Você está na página 1de 89

Mecânica dos Fluidos

Hidrostática I
Professor: Aesley Soares
pressão
Quando vemos uma tesoura, observamos que o lado
onde ela corta, é mais fino que o restante da tesoura.
Quanto mais fino for o que chamamos o "fio da
tesoura", melhor esta irá cortar.
Ao aplicarmos uma força nas pernas da tesoura,
provocamos uma pressão na área que iremos corta e
essa força é inversamente proporcional a área.
sumário
Hidrostática

Pressão e massa específica

Pressão atmosférica

Variação da pressão com a profundidade


introdução
A Hidrostática é a parte da Física que estuda os fluidos
(tanto líquidos como os gasosos) em repouso, ou seja, que
não estejam em escoamento (movimento).
fluidos
Consideramos como fluidos líquidos e gases.
Fluido é uma substância que tem a capacidade de
escoar e se deformar facilmente em um recipiente
qualquer, o fluido ou gás adquire o seu formato.
Fluidos líquidos, têm viscosidade, que é a atrito
existente entre suas moléculas durante um
movimento. Quanto menor a viscosidade, mais fácil o
escoamento do fluido.
pressão
A pressão média é igual ao quociente da resultante
das forças perpendiculares à superfície de aplicação e
a área desta superfície.

Sendo:
p = Pressão (Pa)
F = Força (N)
A = Área (m²)
aplicação
Uma força de intensidade 30N é aplicada
perpendicularmente à superfície de um bloco de área
0,3m², qual a pressão exercida por esta força?
resolução
densidade
Quando comparamos dois corpos formados por
materiais diferentes, mas com um mesmo volume,
quando dizemos que um deles é mais pesado que o
outro, na verdade estamos nos referindo a sua
densidade.

A afirmação correta seria que um corpo é mais denso


que o outro.
densidade
A densidade é a grandeza que relaciona a massa de
um corpo ao seu volume.

Onde:
d=Densidade (kg/m³)
m=Massa (kg)
V=Volume (m³)
aplicação
Qual a massa de um corpo de volume 1m³, se este
corpo é feito de ferro?
Dado: densidade do ferro=7,85g/cm³
resolução
Convertendo a densidade para o SI:
resolução
princípio fundamental da hidrostática
Também chamado de Princípio de Stevin, diz que:

“A diferença de pressão entre dois pontos do mesmo líquido


é igual ao produto da massa específica (também chamada
de densidade) pelo módulo da aceleração da gravidade local
e pela diferença de profundidade entre os pontos
considerados”.
exemplificando

Onde d é a densidade do líquido, g é o módulo da


aceleração da gravidade local e h é a diferença entre as
profundidades dos pontos no mesmo líquido.
Imagine que você esteja diante de uma piscina de 4
metros de profundidade. Calcule a pressão no fundo
dessa piscina em Pa (pascal) e atm. Efetuado o cálculo,
marque a alternativa CORRETA:

a) 140 atm
b) 4,1 atm
c) 14,1 atm
d) 1,4 atm
e) 4 atm
3
Como sabemos que a densidade da água é igual a: d = 1.000 kg/m e a pressão atmosférica na superfície da
água Po = 1 atm fica fácil determinar a pressão no fundo da piscina.
Primeiramente, expressem a pressão Po em unidades do SI:

A pressão no fundo da piscina (h = 4 m) vale:


Afundando 10 m na água, fica-se sob o efeito de uma
pressão, devida ao líquido, de 1 atm. Em um líquido com
80% da densidade da água, para ficar também sob o
efeito de 1 atm de pressão devida a esse líquido, precisa-
se afundar, em metros,
a) 8
b) 11,5
c) 12
d) 12,5
e) 15
Primeiramente devemos realizar algumas transformações, portanto,
temos:
Po = 1 atm = 105 Pa; h = 10 m; Calculemos a pressão hidrostática:
P=d.g.h
105=d.10.10
d=103 kg/m3
Como a densidade do líquido é 80% da densidade da água, temos:
d'=80%.d
d'=0,8 .d
P'=d'.g.h'
105= 0,8 .103.10 . h'
aplicação
aplicação exercício 6 pg 12
aplicação exercício 6 pg 12
aplicação exercício 6 pg 12
pressão hidrostática
A partir do princípio de Stevin pode-se concluir que:
● Pontos situados em um mesmo líquido e na mesma
horizontal ficam sujeitos a mesma pressão;
● A pressão aumenta com o aumento da profundidade;
● A superfície livre dos líquidos em equilíbrio é horizontal.
aplicação pg 14 q3
teorema de pascal
Quando aplicamos uma força a um líquido, a pressão
causada se distribui integralmente e igualmente em
todas as direções e sentidos.
Pelo teorema de Stevin sabemos que:
teorema de pascal
Então, considerando dois pontos, A e B:
teorema de pascal
Ao aplicarmos uma força qualquer, as pressões no
ponto A e B sofrerão um acréscimo:

Se o líquido em questão for ideal, ele não sofrerá


compressão, então a distância h, será a mesma após
a aplicação da força.
Teorema de Pascal:
"O acréscimo de pressão exercida num ponto em um
líquido ideal em equilíbrio se transmite integralmente
a todos os pontos desse líquido e às paredes do
recipiente que o contém."
A figura abaixo mostra, de forma simplificada, o sistema de freios a disco de um automóvel.
Ao se pressionar o pedal do freio, este empurra o êmbolo de um primeiro pistão que, por
sua vez, através do óleo do circuito hidráulico, empurra um segundo pistão. O segundo
pistão pressiona uma pastilha de freio contra um disco metálico preso à roda, fazendo com
que ela diminua sua velocidade angular.

Considerando o diâmetro d2 do segundo pistão duas vezes maior que o diâmetro d1 do


primeiro, qual a razão entre a força aplicada ao pedal de freio pelo pé do motorista e a força
aplicada à pastilha de freio?
Para aplicar o Princípio de Pascal, temos que:
F1 = Força aplicada ao pedal pelo pé do motorista;
R1 = Raio do pistão do freio;
d1 = Diâmetro do pistão do freio;
F2 = Força aplicada sobre o disco de freio;
R2 = Raio do pistão do disco de freio;
d1 = Diâmetro do pistão do disco de freio;
Se d2 é o dobro de d1 podemos afirmar que R2 é o dobro de R1. Sabendo que a área de um
sistema circular é dada por π.R2, podemos escrever que:
A figura abaixo mostra o princípio de funcionamento de um elevador hidráulico,
formado por um sistema de vasos comunicantes contendo um fluído
incompressível no seu interior. Considere que a aceleração da gravidade vale 10
m/s2. Sabendo-se que as áreas das seções transversais dos pistões 1 e 2 são,
respectivamente, A1 = 0.2 m2 e A2 = 1 m2, o módulo da força F1 necessária para
erguer o peso equivalente de uma carga com massa igual a 100 kg será:

a) 10 N
b) 50 N
c) 100 N
d) 150 N
e) 200 N
O peso da carga colocada sobre a área maior corresponde a 1000 N e equivale à
força F2, aplicada sobre o êmbolo maior.

P=m.g
P = 100 . 10
P = 1000 N

A força F1 será determinada a partir da aplicação do Princípio de Pascal.


aplicação q8 pg15
aplicação q9 pg15
APLICAÇÕES Q10 PG15
O TEOREMA DE ARQUIMEDES
● Qual é a força vertical e dirigida para cima que
equilibra o peso de um navio permitindo que ele flutue?
● Que força arrebatadora vertical e dirigida para cima
colabora para que uma bola de plástico, mergulhada
totalmente na água de uma piscina, quando largada, aflore
rapidamente à superfície?
● Reflita ainda sobre a força vertical e dirigida para cima
responsável pela manutenção de um balão suspenso no ar...
Qual a origem dessas forças?
Advêm do fluido que envolve total ou parcialmente os corpos
citados.

Essa força vertical e dirigida para cima que os corpos


recebem quando imersos na água, no ar ou em outros líquidos
ou gases tem fundamental importância na compreensão de
fenômenos hidrostáticos.

Seu nome é empuxo, tendo sido descrita por Arquimedes de


Siracusa no século III a.C.
Arquimedes 287 a.C- 212 D.C
Nasceu em Siracusa, na ilha da Sicília,

cidade que na época pertencia à Magna Grécia.

Determinou a área da superfície esférica,

obteve com precisão o centro de gravidade de

várias figuras planas, construiu engenhos

bélicos de notável eficiência, o que realmente

o celebrizou, no entanto, foi a formulação da lei do empuxo.


Teorema de Arquimedes
Quando um corpo é imerso total ou parcialmente em um fluido
em equilíbrio sob a ação da gravidade, ele recebe do fluido
uma força denominada empuxo (ou impulsão de Arquimedes).

Tal força tem sempre direção vertical, sentido de baixo para


cima e intensidade igual à do peso do fluido deslocado pelo
corpo.
ilustrando o Empuxo
Por estar envolvido pelo líquido,
o cilindro recebe forças deste,
indicadas pelo esquema.

As forças horizontais (laterais) equilibram-se devido à


simetria.

Na vertical, entretanto, temos duas forças a considerar: uma,


F1, aplicada no ponto 1, resultante na base superior do
cilindro, e outra, F2, aplicada no ponto 2, resultante na
base inferior desse cilindro.
definindo o Empuxo
Devido à maior profundidade do ponto 2, devemos

ter |F2| > |F1| , o que significa que as forças F1 e F2

admitem uma resultante vertical e dirigida para cima.

Essa resultante que o líquido exerce no cilindro, suposto

em repouso, denomina-se empuxo ( E ).

Temos, então, que: F2 + F1 = E

Em módulo, temos: |F2| - |F1| = E (I)


A intensidade de E pode ser obtida aplicando-se

aos pontos 1 e 2 o Teorema de Stevin:

O produto h A traduz, no entanto, o volume do cilindro imerso


no líquido (V). Assim:
Comparando (I) e (II), segue que: E = d.V.g

Seja Vfd o volume de fluido deslocado em razão da imersão do


cilindro. É fundamental notar que esse volume é exatamente
igual ao volume do cilindro imerso no fluido: Vfd = V

Diante disso, podemos escrever: E = m V g

Entretanto, d.Vfd = mfd (massa do fluido deslocado). Assim,


obtemos, finalmente:
Na figura, temos uma bola de pingue-pongue (A) e uma esfera
maciça de aço (B), de mesmo volume externo. Esses dois corpos
estão totalmente imersos na água.

É claro que a esfera B é mais pesada que a bola A, porém, por


terem o mesmo volume externo, A e B deslocam volumes iguais
de água e, por isso, recebem empuxos de mesma intensidade:
Exemplo 2: Considere a figura a seguir
No experimento ilustrado acima, quando o bloco
(sem porosidades) é introduzido na jarra preenchida com água
até o nível do seu bico, certo volume do líquido extravasa,
sendo recolhido no recipiente lateral.

O volume de água extravasado é igual ao volume do bloco, e a


intensidade do empuxo recebido por ele é igual à do peso do
líquido deslocado (Teorema de Arquimedes).
exercicio
Um bloco de madeira flutua inicialmente na água com

metade do seu volume imerso. Colocado a flutuar no óleo,

o bloco apresenta 1/4 do seu volume emerso.

Determine a relação entre as massas específicas da água

(da) e do óleo (do).


resolução
Analisemos, inicialmente, o equilíbrio do bloco parcialmente

imerso em um fluido de massa específica df:

Para que se verifique o equilíbrio, o empuxo recebido pelo


volume imerso do bloco (E) deve equilibrar a força da
gravidade (P):

E + P = 0

Ou, em módulo, temos: E = P


resoluçÃO
Lembrando que , verificamos o seguinte:

Para a flutuação na água, temos:

Para a flutuação no óleo, temos:


passo final
Comparando (I) e (II), obtemos:
EXERCICIO
(Fuvest-SP) Um objeto homogêneo colocado em um recipiente com água tem
32% de seu volume submerso; já em um recipiente com óleo, esse objeto tem
40% de seu volume submerso. A densidade desse óleo, em g/cm3, é:
Note e adote:
Densidade da água = 1 g/cm3
a) 0,32
b) 0,40
c) 0,64
d) 0,80
RESOLUÇÃO
Nos dois casos, tanto na água quanto no óleo, o empuxo será igual ao peso do objeto, por isso, podemos aplicar
a equação do empuxo em cada caso e igualar os resultados. Assim, a densidade do óleo será determinada:
EXEMPLO
Um objeto, de volume 0,5 m3, possui 30 % do seu volume mergulhado
em um recipiente com água. Sabendo que a gravidade no local é de 9,8
m/s2 e que a densidade da água é de 1000 kg/m3, determine o empuxo
sobre o objeto.
a) 1000 N
b) 4700 N
c) 2700 N
d) 1550 N
e) 1470 N
RESOLUÇÃO
Aplicando a equação do empuxo, temos:
exemplo
Determine o empuxo sobre uma esfera de raio 2 cm que tem
⅛ de seu volume submerso em água.
Dados: π = 3; densidade da água ρ = 1000 Kg/m3; g = 10
m/s2.
a) 0,05
b) 0,03
c) 0,08
d) 0,04
e) 0,02
resolução
Primeiramente é necessário determinar o volume da esfera.

V = 4/3 . π . R3

Como π = 3, podemos dividi-lo pelo denominador 3:


V = 4 . R3
V = 4 . ( 2 . 10 – 2 m)3
V = 4 . 8 . 10 – 6 m3
V = 32 . 10 – 6 m3
O volume submerso da esfera (VS) corresponde a 1/8 do
volume total:
VS = 1/8 . 32 . 10 – 6 m3
VS = 4 . 10 – 6 m3
Empuxo sobre a esfera:
E = ρ . VS . g
E = 1000 . 4 . 10 – 6 . 10
E = 4 . 10 – 6 . 104
E = 4 . 10 – 2
E = 0,04 N
exercicio
Um objeto com massa de 10 kg e volume de 0,002 m3 é colocado
totalmente dentro da água (d = 1 kg/L).

a) Qual é o valor do peso do objeto ?

b) Qual é a intensidade da força de empuxo que a água exerce no objeto


?

c) Qual o valor do peso aparente do objeto ?

d) Desprezando o atrito com a água, determine a aceleração do objeto.

(Use g = 10 m/s2.)
resolução
a) P = m.g = 10.10 = 100N

b) E = dáguaVobjetog = 1.000 x 0,002 x 10 è E = 20N

c) Paparente = P – E = 100 – 20 = 80N

d) FR = P – E e a=8,0 m/s2 (afundará, pois P > E)


flutuação
Para um corpo flutuando em um líquido, temos as condições a
seguir.

1) Ele encontra-se em equilíbrio:

E=P

2) O volume de líquido que ele desloca é menor do que o seu


volume:

Vdeslocado < Vcorpo


3) Sua densidade é menor do que a densidade do líquido:

dcorpo < dlíquido

4) O valor do peso aparente do corpo é nulo:

Paparente = P – E = O

A relação entre os volumes imerso e total do corpo é dada por:


E = P è dliquidoVimersog = dcorpoVcorpog é
Um bloco de madeira (dc = 0,65 g/cm3), com 20 cm de aresta, flutua na
água (dagua = 1,0 g/cm3) . Determine a altura do cubo que permanece
dentro da água.
resolução

Como o bloco está flutuando, temos que E = P

e , sendo V = Abaseh , escrevemos

Como hcorpo = 20 cm, então himerso = 13 cm.


O empuxo é um fenômeno bastante familiar. Um exemplo é a facilidade
relativa com que você pode se levantar de dentro de uma piscina em
comparação com tentar se levantar de fora da água, ou seja, no ar.
De acordo com o princípio de Arquimedes, que define empuxo, marque a
proposição correta:
A) Quando um corpo flutua na água, o empuxo recebido pelo corpo é menor
que o peso do corpo.
B) O princípio de Arquimedes somente é válido para corpos mergulhados em
líquidos e não pode ser aplicado para gases.
C) Um corpo total ou parcialmente imerso em um fluido sofre uma força
vertical para cima e igual em módulo ao peso do fluido deslocado.
D) Se um corpo afunda na água com velocidade constante, o empuxo sobre
ele é nulo.
Um bloco de gelo (densidade de 0,90 g/cm3) flutua na água (densidade
de 1,0 g/cm3). Que porcentagem do volume total do bloco permanece
imersa? dica o empuxo é igual ao peso EA = PG e massa de gelo é igual a
densidade do gelo vezes o volume do gelo
mG = dG.VG
(PUC-PR) A tragédia ocorrida com o submarino nuclear russo Kursk, que afundou
no mar de Barents, com toda a tripulação, comoveu o mundo.
A flutuação de um submarino é regida, basicamente, pelo princípio de
Arquimedes, da hidrostática. Um submarino pode navegar em uma profundidade
constante, emergir ou submergir, conforme a quantidade de água que armazena
em seu interior. Assinale a alternativa incorreta.
A) Quando o submarino se mantém parado à profundidade constante, o empuxo
sobre ele tem o mesmo módulo do peso do submarino.
B) O empuxo sobre o submarino é igual ao peso da água que ele desloca.
C) Estando as câmaras de flutuação cheias de água e expulsando a água delas,
o submarino tende a emergir.
D) Expulsando a água do mar das câmaras de flutuação, o empuxo torna-se
menor que o módulo de seu peso.
(Mack-SP) Um cubo de madeira (densidade = 0,80 g/cm3) de
aresta 20 cm flutua em água (massa específica = 1,0 g/cm3)
com a face superior paralela à superfície livre da água.
Adotando g = 10 m/s2, a altura do cubo que fica submersa é:
lembre-se que o cubo possui lados iguais e seu volume é
dado por V = L3
A) 16 cm.
B) 32 cm.
C) 48 cm.
D) 54 cm.
E) 62 cm.
Unicap-PE Um corpo de volume 2 litros e massa 1 kg fica imerso em
água, preso ao fundo do reservatório por uma mola, conforme a figura.
[d = 103 kg/m3 = 1 kg/L]

Assinale a opção verdadeira


A) A densidade do corpo é 0,5 kg/L.
B) O empuxo será de 100N
C) A densidade do corpo é 1,5 kg/L.
D) O empuxo será de 120N
E) O corpo não possui empuxo por está sem peso devido ao fio.
d = m/v

d = 1/2

d = 0,5kg/l
Ao entrar no mar, uma mulher distraidamente pisa em um ouriço e
machuca o pé. Por causa de sua dificuldade para se locomover, um
homem resolve carregá-la dentro da água, como mostra a ilustração.
Dentro da água, o homem terá mais facilidade para carregar a mulher
porque ela terá
A) Atuação de uma força de empuxo dirigida para cima.
B) Aumento de pressão na água, o que faz seu corpo flutuar.
C) Diminuição da sua massa, por causa da baixa densidade da água.
D) Diminuição do seu peso, uma vez que a gravidade na água é menor.
E) Sua massa diminui e seu peso aumente em consequência da
densidade
Um balão cheio de certo gás tem volume igual a 5,0 m3. A massa total do
balão (incluindo o gás) é de 4,0 kg. Considerando a densidade do ar igual
a 1,3 kg/m3 e g igual a 10,0 m/s2, assinale o que for correto.
A) O peso do balão é 40,0 N.
B) Se o balão for abandonado, ele cairá, porque sua densidade é maior
que a do ar.
C) O empuxo que o balão recebe do ar é de 500N.
D) Para uma pessoa manter o balão em equilíbrio, ela deverá exercer
sobre ele uma força igual e contrária ao empuxo que ele sofre do ar.
E) Se esse balão fosse abandonado na Lua, ele receberia empuxo, pois
lá não atmosfera.
P = m.g

P = 4 . 10

P = 40N
Quando uma reserva submarina de petróleo é atingida por uma broca de
perfuração, o petróleo tende a escoar para cima na tubulação como
consequência da diferença de pressão, ÄP, entre a reserva e a
superfície. Para uma reserva de petróleo que está a uma profundidade de
2 000 m e dado g = 10 m/s2, o menor valor de ÄP para que o petróleo de
densidade d = 0,90 g/cm3 forme uma coluna que alcance a superfície é
de:
A) 1,8 × 102 Pa.
B) 1,8 × 107 Pa.
C) 2,2 × 105 Pa.
D) 2,2 × 102 Pa.
E) 4,0 × 108 Pa
Uma condição para que um balão possa subir é que a densidade do gás
em seu interior seja menor que a do ar. Considere que o volume de um
balão seja de 100 m3, e que a densidade do ar seja de 1,26 kg/m3. A
massa total do balão, desconsiderando-se o gás em seu interior, é de 100
kg (g = 10 m/s2). Baseando-se nesses dados, o empuxo sobre o balão é
A) 500 N.
B) 1 260 N.
C) 2 000 N.
D) 4 000 N.
E) 5 000 N.
E = d . v . g
E = 1,26 . 100 . 10
E = 1260N
Ana lança três caixas – I, II e III –, de mesma massa, dentro de um poço
com água. Elas ficam em equilíbrio nas posições indicadas nesta
figura:Sejam E(I), E(II) e E(III) os módulos dos empuxos sobre,
respectivamente, as caixas I, II e III. Com base nessas informações, é
CORRETO afirmar que

A) E(I) > E(II) > E(III).


B) E(I) < E(II) = E(III).
C) E(I) = E(II) = E(III).
D) E(I) > E(II) = E(III).
E) E(I) = E(II) < E(III).
E = P (se estiverem no equilíbrio)

Como os pesos, P, são iguais, os empuxos serão iguais!

O empuxo é o mesmo. O que mudam são as densidades:

O que faz corpos de mesma massa afundarem ou não é sua densidade.

Sobre as caixas II e III se você deixá-las em repouso imersas no líquido


elas continuarão em repouso.
Um objeto menos denso que a água está preso por um fio fino, fixado no
fundo de um aquário cheio de água, conforme a figura. Sobre esse objeto
atuam as forças peso, empuxo e tensão no fio. Imagine que tal aquário
seja transportado para a superfície de Marte, onde a aceleração
gravitacional é de aproximadamente sendo g a aceleração da
gravidade na Terra. Em relação aos valores das forças observadas na
Terra, pode-se concluir que, em Marte,
A) o empuxo é igual e a tensão é igual.
B) o empuxo é igual e a tensão aumenta.
C) o empuxo diminui e a tensão é igual.
D) o empuxo diminui e a tensão diminui.
E) o empuxo diminui e a tensão aumenta.
Você sustenta, através de uma corda, uma pedra de massa 10kg que
está submersa na água. O volume da pedra é 103 cm3.
Dados: densidade da água = 103 kg/m3, g = 10 m/s2. A força de tração
que você exerce na corda é
A) 10 N.
B) 50 N.
C) 90 N.
D) 150 N.
E) 200 N.
P = mg = 10 x10 = 100 N

Com a pedra totalmente submersa, o volume de água deslocado é igual


ao volume V total da pedra:

onde considerou-se que a massa de 1dm3 de água é 1kg.

A pedra está em equilíbrio, logo a resultante das forças que atuam sobre
ela é nula:

T+E=P

T = P - E = 90 N
Quando uma pedra de 200 g, que se acha suspensa em um
dinamômetro, é mergulhada inteiramente na água, a leitura do
dinamômetro sofre um decréscimo de 30%. Qual é, aproximadamente, a
massa específica da pedra, em g/cm3? Considere a massa específica da
água igual a 1 g/cm3. O volume deslocado pelo fluido será o mesmo
volume deslocado pela pedra. assim a densidade da pedra será dada por
dp = mp/vf.
A) 1,33.
B) 2,33.
C) 3,33.
D) 4,33.
E) 5,33.
P - E = 0,7 * P E = 0,3 * P
Temos então:
E = df * Vf * g
P=m*g
E = 0,3 * P
df * Vf * g = 0,3 * ( m * g )
df * Vf = 0,3 * m
1 * Vf = 0,3 * 200
Vf = 60 cm³
Como o corpo está completamente imerso:
Vf = Vp = 60 cm³
m = dp / Vp
200 = dp / 60
dp = 10 / 3 = 3,33g/cm³