Você está na página 1de 29

A dentição dos mamíferos está adaptada

aos alimentos que o animal consome.


Se observamos a dentição temos
conhecimento do regime alimentar
do animal.
OS INCISIVOS SERVEM PARA:

CORTAR
Por isso são afiados e encontram-se
na frente da boca.
OS CANINOS SERVEM PARA:

AGARRAR e RASGAR

Por isso são pontiagudos.


Os herbívoros como não têm necessidade
de agarrar presas, não possuem caninos.
OS PRÉ-MOLARES SERVEM PARA:

TRITURAR

São rugosos e ajudam-nos a


desfazer a comida.
OS MOLARES SERVEM PARA:

MOER

São grandes, quase lisos e desfazem a


comida em bocadinhos muito
pequenos, estão no fundo da boca.
Os carnívoros têm uma dentição
completa, constituída por incisivos
pequenos, caninos fortes, desenvolvidos e
aguçados e molares com cristas
pontiagudas.
Muitos carnívoros têm garras fortes e
aguçadas para mais facilmente
agarrarem a presa.
Os omnívoros têm uma dentição completa,
constituída por incisivos, caninos e
molares.
Os herbívoros não têm dentição completa,
possuem incisivos e molares… ao espaço
que deveria ser ocupado pelos caninos
damos o nome de barra ou diastema.
Devido ao facto de os seus membros anteriores
estarem totalmente adaptados ao voo - com a
importante excepção das aves de rapina e
papagaios - a maior parte das aves apanha e
segura os seus alimentos com o auxílio do bico.
O bico das aves diferenciou-se numa grande
variedade de formas especializadas que lhes
permitem apanhar diferentes tipos de
alimentos, desde animais grandes a minúsculos
componentes de plâncton.
Os bicos têm
diversas funções
tais como:
• Intervir na
alimentação;
Servir de órgão
de defesa;
• Alisar as penas;
• Apanhar
materiais para a
construção de
ninhos.
Os bicos apresentam formas
diversas. Assim, podemos
encontrar:

 Bico forte e curvo, em forma


de gancho, próprio para
despedaçar a presa. É o que
acontece nas aves de rapina,
como a águia e o falcão.

 Bico curto, forte e cónico,


para poder apanhar e quebrar
sementes, como no pombo, no
pardal e no tentilhão.
 Bico recto e forte, para
apanhar insectos ou, por
vezes, sementes e frutos
como o que encontramos
no pica-pau.
 Bico largo e comprido,
próprio para filtrar a água,
como no pato e no ganso.
 Bico curto e fino,
próprio para apanhar
insectos em voo, como na
andorinha e no pisco.
Também as patas
apresentam formas
diferentes:
Ave granívora - Tem as patas
adaptadas à marcha para
poder procurar as sementes
no solo (1-Pombo).
Ave nadadora-filtradora - As
suas patas possuem uma
membrana interdigital ou
natatória a unir os dedos, o
que lhes permite a procura
de alimentos na água (2-
Pato).
Ave carnívora - As suas patas
são fortes e com garras bem
desenvolvidas, para ajudar a
agarrar e a rasgar a presa (3 -
Águia).
Ave trepadora - As suas
patas têm dois dedos virados
para a frente e dois para
trás, o que lhes permite uma
boa fixação a troncos
quando se alimentam (4-
Pica-pau).
Ave corredora - (5-Avestruz)
Não é apenas o corpo do
animal que tem adaptações
para capturar o seu alimento,
também o comportamento do
animal se adapta para melhor
obter o alimento.