P. 1
Trabalho Sobre Queimaduras e Ferimentos

Trabalho Sobre Queimaduras e Ferimentos

|Views: 3.724|Likes:
Publicado porTecPatrick
TRABALHO SOBRE QUEIMADURAS, FERIMENTOS ILUSTRATIVO
TRABALHO SOBRE QUEIMADURAS, FERIMENTOS ILUSTRATIVO

More info:

Published by: TecPatrick on May 17, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/25/2013

pdf

text

original

QUEIMADURAS E FERIMENTOS

Turma 01

1

QUEIMADURAS

2

Queimaduras
São lesões da pele, provocadas pelo calor, radiação, produtos químicos ou certos animais e vegetais, que causam dores fortes e podem levar a infecções.
 
3

nO

Conceitos e informações
fogo é o principal agente das

queimaduras, embora as produzidas pela eletricidade sejam de todas, as mais mutilantes. lavradores e pescadores, pode provocar a urticária solar.

nA nA

exposição ao sol, comum entre dor na queimadura é resultante

do contato dos filetes nervosos com o ar. n Não se cobre queimadura.

4

As manifestações mais importantes são:
n Não

eliminação de toxinas(não há suor) n Formação de substancias tóxicas n Dor intensa que pode levar ao choque n Perda de líquidos corporais n Destruição de tecidos n Infecção
5

Classificações das Queimaduras

nAgente

causador nProfundidade e grau nExtensão ou severidade nLocalização nPeríodo evolutivo

6

Agentes causadores

n

FÍSICOS

Temperatura: vapor, água quente, etc. Eletricidade: corrente elétrica, raio, etc. Radiação: sol, aparelhos de raios X, etc.

n

n

7


n

QUÍMICOS

Produtos químicos: gasolina, ácidos,álcool etc.


n

BIOLÓGICOS

Animais: água-viva,lagarta-de-fogo. Vegetais: urtiga, o látex de certas plantas, etc.
8

n

Profundidade ou grau da queimadura

1º grau: só atinge a epiderme ou a pele (causa vermelhidão).

9

Profundidade ou grau da queimadura

2º grau: atinge toda a epiderme e
a parte da derme(forma bolhas).

10

Profundidade ou grau da queimadura 3º grau: atinge toda a epiderme, a derme e
outros tecidos mais profundos, podendo chegar até os ossos

11

Extensão ou severidade da queimadura

Área corporal atingida.
corporal atingida da pele coberta

n Baixa: menos de 15% da superfície

n Média: entre 15 e menos de 40%

n Alta: mais de 40% do corpo queimado.
12

Para avaliar a extensão das queimaduras

Compará-las com a superfície da palma da mão do acidentado, que corresponde, aproximadamente a 1% da superfície corporal.

13

Cuidados aos queimados

Retirar a vítima do contato com a causa da queimadura: apagando o fogo, se for o caso, com extintor apropriado;

 

n n

Verificar se a respiração,  o batimento cardíaco e o  nível de consciência do  acidentado estão normais;
n

14

n Mergulhar

a parte queimada em

água.
n
n
 

n Não

aplicar pomadas, líquidos, cremes e outras substâncias sobre a queimadura e não furar as bolhas
15

n

Mas, não dê água a pacientes com mais de 20% do corpo queimado;

n n

n

Deve-se providenciar o transporte imediato do acidentado, quando a área do corpo queimada for estimada entre 60 e 80%.

n
16

Insolação e intermação
n

A insolação é causada pela ação direta dos raios solares sobre o corpo humano com a cabeça desprotegida. Os sintomas são: cefaléia intensa, vertigens, transtornos visuais, etc.

n n n

A intermação é a sensação de calor independente da atuação direta dos raios solares. Os sintomas são: vermelhidão na face, náuseas, mal estar, etc.
17

Queimaduras solares
Principalmente em indivíduos de cor branca, que trabalham em atividade a céu aberto. A pele fica vermelha, doída e irritada.

n

n

18

FERIMENTOS

19

DEFINIÇÃO
São lesões resultantes de agressões sobre os tecidos moles provocado por um agente traumático.
20

CLASSIFICAÇÃO
 

Ocorre lesão aberta da pele ou mucosas.

Abertos


Fechados

As lesões estão localizadas nos tecidos ou órgãos abaixo da pele.
21

ABRASÃO E ESCORIAÇÕES São lesões superficiais da pele, causadas por atrito.

22

INCISÕES São lesões produzidas por agentes cortantes.

23

CORTO-CONTUSAS Lesão tecidual aberta associada à contusão.

24

PENETRANTES PERFURANTES

São provocadas por objetos pontiagudos e afiados.

25

PERFURO - CONTUNDENTES Lesões produzidas por projéteis, geralmente apresentam orifícios de entrada e saída.

26

INCRUSTADOS OU ENCRAVADOS
Lesão com objeto inserido que permanece fixo aos tecidos.

27

TRANSFIXANTES
São lesões que atravessam o segmento do corpo.

28

LACERANTES
Lesões causadas por objetos com várias faces cortantes.

29

MUTILANTES
Produzidas quando o agente traumático atravessa determinada região do corpo, causando perda de certa porção, como membros.

30

CONDUTAS NOS FERIMENTOS ABERTOS
n

Ferimentos superficial: lavar com água e sabão neutro, em seguida cobrir com pano limpo para evitar contaminação. Ferimento profundo: cubra o local com pano limpo. Na presença de sangramento faça compressão local sobre o curativo. Elevar o membro ferido acima do nível do tórax. 31 (Braços e pernas).

n

FERIMENTOS FECHADOS
n

Têm como causas as contusões, caracterizando-se por esquimoses ou hematomas.

32

Pequenos ferimentos fechados:
n

Deve-se repousar a região ferida e aplicar bolsas de gelo ou compressas frias.

n

33

Grandes ferimentos fechados:atenção a sinais n Deve-se manter a

e sintomas de sangramento interno, como: pele pálida, fria e úmida;

n

Presença de cianose(coloração azul-arroxeada da pele); Pulso fino e rápido;

n

n

Agitação , sonolência ou inconsciência.

34

FERIMENTOS ESPECIAIS
n

Cabeça: frequentemente são acompanhados de lesões na coluna cervical, portanto, a imobilização cervical é obrigatória.

35

n n

Couro cabeludo: Lesões abertas no couro cabeludo podem provocar sangramento importante, devido a um grande número de vasos sanguíneos nesta região. Nos ferimentos fechados na cabeça, há presença de edema, pode ocorrer rompimento de vasos sanguíneos, necessitando de avaliação médica

n n

36

TRAUMA DE CRÂNIO
n

Lesão cerebral, em geral associada à fratura dos ossos do crânio. Sintomas: dor de cabeça, alteração da consciência, deformidades do crânio, sangramento pelo ouvido e/ou nariz,hematoma ao redor dos olhos, hematomas atrás das orelhas, dificuldade para mover qualquer parte do corpo, vômitos 37 e crise convulsiva.

n

n

Quando o ferimento for provocado por objeto perfurante e este permanecer incrustado, não deve ser retirado. Realiza-se a imobilização do objeto, e acionase serviço de emergência médica.

 

Na presença de ferimentos na cabeça deve-se:

n

Verificar os sinais vitais n Fazer avaliação cuidadosa da cabeça
n

38

Se houver ferimento superficial, lavar com água e sabão neutro. n Se o ferimento for profundo com sangramento abundante faça um curativo oclusivo, sem realizar compressão. n Se a vítima estiver inconsciente ou evoluir com alteração da consciência, deve-se acionar um serviço médico de emergência imediatamente.
n

39

FACE
Nos ferimentos da face, desobstruir e assegurar as vias aéreas pérvias. n Em casos de objeto transfixante na bochecha que penetra na cavidade oral, deve-se removê-lo para evitar seu deslocamento e obstrução das vias aéreas.
n
40

OLHOS
Ferimentos nos olhos tratados precocemente podem evitar a perda da visão. n As feridas oculares devem ser cobertas por curativos oclusivos não compressivos. n Objeto estranho inserido no olho não deve ser retirado, exceto por especialista.
n n
41

n

Nas queimaduras químicas oculares produzidas por substâncias ácidas ou alcalinas, recomenda-se irrigação intensa do olho afetado com soro fisiológico ou água limpa, por cerca de 20 minutos, protegendo o olho sadio. Na vigência de perfuração ocular, não pingar colírio ou qualquer outro medicamento no olho.
42

n n

TÓRAX
Frequentemente o tórax é acometido por contusões. n A gravidade das lesões está relacionada com o mecanismo do trauma. n As principais queixas são dor e dificuldade respiratória. n Objetos encravados não devem ser retirados, mas, imobilizados para evitar o deslocamento durante o transporte.
n

43

ABDOME
n

Muitas vezes, as lesões abdominais fechadas não são evidentes.

 

Desse modo, devem ser considerados : Dor local e presença de equimoses ou hematomas.

n

44

n

Na presença de exteriorização de orgãos, o socorrista não deve tentar reintroduzir as vísceras, estas devem ser cobertas com plástico ou pano limpo. Manter a vítima aquecida e em posição confortável. Ela não deve ingerir líquidos. Em caso de vômitos, virar a cabeça para um dos lados.

n

n
n

n
n

n

45

EXTREMIDADES
n

As orientações para os ferimentos de extremidades são as mesmas já citadas, para ferimentos abertos ou fechados. As roupas deverão ser cortadas para expor a lesão. Imobilizar eventuais objetos encravados e não aplicar nada sobre as lesões.

n

n
n

n

46

HEMORRAGIA
É a perda aguda de sangue devido ao rompimento dos vasos sanguíneos. n Quando o sangramento é arterial, ocorre maior perda de sangue, pois dentro desses vasos a pressão é elevada. n Sangramentos arteriais são graves e podem levar a vítima rapidamente a um estado de 47 choque hemorrágico.
n

HEMORRAGIA INTERNA:
n

Ocorre quando não há ferimento aberto, portanto, o sangramento não é visível, acumulando-se dentro das cavidades do corpo.

HEMORRAGIA EXTERNA:
Ocorre quando o sangramento é visível.
48

n n

CONDUTAS PARA INTERROMPER O SANGRAMENTO
Aplicar curativo compressivo com gaze ou pano limpo; n Fazer pressão direta sobre o curativo com as mãos; n Elevar o membro , se não cessar a hemorragia n Adicionar curativos, caso não cesse a hemorragia; n Aplicar pressão sobre o ponto arterial correspondente a lesão, 49 caso o sangramento persista.
n

CONDUTAS NA AMPUTAÇÃO
Cubra ou envolva o membro amputado com curativo, colocando-o em um saco plástico limpo e impermeável. n A parte amputada deverá ser transportada com a vítima para possível reimplante.
n
50

SANGRAMENTO NASAL

É comum o sangramento espontâneo do nariz, devido á ruptura de vasos sanguíneos. Geralmente causada por infecção, problemas na coagulação sanguínea ou pressão arterial elevada.
51

O socorrista deve:
n Tranquilizar

a vítima e deixá-la sentada, com a cabeça inclinada ligeiramente para frente; continuamente as narinas por 15 minutos;

n Pressionar

52

Aplicar compressas frias ou bolsa de gelo sobre o nariz;  Não permitir que a vítima assoe o nariz;  Encaminhá-la ao hospital se o sangramento persistir por mais de 15 minutos.

53

GRANDES HEMORRAGIAS

Podem ser decorrentes de sangramentos internos ou externos abundantes e a vítima poderá apresentar sinais de choque hemorrágico.

54

O socorrista deve:
n
n

Solicitar ajuda; Deitar a vítima; Manter as vias aéreas abertas; Controlar sangramentos evidentes; Imobilizar fraturas;
55

n
n

n
n

n
n

n

Elevar os membros inferiores, aproximadamente 30 cm, se não houver suspeita de traumatismo craniano, trauma de coluna ou de membros inferiores; Aquecer a vítima; Não oferecer líquidos ou alimentos à vítima.
56


Apresentação criada por Patrick Auerbach Ano 2009 Imagens obtidas da internet Obrigado!
57

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->