Você está na página 1de 27

Universidade WUTIVI (UniTiva)

F.E.A.P.F
Cursos: Geologia e Minas, Engenharia Geológica

Teledeteção e SIG

Aula 3
………………………………………………………………………..

Satélites e tipos de Satélites

dr. Heldo Luís Manhiça


Tópicos:

 1. Classificação Geral dos Satélites


 2. Conceito de Bandas
Imagem de Satélite
Classificação Geral dos Satélites
Funcionamento de um Satélite

Componentes de um Satélite

Tipos de Satélites

Órbitas de Satélites
Satélite

Satélite artificial é um equipamento feito pelo ser humano e colocado em órbita ao


redor da Terra ou de qualquer outro corpo celeste (com o intuito de explorar o
Universo).

Cerca de 3000 satélites artificiais estão em funcionamento em todo o planeta Terra,


permitindo enviar sinais do espaço para o aprofundamento dos estudos nos sistemas
de comunicações, navegações, geológicos, climáticos, militares, dentre outros.

Conceitos:
• Lixo Espacial
Satélite

Um corpo que está constantemente em queda livre.


A figura ao lado ilustra os resultados de um estudo
conhecido como Canhão de Newton: Como manter
um satélite em órbita?

• AeB
• C
• D
• E
Satélites

Questões relacionadas aos princípios físicos:

• As 3 Leis de Keppler
• Gravitação Universal
• Força centrípeta

Terminologia
• Perigeu
• Apogeu
• Focos da Elipse
Componentes de um Satélite

Geralmente os satélites diferem na geometria e forma, na massa e dimensões, nos


engenhos, etc. No entanto, eles apresentam algumas partes em comum e necessárias
para o seu correcto funcionamento e aprovação:
• Fontes de energia.
• Computadores de bordo.
• Sistema de rádio e antena.
• Sistema de controle de atitude.
Tipos de Satélites e Suas Funções

Conforme os exemplos vistos, eles desempenham as mais diversas funções, dentre as


quais:
• Comunicação: transmitir programas televisivos, chamadas telefônicas de longa
distância, teleducação e telemedicina.
• Meteorológicos: estudar os diferentes padrões meteorológicos – tempo e clima. O
satélite possui uma câmera que tira fotos de pontos na superfície do planeta para
identificar chuva, neve, tipos de nuvens, dentre outros. Eles são também utilizados
para ajudar a prever o tempo e eventos climáticos como furacões, dentre outros.
ucação e telemedicina.
Tipos de Satélites e Suas Funções

Conforme os exemplos vistos, eles desempenham as mais diversas funções, dentre as


quais:
• Navegação: facilitar o tráfego aéreo, marítimo e terrestre. Motoristas usam dados
de navegação para ajudá-los a identificar sua posição de forma precisa e saber para
onde devem se deslocar, a fi m de chegar a um determinado destino. Se eles
tiverem alguma emergência, podem enviar sinais. Os satélites recebem tais sinais e
os reenviam para estações de emergência. Isso permite que as pessoas sejam
encontradas com mais facilidade.
• Militares: ajudam as forças armadas a navegar, comunicar-se e realizar
espionagem. Tiram fotos e captam ondas de rádio transmitidas por outros países.
Tipos de Satélites e Suas Funções

Conforme os exemplos vistos, eles desempenham as mais diversas funções, dentre as


quais:
• Científicos: fotografam objetos espaciais distantes e ajudam os cientistas a estudar
a Terra, os planetas, o Sol, outros sistemas solares, asteroides, cometas, buracos
negros e o espaço profundo.
• Observação da Terra: satélites de sensoriamento remoto, que estudam a
superfície da Terra e podem ser utilizados, por exemplo, para monitorar
desmatamentos, crescimento populacional, utilização do solo, dentre outros. Eles
são responsáveis pelo mapeamento da Terra, o monitoramento safras agrícolas, de
recursos florestais, minerais e hídricos.
Órbitas de um Satélite

Quanto à forma da órbita (Mecânica Clássica):


• Elíptica
• Circular

Mas quanto ao seu deslocamento em relação à Terra, teremos as seguintes órbitas (as
órbitas são definidas de modo a responder às suas funções):
• Órbita baixa (LEO):
• Órbita Geossíncrona (GSO):
• Órbita geoestacionária de transferência (GTO)
• Órbita Média (MEO)
Satélites de Órbita Baixa (LEO)
• Operam em uma altitude aproximada de 180-2000 km.
• A maioria são satélites científicos, meteorológicos e de sensoriamento remoto
• Elas permitem a obtenção de imagens de alta resolução.
• Geralmente circulam a Terra de polo a polo, perpendicular à linha do equador,
assim obtendo imagens detalhadas do globo terrestre inteiro a cada 24 horas.
• São excelentes para estudar elementos na superfície da Terra sujeitos a alterações e
que precisam de constante monitoramento, mapeamento ou vigilância.
• Sua velocidade orbital é muito alta. Alguns levam apenas 90 minutos para
completar uma volta ao redor do planeta
• A órbita Sol-síncrona (SSO) é um caso de órbita baixa.
• Ex: EOS-TERRA e EOS-AQUA
Satélites de Órbita Geossíncrona (GSO):
• órbita inclinada com um período igual ao que a
Terra leva para girar em torno de seu eixo, ou
seja, 23 horas 56 minutos e 4 segundos (dia
sideral).
• Sua altitude é de 36.000 km. Nessa posição, é
possível cobrir toda a superfície terrestre (com
exceção dos polos) com apenas três satélites,
embora para garantir maior precisão, quatro
satélites sejam utilizados.
• A órbita geoestacionária (GEO) é um caso
especial de órbita geossíncrona, em que a órbita é
circular e se situa sobre o equador terrestre.
Satélites de Órbita Baixa (LEO)
• Operam em uma altitude aproximada de 180-2000 km.
• A maioria são satélites científicos, meteorológicos e de sensoriamento remoto
• Elas permitem a obtenção de imagens de alta resolução.
• Geralmente circulam a Terra de polo a polo, perpendicular à linha do equador,
assim obtendo imagens detalhadas do globo terrestre inteiro a cada 24 horas.
• São excelentes para estudar elementos na superfície da Terra sujeitos a alterações e
que precisam de constante monitoramento, mapeamento ou vigilância.
• Sua velocidade orbital é muito alta. Alguns levam apenas 90 minutos para
completar uma volta ao redor do planeta
Satélites de Órbita Média (MEO)

• compreendem satélites de transmissão de dados de internet


banda larga, observações geodésicas e de física espacial,
dentre outras aplicações.
• Há dois tipos mais notáveis dessas órbitas, a saber, a semi-
síncrona e a Molniya. A semi-síncrona é quase circular,
situa-se a 22.200 quilômetros da superfície da Terra e seu
período é de 12 horas. Tal órbita é bastante previsível,
sendo assim utilizada pelo sistema de posicionamento
global (GPS).
• têm contribuído substancialmente para melhorar o tráfego
aéreo, terrestre e marítimo.
Satélites de Órbita geoestacionária de transferência (GTO)

É órbita elíptica inclinada que conecta LEO e GSO. O veículo espacial atinge uma
altitude de cerca de 37.000 km e então se posiciona de forma paralela ao equador
terrestre, por meio de seus propulsores. A partir dessa órbita, o satélite é transferido
para a órbita à qual se destina.
Principais tipos de órbitas de satélites artificiais
Bandas
Conceito de Banda
Conceito de Bandas
Conceito de Bandas