P. 1
Dança

Dança

4.67

|Views: 17.174|Likes:
Publicado porlagoadanta

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: lagoadanta on Apr 23, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/03/2014

pdf

text

original

Escola E.B. 2,3/S Dr.

ª Maria Judite Serrão de Andrade

A Dança

Trabalho elaborado para a disciplina de: Educação Física Trabalho elaborado por: Margarida Lopes nº 16 7.º A Patrícia Belém n.º 17 7.º A Rafaela Navalho n.º 20 7.ºA

1

Introdução
Nós vamos falar sobre a dança que é uma das três principais artes cénicas da Antiguidade, ao lado do teatro e da música. Caracteriza-se pelo uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia), ou improvisados (dança livre). Na maior parte dos casos, a dança, com passos cadenciados é acompanhada ao som e compasso de música e envolve a expressão de sentimentos potenciados por ela. A dança pode existir como manifestação artística ou como forma de divertimento e/ou cerimónia. Como arte, a dança se expressa através dos signos de movimento, com ou sem ligação musical, para um determinado público, que ao longo do tempo foi se desvinculado das particularidades do teatro. Actualmente, a dança se manifesta nas ruas em eventos como "Dança em Trânsito", sob a forma de vídeo, no chamado "vídeo dança", e em qualquer outro ambiente em que for contextualizado o propósito artístico.

2

História da Dança
A história da dança representa uma mudança de significação dos propósitos artísticos através do tempo. Com o Ballet Clássico, as narrativas e ambientes ilusórios é que guiavam a cena. Com as transformações sociais da época moderna, começou-se a questionar certos virtuosismos presentes no ballet e começaram a aparecer diferentes movimentos de Dança Moderna. É importante notar que nesse momento, o contexto social inferia muito nas realizações artísticas, fazendo com que então a Dança Moderna Americana acabasse por se tornar bem diferente da Dança Moderna Europeia, mesmo que tendo alguns elementos em comum. A dança contemporânea surgiu como nova manifestação artística, sofrendo influências tanto de todos os movimentos passados, como das novas possibilidades tecnológicas (vídeo, instalações). Foi essa também muito influenciada pelas novas condições sociais - individualismo crescente, urbanização e propagação, fazendo surgir novas propostas de arte, provocando também fusões com outras áreas artísticas como o teatro por exemplo.

3

Danças Nacionais e Populares
• Espanha - Fandango, Bolero, Jota, Seguidilha, Flamenco; • Itália - Tarantela, Furlana; • Inglaterra - Jiga; • Polónia - Mazurca e Polca; • Hungria – Xarda ; • Brasil - Baião e Samba (As danças brasileiras são um mesclado de factores negros, índígenas e europeus); • Portugal - Vira, Verde-Gaio, Malhão, Fandango Ribatejano, Pauliteiros de Miranda do Douro, Gota, Chula, Corridinho, Saias, Fandango, a Dança de Roda, a Valsa de Dois Passos, a Chotiça, o Corridinho;

Danças Nacionais e Populares : Espanha: Flamenco:
O flamenco é um estilo musical e um tipo de dança fortemente influenciado pela cultura cigana, mas que tem raízes mais profundas na cultura musical mourisca, influência de árabes e judeus. A cultura do flamenco é associada principalmente a Andaluzia na Espanha, e tornou-se um dos ícones da música espanhola e até mesmo da cultura espanhola em geral. O "novo flamenco" é uma variação recente do flamenco que sofreu influências da música moderna, como a rumba, a Salsa, o pop, o rock e o jazz. Originalmente, o flamenco consistia apenas de canto (cante) sem acompanhamento. Depois começou a ser acompanhado por guitarra (toque), palmas, sapateado e dança (baile). O “toque” e o “baile” podem também ser utilizados sem o “cante”, embora o canto permaneça no coração da tradição do flamenco. Mais recentemente outros instrumentos como o 4

“cájon” (uma caixa de madeira usada como percussão) e as castanholas foram também introduzidos.

Itália: Tarantela:
A tarantela (em italiano tarantella) é uma dança popular e composição musical, em compasso binário composto (6/8), geralmente em modo menor, de caráter vivo, caracterizada pela troca rápida de casais (diz-se que dançar a tarantella a sós traz má sorte). Forma-se um círculo dançante, executado no sentido horário até a música se tornar rápida, quando todos trocam de direção. O ciclo ocorre algumas vezes, eventualmente ficando tão rápido que é muito difícil manter o ritmo. Em geral é conduzida por um cantor central e acompanhada por castanholas e tamborim. Historicamente, a palavra é associada ao tarantismo, tarentismo ou tarantulismo manifestação de delírio convulsivo atribuída, segundo a crença popular, à substância tóxica inoculada pela tarântula, aranha venenosa muito comum na Europa meridional. Segundo a crença popular, a toxina induziria à dança frenética - daí o nome tarantella. De todo modo, vocábulos como tarantela, taranta, tarantismo e similares, derivam do nome da cidade de Taranto, raiz linguística comum e mais antiga.

Inglaterra:
5

Jiga:

Esta é uma antiga dança Inglesa, muito animada. Já pouco se ouve falar desta dança.

Polónia: Mazurca: A mazurca é uma dança tradicional de origem polaca, feita por
pares formando figuras e desenhos diferentes, em compasso de ¾ e tempo vivo. A sua característica é o ritmo pontuado, com acento típico no 2º e 3º tempo do compasso. A mazurca é semelhante à oberca, que é uma variante desta dança mas muito rápida. A mazurca era frequentemente utilizada pelos compositores da Polónia da era romântica, como Chopin, Moniuszko ou Wieniawski. Na Polónia já não se dança a mazurca, mas em Cabo Verde ainda hoje é dançada e tocada em quase todas as ilhas com incidência nas de Santo Antão, São Nicolau e Boavista. Tornou-se também tradicional dançarse mazurca no condado de Nice na França.

Brasil: Samba: Esse estilo tem origem no Brasil no início do século XX. O samba
era conhecido como maxixe até por volta de 1915. Devida a sua popularidade, essa dança se proliferou para outros países. Em uma reunião internacional de professores de dança em 1923 foi reconhecida a popularidade do samba, principalmente na França.

Portugal:

A dança em Portugal depende muito do folclore português e este, por sua vez, das diferentes regiões do país. Das muitas danças que 6

existem, podem destacar-se o Fandango, a Dança de Roda, a Valsa de Dois Passos, a Chotiça, o Corridinho, o Vira e o Verde Gaio.

Algarve:

O corridinho é uma das danças tradicionais de maior expressão no Algarve. É dançado aos pares, as raparigas por dentro e os rapazes por fora. Giram no mesmo lugar, movendo os pés de forma rápida. Apesar de ser no Algarve que atinge maior notoriedade, também na Estremadura faz parte do folclore local.

Madeira: Nas diferentes regiões de Portugal há diferentes tradições, e
a Madeira não é excepção. O Bailinho da Madeira, ou simplesmente bailinho, é a dança típica mais conhecida da ilha. É acompanhada do brinquinho - o instrumento regional tradicional, feito com castanholas, fitilhos e bonecos de paus, vestidos com o traje regional, que quando chocalhados contra a cana que os sustem, emite som.

Minho: O Minho, sobretudo o Alto Minho, é rico em danças tradicionais,
das quais se destacam o Vira a Chula, a Cana Verde (na imagem) e o Malhão. O que mais sobressaí delas, à parte da dança propriamente dita, é o vestuário das mulheres, que com as suas cores e acessórios variados, adornam o bailado, deixando um ambiente mais bonito e elegante.

7

Ribatejo: No Ribatejo a dança com maior difusão é o Fandango. É uma
espécie de dança em que o homem gira em torno da mulher cantando e gritando de forma entusiástica. Por vezes a dança é feita por dois homens que "competem", um contra o outro, frente a frente, sapateando o melhor que poderem.

Trás-os-Montes:

Em Trás-os-Montes, os Pauliteiros de Miranda fazem uma dança que se mostra muito relevante no folclore da região. Um grupo de homens vestidos com trajes típicos enfrentam-se uns aos outros com palotes. A dança evoluí com o som ritmado dos palotes a baterem e os movimentos dos intervenientes. Nestas "danças-combates" não entram mulheres, e o seu símbolo é a Capa de Honra.

Géneros de Dança
Existem quatro grandes grupos de estilos de dança, que são: 8

• Clássico - conjunto de movimentos e de passos, elaborados em sistema e ensinados no ensino coreográfico; • De salão - praticada nas reuniões e nos dancings; • Moderno - que se libertou dos principios rígidos da dança académica e serviu de base para o bailado contemporâneo; • Rítmico - enfatizando a beleza e a destreza dos movimentos mais tendenciados à técnica ligada à música e ao ritmo.

Denominação dos tipos
Ballet, Ballroom, Bolero, Break-dance, Capoeira, Ceroc, Can Can, Cha-ChaCha, Contemporânea, Contra-dança, Country Western, Disco, Flamenco e Spanish Gypsy, Folk and Traditional, Foxtrot, Funk, Jazz, Line Dance, Mambo, Merengue, Middle Eastern, Modern, Polka, Religiosas e dança Sacra, Rumba, Salsa, Samba, Swing, Scottish, Country Dancing, Square Dance, Tango, Twist, Valsa, Western, Ballet, Sapateado, Tango, Salsa, Valsa, Forró, Danças de Roda, Catira, Carimbó, Reisado, Sarabanda, Bourré, Gavota, Dança de Salão, Axé, Sufi, Hip Hop…

Alguns tipos de dança (da lista acima, pormenorizadamente) Valsa:
As valsas foram muito tocadas nos salões vienenses e muito dançada pela elite da época. Durante meados do século XVIII, a allemande, 9

muito popular em França, já antecipava, em alguns aspectos, a valsa. O estilo foi depois reinterpretado por compositores como Frédéric Chopin, Johannes Brahms e Maurice Ravel. Johann Strauss Jr. Compôs mais de duzentas valsas. Actualmente as valsas são regularmente interpretadas pelas mais importantes orquestras mundiais. O género musical gerou danças com braços entrelaçados ao nível da cintura, tornou-se logo uma dança independente com contacto mais próximo entre os parceiros. No fim do século XVIII a dança passou a ser aceite pela alta sociedade especialmente pela sociedade vienense.

Carimbó:

O Carimbó é considerado um estilo musical de origem indígena, porém, com outras diversas manifestações culturais brasileiras porque se misturou com outros géneros e recebeu outras influências. O Carimbó tem influência negra, presente no ritmo percussivo e influências portuguesas (os estalos dos dedos e palmas em algumas partes da dança) e europeias em geral, recebendo a carga melódica do colonizador. Surgida em torno de Belém na zona do salgado (Marapanim, Curuça, Algodoal...) e na Ilha de Marajó, passou de uma dança tradicional para um ritmo moderno. Na forma tradicional, é acompanhada por tambores feitos com troncos de árvores. Aos tambores se dá o nome de "curimbó", uma corruptela da palavra Carimbó. Costumam estar presentes também os maracás. Nos anos 60 e 70, adicionaram-se ao carimbó instrumentos eléctricos (como guitarras) e influências do merengue e da cúmbia.

10

Dança de salão: A dança

de salão tem origem nos bailes das cortes reais europeias tomando forma na corte do Rei Luiz XIV na França. É possível que o abraço lateral venha do fato que na época os soldados carregavam a espada no lado esquerdo, como mostra nas fotos "O Bailarino" de Caroso. Também era evidente a postura clássica, erecta e com o torso fixo como no ballet que tem a mesma origem. A forma de dança em casal foi levada pelos colonizadores para as diversas regiões das Américas aonde deu origem às muitas variedades a medida que se mesclava às formas populares locais. As primeiras danças criadas foram o charleston e o lindy hop essas deram origem a vários outros tipos de danças de swing americanos como o jitterbug, o balboa, o west coast swing e o lindy hop que é dançado hoje. Existe uma versão brasileira semelhante ao swing chamada soltinho. No Brasil, sete ritmos são os mais praticados, tanto nos bailes quanto nas escolas especializadas, sendo eles: Bolero, Soltinho, Samba, Forró, Lambada/Zouk, Salsa e Tango.

Ballet:

O ballet tem suas raízes na Itália renascentista através das

pantomimas (peças de teatro sem falas, utilizando apenas expressões faciais e corporais, geralmente improvisada) que eram realizados por atores e circenses em grandes salões para membros da corte. O casamento da italiana Catarina de Médicis com o Rei Henrique II da França em 1533 deu um importante impulso para o desenvolvimento do balé. Diversos artistas especializados em grandes e luxuosos espetáculos foram trazidos da Itália. 11

Em 1581 Catarina de Médicis produziu o Ballet Comique de la Reine em Paris sob a direcção do músico italiano Baldassarino de Belgiojoso ou Balthazar de Beaujoyeulx, nome que adotou na França. O balé tomou a forma na qual é conhecido hoje na França, durante o reinado de Luis XIII. No ano de 1661, seu filho Luis XIV fundou a Académie de Musique et de Danse, com o objetivo de sistematizar, preservar a qualidade e de fiscalizar o ensino e a produção do balé. Luis XIV nomeou Charles Louis Pierre de Beauchamps para tomar a frente da instituição que foi dissolvida em 1780. Os chamados balés de repertório se baseiam em composições musicais que contribuíram para torná-lo popular na Europa e depois no resto do mundo. Alguns dos balés mais notáveis são: Coppélia, de Léo Delibes, O Pássaro de Fogo, de Igor Stravinsky, O Quebra-Nozes e O Lago dos Cisnes, ambos de Tchaikovsky. A partir do Romantismo, as mulheres passaram a se destacar e contribuir para o aperfeiçoamento da arte. Marie Camargo por exemplo, criou o jeté, o pas de basque e o entrechat quatre, além de encurtar os vestidos até acima dos tornozelos e calçar sapatos sem saltos.

Bharatanatyam:

Bharatanatyam é uma dança clássica indiana originada num estado do sul chamado Tamil Nadu. Bharatanatyam é um espectáculo de dança tradicional do Sul da Índia, caracterizado por linhas geometricamente perfeitas, por voltas e saltos e batidas dos pés que marcam ritmos complexos. À técnica pura, acrescenta-se o abhinaya: expressões da cara, acompanhadas por gestos das mãos e posturas do corpo.

Sapateado: Sapateado é um estilo de dança, originalmente irlandesa,
na qual os dançarinos fazem ruídos sincopados com os pés. 12

Breakdance:

Breakdance foi o nome dado pela mídia a quatro danças urbanas que surgiram nos anos 70: O Break ou Bboying de Nova Iorque e ao Popping e Locking de Los Angeles. Este termo é discriminado e considerado desrespeito à cultura hip hop e as danças urbanas. - O bboying tem vários fundamentos,que são top rock,foot work,freeze e o power moves. - O popping que de movimentos inspirados nos soldados quando se deslocavam depois de serem baleados. - O loocking e um movimento mais engresado digamos assim que o dançarino transmite ao dançar.

Breakdance (B-boying, Popping e Locking), por convenção, chama-se todas essas danças de Breakdance ou B-Boying. Apesar de terem a mesma origem, são de lugares distintos e por isso apresentam influências das mais variadas. Desde o início da década de 60, quando a onda de música negra assolou os Estados Unidos, a população das grandes cidades sentia uma maior proximidade com estes artistas, principalmente por sua maneira verdadeira de demonstrar a alma em suas canções.

Dança Contemporânea: Mais que uma técnica específica, a dança
contemporânea é uma colecção de sistemas e métodos desenvolvidos a partir da dança moderna e pós-moderna. O desenvolvimento da dança 13

contemporânea foi paralelo, mas separado do desenvolvimento da New Dance na Inglaterra. Distinções podem ser feitas entre a dança contemporânea estadunidense, canadense e européia. A dança contemporânea não se define em técnicas ou movimentos específicos, pois o intérprete/bailarino ganha autonomia para construir suas próprias partituras coreográficas a partir de métodos e procedimentos de pesquisa como: improvisação, contacto-improvisação, método Laban, técnica de release, Body Mind Centery (BMC), Alvin Nikolai. Esses métodos trazem instrumentos para que o intérprete crie suas composições a partir de temas relacionados a questões políticas, sociais, culturais, autobiográficas, comportamentais e cotidianas, como também a fisiologia e a anatomia do corpo. Aliado a isso, viu-se a necessidade da pesquisa teórica para complementação da prática. O corpo na dança contemporânea é construído na maioria das vezes a partir de técnicas somáticas, que trazem o trabalho da conscientização do corpo e do movimento, como a técnica Alexander, Feldenkrais, eutonia, Klauss Vianna (Brasil), dentre outras.

Merengue:

O merengue é uma dança nacional dominicana, mas também conhecida em Porto Rico, Haiti, Venezuela e Colômbia, na qual um dos pés marca o tempo e o outro é arrastado no chão. Em sua origem foi uma dança crioula, e sua primeira referência escrita data do século XIX. O estilo mais popular do merengue é habitualmente interpretado por um amplo conjunto de instrumentos que inclui vários saxofones, acordeões, trompetas e teclados, com vocalistas divertidos. Ao nível coreográfico, o merengue apresenta passos fáceis e rápidos, dançados por casais entrelaçados. Os instrumentos mudaram, mas o ritmo continua inconfundível. A dança é muito alegre e contagiante, com passos fáceis que permitem a cada dançarino se expressar através de seu gingado.

14

Hip Hop: Hip hop é um movimento cultural iniciado no final da década
de 1960 nos Estados Unidos como forma de reacção aos conflitos sociais e à violência sofrida pelas classes menos favorecidas da sociedade urbana. Como movimento cultural, o hip-hop tem servido como ferramenta de integração social e mesmo de re-socialização de jovens das periferias no sentido de romper com essa realidade.

Cha-Cha-Cha:

Cha-cha-cha é um estilo de dança latino-americano derivado da rumba, do mambo e do danzon cubano. Corresponde ao estilo musical de mesmo nome, introduzida pelo compositor e violinista cubano Enrique Jorrín. Inspirado no som dos pés dos dançarinos ao arrastá-los pelo chão, esse estilo acabou tornando-se independente, com características próprias de música e dança. Popularizou-se no mundo com as formações das Big Bands, onde havia claro predomínio de instrumentos de sopro. O chacha-cha nasceu originalmente em Havana nos anos 40.

Conclusão
15

Nós concluímos com este trabalho que a dança esta dividida em vários temas/grupos, e que serve para divertir e para exprimir o que sentimos.

Bibliografia
Nós concluímos este trabalho com a ajuda dos seguintes sites: www.wikipedia.com e www.google.com(dança) (texto) www.google.com (imagens) 16

Índice
Introdução………………………………………………………………………………………………………2 História da dança………………………………………………………………………. …………………3 Danças Nacionais e Populares…………………………………………………………………….4 Danças Nacionais e Populares: Espanha: Flamenco……………………………….4 Itália: Tarantela……………………………………………………………………………………………5 Inglaterra: Jiga…………………………………………………………………………………………….5 Polónia: Mazurca……………………………………………………………………………………………5 17

Brasil: Samba………………………………………………………………………………………………5 Portugal………………………………………………………………………………………………………….6 Algarve……………………………………………………………………………………………………………6 Madeira…………………………………………………………………………………………………………..6 Minho……………………………………………………………………………………………………………….6 Minho (continuação)……………………………………………………………………………………...7 Ribatejo……………………………………………………………………………………………………………8 Trás-os-Montes……………………………………………………………………………………………...8 Géneros de dança…………………………………………………………………………………………...9 Denominação dos tipos…………………………………………………………………………………...9 Alguns tipos de dança…………………………………………………………………………………….10 Valsa…………………………………………………………………………………………………………………..10 Carimbó……………………………………………………………………………………………………………..10 Dança de salão………………………………………………………………………………………………….11 Ballet………………………………………………………………………………………………………………….11 Ballet (continuação)…………………………………………………………………………………………12 Bharatanatyam…………………………………………………………………………………………………12 Sapateado………………………………………………………………………………………………………….13 Breakdance………………………………………………………………………………………………………..13 Dança Contemporânea……………………………………………………………………………………..14 Merengue……………………………………………………………………………………………………………14 Merengue (continuação)………………………………………………………………………………….15 Hip Hop……………………………………………………………………………………………………………….15 Cha-Cha-Cha……………………………………………………………………………………………………….15 Conclusão…………………………………………………………………………………………………………….16 Bibliografia…………………………………………………………………………………………………………17

18

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->