Você está na página 1de 2

Plantação e tutoragem de arvores - 2007 - Página 1

Praticas
Praticas

Praticas

Praticas

Manual de Arborização Urbana Plantação e tutoragem de arvores

CONSELHOS E INSTRUÇÕES PARA PLANTAÇÃO DE ARVORES

Plantação e tutoragem de arvores

1) Correcção do Solo

Plantação e tutoragem de arvores 1) Correcção do Solo Fornecer á arvore material para que ela

Fornecer á arvore material para que ela possa elaborar os seus nutrientes, seja em forma de pó de calcário, isto é, minerais pre- viamente insolúveis, contando que após a vivificação da planta, favoreçam a transmutação bioló- gica dos elementos químicos.

Adubar não é na realidade, forne- cer directamente nutrientes (adubos) as plantas, mas sim, ensiná-las que elas mesmas podem mobilizar ou produzir o que precisam.

Devemos compreender que 0,1 kg por cova de calcário usado na plantação pode ter o mesmo efei- to que uma aplicação de 2 ton/ha de fertilizante ou adubo composto no futuro.

(2) Bio fertilizantes e Compos- tos

Corrigir uma eventual falta de nutrientes e micro nutrientes.

Os bio fertilizantes e compostos, em geral, devem ser usados como veículos e eventualmente como fornecedores de estirpes de microrganismos para uma acele- ração e uma boa condução da decompostagem da bio massa existente no solo.

Podemos aceitar também um for- necimento em doses pequenas (homeopáticas) de micro nutrien-

tes. Usar bio fertilizantes e com- postos para repor nutrientes gas- tos pelas culturas é tão nefasto quanto usar NPK mineral solúvel.

Devemos considerar o uso dos preparados biodinâmicos, chama- dos de composto seja em forma de composto ou bio fertilizantes biodinâmicos sempre em quanti- dades moderadas.

O fornecimento de nutrientes só é aceitável quando queremos acele- rar o início do processo de vivifi- cação do solo ou para nutrir plan- tas novas, caso isso seja indispen- sável.

(3) Preparação do solo, planta- ção

Melhorar previamente mecanica- mente a estrutura física do solo, caso se julgue necessário.

O solo de preenchimento da cova deve estar livre de entulho e lixo, sendo que o solo inadequado,

A G R A R I A

V E R D E ,

L D A

R U A

C E N T R A L

4 4 7 5 - 0 2 3

3 5 1 2 2

M A N D I M , M A I A

2 2 9 4 7

9 4 7 6 5

6 5

3 0

T E L E F O N E

F A X : 3 5 1

S / N

2 9

W W W . A G R A R I A V E R D E . P T

Praticas
Praticas

Praticas

Praticas

compactado, subsolo, ou com excesso de entulho, deve ser substituído por outro com consti- tuição, porosidade, estrutura e permeabilidade adequadas ao bom desenvolvimento da planta.

O solo ao redor deve ser prepara- do de forma a criar condições para a captação de água,

do de forma a criar condições para a captação de água, Abrir uma cova proporcional a
do de forma a criar condições para a captação de água, Abrir uma cova proporcional a

Abrir uma cova proporcional a dimensão do torrão. Se o solo da

Pormenor da tutoragem

plantação for argiloso, deve adi- cionar-se um pouco de areia, pois caso contrario este poderá no futuro impermeabilizar o torrão e

Portanto, deve preparar-se as plantas e proceder-se a plantação de imediato, cuidando que o colo da planta se mantenha a superfí-

Na localização deve-se ter em atenção a situação existente, incluindo informações tais como a vegetação arbórea, as instala-

as

raízes, causando o atrofiamen-

cie tal como se encontrava pre-

ções, equipamentos e mobiliários

to

da planta e provavelmente a

viamente antes da muda.

urbanos subterrâneos e aéreos

sua morte.

Depois da plantação devem ser

(como rede de água, de esgoto, de electricidade, cabos, fibras ópti-

O

solo é um órgão vivo que tem

feita a tutoragem da arvore a fim

cas, telefones públicos, placas de

uma estrutura própria. Mexer com ela significa obrigar o solo a iniciar continuamente este pro-

de fixar esta no local o melhor possível e evitar deslocações que impeçam o raizame de se estabili-

sinalização viária/trânsito entre outros), e a distância das edifica- ções.

cesso.

zar convenientemente no solo.

Algumas medidas a observar:

Recuo mínimo da muda em relação ao tutor

0,50 m

Distâncias mínimas entre árvore e entradas de garagem

1,00 m

Vão livre entre a copa das árvores e a rede de baixa tensão

1,00 m

Vão livre entre a copa das árvores e a rede de alta tensão

2,00 m

Altura máxima das árvores de pequeno porte

4,00 m

Altura máxima das árvores de médio porte

6,00 m

Distância mínima entre árvores de pequeno porte e placas de sinalização

5,00 m

Distância mínima de árvores de médio porte e placas de sinalização

7,00 m

Distância mínima das esquinas

6,00 m

A G R Á R I A

V E R D E ,

L D A

T E L E F O N E :

R U A

C E N T R A L

D E

M A N D I M ,

3 5 1

• W W W . A G R A R I A V E R D E . P T

2 9

2 2

9 4 7

6 5

F A X :

3 5 1

S / N 2 2

• 9 4 7

4 4 7 5

6 5

3 0

-

0 2 3

M A I A