Você está na página 1de 10

Interpretação de Texto - Concurso

A leitura é o meio mais importante para chegarmos ao conhecimento, portanto, precisamos aprender a ler
e não apenas “passar os olhos sobre algum texto”. Ler, na verdade, é dar sentido à vida e ao mundo, é
dominar a riqueza de qualquer texto, seja literário, informativo, persuasivo, narrativo, enfim possibilidades
que se misturam e as tornam infinitas. É preciso, para uma boa leitura, exercitar-se na arte de pensar, de
captar ideias, de investigar as palavras... Para isso, devemos entender primeiro algumas definições
importantes:

• O que é texto?

O texto (do latim textum: tecido) é uma unidade básica de organização e transmissão de idéias, conceitos
e informações de modo geral. Em sentido amplo, uma escultura, um quadro, um símbolo, um sinal de
trânsito, uma foto, um filme, uma novela de televisão também são formas textuais.

• O que é interlocutor?

É a pessoa a quem o texto se dirige.

TEXTO-MODELO:

“Não é preciso muito para sentir ciúme. Bastam três – você, uma pessoa amada e uma intrusa. Por isso
todo mundo sente. Se sua amiga disser que não, está mentindo ou se enganando. Quem agüenta ver o
namorado conversando todo animado com outra menina sem sentir uma pontinha de não-sei-o-quê? (...)
É normal você querer o máximo de atenção do seu namorado, das suas amigas, dos seus pais. Eles são
a parte mais importante da sua vida.”
(Revista Capricho)

1) Considerando o texto-modelo, é possível identificar quem é o seu interlocutor preferencial?


2) Quais são as informações (explícitas ou não) que permitem a você identificar o interlocutor preferencial
do texto?
Observações importantes!

• É extremamente importante considerarmos o contexto no momento da interpretação textual. Em


alguns casos, sem conhecê-lo, estaremos simplesmente impossibilitados de compreender a
intenção do autor ao produzir um texto.

• A interação com o mundo que nos cerca, através da leitura de jornais, revistas, livros etc..., é
fator relevante para compreender alguns textos, pois a falta de informação do que acontece ao
nosso redor, torna-se impedimento para compreensão de determinados textos.

9 Dicas para uma melhor leitura:

01) Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do assunto;
02) Se encontrar palavras desconhecidas, não interrompa a leitura;
03) Ler, ler bem, ler profundamente, ou seja, ler o texto pelo menos duas vezes;
04) Inferir;
05) Voltar ao texto tantas quantas vezes precisar;
06) Não permitir que prevaleçam suas idéias sobre as do autor;
07) Fragmentar o texto (parágrafos, partes) para melhor compreensão;
08) Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de cada questão;
09) O autor defende idéias e você deve percebê-las;

Exercícios:

TEXTO I
“RIO - Com dois gols de um iluminado Robinho, que entrou na segunda etapa, o Real Madrid derrotou o
Recreativo por 3 a 2, fora de casa, em partida da 26ª rodada do Campeonato Espanhol. Raúl fez o outro
gol do time de Madri, com Cáceres e Martins marcando para os anfitriões. O Real vinha de duas derrotas
consecutivas na competição, justamente as partidas em que o craque brasileiro, machucado, esteve fora.”
(O Globo on line – 02/03/08)

1) Qual é o interlocutor preferencial e as informações que permitem você identificar o interlocutor


preferencial do texto?
TEXTO II

“O cantor Jerry Adriani interpreta sucessos do disco Forza Sempre, além de versões em italiano de
canções do grupo Legião Urbana e do cantor Raul Seixas. O show acontece hoje no palco da Sala Baden
Powell.”

O Globo on line – 02/03/08

1) Qual é o interlocutor preferencial e as informações que permitem você identificar o interlocutor


preferencial do texto?

TEXTO III
O problema ecológico

Se uma nave extraterrestre invadisse o espaço aéreo da Terra, com certeza seus tripulantes diriam que
neste planeta não habita uma civilização inteligente, tamanho é o grau de destruição dos recursos
naturais. Essas são palavras de um renomado cientista americano. Apesar dos avanços obtidos, a
humanidade ainda não descobriu os valores fundamentais da existência. O que chamamos
orgulhosamente de civilização nada mais é do que uma agressão às coisas naturais. A grosso modo, a tal
civilização significa a devastação das florestas, a poluição dos rios, o envenenamento das terras e a
deterioração da qualidade do ar. O que chamamos de progresso não passa de uma degradação
deliberada e sistemática que o homem vem promovendo há muito tempo, uma autêntica guerra contra a
natureza.
Afrânio Primo. Jornal Madhva (adaptado).

1) Segundo o Texto II, o cientista americano está preocupado com:

(A) a vida neste planeta.


(B) a qualidade do espaço aéreo.
(C) o que pensam os extraterrestres.
(D) o seu prestígio no mundo.
(E) os seres de outro planeta.

2) Para o autor, a humanidade:


(A) demonstra ser muito inteligente.

(B) ouve as palavras do cientista.


(C) age contra sua própria existência.
(D) preserva os recursos naturais.
(E) valoriza a existência sadia.

3) Da maneira como o assunto é tratado no Texto II, é correto afirmar que o meio ambiente está
degradado porque:

(A) a destruição é inevitável.

(B) a civilização o está destruindo.


(C) a humanidade preserva sua existência.
(D) as guerras são o principal agente da destruição.
(E) os recursos para mantê-lo não são suficientes.

4) A afirmação: “Essas são palavras de um renomado cientista americano.” (l. 4 - 5) quer dizer que o
cientista é:

(A) inimigo.

(B) velho.
(C) estranho.
(D) famoso.
(E) desconhecido.

5) teria mais saúde.

Se o homem cuidar da natureza _______ mais saúde.A forma verbal que completa corretamente a lacuna
é:

(A) teve.
(B) tivera.
(C) têm.
(D) tinha.
(E) terá.

Queridos, eis o gabarito da aula de interpretação de texto postada anteriormente.

Texto- modelo
1. Um leitor jovem.
2. Do contexto podemos extrair indícios do interlocutor preferencial do texto: uma jovem adolescente, que
pode ser acometida pelo ciúme. Observa-se ainda , que a revista Capricho tem como público-alvo
preferencial: meninas adolescentes.
A linguagem informal típica dos adolescentes.

TEXTO I

1. Leitores que gostem de futebol.


A linguagem peculiar desse tipo de texto: partida, fora de casa, campeonato, rodada etc.
Além dos nomes de times e o conhecimento sobre a estrutura de um campeonato.

TEXTO II

1. Fãs do cantor Jerry Adriani.


Ao interlocutor é necessário o conhecimento da carreira do cantor.

TEXTO III
1. A
2. C
3. B
4. D
5. E

TIPOLOGIA TEXTUAL

1) DESCRIÇÃO: é descrever um objeto, uma pessoa, um lugar. Requer observação cuidadosa, para
tornar o que vai ser descrito em um modelo inconfundível, porém, não se trata de enumerar uma série de
elementos, mas transmitir sensações, sentimentos. É criar o que não se vê, mas se percebe ou imagina;
é não copiar friamente uma imagem, mas deixá-la rica, pois o ser e o ambiente são aspectos
importantíssimos na descrição.
Existem duas possibilidades de descrição:

a) Descrição objetiva: quando o objeto, o ser, a cena, são apresentadas no seu sentido real. Exemplo:
"Sua altura é 1,85m. Seu peso, 70Kg. Aparência atlética, ombros largos, pele bronzeada. Moreno, olhos
negros, cabelos negros e lisos".

b) Descrição subjetiva: quando há maior participação da emoção, ou seja, quando o objeto, o ser, a cena,
a paisagem são apresentados em sentido figurado. Exemplo: "Nas ocasiões de aparato é que se podia
tomar pulso ao homem. Não só as condecorações gritavam-lhe no peito como uma couraça de grilos.
Ateneu! Ateneu! Aristarco todo era um anúncio; os gestos, calmos, soberanos, calmos, eram de um rei..."
("O Ateneu", Raul Pompéia)

• Estrutura:

a) Introdução: a perspectiva do observador focaliza o ser ou objeto e distingue seus aspectos gerais.

b) Desenvolvimento: capta os elementos numa ordem coerente com a disposição em que eles se
encontram no espaço, caracterizando-os objetiva e subjetivamente, física e psicologicamente.

c) Conclusão: não há um procedimento específico para conclusão. Considera-se concluído o texto


quando se completa a caracterização.
• Características:

a) Presença de Substantivos e Adjetivos.

O dia transcorria amarelo, frio, ausente do calor alegre do sol.

b) Frases curtas dão um tom de rapidez ao texto.

Vida simples. Roupa simples. Tudo simples. O pessoal, muito crente.

c) Sensibilidade para combinar e transmitir sensações física (cores, formas, sons, gestos, odores) e
psicológicas (impressões subjetivas, comportamentos).

d) Verbos de estado

e) Linguagem metafórica

Exemplos:

Darcy Ribeiro (fragmento)

Um dos mais brilhantes cidadãos brasileiros, Darcy Ribeiro provou ao mundo que um homem de nada
mais precisa além da coragem e da força de vontade para modificar aquilo que, por covardia,
simplesmente ignoramos. Ouvi-lo, mesmo que por alguns instantes, nos levava a conhecer sua sabedoria
e simplicidade, era um verdadeiro intelectual cuja convivência com os índios o fez adquirir invejável
formação humanística.
Darcy tinha a pele clara, olhos negros e curiosos, lábios finos e trazia em seu rosto marcas de quem já
deixou sua marca na história, as quais harmoniosamente faziam-lhe inspirar profunda confiança. Apesar
de diabético e lutar contra dois cânceres, não fez disso desculpa para o comodismo ante os seus ideais
maiores, ele sabia o que queria, e não mediu esforço para conseguir.

Descrição de Objeto – Clarinete (fragmento)

Um elemento clássico e imprescindível num concerto, o clarinete, com seu timbre aveludado, é o
instrumento de sopro de maior extensão sonora, pelo que ocupa na banda de música o lugar do violino
na orquestra.
O clarinete que possuo foi obtido após o meu nascimento, doado como presente de aniversário por meu
bisavô, um velho músico, do qual carrego o nome sem tê-lo conhecido. O clarinete é feito de madeira,
possui um tubo predominantemente cilíndrico formado por cinco partes dependentes entre si, em cujo
encaixe prevalece a cortiça, além das chaves e anéis de junção das partes, de meta. Sua embocadura é
de marfim com dois parafusos de regulagem, os quais fixam a palheta bucal.
Sua cor é confundivelmente marrom, havendo partes em que se encontra urna sensível passagem entre
o castanho-claro e o escuro. Possuindo cerca de oitenta centímetros e pesando aproximadamente
quatrocentos gramas, é facilmente desmontável, o que lhe confere a propriedade de caber numa caixinha
de quarenta e cinco centímetros de comprimento e dez de largura...

NARRAÇÃO
NARRAÇÃO: narrar é relatar fatos e acontecimentos, reais ou fictícios, vividos por indivíduos, envolvendo
ação e movimento.

• Estrutura:

a) Introdução: apresenta as personagens, localizando-as no tempo e no espaço.


b) Desenvolvimento: através das ações das personagens, constrói-se a trama e o suspense que culmina
no clímax.
c) Conclusão: existem várias maneiras de se concluir uma narração, por exemplo, esclarecer a trama.

• Características:

a) Verbos de ação, discursos direto, indireto e indireto livre.


b) Imaginação para compor uma história cativante que entretenha o leitor, provocando expectativa. Pode
ser romântica, dramática ou humorística.
c) A narrativa deve tentar elucidar os acontecimentos, respondendo às seguintes perguntas essenciais:

• O QUÊ? - o(s) fato(s) que determina(n) a história;


• QUEM? - a personagem ou personagens;
• COMO? - o enredo, o modo como se tecem os fatos;
• ONDE? - o lugar ou lugares da ocorrência
• QUANDO? - o momento ou momentos em que se passam os fatos;
• POR QUÊ? - a causa do acontecimento.

• Exemplos:

Além do espelho, lembranças.


Um dia, quando encerrava meu trabalho, fixei a atenção em um simples objeto da minha sala. Caminhei,
paulatinamente, ao seu encontro e, à medida que me aproximava, sentia meu ego explodir em sensações
indescritíveis.
Ali, diante dele, parei. Meu reflexo testemunhava as marcas do passado e trazia, à tona, as lembranças
da infância e da adolescência. As imagens, agora, misturavam-se, comprometendo minha lucidez. Senti
meu corpo flutuar e minha visão apagar-se, de forma que eu me concentrava em recordações, apenas.
Assim, momentos depois, revia meus irmãos e vizinhos correndo em volta da mesa, mamãe fazendo o
jantar, papai,lendo o jornal, os cães brincando no jardim e, também, meus amigos de colégio, antigos
casos amorosos.
Recuperei o bom senso, por um instante, mas não durou mais que isso, pois, novamente, brotam outros
pensamentos: o nascimento dos filhos e a ascensão profissional.
Minutos depois, tudo acabara. Diante de mim havia só um espelho, cujo reflexo já não era de um cenário
fantasioso de minha mente.

• DISSERTAÇÃO: dissertar é apresentar ideias, analisá-las, é estabelecer um ponto de vista


baseado em argumentos lógicos; é estabelecer relações de causa e efeito. Aqui não basta
expor, narrar ou descrever, é necessário explanar e explicar.

O raciocínio é que deve imperar neste tipo de composição, e quanto maior a fundamentação
argumentativa, mais brilhante será o desempenho.
• Estrutura:

a) Introdução: consiste na proposição do tema, da idéia principal, apresentada de modo a sugerir o


desenvolvimento.

b) Desenvolvimento: consiste no desenvolvimento da matéria, isto é, discutir e avaliar as ideias em torno


do assunto permitindo uma conclusão.

c) Conclusão: pode ser feita por uma síntese das idéias discutidas no desenvolvimento. É o resultado
final.

• Exigências para uma boa dissertação:

a) Conhecimento do assunto (adquirido através da leitura, da observação de fatos, do diálogo, etc.);


b) Reflexões sobre o tema, procurando descobrir boas ideias e conclusões acertadas;
c) Registrar ideias fundamentais numa sequência;
d) Acrescentar o que faltar, ou suprimir o que for supérfluo, desnecessário;
e) Desenvolvimento do plano com clareza e correção, mantendo sempre fidelidade ao tema.

=> Texto Narrativo (sequência de fatos)

• Conta como aconteceu, acontece ou acontecerá algo (real ou imaginário);


• É necessário uma introdução, um clímax e um desfecho;
• O enredo é prioridade;
• Fundamental é situar o tempo e o espaço físico onde ocorrem os fatos;
• Dar preferência ao verbo de ação, ao dinamismo, para tornar mais viva a narrativa;
• O pretérito perfeito e o mais-que-perfeito do indicativo predominam na narrativa;
• O autor adota a postura de narrador.

=> Texto Descritivo (sequência de aspectos)

• Descreve como é um objeto, uma pessoa, uma paisagem, uma cena...;


• Apresenta o cheiro, a cor, as sensações como aspectos importantes;
• A finalidade da descrição é fazer ver e sentir;
• O presente do indicativo e/ou pretérito imperfeito do indicativo predominam na descrição;
• Os adjetivos estão sempre presentes no texto;
• O autor adota a postura de observador.

=> Texto Dissertativo (sequência de análises)

• Texto objetivo;
• Convence o leitor por meio de fatos, dados estatísticos, citações, publicações...;
• O predomínio verbal é o presente do indicativo e do subjuntivo;
• O autor adota a postura de argumentador.

Exercícios

1. (EV) Sobre o texto narrativo, pode-se afirmar:


a) A estrutura textual é semelhante ao texto descritivo
b) A postura do autor é de argumentador
c) Há, exaustivamente, o uso de presente do indicativo.
d) Não apresenta clímax em sua estrutura
e) O enredo é prioritário

2. (EV) O predomínio de adjetivações é comumente encontrado no texto:


a) Narrativo
b) Informativo
c) Descritivo
d) Dissertativo
e) Epistolar

3. (EV) Duas características são representativas do modo de organização dissertativa, assinale-as:

a) Introdução e clímax
b) Argumentação e sensação
c) Seqüência de fatos e de aspectos
d) Verbos de ação e objetividade
e) Convencimento e descrição

4. (EV) Leia o texto a seguir:

Parceria Reeditada

"Viviane Pasmanter estreou na TV em 91, na novela “Felicidade”, de Manoel Calos, dirigida por Denise
Saraceni. Ela deverá voltar a trabalhar com Denise em “Ciranda de pedra”, nova novela das 18h".
O Globo 08/02/08

A opção que melhor justifica o título do texto é:

a) o fato de Viviane Pasmanter ter estreado na TV em 1991.


b) de a atriz ter sido dirigida por Denise Saraceni.
c) por ter trabalhado com Denise Saraceni na novela “Felicidade”
d) por ter trabalhado com Denise Saraceni em “Felicidade” e trabalhar novamente com ela em “Ciranda
de pedra”.
e) Viviane Pasmanter trabalhar em uma novela de Manoel Carlos.

5. (EV) O verbo estrear aparece conjugado no texto (estreou). Indique o modo e o tempo a que pertence
este verbo.
a) indicativo / presente
b) subjuntivo / pretérito imperfeito
c) indicativo / pretérito imperfeito
d) indicativo / pretérito perfeito
e) imperativo / afirmativo
6.(EV) O uso das aspas em alguns vocábulos do texto é justificado por/pela:

a) sempre se usa com os substantivos.


b) participação de Viviane em novelas da TV Globo.
c) não estar empregada em seu sentido original
d) participar duas vezes de novelas dirigidas por Denise Saraceni.
e) ser o nome da novela, por isso o uso das aspas.

7.(EV) No segmento: “Ela deverá voltar a trabalhar...”. O elemento sublinhado é classificado


morfologicamente por:
a) artigo
b) preposição
c) pronome
d) advérbio
e) substantivo

8. (EV) “Ela deverá voltar a trabalhar com Denise...” O segmento destacado é classificado sintaticamente
como:
a) Adjunto adverbial de modo
b) Adjunto adverbial de companhia
c) Adjunto adverbial de lugar
d) Adjunto adverbial de negação
e) Adjunto adverbial de pessoa

9. (EV) “Ela deverá voltar...”. A locução verbal pode ser substituída, sem alteração semântica, por um
verbo simples, assinale-o:
a) volta
b) voltaria
c) voltará
d) poderá voltar
e) voltou

10. (EV) “Viviane Pasmanter estreou na TV...”. Nesse período o verbo “estreou” concorda com seu sujeito
“ Viviane Pasmanter”, marque a alternativa em que tal concordância NÃO ocorre:

a) A atriz se atrasou para a peça.


b) Roberto Carlos cantou no Canecão.
c) Dá-se aulas de Língua portuguesa.
d) Edson Celulari ainda é fiel a Claudia Raia.
e) Suzana Vieira desfilou no carnaval.

11. Leia o texto a seguir:


Para fazer uma boa compra no ramo imobiliário, não basta ter dinheiro na mão. É imprescindível que o
comprador seja frio, calculista e bem informado. Na hora de comprar um imóvel, a emoção é um dos
maiores inimigos de um bom negócio. Assim, por mais que se goste de uma casa, convém manter
sempre um certo ar de contrariedade. Se o vendedor perceber qualquer sinal de emoção, isso poderá
custar dinheiro ao comprador. Não é por outra razão que quem compra para especular ou apenas para
investir costuma conseguir um melhor negócio do que quem está à procura de um lugar para morar.

Segundo o texto:
a) Os vendedores, via de regra, buscam ludibriar os compradores, e vice-versa.
b) O vendedor costuma aumentar o preço do imóvel quando o comprador não está bem informado sobre
o mercado de valores.
c) O mercado imobiliário oferece bons investimentos apenas para quem pretende especular.
d) No ramo imobiliário, uma atitude que aparente indiferença pode propiciar negócio mais vantajoso para
o comprador.
e) No mercado imobiliário, o comprador realiza melhor negócio adquirindo uma propriedade de que não
tenha gostado muito.

12. Segundo o mesmo texto:


a) Quanto maior a disponibilidade financeira do comprador, maior a probabilidade de sucesso no negócio
imobiliário.
b) Disponibilidade econômica não é o único fator que possibilita a realização de um bom negócio.
c) O vendedor, por preferir negociar com investidores, desfavorece o comprador da casa própria.
d) Gostar de uma casa é psicologicamente importante em qualquer tipo de compra, seja ela para
residência ou para investimento.
e) O mercado imobiliário oferece oportunidades mais seguras para o investidor que para o especulador.
GABARITO
1. E
2. C
3. D
4. D
5. D
6. E
7. B
8. B
9. C
10. C
11. D
12. B