Você está na página 1de 6

Módulo 1 – Eletricidade CD-ROM – Aula 5

Grau de Dificuldade – Exige Atenção Especial


Objetivo: Apresentar Detalhes Determinantes para uma Boa Instalação Elétrica

Instalações Elétricas
As instalações elétricas residenciais são classificadas segundo a demanda exigida por consumo de
energia elétrica. Por se tratar de uma instalação elétrica, a mesma deve ser implementada seguindo
normas reguladoras e padronizadoras. Hoje é muito comum que qualquer instalação elétrica seja
executada por pessoas que não possuem qualificações necessárias para serem obtidos sempre um
funcionamento ideal e seguro.

A corrente residencial é a do tipo AC. Ela tem elementos condutores que formam um circuito
elétrico chamados de FASE e NEUTRO. O Fase é constantemente energizado pela concessionária de
distribuição de energia elétrica. Já o Neutro é energizado quando após a corrente entrar no circuito e
atravessar o aparelho elétrico ela retorna para a concessionária, então energizando este condutor. Antes
de voltar para a concessionária ela atravessa o medidor (relógio) para ser feita a tarifação.

As instalações elétricas são diferenciadas pelo número de condutores envolvidos: Monofásico,


Bifásico e Trifásico.O que muda em cada sistema são os números de condutores fase. Todos têm
sempre um condutor Neutro.

Monofásico

1
Montagem e Configuração - Alan Aguinaga
Módulo 1 – Eletricidade CD-ROM – Aula 5
Grau de Dificuldade – Exige Atenção Especial
Objetivo: Apresentar Detalhes Determinantes para uma Boa Instalação Elétrica

Obs: No sistema monofásico a carga total não pode superar 8kVA. É o sistema mais vulnerável
a problemas de distribuição.

Bifásico ou Trifásico (Ideal)

A norma técnica que rege a instalação elétrica residencial de baixo porte é a NBR5410 da
ABNT(Associação Brasileira De Normas Técnicas – http://www.abnt.org.br).

Esta norma visa pontos principais, como:

-Padronização das
instalações
-Funcionamento pleno do
circuito
-Segurança aos usuários
-Proteção Básica para os
equipamentos.

2
Montagem e Configuração - Alan Aguinaga
Módulo 1 – Eletricidade CD-ROM – Aula 5
Grau de Dificuldade – Exige Atenção Especial
Objetivo: Apresentar Detalhes Determinantes para uma Boa Instalação Elétrica

No Brasil a norma não é seguida à risca, resultando em instalações mal dimensionadas,


ligação do circuito elétrico sem o mínimo cuidado com a segurança para os usuários e muito
menos para os equipamentos ligados.
Juntando também o fato de que a qualidade da energia elétrica no Brasil deixa muito à
desejar, assim como seu custo é altíssimo, se comparado a outros lugares no mundo em
desvantagens geográficas, é fundamental avaliarmos as condições de um circuito elétrico antes
de ligar qualquer equipamento.

A NBR 5410 abrange instalações elétricas de corrente alternada (AC) de até 1000 Volts.
Esta norma técnica possui recomendações e exigências. É importante nos concentrarmos em
parte disso não para realizarmos instalações e reparos em circuitos e instalações elétricas, mas
sim para identificarmos problemas que normalmente acontecem em circuitos mal projetados e/ou
mal distribuídos que afetam diretamente o funcionamento dos computadores. Como o
computador funciona aparentemente sem problemas não nos damos conta dos problemas que
ocorrem e que podem reduzir a vida útil do equipamento a médio e longo prazo. Aliado a tudo isto
também podemos somar a péssima qualidade das fontes de alimentação que equipam os
gabinetes oferecidos no mercado e também equipamentos de proteção frágeis e mal
dimensionados.

Esta é a parte inicial que devemos aprender para evitarmos transtornos maiores e também
para protegermos nosso investimento gasto na compra de um computador. De posse de
conhecimentos básicos sobre normas técnicas podemos orientar melhor um profissional
qualificado e credenciado (CREA) para realizar instalações, expansões, reparos e projetos ideais
para ligarmos na tomada nosso equipamento eletrônico em questão.

Em conjunto observamos que as normas técnicas contidas na NBR 5410 e especificações


da LIGHT prescrevem:
• Prever que circuitos de iluminação estejam separados das tomadas de uso geral.
• Nunca ligar nenhuma tomada em série.
• Prever circuitos independentes, exclusivos para tomadas de uso específico (ex: ar
condicionado)
• Para o caso de um equipamento ultrapassar o consumo de 1200Watts, há necessidade de
um circuito e uma tomada independentes.
• Uso de disjuntores de alta sensibilidade, chamados de Curva B, que desarmam o circuito
mais rapidamente no caso de sua capacidade ser excedida 3 a 5 vezes de sua capacidade
nominal. Principalmente em áreas internas, onde o piso ou revestimento não é isolante.
• São exigidos disjuntores DR (Diferencial Residual) ou pelo menos classe B em locais sem
proteção ao condutor neutro e em banheiros.
• Nunca aumentar o valor nominal do disjuntor ou do fusível se os mesmos desarmarem ou
queimarem com freqüência. Nesse caso a fiação deve ser redimensionada.
• Não utilizar o disjuntor como interruptor. Além da curva B, utilizar disjuntores do Tipo DR
que evitam choques elétricos fatais.
• Evitar o uso de “ beijamim” ou “ T”, pois alem de sobrecarregar a tomada eles contribuem
para o aumento no consumo da luz por desperdício.

3
Montagem e Configuração - Alan Aguinaga
Módulo 1 – Eletricidade CD-ROM – Aula 5
Grau de Dificuldade – Exige Atenção Especial
Objetivo: Apresentar Detalhes Determinantes para uma Boa Instalação Elétrica

• Isolar o chuveiro elétrico em um circuito próprio. Esse circuito não poderá ter comprimento
maior que 20 metros, pois aumentará a resistividade do condutor, ocasionando aumento
no consumo elétrico.
• O DPS (Dispositivo Protetor de Surto) é um elemento obrigatório nas instalações
elétricas. Ele serve para segurar um pico muito forte de tensão, impedindo que esse pico
entre no circuito de sua casa e danifique seus eletrodomésticos e eletroeletrônicos. Ele
tem o formato de um disjuntor, normalmente. As redes de distribuição de energia das
empresas de eletricidade são projetadas para desligarem imediatamente no caso de risco
à segurança das pessoas, o que pode acontecer quando ocorrem choques de carros em
postes, contatos de árvores, chuvas, trovoadas, etc. A norma brasileira exige que os
consumidores instalem protetores de surto contra os efeitos da falta e posterior retorno da
energia.

Fio Terra

A norma técnica obriga a instalação de um condutor exclusivo no circuito que seja


conectado à terra seguindo normas rigorosas. Este condutor tem a função de capturar toda a
corrente que se acumula na carcaça de equipamentos elétricos e eletrônicos. Ele captura e
transfere esta corrente indesejável diretamente para a terra, que é fonte e depósito inesgotável
de elétrons livres. Quando se diz que algum aparelho está aterrado (ou eletricamente aterrado)
significa que um dos dois fios de seu cabo de ligação está propositalmente ligado à terra.

Em equipamentos eletrônicos o terra é imperativo , pois são usados níveis lógicos para
gerar informação binária. A carcaça do equipamento é o próprio aterramento do equipamento
eletrônico. Ele funciona como uma espécie de “caixa d´água” de elétrons e o terra escoa esses
elétrons livres que atrapalham na interpretação da informação digital de nível 0 Volt.

Em 27 de julho de 2006 o aterramento ao neutro se tornou uma lei(11.337), obrigando


todas as instalações elétricas novas a se adequarem as exigências da norma técnica.

4
Montagem e Configuração - Alan Aguinaga
Módulo 1 – Eletricidade CD-ROM – Aula 5
Grau de Dificuldade – Exige Atenção Especial
Objetivo: Apresentar Detalhes Determinantes para uma Boa Instalação Elétrica

A Tomada 2P+T

Este tipo de tomada além de abrigar a fase e o neutro, abriga também o espaço para o
condutor terra ser conectado ao terra do plug do equipamento. Equipamentos de informática
necessitam ter além do terra no circuito, uma tomada que forneça a conexão com o terra em sua
montagem. Esta tomada tem um padrão de montagem que deve sempre ser obedecido para
evitarmos problemas como choque ao tocar no gabinete e até queima de peças no interior do
gabinete do computador.
5
Montagem e Configuração - Alan Aguinaga
Módulo 1 – Eletricidade CD-ROM – Aula 5
Grau de Dificuldade – Exige Atenção Especial
Objetivo: Apresentar Detalhes Determinantes para uma Boa Instalação Elétrica

Cores dos Fios

A norma recomenda que a montagem de uma instalação elétrica siga o seguinte padrão de cores
em seus fios condutores:
• Neutro – Azul
• Fase – marron, vermelho ou
branco
• Terra – verde ou verde rajado de
amarelo
• Preto – condutor usado para ligar o medidor ao quadro de disjuntores.

DICA PARA NUNCA LEVAR CHOQUES

Sabemos que para ocorrer um choque elétrico é necessário que o indivíduo esteja com uma D.D.P
em relação à rede elétrica. Isso ocorre quando o indivíduo toca nos dois condutores da rede elétrica (fase
e neutro) ao mesmo tempo, ou quando toca-se o condutor fase com os pés descalços, ou em um dia em
que a umidade relativa do ar esteja muito alta (tempo nublado ou chuvoso) então aí vai uma dica para
nunca levar os famosos choques :
-Nunca trabalhe com pés descalços nem mesmo em casa, sempre desconfie de instalações que não
foram feitas por você, trabalhe sempre com um condutor por vez, isto é, com a rede energizada nunca
desencape o fase e o neutro juntos, e um detalhe, o fase, em dias normais (temperatura entre 23ºc e
28ºc) não dá choque, a não ser que você encoste em uma parede de concreto, materiais de ferro ou
qualquer outra coisa que faça existir uma d.d.p. com qualquer parte de seu corpo.
-Use sempre chave teste ou multiteste para ver se a rede está ou não energizada.
-Use sempre ferramentas adequadas para este tipo de serviço de boa qualidade.

Simuladores de Consumo elétrico da Light: faça em sua residência para ter uma boa noção dos limites
de distribuição.
http://www.light.com.br/web/institucional/atendimento/simuladores/tesimuladores.asp?
mid=8687942772277228

6
Montagem e Configuração - Alan Aguinaga