Você está na página 1de 29

Capacitação agentes de Trânsito – 9º BPM

CAPACITAÇÃO AGENTES DE TRÂNSITO

Apresentação

Data: 01/12/2017
Objetivo: capacitar os candidatos a agentes de trânsito à realização para
exame de habilitação.

Metodologia: 8 (Oito Instruções). Carga: 16h/aula. Avaliação Preliminar:


Nos moldes do Detran – PR com consulta

Material de apoio: Manual do agente de Trânsito 2016/3. Lei 9.503/97 –


CTB – e resoluções do Contran.
Regulamento DETRAN/PR Dec. Nº 9.174/2010
Pg. 3

Art. 3º. O Departamento de Trânsito do Paraná - DETRAN/PR tem os


seguintes objetivos:

IV - estabelecer, em conjunto com as Polícias Militares, as diretrizes


para o policiamento ostensivo de trânsito;
Da estrutura Organizacional do Detran-PR Pg. 4
•Art. 6º. Dec. 9.174/2010
A estrutura organizacional básica do DETRAN/PR compreende:
II - Nível de Assessoramento
c) Assessoria Militar – AM
Art. 15. À Assessoria Militar compete:
I - o assessoramento ao Diretor Geral nas suas relações com a Polícia Militar do Paraná -PMPR;
II - o acompanhamento do convênio de colaboração entre DETRAN/PR e a PMPR, para verificação
do cumprimento de suas cláusulas, visando atingir melhores resultados operacionais;
VI - a coordenação dos programas de capacitação para instruir os Policiais Militares de Trânsito, em
todo o Estado;
Instrução Normativa nº 003/2015. Pg. 5
Cria e define as peculiaridades - porte e atualização do Manual do
Agente de Trânsito e dá outras providências.

2. O Manual do Agente de Trânsito é documento de porte obrigatório em


AVALIAÇÃO TÉCNICA a que for submetido todo policial militar visando a
condição de agente de trânsito, devendo ser apresentado no formato físico ou
virtual (a última edição vigente ou aquela indicada pela Autoridade de Trânsito).

“ No nosso caso, o manual 2016/3”.


Competência Polícia Militar prevista no CTB

Art. 23. Compete às Polícias Militares dos Estados e do Distrito Federal:


III - executar a fiscalização de trânsito, quando e conforme convênio
firmado, como agente do órgão ou entidade executivos de trânsito ou
executivos rodoviários, concomitantemente com os demais agentes
credenciados;
Agente da Autoridade de Trânsito x Agente de Trânsito
Anexo I – CTB - Conceitos

AUTORIDADE DE TRÂNSITO - dirigente máximo de órgão ou entidade executivo


integrante do Sistema Nacional de Trânsito ou pessoa por ele expressamente
credenciada.

Agente da Autoridade de Trânsito: pessoa, civil ou policial militar,


credenciada pela autoridade de trânsito para o exercício das atividades de
fiscalização, operação, policiamento ostensivo de trânsito ou patrulhamento.
PENALIDADES X MEDIDAS ADMINISTRATIVAS

PENALIDADES: Art. 256. A autoridade de trânsito, na esfera das competências estabelecidas neste Código e
dentro de sua circunscrição, deverá aplicar, às infrações nele previstas, as seguintes penalidades:

I - advertência por escrito;


II - multa;
III - suspensão do direito de dirigir;
IV - apreensão do veículo; (Revogado pela Lei nº 13.281, de 2016) (Vigência)
V - cassação da Carteira Nacional de Habilitação;
VI - cassação da Permissão para Dirigir;
VII - freqüência obrigatória em curso de reciclagem.

Art. 262 CTB: revogado


Art. 271 CTB.:
Medidas Administrativas
• Art. 269. A autoridade de trânsito ou seus agentes, na esfera das
competências estabelecidas neste Código e dentro de sua circunscrição, deverá
adotar as seguintes medidas administrativas:
I - retenção do veículo;
II - remoção do veículo;
III - recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação;
IV - recolhimento da Permissão para Dirigir;
V - recolhimento do Certificado de Registro;
VI - recolhimento do Certificado de Licenciamento Anual;
VII - (VETADO)
VIII - transbordo do excesso de carga;
IX - realização de teste de dosagem de alcoolemia ou perícia de substância
entorpecente ou que determine dependência física ou psíquica;
X - recolhimento de animais que se encontrem soltos nas vias e na faixa de
domínio das vias de circulação, restituindo-os aos seus proprietários, após o
RESOLUÇÃO 561/15 - CONTRAN
Para que possa exercer suas atribuições como
agente da autoridade de trânsito, o servidor ou policial militar
deverá ser credenciado, estar devidamente uniformizado,
conforme padrão da instituição, e no regular exercício de suas
funções. O veículo utilizado na fiscalização de trânsito deverá
estar caracterizado. O agente de trânsito, ao constatar o
cometimento da infração, lavrará o respectivo auto e aplicará as
medidas administrativas cabíveis.
Resolução 561/15 - Contran
É vedada a lavratura do AIT por solicitação de
terceiros, excetuando-se o caso em que o órgão ou entidade de
trânsito realize operação (comando) de fiscalização de normas
de circulação e conduta, em que um agente de trânsito constate
a infração e informe ao agente que esteja na abordagem; neste
caso, o agente que constatou a infração deverá convalidar a
autuação no próprio auto de infração ou na planilha da operação
(comando), a qual deverá ser arquivada para controle e
consulta..
Resolução 561/15 - Contran
O AIT traduz um ato vinculado na forma da Lei, não
havendo discricionariedade com relação a sua lavratura, conforme
dispõe o artigo 280 do CTB.
Art. 280. Ocorrendo infração prevista na legislação de trânsito, lavrar-se-á auto de infração, do qual
constará:
• I - tipificação da infração;
• II - local, data e hora do cometimento da infração;
• III - caracteres da placa de identificação do veículo, sua marca e espécie, e outros elementos
julgados necessários à sua identificação;
• IV - o prontuário do condutor, sempre que possível;
• V - identificação do órgão ou entidade e da autoridade ou agente autuador ou equipamento
que comprovar a infração;
• VI - assinatura do infrator, sempre que possível, valendo esta como notificação do
cometimento da infração.
ART. 280 par. 3º do CTB

§ 3º Não sendo possível a autuação em flagrante, o agente de trânsito


relatará o fato à autoridade no próprio auto de infração (...)
Condutor Ausente
Condutor não identificado
Veículo em movimento
ART. 270 DO CTB E SEUS PARÁGRAFOS

• Art. 270. O veículo poderá ser retido nos casos expressos neste Código.

§ 1º Quando a irregularidade puder ser sanada no local da infração, o veículo será liberado
tão logo seja regularizada a situação.

§ 2o Não sendo possível sanar a falha no local da infração, o veículo, desde que ofereça condições de segurança para circulação,
poderá ser liberado e entregue a condutor regularmente habilitado, mediante recolhimento do Certificado de Licenciamento Anual, contra
apresentação de recibo, assinalando-se prazo razoável ao condutor para regularizar a situação, para o que se considerará, desde logo,
notificado.
Medida Regularizadora: O prazo concedido para regularização do veículo, não poderá ultrapassar a 10 (dez) dias úteis; e cabe ao
agente autuador, definir quantos dias concederá para regularização (Manual)
Art. 270 par. 5º do CTB

§ 5º A critério do agente, não se dará a retenção


imediata, quando se tratar de veículo de transporte coletivo
transportando passageiros ou veículo transportando produto
perigoso ou perecível, desde que ofereça condições de
segurança para circulação em via pública.
ART. 277 PAR. 3º DO CTB

Em situação EMBRIAGUEZ na qual o condutor


apresente sinais de estar sob efeito de substância alcoólica
(mais de dois sinais), mas havendo recusa em realizar o exame
etilométrico, além da tipificação legal utilizar o campo ART. 277 §
3º do CTB: TERMO DE CONSTATAÇÃO DE ALT. DE SINAIS DA
CAPACIDADE PSICOMOTORA (preencher toda a quadrícula ou
com “X”). Manual agente de trânsito.
Observação: não esquecer da OBRIGATORIEDADE da
confecção deste documento.
SIMPLES RECUSA

Art. 165-A
Art. 165-A. Recusar-se a ser submetido a teste, exame clínico, perícia
ou outro procedimento que permita certificar influência de álcool ou
outra substância psicoativa, na forma estabelecida pelo art.
277: (Incluído pela Lei nº 13.281, de 2016) (Vigência)
Não cabe prisão, somente medidas administrativas.
REMOÇÃO

Art. 271 CTB:

Art. 271. O veículo será removido, nos casos


previstos neste Código, para o depósito fixado pelo órgão ou
entidade competente, com circunscrição sobre a via.

§ 2o A liberação do veículo removido é condicionada ao reparo de qualquer


componente ou equipamento obrigatório que não esteja em perfeito estado de funcionamento.
Motivos de recolhimento da CNH
Artigo 272 CTB e Instrução Normativa 016/2015.
SOMENTE deverá ocorrer o recolhimento do documento de habilitação nas seguintes
situações:
-quando o documento de habilitação apresentado, ter indícios de ter sido adulterado ou
falsificado (apreensão do documento e encaminhamento do mesmo e seu portador a
Delegacia de Polícia Local para procedimentos de praxe);
-quando do cometimento de crime de trânsito (apreensão do documento e
encaminhamento do mesmo e seu portador a Delegacia de Polícia Especializada ou Local
para procedimentos de praxe);
-- quando for situação de embriaguez, em que deverá ser recolhido administrativamente o
documento de habilitação para o SENOT do agente autuador, onde permanecerá por até 5
dias aguardando a retirada por parte do seu titular.

Atualmente: informações constantes no SESP Intranet.


Motivos de recolhimento do CLA
Art. 274. CTB:
O recolhimento do Certificado de Licenciamento Anual dar-se-á mediante recibo,
além dos casos previstos neste Código, quando:
I - houver suspeita de inautenticidade ou adulteração;
II - se o prazo de licenciamento estiver vencido
III - no caso de retenção do veículo, se a irregularidade não puder ser sanada no local.
TIPOS E ESPÉCIES DE VEÍCULOS
II - quanto à espécie:

a) de passageiros:
b) de carga:
c) misto:
d) de competição;
e) de tração:
f) especial;
g) de coleção;

Art. 110. CTB: O veículo que tiver alterada qualquer de suas características para
competição ou finalidade análoga só poderá circular nas vias públicas com licença especial da
autoridade de trânsito, em itinerário e horário fixados. Art. 230 inc. V pg. 128 Manual.
Veículos baixados pelo Detran, mesmo caso.
Manual de Instruções para preenchimento de A.I.T. (Port. 59/07 - Denatran

•Pag. 8.: O talonário de auto de infração DETRAN é personalíssimo, ou seja, somente


pode utilizá-lo àquele a quem lhe foi atribuído; não se admite, nem por hipótese, o
compartilhamento de talonários entre agentes de trânsito.

•No preenchimento desta ferramenta, o uso de abreviaturas deve ser evitado, exceto
àquelas previstas e indicadas neste manual, bem como serão toleradas as abreviaturas
e siglas constantes do Anexo I (CTB) do Código de Trânsito Brasileiro (Dos Conceitos e
definições), Glossário de Termos Técnicos e da Lista de Abreviatura e Siglas – Resolução
371/2010, Rol de Abreviaturas e caderneta de resumo de infrações. Ex: Renavam, CNH,
PPD, ACC.

•Não se admite abreviação de nome de logradouros, municípios ou da identificação do


condutor.
Manual de Instruções para preenchimento de A.I.T. (Port. 59/07 - Denatran

REGRAS GERAIS – TALONÁRIO – Pg. 8


O talonário de auto de infração DETRAN destina-se a comportar a inserção de todas as
infrações previstas na legislação de trânsito, sejam elas oriundas do Código de Trânsito Brasileiro –
CTB (Lei 9.503/97) ou do Regulamento de Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos – RTPP
(Decreto 96.044/88), quando da verificação por parte do Agente da Autoridade de Trânsito de
infração à legislação em vigor.

O talonário em específico é dotado de cinquenta jogos de autos de infração de trânsito,


cada jogo composto de duas vias, sendo a primeira via, após preenchida, obrigatoriamente
encaminhada para cadastramento e a segunda via entregue ao condutor (quando da abordagem).
(Portaria 59/2007).
REGRAS GERAIS – TALONÁRIO – Pg. 5

O talonário é de uso exclusivo do agente cadastrado, do primeiro ao último auto


de infração do talonário, podendo haver apenas uma única identificação de agente.
Mesmo sendo habilitado como tal, não pode o agente utilizar talonário que não lhe tenha
sido atribuído anteriormente.

O lançamento das informações presenciadas pelo agente no documento de


autuação – talonário – devem sempre ocorrer à caneta, podendo ser em letra corrida ou de
forma, desde que legível.
Talonário de Auto de Infração. Pg 9
A entrega do talonário ao agente dar-se-á por intermédio do preenchimento dos dois
documentos a seguir apresentados:

O documento “Termo de Ciência de Uso de Talonário de Auto de Infração e Termo de


Entrega de Talonário.
Termo de Ciência de Uso de Talonário Pg. 10

Exceção: Autuação mesma raiz: somente quando houver acompanhamento tático, devendo
haver BOU no lançamento do AIT.

Pg. 94 Manual: Regra O agente só poderá registrar uma infração por auto e, no caso da
constatação de infrações em que os códigos infracionais possuam a mesma raiz (os três primeiros
dígitos), considerar-se-á apenas uma infração.
Exemplo: Condutor e passageiro sem usar o cinto de segurança, lavrar somente o auto de
infração com o código 518-51 e descrever no campo ‘Observações’ a situação constatada (condutor
e passageiro sem usar o cinto de segurança).

AIT.´s corretos/incorretos: entregues imediatamente no SENOT.


Decorrente Regularizadora: AIT.´s entregues em até 8 dias corridos.
Termo de Ciência de Uso de Talonário Pg. 10

Veículos estrangeiros ou demais casos: em até 5 dias úteis.


Inoperância: prazo superior a 120 dias gera desabilitação do agente.

Impedimentos: Devem ser informados ao Senot e, neste período, não pode haver confecção de AIT.
Auto de Infração de Trânsito
Pg. 12

Documento destinado a reunir as informações da ocorrência (infração administrativa de


trânsito), levando a Autoridade de Trânsito/DETRAN a emitir a correspondente notificação. Devem
constar neste documento, os dados que permitam identificar o veículo, data/hora, local, infração
cometida e a consignação da infração e ainda sempre que possível a identificação do condutor.
Deve ser registrada toda informação que se julgue necessária ao esclarecimento da situação
Local AIT

Art. 1º O trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres


do território nacional, abertas à circulação, rege-se por este
Código.