Você está na página 1de 13

INTERPRETAÇÃO CLÍNICA

DO HEMOGRAMA

TROCANDO INFORMAÇÕES

Prof. Msc Dja Santos


O HEMOGRAMA
 O hemograma se divide em três séries celulares
:
Série Vermelha
Série Branca
Plaquetas
 Útil na avaliação das anemia além de
evidenciar indicadores que podem ser
correlacionados com infecções viróticas e
bacterianas.
Hemograma

Apresenta alterações nos


processos inflamatórios,
nas leucemias e podem
apresentar alterações
voltadas às plaquetas.
Série Vermelha
 Contém dados relativos ao número de:

Glóbulos Vermelhos ( hemácias )


Hemoglobina
Hematócrito
Índices hematimétricos (VCM, HCM, CHCM)
RDW = CV do tamanho das hemácias
Série Vermelha
 Eritrócitos ou Hemácias - Avaliado em milhões por mm3. Varia
de acordo com a altitude. Quando seu número está abaixo do
normal, chama-se eritropenia, e acima, eritrocitose.
 Hemoglobina - Medida em g/dl. Avalia a proteína que transporta
o oxigênio. Usada para definir se há ou não um estado anêmico.
O CHCM vai determinar se existe alteração compatível com
anemia.
 Hematócrito - Avaliado em percentagem (%) e representa a
proporção dos glóbulos em cada 100 ml de sangue.
 VCM - Volume corpuscular médio. Serve para avaliar os tipos de
anemia que se manifestam com hemácias de grande, pequeno ou
tamanho normal, isto é , anemias macro, micro e normocíticas.
Série Vermelha
 CHCM - Concentração da Hemoglobina Corpuscular Média. Índice
calculado a partir do valor da hemoglobina e hematócrito, que
significa quanto de hemoglobina média percentualmente está
contida em cada hemácia.

 RDW - Avalia o grau de variação no tamanho das hemácias. Útil


para diferenciar as anemias com deficiência de ferro das
talassemias.
Reticulócitos - São eritrócitos recém liberados da medula óssea,
ainda com restos de ácidos nucleicos, que se revelam quando
corados por azul de cresil brilhante. Representa indiretamente a
produção dos glóbulos vermelhos na medula óssea. Seu resultado
é em %.
Variações da Série Vermelha
 Microcitose - Hemácias abaixo de 80 u3 (adulto) Está Associada
à Deficiência de Ferro, Talassemias e Anemias Sideroblásticas.

 Macrocitose - Hemácias acima de 100 u3 (adulto). Está


Associada à Deficiência de Vitamina B12, Quimioterapia, Doença
Hepática, Hipotireoidismo e Mieloma.

 Hipocromia - Hemácias menos coradas do que o normal.


Observa-se na hematoscopia uma aumento do halo central da
hemácia.
 Poiquilocitose - Variação na forma das hemácias.
 Anisocitose - Variação no tamanho das hemácias.
Série Branca
 A parte do sangue que traz as características dos leucócitos é
chamada SÉRIE BRANCA ou LEUCOGRAMA
 O número global dos leucócitos na circulação é estimado entre 4.000 e
10.000 / mm3 de sangue. Valores superiores a estes indicam
LEUCOCITOSE e abaixo LEUCOPENIA.
 Tipos de células do Leucograma :
Neutrófilos - 60 a 65 %
Basófilos - 0 a 1 %
Eosinófilos - 2 a 4 %
Linfócitos - 20 a 30 %
Monócitos - 4 a 8 %
Plasmócitos - 0 a 1 %
Bastões - 2 a 5 %
Série Branca

Leucócito
Série Branca
 LEUCOCITOSE ASSOCIADA À CÉLULAS BRANCAS :
 Neutrófilos - Infecções bacterianas, Infarto Agudo, Isquemia,
Uremia, Diabetes, Gota, Leucemia mielocítica e Hemorragias
 Eosinófilos - Alergias, Parasitoses, Doenças da Pele e
Hemopatias
 Basófilos - Mielofibrose, Dermatites, Colite e Leucemia crônica
 Linfócitos - Infecções agudas, Crônicas ( Tuberculose, Sífilis ) e
Mononucleose ( grande número de linfócitos atípicos ).
 Monócitos - Tuberculose, Protozooses ( Malária e Tripanosomose
), Leucemias agudas, Lúpus Eritematoso Sistêmico e Artrite
Reumatóide
 Plasmócitos - Rubéola, Sarampo, Mononucleose, Sarampo,
Mieloma e Leucemia Plasmocítica
 Bastonetes - Infecções Agudas gerais ( Viroses, por exemplo )
Plaquetas
 São elementos muito importantes na Hemostasia.
 São de pequeno tamanho na observação microscópica, forma
discóide e inativas, podendo ser ativadas para exercer funções de
proteção vascular.
 Podem participar de processos trombóticos se forem ativadas
excessivamente.
 É útil também para manter o estado hemostático normal para
proteger o mesmo de fenômenos hemorrágicos.
 Causas de Plaquetopenia : Síndromes Congênitas, Uso abusivo de
Drogas, Doenças Hereditárias ( Doença de May-Hegglin ),
Infecções, Deficiência de Vitamina B12, Púrpura Trombocitopênica,
Vasculites, Neoplasias e Hemólise Intravascular.
Plaquetas

Observamos aumento das plaquetas (plaquetose) nas respostas


às infecções, inflamação e hemorragia. Pode estar presente na
anemia ferropriva e doenças mieloproliferativas crônicas. A
diminuição das plaquetas (plaquetopenia) pode ser observada
em pacientes em uso de agentes químicos ou drogas que agem
por mecanismos imunes ou por supressão medular como ocorre
no uso de agentes Quimioterápicos antineoplásicos. Observamos
também plaquetopenia na púrpura trombocitopênica idiopática ou
secundária a doenças autoimunes, anemia aplástica e as
coagulopatias de consumo.
Visão Microscópica
Exemplo de lâmina hematológica,
com exemplos de hemácias,
leucócitos e plaquetas. É
importante que após a contagem
percentual dos glóbulos brancos, o
observador detenha-se a uma
acurada observação das hemácias
e possíveis alterações de tamanho
(anisocitose ou de forma
(poiquilocitose).A hematoscopia
constitui-se em segmento
importante do hemograma.