Você está na página 1de 5

DERIVAÇÃO IMPLÍCITA

As funções encontradas até agora podem ser descritas expressando-se uma


variável explicitamente em termos de outra.

Por exemplo,

y= x 3 + 1 ou y = x  senx

ou, em geral, y = f (x). Algumas funções, entretanto, são definidas implicitamente por
uma relação entre x e y, tais como:

x 2 + y 2 = 25 (1)

ou

x 3 + y 3 = 6 xy (2)

Em alguns casos é possível resolver tal equação isolando y como uma função
explícita (ou diversas funções) de x. Por exemplo, se resolvermos a Equação 1 para y,

obtemos y =  25 − x 2 ; logo, duas das funções determinadas pela Equação 1

implícita são f ( x ) = 25 − x 2 e g( x ) = − 25 − x 2 .

Os gráficos de f e g são os semicírculos superior e inferior do círculo

x 2 + y 2 = 25 (veja a Figura 1).


Não é fácil resolver a Equação 2 e escrever y explicitamente como uma função de
x à mão. Contudo, é a equação de uma curva chamada fólio de Descartes, mostrada na
Figura 2, e implicitamente define y como diversas funções de x.

Quando dizemos que f é uma função implicitamente definida pela Equação 2,


queremos dizer que a equação

x 3 +  f ( x ) = 6 xf ( x )
3

é verdadeira para todos os valores de x no domínio de f .


Felizmente, não precisamos resolver uma equação para y em termos de x para
encontrar a derivada de y. Em vez disso, podemos usar o método de derivação implícita.
Isso consiste na derivação de ambos os lados da equação em relação a x e, então, na
resolução da equação para y. Nos exemplos e exercícios desta seção, suponha sempre
que a equação dada determine y implicitamente como uma função derivável de x de
forma que o método da derivação implícita possa ser aplicado.

Exemplo 1:

dy
a. Se x + y = 25 , encontre
2 2

dx
b. Encontre uma equação da tangente ao círculo x + y = 25 no ponto (3,4)
2 2

Solução:

a. Derivando implicitamente ambos os lados da equação x + y = 25 temos:


2 2

d
dx
( x 2 + y 2 ) = (25)  ( x 2 ) + ( y 2 ) = 0
d
dx
d
dx
d
dx

lembrando que y é uma função de x e usando a Regra da Cadeia temos:

d 2 d dy dy
( y ) = ( y2 )  = 2y .
dx dy dx dx

Logo :
dy
2x + 2 y  =0
dx

dy
Agora isole nessa equação:
dx
dy x
=−
dx y
b. No ponto (3,4) temos x = 3 e y = 4 , logo
dy 3
=−
dx 4

Uma equação da reta tangente ao círculo x + y = 25 no ponto (3,4) é,


2 2

portanto:

3
y − 4 = −  ( x − 3)  4 y − 16 = −3 x + 9  3 x + 4 y = 25
4

dy
Exemplo 2: Se x 3 + y 3 = 6 xy . Encontre .
dx

Derivando implicitamente ambos os membros da equação dada em relação a x temos:

d
dx
( x3 + y3 ) =
d
dx
( 6 xy )
 d 
d
dx
( x 3 ) + ( y 3 ) = 6.  ( x )  y + x  ( y ) 
d
dx  dx
d
dx 
dy  dy 
3 x2 + 3 y2 = 6 y + x  
dx  dx 
dy  dy 
x2 + y2 = 2 y + x  
dx  dx 
dy dy
y2 − 2x  = 2 y − x2
dx dx
dy 2 y − x 2
 ( y − 2x) = 2 y − x 
dy 2 2
=
dx dx y 2 − 2 x
Exercícios

dy
Encontre por diferenciação implícita
dx

1. x 2 − 4 xy + y 2 = 4

2. 2 x 2 + xy − y 2 = 2

3. x 4 + x 2 y 2 − y 3 = 5

4. x 3 − xy 2 + y 3 = 1

5. x 4 ( x + y ) = y 2 ( 3 x − y )

6. x 2 y 2 + x  seny = 4

7. x + y = x4 + y4
8. e y senx = x + xy
9. x  seny + y  senx = 1

Use a derivação implícita para encontrar uma equação da reta tangente à curva no
ponto dado.

  
10. ysen2 x = x cos 2 y ,  2,4
 
11. x 2 + xy + y 2 = 3, (1,1) (elipse)
12. x 2 − xy − y 2 = 1, (2,1) (hipérbole)
13. x 2 + 2 xy − 4 y 2 = 12, (2,1) (elipse)
14. 2  ( x 2 + y 2 )2 = 25( x 2 − y 2 ), (3,1) (lemniscata)