Você está na página 1de 2

Série: Vida Piedosa – O resultado da piedade na vida do homem

Para refrescar nossas mentes, vamos relembrar o que dissemos nestes últimos
Domingos: O piedoso tem santo temor, vive em santidade e consagração, este é o perfil
espiritual do piedoso. Semana passada vimos que a o anseio da pessoa piedosa é estar na
presença de Deus, alegria na Palavra e prazer na oração.
Hoje terminaremos esta série falando dos resultados que uma vida piedosa
proporciona na vida do cristão, afinal, aquilo que está no coração não deve ser conhecido
somente por Deus mas visto por todos os homens. A pessoa verdadeiramente piedosa é
reconhecida por lembrar a pessoa de Cristo.
Quando alguém tem um jeito de falar ou tem características físicas parecidas com
alguém que conhecemos, logo pensamos “nossa, como você se parece com uma pessoa que
conheço!”. O cristão piedoso é deve levar as pessoas a se lembrarem imediatamente de Cristo.

ST – Para tanto, veremos três realidades que o piedoso vive e manifesta aos olhos dos homens
e que são a prova cabal de uma vida em Cristo

I. O piedoso lembra a pessoa de Jesus embora sua história não se pareça nada com
Ele.

Em Atos 4.13 vemos os sacerdotes, anciãos e outras autoridades questionando a Pedro


e João sobre qual autoridade eles tinham curado o paralítico na porta do Templo. A Bíblia diz
no v.8 que Pedro estava cheio do Espírito e tomou a Palavra para responder aquela pergunta.
Após o discurso de Pedro, o v.13 diz “Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e
informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que
eles haviam estado com Jesus.”. Algumas traduções dizem que eles falavam com “ousadia”
mas o termo correto se refere a facilidade de falar com autoridade e coragem.
O que traz segurança em um discurso? O preparo que o preletor tem do assunto. As
autoridades religiosas ficaram admiradas com o discurso de Pedro pois sabiam que eles eram
pessoas sem uma formação nas escolas dos escribas. Como eles poderiam falar com tanto
conhecimento e autoridade?
Jesus havia dito à seus discípulos que chegaria o momento em que eles seriam
perseguidos e interrogados diante das autoridades, mas que deveriam estar seguros de que
Ele colocaria as devidas palavras na boca deles dando-lhes sabedoria, não sendo possível que
seus opositores conseguissem resistir ou se opor a tais palavras (Lc 21.15).
A pessoa piedosa vive em Espírito e é uma testemunha fiel de Cristo onde for. As
palavras de Jesus estão na boca dos fiéis. As autoridades viram que aqueles homens
pescadores falavam como Jesus, o homem que haviam matado mas que era poderoso em
palavras e cuja a autoridade estava acima dos doutores da lei (Mt 7.28-29).
Mataram a Jesus, mas Ele falava pela boca dos seus discípulos. O problema dos
religiosos se multiplicava. Esta é a igreja de Cristo! A igreja de pessoas que pensam e falam
como Jesus, que se parecem com Ele e leva as pessoas a verem Cristo nelas.

Aplicação: E você meu irmão? Quem as pessoas reconhecem ao ver seu modo de agir? Você
mesmo ou o Senhor Jesus? O que seu vocabulário tem revelado de Deus ao mundo? Quantas
vezes o Espírito teve lugar em suas escolhas e atitudes para que Jesus fosse exaltado por sua
vida?

II. O piedoso se molda ao caráter de Cristo

Antes que você pense que se tornar como Cristo seja algo impossível, a própria Bíblia
afirma que fomos predestinados, ou seja, fomos criados com um propósito muito claro: “de
sermos à imagem de Jesus Cristo, o Filho de Deus” (Rm 8.29). A pessoa piedosa não só lembra
Jesus aos olhos das pessoas, mas ela também se assemelha a Cristo em seu interior. Dentro
dela há uma verdadeira revolução, uma verdadeira Jihad para que o velho homem dê lugar ao
novo homem (Ef 2.22-24).
Deus criou o homem a sua imagem e semelhança, mas ao entrar o pecado no mundo
criou-se uma rachadura na imagem de Deus refletida no homem. O ser humano continua
sendo a imagem e semelhança de Deus, mas o pecado agora também faz parte dele. Ao nos
assemelharmos com o Filho de Deus, estamos cobrindo a rachadura e restaurando o propósito
de Deus em nós. Quanto mais próximos da imagem do Filho, mais a imagem de Deus ofuscada
pelo pecado dá lugar ao que realmente fomos criados para ser: a imagem de Deus.
Paulo diz que estamos sendo transformados de glória em glória à imagem da glória de
Deus (II Co 3.18). Essa transformação é obra do Espírito Santo. O piedoso evolui e se
transforma dia após dia, continuamente progressivamente. Em Rm 8.5 diz “Os que vivem
segundo a carne têm a mente voltada para as vontades da natureza carnal, entretanto, os que
vivem de acordo com o Espírito, têm a mente orientada para satisfazer o que o Espírito deseja”.
Há muitas virtudes em Jesus que podemos imitar, é um trabalho que levará toda nossa
vida e ainda assim não será completa até que aquilo que é eterno revista nosso corpo
imperfeito de glória. Mas se pudermos olhar um aspecto de Jesus que o fazia ser como era é a
humildade e obediência. Toda pessoa piedosa possui certamente estas virtudes de Cristo.
Paulo diz que nós devemos ter o mesmo sentimento que houve em Jesus (Fl 2.5) :
“Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si
mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma
de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. - (Fl 2.6-
9) .Humildade e obediência foram expressadas por Jesus e todas as pessoas piedosas cultivam
tais sentimentos em suas vidas.
Tiago foi muito claro ao dizer que não é possível jorrar da mesma fonte água doce e
salgada (Tg 3.12) e que pelo fruto bom ou mal conheceríamos a árvore (Mt 12.33). Assim que,
se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez
novo. (II Co 5.17).
Se somos pessoas piedosas, nos revestimos de Cristo, renovando nossa mente
segundo a imagem daquele que nos criou (Cl 3.10) e renovamos no modo de pensar com o
propósitos de sermos semelhantes a Deus em justiça e em santidade (Ef 4.23-24). O piedoso
está em constante transformação e cada vez mais parecido com seu Criador e o seu Salvador.
O seu nome e seu caráter devem remeter à Cristo e o que Ele era.

III. A vida da pessoa piedosa impacta a vida dos homens

Vimos até aqui que o piedoso lembra o Senhor Jesus às pessoas; vimos que ele
também é transformado interiormente dia após dia à imagem de Deus e agora veremos o
impacto que isto tem na vida das pessoas.
O caráter de Cristo estampado no piedoso e vivido por ele todos os dias sem
fingimento é uma das mensagens mais poderosas de evangelismo ao mundo. Paulo diz: “sej a
vossa eqüidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor.” (Fl 4.5). A equidade pode ser
traduzida por integridade, o trato com as pessoas. Ela deve ser “conhecida” por todos os
homens, ou seja, não é o discurso de integridade mas a vida integra do piedoso que de ser
conhecida por todos os homens.
Por isso Paulo diz para zelamos do que é honesto não só diante do Senhor, mas diante
dos homens (II Co 8.21). A diferença da pessoa religiosa da pessoa piedosa é justamente esta:
o religioso busca um viver integro por aparência, mas o piedoso é integro em sua nova
natureza, por isto sua integridade é vista por Deus e percebida pelos homens.
Quando um cristão dá mal exemplo, não é só sua imagem que fica prejudicada, mas a
imagem de Deus também. Mas quando uma pessoa verdadeiramente piedosa está por perto,
é como se uma vela fosse acesa em meio às trevas e todos olham para ela. Jesus disse para
que nossa luz resplandeça para que os homens vejam nossas obras e glorifiquem ao Pai (Mt
5.16).
Todos querem ter amizade com a pessoa piedosa. Todos respeitam o piedoso,
admiram suas vidas e confiam nelas para coisas realmente importantes e sérias de suas vias.
Ninguém compartilhará nada sobre sua vida à uma pessoa sem caráter, mas o piedoso tem
sempre algo de Deus para falar.
Paulo fala do testemunho como uma carta viva aos homens no mundo (II Co 3.2-3).
Nós somos a carta de Cristo e a única coisa que nossa vida deve refletir é o amor e graça de
Deus em nós. Podemos ter vindo de qualquer cultura e aprendido as piores coisas do mundo,
mas se entregamos nossas vidas ao Senhor é esta nova história que nos interessa e que o
mundo precisa conhecer.