Você está na página 1de 12

Amor é fogo que arde sem se ver,

é ferida que dói e não se sente;


é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

é um não querer mais que bem querer;


é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente,
é um cuidar que ganha em se perder.

© Edições ASA II, SA


É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor


nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

© Edições ASA II, SA


Síntese
Amor

Desperta reacções/sentimentos contraditórios

Impossibilidade de definir este sentimento

(Ver as três primeiras estrofes)

© Edições ASA II, SA


De realçar são:

- a circularidade do poema: palavra


inicial/final

- a funcionalidade da anáfora (verbo “ser”)

- as relações lexicais

- os tipos de frase utilizados

© Edições ASA II, SA


- a funcionalidade do conector “mas” no
início do último terceto

- a descodificação da palavra “amizade”

- a expressividade da sucessão de oxímoros

- a interrogação retórica

© Edições ASA II, SA


Funcionalidade da anáfora

• A anáfora resulta da repetição da mesma


palavra no início de cada verso.
Neste caso, a anáfora é originada pela
repetição de uma forma do verbo ser (“é”).
Esta tem a função de introduzir o
predicado, evitando também a repetição da
palavra “amor”. Esta construção anafórica
facilita a descrição mais deste sentimento
tão contraditório.

© Edições ASA II, SA


Circularidade do poema

- A palavra Amor , utilizada no início e no fim


do poema, exprime o tema deste e expressa
a vontade que o poeta tem de falar deste
sentimento.

- A repetição da palavra “amor” está também


ao serviço de uma descrição mais
pormenorizada deste sentimento.

© Edições ASA II, SA


Funcionalidade do conector no início
do segundo terceto

- A palavra “mas” é utilizada no início do


segundo terceto para exprimir uma ideia
contrária a acrescentar às restantes.
- Marca uma oposição, neste caso entre o
amor e a amizade, destacando também a
questão levantada.

© Edições ASA II, SA


Significado da palavra “amizade”
Neste poema, a amizade surge como um
sentimento contrário ao amor e o sujeito
poético dá-lhe mais importância, como se
pode ver pela repetição sucessiva da
palavra.
Assim, a amizade surge como uma
impossibilidade face ao amor, ou seja, são
sentimentos contrários.

© Edições ASA II, SA


Sucessão de oxímoros

• Há vários oxímoros neste poema.

• Os oxímoros são conceitos opostos que


estão presentes numa só expressão (“é
ferida que dói, e não se sente”).

© Edições ASA II, SA


Progressão para a interrogação
retórica

Ao longo do poema, vamos percebendo que


este nos leva para uma questão.
Essa pergunta é dirigida a todos os leitores,
tendo sido formulada para suscitar reflexão
e não propriamente para se obter uma
resposta para a mesma.
(última quadra)
© Edições ASA II, SA
Actividade

1. Apresenta uma definição para “Amor” e


“Amizade”.
2. Dá a tua opinião relativamente à pretensa
oposição entre os dois sentimentos
(amizade e amor).
3. Escreve um texto poético onde apresentes o
que é para ti o amor ou a amizade

© Edições ASA II, SA