Você está na página 1de 150

INDICE

FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO................................................................................................................ 3
PASSAPORTE VÁLIDO (Requerente)................................................................................................................ 4
CERTIDÃO DE NASCIMENTO (Requerente).................................................................................................... 5
PEDIDO DE ANÁLISE DOCUMENTAL.............................................................................................................. 6
PENTADECAVÓS – Vicente Anes Bicudo.......................................................................................................... 7
ANEXO 01...................................................................................................................................................... 8
ANEXO 02.................................................................................................................................................... 12
ANEXO 03.................................................................................................................................................... 15
ANEXO 04.................................................................................................................................................... 18
ANEXO 05.................................................................................................................................................... 20
ANEXO 06.................................................................................................................................................... 23
ANEXO 07.................................................................................................................................................... 25
ANEXO 08.................................................................................................................................................... 27
ANEXO 09.................................................................................................................................................... 29
ANEXO 10.................................................................................................................................................... 32
ANEXO 11.................................................................................................................................................... 34
ANEXO 12.................................................................................................................................................... 37
TETRADECAVÓS – Antonio Bicudo Carneiro.................................................................................................. 38
ANEXO 13.................................................................................................................................................... 39
TRIDECAVÓS – Maria Bicudo.......................................................................................................................... 42
ANEXO 14.................................................................................................................................................... 44
ANEXO 15.................................................................................................................................................... 48
DUODECAVÓS – Beatriz Furtado de Mendonca............................................................................................. 50
ANEXO 16.................................................................................................................................................... 51
ANEXO 17.................................................................................................................................................... 53
ANEXO 18.................................................................................................................................................... 56
UNODECAVÓS – Maria Raposo...................................................................................................................... 57
ANEXO 19.................................................................................................................................................... 58
ANEXO 20.................................................................................................................................................... 60
ANEXO 21.................................................................................................................................................... 62
DECAVÓS – Francisca de Macedo.................................................................................................................. 63
ANEXO 22.................................................................................................................................................... 65
ANEXO 23.................................................................................................................................................... 69
ENEAVÓS – Antonio Vieira de Moraes............................................................................................................. 70
ANEXO 24.................................................................................................................................................... 71
ANEXO 25.................................................................................................................................................... 73
ANEXO 26.................................................................................................................................................... 75
ANEXO 27.................................................................................................................................................... 78
OCTAVÓS – Maria de Assuncao de Moraes.................................................................................................... 79

1
ANEXO 28.................................................................................................................................................... 80
ANEXO 29.................................................................................................................................................... 82
HEPTAVÓS – Margarida Maria de Jesus Correia.............................................................................................83
ANEXO 30.................................................................................................................................................... 84
ANEXO 31.................................................................................................................................................... 86
ANEXO 32.................................................................................................................................................... 88
HEXAVÓS – Jose Francisco de Azevedo Moura.............................................................................................. 89
ANEXO 33.................................................................................................................................................... 90
ANEXO 34.................................................................................................................................................... 92
ANEXO 35.................................................................................................................................................... 94
ANEXO 36.................................................................................................................................................... 96
PENTAVÓS – Maria Joana de Moura............................................................................................................... 99
ANEXO 37.................................................................................................................................................. 100
ANEXO 38.................................................................................................................................................. 102
ANEXO 39.................................................................................................................................................. 105
ANEXO 40.................................................................................................................................................. 108
ANEXO 41.................................................................................................................................................. 110
TETRAVÓS – Modesto Jose Coimbra............................................................................................................ 113
ANEXO 42.................................................................................................................................................. 114
ANEXO 43.................................................................................................................................................. 116
ANEXO 44.................................................................................................................................................. 119
TRISAVÓS – Modestino de Aquino Coimbra.................................................................................................. 122
ANEXO 45.................................................................................................................................................. 123
ANEXO 46.................................................................................................................................................. 125
ANEXO 47.................................................................................................................................................. 129
BISAVÓS – Modesto Jose Coimbra............................................................................................................... 135
ANEXO 48.................................................................................................................................................. 136
ANEXO 49.................................................................................................................................................. 138
AVÓS – XXXX XXXX XXXXXX....................................................................................................................... 139
ANEXO 50.................................................................................................................................................. 140
ANEXO 51.................................................................................................................................................. 142
PAIS – XXXX XXXX XXXXX........................................................................................................................... 143
ANEXO 52.................................................................................................................................................. 144
REQUERENTE – XXXX XXXX XXXXX.......................................................................................................... 145
ANEXO 53.................................................................................................................................................. 146
ÁRVORE GENEALOGICA.............................................................................................................................. 147
DOCUMENTOS ENVIADOS.......................................................................................................................... 149
BIBLIOGRAFIA............................................................................................................................................... 150

2
FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO

INSERIR AQUI O FORMULARIO DE REQUERIMENTO DA CIL

3
PASSAPORTE VÁLIDO (Requerente)

INSIRA AQUI A IMAGEM DO PASSAPORTE DO REQUERENTE


(PAGINA COM OS DADOS)

4
CERTIDÃO DE NASCIMENTO (Requerente)

INSIRA IMAGEM DA CERTIDAO DE NASCIMENTO DO REQUERENTE

5
PEDIDO DE ANÁLISE DOCUMENTAL

Prezados Senhores da Comissão de análise da Comunidade Israelita de


Lisboa, eu XXXXX XXXXXXXX XXXXXXXX, inscrita no Passaporte da República
Federativa do Brasil n° XXXXXXXX, nascida aos XX/XX/XXXX em Juiz de Fora, Minas
Gerais, Brasil e residente na cidade de XXXXXXXXX, no estado de XXXXX-
XXXXXXXXXXXX, XXXXXXXXX. Venho por meio deste documento pedir-te cordialmente a
análise dos documentos listados abaixo, para aquisição de direito de me tornar cidadã
Portuguesa através do Decreto-Lei n° 30-A/2015, de 27/2, por descendência direta e/ou
colateral dos Judeus Sefarditas.

E-mail para contato: xxxxxxxxxxxxx@gmail.com

Pedido:

Eis que venho pedir análise da minha ascendência direta e/ou colateral, para
que seja atribuído à minha pessoa, XXXXX XXXXXXXX XXXXXXXX, o certificado de
Descendência Sefardita da CIL (Comunidade Israelita de Lisboa) através do meu ancestral
ANTÔNIO BICUDO CARNEIRO filho de VICENTE ANES BICUDO e MÉCIA NUNES. Foi
para o Brasil com o Irmão VICENTE BICUDO e foi também irmão de MATIAS BICUDO e
sobrinho de ISAAC BICUDO.

Citarei abaixo o estudo genealógico desde ANTÔNIO BICUDO CARNEIRO,


“Cristão Novo” até os dias atuais ligando a minha pessoa, a requerente XXXXX
XXXXXXXX XXXXXXXX.

6
GENEALOGIA

PENTADECAVÓS

VICENTE ANES BICUDO nasceu em Ponta Delgada, no arquipélago dos Açores por
volta de 1520. Foi ele casado, provavelmente na Ilha de São Miguel, com Mécia Nunes,
filha de Nuno Gonçalves e Mécia Rodrigues Furtado. Faleceu aos 27 de agosto de 1582
em Ribeira Grande, Açores, Portugal. Tiveram: Matias Bicudo, Vicente Bicudo, ANTÔNIO
BICUDO CARNEIRO entre outros. No livro “A Saudade da Terra” do historiador e vigário
Gaspar Fructuoso, nascido em 1522 em São Miguel, viveu o dia-a-dia das famílias locais.
Não há dúvida de que ele, além de ter acesso natural aos livros de sacramentos de seu
vicariato, era um grande conhecedor dos fiéis que frequentavam a Matriz de Nossa
Senhora da Estrela da Vila da Ribeira Grande. No volume IV de sua genealogia, nas
páginas 167 e 168, retrata que MATIAS BICUDO, era filho de VICENTE ANES BICUDO e
sua esposa MÉCIA NUNES.1

“[...] Mécia Roiz Furtada casou com Nuno Gonçalves, da Graciosa, de


que teve um filho por nome Mateus Nunes, casado com Isabel de Ornellas,
que serviu muito tempo de ouvidor na dita ilha, muito virtuoso, de quem
tem um filho chamado Xisto de Ornellas. e uma filha por nome Antónia de
Ornellas, que casou com Feliciano de Quadros, de quem tem filhos. Teve
mais Mécia Roiz, de seu marido Nuno Gonçalves, uma filha por nome
MÉCIA NUNES, que casou com VICENTE ANES BICUDO, escrivão na
Vila da Ribeira Grande, de que teve um filho MATHIAS BICUDO, e
Francisco Bicudo, defunto, e Nuno Bicudo, da casa de dom Diogo de
Sousa, que o deu a el-Rey por seu moço fidalgo: e filhas, Isabel Bicudo,
casada com Pedro Alveres Cabral, nobre fidalgo, de quem tem muitos
filhos de pouca idade: e Jeronyma Nunes, que foi casada com Pedro
Afonso Caldeira, de que tem um filho, Jorge Nunes; e uma filha, Isabel
Caldeira, que casou com Francisco Taveira, cavalleiro fidalgo da casa de
d’el-Rey. Teve mais Vicente Annes outro filho, chamado Manuel Bicudo,
que faleceu solteiro, e outra filha chamada Guiomar Nunes, que faleceu de
pouca idade. Teve mais Mécia Nunes, de seu marido Vicente Annes, uma
filha, Beatriz da Conceição, que faleceu moça [...]" - (ANEXO 01)

1
FRUCTUOSO, Gaspar: Saudades da Terra - História Genealogica de Sam Miguel, 1876, Tip. Do Amigo
do Povo, Ponta Delgada, p.167 - 168

7
ANEXO 01

FRUCTUOSO, Gaspar: Saudades da Terra - História Genealogica de Sam Miguel, 1876,


Tip. Do Amigo do Povo, Ponta Delgada, p.167 - 168

8
9
10
Rodrigo Rodrigues, "GENEALOGIAS DE SAM MIGUEL E SANTA MARIA” também cita
MATIAS BICUDO sendo filho do casal VICENTE ANES BICUDO e sua esposa MECIA
NUNES.2

“[...] 3 - MÉCIA NUNES, que foi madrinha de um casamento na Matriz


da Ribeira Grande a 13.10.1566 e casou com VICENTE ANES BICUDO,
escrivão na Vila da Ribeira Grande e capitão de uma companhia e morreu
na freguesia Matriz da mesma Vila a 27.8.1582, estando alienado havia
bastante tempo (Nota N.° 4). Tiveram:
4 - MATIAS BICUDO, sem mais notícia.
4 - NUNO BICUDO [...]
4 - VICENTE BICUDO, que foi para o Brasil para a capitania de S.
Paulo com seu irmão António, por alturas de 1585 (Nota N.° 5). Casou em
S. Paulo com Ana Luís Grou. [...]”
“[...] 4 - ANTÓNIO BICUDO CARNEIRO, que foi para Brasil para a
capitania de S. Paulo por 1585 (Vid. Nota N.º 5). Casou com Isabel
Rodrigues, de São Paulo [...]" - (ANEXO 02)

2
RODRIGUES, Rodrigo: Genealogias de São Miguel e Santa Maria, Lisboa, DisLivro Histórica, 2008

11
ANEXO 02

RODRIGUES, Rodrigo. Genealogia de São Miguel e Santa Maria, p.1325, 1326.

12
13
Rodrigo Rodrigues, "GENEALOGIAS DE SÃO MIGUEL E SANTA MARIA" cita um
segundo Matias Bicudo sendo filho do casal NUNO BICUDO e MARGARITA MENDES
PEREIRA, casaram na Igreja de Nossa Senhora da Estrela da Ribeira Grande em 24 de
janeiro de 1593. O nome talvez tenha sido uma homenagem ao irmão do NUNO BICUDO,
o MATIAS BICUDO ambos filhos de VICENTE ANES BICUDO com MÉCIA NUNES. 3

“[...] 4 - Nuno Bicudo, moço fidalgo da Casa de El-Rei e escrivão na


Ribeira Grande, cargo a que sucedeu a seu pai. Morreu a 16.6.1612 e
casou na Matriz de Ponta Delgada a 24.1.1593 com Margarida Mendes
Pereira (Cap.° 5. º § 1.° N.º 3).
Tiveram: [...]
[...] 5 - Matias Bicudo, a quem se refere uma escritura de venda feita
na Ribeira Grande a 25.11.1625 em que nas casas de morada de Matias
Bicudo, da governança desta Vila. ele e sua mulher Vitória Ferreira vendem
um foro que lhes dotara seu sogro e pai, Francisco Ferreira. Casou na
Matriz da Ribeira Grande a 17.12.1622 com Vitória Ferreira, filha de
Francisco Ferreira e Ana Paineira (Nota N.º6) [...]" - (ANEXO 03)

3
RODRIGUES, Rodrigo: Genealogias de São Miguel e Santa Maria, Lisboa, DisLivro Histórica, 2008

14
ANEXO 03

RODRIGUES, Rodrigo. Genealogia de São Miguel e Santa Maria, p.1326-1327

15
16
De acordo com o artigo do historiador português José Alberto Rodrigues da Silva
Tavim, fica evidente que os judeus MATIAS BICUDO e seu tio ISAAC BICUDO estavam a
serviço do embaixador de Roma citando que MATIAS BICUDO e ISAAC BICUDO serviram
de informantes atuando no Egito e Síria.4

"[...] Outra das suas missões esteve relacionada com os judeus Bicudo,
recrutados como informadores por Lourenço Pires de Távora enquanto
embaixador em Roma, a partir de 1559. Isaac actuava em Alepo, e o
sobrinho Matias no Cairo. [...]” - (ANEXO 04)

4
TAVIM, José Alberto Rodrigues Da Silva: Anais de História de Além-Mar, Vol. V, 2004, Pp. 276 - O
«Aviso» Anónimo Sobre João Micas na Colecção de S. Vicente.
LINK: https://run.unl.pt/bitstream/10362/16463/1/AHAM%20V_2004.pdf
Acesso em 23/12/2019 - 00:50h

17
ANEXO 04

TAVIM, José Alberto Rodrigues Da Silva: Anais de História de Além-Mar, Vol. V, 2004, Pp.
276 - O «Aviso» Anónimo Sobre João Micas Na Colecção De S. Vicente.

18
Quanto a judaicidade de VICENTE ANES BICUDO conseguimos comprovar, de forma
colateral. Renomados historiadores e pesquisadores, afirmam que seu filho MATIAS
BICUDO e seu irmão ISAAC BICUDO eram judeus.
O historiador português José Alberto Rodrigues da Silva Tavim publicou na Revista
"ARTIGOS DE BOLETIM HISPANIA JUDAICA, REVISÕES, BIBLIOGRAFIA E
MANUSCRITOS 1 NO SEFARAD", Vol. 7, 5770/2010, p. 221.5
 
Traduzido do Espanhol:
"[...] Os depoimentos de Tomé Pegado da Paz antes da Inquisição de
Lisboa, em 1578-1579, revelam outros aspectos da gestão consultiva de
Yosef Nasí em relação à Índia. Tomé Pegado da Paz era filho do duplo
agente Duarte da Paz, que em Istambul continuou a informar o rei de
Portugal das consequências da imigração de novos cristãos para o Império
Otomano, transferindo assim a rede de informações de Yosef Nasi. Para
esse fim, chamou Istambul, em 1552 ou 1553, seu filho Tomé, para
informar as autoridades portuguesas sobre as intenções do sultão e de D.
Yosef Nasí sobre a Índia e os indianos, bem como os propósitos dos
convertidos que passaram da Índia para a "Terra dos Turcos". Mas nove
meses depois Quando Duarte da Paz morreu e eu levei o serviço de Yosef
Nasí, uma das missões que lhe foram confiadas foi deter MATÍAS
BICUDO, UM JUDÍO QUE ATUAM EM CAIRO EM CONEXÃO COM SEU
TIO ISAAC, DE ALEPO. havia e foram recrutados como espiões por
Lourenço Pires de Távora, embaixador português em Roma, a partir de
1559 [...]" - (ANEXO 05)

5
TAVIM, José Alberto Rodrigues Da Silva: Revista "Artigos de Boletim Hispania Judaica, Revisões,
Bibliografia e Manuscritos no Sefarad", Vol. 7, 5770/2010

19
ANEXO 05

TAVIM, José Alberto Rodrigues Da Silva: Revista "Artigos de Boletim Hispania Judaica,
Revisões, Bibliografia e Manuscritos no Sefarad", Vol. 7, 5770/2010, p. 221

20
21
No livro “SPICES IN THE INDIAN OCEAN WORLD - AN EXPANDING WORLD” de M.
N. PEARSON cita que o ISAAC BECUDO e MATIAS BECUDO eram judeus. 6

Traduzido do Inglês:
“[...] Em 1559, Lourenço Pires de Távora tornou-se embaixador de
Portugal na corte papal e, de imediato, começou a trabalhar para melhorar
o serviço noticioso nacional no Levante. Engajou os serviços de dois
judeus, Isaac Becudo e Matias Becudo, que possuíam as amizades ou
conexões necessárias para coletar informações e enviar despachos
secretos ao cônsul português em Veneza. Isaac postou-se em Aleppo,
Matias no Cairo, e essas cartas foram enviadas de Veneza para Roma e
Roma para Lisboa. [...]” - (ANEXO 06)

6
PEARSON, M.N.: Spices in the Indian Ocean World - An Expanding World Vol.: 11, 2016,
Routledge, NY

22
ANEXO 06

PEARSON, M.N.: Spices in the Indian Ocean World - An Expanding World Vol.: 11, 2016,
Routledge, NY - Cita os judeus Isaac e Mathew Becudo como informantes a serviço de
Lourenço Pires Távora.

23
No DICIONÁRIO DO JUDAÍSMO PORTUGUÊS, tópico "Crato, Dom Antonio, Prior do",
na página 185, a judaicidade de MATIAS BICUDO é novamente confirmada: 7

"[...] Apenas a título de exemplo, lembremo-nos que D. António teve


amplos contatos (e depois diferendos) com o abastado e influente cristão-
novo Álvaro Mendes*, que mais tarde em Istambul* seria conhecido como
Salomão ibn Yaish. Também o judeu Matias Becudo ou Bicudo*, que já
servira os interesses portugueses como informador de Lourenço Pires de
Távora[...]" - (ANEXO 07)

7
MUCZNIK, Lucia Liba (outros): Dicionário Do Judaísmo Português, Editorial Presença, 2009 -
Tópico "Crato, Dom Antonio, Prior Do"

24
ANEXO 07

MUCZNIK, Lucia Liba (outros): Dicionário Do Judaísmo Português, Editorial Presença,


2009 - Tópico "Crato, Dom Antonio, Prior Do", p. 185 - Cita novamente Matias Bicudo
trabalhando aos interesses de Portugal.

25
Carlos Manuel Valentim, em seu livro "TOMÉ PEGADO DE PAZ: ESPIÃO E
SERVIDOR DO DUQUE DE NAXOS (1552-1578)", em Cadernos de Estudo Sefarditas, n°4
2004, p. 308 escreve: 8

"[...] A versão dos eventos, relatada por Tom Pegado, difere da versão
anterior. Ele afirma que o embaixador Achem havia se mudado para a corte
turca em busca de assistência naval contra os portugueses, tendo MATIAS
BICUDO, JUDEU de Aleppo, recrutado por Lourenço Pires de Távora,
quando este era o embaixador português em Roma, em 1559 [...]" -
(ANEXO 08)

8
VALENTIM, Carlos Manuel: Tomé Pegado de Paz: Espião e Servidor do Duque de Naxos (1552-
1578), Cadernos de Estudos Sefarditas 4 (2004): p. 283 - 341

26
ANEXO 08

VALENTIM, Carlos Manuel: Tomé Pegado de Paz: Espião e Servidor do Duque de Naxos
(1552-1578), Cadernos de Estudos Sefarditas 4 (2004): p. 308

27
Manuel Vílmaro Costa Pereira na sua dissertação de mestrado transcreve os
manuscritos do “Itinerário à Casa Santa do padre frey António Soares da Albergaria” onde
conta a afirmação q ISAAC BEIÇUDO era judeu. 9

“[...] Chegando a casa da comigo hum judeu natural da cidade de


Viseu ho qual morava em Caffete na Galilaea Alta, e vyera a Tripole por
causa de hum seu tyo per alcunha o pedreyro ho qual vyera muyto rico da
nossa índia. Chamavasse este JUDEU ISAAC BEIÇUDO, e por quanto
logo á entrada em Tripole me conheçeo, catou me sempre muyta horara
como em Caffete podem ouvyr, e aqui me deu este aviso [...]”
(ANEXO 09)

9
PEREIRA, Manuel Vílmaro Costa: Itinerário a Casa Santa do padre frey António Soares da
Albergaria - Dissertação de Mestrado em Filosofia Medieval, Faculdade de Letras da Universidade
do Porto, 2005.

28
ANEXO 09

PEREIRA, Manuel Vílmaro Costa: Itinerário a Casa Santa do padre frey António Soares da
Albergaria - Dissertação de Mestrado em Filosofia Medieval, Faculdade de Letras da
Universidade do Porto, 2005, p.100, p.104
LINK: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/53691/2/043MP493iTM01000119895.pdf
Acessado em 04/01/2020 - 13:59h

29
30
Carlos Manoel Valentim em “Uma família de cristãos-novos do Entre Douro e Minho os
Paz reprodução familiar, formas e mobilidade social, mercancia e poder (1495-1598)”
10
afirma que Matias Bicudo era Judeu.

“[...] A versão dos acontecimentos, relatada por Tomé Pegado, difere


da anterior. Contou que o embaixador do Achem se deslocara à Corte turca
em busca de auxílio naval contra os portugueses, tendo MATIAS BICUDO
UM JUDEU de Alepo, recrutado por Lourenço Pires de Távora embaixador
em Roma no ano de 1559 - vindo do Cairo para Constantinopla, no intuito
de saber notícias sobre as galés que o Sultão pretendia lançar no Índico
[...]” - (ANEXO 10)

10
VALENTIM, Carlos Manoel: Uma família de cristãos-novos do Entre Douro e Minho os Paz
reprodução familiar, formas e mobilidade social, mercancia e poder (1495-1598), 2007

31
ANEXO 10

VALENTIM, Carlos Manoel: Uma família de cristãos-novos do Entre Douro e Minho os Paz
reprodução familiar, formas e mobilidade social, mercancia e poder (1495-1598),
Dissertação de Mestrado em História Moderna, 2007, p.185.
LINK: https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/1737/1/21887_ulfl061171_tm_rosto_abstract.pdf
Acessado em 04/01/2020 - 13:42h

32
Em Journal of Early Modem History 17 (2013) 561-584, J.A.R. da Silva Tavim afirma
11
que o Matias Bicudo e o Isaac eram de famílias Judias.

Traduzido do Inglês:
“[...] Mudar de traje e religião de acordo com as circunstâncias do
momento também era característico de outro homem envolvido na vida de
Tomé Pegado da Paz: MATIA BICUDO OU MATIAS BICUDO FURTADO.
MATIAS E SEU TIO ISAAC ERAM DE FAMÍLIAS JUDIAS que deixaram
Portugal em 1496, e seu patronímico pode ser encontrado em documentos
que datam da Idade Média. Eles pertenciam a um ramo da mesma rede de
inteligência portuguesa com sede no Cairo e ativo a partir de 1559 em
diante [...]" - (ANEXO 11)

11
TAVIM, J.A.R da Silva: Journal of Early Modem History 17 (2013) 561-584

33
ANEXO 11

TAVIM, J.A.R da Silva: Journal of Early Modem History 17 (2013) 561-584, p.576-577
LINK: https://brill.com/view/journals/jemh/17/5-6/article-p561_7.xml
Acessado em 05/01/2020 - 13:07h

34
35
O seu óbito foi registrado na Matriz da Ribeira Grande aos 27 de agosto de 1582 e
pode ser localizado no website do Governo dos Açores pelo link abaixo: 12

Transcrição do Registro:

“[...] Falecei Vicente Anes Bicudo ... aos vinte e sete de agosto de
1588; não fez testamento por a ver muyto tempo estará fora de seu juízo
fizerao lhe...[...]” - (ANEXO 12)

12
Registro de Óbito de Vicente Anes Bicudo

36
ANEXO 12

Registro de Óbito de Vicente Anes Bicudo, Ribeira Grande, Estrela, SMG-RG-ESTRELA-O-


1580-1602, BPAR, Ponta Delgada
Link de Acesso - Acessado em: 27/12/2019 - 00:05h
http://culturacores.azores.gov.pt/biblioteca_digital/SMG-RG-ESTRELA-O-1580-1602/SMG-
RG-ESTRELA-O-1580-1602_item1/P16.html?
fbclid=IwAR1OQ7V4v6XyJCvfRxt9_bLMYlnOVFMxk5w6pkYi9pkD-wD5DMRiO-lCV08

37
TETRADECAVÓS

ANTONIO BICUDO CARNEIRO nasceu por volta de 1540, na Ponta Delgada, Ilha de
São Miguel, Arquipélago dos Açores, Portugal. Foi o mais novo dentre os filhos de Vicente
Annes Bicudo e Mécia Nunes. Foi irmão de Matias Bicudo e sobrinho de Isaac Bicudo.
Veio para o Brasil no início da colonização da Capitania de São Paulo com outro irmão
Vicente Bicudo. Casou em São Paulo com Isabel Rodrigues (Velho), filha de Garcia
Rodrigues Velho e Izabel Velho.
No livro “Genealogia Paulistana, Luiz Gonzaga da Silva Leme (1852-1919), Vol. VI - Tít.
Bicudo” páginas 296 e 297” cita a filiação de ANTÔNIO BICUDO CARNEIRO. 13

“[...] Segundo escreveu Pedro Taques, os Bicudos vieram da ilha de


S. Miguel para a capitania de S. Paulo no tempo de seu povoamento.
Eram dois irmãos Antonio Bicudo e Vicente Bicudo (1), os quais
em 1610 requereram à câmara de S. Paulo pedindo 300 braças de terra
em quadra, partindo pelo rio Carapucuiba; e neste requerimento
declararam que havia muitos anos que habitavam esta terra, onde sempre
ajudaram com suas pessoas e armas ao bem público, achando-se nas
guerras que contra os portugueses moviam os bárbaros gentios que
infestavam a terra; e que eram casados e tinham filhos (Arq. da Câmara de
S. Paulo, caderno de registros, Maio de 1607). Dividimos este título em
dois capítulos:
Cap. 1˚ Antonio Bicudo Carneiro
Cap. 2˚ Vicente Bicudo

Cap. 1. °

Antonio Bicudo Carneiro foi da governança da terra, ouvidor da


comarca e capitania pelos anos de 1585; foi quem mandou levantar
pelourinho na vila de S. Paulo no dito ano de 1585. Foi casado com Izabel
Rodrigues, natural de S. Paulo, segundo se vê do testamento de seu f.°
Antonio Bicudo em 1650 em que declara sua filiação. Teve 6 f.°s, como se
vê do requerimento feito aos oficiais da câmara de S. Paulo pedindo em
1598 chãos para fazer casas. São:
1-1 Antonio Bicudo § 1. ˚
1-2 Domingos Nunes Bicudo § 2.˚
1-3 Maria Bicudo § 3. ˚
1-4 Martha de Mendonça § 4. ˚
1-5 Jeronima de Mendonça § 5. ˚
1-6 Guiomar Bicudo § 6. ˚

(1) Foram pessoas de qualificada nobreza pelos seus antepassados deste


apelido na ilha de S. Miguel, como se lê nos Nobiliários das famílias nobres
e ilustres das ilhas dos Açores. [...]” - (ANEXO 13)

13
LEME, Luiz Gonzaga da Silva, Genealogia Paulistana, 1904, S. Paulo, Duprat & Comp. - Rua
Direita, 14. 1904 - Vol.: VI, “Tit. Bicudos”

38
ANEXO 13

LEME, Luiz Gonzaga da Silva, Genealogia Paulistana, 1904, S. Paulo, Duprat & Comp. -
Rua Direita, 14. 1904 - Vol.: VI, p. 296, 297
LINK: http://www.arvore.net.br/Paulistana/Bicudos_1.htm
Acessado em 04/01/2020 - 13:10h

39
40
41
TRIDECAVÓS

MARIA BICUDO nasceu em São Paulo por volta de 1590 e faleceu com testamento
escrito em 25 de junho de 1659 em Santana do Parnaíba, São Paulo. Casou com Capitão
Manoel Pires, filho de Salvador Pires e Maria Rodrigues.
Os filhos do casal são citados em detalhe no Livro “Genealogia Paulistana” de Luiz
Gonzaga da Silva Leme, Vol. VI, p.448-451. 14

“[...] 1-3 Maria Bicudo, f.ª do Cap. 1.º, foi casada com o capitão
Manoel Pires, V. 2.º pág. 5; faleceu Maria Bicudo em 1659 em Parnaíba
no estado de viúva (C. O. de S. Paulo). Seu marido o capitão Manoel Pires
conquistou no sertão muitos gentios bárbaros que, sendo batizados,
ficaram como administrados, trabalhando em seu importante
estabelecimento agrícola; foi homem de grandes virtudes morais e
conseguiu para seus f.ºs casamentos com pessoas de nome e respeito.
Teve:
2-1 Padre Estevão Rodrigues, da companhia de Jesus,
mencionado por Pedro Taques, mas não vem no inventário.
2-2 Gonçalo Pires Bicudo foi casado com Julianna
Antunes f.ª de Innocencio Fernandes Preto e de Catharina Cortes. Tit.
Pretos. Eram moradores em Curitiba em 1660.
2-3 Capitão Nuno Bicudo de Mendonça que foi morador
em Curitiba em 1660 casou com Maria de Souza f.ª de Antonio de Souza e
de Izabel de Oliveira, n. p. de Gonçalo de Sousa e de Maria Vaz Couto,
natural de Portugal. Teve a f.ª:
3-1 Maria Bicudo, † em 1719, e casada 2 vezes.
2-4 Salvador Bicudo de Mendonça, foi casado com Maria
de Moraes f.ª de Pedro de Moraes Madureira e de Anna Pedroso de
Moraes; faleceu em 1672 com f.º único:
3-1 Salvador Bicudo de Mendonça casado com
Anna de Quebedo Rendon. Sem geração.
2-5 Izabel Bicudo de Mendonça casou em 1635 em S.
Paulo com Bartholomeu de Quadros f.º de Bernardo de Quadros e de
Cecilia Ribeiro. Com geração no V. 4.º pág. 509.
2-6 Anna Bicudo de Mendonça, já † em 1660, casou em
1639 em S. Paulo com Christovão de Aguiar Girão, que depois de viúvo
recebeu ordens sacras, f.º do cavalheiro castelhano do mesmo nome e de
Luiza Netto, falecida em 1667 em Moji das Cruzes ; n. m. de Alvaro Netto,
natural de S. Martinho, termo de Viana, falecido em 1636, e de Mecia da
Pena (irmã de Matheus Luiz) natural de Santos, falecida em 1635 em S.
Paulo.
2-7 Margarina Bicudo casou em 1643 em S. Paulo com
Felippe de Campos Banderborg, natural de Lisboa. Com geração no V. 4.º
pág. 166.
2-8 Beatriz Furtado de Mendonça, já † em 1660, foi
casada com Antonio Raposo Tavares, natural de S. Miguel de Beja,
Alemtejo, de onde veio em companhia de seu pai, Fernão Vieira Tavares,
despachado em capitão-mor e governador da capitania de S. Vicente e S.
14
LEME, Luiz Gonzaga da Silva, Genealogia Paulistana, Vol. VI, pág. 448-450

42
Paulo no triênio que findou em 1622. Antonio Raposo Tavares ocupou os
honrosos cargos da república e foi finalmente mestre de campo do terço
que se formou em S. Paulo para a restauração de Pernambuco do poder
dos holandeses em 1640, com o caráter de governador desta recruta (1).
Falecendo Beatriz Furtado em 1632, Antonio Raposo Tavares passou a
segundas núpcias com Lucrecia Leme Borges de Cerqueira, viúva de
Gaspar Barreto, e teve desta a geração descrita no V. 3.º pág. 524; da 1.ª
mulher Beatriz Furtado teve 2 f.ºs seguintes:
3-1 Fernando Raposo Tavares faleceu na ilha de
Cabo Verde em 1658 onde foi casado com Catharina de Sousa, bisneta do
capitão Cyprião Alves de Almada, em cujo jazigo foi sepultado. Sem
geração. No testamento que deixou vê-se que nesse ano já eram falecidos
seus pais, pois que foi herdeira de sua fazenda sua avó Maria Bicudo.
3-2 Maria Raposo foi casada com o coronel
Carlos de Moraes Navarro, † em 1672; f.º de Pedro de Moraes Madureira
e de Anna de Moraes Pedroso. Com geração em Tit Moraes.
2-9 Maria Bicudo, f.ª de § 3.º, casou com o capitão Diogo
da Costa Tavares, irmão do mestre de campo Antonio Raposo Tavares do
n.º 2-8 retro. [...]” - (ANEXO 14)

43
ANEXO 14

LEME, Luiz Gonzaga da Silva, Genealogia Paulistana, Vol. VI, pág. 448-450
LINK: http://www.arvore.net.br/Paulistana/Bicudos_4.htm
Acessado em 04/01/2020 - 13:20h

44
45
46
O escritor Pedro Taques de Almeida Paes Leme também descreve o casal Maria
Bicudo e Manoel Pires enfatizando a importância e a influência de sua família em seu
livro “Nobiliarchia Paulistana Historica e Genealogica” na página 180, capitulo III do
Tomo III. 15

“[…] CAPITULO III

1 - 3. Maria Bicudo (filha do n.1.0), faleceu com testamento a 16 de


janeiro de 1659. (Orfãos da Parnaíba, n. 212, inventario de Maria Bicudo).
Foi casada com o capitão Manoel Pires: em título de Pires n.1. 0, o qual
faleceu em São Paulo, onde foi capitão que governou e regeu os seus
moradores, como pessoa de muita autoridade e respeito, e teve um
estabelecimento de muitos administrados, que, sendo gentios barbaros,
foram conquistados no sertão, e reduzidos ao gremio da igreja pelo
sagrado batismo. Praticou virtudes morais, com os quais soube lucrar
excelente nome, e mereceu que Deus lhe abençoasse a sua geração, que
toda tem sido de admiraveis produções; e conseguiu casamentos de
autoridade e respeito com sujeitos de bom nome. Este casal teve jazigo
proprio na igreja do Carmo de São Paulo, como se vê do testamento de
seu neto Salvador Bicudo de Mendonça, filho de outro Salvador Bicudo de
Mendonça, § 4.0. Do seu feliz matrimonio teve em São Paulo nove filhos:
2 - 1. Estevão Rodrigues ........………. § 1.0
2 - 2. Gonçalo Pires Bicudo ....……… § 2.0
2 - 3. Nuno Bicudo de Mendonça …… § 3.0
2 - 4. Salvador Bicudo de Mendonça .. § 4. 0
2 - 5. Isabel Bicudo de Mendonça.…... § 5.0
2 - 6. D. Anna Bicudo de Mendonça … § 6.0
2 - 7. Margarida Bicudo .......………… § 7.0
2 - 8. D. Beatriz Furtado de Mendonça § 8.0
2 - 9. Maria Bicudo ............………….. § 9.0 [...]”
(ANEXO 15)

15
LEME, Pedro Taques de Almeida Paes: Nobiliarchia Paulistana Historica e Genealogica, Vol. III

47
ANEXO 15

LEME, Pedro Taques de Almeida Paes: Nobiliarchia Paulistana Historica e Genealogica,


Vol. III p. 180

48
49
DUODECAVÓS

BEATRIZ FURTADO DE MENDONÇA nasceu por volta de 1605 em São Paulo e


faleceu aos 13 de julho de 1632 na mesma cidade. Casou em 1622 em São Paulo com
Antônio Raposo Tavares, Sertanista e Mestre de Campo, natural de São Miguel do
Pinheiro, Beja, Portugal, nascido em 1598 e falecido em 1658 em São Paulo, Brasil.
O escritor Francisco de Assis Carvalho Franco em sua obra “Dicionario de
Bandeirantes e Sertanistas do Brasil” confirma que Beatriz Furtado de Mendonça, filha de
Manoel Pires, foi casada com o sertanista Antônio Raposo Tavares. 16

“[…] TAVARES, Antônio Raposo Português, nascido em 1598 em


São Miguel de Beja, filho de Fernão Vieira Tavares, que foi capitão-mor
governador da capitania de São Vicente em 1622 e de sua mulher
Francisca Pinheiro da Costa Bravo. Veio de Portugal com seu pai e fixou-
se em São Paulo pelo casamento com Beatriz Furtado de Mendonça,
filha de Manuel Pires. Fundou uma fazenda para os lados de Quitaúna,
onde reuniu grande número de índios apresados nas suas contínuas
entradas ao sertão [...]” - (ANEXO 16)

16
FRANCO, Francisco de Assis Carvalho: Dicionario de Bandeirantes e Sertanistas do Brasil -
Séculos XVI - XVII - XVIII, São Paulo, 1954

50
ANEXO 16

FRANCO, Francisco de Assis Carvalho: Dicionario de Bandeirantes e Sertanistas do Brasil


- Séculos XVI - XVII - XVIII, São Paulo, 1954, pág. 405

51
De acordo com o Livro “Genealogia Paulistana, Vol. VI, pág. 449 e 450, Beatriz e
Antônio tiveram 2 filhos: Fernando Raposo Tavares casado com Catharina de Souza e
Maria Raposo, casada que foi com Carlos de Moraes Navarro. 17

“[...] 2-8 Beatriz Furtado de Mendonça, já fallecida em 1660, foi


casada com Antonio Raposo Tavares, natural de S. Miguel de Beja,
Alemtejo, d'onde veiu em companhia de seu pae, Fernão Vieira Tavares,
despachado em capitão-mór e governador da capitania de S. Vicente e S.
Paulo no triennio que findou em 1622. Antonio Raposo Tavares occupou os
honrosos cargos da republica e foi finalmente mestre de campo do terço
que se formou em S. Paulo para a restauração de Pernambuco do poder
dos holandezes em 1640, com o caracter de governador desta recruta (1).
Fallecendo Beatriz Furtado em 1632, Antonio Raposo Tavares passou a
segundas nupcial com Lucrecia Leme Borges de Cerqueira, viuva de
Gaspar Barreto, e teve desta a geração descripta no V. 3° pág. 524; da 1.a
mulher Beatriz Furtado teve 2 f.os seguintes:
3-1 Fernando Raposo Tavares falleceu na ilha de Cabo Verde em
1658 onde foi casado com Catharina de Sousa, bisneta do capitão Cyprião
Alves de Almada, em cujo jazigo foi sepultado. Sem geração. No
testamento que deixou vê-se que n'esse anno já eram fallecidos seus pais,
pois que foi herdeira de sua fazenda sua avó Maria Bicudo.
3-2 Maria Raposo foi casada com o coronel Carlos de Moraes
Navarro, fallecido em 1672, f.o de Pedro de Moraes Madureira e de Anna
de Moraes Pedroso. Com geração em Tít. Moraes. [...]” - (ANEXO 17)

17
LEME, Luiz Gonzaga da Silva: Genealogia Paulistana, Vol. VI, Tit. Bicudos

52
ANEXO 17

LEME, Luiz Gonzaga da Silva: Genealogia Paulistana, Vol. VI, pág. 449, 450
LINK: http://www.arvore.net.br/Paulistana/Bicudos_4.htm
Acessado em 04/01/2020 - 13:22h

53
54
O livro “Nobiliarchia Paulistana” também fala sobre o casal Beatriz e Antonio e seus filhos. 18

“[…] § 8.0
2 - 8. D. Beatriz Furtado de Mendonça, faleceu em 1632 (Cartorio
de orfãos de São Paulo, letra B, maço 1. 0). Casou com Antonio Raposo
Tavares, natural de São Paulo Miguel de Beja, em Alemtejo, de donde veiu
na companhia de seu pai Fernão Vieira Tavares, que saiu despachado em
capitão-mor governador da capitania de São Vicente e São Paulo, no
trienio que acabou em 1622, sucedendo-lhe no lugar o capitão-mor
governador João de Moura Fogaça. O dito Antonio Raposo Tavares,
ocupando os honrosos cargos da república, acabou em mestre de campo
pago do terço, que se formou em São Paulo para a restauração de
Pernambuco do poder dos holandezes em 1640, com o carater de
governador desta recruta. Em título de Raposos Tavares, da capitania de
São Paulo, § 1. 0. E teve dois filhos:
3 - 1. Fernando Raposo Tavares.
3 - 2. D. Maria Raposo. [...]” - (ANEXO 18)

18
LEME, Pedro Taques de Almeida Paes: Nobiliarchia Paulistana, Tomo III

55
ANEXO 18

LEME, Pedro Taques de Almeida Paes: Nobiliarchia Paulistana, Tomo III, § 8.0 p.182

56
UNODECAVÓS

MARIA RAPOSO nasceu por volta de 1630 em São Paulo e faleceu em 1659 em
Santana do Parnaíba, São Paulo. E citada no inventario da mãe como filha legitima com
idade de 2 anos. 19

“[...] BEATRIZ BICUDO


Notas extraídas do caderno do Dr W. Luiz
 
Vol 11, fls 89
Data: 13-7-1632
Juiz: Fradique de Melo Coutinho
Avaliadores: Francisco Gaia
Local: Termo da Vila de São Paulo, fazenda Manoel Pires
Declarante: Antonio Raposo (Tavares) marido da defunta
 
Titulo dos Filhos
Fernando, 6 anos
Francisco, 4 anos
Maria, 2 anos […]”
(ANEXO 19)

19
INVENTARIO DE BEATRIZ BICUDO - Vol 25, fls 115 - Data: 13-7-1632 - Termo da Vila de São
Paulo - Projeto Compartilhar
Link: http://www.projetocompartilhar.org/SAESPp/beatrizbicudo1632d.htm

57
ANEXO 19

INVENTARIO DE BEATRIZ BICUDO - Projeto Compartilhar


Link: http://www.projetocompartilhar.org/SAESPp/beatrizbicudo1632.htm
Acessado: 28/12/2019 - 23:50h - Vol 25, fls 115 - Data: 13-7-1632 - Juiz: Frederico de Mello
Coutinho - Avaliadores: Francisco Gaia e Custódio Nunes - Local: Termo da Vila de São
Paulo - Declarante: Antonio Raposo Tavares, o viúvo

58
No volume VII da “Genealogia Paulistana”, p.05 fica comprovado que foi casada depois
de 1647 em São Paulo com o Coronel Carlos De Moraes Navarro, nascido em 1633 em
São Paulo, Brasil e falecido por volta de 1672 em Santana do Parnaíba, São Paulo,
Brasil.20

“[…] §2.º
1-2 Capitão Pedro de Moraes Madureira foi casado com sua parenta Anna
de Moraes Pedroso, † em 1647 com testamento em S. Paulo, f.ª de
Francisco Ribeiro e de Maria de Moraes. Teve 6 f.ºs (C. O. de S. Paulo).
2-1 Coronel Carlos de Moraes Navarro, com 14 anos em 1647, casou
mais tarde com Maria Raposo f.ª do mestre de campo Antonio Raposo
Tavares e de sua 1.ª mulher Beatriz Furtado de Mendonça, à pág. 450, V.
6.º. Teve q. d.:
3-1 Pedro de Moraes Raposo, coronel das ordenanças de S. João de El-
Rei, que teve estabelecimento nas minas do Rio das Mortes, foi casado
com Anna Moreira de Godoy f.ª de Gaspar de Godoy Moreira e de
Custodia Moreira a pág. 103 do V. 6.º. Teve: [...]” - (ANEXO 20)

20
LEME, Luiz Gonzaga da Silva: Genealogia Paulistana, Vol. VII, Tit. Moraes

59
ANEXO 20

LEME, Luiz Gonzaga da Silva: Genealogia Paulistana, Vol. VII, pág. 05, “Titulo Moraes”,
§2.º, 2-1
LINK: http://www.arvore.net.br/Paulistana/Moraes_1.htm
Acessado em 04/01/2020 - 13:24h

60
Já no Vol. VI da mesma Genealogia Paulistana, pág. 450, fica comprovada a filiação de
Maria Raposo como sendo filha de Beatriz Furtado de Mendonça e Antonio Raposo
Tavares. 21

“[...] V. 3° pág. 524; da 1.a mulher Beatriz Furtado teve 2 f.os


seguintes:
3-1 Fernando Raposo Tavares falleceu na ilha de Cabo Verde em
1658 onde foi casado com Catharina de Sousa, bisneta do capitão Cyprião
Alves de Almada, em cujo jazigo foi sepultado. Sem geração. No
testamento que deixou vê-se que n'esse anno já eram fallecidos seus pais,
pois que foi herdeira de sua fazenda sua avó Maria Bicudo.
3-2 Maria Raposo foi casada com o coronel Carlos de Moraes
Navarro, fallecido em 1672, f.o de Pedro de Moraes Madureira e de Anna
de Moraes Pedroso. Com geração em Tít. Moraes. [...]” - (ANEXO 21)

21
LEME, Luiz Gonzaga da Silva: Genealogia Paulistana, Vol. VI, “Titulo Bicudos”

61
ANEXO 21

LEME, Luiz Gonzaga da Silva: Genealogia Paulistana, Vol. VI, Tit. Bicudos, p.450 - LINK:
http://www.arvore.net.br/Paulistana/Bicudos_4.htm
Acessado em 04/01/2020 - 13:24h

62
DECAVÓS

FRANCISCA DE MACEDO nasceu em 1671 em São Paulo e faleceu 1702 aos 31


anos de idade em São João Del Rei, Minas Gerais, casou em 1692 em São Paulo com
Antônio Vieira Dourado, nascido em 1667 em São José de Oliveira, Braga, Portugal e
falecido em 1701 em São João Del Rei, Minas Gerais, Brasil.
Marta Amato, na “Revista da ASBRAP” de numero 6, escreveu o artigo intitulado “A
ASCENDÊNCIA PAULISTA DE FRANCISCA DE MACEDO Aditamento à Genealogia
Paulistana - Título Moraes”, p. 234-236 no qual deixa claro a filiação de Francisca de
Macedo. 22

Pag. 234-235: “[…] III- CORONEL CARLOS DE MORAES


NAVARRO, com 14 anos em 1647, C. mais tarde c. MARIA RAPOSO, fal.
antes de 1699, fª do Mestre de Campo Antônio Raposo Tavares, n. em
Beja, Alentejo (donde veio em companhia de seu pai Fernão Vieira
Tavares), e de sua 1ª mulher Beatriz Furtado de Mendonça, esta fª do
Capitão Manuel Pires e de Maria Bicudo. O Coronel Carlos de Moraes
Navarro, foi juiz de órfãos em Santana do Parnaíba em 1667, onde fal. em
1672, constando em seu inventário, segundo Pedro Taques, ter seis filhos,
sendo três homens e três mulheres, mas “como eram tantas as dívidas os
filhos ficaram sem herança”, e são eles:
1(IV)-ANTÔNIO
2(IV)-CAPITÃO MOR PEDRO DE MORAES RAPOSO
3(IV)-ANA PEDROSO
4(IV)-FRANCISCA DE MACEDO ou FRANCISCA DE MORAES, que
segue.
5(IV)-CARLOS DE MORAES NAVARRO
6(IV)-MARIA DE MORAES [...]”

Pag. 236: “[…] IV- FRANCISCA DE MACEDO ou FRANCISCA DE


MORAES (como aparece no processo de genere de seu neto o Padre
João Gomes Salgado ACMSP), antes de 18 de novembro de 1686 C.c.
ANTÔNIO VIEIRA DOURADO, n. em Oliveira, Portugal (informação de Cid
Guimarães, conforme tábua de ascendência do Barão de Vassouras, por
Affonso de E. Taunay, em 1932). O casal morou em São Paulo onde
Antônio Vieira aparece assinando por sua mulher no inventário do Capitão
Mor Antônio Ribeiro de Moraes e sua mulher Catarina Ribeiro, processado
nessa vila a partir de 1686. Passaram depois para Minas Gerais, fixando
residência na vila de São João del Rei, antes da Guerra dos Emboabas.
Francisca de Macedo teve pelo menos os filhos:
1(IV)-TERESA DE MORAES, bat. na Sé de São Paulo. A 9 de maio
de 1707 na vila de São João del Rei, MG, tendo como testemunha Pedro
de Moraes, C.c. ANDRÉ DO VALLE RIBEIRO, n. em 24 e bat. aos 27 de
maio de 1675 na freguesia de São Mamede de Valongo, concelho de
Valongo, Porto, Portugal, fº de Domingos Francisco e de Maria do Valle
(Ribeiro do Valle, Cid Guimarães, in: Revista da ASBRAP nº 4, 1997). Com

22
AMATO, Marta: A ASCENDÊNCIA PAULISTA DE FRANCISCA DE MACEDO Aditamento à
Genealogia Paulistana - Título Moraes, Revista da ASBRAP, vol.8, p. 234 – 236.
Link de Acesso: http://www.asbrap.org.br/documentos/revistas/rev6_art11.pdf

63
grande geração, parte já publicada na obra citada e em “Crescei e
multiplicai-vos”, por José Ribeiro do Valle.
2(IV)-HELENA DE MORAES (ou DE OLIVEIRA), creio que natural de
São Paulo, como os irmãos, C.c. JÁCOME FERNANDES DAS NEVES, fal.
em 2 de maio de 1764 no lugar denominado Cachoeirinha, na freguesia de
Nossa Senhora das Lavras do Funil e Carrancas, inventariado a partir de 4
de maio do mesmo ano. Com geração em Minas Gerais e São Paulo.
3(IV)-ANTÔNIO VIEIRA DE MORAES, n. em São Paulo, de onde
saiu na infância, conforme declara no processo de habilitação requerido
para C.c. ANA PIRES, fª de Matias de Oliveira Lobo e de Ana de Moraes
Madureira (Tit. Oliveiras). Em 3 de novembro de 1720 em São Paulo pagou
vinte mil réis para aguardar a Certidão de Banhos corridos em Minas
Gerais. Com grande geração, entre eles vários titulares do Império como o
Barão de Vassouras, o Barão de Aiuruoca e o Visconde de Araxá.
4(IV)-MARIA DE MORAES RAPOSO, n. e bat. na Sé de São Paulo,
onde C.c. LUÍS MARQUES DAS NEVES, n. na freguesia de São Mamede
do lugar de Valongo, Bispado do Porto, e que foi morador em São Paulo
até cerca de 1720, onde tinha loja de mercadorias, indo depois para Minas
Gerais (processo de genere do Padre João Gomes Salgado - ACMSP –
Est. 3, Gav. 19, nº 1866). Com geração em Minas Gerais e São Paulo. [...]”
- (ANEXO 22)

64
ANEXO 22

AMATO, Marta: A ASCENDÊNCIA PAULISTA DE FRANCISCA DE MACEDO Aditamento à


Genealogia Paulistana - Título Moraes, Revista da ASBRAP, vol.8, p. 234-236
Link de Acesso: http://www.asbrap.org.br/documentos/revistas/rev6_art11.pdf
Acessado em: 28/12/2019 - 00:25h

65
66
67
A genealogia do casal é também mostrada em detalhes no site do “PROJETO
COMPARTILHAR” realizado por Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira. Tiveram os
seguintes filhos: Maria de Moraes, Teresa de Moraes, Helena de Moraes, Antônio Vieira
de Moraes, Jose de Moraes Raposo, Clemente, Domingos e Carlos. 23

[…] Antonio Vieira (Dourado) e Francisca de Macedo, ou de


Moraes como também é referida em documentos, tiveram filhos, alguns
dos quais encontramos em documentos:
1 - Maria de Moraes ou de Moraes Raposo, § 1º
2 - Tereza de Moraes, § 2º
3 - Helena de Moraes casou com Jacome Fernandes das Neves.
Geração na família “Jacome Fernandes das Neves”
4 - Antonio Vieira de Moraes, com geração no estudo que leva o seu
nome, neste site
5 - José de Moraes Raposo, citado pela irmã Helena no inventário do
cunhado Jacome Fernandes das Neves, fls 4: “.... declarou ela
inventariante é sócia com José de Moraes Raposo seu irmão.”
6 - Clemente, batizado na Sé de São Paulo em 19-11-1693 (SP, SP
aos 19-11-1693 bat a Clemente, f. de Antonio Vieira e de s/m Francisca de
Macedo, foram padrinhos Carlos de Moraes e Maria de Mo[apagado])
7 – Domingos em fevereiro de 1697 (SP, SP aos [apagado] de
fevereiro de 1697 bat a Domingos, f. de Antonio Vieira e de s/m Francisca
de Macedo, foram padrinhos [apagado] e Catarina Rodrigues)
8 – Carlos [...]” - (ANEXO 23)

23
Sette, Bartyra e Junqueira, Regina Moraes, “PROJETO COMPARTILHAR” - Antonio Vieira e
Francisca de Macedo, 4 de fevereiro de 2018.

68
ANEXO 23

Sette, Bartyra e Junqueira, Regina Moraes: “PROJETO COMPARTILHAR”, Antonio Vieira e


Francisca de Macedo, 04/02/18.
Link: http://www.projetocompartilhar.org/Familia/AntonioVieiraFranciscadeMacedo.htm
Acessado em: 04/01/2020 - 14:05h

69
ENEAVÓS

ANTÔNIO VIEIRA DE MORAES nasceu em São Paulo e batizado em 1691 como filho
legítimo de Antônio Vieira Dourado e Francisca de Macedo. Na pagina 515 do Volume VIII
da “Genealogia Paulistana”, “Tit. Oliveiras” é confirmado seu casamento com Ana Pires e a
filiação de Antonio Vieira de Moraes quando o autor descreve a genealogia de Mathias de
24
Oliveira Lobo e Anna de Moraes Madureira.

[...] 5-8 Maria de Moraes, f.ª de 4-2 estava casada com Gabriel
Cardoso.
5-9 Francisca de Moraes casou com Francisco da Silva e faleceu com
80 anos em 1762 em S. Paulo.
5-10 Thereza de Moraes, estava casada com Francisco Rodrigues.
5-11 Anna Pires casou em 1720 em S. Paulo com Antonio Vieira de
Moraes f.º de Antonio Vieira e de Francisca de Macedo. (C. Ec. de S.
Paulo).
5-12 Catharina de Moraes última f.ª de 4-2, casou com Antonio
Charem de Sá, natural do Rio de Janeiro, f.º de João Charem e de Barbara
de Sá; faleceu Antonio Charem em 1728 e teve 2 f.º s [...]” - (ANEXO 24)

24
LEME, Luiz Gonzaga da Silva, Genealogia Paulistana, Vol.8, Tit. Oliveiras, 1905

70
ANEXO 24

LEME, Luiz Gonzaga da Silva, Genealogia Paulistana, Vol.8, p.515


LINK: http://www.arvore.net.br/Paulistana/Oliveiras.htm
Acessado em 04/01/2020 - 14:08h

71
Laerte M. Ribeiro, em seu livro “20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus
descendentes mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias” descreve também o casal
Antonio Vieira de Moraes e Anna Pires de Oliveira. Antonio foi para as minas, ainda muito
novo, na companhia de seus pais e irmãos. Casou com Ana Pires, onde em 20 de
dezembro de 1720 em São Paulo, fez um requerimento junto à Sé, para abertura de
processo para se casar com Ana Pires, onde declarou ser filho de Antônio Vieira, já falecido
e Francisca de Macedo. Declarou também que era solteiro e que fora “de menor idade”
para as minas com seus pais.25

[…] F - 1 ANNA PIRES, que também assinava ANNA PIRES DE


OLIVEIRA, paulista, filha de Mathias de Oliveira Lobo e de Anna de Moraes
Madureira, casou-se a 20-12-1720, com Antonio Vieira de Moraes, paulista,
emigrado muito moço para as Minas Gerais, Comarca do Rio das Mortes,
com seus pais, Antonio Vieira Dourado, português de São João de
Olivença e Francisca de Macedo, paulista, como alegou nos autos de
preparo de seus papéis matrimoniais. (Arquivo da Cúria Arquiepiscopal
Metropolitana de São Paulo - Est. 4, gav. 2, L.° 9, Proc. 1). Passaram,
Antonio Vieira de Moraes e Anna Pires de Oliveira a morar em São João
d'El Rey. Tiveram diversos filhos, dos quais descobrimos três, nos arquivos
mineiros, graças a documentos fornecidos pelo douto genealogista mineiro,
Samuel Soares de Almeida. Em 1736, era Antonio Vieira de Moraes,
afazendado em São Miguel do Cajuru, perto do Turvo, (hoje Andrelândia),
onde tinha lavoura e minerava. Tanto ele como a mulher faleceram antes
de 1753. Dentre seus filhos, tiveram: [...] - (ANEXO 25)

25
RIBEIRO, Laerte M. Magno, 20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus descendentes
mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias, São Paulo, 1989

72
ANEXO 25

RIBEIRO, Laerte M. Magno: 20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus descendentes


mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias, São Paulo, 1989, pág. 25

73
O casal se estabeleceu às margens do Rio Grande em Minas, onde Antonio lavrava
ouro. Anna Pires (Sol. De Oliveira) faleceu aos 28 de novembro de 1740 no Sítio Rio
Grande, Minas Gerais, Brasil e aos 13 de dezembro de 1740, na casa em que morava em
seu Sitio Rio Grande, Antônio deu início ao inventário dos bens do casal, por ter sua mulher
falecido uns quinze dias antes. Segundo a a transcrição da Folha 01 do Inventario de Ana
26
Pires, tiveram 4 filhos menores:

“[…] FL.01-
Inventario dos bens da defunta Ana Pires que mandou fazer o Doutor
Juiz dos Órfãos Antonio Martins Couto de Meirelles cujos bens deu a este
inventário em recompensa (ilegível) Antonio Vieira de Moraes, morador no
Rio Grande, Termo desta Vila.

Filhos
01 - Jose, de idade que disse ter quinze anos.
02 - Francisco, de idade que disse ter onze anos
03 - Carlos de idade de dez anos.
04 - Angela de idade quatro anos [...]”
(ANEXO 26)

Inventário de Ana Pires - Arquivado no Museu Regional de São João del-Rei - Caixa 197 -
26

CXR33(197) - 1740 - Número de folhas originais: 60

74
ANEXO 26

Inventário de Ana Pires - Inventariante: ANTONIO VIEIRA DE MORAES, marido da


inventariada - Local: Sitio Rio Grande, em casa do Inventariante - Data: 13/12/1740 -
Transcrito por: Gleicilene Del-Vechio a pedido de Ricardo Coimbra - FOLHA 01

75
76
Os filhos menores José de Moraes Oliveira, Francisco Pires de Moraes, Carlos de
Moraes, Angela Pires de Moraes e mais uma filha de nome Maria da Assunção, casada
com Lourenço Correa, são declarados pelo viúvo e inventariante na folha 21 do mesmo
27
testamento como transcrito abaixo:

“[…] FL 21:
Diz Antônio Vieira de Morais, que no inventário, que neste Juízo se
fez dos bens do seu casal, por falecimento de sua mulher Ana Pires, para
deles se fazer partilhas entre o suplicante e seus filhos, faltou ao suplicante
por declarar ter além dos filhos menores já declarados no inventário uma
filha por nome Maria da Assunção, casada com Lourenço Correa, que
qual havia dado de dote para o efeito de casar, a quantia de 2 mil
cruzados, o que pela presente, há por declarado para o efeito da dita
partilha. E assim.
Pede a Vossa Mercê lhe faça mandar que junta esta aos autos da
partilha se lhe façam estes conclusos para efeito de declarar no Auto da
partilha o formal deve ter, a respeito deste dote [...]”
(ANEXO 27)

Inventário de Ana Pires - Arquivado no Museu Regional de São João del-Rei - Caixa 197 -
27

CXR33(197) - 1740 - Número de folhas originais: 60

77
ANEXO 27

Inventário de Ana Pires - Inventariante: ANTONIO VIEIRA DE MORAES, marido da


inventariada - Local: Sitio Rio Grande, em casa do Inventariante - Data: 13/12/1740 -
Transcrito por: Gleicilene Del-Vechio a pedido de Ricardo Coimbra - FOLHA21

78
OCTAVÓS

MARIA DE ASSUNÇÃO MORAES nasceu em 1721 em São João Del Rei, Minas
Gerais, Brasil e falecida aos 20 de fevereiro de 1763 na mesma comarca. Casou pela
primeira vez em 1737, em São João Del Rei, com Lourenço Correa Sardinha, batizado
aos 14 de janeiro de 1685 em Fajã da Ovelha, Concelho de Calheta da Ilha da Madeira,
Portugal e falecido aos 22 de junho de 1747 em São João Del Rei e após a morte de
Lourenço Correa casou pela segunda vez com o português Manuel Marinho de Moura.
Seus descendentes são descritos por Laerte Ribeiro no livro “20 Gerações de João
Ramalho e Bartyra” como segue. 28

“[…] N.1 - MARIA DE ASSUNÇÃO MORAES, nascida em São João


d'El Rey, em 1721. Casou-se em 1737, com o Sargento-Mor Lourenço
Correia Sardinha, que por patente de D. Braz Balthazar da Silveira,
Capitão General da Capitania de São Paulo e Minas-do-Ouro, de 25 de
agosto de 1718, foi nomeado Sargento-Mór da Ordenança do Distrito da
Vila de Nossa Senhora do Monte do Carmo. Era natural da Freguesia de
Feijão de Ovilha, (Arganil, Coimbra) e filho legítimo de Pedro Correia e de
Isabel Sardinha. Falecido em 1747. (Cart. do 1.° Ofício de São João d'El
Rey). Casou-se em 2.” núpcias, com o português licenciado, Manuel
Marinho de Moura, parente de seu primeiro marido, natural da Freguesia
de Santa Maria, termo de Amarante, arcebispado de Braga e filho legítimo
de Antonio de Almeida Leitão e de Isabel de Moura Marinho. Faleceu Maria
de Assunção Moraes a 20 de fevereiro de 1763, deixando descendentes
dos dois matrimônios e testamento em 12 de fevereiro de 1763. (Cart. do
1.° Ofício de São João d'El Rey). (Ver Anotações – 2).
Do 1.° Casamento, com o Sargento-Mór Lourenço Correia Sardinha,
teve Maria de Assunção Moraes, os seguintes filhos: [...]” - (ANEXO 28)

28
RIBEIRO, Laerte M. Magno, 20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus descendentes
mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias, São Paulo, 1989

79
ANEXO 28

RIBEIRO, Laerte M. Magno, 20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus descendentes


mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias, São Paulo, 1989, pág. 26
LINK: https://drive.google.com/file/d/0B_UzFhGp4sJCRlNfcmxkN0VOd0k/view
Acessado em 04/01/2020 - 15:20h

80
De acordo com o seu inventário arquivado no Museu Regional de São Joao Del Rey o
Maria de Assunção teve 4 filhos do primeiro matrimônio com Lourenço Correa e outros 4
filhos do segundo matrimônio com Manoel Marinho de Moura, o inventariante. 29

“[...] Fl. 2 v
Filhos do 1º matrimônio
Anna Maria, casada com Domingos Francisco
Margarida, casada com Francisco João de Azevedo
Escolástica de Moraes, de idade de 18 anos
Catherina, de idade de 16 anos

Filhos do 2º matrimônio
Antônio, de idade de 11 anos
Luzia, de idade de 9 anos
Manoel, de idade de 7 anos
Josepha, de idade de 4 anos [...]”
(ANEXO 29)

Inventario de Maria Assunção de Moraes - Arquivado no Museu Regional de São João Del Rei -
29

Caixa 439 - R67 - 1763 - Número de folhas originais: 171

81
ANEXO 29

Inventário e Testamento de Maria Assunção de Moraes - Inventariante: Manoel Marinho de


Moura - Data de Abertura: 21/03/1763 - Local: Ponte do Marinho - Transcrito por: Gleicilene
Del-Vechio a pedido de Ricardo Coimbra - Data da Transcrição: DEZ/2019 – FL. 02V

82
HEPTAVÓS

MARGARIDA MARIA DE JESUS CORREIA nasceu em 1744 em São João Del Rey,
Minas Gerais, Brasil e falecida em 01 de fevereiro de 1833 com 88 anos, na Fazenda das
Laranjeiras, Aiuruoca, Minas Gerais, Brasil. Está sepultada na Matriz de Andrelândia, Minas
Gerais, Brasil.
Casou aos 30 de Maio de 1759 em São João Del Rei, Minas Gerais, Brasil com o
português Francisco João Machado De Azevedo, nascido em 1735 em Santa Leocádia
de Fradelos, termo de Barcelos, Braga, Portugal e falecido aos 4 de Abril de 1787 em Porto
do Turvo, Minas Gerais, Brasil, atual. Andrelândia e está também sepultado na Igreja
Matriz.
No livro “20 Gerações de João Ramalho e Bartyra” Laerte Magno descreve no capitulo
5 detalhes da vida do casal como a localização das certidões de óbito, casamento e
testamento. 30

“[…] CAPITULO IV
Bn. - 4 - MARGARIDA MARIA DE JESUS CORREIA, nascida em São
João d'El Rey, em 1744 e casada em 30 de maio de 1759, no mesmo dia e
local que sua irmã, Anna Maria, com Francisco João Machado de Azevedo,
irmão de Domingos Francisco Machado de Azevedo, e como ele, natural
de Santa Leocádia. Faleceu em 31 de janeiro de 1833, com 88 anos de
idade e está sepultada na Matriz de Andrelândia. (L.° 1 de Óbitos, fls. 128).
Francisco João faleceu em 4 de abril de 1787 e está, também sepultado na
Matriz de Andrelândia (L.° 1 de Óbitos, fls. 60v), c.d. (Ver Anotações - 3) e
Testamento, anexas no fim deste. [...]” - (ANEXO 30)

30
RIBEIRO, Laerte M. Magno, 20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus descendentes
mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias”, São Paulo: L.M.M. Ribeiro. 1989

83
ANEXO 30

RIBEIRO, Laerte M. Magno, 20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus descendentes


mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias”, São Paulo: L.M.M. Ribeiro. 1989, Pág.
27
LINK: https://drive.google.com/file/d/0B_UzFhGp4sJCRlNfcmxkN0VOd0k/view
Acessado em 04/01/2020 = 15:56h

84
A página 350 do mesmo livro transcreve o seu testamento que foi aberto em 21 de
fevereiro de 1828 onde D. Margarida Maria de Jesus declara que teve 8 filhos e nomeia 3
deles como testamenteiros, em primeiro Antonio Francisco de Azevedo, em segundo
Bonifácio Antonio de Azevedo e em terceiro JOSÉ FRANCISCO DE MOURA.31

“[…] Digo eu Margarida de Jesus, faço este meu testamento na forma


seguinte: Sou natural de Vila de São João D'El Rey, filha legítima de
Lourenço Correia Sardinha e Maria de Assunção já falecido viúva de
Francisco João de Azevedo e tive oito filhos que são os seguintes, digo
que são herdeiros das duas partes de meos bens nomeio por meo
testamenteiro em primeiro lugar a meo filho Antonio Francisco de Azevedo,
em segundo meo filho Bonifacio Antonio de Azevedo e em terceiro lugar a
meo filho José Francisco de Moura substetuindo hum ao outro conforme
minha nomeação e lhe deixo de premio pelo trabalho cem mil reis e para a
conta anos e meo funeral será feito na forma seguinte. [...]”
(ANEXO 31)

31
RIBEIRO, Laerte M. Magno, 20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus descendentes
mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias”, São Paulo: L.M.M. Ribeiro. 1989

85
ANEXO 31

RIBEIRO, Laerte M. Magno, 20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus descendentes


mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias”, São Paulo: L.M.M. Ribeiro. 1989, Pág.
350

86
O registro de óbito e a cópia do testamento estão localizados no Livro de Registros de
32
Óbito da paróquia de Aiuruoca, Minas Gerais, p.294V como transcrito abaixo.

“[...] FL 294V
Igreja  N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG -  no primeiro de fevereiro
1833 - Turvo-, em idade decrepta, c/test. fal., D. Margarida de Jesus,
viúva de Francisco João de Azevedo, capela do Turvo...

Copia do Testamento de Margarida de Jesus

Digo eu Margarida de Jesus, faço este meu testamento na forma


seguinte: Sou natural de Vila de São João D'El Rey, filha legítima de
Lourenço Correia Sardinha e Maria de Assunção já falecido viúva de
Francisco João de Azevedo e tive oito filhos [...]”
(ANEXO 32)

32
Livro de Registro de Óbito - Aiuruoca, Film: Óbitos 1909, Abr-1835, Jun - Family Search

87
ANEXO 32

Cópia do Testamento de Margarida de Jesus, localizado no


Livro de Registro de Óbito - Aiuruoca, Film: Óbitos 1808, Abr-1835, Jun - 27/02/2018,
Aiuruoca - Nossa Senhora da Conceição - Óbitos 1808, Abr-1835, Jun - image 295 of 325;
Paróquias Católicas (Catholic Church parishes), Minas Gerais
Link de Acesso: Acessado em 04/01/2020 - 16:37h
https://www.familysearch.org/ark:/61903/3:1:S3HT-658S-HQ?i=294&wc=M5N7-92Q
%3A369703301%2C369593702%2C370054701&cc=2177275

88
HEXAVÓS

JOSÉ FRANCISCO DE AZEVEDO MOURA nasceu aos 21 de outubro de 1768 em


Porto do Turvo, Minas Gerais, Brasil e falecido em 1848 em Três Ilhas, Minas Gerais,
Brasil. 33

“[...] CERTIDÃO DE BATISMO


Inteiro Teor de José Francisco de Moura

Atesto, sob a responsabilidade do meu cargo, que revendo os livros


Paroquiais de Batismo desta Paróquia, encontrei registrado no Livro LB-02,
período de 1761 a 1768, o seguinte registro:

“Aos quinze do mês de novembro 1768 na capella da Sr a do Porto


desta Frega. baptizou solemnemente o Revdo Dr. Anto. José de Moura á
Joseph inocente fo. lego. de Franco. João de Azevedo e da Margarida de
Jesus sua mer.; que naceo em 21 de outubro próximo; forão padr os. o mo.
Revdo. Dr. supra, e Leonor Assunpção; Ayuruoca 18 de novembro de 1768.
O Vigro. encomendo. Boaventura Lopes.” [...]”
(ANEXO 33)

33
Certidão de Nascimento de José Francisco de Moura - Cúria de Diocesana da Campanha - Livro
de Batismos - LB-02 - Período de 1761 a 1768

89
ANEXO 33

Certidão de Nascimento de José Francisco de Moura - Cúria de Diocesana da Campanha -


Livro de Batismos - LB-02 - Período de 1761 a 1768

90
Aos 13 de junho de 1792, com dispensa do impedimento de 4˚ grau de
consanguinidade, casou com Antônia Joaquina Ribeiro (Sol. Ribeiro do Valle), nascida
em 1768 em Guaratinguetá, São Paulo, Brasil e falecida em 1840 em Três Ilhas, Minas
Gerais, Brasil. 34

“[...] Aos treze dias do mez de Junho de mil, septecentos, e noventa, e


dous anos pelas doze horas do dia pouco mais, ou menos na Ermida da
Senhora da Agonia de Manoel Marinho de Moura do Rio Grande da
freguesia da Villa de São João de El Rey, feitas as denunciações nesta
Matriz de Nossa Senhora da Conceição da Ayuruoca onde os contraentes
são moradores na forma do sagrado Concilio Tridentino e Constituição,
sem se descobrir impedimento algum, como consta da Provisão, que fica
em meo poder, e dispensados no impedimento de consanguinidade em
quarto grão, o que consta dos altos, de licença minha na presença do
Reverendo Francisco da Silva Tavares, e das testemunhas assignadas na
provisão o Doutor Joaquim da Silva Tavares, Manoel Marinho de Moura e
outras muitas se receberão por palavras de presente, e in facie Ecclesia,
Joseph Francisco de Moura, filho legítimo de Francisco João de
Azevedo, e de Margarida de Jesus, natural, baptizado nesta freguesia da
Ayuruoca, e Antonia Joaquina, filha legítima de João Ribeiro do Valle, e
de Thereza Francisca de Jesus, natural, e baptizada na freguesia da Villa
de Guaratinguetá, Bispado de São Paulo: e logo se receberão as bençoens
nupciais na forma do Ritual Romano, e para constar fiz este assento, que
assignei; na ut supra. O Vigro. Gabriel da Costa Rezende [...]”
(ANEXO 34)

34
Certidão de Casamento de José Francisco de Moura e Antonia Joaquina Ribeiro - Cúria
Diocesana da Campanha - Paróquia Nossa Senhora da Conceição - Aiuruoca - MG - Livros
Paroquiais de Casamento - LB-03 - Folha 42 - Período 1787 a 1814

91
ANEXO 34

Certidão de Casamento de José Francisco de Moura e Antonia Joaquina Ribeiro - Cúria


Diocesana da Campanha - Paróquia Nossa Senhora da Conceição - Aiuruoca - MG - Livros
Paroquiais de Casamento - LB-03 - Folha 42 - Período 1787 a 1814

92
José Francisco de Moura, o velho Moura, como era conhecido é citado no importante
livro “Album do Municipio de Juiz de Fora” do grande escritor José Guimarães que retrata
35
detalhes da vida, costumes e pessoas da época.

“[...] O Moura velho, assim chamavam José Francisco de Moura,


era casado com d. Antonia irmã de Domingos Antonio Ribeiro. As famílias
das Flores (tronco de Domingos Antonio) da Vargem, José Francisco de
Moura e das Três-Ilhas não cruzavam com forasteiros, casando-se os
primos com as primas, segundo o costume das tribos de Israel , do qual
seguiam certos preceitos [...] -É a velha Sião, dizia abundantes vezes o
saudoso Francisco Bernardino aos estrangeiros, que bondosamente
hospedava, referindo-se a S. José. E acrescentava rindo-se: - Pegue-se no
escuro um qualquer sujeito, filho daqui, e encontrar-se-há um homem
honrado. [...]” - (ANEXO 35)

ESTEVES, Albino. Album do Municipio de Juiz de Fora. 1 ed. Bello Horizonte: Imprensa Official
35

do Estado de Minas, 1915

93
ANEXO 35

Livro retratando os costumes e a vida cotidiana da região de Juiz de Fora, Minas Gerais.
ESTEVES, Albino. Album do Municipio de Juiz de Fora. 1 ed. Bello Horizonte: Imprensa
Official do Estado de Minas, 1915, p. 403.

94
O casal teve pelo menos 9 filhos conforme declara nas páginas 02 e 03 de seu
Inventário.36

D. Fausta Emerenciana de Moura


D. Gertrudes Bárbara de Moura
D. Venância Carolina de Moura
D. Maria Joana de Moura
D. Ignácia Cândida de Moura
João Francisco de Moura
Antônio Joaquim de Moura
D. Francisca de Moura
Anna Thereza de Moura

“[...] FL 02
Herdeiros
1 D. Fausta falecida casada que foi com Antonio Bernardino
2 D. Gertrudes falecida casada que foi com Mariano Bezerra
3 D. Venancia casada com Manoel Ferreira Brandão
4 D. Maria casada com Miguel José Coimbra

FL 03
5 D. Ignacia casada com Francisco de Assis Alves
6 João Francisco de Moura casado
7 Antonio Joaquim de Moura casado
8 D. Francisca falecida casada que foi com Henrique Ribeiro do Valle
os
f. Domingos e Antonia
9 D. Anna falecida casada que foi com Vicente Jose Lopes [...]”
(ANEXO 36)

Inventario de José Francisco de Moura - 1849 - 3˚ Processo - Caixa 005 - Fundo Benjamim
36

Colucci - Arquivo Histórico da Universidade Federal de Juiz de Fora

95
ANEXO 36

Inventario de José Francisco de Moura - 1849 - Inventariante: Miguel José Coimbra - 3˚


Processo - Caixa 005 - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico da Universidade
Federal de Juiz de Fora - p. 02 - 03.

96
97
98
PENTAVÓS

MARIA JOANA DE MOURA nasceu aos 17 de setembro de 1804 em Porto do Turvo,


Minas Gerais, Brasil, atual cidade de Andrelândia e falecida aos 7 de maio de 1892 em São
José das Três Ilhas, Minas Gerais, Brasil. Casou no Porto do Turvo, com Miguel José
Coimbra, nascido em Portugal por volta de 1794 e falecido aos 17 de Setembro de 1856
em Três Ilhas, Minas Gerais, Brasil. 37

“[...] CERTIDÃO DE BATISMO


Inteiro teor de Maria Joana de Moura

Atesto, sob a responsabilidade do meu cargo, que revendo os livros


Paroquiais de Batismo desta Paróquia, encontrei registrado no livro LB-05,
período de 1794 a 1808, o seguinte registro:

“Aos desesete dias do mês de septembro do anno mil oitocentos e


quatro na Capella da Senhora do Porto do Turvo, filial desta Matriz do
Aiuruoca o Reverendo Joaquim Rodrigues de Soisa baptizou solemne-
mente a Maria parvola, e lha poz os sanctos óleos, filha legitima de Joseph
Francisco de Moura, e Antonia Joaquina Ribeira: forão Padrinhos Joseph
Lopes de Araujo, Esmeria Floriana de Mendonça, todos desta Freguesia.
De quem, para constar, fiz este assento, que assignei. O Vigro. Francisco
d’Abreu e Silva” [...]”
(ANEXO 37)

Certidão de Batismo de Maria Joana de Moura - Cúria Diocesana da Campanha - Paróquia de


37

Nossa Senhora da Conceição - Livro LB-05 - Período 1794 a 1808

99
ANEXO 37

Certidão de Batismo de Maria Joana de Moura - Cúria Diocesana da Campanha - Paróquia


de Nossa Senhora da Conceição - Aiuruoca - MG - Livros Paroquiais de Batismo - Livro
LB-05 - Período 1794 a 1808

100
Maria Joana de Moura aparece citada como herdeira nos processos de inventário de
38
sua mãe Antônia Joaquina Ribeiro

“[...] FL 03
(ilegível) em o dia desenove do mes de Outubro de mil oitocentos e
trinta nove com Testamento solemne que o apresentava os herdeiros como
os seguintes abaixo.
Herdeiros
1 D. Fausta falecida casada que foi com Antonio Bernardino de
Barros e deixou filhos
2 D. Gertrudes falecida casada que foi com Mariano Bezerra deixou
huma filha
3 D. Venancia casada que foi com Manoel Fer ra. Brandão
4 D. Maria casada com Miguel José Coimbra
5 D. Ignacia casada com Francisco de Assis Alves
6 João Franco. de Moura casado
7 Antonio Joaqm. de Moura casado
8 D. Francisca casada com Henrique Ribro. do Valle
9 D. Anna falecida casada que foi com Vicente Jose Lopes e deixou
filhos [...]”
(ANEXO 38)

38
Inventario de Antonia Joaquina Ribeiro - Inventariante: José Francisco de Moura - 1840 - 1˚
Processo - Caixa 001 - ID: 013 - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico da Universidade
Federal de Juiz de Fora

101
ANEXO 38

Inventario de Antonia Joaquina Ribeiro - Inventariante: José Francisco de Moura - 1840 - 1˚


Processo - Caixa 001 - ID: 013 - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico da
Universidade Federal de Juiz de Fora, p. 03 - Cita D. Maria casada com Miguel Jose
Coimbra

102
103
Maria Joana de Moura é também citada como herdeira no inventario de seu pai José
Francisco de Moura. 39

“[...] Herdeiros

1 D. Fausta falecida casada que foi com Antonio Bernardino


2 D. Gertrudes falecida casada que foi com Mariano Bezerra
3 D. Venancia casada com Manoel Ferreira Brandão
4 D. Maria casada com Miguel Jose Coimbra [...]”
(ANEXO 39)

39
Inventario de José Francisco de Moura - Inventariante: Miguel José Coimbra - 1849 - 3˚ Processo
- Caixa 005 - ID: - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico da Universidade Federal de Juiz de
Fora

104
ANEXO 39

Inventario de José Francisco de Moura - Inventariante: Miguel José Coimbra - 1849 - 3˚


Processo - Caixa 005 - ID: - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico da Universidade
Federal de Juiz de Fora, p. 02 - Cita D. Maria casada com Miguel Jose Coimbra

105
106
É citada no livro de grande importância histórica da região mineira de autoria dos
conterrâneos Albino Esteves e Dr. Oscar Vidal Barbosa Lage “Album do Municipio de Juiz
de Fora” escrito em 1908 e publicado em 1915 que retrata a vida em São José de Rio
Preto. 40

“[...] Outra filha de José Francisco de Moura d. Maria Joanna,


casou-se com o virtuoso portuguez Miguel Coimbra, o homem da
verdade, como lhe chamavam [...]”
(ANEXO 40)

40
ESTEVES, Albino. Album do Municipio de Juiz de Fora. 1 ed. Bello Horizonte: Imprensa Official
do Estado de Minas, 1915

107
ANEXO 40

Livro “Album do Municipio de Juiz de Fora” mostra que Maria Joanna, filha de José
Francisco de Moura foi casada com o português Miguel Coimbra.
ESTEVES, Albino. Album do Municipio de Juiz de Fora. 1 ed. Bello Horizonte: Imprensa
Official do Estado de Minas, 1915, p. 404

108
Maria Joana de Moura e Miguel José Coimbra viveram na Fazenda da Vargem em
São José do Rio Preto e tiveram 14 filhos herdeiros de acordo com o Inventário de seu
marido de 1856.41
Maria Moura Coimbra, Modesto José Coimbra, Felicidade Moura Coimbra, Anna
Moura Coimbra, Maria Magdalena Coimbra, José Lourenço Coimbra, Francisca Moura
Coimbra, Mariana Cândida Moura Coimbra, Ignácia Cândida Moura Coimbra, Francisco
Feliciano Coimbra, Antônio Joaquim Coimbra, Maria da Dores Moura Coimbra e Joaquim
Antônio Coimbra.

“[...] FL 01
1856
Juiso de Orfãos da Cidade do Parahybuna
Inventario dos bens do finado Miguel José Coimbra, de quem ficou viúva e
inventariante, Dona Maria Joana de Moura [...]

Auttoação
Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil oitocentos e
cincoenta e seis, aos onze dias do mes de Desembro do dito anno nesta Fazenda
denominada Vargem, Districto de São José do Rio Preto, Termo da Cidade de
Parahybuna auttoei em razão do meo officio a petição que adiante se segue,
despaxada pelo Doutor José Feliciano Dias de Gouvêa, juiz Municipal e de Orfãos
da dita Cidade e do Termo; cuja petição que adiante se segue foi entregue pela
Viuva Inventariante, Dona Maria Joanna de Moura. Eu, Ernesto Nogueira Neto
da Gama, Escrivão dos Orfãos que escrevi e assigno [...]”

“[...] FL 04
Deixando os seguintes filhos
Herdeiros

1 Maria, casada com Placido Antonio de Barros


2 Modesto, casado
3 Felicidade, casada com José Theodoro de Souza
4 Anna, casada com Gabriel Antonio de Barros
5 Maria Magdalena, solteira, de vinte e dois anos de idade
6 José, solteiro de 21 anos de idade
7 Francisca, casada com Francisco de Paula Ribeiro
8 Antonia, casada com Antonio Bernardino de Aquino
9 Marianna, solteira, de 16 annos de idade
10 Ignacia, solteira, de 15 annos de idade
11 Francisco, solteiro, de 12 annos de idade
12 Antonio, solteiro, de 11 annos de idade
13 Maria das Dores, solteira, de oito anos de idade
14 Joaquim, solteiro, de 7 annos de idade [...]”
(ANEXO 41)

Inventario de Miguel José Coimbra - Inventariante: Maria Joana de Moura - 1856 - 20˚ Processo -
41

Caixa 016 - ID: 143 - Arquivo Histórico da Universidade Federal de Juiz de Fora - Fundo Benjamim
Colucci

109
ANEXO 41

Inventario de Miguel José Coimbra - Inventariante: Maria Joana de Moura - 1856 - 20˚
Processo - Caixa 016 - ID: 143 - Arquivo Histórico da Universidade Federal de Juiz de Fora
- Fundo Benjamim Colucci - Cita a filiação do casal Maria Joana de Moura e Miguel Jose
Coimbra na página 04

110
111
112
TETRAVÓS

MODESTO JOSÉ COIMBRA nasceu aos 8 de outubro de 1824 em Porto do Turvo,


Minas Gerais, Brasil e falecido aos 23 de maio de 1864 em Três Ilhas, Minas Gerais, Brasil.
O seu registro de batismo traz o nome “Jose” que é o seu segundo nome. Modesto
Jose Coimbra teve ainda outro irmão, 11 anos mais novo, que foi batizado com o nome de
“Jose” citado como herdeiro no inventario do pai Miguel Jose Coimbra como “6 - Jose,
solteiro, de 21 anos de idade” sendo nascido em 1835. 42

“[...] CERTIDÃO DE BATISMO


Inteiro teor de José

Atesto, sob a responsabilidade do meu cargo, que revendo os livros


Paroquiais de Batismo desta Paróquia, encontrei registrado no livro LB-09,
folha 309 no período de 1816 a 1832, o seguinte registro:

“Aos oito de outubro de mil oitocentos e vinte e quatro annos na


Capella do Turvo desta Freguesia o padre José de Almeida Ramos
baptizou e poz os Sanctos óleos ao inocente José, filho legitimo de Miguel
José Coimbra, e Maria Joana de Moura; Forão padrinhos José Francisco
de Moura, e Anna Lucia de Moura, todos desta Freguesia, de que faço este
assento. O Vigro. José de Abreu e Silva” [...]
(ANEXO 42)

42
Certidão de Batismo de Modesto José Coimbra - Cúria Diocesana da Campanha - Paróquia de
Nossa Senhora da Conceição - Livros Paroquiais de Batismo - Livro: LB-09 - Folha 309 - 1816 a
1832

113
ANEXO 42

Certidão de Batismo de Modesto “José” Coimbra - Cúria Diocesana da Campanha -


Paróquia de Nossa Senhora da Conceição - Livros Paroquiais de Batismo - Livro: LB-09 -
Folha: 309 - 1816 a 1832

114
Casou antes de 1822 com Dona Fausta Emerenciana De Aquino, nascida em Três
Ilhas, Minas Gerais, Brasil em 1837 e falecida aos 14 de abril de 1917 na mesma comarca
conforme declara seu filho e inventariante Anastácio Rodrigues de Aquino Coimbra. 43

“[...] UFJF
UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA
SISTEMA DE ARQUIVOS/ARQUIVO CENTRAL
COORDENAÇÃO DE ARQUIVOS PERMANENTES
Fundo Benjamin Colucci
Inventário
Ano: 1917
17˚ Processo - Caixa 87 - ID: 2550
Inventariado (a): Fausta Emerenciana Coimbra
Inventariante: Anastacio Rodrigues de Aquino Coimbra [...]

“[...] FL 02
Dizem o Dr. Anastacio Rodrigues de Aquino Coimbra e outros, filhos,
genros e netos da finada D. Fausta Emerenciana Coimbra falecida a 14
de Abril de 1917 em S. José do Rio Preto, que tendo esta deixado alguns
bens e herdeiros menores, quem os Supptes [...]”
(ANEXO 43)

43
Inventario de Fausta Emerenciana Coimbra - Inventariante: Anastacio Rodrigues de Aquino
Coimbra - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico da Universidade Federal de Juiz de Fora
Ano: 1917 - 17˚ Processo - Caixa 87 - ID: 2550

115
ANEXO 43

Inventario de Fausta Emerenciana Coimbra - Inventariante: Anastacio Rodrigues de Aquino


Coimbra - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico da Universidade Federal de Juiz de
Fora - Ano: 1917 - 17˚ Processo - Caixa 87 - ID: 2550
Página 02 - O inventariante declara em petição a data de falecimento de D. Fausta
Emerenciana Coimbra

116
117
De acordo com o inventário de Modesto Jose Coimbra, de 1864, que teve sua esposa
44
Fausta Emerenciana como inventariante, ele nomeia os filhos e netos como herdeiros.
Ana Lúcia de Aquino Coimbra
José Anastácio de Aquino Coimbra
Maria Emerenciana de Aquino Coimbra
Anastácio Rodrigues de Aquino Coimbra
Modestino de Aquino Coimbra
Fausta Emerenciana Coimbra

“[...] Universidade Federal de Juiz de Fora


Fundo Benjamin Colucci
Inventário
Ano: 1864
35˚ Processo - Caixa 043 - ID: 297
Inventariado: Modesto José Coimbra
Inventariante: Fausta Emerenciana de Aquino Coimbra [...]

[...] FL 01
Gama
Escrivão Orphãos e Ausentes
Juiz de Fora
1864 (JD297 Cx283 1864)
Inventario
Inventariado Modesto José Coimbra
Inventariante D. Fausta Emerenciana de Aquino Coimbra [...]

[...] FL 06
Informa os herdeiros seguintes
Filhos
1 D. Anna, idade 10 annos
2 Jose, idade 9 annos
3 D. Maria, idade 7 anos
4 Anastacio, idade 6 anos
5 Modestino, idade 5 annos
6 D. Fausta, idade 2 annos [...]”
(ANEXO 44)

Inventario de Modesto Jose Coimbra - Inventariante: Fausta Emerenciana de Aquino Coimbra -


44

Ano: 1864 - 35˚ Processo - Caixa 043 - ID: 297 - Fundo Benjamin Colucci - Arquivo Histórico da
Universidade Federal de Juiz de Fora

118
ANEXO 44

Inventario de Modesto José Coimbra - Inventariante: Fausta Emerenciana de Aquino


Coimbra - Ano: 1864 - 35˚ Processo - Caixa 043 - ID: 297 - FLs 01, 06 - Cita os filhos
herdeiros.

119
120
121
TRISAVÓS

MODESTINO DE AQUINO COIMBRA nasceu aos 19 de novembro de 1859 na


45
Fazenda das Palmeiras, São José das Três Ilhas, Minas Gerais.

“[...] CERTIDÃO DE BATISMO


PARÓQUIA: SÃO JOSÉ
LOCALIDADE: SÃO JOSÉ DAS TRÊS ILHAS - DISTRITO DE
BELMIRO BRAGA - MG
Certifico que no livro do período 1839/1882, folha 99, termo s/n˚, de
registro de Batizados desta Paróquia, sob a guarda permanente do Arquivo
Histórico Arquidiocesano de Juiz de Fora, consta o batismo de:
MODESTINO
br.
“Aos trinta ehum de Desembro demil oito centos, e cincoenta enove,
baptisei solemnemente aoinocente Modestino br. filho legítimo de Modesto
Jose Coimbra, e D. Fausta Emerenciana d’Aquino. Padr. os Jose Aurelianno
Coimbra, pr Procuração apresentada por Franco Feliciano Coimbra, e D.
Marianna Leopoldina d’Aquino; epara constár, lanço aqui este assento. Era,
ut supra.
Ovigario Franco de Paula Gonçalves
Observação á margem 1: “Tirei certidão 14/09/1981. Lucília Horta”
Observação á Margem 2: “nascido á 19 de Novembro” [...]”
(ANEXO 45)

45
Certidão de Batismo de Modestino - Livro de Batismos 1839/1882 - Folha 99 - Paróquia: São José
- Localidade: São José das Três Ilhas - Distrito de Belmiro Braga - MG

122
ANEXO 45

Certidão de Batismo de Modestino de Aquino Coimbra - Livro de Batismos 1839/1882 -


Folha 99 - Paróquia: São José - Localidade: São José das Três Ilhas - Distrito de Belmiro
Braga - MG

123
Casou em 1882 com Dona Fausta Emerenciana Ferreira Coimbra (Sol. Ferreira),
nascida no município de Bom Sucesso, Minas Gerais no ano de 1860. Modestino foi
lavrador e também Alferes da Guarda Nacional em Juiz de Fora em meados de 1890. Viveu
na Fazenda das Palmeira, fundada pelos pais, em companhia da mãe, esposa, filhos e
outros familiares.
É citado na lista de filhos com idade de 5 anos no inventário do pai Modesto José
Coimbra de 1864.46

“[...] FL 01
1864 (JD297/CX283/1864)
Inventario
Inventariado, Modesto José Coimbra;
Inventariante D. Fausta Emerenciana de Aquino Coimbra [...]”

“[...] FL 06
Informa os herdeiros seguintes
Filhos
1 - D. Anna, idade 10 annos
2 - José, idade 9 annos
3 - D. Maria, idade 7 annos
4 - Anastacio, idade 6 annos
5 - Modestino, idade 5 annos
6 - D. Fausta, idade 2 anos [...]”
(ANEXO 46)

46
Inventário de Modesto José Coimbra - Inventariante: Fausta Emerenciana de Aquino Coimbra -
Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico da Universidade Federal de Juiz de Fora - Ano 1864 -
35˚ processo - Caixa 043 - ID 297.

124
ANEXO 46

Inventário de seu Pai Modesto José Coimbra - Inventariante: Fausta Emerenciana de


Aquino Coimbra - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico da Universidade Federal de
Juiz de Fora - Ano 1864 - 35˚ processo - Caixa 043 - ID 297 - p.01 - p.06

125
126
127
É também citado, desta vez como já falecido, no inventário de sua mãe Fausta
Emerenciana Coimbra de 1917, e os netos herdeiro de sua parte. Faleceu em 1908
deixando 10 filhos menores que seguem: 47
José Eugenio Coimbra (26), Maria Eugênia de Aquino Coimbra (25), Custódio Miguel
Coimbra (22), Anna Thereza Ribeiro, Gabriel Rafael Coimbra (21), Carmelita do Carmo
Coimbra (15), Otávio Coimbra (16), Maria da Conceição Coimbra (14), Stella Coimbra (12),
Modesto José Coimbra (11)

“[...] FL 01
1917
Juizo de Direito da Comarca de Juiz de Fora, E. Minas
Inventario dos bens deixados pela finada dona Fausta Emerenciana
Coimbra (Inventariada), de que ficou inventariante seu filho, doutor Anastacio
Rodrigues de Aquino Coimbra (Inventariante) [...]”
“[...] FL 08V
Filhos
1˚ Dona Anna Lucia de Barros, casada com Antônio Plácido de Barros,
residente em S. José do Rio Preto.
2˚ Dona Maria Emerenciana de Magalhães, viúva, residente em Porto das
Flores.
3˚ Doutor Anastacio Rodrigues de Aquino, o inventariante, residente em S.
José do Rio Preto.
4˚ Dona Fausta Emerenciana Coimbra Freire, casada com José de Souza
Freire, residente nesta cidade (Juiz de Fora).
5˚ José Anastacio Coimbra, casado com Maria Emerenciana de Barros,
ambos falecidos, deixando filhos, que adiante se seguem:
6˚ Modestino de Aquino Coimbra [...]”
“[...] FL 09
Coimbra, casado com Dona Fausta Ferreira Coimbra, ambos falecidos,
deixando filhos, que se seguem [...]”
“[...] FL 09V
Netos, filhos dos finados cônjuges Modestino de Aquino Coimbra e dona
Fausta Ferreira Coimbra
1˚ José Eugenio Coimbra, de 26 anos, residente no districto de São José do
Rio Preto
2˚ Dona Maria Eugenia Coimbra, solteira de 25 anos, idem
3˚ Custodio Miguel Coimbra, de 22 anos, idem
4˚ Dona Anna Thereza Ribeiro, casada com Manoel Assis Ribeiro, idem
5˚ Gabriel Rafael Coimbra, solteiro de 21 anos, idem
6˚ Dona Carmelita do Carmo Coimbra [...]”
“[...] FL 10
Coimbra, solteira, de 15 anos, idem
7˚ Octavio Coimbra, de 16 anos, idem
8˚ Dona Maria da Conceição Coimbra, de 14 anos, idem
9˚ Dona Stella Coimbra, de 12 anos, idem
10˚ Modesto Coimbra, de 11 anos, idem [...]”
(ANEXO 47)

47
Inventário de Fausta Emerenciana Coimbra - Inventariante: Anastácio Rodrigues de Aquino
Coimbra - 1917 - 17˚ Processo - Caixa 87 - ID 2550 - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo Histórico
da Universidade Federal de Juiz de Fora

128
ANEXO 47

Inventário de Fausta Emerenciana Coimbra - Inventariante: Anastácio Rodrigues de Aquino


Coimbra - 1917 - 17˚ Processo - Caixa 87 - ID 2550 - Fundo Benjamim Colucci - Arquivo
Histórico da Universidade Federal de Juiz de Fora - p.01 - p.08V - p.09 - p.09V - p.10 - Cita
os filhos do falecido casal Modestino e Fausta.

129
130
131
132
133
134
BISAVÓS

MODESTO JOSÉ COIMBRA nasceu no dia 11 de agosto de 1905 em Três Ilhas, Minas
Gerais, Brasil e foi registrado no Cartório de São José das Três Ilhas no dia 13 do mesmo
mês de acordo com sua Certidão de Nascimento. 48

“[...] NOME:
MODESTO JOSE COIMBRA
MATRICULA
043919 01 55 1905 1 00007 172 0000313 47
Eu, BRUNO ALVES DE MORAES, Oficial do Cartório de Registro Civil
do Distrito de São José das Três Ilhas, Município de Belmiro Braga,
Comarca de Matias Barbosa, Estado de Minas Gerais, na forma da lei, etc.
Certifico e dou fé, em virtude de pedido de pessoa interessada, e em inteiro
teor, que revendo no livro próprio de Registro de Nascimentos n˚ 7-A, as
folhas 172 e 173, termo 313, verifiquei no Registro de Nascimento constar
o seguinte teor: Aos trese de Agosto de mil novecentos e cinco, neste
districto de São José do Rio Preto, município de Juiz de Fora, Estado de
Minas Geraes, em meu cartório compareceo Modestino de Aquino
Coimbra, lavrador, natural deste districto, casado com Dona Fausta
Emerenciana Ferreira Coimbra, natural deste Estado de Minas Geraes,
recebidos no Districto de Bom Sucesso, Estado de Minas Gerais,
moradores na Fazenda das Palmeiras e declarou que em sua casa de
residência ao honse dias do corrente mes de Agosto pelas onse horas do
dia sua mulher deu a luz a uma criança do sexo mascolino sendo seus
avos paternos Modesto José Coimbra, falecido e Dona Fausta
Emerenciana Coimbra residente neste districto e o maternos Custodio
Martins Ferreira e Dona Francisca Bernardina Ferreira de Barros falecidos.
O recém-nascido não foi ainda baptisado e quando o for receberá o nome
de MODESTO JOSE COIMBRA e para constar faço este termo que depois
de lido é assignado pelo declarante com as testemunhas Fausto
Fernandes da Silva Leite, oficial de pharmacia e Francisco Duarte,
pedreiro, residentes neste lugar e Silvestre Diniz Pacheco escrivão o
escrevi e assigno. [...]”
(ANEXO 48)

48
Registro de Nascimento de Modesto José Coimbra - Localizado no Cartório de São José das Três
Ilhas, Minas Gerais – Livro 7-A, Folha 172 e 173, Termo 313
Matricula: 04391901551905100007172000031347

135
ANEXO 48

Certidão de Nascimento de Modesto José Coimbra - Cartório de São José das Três Ilhas,
Minas Gerais – Livro 7-A, Folha 172 e 173, Termo 313 - Matricula 043919 01 55 1905 1
00007 172 0000313 47

136
Casou em Juiz de Fora aos 31 de julho de 1944 com Assundina De Souza Coimbra
(Sol. Aureliano De Souza), nascida em Santos Dumont, Minas Gerais, Brasil, aos 22 de
junho de 1924 onde viveram e criaram os 5 filhos. 49
Tiveram 5 filhos que seguem:
Xxxxxx xx Xxxxx Xxxxxxx
Xxxx Xxxxxxxx xx Xxxxx Xxxxxxx
Xxxxxxx xx Xxxxx Xxxxxxx
Xxxxx xx Xxxxx Xxxxxxx
Xxxxxxx xx Xxxxx Xxxxxxx
Depois do falecimento de Modesto em 1956, Dona Assundina se casou pela segunda
vez com Elias Moretson e teve mais dois filhos desta segunda união. Dona Assundina de
Souza Coimbra faleceu aos 01 de julho de 1997 em Juiz de Fora onde se encontra
sepultada.

“[...] CERTIDÃO DE CASAMENTO


MATRICULA:
0562180155 1944 2 00022 050 0005990 68
... Aos trinta e um (31) de julho de mil novecentos e quarenta e
quatro, nesta cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais, em cartório,
ás quinze horas, local e hora previamente designados para êste ato, onde
se achava o Excelentíssimo Senhor Doutor Osmar Silva, digno Juiz de Paz
da Zona de Mariano Procópio, deste distrito, no impedimento de Juiz desta
Zona, em pleno exercício do cargo, na forma da lei, comigo Oficial
Substituto do Registro Civil, adiante nomeado e assinado, presente os
nubentes: Modesto José Coimbra e Senhorinha Assundina Aureliano
de Souza, ambos solteiros, brasileiros, residentes e domiciliados nesta
cidade. Sendo ele nubente: condutor de bonde, nascido êm Três Ilhas,
neste município, aos onze (11) de agosto de mil novecentos e cinco (1905),
filho legítimo de Modestino de Aquino Coimbra e de Dona Fausta
Emerenciana Ferreira Coimbra, brasileiros, falecidos em datas não
declaradas; ela nubente: doméstica, nascida em Santos Dumont, neste
Estado, aos vinte e dois (22) de junho de mil novecentos e vinte e quatro
(1924), filha legítima de Antonio Na, digo Antonio Aureliano de Souza e de
Dona Maria Arminda do Carmo, brasileiros, nascidos em datas não
declaradas e residentes nesta cidade...passando a nubente depois de
casada a adotar o nome Assundina de Souza Coimbra [...]”
(ANEXO 49)

Certidão de Casamento de Modesto José Coimbra e Assundina de Souza Coimbra localizada no


49

Registro Civil das Pessoas Naturais, Interdições e Tutelas 1˚ Subdistrito em Juiz de Fora, Minas
Gerais - Livro22B - Folha 50 - Termo 5990 - MATRICULA: 05621801551944200022050000599068

137
ANEXO 49

Certidão de Casamento de Modesto José Coimbra e Assundina de Souza Coimbra -


Registro Civil das Pessoas Naturais, Interdições e Tutelas 1˚ Subdistrito em Juiz de Fora,
Minas Gerais – Livro22B - Folha 50 – Termo 5990

138
AVÓS

XXXX XXXXXXXX XX XXXXX XXXXXXX nasceu aos xx de xxxxxxxxx de xxxx em Juiz


de Fora, Minas Gerais, Brasil, filho legitimo de Modesto José Coimbra e Assundina de
Souza Coimbra. 50

“[...] CERTIDÃO DE NASCIMENTO


LIVRO No XXX DE REGISTRO DE NASCIMENTOS
FOLHAS XXX X
TERMO XXXXX
CERTIFICO que do livro, termo e folha citados do registro de
nascimentos do cartório a meu cargo consta o assento referente a
XXXX XXXXXXX XX XXXXX XXXXXXX //
do sexo masculino //
nascido (a) em Juiz de Fora/MG //
no dia dezesseis (xx) de Xxxxxxxxx de mil novecentos e xxxxxxxx e
xxxx (XXXX) //
às duas horas e trinta minutos (2:30) //
filho (a) de Modesto José Coimbra e de // Assundina de Souza
Coimbra //
avós paternos Modestino de Aquino Coimbra e Fausta Emerenciana
Coimbra //
avós maternos Antonio Aureliano de Souza e Maria Arminda do
Carmo //
Declarante Modesto José Coimbra, Pai //
Registrado em vinte e sete (27) de Fevereiro de // mil novecentos e
quarenta e seis (1946)
O referido é verdade, do que dou fé.
Juiz de Fora, 16 Mai 1994
Daniela Maria Nunes Cobucci - ESCREVENTE [...]”
(ANEXO 50)

50
Certidão de Nascimento de Xxxx Xxxxxxxx xx Xxxxx Xxxxxxx - Localizada no Cartório Cobucci,
Juiz de Fora, Minas Gerais - Livro XXX - Folha XXXX - Termo XXXXX

139
ANEXO 50

Certidão de Nascimento de Xxxx Xxxxxxxx xx Xxxxx Xxxxxxx - Cartório Cobucci, Juiz de


Fora, Minas Gerais - Livro XXX de Registro de Nascimento - Folha XXXX - Termo XXXXX

INSIRA A IMAGEM DA CERTIDAO DE NASCIMENTO DO AVO

Casou-se em xx de xxxxx de xxxx com Xxxxx Xxxxxxxx xx Xxxxxxx (Sol. Xxxxxxxx


Xxxxx), nascida a xx de xxxxx de xxxx na mesma cidade.51

51
Certidão de Casamento de Xxxx Xxxxxxxx e Xxxxx Xxxxxxxx - Registro Civil do 1˚ Subdistrito de
Juiz de Fora, MG - Matrícula XXXXXXXXXX XXXX X XXXXX XXX XXXXXXX XX

140
Tiveram 4 filhos:
1 - Xxxxx Xxxxxxx xx Xxxxxxx
2 - Xxxxxxxx Xxxxxxxx xx Xxxxxxx
3 - Xxxxxxx Xxxxxxxx xx Xxxxxxxx
4 - Xxxxxxx Xxxxxxxx xx Xxxxxxx.

“[...] CERTIDÃO DE CASAMENTO


NOMES:
XXXX XXXXXXXX XX XXXXX XXXXXXX
XXXXX XXXXXXXX XXXXX
Matrícula XXXXXXXXXX XXXX X XXXXX XXX XXXXXXX XX
XXXX XXXXXXXX XX XXXXX XXXXXXX, nascido aos xx/xx/xxxx em
JUIZ DE FORA - MG, brasileiro, filho de MODESTO JOSÉ COIMBRA e
ASSUNDINA DE SOUZA COIMBRA //
XXXXX XXXXXXXX XXXXX, nascida aos xx/xx/xxxx em JUIZ DE
FORA - MG, brasileira, filha de ALFREDO FERREIRA PINTO e LOURDES
FONSECA PINTO //
vinte e sete de abril de mil novecentos e sessenta e oito // 27/04/1968
Comunhão Parcial de Bens //
NOME QUE CADA UM DOS CONJUGES PASSOU A UTILIZAR
(QUANDO HOUVE ALTERAÇÃO)
XXXXX XXXXXXXX XX XXXXXXX
XXXXXXXX NADA MAIS // [...]”
(ANEXO 51)

141
ANEXO 51

Certidão de Casamento de Xxxx Xxxxxxxx xx Xxxxx Xxxxxxx e Xxxxx Xxxxxxxx xx Xxxxxxx


- Registro Civil do 1˚ Subdistrito de Juiz de Fora, MG - Matrícula XXXXXXXXXX XXXX X
XXXXX XXX XXXXXXX XX

IMAGEM DA CERTIDAO DE CASAMENTO DOS AVOS

142
PAIS
XXXXXXX XXXXXXXX XX XXXXXXX nasceu aos xx de xxxxxxxx de xxxx em Juiz de
Fora, Minas Gerais, Brasil e com Xxxxxxx Xxxxxxxx Xxxxxxxx tem 1 filha de nome Xxxxx
Xxxxxxxx Xxxxxxxx, a requerente.52

“[...] CERTIDÃO DE NASCIMENTO


LIVRO: X X
FOLHAS: XX X
TERMO: XXX
CERTIFICO que do livro, folha e termo citados do registro de
nascimento do oficio a meu cargo, foi registrado o assento referente ao
nascimento de:

XXXXXXX XXXXXXXX XX XXXXXXX //

do sexo: masculino //
nascido em: Juiz de Fora - MG //
no dia xxxxxx de xxxxxxxx de mil novecentos e xxxxxxx e xxxxx
(xx/xx/xxxx) // ás dez horas e trinta minutos (10:30) //
Filho de: XXXX XXXXXXXX XX XXXXX XXXXXXX e XXXXX
XXXXXXXX XX XXXXXXX //
Avós Paternos: MODESTO JOSÉ COIMBRA e ASSUNDINA DE
SOUZA COIMBRA //
Avós Maternos: ALFREDO FERREIRA PINTO e LOURDES
FONSECA PINTO //
Declarante: XXXX XXXXXXXX XX XXXXX XXXXXXX
Registrado em nove de janeiro de mil novecentos e setenta e seis
(09/01/1976) // [...]”
(ANEXO 52)

52
Certidão de Nascimento - Livro XX - Folha XXX - Termo XXX - Registro Civil do 1˚ Subdistrito da
Cidade de Juiz de Fora - MG

143
ANEXO 52

Certidão de Nascimento de Xxxxxxx Xxxxxxxx Xx Xxxxxxx - Registro Civil do 1˚ Subdistrito


da Cidade de Juiz de Fora - MG - Livro XX - Folha XXX - Termo XXX

INSIRA IMAGEM DA CERTIDAO DE NASCIMENTO DO PAI

144
REQUERENTE

XXXXX XXXXXXXX XXXXXXXX nasceu aos XX de xxxxxxxx de XXXX em Juiz de


Fora, Minas Gerais, Brasil; filha legitima de Xxxxxxx Xxxxxxxx xx Xxxxxxx e Xxxxxxx
Xxxxxxxx Xxxxxxxx, neta paterna de Xxxx Xxxxxxxx xx Xxxxx Xxxxxxx e Xxxxx
Xxxxxxxx xx Xxxxxxx e neta materna de Xxxxxxx Xxxxxxx Xxxxxxx e Xxxxx Xxxxxxxx
Xxxxxxxx, solteira, residente em Xxxxxxxx, Xxxxxxxx desde agosto de 2018.53

“[...] CERTIDÃO DE NASCIMENTO

NOME:
Xxxxx Xxxxxxxx Xxxxxxxx
Matrícula xxxxxx xx xx xxxx x xxxxx xxx xxxxxxx xx

xxxxx e xxxxx de xxxxxxxx de mil novecentos e xxxxxxx e xxxx (xx/xx/xxxx)


21:00 - JUIZ DE FORA - MG

FILIAÇÃO
XXXXXXX XXXXXXXX XX XXXXXXX
XXXXXXX XXXXXXXX XXXXXXXX

AVÓS
XXXX XXXXXXXX XXXXX XXXXXXX e XXXXX XXXXXXXX XX XXXXXXX
XXXXXXX XXXXXXX XXXXXXXX e XXXXX XXXXXXXX XXXXXXXX [...]”
(ANEXO 53)

53
Certidão de Nascimento - Livro XXX - Folha XXXX - Termo XXXXX - Cartório Villela, 2˚
Subdistrito, Registro Civil das Pessoas Naturais, na cidade de Juiz de Fora - Minas Gerais

145
ANEXO 53

Certidão de Nascimento de Xxxxx Xxxxxxxx Xxxxxxxx - Cartório Villela, 2˚ Subdistrito,


Registro Civil das Pessoas Naturais, na cidade de Juiz de Fora - Minas Gerais - Livro XXX -
Folha XXXX - Termo XXXXX - Matrícula: xxxxxxx xxx xxxx xxxxxxxxxxxxxxxxxx

INSIRA A IMAGEM DA CERTIDAO DE NASCIMENTO DO REQUERENTE

146
ÁRVORE GENEALOGICA

147
Octavós Maria da As s unç ão de Mo rae s (nas . 1721, São João Del Rei, Minas
Gerais, Brasil, fal. 20/02/1763 São João Del Rei, Minas Gerais, Brasil)
casou em primeira núpcia em São João Del Rei no ano de 1737 com
Lourenço Correia Sardinha (bat. 14/01/1685, Fajã da Ovelha,
Madeira, Portugal, fal. 22/06/1747, Paragem do Rio Grande, São João
Del Rei, Minas Gerais, Brasil) e em segunda núpcia em data
desconhecida com Manuel Marinho de Moura
Eneavós Antô nio Vie ira de Mo rae s (nas . 1691, São João Del Rei, Minas
Gerais, Brasil, fal. 1742) casou em São Paulo aos 20/12/1720 com
Anna Pires “de Oliveira” (nas . de s conhe cido, São Paulo, Brasil, fal.
28/11/1740, Sítio Rio Grande, Minas Gerais, Brasil)
Decavós Franc is c a de Mo rae s (nas . 1671, São Paulo, Brasil, fal.1702, São
João Del Rei, Minas Gerais, Brasil) casou em São Paulo por volta de
1692 com Antônio Vieira Dourado (nas . 1667, Braga, Portugal, fal.
1701, São João Del Rei, Minas Gerais, Brasil)
Unodecavós Maria Rapo s o (nas . 1630, São Paulo, Brasil, fal. 1659, Santana do
Parnaíba, São Paulo, Brasil) casou em São Paulo após 1647 com
Carlos de Moraes Navarro (nas . 1633, São Paulo, Brasil, fal. 1672,
Santana do Parnaíba, São Paulo, Brasil)
Duodecavós Be atriz Furtado de Me ndo nç a (nas . por volta de 1605, São Paulo,
Brasil, fal. 13/07/1632, São Paulo, Brasil) casou em São Paulo no ano
de 1622 com Antônio Raposo Tavares (nas . 1598, São Miguel do
Pinheiro, Beja, Portugal, fal. por volta de 1659, São Paulo, Brasil)
Tridecavós Maria Bic udo (nas . por volta de 1590, São Paulo, Brasil, fal.
25/06/1659, Santana do Parnaíba, São Paulo, Brasil) casou em São
Paulo, em data desconhecida, com Manoel Pires (nas . 1585, São
Paulo, Brasil, fal. 1659, Santana do Parnaíba, São Paulo, Brasil)
Tetradecavós Antô nio Bic udo Carne iro (nas . por volta de 1540, São Miguel,
Açores, Portugal, fal. s e m data, São Paulo, Brasil) casou em São
Paulo, por volta de 1584, com Isabel Rodrigues (nas . 1555, São Paulo,
Brasil, fal. sem data, São Paulo, Brasil)

148
DOCUMENTOS ENVIADOS

Formulário de Requerimento 1
Passaporte Válido 1
Certidão de Nascimento 8
Certidão de Casamento 3
Inventários 7
Árvore Genealógica proposta 1
Artigos acadêmicos 7
Livros de estudos genealógicos 9
Links de estudos genealógicos 1

149
BIBLIOGRAFIA

FRUCTUOSO, Gaspar: Saudades da Terra - História Genealogica de Sam Miguel, 1876,


Tip. Do Amigo do Povo, Ponta Delgada

RODRIGUES, Rodrigo. Genealogia de São Miguel e Santa Maria

TAVIM, José Alberto Rodrigues Da Silva: Anais de História de Além-Mar, Vol. V, 2004, Pp.
276 - O «Aviso» Anónimo Sobre João Micas Na Colecção De S. Vicente.

TAVIM, José Alberto Rodrigues Da Silva: Revista "Artigos de Boletim Hispania Judaica,
Revisões, Bibliografia e Manuscritos no Sefarad", Vol. 7, 5770/2010,

PEARSON, M.N.: Spices in the Indian Ocean World - An Expanding World Vol.: 11, 2016,
Routledge, NY

MUCZNIK, Lucia Liba (outros): Dicionário Do Judaísmo Português, Editorial Presença,


2009 - Tópico "Crato, Dom Antonio, Prior Do"

VALENTIM, Carlos Manuel: Tomé Pegado de Paz: Espião e Servidor do Duque de Naxos
(1552- 1578), Cadernos de Estudos Sefarditas 4 (2004): p. 283 - 341

PEREIRA, Manuel Vílmaro Costa: Itinerário a Casa Santa do padre frey António Soares da
Albergaria - Dissertação de Mestrado em Filosofia Medieval, Faculdade de Letras da
Universidade do Porto, 2005.

VALENTIM, Carlos Manoel: Uma família de cristãos-novos do Entre Douro e Minho os Paz
reprodução familiar, formas e mobilidade social, mercancia e poder (1495-1598), 2007

TAVIM, J. A. R da Silva: Journal of Early Modem History 17 (2013) 561-584

LEME, Luiz Gonzaga da Silva, Genealogia Paulistana, 1904, S. Paulo, Duprat & Comp. -
Rua Direita, 14

LEME, Pedro Taques de Almeida Paes: Nobiliarchia Paulistana Histórica e Genealogica

FRANCO, Francisco de Assis Carvalho: Dicionário de Bandeirantes e Sertanistas do Brasil


- Séculos XVI - XVII - XVIII, São Paulo, 1954

AMATO, Marta: A ASCENDÊNCIA PAULISTA DE FRANCISCA DE MACEDO Aditamento à


Genealogia Paulistana - Título Moraes, Revista da ASBRAP, vol.8, p. 234 – 236.

Sette, Bartyra e Junqueira, Regina Moraes: “PROJETO COMPARTILHAR”, Antonio Vieira e


Francisca de Macedo, 04/02/18.
http://www.projetocompartilhar.org/Familia/AntonioVieiraFranciscadeMacedo.htm

RIBEIRO, Laerte M. Magno: 20 Gerações de João Ramalho e Bartyra, seus descendentes


mineiros de Andrelândia e outras grandes famílias, São Paulo, 1989, pág. 25.
https://drive.google.com/file/d/0B_UzFhGp4sJCRlNfcmxkN0VOd0k/view

ESTEVES, Albino. Album do Municipio de Juiz de Fora. 1 ed. Bello Horizonte: Imprensa
Official do Estado de Minas, 1915

150