Você está na página 1de 10

DA TEORIA À PRÁTICA

PROFISSIONAL – A
IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO
EM NEUROPSICOLOGIA.
CLAUDSON SANTANA
PSICÓLOGO E NEUROPSICÓLOGO (CRP-03/12940)
MESTRANDO EM EDUCAÇÃO (PPGE-UEFS)
DOCENTE UNIVERSITÁRIO
RESOLUÇÃO CFP Nº 002/2004

Art. 1 Fica reconhecida a especialidade de Neuropsicologia para a finalidade


de concessão e registro de título de especialista;
Art. 3 – A especialidade de Neuropsicologia fica instituída com a seguinte
definição:
• Atua no diagnóstico, no acompanhamento, no tratamento e na pesquisa da
cognição, das emoções, da personalidade e do comportamento sob o enfoque
da relação entre estes aspectos e o funcionamento cérebro;
RESOLUÇÃO CFP Nº 002/2004

Art. 3 – A especialidade de Neuropsicologia fica instituída com a seguinte


definição:
• Utiliza-se de conhecimentos teóricos angariados pelas neurociências e pela
prática clínica, com metodologia estabelecida experimental ou clinicamente;

• Utiliza de instrumentos padronizados para avaliação das funções


neuropsicológicas, envolvendo principalmente habilidades de atenção,
percepção, linguagem, raciocínio, abstração, memória, aprendizagem,
habilidades acadêmicas, processamento da informação, visuoconstrução, afeto,
funções motoras e executivas.
RESOLUÇÃO CFP Nº 002/2004

Art. 3 – A especialidade de Neuropsicologia fica instituída com a seguinte


definição:
• Reabilitação neuropsicológica: ampliar os modelos já conhecidos e criar novas
hipóteses sobre as interações cérebro-comportamento;
• Trabalha com indivíduos portadores ou não de transtornos e sequelas que
envolvem o cérebro e a cognição, utilizando modelos de pesquisa clínica e
experimental, tanto no âmbito do funcionamento normal ou patológico da
cognição – estudando em interação com outras áreas das neurociências, da
medicina e da saúde.
RESOLUÇÃO CFP Nº 002/2004

Art. 3 – A especialidade de Neuropsicologia fica instituída com a seguinte


definição:
• Objetivos práticos:
• Levantar dados clínicos que permitam diagnosticar e estabelecer tipos de
intervenção, de reabilitação particular e específica para indivíduos e grupos de
pacientes, nas seguintes condições:
• A) prejuízos e modificações cognitivas ou comportamentais, devido a eventos
que atingem, primária ou secundariamente o sistema nervoso central;
• B) potencial adaptativo não suficiente para manejo da vida prática e social;
• C) problemas gerados ou associados a problemas bioquímicos ou elétricos do
cérebro, gerando prejuízos cognitivos, comportamentais ou afetivos.
RESOLUÇÃO CFP Nº 002/2004

Art. 3 – A especialidade de Neuropsicologia fica instituída com a seguinte


definição:
• Objetivos práticos da reabilitação neuropsicológica:
• Realizar as intervenções necessárias junto ao paciente, para que possam melhorar,
compensar, contornar ou adaptar-se às dificuldades;
• Junto aos familiares, para que atuem como co-participantes;
• Junto a equipes multiprofissionais e instituições acadêmicas, promovendo a
cooperação na inserção ou re-inserção de tais indivíduos na comunidade e na
adaptação individual e familiar.
Neurociências
Neurofisiogia

Psicopatologia Farmacologia

Neuropsicologia

Psicometria Imaginologia

Psicologia do Bioquímica
Desenvolvimento Genética
FORMAÇÃO EM NEUROPSICOLOGIA

• A Neuropsicologia na graduação em Psicologia;


• Neuropsicologia ≠ Neurofisiologia/Neurociências;
• A Neuropsicologia na pós-graduação;
• Mercado de trabalho e Neuropsicologia:
• O psicólogo e a neuropsicologia;
• A neuropsicologia nas áreas profissionais.
FORMAÇÃO EM NEUROPSICOLOGIA

• A Neuropsicologia na graduação em Psicologia;


• Neuropsicologia ≠ Neurofisiologia/Neurociências;
• A Neuropsicologia na pós-graduação;
• Mercado de trabalho e Neuropsicologia:
• O psicólogo e a neuropsicologia;
• A neuropsicologia nas áreas profissionais.
REFERÊNCIAS

CFP – Conselho Federal de Neuropsicologia. (2004). Resolução nº 2 / 2004


Reconhece a Neuropsicologia como especialidade em Psicologia para
finalidade de concessão e registro do título de Especialista.
http://www.pol.org.br/legislacao/doc/resolucao2004_2.doc. Brasília.