P. 1
PROVAS PROJETIVAS PSICOPEDAGÓGICAS- procedimentos

PROVAS PROJETIVAS PSICOPEDAGÓGICAS- procedimentos

|Views: 3.886|Likes:
Publicado porLetícia Borges

More info:

Published by: Letícia Borges on Feb 21, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/02/2014

pdf

text

original

Avaliação da Prova: O vínculo com a aprendizagem pode ser abordado, investigando-se a relação: Com os objetos da aprendizagem; Com quem

ensina Com quem aprende consigo mesmo em uma determinada situação A representação destas três unidades de análises: objetos, ensinante e aprendiz e suas relações, são altamente expressivas do tipo de vínculo que cada ser humano estabelece com a aprendizagem. Contudo, é praticamente impossível detalhar todos os indicadores significativos de cada uma das três unidades de análise e suas relações, não deixam de ser critérios válidos recordar que os objetos de aprendizagem em sua manifestação externa podem ser concretos e abstratos; lingüísticos, matemáticos, históricos, etc..., escolares e extra-escolares, mas todos podem ser apreendidos de uma forma instrumental por imagens e operações ou hábitos, vale decidir como automatismos rígidos e irreversíveis. Tanto a apreensão instrumental como seu oposta depende de fatores cognitivos como afetivos os quais podem entremesclar-se e influir-se com pesos diferentes, pelo qual o discernimento do valor da influência de cada um é particularmente significativo. Dos movimentos, o de penetração do objeto mediante operações de análises e a do sujeito pelo objetivo, em virtude das identificações introjectivas são fundamentais para que ocorra uma aprendizagem adequada. A apresentação do ensinante como um facilitador e intermediário possui um valor positivo que implica gratidão e capacidade de reparação, opostamente, sua caracterização como perseguidor punitivo denota sentimentos diretamente opostos que implicam uma perturbação para o jogo de verdadeiras aprendizagens; ou seja, comprometem as estruturas que vão além de uma simples aquisição de conteúdo, que levam ao aprender a aprender. Quem aprende pode ser uma representação de si mesmo, representação que pode apresentar-se com distintos graus de consciência e inconsciência. O sentimento da capacidade que se tem, ou, que se não tem; da modificação da mesma; do grau de tolerância à frustração e muitos outros componentes emocionais do que o enfoque da Epistemologia Convergente denomina como Modelo de Aprendizagem. Por último, cabe agregar aos aspectos absolutos de cada unidade e análise os relativos: distâncias, tamanhos, posições, barreiras, etc... que na maioria dos casos falam por si mesmos sobre esta relação triangular.

Indicadores Mais Significativos: DETALHES DO DESENHO: Tamanho total Tamanho dos personagens Posição e distância dos personagens Posição dos objetos Distância de ambas personagens e a representação do objeto de aprendizagem Caráter completivo dos desenhos NOMES E IDADES DESIGNADOS: Correspondência com o entrevistado Correspondência com a situação desenhada TÍTULO DO DESENHO: Conteúdo do relato Correspondência entre o relato e o desenho Correspondência entre o relato e o título .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->