Você está na página 1de 2

Cabo Verde

6 • P2 • Quinta-feira 7 Abril 2011

escolheu pôr “a semente na terra”


Quando se tratou de dar mais formação aos enfermeiros, Cabo Verde enfrentou o “dilema do
camponês, que não sabe se põe a semente na terra ou na panela”. Havia quem achasse que
eles faziam falta no terreno, não nas aulas. Venceu a lógica da terra. Num país que, apesar
das carências humanas e materiais, tem progredido na saúde, eles querem ir mais longe e
prometem actualizar práticas, fazer novas investigações, e aprovar a lei que regule a profissão.
Por Maria João Lopes, em Cabo Verde

a Língua-de-vaca para a febre e Maria José Pereira, enfermeira pela primeira vez, em Outubro de dinheiro, mas neste momento Internacional de Enfermagem, é que
dores de estômago. Alecrim-brabo responsável pelo banco de 2008 e repetiu a experiência em tem outros objectivos, como cada país tenha o seu regulamento
para as dores musculares. Aipo- urgência de pediatria do Hospital Março. Nessa altura, o Governo contribuir para estender o ensino profissional, uma lei. Dos PALOP,
rotcha para a dor de cabeça e Agostinho Neto – um dos dois português assinou um protocolo da enfermagem a países onde isso só Angola é que tem”, diz Ana
problemas de menstruação. Para as hospitais centrais de Cabo Verde, que permite que professores possa fazer a diferença: “Acredito Albuquerque Queiroz.
doenças do útero e fracturas ósseas, situado na capital, cidade da Praia portugueses doutorados, de que a enfermagem é central para o Até agora, o que existia em
há folhas da árvore marmulano. E –, conta, porém, que já houve qualquer área, permaneçam desenvolvimento dos países”, diz. Cabo Verde, onde há cerca de 500
para combater a falta de apetite nos casos de crianças que morreram durante um período que pode ir até Mas porquê uma licenciatura se enfermeiros, era um curso técnico.
animais, há quem garanta que a erva por causa de remédios caseiros um ano. Novamente em Outubro, há países, como a Bélgica, a França, A Uni-CV, a única pública do país,
sabão de feiticeira é bom remédio. desconhecidos: “Tivemos aqui mas de 2009, voltou a partir. a Espanha e a Itália, onde o ensino criada em 2006, abriu não só a
Mas para todas estas e outras crianças com gastroenterites que Ficará, pelo menos, até ao final da enfermagem é sobretudo feito primeira licenciatura (que também
doenças, Mafaldo Amarante, cabo- nunca se chegou a saber bem o que do ano. Depois está em aberto. em bacharelatos? A docente admite já existe no ensino privado), mas
verdiano de 75 anos, só usa uma se passou, porque ninguém diz Esteja onde estiver, gostava de que o que interessa é aprofundar ainda uma formação complementar
planta: aloé vera. Até sida e cancro o que é [dado às crianças]. Antes estar presente quando, em Julho as competências dos enfermeiros, que permite a quem fez o curso
garante já ter curado. de morrerem, vomitam escuro, as 2012, os primeiros licenciados em sobretudo em países como Cabo profissional ficar licenciado.
Em cima da mesa, numa sala fezes são escuras e a criança fica Enfermagem do país receberem Verde, em que estes profissionais Foi em 2008. Nessa altura, havia
meia abandonada que usa como dura, dura, dura… Morreu um o diploma. A Portugal não deve têm que estar preparados para sete enfermeiros licenciados no país,
refúgio, na Calheta, interior da ilha bebé de seis meses e uma criança regressar, já pediu a aposentação. inúmeras situações, como fazer que tinham estudado no estrangeiro.
de Santiago, há vários papéis e, com cerca de dois anos. Podiam ter Como tem 57 anos e a reforma só partos – o que em Portugal só Agora, no terreno, há mais 100 que
pelo menos, dois livros: um Lunário sobrevivido, só não sobreviveram chegaria aos 65, vai perder algum acontece se forem especialistas em fizeram o curso de complemento. O
Perpétuo, com tudo o que precisa de por causa desse maldito ‘remédio saúde materna. reitor, Correia e Silva, conta que foi
saber sobre a lua e as estrelas, e O di terra’”. Já fez queixa à Polícia “A Organização Mundial de preciso “um esforço muito grande”:
Novo Guia do Aloés, que um familiar Judiciária, mas nunca soube o Saúde [OMS] preconiza para a “Tínhamos alunos de Santo Antão,
lhe comprou em Portugal. Mas já desfecho. região ocidental africana que os do Paul, que, mesmo quando não
antes deste livro conhecia o poder da Por isso, um grupo de três enfermeiros até possam prescrever estão a trabalhar, estão de chamada
planta. Não é feiticeiro ou bruxo, é professores de Enfermagem e dois Vocês vão ouvir que alguns medicamentos, que estão e não podem sair da sua localidade.
um entre os muitos curandeiros que de Ciências Sociais e Humanas da tipificados, antibióticos não, e fazer Isto criou-nos algumas tensões com
há em Cabo Verde. Universidade de Cabo Verde (Uni-
a enfermagem que pequenas cirurgias, como suturas, o Ministério da Saúde. Era o dilema
“Aprendi a curar sida, cancro, CV) decidiu que seria importante nós ensinamos é para que também se fazem nos centros do camponês que não sabe se põe
diabetes. Já curei umas 12 pessoas ir para o terreno, para várias ilhas, de saúde”, explica Odete Mota, a pequena semente na terra ou na
com sida”, diz. Não é só chegar e conhecer os curandeiros, ou, como Portugal, Estados cabo-verdiana de 27 anos, que panela. Nós estávamos a querer pôr
apanhar a planta: “O aloé deve ser também lhes chamam, mestres em Unidos e Suíça, e não estudou Enfermagem em Coimbra na terra.”
colhido antes do nascer do sol e medicina tradicional. e agora ensina na Uni-CV. Acredita Hoje em dia, já há médicos em
depois de ele se pôr. Durante o sol, o Uma das docentes é portuguesa, para Cabo Verde. Nós que é possível melhorar a saúde todas as ilhas, mas não em todas
remédio torna-se ineficaz”, explica. chama-se Ana Albuquerque Queiroz através do ensino aprofundado da as zonas: “Por isso, os enfermeiros
Para fazer o xarope junta-lhe mel, e está em Cabo Verde a colaborar na
temos que fazer a enfermagem: “As boas práticas dos continuam a ter um papel
água, conhaque, grogue, uísque… criação da primeira licenciatura em enfermagem de acordo enfermeiros vão influenciar muito a importantíssimo”, diz Sousa Santos,
Depende dos casos. O curandeiro, Enfermagem do país. É professora saúde da população. Sem dúvida.” director clínico do Hospital Baptista
que em tempos deu aulas na escola da Escola Superior de Enfermagem com a ciência e a arte de Sousa, no Mindelo, que, entre
primária, acredita que o aloé “limpa de Coimbra, que tem um protocolo no mundo” Dilema do camponês 1987 e 1993, chegou a ser o único
tudo do cérebro à ponta dos pés”. com a Uni-CV que prevê que a Em marcha está também a criação médico no Sal.
Claro que há ervas perigosas, universidade receba, regularmente, Ana Albuquerque Queiroz da lei que vai regular o exercício Sousa Santos estudou em Lisboa
reconhece, mas a planta, também duplas de professores de Coimbra da profissão: “Uma das metas da (não há curso de Medicina em Cabo
conhecida por “babosa”, nunca o durante cerca de três semanas. Ana Organização Mundial de Saúde, Verde) e passou por vários hospitais
deixou ficar mal. Albuquerque Queiroz embarcou, em conjunto com o Conselho portugueses: Santa Maria, São
P2 • Quinta-feira 7 Abril 2011 • 7
ANDRÉ JEGUNDO

Uma das estagiárias trata o pé de uma criança

José, Egas Moniz, Estefânia... “Em diabetes, hipertensão, colesterol, melhor lugar em África, atrás apenas madrugada num vaivém permanente orientar estágios. Pela frente há
Portugal, há outros meios auxiliares doenças oncológicas…”, enumera das Seychelles e da Maurícia. [para que não falte a água]. Quando duas horas de viagem. O enfermeiro
de diagnóstico e uma medicina o director do Hospital Baptista de Quanto à saúde materna, o há problemas na cidade, também Nélson Correia, também português,
mais diferenciada, por isso é que Sousa. Como a esperança de vida Relatório dos progressos realizados sofremos as consequências”, diz. fica no centro Pedra Badejo, em
os nossos doentes de oncologia, aumentou – 70 anos para os homens, para atingir os Objectivos do Os apagões no país são frequentes. Santa Cruz, onde há internamentos e
de neurocirurgia e cirurgia 75 para as mulheres –, é preciso dar Milénio, de 2009, aponta “para Outra prioridade era dotar o hospital se fazem partos.
cardiotorácica são evacuados para resposta a idosos com “múltiplas uma tendência de melhoria”, de uma unidade de cuidados Quando chega, veste a bata e
Portugal.” patologias”. embora “a prestação de cuidados intensivos. Há o espaço, falta equipá- dirige-se a uma sala onde já estão as
Ao mesmo tempo, continuam a ter de saúde materna no período lo. alunas Zilma Duarte e Maria Semedo.
Poucos médicos tuberculose, febre tifóide, infecções pré-natal” continue “deficitária” Vê mais de dez doentes: trata dedos
Em Cabo Verde, faltam respiratórias, doenças diarreicas nas zonas rurais, assim como “a Hora do estágio sem unhas, braços feridos por
neurocirurgiões. Não há (a última epidemia de cólera foi há presença de pessoal qualificado Lá fora, o vento característico da facadas, vidros alojados dentro
radioterapia. Nem ressonância cerca de 15 anos), e, no ano passado, na hora do parto”. A enfermeira estação, conhecida como tempo das da pele, crianças com a cabeça
magnética. Tomografia axial houve casos de dengue. Há uma superintendente do Hospital brisas ou da bruma seca, não pára. rachada, pés diabéticos, pernas com
computorizada (TAC) existe há três “dupla situação que cria dificuldades Agostinho Neto, Isabel Sanches, diz Os lençóis do hospital – poucos, uma úlceras… E vai enumerando o que
anos. Por ano, o país pode evacuar aos serviços de saúde”. que está para breve a abertura da vez que a maior parte das pessoas gostava de ter à mão, mas não tem:
para Portugal 300 doentes – em Por isso, defende Sousa Santos, é nova maternidade. Porém, apesar leva os seus de casa – secam ao ar ligaduras elásticas – as que há são de
2009, foram 341. De acordo com necessário “investir nos hospitais, dos avanços, há mulheres que, livre, por vezes soltam-se, caem no pano –, cola biológica que não deixa
o relatório de 2009 do Ministério em tecnologia mais avançada”, mesmo vivendo na capital e sendo chão. A lavandaria não funciona cicatriz e evita os pontos, tábuas de
da Saúde de Cabo Verde, as mas antes “resolver o problema familiares de dirigentes hospitalares, em condições, queixam-se os imobilização de madeira e não de
especialidades que registaram mais dos cuidados primários”: “A porta preferem dar à luz no estrangeiro. enfermeiros. São eles quem mais se cartão, como aquelas feitas a partir
evacuações foram cardiologia, de entrada para o serviço de Para além de dois hospitais queixa. Dizem que a assepsia não dos caixotes do soro… De Portugal,
cirurgia cardíaca, neurocirurgia, saúde continua a ser a urgência e centrais, há três regionais, vários é a ideal, que a esterilização devia levou algumas pomadas e pensos de
oncologia e ortopedia. devia ser o centro de saúde. Caso centros de saúde, e ainda unidades e passar a ser feita, em todos os sítios, plástico para os doentes poderem
Elizabete Alves, de 25 anos, contrário, vemos apenas o doente e postos sanitários. Foi há cerca de 10 por autoclave, não por estufa. tomar banho. Enquanto trabalha,
desempregada no Mindelo, recorda os seus episódios agudos, de forma anos que a rede foi alargada. Mas há Nas urgências pediátricas, o ar vai deitando as compressas usadas
que um primo, que teve um fragmentada”, diz. dificuldades de comunicação entre condicionado está avariado. Reparar e outros materiais para um balde.
problema num rim, morreu dois as ilhas: na Brava não há aeroporto equipamentos nem sempre é fácil, À excepção das seringas, que são
dias antes de ser evacuado. Diz que Bons indicadores e, com as limitações dos horários do por falta de mão-de-obra habilitada. colocadas numa caixa de cartão e,
esteve demasiado tempo à espera. Apesar das carências técnicas e da barco, não há garantias de se evacuar Há poucas ambulâncias, e as que depois, queimadas atrás do centro,
Djoy, “nominho” de Jercelino da falta de especialistas, Cabo Verde um paciente numa situação de existem não têm suporte básico de não há separação de lixo.
Luz, de 31 anos, também do Mindelo, tem progredido. No Índice de emergência. O Governo já prometeu vida. Ana Albuquerque Queiroz tem
conta que a irmã de 13 anos teve Desenvolvimento Humano, está helicópteros. Mas há sinais de mudança e, ao consciência das dificuldades que
uma infecção grave numa perna, no melhor lugar entre os estados Mesmo tendo em conta todas contrário da Urgência de pediatria, eles enfrentam no terreno, mas
resultante de uma queda, e só foi africanos de língua portuguesa e os as dificuldades, se o director do onde tudo tem um ar velho e não abdica do rigor: “Vocês vão
evacuada quando o pai, emigrante da Comunidade de Estados da África Hospital Agostinho Neto, Artur ferrugento, o hospital tem duas alas, ouvir que a enfermagem que nós
no Luxemburgo, regressou a Cabo Ocidental (no continente africano, Correia, tivesse dinheiro, as que ainda cheiram a novo: uma ensinamos é para Portugal, Estados
Verde e pagou a viagem. “Mas não ocupa o 11.º lugar). E os avanços primeiras medidas que tomaria para doentes oncológicos, onde já Unidos e Suíça, e não para Cabo
chegou a tempo, morreu em cima do também são visíveis na saúde. seria remodelar a rede eléctrica, de se faz quiomioterapia, e outra para Verde. Nós temos que fazer a
aeroporto.” Segundo dados da OMS, a taxa de esgotos e o abastecimento de água: consultas externas. enfermagem de acordo com a ciência
O país também enfrenta novos mortalidade infantil em menores de “Temos muitos constrangimentos, Às 7h00, o jipe pára em frente e a arte no mundo.” O que podem
desafios: “Houve alteração dos cinco anos era, em 1990, de 63,1 por é um stress permanente resolver do portão da Uni-CV, na Cidade da é depois, acrescenta, adequar esses
hábitos alimentares dos cabo- mil nados vivos, e, em 2009, desceu esses problemas, com 300 doentes Praia. Vai levar três professores de cuidados às condições que têm.
verdianos, passamos a ter patologias para 27,5. Neste indicador, Cabo internados todos os dias. Temos enfermagem a centros de saúde no Aqueles alunos sabem que vão ter
como doenças cardiovasculares, Verde ocupava, em 2010, o terceiro um camião que trabalha desde interior da ilha de Santiago, para que improvisar, o melhor possível.