Você está na página 1de 98

Escola Técnica SENAI Plínio Gilberto Kroeff - CETEMP

Curso Técnico Mecânica de Precisão

Caderno de Atividades

Desenho Técnico 1
Desenho Técnico:

O Desenho técnico é uma linguagem normalizada para representação gráfica


de idéias.

Desenho é uma forma de expressão gráfica que tem por finalidade a representação
da forma, dimensão e posição de objetos.
O Desenho Técnico é linguagem universal e vem para suprir a necessidade de
comunicação entre os diversos departamentos em uma indústria.

O desenho está nas diversas etapas de um produto:


• Idealização- projeto;
• Planejamento;
• Fabricação;
• Controle da qualidade;
• Levantamento de custo – Orçamento;
• Vendas;
• Assistência técnica;
• Consumidor – manual de instrução;

Vantagens/ Importância

- Possibilita que todos que intervenham na construção de uma determinada peça


possam interpretá-la, mesmo que em tempos e espaços diferentes;

- Possibilita mostrar detalhadamente todas as características da peça;

- Evita dúvidas sobre como deve ser, explica claramente como é a peça, seu
material, tratamento térmico, acabamento superficial, tolerâncias dimensionais e
geométricas;

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 2


Formato de folha:

NBR 10068- Folha de desenho - Leiaute e dimensões- esta norma padroniza as


características dimensionais das folhas em branco e pré-impressas a serem
aplicadas em todos os desenhos técnicos.

Esta Norma apresenta também o leiaute da folha do desenho técnico com vistas a:
a) posição e dimensão da legenda;
b) margem e quadro;
c) marcas de centro;
d) escala métrica de referência;
e) sistema de referência por malhas;
f) marcas de corte.

1. Complete o quadro abaixo, escrevendo os respectivos nomes nos formatos dos


papéis de desenho A3 e A4.

2. Escreva as dimensões dos formatos abaixo e das suas respectivas margens.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 3


Formato de folha:

3. Complete a tabela abaixo, escrevendo as medidas das margens dos formatos A3


e A4.

Formato Dimensão Margem direita Margem esquerda


A0 841 x 1 189 10 25
A1 594 x 841
A2 420 x 594 7
A3 297 x 420
A4 210 x 297

4. Complete as frases nas linhas indicadas.


a) O formato de papel A2 dá origem a dois formatos .
b) O formato de papel A3 dá origem a dois formatos .

5. Assinale com X a alternativa que corresponde às dimensões de papel formato


A4.
a) ( ) 210 x 297
b) ( ) 297 x 420
c) ( ) 420 x 594

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 4


Dobramento da folha

NBR 13142 – DOBRAMENTO DE CÓPIAS, que fixa forma de dobramento de todos


os formatos de folhas de desenho: para facilitar a fixação em pastas, eles são
dobrados até as dimensões do formato A4.

Efetua-se o dobramento a partir do lado d (direito), em dobras verticais de 185mm. A


parte final a é dobrada ao meio.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 5


Apresentação da folha:

NBR 10582 – APRESENTAÇÃO DA FOLHA PARA DESENHO TÉCNICO, normaliza


a distribuição do espaço da folha de desenho, definindo a área para texto, o espaço
para desenho etc.. Como regra geral deve-se organizar os desenhos distribuídos na
folha, de modo a ocupar toda a área, e organizar os textos acima da legenda junto à
margem direita, ou à esquerda da legenda logo acima da margem inferior.

A folha para o desenho deve conter:


a) espaço para desenho;
b) espaço para texto;
c) espaço para legenda.

Legenda:

ƒ Deve ficar localizada dentro do quadro e no canto inferior direito seja em folhas
horizontais ou verticais;
ƒ É usada para identificação, informação e indicação do desenho;
ƒ Dimensões - 178mm – A4, A3 e A2 e 175mm– A1 e A0
ƒ Deve possuir no mínimo:
- Logotipo da empresa executante
- Nome do projetista, desenhista e outros responsáveis pelo desenho/projeto
- Local, data e assinaturas
- Nome e localização do projeto
- Conteúdo do Desenho
- Escala conforme NBR 8196
- Nº do desenho
- Designação da Revisão (caso houver)
- Indicação do Método de projeção
- Unidade utilizada (NBR 10126)

6- Desenhe as margens em uma folha A3 e crie uma legenda particular para esta
folha, contendo os itens indicados acima:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 6


Caligrafia Técnica:

NBR 8402 – EXECUÇÃO DE CARACTERES PARA ESCRITA EM DESENHOS


TÉCNICOS, visa à uniformidade e à legibilidade para evitar prejuízos na clareza do
desenho e evitar a possibilidade de interpretações erradas, fixa as características de
escrita em desenhos técnicos.
As principais exigências na escrita em desenhos técnicos são:
a) legibilidade;
b) uniformidade;
c) adequação à microfilmagem e a outros processos de reprodução.
Os caracteres devem ser claramente distinguíveis entre si, para evitar qualquer troca
ou algum desvio mínimo da forma ideal.
A escrita pode ser vertical ou inclinada, em um ângulo de 15° para a direita em
relação à vertical (ver Figuras abaixo).

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 7


Caligrafia Técnica:

7. Escreva, de acordo com o modelo, o que se pede abaixo:

SEU NOME:

Seu endereço:

DATA DE NASCIMENTO:

Nome da Escola:

NOME DO CURSO:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 8


Caligrafia Técnica:

SENAI quer dizer:

8. Escreva os números de 0 à 9:

9. Reescreva as frases abaixo, de acordo com o modelo inicial:

O Desenho Técnico é utilizado pelas indústrias como linguagem técnica gráfica


universal,
em que se expressam e registram idéias e dados para a construção de máquinas,
móveis
e estruturas.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 9


Tipos de linhas:

NBR 8403- Aplicação de linhas em desenhos – Tipos de linhas - Larguras das linhas
Esta Norma fixa tipos e o escalonamento de larguras de linhas para uso em
desenhos técnicos e documentos semelhantes.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 10


Tipos de linhas:

10. Trace à mão livre, nos espaços correspondentes do quadro abaixo, os tipos das
linhas utilizadas para cada caso.

11. Numere nos círculos do desenho os tipos de linhas, de acordo com o quadro
acima.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 11


Projeções Ortogonais

NBR 10067- PRINCÍPIOS GERAIS DE REPRESENTAÇÃO EM DESENHO


TÉCNICO- Esta Norma fixa a forma de representação aplicada em desenho técnico.
Como:
• Método de projeção ortográfica;
• Denominação das vistas: de acordo com a figura abaixo são os seguintes:
− vista frontal (a);
− vista superior (b);
− vista lateral esquerda (c);
− vista lateral direita (d);
− vista inferior (e);
− vista posterior (f).
• Posição relativa das vistas no 1º diedro, fixando a vista frontal (A) conforme as
figuras, as posições relativas das outras vistas são as seguintes:
− vista superior (B), posicionada abaixo;
− vista lateral esquerda (C), posicionada à direita;
− vista lateral direita (D), posicionada à esquerda;
− vista inferior (E), posicionada acima;
− vista posterior (F), posicionada à direita ou à esquerda, conforme a
conveniência.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 12


Projeções Ortogonais

Exemplo 1:

Posição do observador para ver as vistas:

Lateral Esquerda
Frontal

Superior

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 13


Projeções Ortogonais

Exemplo 2:

Desenho Pronto:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 14


Projeções Ortogonais

12. Analise a perspectiva isométrica abaixo e assinale com um X o desenho técnico


correspondente.

13. Analise o modelo em perspectiva e seu desenho técnico. Depois, faça o que se
pede.
a) Escreva o nome da vista que está faltando: ...................................................
b) Represente, à mão livre, a vista que está faltando.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 15


Projeções Ortogonais

14. Identifique e enumere as projeções correspondentes a cada peça apresentada


em perspectiva.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 16


Projeções Ortogonais

15. Identifique e enumere as projeções correspondentes a cada peça apresentada


em perspectiva.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 17


Projeções Ortogonais

16. Analise as vistas ortográficas abaixo e assinale com um X a perspectiva


correspondente.

17. Analise a perspectiva isométrica abaixo e assinale com um X a alternativa que


contém as vistas ortográficas correspondentes.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 18


Projeções Ortogonais

18. Analise as vistas ortográficas abaixo e assinale com um X a alternativa que


corresponde ao mesmo modelo em perspectiva.

19. Faça a vista frontal, lateral esquerda e superior das seguintes peças,
representadas em perspectiva isométrica.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 19


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 20


Projeções Ortogonais

20. Complete as projeções.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 21


Projeções Ortogonais

21. Complete as projeções.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 22


Projeções Ortogonais

22. Complete as projeções.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 23


Projeções Ortogonais

23. Desenhe a vista que falta.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 24


Projeções Ortogonais

24. Faça a vista frontal, lateral esquerda e superior das seguintes peças,
representadas em perspectiva isométrica.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 25


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 26


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 27


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 28


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 29


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 30


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 31


Projeções Ortogonais

25. Desenhe as vistas essenciais das perspectivas apresentadas.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 32


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 33


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 34


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 35


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 36


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 37


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 38


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 39


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 40


Projeções Ortogonais

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 41


Perspectiva isométrica:

Perspectiva é a técnica de representar objetos e situações como eles são vistos na


realidade, de acordo com sua posição, forma e tamanho.
Pela perspectiva pode-se também ter a idéia do comprimento, da largura e da altura
daquilo que é representado.
Existem vários tipos de perspectivas:

Em desenho técnico, a perspectiva mais usada é a isométrica, as mesmas medidas


de comprimento, largura e altura do objeto. E podemos ver claramente três vistas do
desenho ao mesmo tempo.

Nos desenhos em perspectiva isométrica, os três eixos isométricos, formam entre si


ângulos de 120º. Os eixos oblíquos formam com os horizontais ângulos de 30º.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 42


Perspectiva isométrica:

Passos para o traçado da perspectiva isométrica

1º) Traçar os eixos isométricos. 2º) Marcar nesses eixos as medidas de


comprimento, largura e altura do
prisma.

3º) Traçar a face de frente do prisma. 4º) Traçar a face de cima do prisma.

5º) Traçar a face do lado do prisma. 6º) Apagar as linhas de construção e


reforçar o contorno.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 43


Perspectiva isométrica:

Traçado da perspectiva isométrica com detalhes oblíquos

Traçados da perspectiva isométrica com elementos arredondados

Traçado da perspectiva isométrica do círculo


O círculo em perspectiva isométrica tem sempre a forma de elipse.
Para representar a perspectiva isométrica do círculo, é necessário traçar antes um
quadrado auxiliar em perspectiva, na posição em que o círculo deve ser desenhado.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 44


Perspectiva isométrica:

Traçado da perspectiva do círculo

Traçado da perspectiva do cilindro

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 45


Perspectiva isométrica:

Traçado da perspectiva isométrica do cone

Outros exemplos do traçado da perspectiva isométrica

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 46


Perspectiva isométrica:

26. Ordene as fases do traçado da perspectiva isométrica do modelo, escrevendo de


1 a 5 nos círculos.

27. Esboce, na coluna da direita, a perspectiva isométrica do modelo representado


à esquerda.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 47


Perspectiva isométrica:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 48


Perspectiva isométrica:

28. Desenhe, à mão livre, a perspectiva cavaleira das peças abaixo:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 49


Perspectiva isométrica:

29. Escreva na resposta a letra correspondente à perspectiva correta.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 50


Perspectiva isométrica:

30. Escreva na resposta a letra correspondente à perspectiva correta.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 51


Perspectiva isométrica:

31. Escreva na resposta a letra correspondente à perspectiva correta.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 52


Perspectiva isométrica:

32. A partir das vistas essenciais desenhe a perspectiva isométrica correspondente:

a)

b)

c)

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 53


Perspectiva isométrica:

d)

e)

f)

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 54


Perspectiva isométrica:

g)

h)

i)

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 55


Perspectiva isométrica:

j)

l)

m)

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 56


Perspectiva isométrica:

n)

o)

p)

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 57


Perspectiva isométrica:

q)

r)

s)

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 58


Cortes e Seções:

CORTES
Em desenho técnico, o corte de uma peça é sempre imaginário. Ele permite ver as
partes internas da peça.

Na projeção em corte, a superfície imaginada cortada é preenchida com hachuras.

Qual dos desenhos a seguir é mais fácil de interpretar?

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 59


Cortes e Seções:

Os cortes podem ser representados em qualquer vista do desenho e são


classificados em:
• Corte Longitudinal Vertical;
• Corte Longitudinal Horizontal;
• Corte Transversal;

CORTE LONGITUDINAL VERTICAL

CORTE LONGITUDINAL HORIZONTAL

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 60


Cortes e Seções:

CORTE TRANSVERSAL

DESENHO COM VÁRIOS CORTES


Usado quando um corte não é suficiente para mostrar todos os elementos internos
da peça.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 61


Cortes e Seções:

CORTE EM DESVIO

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 62


Cortes e Seções:

MEIO CORTE
O meio-corte é empregado no desenho de peças simétricas no qual aparece
somente meia-vista em corte. O meio-corte apresenta a vantagem de indicar, em
uma só vista, as partes interna e externa da peça.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 63


Cortes e Seções:

CORTE PARCIAL
É utilizado para mostrar apenas uma parte interna do objeto ou peça, possibilitando
esclarecer pequenos detalhes.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 64


Cortes e Seções:

SEÇÕES TRAÇADAS FORA DAS VISTAS

OMISSÃO DE CORTE

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 65


Cortes e Seções:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 66


Cortes e Seções:

33. Desenhe as projeções ortogonais, o corte solicitado, a indicação do corte e


escreva também o tipo do corte:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 67


Cortes e Seções:

34. Desenhe a peça abaixo em duas vistas, aplicando corte composto.

35. Desenhe o meio corte da peça abaixo:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 68


Cortes e Seções:

36. Assinale com os desenhos técnicos em corte parcial.

37. Assinale com somente a alternativa que julgar correta.

38. Qual destes desenhos apresenta corte transversal?

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 69


Cortes e Seções:

39. Indique os cortes nos desenhos abaixo.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 70


Cortes e Seções:

40. Complete os exercícios à mão livre, de acordo com o exemplo.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 71


Cortes e Seções:

41. Desenhe as projeções, aplicando cortes indicados.


Observação: Furos e rasgos passantes.

Vista frontal em corte

Lateral em corte

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 72


Cortes e Seções:

42. Sombrear perspectivas e hachurar projeções.


Coluna A – As peças estão representadas em perspectiva.
Coluna B – Faça o sombreado das partes atingidas pelo corte.
Coluna C – Faça o hachurado à mão livre.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 73


Cortes e Seções:

43. Observe a perspectiva e desenhe as seções na projeção.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 74


Cortes e Seções:

44. Assinale somente a alternativa que representa corretamente o corte.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 75


Cortes e Seções:

45. Assinale somente a alternativa que representa corretamente o corte.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 76


Dimensionamento:

Cotas são numerais que indicam as medidas básicas da peça e as medidas de seus
elementos. As medidas básicas são: comprimento, largura e altura.

50 = comprimento 25 = largura 15= altura

Cuidados na cotagem
Ao cotar um desenho é necessário observar o seguinte:

Seta
errada
errada
errada
certa

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 77


Dimensionamento:

As cotas guardam uma pequena distancia acima das linhas de cota. As linhas auxiliares
também guardam uma pequena distância das vistas do desenho técnico.

Em desenho mecânico, normalmente a unidade de medida usada é o milímetro (mm), e é


dispensada a colocação do símbolo junto à cota. Quando se emprega outra unidade distinta
do milímetro (por exemplo, a polegada), coloca-se seu símbolo.

Observação

As cotas devem ser colocadas de modo que o desenho seja lido da esquerda para
direita e de baixo pra cima, paralelamente à dimensão cotada.

Cotas que indicam tamanho e cotas que indicam localização de elementos


Exemplo de peças com elementos:

Furo Saliência Rasgo passante Rasgo não passante

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 78


Dimensionamento:

Para fabricar peças como essas é necessário interpretar, além das cotas básicas, as cotas
dos elementos.

A cota 9 indica localização do furo em relação à altura da peça.


A cota 12 indica a localização do furo em relação ao comprimento da peça. As cotas 10 e 16
indicam o tamanho do furo.

Cotagem de peças simétricas


A utilização de linha de simetria em peças simétricas facilita e simplifica a cotagem,
conforme os exemplos abaixo.

Sem linha de simetria Com linha de simetria

Cotagem de diâmetros

Cotagem de

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 79


Dimensionamento:

raios

Quando a linha de cota está na posição inclinada, a cota acompanha a inclinação para
facilitar a leitura.

Porém, é preciso evitar a disposição das linhas de cota entre os setores hachurados e
inclinados de cerca de 30°.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 80


Dimensionamento:

Cotagem de elementos esféricos

Elementos esféricos são elementos em forma de esfera.

A cotagem dos elementos esféricos é feita pela medida de seus diâmetros ou de seus raios.

ESF = Esférico
∅ = Diâmetro
R = Raio

Cotagem de elementos angulares

Existem peças que têm elementos angulares. Elementos angulares são formados por
ângulos.

O ângulo é medido com o goniômetro pela sua abertura em graus. O goniômetro é


conhecido como transferidor.

A cotagem da abertura do elemento é feita em linha de cota curva, cujo centro é vértice do
ângulo cotado.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 81


Dimensionamento:

Cotagem de ângulos em peças cilíndricas

Cotagem de chanfros

O chanfro é a superfície oblíqua obtida pelo corte da aresta de duas superfícies que se
encontram.

Existem duas maneiras pelas quais os chanfros aparecem cotados: por meio de cotas
lineares e por meio de cotas lineares e angulares.
As cotas lineares indicam medidas de comprimento, largura e altura.

As cotas angulares indicam medidas de abertura de ângulos.


Cotas lineares
Cotas lineares e cotas angulares
Em peças planas ou cilíndricas, quando o chanfro está a 45° é possível simplificar a
cotagem.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 82


Dimensionamento:

Cotagem em espaços reduzidos


Para cotar em espaços reduzidos, é necessário colocar as cotas conforme os desenhos
abaixo. Quando não houver lugar para setas, estas serão substituídas por pequenos traços
oblíquos.

Cotagem por faces de referência

Na cotagem for faces de referência as medidas da peça são indicadas a partir das faces.

Cotagem em paralelo Cotagem aditiva

A cotagem por faces de referência ou por elemento de referência pode ser executada como
cotagem em paralelo ou cotagem aditiva.
Cotagem de furos espaçados igualmente

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 83


Dimensionamento:

Existem peças com furos que têm a mesma distância entre seus centros, isto é, furos
espaçados igualmente.

A cotagem da distância entre centros de furos pode ser feita por cotas lineares e por cotas
angulares.

Cotagem linear

Cotagem linear e angular

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 84


Dimensionamento:

Quando não causarem dúvidas, o desenho e a cotagem podem ser simplificados.

Desenho e cotagem simplificados

Desenho e cotagem simplificados

Indicações especiais

Cotagem de cordas, arcos e ângulos.

As cotas de cordas, arcos e ângulos devem ser indicadas como nos exemplos abaixo.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 85


Dimensionamento:

Raio definido por outras cotas


O raio deve ser indicado com o símbolo R sem cota quanto o seu tamanho for definido por
outras cotas.

Cotas fora de escala


As cotas fora de escala nas linhas de cota sem interrupção devem ser sublinhadas com
linha reta com a mesma largura da linha do algarismo.

Cotagem de uma área ou comprimento limitado de uma superfície, para indicar uma
situação especial.
A área ou o comprimento e sua localização são indicados por meio da linha traço e ponto
larga, desenhada adjacente à face correspondente.

Cotagem de peças com faces ou elementos inclinados


Existem peças que têm faces ou elementos inclinados.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 86


Dimensionamento:

Nos desenhos técnicos de peças com faces ou elementos inclinados, a relação de


inclinação deve ser indicada.

A relação de inclinação 1:10 indica que a cada 10 milímetros do comprimento da peça,


diminui-se um milímetro da altura.
Como a relação de inclinação vem indicada no desenho técnico, não é necessário que a
outra cota de altura da peça apareça.
Outros exemplos a seguir.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 87


Dimensionamento:

Cotagem com peças cônicas ou com elementos cônicos


Existem peças cônicas ou com elementos cônicos.

Nos desenhos técnicos de peças como estas, a relação de conicidade deve estar indicada.
A relação de conicidade 1:20 indica que a cada 20 milímetros do comprimento da peça,
diminui-se um milímetro do diâmetro.

Outros exemplos:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 88


Dimensionamento:

46- Analise o desenho técnico abaixo e responda às questões a seguir.

a) Escreva dentro dos parênteses as letras correspondentes a cada elemento de


cotagem.
( ) Linha de cota
( ) Linha auxiliar de cota
( ) Cota

b) Escreva as cotas básicas de: comprimento:___________________


altura: __________________ largura: ______________________

c) Escreva as cotas básicas que determinam o tamanho do rasgo: ____ e ____.

d) Escreva a cota que determina a localização do rasgo: _____.

e) Escreva as cotas que determinam o tamanho do rebaixo: _____ e _____.

47- Complete as frases, escrevendo as palavras faltantes sobre as linhas indicadas.


a) As linhas auxiliares de cota não encostam nas linhas do .
b) A linha de encosta na linha auxiliar de cota.
c) A linha ultrapassa a linha de cota.
d) A não encosta na linha de cota.
e) A linha de é uma linha e tem setas nas extremidades.
f) Na linha de cota vertical a cota deve ser escrita de baixo para e ao lado
da linha de cota.
g) Na linha de cota horizontal a cota deve ser escrita da para a
e sobre a linha de cota.

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 89


Dimensionamento:

48- Faça o detalhamento das peças que seguem (vistas, cortes e dimensionamento):

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 90


Dimensionamento:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 91


Dimensionamento:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 92


Dimensionamento:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 93


Dimensionamento:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 94


Dimensionamento:

49- Escreva, nas linhas indicadas, a rugosidade das peças em sua grandeza
máxima, conforme o exemplo a.

50- Analise o desenho técnico e responda às perguntas a seguir.

Que classe de rugosidade a maioria das superfícies da peça deverá


a)
receber?

b) Que outras classes de rugosidade a peça deverá receber?

c) Que tratamento a peça deverá receber?

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 95


Dimensionamento:

51- Desenhe uma vista do eixo de três corpos cilíndricos e um cônico.

Observação
Faça a cotagem e indique os acabamentos.
Acabamento geral = N9
Corpo cônico = N5 retificado

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 96


Dimensionamento:

52- Desenhe em uma vista do punção de bico.

Observação
Faça a cotagem e indique os acabamentos.
Acabamento geral = N10
Superfície de ∅12 = recartilhado oblíquo cruzado P1
Ponta de 60° = temperado

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 97


Elementos de Máquina:

SENAI – CETEMP Desenho Técnico 1 98