasquia deve ficar bem distorcida e aprumada.  7- A argamassa de suporte, deve estar bem apertada, e desempenada.  8- Usar luvas e óculos de protecção.
12 João Neves 21-07-2010

Enchimento e sarrafagem 
Processo de execução  Tira a argamassa da

estância, com a ajuda da colher e coloca-a na talocha.  Chapa com a colher toda a superfície, de baixo para cima.  Aperta a argamassa chapada com a costa da colher.
13 João Neves 21-07-2010

Enchimento e sarrafagem 
Sarrafa com a régua ao cutelo,

imprimindo-lhe um movimento de vai vem na horizontal de baixo para cima.  Preenche as faltas no painel da argamassa com a costa da colher. 
Volta a sarrafar.  Depois do painel estar

completo passa suavemente com a talocha toda a superfície desempenada para regularização da argamassa.
14 João Neves 21-07-2010

Materiais
y Os materiais necessários na o A areia o È aconselhável utilizar dois tipos de o o o o o o

y y y

y

execução de um revestimento de paredes internas com placas cerâmicas são: ‡ água A água utilizada deve ser limpa de impurezas. Não deve ser usada água salgada em hipótese alguma. Todos os recipientes destinados a armazenagem ou transporte de água devem ser limpos.

areias: Areia do rio e areia amarela. Ligantes: O cimento Portland normal A cal Hidraúlica. A cal aérea. A conjugação destes ligantes com as areias proporcionam a confecção das argamassas, (bastardas no caso de se utilizar dois ligantes).

15

João Neves

21-07-2010

Traços
y ‡ argamassa para

chapisco y A argamassa para chapisco deve ter o traço em volumes aparentes de 1:3 de cimento e areia média húmida.

16

João Neves

21-07-2010

Materiais
y ‡ argamassa para emboço y A argamassa para o emboço deve

y ‡ argamassa colante y Argamassa colante, também

ter o traço em volumes aparentes variando de 1:1:6 a 1:2:9 de cimento, cal hidratada e areia média húmida.

conhecida como cimento cola, ou argamassa adesiva, é um produto industrializado, utilizado na colocação de peças cerâmicas de revestimento, tanto de paredes como de pisos. y Não use misturas ´caseirasµ, estas podem não produzir a aderência necessária entre a peça e a parede. O tipo de adesivo a ser utilizado depende do ambiente em que o revestimento está sendo assente.

17

João Neves

21-07-2010

AZULEJOS
‡ ‡ ‡ ‡

‡

‡ ‡

AZULEJOS - Recomenda-se emboço de cimento areia e saibro no traço de 1:5. a sua colocação deve ser iniciada o mais tarde possível, após a execução do suporte, devido à contracção sofrida pela argamassa até o quinquagésimo dia. Este facto quando ignorado pode gerar tensões de aderência descolando o azulejo. Os azulejos podem ser colados ou argamassados. Optando-se pela colocação utilizando argamassa, as peças devem ser imersas na água durante 24 horas antes de seu assentamento, sendo retirados 30 minutos antes de serem aplicados. Justifica-se esse procedimento para que os poros da face a ser aplicada (não vitrificada) se dilatem permitindo melhor penetração da argamassa de junta que fixará o mesmo no emboço. Também por essa razão se utiliza argamassa de junta de cal, areia fina e cimento branco. Ao se optar pela fixação com cimento cola, os azulejos não devem ser molhados. Na opção de colar os azulejos vale salientar que eles não devem entrar em contacto com a água.

18

João Neves

21-07-2010

Procure sempre na embalagem:

‡ designação da mesma: ‡ prazo de validade ‡ condições de armazenamento ‡ instruções e cuidados necessários para a aplicação, manuseio, quantidade de água de amassadura e tempo de maturação (repouso) antes da aplicação

As argamassas colantes são compradas em sacos.
19 João Neves 21-07-2010

y ‡ argamassa de juntas y A argamassa de juntas, é utilizada

no preenchimento dos espaços entre duas peças cerâmicas consecutivas, e tem por função apoiar e proteger as arestas das peças cerâmicas. y Da mesma forma que para a argamassa colante, o tipo de rejunte a ser usado depende do ambiente onde será aplicado. y A argamassa de juntas é vendida em sacos ou caixas. Actualmente existe no mercado massa de juntas de diversas cores. A cor do rejunte pode afectar significativamente o efeito visual da parede:

y Em paredes expostas a acção

da humidade, como por exemplo banheiro, deve ser usado juntas impermeáveis, para evitar que a água penetre para o interior da parede, aumentando, com isto, a durabilidade do revestimento evitando a eflorescência.

20

João Neves

21-07-2010

‡ revestimento cerâmico
y Revestimentos cerâmicos para

paredes, conhecidos popularmente por azulejos, são placas cerâmicas fabricadas a partir de uma mistura de argila. As costas das placas possuem garras, para auxiliar na aderência com a superfície onde serão assentadas, e são denominadas de tardoz. y O revestimento cerâmico pode ser comprado em qualquer quantidade.

21

João Neves

21-07-2010

y Tonalidade: variação da cor em

y Tamanho: dimensões de

relação à peça padrão.
y Todas as caixas adquiridas

devem ter o mesmo número ou código no item tonalidade.
y Quando existirem materiais

largura e comprimento da peça cerâmica. y O tamanho, indicado na embalagem, deve ser o mesmo em todas as caixas.

adquiridos em épocas diferentes, as indicações das embalagens quanto a tonalidade e tamanho devem ser comparadas. y Se ocorrerem divergências separe por lotes iguais aplicando em áreas separadas.

22

João Neves

21-07-2010

y Quantidade: número de placas

y Abrasão: resistência ao desgaste

cerâmicas existentes na embalagem. y Este valor deve ser conferido cuidadosamente, antes de iniciar os serviços de assentamento.
y Isto evitará possíveis despesas extras

e transtornos para obter a mesma tonalidade posteriormente. y O ideal é que sejam comprados 10% de revestimentos cerâmicos a mais do que a quantidade estimada, para garantir futuras reposições.

da superfície, causado pelo movimento de pessoas e objectos. y Para paredes pode ser usado o grupo 0. y Absorção: quantidade de água que a placa cerâmica é capaz de absorver. y A denominação usual dos revestimentos cerâmicos está relacionada com as características de absorção de água.

23

João Neves

21-07-2010

Condições para o início dos serviços
‡ Verificar as condições do emboço - idade (mínimo de 14 dias),

‡ ‡ ‡

‡ ‡

prumo, planeza, nivelamento de detalhes e limpeza (ausência de restos de argamassa ou outro material); Testar a quantidade e a uniformidade do lote de peças cerâmicas; Conferir se todos os fios de prumo previstos estão posicionados; Certificar-se de que as instalações eléctricas e hidráulicas que interferem no revestimento de fachada estão concluídas e testadas; Averiguar se os tacos das janelas estão instalados e conferidos; Observar se os equipamentos de protecção colectiva estão instalados e conferidos, atentando também para os EPIs.
João Neves 21-07-2010

24

Colocação da régua de base
y Após a marcação do nível de

trabalho (nível de metro), coloca a régua de base apoiando-a sobre um pequeno mente de areia e regulando-a para a altura a que pretende iniciar o assentamento. y É aconselhável deixar uma fiada de peças para colocar posteriormente à execução do pavimento, o que permitirá um melhor remate parede/pavimento. y A régua deve ficar perfeitamente de nível. Caso não aconteça o assentamento das peças sairá defeituoso.
25 João Neves 21-07-2010

Colocação da régua guia de prumada
y Depois de definir o arranque

do assentamento, coloca a régua de prumada colando três pontos de cola numa das faces da régua. y Encosta a régua aprumada, comprimindo-a contra o reboco, num dos extremos da 1ª fiada, ou se o assentamento se iniciar pelo cento do painel, nessa referência y Deve ter o cuidado de a deixar bem aprumada, verificando com o nível e com o esquadro
26 João Neves

Limite da altura do forro

21-07-2010

27

João Neves

21-07-2010

Colagem da 1ª fiada
y Agarra um conjunto de ladrilhos,

com a mão menos destra. y Agarra um ladrilho com a outra mão, com a face virada para si. y Com o auxilio do indicador e médio da mão que segura o ladrilho a aplicar, encosta a base do ladrilho contra a parede. y Acerta a base deste com o topo do ladrilho anterior

28

João Neves

21-07-2010

Colagem da 2ª fiada
y Agarra um conjunto de ladrilhos,

com a mão menos destra. y Agarra um ladrilho com a outra mão, com a face virada para si.
y Com o auxilio do indicador e

médio da mão que segura o ladrilho a aplicar, encosta a base do ladrilho contra a parede. y Acerta a base deste com o topo do ladrilho inferior

29

João Neves

21-07-2010

Alinhamento das juntas verticais e horizontais
y Coloca uma régua ao cutelo no

y

y y y

topo da fiada, com o cutelo apoiado nos ladrilhos. Com o bico da colher de bater, corrige o alinhamento dos ladrilhos que estejam descaídos. Rectifica as juntas horizontais, para que fiquem uniformes. Trava os ladrilho se necessário com pequenos palitos de madeira. Verifica e corrige as juntas verticais.

30

João Neves

21-07-2010

Verificação das juntas
y Esta verificação deve-se efectuar a

cerca de meio painel, tendo o cuidado de não deixar a cola começar a ganhar presa. y Quando chegar à ultima fiada, volta a corrigir a horizontalidade dos ladrilhos com a régua.

31

João Neves

21-07-2010

Acerto final
y Acerta todo o painel com o

batedor. y Limpa o painel e aguarda que os ladrilhos fiquem firmes, para tirar a régua de base

32

João Neves

21-07-2010

Formação de degraus na superfície revestida. Esta patologia pode ser consequência da qualidade do assentamento ou do material empregue. No primeiro caso, a base poderia não estar suficientemente plana para receber o assentamento, ou o assentador não imprimiu pressão adequada e homogénea quando do assentamento da placa cerâmica. No segundo caso, a peça cerâmica possuía defeitos dimensionais, ou curvatura e empenamento maior do que o permitido por norma.

Superfícies irregulares

33

João Neves

21-07-2010

34

Descolamento (localizado ou generalizado) O descolamento da placa cerâmica é sem dúvida o problema mais frequente encontrado. As principais causas do descolamento estão na maioria das vezes relacionadas a descuidos da mão-de-obra no preparo da argamassa colante; na utilização da mesma após excedido o tempo em aberto; no uso de técnicas e ferramentas inadequadas para a aplicação da argamassa; na pressão inadequada quando da colocação da placa cerâmica na parede; na infiltração da água; e na contaminação do tardoz da peça por pó, sujidade. João Neves 21-07-2010

35

João Neves

21-07-2010

Limite da altura do painel

36

João Neves

21-07-2010

Limite da altura do painel

37

João Neves

21-07-2010

Controle do assentamento
‡ ‡ Avaliar a altura do cordão de argamassa colante; ‡ ‡ Observar o tempo de abertura (teste do dedo) e a

ocorrência de regiões sem aderência (som oco após 24h); ‡ ‡ Durante o assentamento, retirar aleatoriamente algumas peças recém colocadas, analisando o preenchimento do tardoz com argamassa colante.

38

João Neves

21-07-2010

FIGURA 51 - Aplicação da argamassa colante sobre o emboço
39 João Neves 21-07-2010

FIGURA - Técnica de dupla colagem: aplicação da argamassa colante sobre o tardoz de peças cerâmicas
40 João Neves 21-07-2010

FIGURA 53 - Assentamento das peças cerâmicas

41

João Neves

21-07-2010

FIGURA 54 - Ajuste de posicionamento com o cabo de madeira do martelo

42

João Neves

21-07-2010

Desvios geométricos e regularidade
y Verificar, visualmente, o nivelamento entre as peças, a

planeza do revestimento, a variação na espessura das juntas e a presença de dentes ou saliências entre as peças, por meio de régua de alumínio.

43

João Neves

21-07-2010

Acerto nas engras

44

João Neves

21-07-2010

Acerto nas engras
y O remate das engras é um dos

pontos de maior importância, no aspecto dos painéis revestidos a ladrilhos. y É importante ter em atenção, se a junção se fizer por corte das peças a parte sobrante deve ser colada, no painel perpendicular a fim de continuar a desenho do painel anterior. y No caso de ladrilhos decorativos, verificar a orientação do desenho, antes de efectuar a marcação do corte.

45

João Neves

21-07-2010

Acerto nas engras
y 1- marcação y Encosta o ladrilho à parede, onde

vai continuar o revestimento.
y Comprime o ladrilho, já encostado

à parede, com outro, virando para cima, a parte não vidrada y Marca na parte não vidrada, o limite dos desenhos já aplicados.

46

João Neves

21-07-2010

Acerto nas engras
y 2- corte y Executa o corte de acordo com a

marcação.
y Repete a operação tantas vezes,

quantas as fiadas do painel, antes de iniciar o assentamento dos ladrilhos. y Deve tomar atenção e o devido cuidado na separação dos ladrilhos, pois ambas as partes são para aplicar. y Importante passar o cortador uma só vez. y Antes de executar o corte, verificar se o ladrilho, está bem apoiado na mesa de corte.
47 João Neves 21-07-2010

Revestir com ladrilhos a zona das arestas
y 1- marcação y Coloca um ladrilho na parede onde

se pretende efectuar o corte.
y Coloca o outro ladrilho na parede

que forma a aresta.

48

João Neves

21-07-2010

Revestir com ladrilhos a zona das arestas
y Segura os dois ladrilhos com uma

das mãos. y Marca um traço a lápis na parte superior do ladrilho a cortar no alinhamento do ladrilho já colocado na outra parede que forma a aresta.
y No caso de ladrilhos decorativos,

verificar a orientação do desenho, antes de efectuar a marcação de corte. y Executa o corte de acordo com o desenhado e repete a operação quantas fiadas forem necessárias.

49

João Neves

21-07-2010

OS CORTES DOS AZULEJOS É muito importante estarmos munidos de uma máquina de corte. Este tipo de máquinas são muito fáceis de manejar, de transportar e arrumar, uma vez que vêem munidas de uma caixa geralmente de plástico para a sua arrumação e dos acessórios que a compõem.
50 João Neves 21-07-2010

OS CORTES DOS AZULEJOS
y Estão equipadas com uma paralela, permitindo assim um

corte ortogonal perfeito, podendo também ser aplicada para um corte em diagonal. À máquina adapta-se um cortante tipo rodízio, no dispositivo que funciona encaixado nas paralelas longitudinais para riscar as peças mediante pequena pressão, sendo depois separadas pelo separador colocado na máquina. y O cortador (rodízio) deve ser utilizado de acordo com a cerâmica a cortar. y Para as peças lisas de fraca resistência utilizam-se cortadores de 6 mm. y Peças com relevo de média resistência cortadores de 10 mm e para peças com relevo de grande resistência empregam-se cortadores de 16 mm.
51 João Neves 21-07-2010

Nota : após a utilização, a máquina deve ser bem limpa oleada e arrumada dentro da caixa.

52

João Neves

21-07-2010

Juntas de controle
y ‡ Averiguar a espessura e a profundidade das juntas de

controle, atentando para a conformidade com o projecto; y ‡ Assegurar a limpeza da base no momento de aplicação do mastique elástico.

53

João Neves

21-07-2010

Preenchimento das juntas
y ‡ Verificar a homogeneidade do preenchimento das juntas

entre peças por inspecção visual; não deve haver falhas por falta ou excesso de massa das juntas.

54

João Neves

21-07-2010

Limpeza
y Verificar o aspecto visual

do pano revestido, atentando para restos de argamassa de assentamento e/ou de massa de juntas deixados na superfície por falha de limpeza

55

João Neves

21-07-2010

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->