Você está na página 1de 39

JOÃO NEVES 1

JOÃO NEVES 2
JOÃO NEVES 3
IMPLANTAÇÃO DE UMA OBRA

A implantação de uma obra, é a tarefa da sua marcação no terreno com a sua dimensão
natural a partir da interpretação do desenho.

JOÃO NEVES 4
PROCEDIMENTOS QUE ANTECENDEM A
IMPLATAÇÃO DA OBRA:
- O terreno deve estar limpo (capinado) e, preferencialmente, na
cota de arrasamento das fundações (estacas ou sapatas).
- É necessário conseguir a referência inicial que pode ser um
ponto definido no terreno e um rumo ou uma parede de
construção vizinha. A referência mais comum em obras urbanas
é o alinhamento predial que geralmente é marcada por equipa
de topógrafos do Municipio ou por empresa prestadora de
serviços contratada pela Município.
- Estudar os projectos.
- Providenciar todos os equipamentos e ferramentas necessários;

JOÃO NEVES 5
EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA
SE REALIZAR A IMPLANTAÇÃO DE UMA OBRA:

- Teodolitos e níveis;
- Nível de mangueira;
- Fita métrica metálica de 30 metros (Não se deve usar usar fita
de lona, plástico ou metro de madeira);
- Linhas de nylon;
- Nível de pedreiro;
- Prumo;
- Arame;
- Tinta esmalte (cores vermelha e branca), marreta, martelo e
pregos etc.

JOÃO NEVES 6
PROCEDIMENTO

1. Fixa-se a posição de um ponto (cunhal) através de


uma estaca que se implanta no terreno.
2. Define-se o alinhamento de uma das fachadas
que contém esse cunhal implantando-se outra
estaca (outro cunhal) à distancia conhecida da
primeira estaca.
3. Define-se os outros alinhamentos e cunhais.

JOÃO NEVES 7
Exemplo do
nivelamento
do cangalho com
um nível de bolha

JOÃO NEVES 8
JOÃO NEVES 9
CONSTRUÇÃO DO CANGALHO
No entanto como essas estacas embaraçariam as
escavações é necessário criar um “cangalho”.
O canganho é uma construção provisória de madeira,
envolvente da construção implantada paralelamente às
paredes e situada a aproximadamente um metro desta.
Sobre as tábuas do cangalho são pregados os pregos com o
auxilio de fios e da fita métrica, que nos definem os vários
alinhamentos e medidas dos elementos a implantar.
Permitirão a localização dos vários pontos importantes da
obra. Centros e bordos de sapatas e pilares , paredes, etc..

JOÃO NEVES 10
Exemplo da implantação de um poste de betão isolado

JOÃO NEVES 11
Exemplo da implantação de um poste de betão isolado

JOÃO NEVES 12
Exemplo: marcação das fundações de paredes exteriores.
JOÃO NEVES 13
JOÃO NEVES 14
JOÃO NEVES 15
JOÃO NEVES 16
JOÃO NEVES 17
Os cangalhos devem ser
colocados correctamente.
Estacas bem cravadas e travessas
horizontais.
Indicar o eixos e espessuras dos
elementos por traços e pregos.

JOÃO NEVES 18
Colocar os cangalhos tanto quanto possível no mesmo
nível e no mesmo alinhamento afim de obter exactidão
nas medidas.

Precaução: colocar sempre os cangalhos a uma distância


conveniente da construção.

JOÃO NEVES 19
Um erro de cotas pode
originar uma
grave diferença no edifício
a implantar

Portanto antes de implantar


Deve corrigir todas as cotas
apresentadas nos desenhos

JOÃO NEVES 20
Após a colocação dos fios que definem o contorno dos elementos a
implantar (sapatas, paredes, pilares, etc..
Deve marcar as referencias com o bico da picareta e marcar o
terreno com cal branca ou outro tipo de pó que seja visível ao
operador que vai abrir as fundações.

JOÃO NEVES 21
Precauções: executar solidamente o cangalho
Não esquecer de referenciar as espessuras, (paredes,
fundações, limpos).

JOÃO NEVES 22
JOÃO NEVES

Vermelho e branco
23
REGRA 3 4 5

JOÃO NEVES 24
Marcação de um arco de pequenas dimensões

JOÃO NEVES 25
Exemplo da marcação de
Um arco de jardineiro
(Elipse)

JOÃO NEVES 26
Exemplo da implantação com apoio
de cavaletes isolados

JOÃO NEVES 27
Exemplo de implantação com cangalho
de tábua corrida
JOÃO NEVES 28
Implantação por tábua corrida
A implantação por tábua corrida, também chamada de
tabela ou tabeira, é indicada para obras com muitos
elementos a serem implantados.

Consiste em contornar toda a futura edificação com um


cavalete contínuo constituído de estacas e tábuas niveladas
e em esquadro (polígono em esquadria).

JOÃO NEVES 29
A B

40 a 50 c m

nível d e m a ng ueira

nível de bolha

linha
. .
. .

JOÃO NEVES 30
JOÃO NEVES 31
Depois de definidas as linhas do gabarito, sempre que possível distânciadas
1,20 m ou mais da futura construção, fincam-se no solo as estacas que darão
rigidez ao cercado, devendo desde já ficarem alinhadas e niveladas

OBS.:Para uma maior garantia (obras de maior vulto) convém betonar a base das
estacas, aguardando pelo menos 24 horas para dar continuidade à implantação.

No caso do terreno apresentar uma inclinação acentuada


a implatação pode ser feita com gabaritos em degraus (patamares), sempre de
nível e esquadria.

JOÃO NEVES 32
Futura construção

~1,20 m

JOÃO NEVES 33
Após a fixação das estacas, estas devem ser serrados
com o topo ficando no nível desejado.
-nível eletrônico a laser;
-ou em obras menores um nível de mangueira, constituído
de uma mangueira transparente (cristal) de 12 a 15 mm de
diâmetro, cheia de água limpa e livre de bolhas de ar no
interior;
-Outro método de transferir o nível é esticando uma linha
entre os pontaletes e pregando uma tábua nivelada com
nível de bolha, logo abaixo da linha, (não é muito preciso
mas serve para marcações preliminares)
-Partindo de um ponto definido na primeira estaca,
transfere-se o nível para as demais estacas.

JOÃO NEVES 34
Exemplo da preparação para a
execução de uma estaca

JOÃO NEVES 35
Termos utilizados na implantação de obras
Cota de arrasamento ou de respaldo – é a cota da face superior das estacas ou
sapatas.
Esquadros - são gabaritos ou triângulos retângulos, com lados de 30, 40 e 50 cm, ou
60, 80 e 100, ou ainda, 90, 120 e 150 cm,. Para esquadros maiores pode-se usar fitas
métricas com lados de 3, 4 e 5 metros ou mais.
Piquetes – pequenas estacas de madeira que servem para marcar o local de
execução de um elemento estrutural.
Pontos notáveis – são pontos de referência iniciais, como por exemplo: alinhamento
de parede de edificação vizinha, alinhamento predial, marco topográfico, árvore, poste
etc.
RN – é referência de nível, ou seja a cota 0,0.
Testemunhos – são marcos de betão que geralmente marcam a existência de um
piquete para realizar conferências no cangalho.
Tolerância – é o erro admitido nas marcações (até 3 mm no lado maior do esquadro
de 5 metros).
Triangulação – verificação do esquadro com os triângulos retângulos.

JOÃO NEVES 36
Planta de
fundações
exemplo a
implantar

JOÃO NEVES 37
JOÃO NEVES 38
Exemplo da marcação
de uma sapata de
pilar para posterior
abertura

JOÃO NEVES 39