Você está na página 1de 1

FORMAÇÃO HUMANA – USANDO TECNOLOGIAS PARA APRENDER E ENSINAR

Margareth de Fátima Maciel

A educação possui a missão de resgatar em cada sujeito a capacidade de perceber as


complementaridades das relações humanas, constituir espaços para o desenvolvimento de capacidades
visando à produção de saberes, permitir a implementação de processos que viabilizem o despertar de
uma consciência que valorize o ser humano na sua essência. E, ainda, provocar o fomento da
consciência humana no que tange a rever sua escala de valores, na medida em que o ser humano, na
maioria das vezes, inibe seu potencial e a ampliação de sua mente, em prol de idéias que visam
exclusivamente o que determina a sociedade de consumo.
Segundo Maturana (2000, p.11), “a formação humana, como tarefa educacional, consiste na
criação das condições que guiam e apóiam o indivíduo em seu crescimento como um ser capaz de viver
no auto-respeito e no respeito pelo outro o que lhe proporciona aprender qualquer coisa e adquirir
qualquer habilidade”. Isso significa que a escolha deve ser feita a partir de si mesmo e não movido por
pressões externas.
Desse modo, a tarefa da formação humana é o fundamento de todo processo educativo. A
formação humana pretende desenvolver a prática do autoconhecimento profundo, cujas pessoas
passam a ser levadas por valores idealistas, têm capacidade de encarar e utilizar a adversidade, são
holísticas, celebram a diversidade, têm independência, perguntam sempre por quê, têm capacidade de
colocar as coisas num contexto mais amplo, têm espontaneidade, têm compaixão e capacidade de
seguir as próprias idéias e ir contra as convenções.
Quanto mais nos conhecemos, mais desenvolvemos nossas capacidades de viver e conviver no
mundo com toda a sua complexidade, enfrentar as adversidades com inteligência e este avanço poderá
evitar grandes desentendimentos, crises e desequilíbrios destrutivos provenientes de um nível de
inteligência inferior.
Qualquer relação com o saber comporta também uma dimensão de identidade: aprender faz
sentido por referência à história do sujeito, às suas expectativas, às suas referências, à sua concepção de
vida, às suas relações com os outros, à imagem que tem de si e à que quer dar aos outros. (CHARLOT,
2000, p. 72)
EM AMBIENTES DE APRENDIZAGEM É VITAL que o Educador aproxime o Educando da inter e da
intra-relação com a vida e sua complexidade.
AO CONTRÁRIO DISSO, estará abdicando o potencial humano dos seus aspectos contextuais
(social, cultural, biológico, afetivo, subjetivo, sistêmico e espiritual. (CAPRA, 2002, p. 81) A noção de
humanidade está estritamente relacionada à ciência da cognição. A experiência humana é a experiência
de que a mente e o corpo estão vivos numa unidade, essa experiência da unidade transcende não só a
separação entre mente e corpo, mas também a separação entre o eu e o mundo. (CAPRA, 2002, p.83)
Esse conceito proporciona aos sujeitos a apreensão do espaço vivido, de modo a discernir o
mundo de forma não linear, desestruturando a unidade – masculino/feminino, visível/invisível,
conhecido/desconhecido – na diversidade. Diante destas vivências voltadas ao Eu Interior, de cada
pessoa, pode-se inferir que o ser humano volta-se a uma busca que objetiva a influência dos
sentimentos mais profundos de cada indivíduo.
A atualidade clama pela cooperação, pela relação, pela força, pela vitalidade, por influências
benéficas, por entusiasmo criador, exigindo que a pessoa, perceba-se integrada à natureza humana e a
todos os sistemas vivos, conduzindo-a a apreender o sentido da vida e a compreender o mundo em toda
a sua complexidade. A educação está, então, relacionada a dar sentido à vida construindo um caminho
onde a cultura , o humano e o natural estejam sempre presentes.

Questões para discussão:

De que modo poderá ocorrer o processo de formação humana por meio dos dos ambientes
informatizados?

Como o uso da informática poderá favorecer a formação humana, levando em consideração a


resistência e as dificuldades de acesso às novas tecnologias, pela maioria das pessoas?