Você está na página 1de 6

acustica.

qxd 11/3/2005 15:03 Page 36

CAPA

Barulho domado
Construtoras ainda relutam a fazer projeto acústico, apesar de usuários
sinalizarem o desconforto com o desempenho de apartamentos e escritórios.
Veja os materiais e as técnicas que podem isolar, absorver ou refletir os ruídos

eclamações de usuários por


R

Fotos: Marcelo Scandaroli


causa de ruídos em edificações
geralmente têm fundamento. Quase
sempre a origem do barulho é o pró-
prio prédio. A afirmação é dos con-
sultores em acústica ouvidos por
Téchne e vale para ruídos oriundos de
tubulações e equipamentos. "As pato-
logias no âmbito da acústica são per-
niciosas porque o usuário não coloca
a culpa no edifício, mas sim no vizi-
nho", analisa o arquiteto e especialista
em conforto ambiental Walter Gal-
vão. Assim, é de responsabilidade da
construtora prever e providenciar so-
luções para situações de descontrole
acústico, tarefa a ser executada por ar-
quitetos, consultores e projetistas.
A constatação, alcançada após
compilação das opiniões de usuários,
deveria provocar uma realimentação
do processo construtivo. Esse efeito
vem sendo observado, ainda que ti-
midamente, em alguns apartamentos
luxuosos. Moradores de habitações
populares também sofrem com o ba-
rulho excessivo. São os empreendi-
mentos de padrão elevado que mos-
tram um desempenho mais satisfató-
rio. "O usuário não agüenta a falta de
privacidade, quando fez um investi-
mento alto", explica o consultor José
Augusto Nepomuceno.
Não há uma diferenciação signifi-
cativa entre as exigências acústicas de
edifícios residenciais e comerciais.

36 TÉCHNE 96 | MARÇO DE 2005


acustica.qxd 11/3/2005 15:03 Page 37

Para Nepomuceno, as diferenças se


concentram na necessidade de dimi-
nuir o ruído de fundo em residências,
Por onde começar
principalmente em dormitórios, e os A atenção do construtor deve, num
decorrentes de impactos. primeiro momento, voltar-se para
Para atacar a fonte é importante o tipo e o nível de ruídos existentes
entender mecanismos e característi- no local do empreendimento.
cas dos ruídos. Podem ser aéreos ou Confrontada com as exigências
de impacto – internos ou externos. do edifício, a análise resultará na
São aéreos quando a transmissão não proporção da solução ou nos índices
depende de contato com a estrutura e de redução que os materiais devem
de impacto quando o canal transmis- alcançar. Isso seria definido,
sor é a laje, as paredes ou os pilares. portanto, pelo desempenho.
Os elementos empregados para O arquiteto Walter Galvão explica
reduzir a transmissão sonora podem que a implantação, bem como
ser isolantes ou absorventes. Os pri- o direcionamento das aberturas
meiros apenas evitam que o ruído ge- e a disposição dos ambientes, são
rado num ambiente passe para outro, pontos vitais para o desempenho acusticamente eficientes existentes
podendo refletir nos revestimentos e acústico da edificação. "Grande parte no prédio. Se o ar-condicionado
causar reverberação. Os absorventes dos problemas surgem na fase de estiver ao lado das salas de reunião
reduzem a transmissão entre am- escolha do terreno, quando devem ser de um escritório, por exemplo, um
bientes e a reflexão. observadas as principais fontes sistema de isolamento deverá ser
Essas características não permi- de ruído próximas", completa. providenciado. Caso seja possível
tem classificar as soluções entre me- O layout do edifício – a disposição dos localizar o equipamento num local
lhor ou pior. Uma residência não ambientes internos – pode aumentar com maior tolerância ao barulho, esse
pode ter todo o som interno absorvi- ou diminuir a quantidade de elementos custo será eliminado ou minimizado.
do e estar vedada contra o externo,
por motivos psicológicos. O silêncio
exagerado causa a sensação de ausên- como automóveis e aparelhos de ar- pamentos de prédios vizinhos, en-
cia de atividade humana nos arredo- condicionado. No entanto, dependen- quadram-se na Resolução no 1 do
res e, conseqüentemente, solidão e do do volume, e se ocorrem poucas Conama (Conselho Nacional do
depressão nas pessoas. vezes por dia, podem não exigir ne- Meio Ambiente), que responsabiliza
Os ruídos externos são, geral- nhum tratamento específico. o gerador pela solução.
mente, aéreos e ocasionados fora dos Internamente, os problemas são
limites da estrutura. Os internos de- Barulho localizado diferentes. Além do ruído aéreo entre
correm de atividades dos usuários ou Exceto em casos específicos, o ambientes, exigem cuidados os ruí-
dos equipamentos localizados no problema mais fácil de solucionar é o dos de impacto e o tempo de reverbe-
edifício. Em todo caso, o desconforto do ruído aéreo externo. Fechamento ração. O primeiro, em edificações co-
que causam depende do volume em e vedação eficientes costumam ate- merciais e residenciais, compromete
decibéis, da quantidade de ocorrên- nuar o som vindo da rua. Em casos a privacidade, o repouso e a concen-
cias ao longo do tempo e da freqüên- mais complexos é possível lançar tração, exigindo divisórias e envoltó-
cia de onda. De modo geral, freqüên- mão de esquadrias acústicas ou alve- rias isolantes. A reverberação, tanto
cias mais baixas – campainhas, por naria preenchida com absorventes em razão do tempo como da freqüên-
exemplo – causam irritação. O con- sonoros. Fontes externas de ruído in- cia, é mais difícil de resolver em espa-
trário vale para freqüências baixas, tenso, como casas de show ou equi- ços amplos, já que depende, em gran-

37
acustica.qxd 11/3/2005 15:03 Page 38

CAPA

PROBLEMAS MAIS FREQÜENTES

Componente Problema Residencial Comercial


Lajes Transmissão de ruído aéreo Nas residências, é fonte Raramente é problema
e de impacto. A redução de som de incomodo. Solução: piso em escritórios salvo
aéreo varia com a espessura, flutuante, carpete, na transmissão de ruídos
mas o de impacto depende forro suspenso de máquinas
mais do amortecimento
Revestimento Carpete, madeira, granito têm O uso de carpete pode diminuir Nos escritórios, o problema
de piso amortecimentos diferentes. significativamente a transmissão de ruído de impacto é menor.
Podem influenciar na transmissão de ruído de impacto O uso de carpete pode
de som de impacto, mas pouco diminuir a energia acústica
na transmissão aérea reverberante
Janelas Transmissão de ruído de tráfego. Prejuízo ao sono, relaxamento, Prejuízo à concentração
A espessura e tipo dos vidros concentração e comunicação. e em alguns casos à
devem ser escolhidos em função Solução: vidros duplos ou comunicação. Solução: vidros
do ruído externo e do ambiente vidros laminados duplos ou vidros laminados
Portas Transmissão de ruído Portas mais espessas e vedadas Portas mais espessas e
de áreas externas. Casas de para quartos, home theater pesadas são recomendadas
máquinas demandam para todas as áreas que
portas acústicas requerem privacidade
Forro mineral Alta capacidade de Raramente utilizado Essencial na diminuição de
absorção acústica em residências energia sonora reverberante
e na melhoria da privacidade
de escritórios panorâmicos
ou fechados
Forro de gesso Não deve ser usado em escritórios Pode ser utilizado como Não costuma ser utilizado
panorâmicos ou fechados. Nem acabamento. Se suspenso em para essa finalidade
em áreas com conversação. Tem hangers de neoprene torna-se uma
baixo índice de absorção acústica boa solução para ruídos de impacto
Elevadores Transmissão de ruído Fonte de incomodo. Soluções: Tem as mesmas implicações
estrutural e aéreo máquinas de elevadores e quadros do residencial
em isoladores de vibração,
tratamento acústico parcial
de casas de máquinas e poço
Instalações de Geração de ruído incômodo Fonte de incomodo. Solução: Importante fonte de incomodo
ar-condicionado instalação com cuidados de porque são sistemas grandes,
controle de ruído e vibrações centrais, com máquinas
pesadas. Demanda estudo
especifico para a instalação
de sistemas de controle
de ruído e vibrações
Instalações Geração de ruído incômodo Fonte de incomodo. Solução: Fonte pouco freqüente de
elétricas instalação com cuidados de incômodo. Solução:
e hidráulicas controle de ruído e vibrações. dimensionamento correto
Atualmente as instalações das redes e prumadas entre
hidráulicas são significativamente outros. Instalação de controle
mais silenciosas de ruído e vibrações
Fonte: José Augusto Nepomuceno

de parte, da qualidade de forros e re- denciais, foram classificados com Akkerman, consultor de acústica.
vestimentos. unanimidade pelos consultores O fato é confirmado pelo também
As queixas por ruídos decorren- como a maior fonte de reclamações. consultor Fernando Henrique Aidar.
tes de impactos contra a estrutura "A queixa mais recorrente é do mora- "Em residências, a ordem decrescente
são menos comuns em prédios co- dor por causa do barulho do vizinho de queixas é impacto entre pisos, ruí-
merciais. Em empreendimentos resi- de cima", conta o engenheiro Schaia dos das instalações hidrossanitárias,

38 TÉCHNE 96 | MARÇO DE 2005


acustica.qxd 11/3/2005 15:04 Page 39

Fotos: Marcelo Scandaroli

Comuns em edifícios comerciais e


residenciais, os geradores elétricos
exigem isolamento total e demandam
projeto específico de acústica que
considere transmissão sonora aérea
e via estrutura

locar o equipamento distante das


áreas de repouso. O processo para as
tubulações só difere pela troca da lã
mineral por neoprene, que pode rece-
ber umidade. Instalações elétricas,
por si só, não geram ruído. Mas se ali-
nhadas numa mesma parede, podem
ser o gargalo de um sistema acústico.
Absorventes sonoros, forros de lã mineral (acima) e molas helicoidais (abaixo) têm
Nas situações descritas acima, o
funções diferentes. O primeiro atua principalmente no ruído aéreo e o outro evita que
responsável pela acústica trabalha em
a vibração das máquinas atinja a estrutura. O recobrimento dos pendurais minimiza a
conjunto com projetistas elétricos,
transmissão dos ruídos de impacto
hidráulicos, de ar-condicionado e ar-
quitetos. "A interação entre os diver-
música de vizinhos, ruído urbano e As alternativas para as instalações sos projetos ocasiona brechas para o
de casas de máquinas", enumera. hidráulicas têm aumentado. Os pró- surgimento de problemas acústicos",
O aumento da espessura das lajes prios fabricantes investem em siste- afirma Nepomuceno.
reduz o problema, mas um resultado mas menos ruidosos e os projetistas Maus exemplos são a passagem de
significativo só pode ser obtido com dispõem de artifícios para criar geo- dutos por divisórias de dutos de ar-
espessuras muito acima dos padrões metrias favoráveis. Outro recurso é condicionado sobre áreas acustica-
atuais. Já o uso de forros é controver- dotar a edificação de shafts, que con- mente sensíveis e a falta de compati-
so entre os consultores. Nessa situa- finam os ruídos num único local. bilidade entre os requisitos estrutu-
ção atuam como isolantes, mas não Para isso, as paredes desses dutos são rais e acústicos das lajes. O arquiteto
impedem que a energia do impacto revestidas com isolantes e absorven- Walter Galvão conta que "se as fontes
seja conduzida pelos pilares. "En- tes. O mesmo acontece com os pró- não forem identificadas, os proble-
quanto a laje for incorporada às prios tubos, que são envolvidos com mas podem surgir já no anteprojeto
vigas, o forro falso não isolará o som lã de rocha ou vidro, uma camada de de arquitetura".
de impacto, mesmo que não esteja ligação e, em seguida, gesso. A acústica é uma solução de pro-
suspenso na laje", conclui Aidar. A No caso das instalações de ar- jeto, pois a recuperação posterior é
solução mais adequada é a adoção de condicionado, para dispensar o uso sempre muito difícil e, dependendo
elementos amortecedores, como de elementos adicionais, o mais sen- da magnitude do problema, pode ser
lajes flutuantes ou carpetes. sato é, no projeto de arquitetura, inviável por motivos técnicos ou eco-

39
acustica.qxd 11/3/2005 15:04 Page 40

CAPA

Silêncio aplicado
O edifício Casa de Avis, da construtora
Adolpho Lindenberg, é exemplo
da preocupação com o conforto
dos usuários. Com oito apartamentos,
sendo um por andar, de 270 m2 cada,
o edifício, localizado no bairro do Itaim,
na zona Sul de São Paulo, tem o projeto
de acústica assinado pelo engenheiro
Schaia Akkerman.
De acordo com o gerente de planejamentos
da Lindenberg, Tomás Mesquita Freire,
o projeto somado à aquisição e execução
dos elementos de acústica representam
de 1 a 1,5% do custo total da obra.
O gerador de 150 KVA de potência madeira maciça com 2 cm de espessura, movimentar, podendo fissurar.
existente no subsolo exigiu que paredes que reduz a reflexão das ondas sonoras. Apesar do tratamento estar presente
e teto da casa de máquinas fossem Para otimizar a solução acústica, apenas nos trechos referentes às áreas
revestidos com placas de lã de rocha o engenheiro Tomás Freire ressalta íntimas, toda a espessura foi aumentada
com 5 cm de espessura recoberta com a importância da interação entre para evitar degraus no apartamento.
plástico para evitar impregnação de o consultor em acústica e o arquiteto, O pé-direito ganhou em altura ou, como
poeira. A porta, além da proteção contra que buscaram equilíbrio entre técnica explica Freire, seria impossível encaixar
fogo, foi isolada com lã mineral e teve e estética para alcançar a solução as portas com 2,10 m.
os batentes contornados com borracha, alcançada no forro. Todas as áreas íntimas têm caixilhos
para impedir o vazamento de ruído. Outro ponto atacado no projeto foram acústicos e, no caso dos quartos,
Para evitar transmitir vibração pela os pisos e janelas. Segundo Freire, são persianas. A lã de rocha das esquadrias
estrutura, o equipamento apóia-se em as preocupações mais comuns desse tipo é complementada pelo vidro laminado
base anti-vibratória constituída de molas de empreendimento. "São elementos de 7 mm, sendo uma lâmina de 3 mm
helicoidais fixadas em contrapiso de 6 cm que isolam fontes de ruído sobre as e outra de 4 mm, intercaladas pelo PVB
de espessura. O escapamento, que tem quais não se tem controle", explica (Polivinyl Butiral).As janelas, assim como
silenciador, foi revestido com alumínio referindo-se à impossibilidade de as portas, têm borrachas de vedação
e lã de rocha. A entrada e a saída de ar diminuir a emissão de ruídos externos, e exigem uma leve pressão para fechar,
ganharam lamelas acústicas. Elementos provenientes de vizinhos e ruas. evitando que o som passe pelas folgas
verticais e paralelos, dispostos a partir As lajes dos apartamentos são flutuantes entre os elementos.
da freqüência do equipamento, têm, em e foram executadas em cinco etapas. Na Nos banheiros, forro de drywall com
sua extensão, material absorvente. primeira foi limpa e regularizada. Na duas chapas de 12,5 mm ajuda a reduzir
O som passa pelos canais entre as seqüência ganhou 1,5 cm de lã de rocha o ruído das tubulações, envolvidas com
lamelas, mas não escapa para o exterior. com densidade de 144 kg/m3, em 1,5 cm de lã de rocha e 1,5 a 2 cm
A sala de ginástica, utilizada tanto para seguida recoberta com uma lona plástica. de gesso. Estas descem pelos shafts
a prática de exercícios geradores de As duas últimas fases foram de que, por sua vez, contam com alvenaria
barulho quanto para meditação, recebeu acabamento, que exigiu uma tela preenchida com argamassa fraca.
forro acústico com lã de vidro e caixilho metálica e o lançamento da chamada Molas chumbadas sob os motores
com vidro laminado de 8 mm preenchido argamassa fraca. A armação é necessária das banheiras completam as soluções
com lã de rocha. O piso é de taco de pelo fato de, nessa situação, a laje se do edifício.

nômicos. Têm mais chance de serem Interação ruidosa sigilosas trocadas em salas de reu-
resolvidos problemas de ruídos pro- O segundo problema que mais niões ou prejudica a concentração.
vocados por elevadores ou pelo tráfe- afeta a privacidade entre vizinhos, Por vezes a solução encontra-se
go urbano. No primeiro caso, apesar em residências, é o ruído aéreo entre numa execução supervisionada, con-
de trabalhoso, é possível calçar as má- dois apartamentos contíguos no forme afirma a arquiteta Sheila Walbe
quinas com molas ou neoprene. A mesmo andar. Em edifícios comer- Ornstein, professora titular do Depar-
troca das janelas é a solução mais ciais, caracteriza-se como problema tamento de Tecnologia da Arquitetu-
comum para o segundo. quando coloca em risco informações ra, da FAU–USP. "O consultor não é só

40 TÉCHNE 96 | MARÇO DE 2005


acustica.qxd 11/3/2005 15:04 Page 41

nada semelhante para portas no Bra-


Fotos: Marcelo Scandaroli

sil. O que acontece na prática é o uso


de portas e esquadrias preenchidas
internamente com lã mineral e vidros
laminados de espessura maior (veja
boxe). Contornar os batentes das por-
tas com borracha e promover uma
certa pressão no fecho das janelas au-
menta o isolamento.
Dependendo da capacidade de
absorção das superfícies de um am-
biente a reverberação pode se dar
num nível acima do tolerado. Quan-
do ocorre muita reflexão, as ondas so-
noras permanecem circulando no
Mesmo com a evidente evolução, as instalações hidráulicas ainda exigem, por parte
ambiente após a emissão. Assim, o
de construtoras mais zelosas, revestimento das tubulações com camadas de lã
entendimento das palavras é com-
mineral e gesso
prometido e as pessoas tendem a au-
mentar o volume da voz para sobre-
autor do projeto, tem que acompa- Caso não acompanhe uma cuida- porem-se ao ruído reverberante.
nhar a obra também", enfatiza. dosa escolha e execução das juntas e Outro importante item a ser ob-
Se para ruídos de impacto o au- encontros da alvenaria, bem como servado no projeto acústico é o iso-
mento da espessura não é eficiente, o do posicionamento adequado das lamento de casas de elevadores e ge-
contrário vale para esses casos. Ak- instalações elétricas, o barulho conti- radores. As soluções são específicas
kerman salienta que o desempenho nuará com trânsito livre entre os am- para cada caso. Normalmente são
acústico para ruídos aéreos é defini- bientes. "Onde tem ar há som", resu- instalados sobre molas helicoidais
do pela relação peso/m2, solucionan- me Galvão. ou mantas absorventes a fim de eli-
do-se com o aumento da densidade. A solução global passa pela esco- minar a transmissão de vibração. O
Isso se dá com a majoração da espes- lha correta de janelas e portas. A NBR ruído aéreo requer um investimento
sura ou com a aplicação de materiais 10821/00 regulamenta o CTSA (Coe- maior. As paredes do recinto devem
fonoabsorventes. É o que viabiliza, ficiente de Transmissão Sonora ser recobertas de material absorven-
por exemplo, a adoção de drywall. Aérea) para janelas, mas não existe te e são exigidas portas corta-fogo
acústicas.
CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS Bruno Loturco

Função Exemplos
Isolantes Tijolo cerâmico maciço, concreto, drywall,
pedras lisas, vidro com espessura mínima LEIA MAIS
de 6 mm e lambris de madeira
Ruídos em tubulações podem ter
Absorventes Lã de vidro, mantas de poliuretano,
várias causas. Revista Téchne no 72
carpetes grossos e cortinas de tecido
(março 2003)
Refletores Azulejos, cerâmicas e pedras lisas
Fonte: Walter Galvão
O incômodo ruído das tubulações
hidráulicas. Artigo de Fernando
Henrique Aidar. Revista Téchne no 35

Handbook of Noise Control. Cyril


M. Harris. Editora McGraw Hill

Avaliação Pós-Ocupação, Métodos


e Técnicas Aplicados à Habitação
Social. Marcelo de Andrade Roméro
e Sheila Walbe Ornstein coordenadores/
Pontos problemáticos do projeto de acústica, portas e esquadrias ganham em editores (disponível em
desempenho quando têm o interior preenchido por materiais fonoabsorventes de alta http://habitare.infohab.org.br/projeto
densidade e a pressão de fechamento aumentada pelo uso de borrachas de vedação s/publicacoes.asp)

41