1 – (UEL) O Parnasianismo brasileiro foi um movimento. a) Poético do final do século XIX e início do século XX.

b) Lítero-musical do final do século XVIII e início do século XIX. c) Poético do final do século XVIII e início do século XIX. d) Teatral do final do século XX. e) Lítero-musical do início do século XX. 2 – (UFPE) É incorreto afirmar que, no Parnasianismo: a) a natureza é apresentada objetivamente; b) a disposição dos elementos naturais (árvores, estrelas, céu, rios) é importante por obedecer a uma ordenação lógica; c) a valorização dos elementos naturais torna-se mais importante que a valorização da forma do poema; d) a natureza despe-se da exagerada carga emocional com que foi explorada em outros períodos literários; e) as inúmeras descrições da natureza são feitas dentro do mito da objetividade absoluta, porém os melhores textos estão permeados de conotações subjetivas. 3 – (FESP) Com relação ao Parnasianismo, é correto afirmar: a) É sentimentalista; b) Assume uma visão crítica da sociedade; c) Seus autores estiveram sempre atentos às transformações do final do século XIX e início do seguinte; d) O seu traço mais característico é o endeusamento da forma; e) Seu poeta mais expressivo, Olavo Bilac, defendeu um retorno à arte barroca. 4 – (UCSAL) Olavo Bilac, Raimundo Correia e Alberto de Oliveira são representantes de uma mesma escola literária. Assinale a alternativa cujos versos exemplificam as características dessa escola. a) A noite caiu na minh’alma, fiquei triste sem querer. Uma sombra veio vindo, veio vindo, me abraçou. Era a sombra de meu bem que morreu há tanto tempo. b) Dorme. Dorme o tempo que não podias dormir. Dorme não só tu, Prepara-te para dormir teu corpo e teu amor contigo. c) Quantas vezes, em sonho, as asas da saudade Solto para onde estás, e fico de ti perto! Como, depois do sonho, é triste a realidade! Como tudo, sem ti, fica depois deserto! d) Pálida, à luz da lâmpada sombria, Sobre o leito de flores reclinada, Como a lua por noite embalsamada. Entre as nuvens do amor ela dormia! e) Nas horas da noite, se junto a meu leito Houveres acaso, meu bem, de chegar, Verás de repente que aspecto risonho Que torna o meu sonho, Se o vens bafejar! 5 – (PUC-MG) A QUESTÃO ABAIXO ESTÁ RELACIONADA AO ROMANCE O ENCONTRO MARCADO, DE FERNANDO SABINO. A QUESTÃO ABAIXO REMETE AO POEMA “A CAVALGADA”, DE RAIMUNDO CORREIA, CITADO EM O ENCONTRO MARCADO: A lua banha a solitária estrada… Silêncio!… Mais além, confuso e brando,

O som longínquo vem-se aproximando Do galopar de estranha cavalgada. São fidalgos que voltam da caçada; Vêm alegres, vêm rindo, vêm cantando. E as trompas a soar vão agitando O remanso da noite embalsamada… E o bosque estala, move-se, estremece… Da cavalgada o estrépito que aumenta Perde-se após no centro da montanha… E o silêncio outra vez soturno desce… E límpida, sem mácula, alvacenta A lua a estrada solitária banha… A lua banha a solitária estrada… Silêncio!… Mais além, confuso e brando, O som longínquo vem-se aproximando Do galopar de estranha cavalgada. São fidalgos que voltam da caçada; Vêm alegres, vêm rindo, vêm cantando. E as trompas a soar vão agitando O remanso da noite embalsamada… E o bosque estala, move-se, estremece… Da cavalgada o estrépito que aumenta Perde-se após no centro da montanha… E o silêncio outra vez soturno desce… E límpida, sem mácula, alvacenta A lua a estrada solitária banha… Todos os traços são próprios do Parnasianismo e ocorrem no poema acima, EXCETO: a) apreço por poemas de forma fixa, como o soneto. b) atmosfera mística, de contornos indefinidos. c) exaltação da vida, dos jogos, do prazer. d) paisagem exterior, rica de plasticidade. e) riqueza de ritmos e nobreza vocabular. 6 – (FMU) Rio Abaixo Treme o rio, a rolar, de vaga em vaga… Quase noite. Ao sabor do curso lento Da água, que as margens em redor alaga, Seguimos. Curva os bambuais o vento. Vivo há pouco, de púrpura sangrento, Desmaia agora o Ocaso. A noite apaga A derradeira luz do firmamento… Rola o rio, a tremer, de vaga em vaga, Um silêncio tristíssimo por tudo Se espalha. Mas a lua lentamente Surge na fímbria do horizonte mudo: E o seu reflexo pálido, embebido como um gládio de prata na corrente, Rasga o seio do rio adormecido. Olavo Bilac Lendo o poema, não é difícil perceber tratar-se do estilo de época do a) arcadismo b) romantismo c) parnasianismo d) simbolismo e) modernismo 7 – (FMU) Rio Abaixo Treme o rio, a rolar, de vaga em vaga… Quase noite. Ao sabor do curso lento Da água, que as margens em redor alaga, Seguimos. Curva os bambuais o vento. Vivo há pouco, de púrpura sangrento, Desmaia agora o Ocaso. A noite apaga A derradeira luz do firmamento… Rola o rio, a tremer, de vaga em vaga, Um silêncio tristíssimo por tudo

a dor que mora N’alma. b) Correspondência e inter-relações de sentidos. daí a riqueza imagística. a) Românticas/ neutraliza/ abstratas b) simbolistas/ valoriza/ concretas c) parnasianas/ exalta/ mitológicas d) simbolistas/ busca/ cotidianas e) parnasianas/ evita/ prosaicas 9 – (PUC-RS) Vila Rica “O ouro fulvo do ocaso as velhas casas cobre. de um estilo etéreo e de um penumbrismo no ambiente.. b) Poesia surgida do espírito irracional. Batem-se. levando-o à duvida.” [. Mas a lua lentamente Surge na fímbria do horizonte mudo: E o seu reflexo pálido. 04. Sangram. não segue rigidamente o padrão___________ no que se refere à ___________. e) Transcendentalismo 03. [.. Ele revela um poeta: a) distanciado da realidade. (ESAPP-modificado) Assinale a única afirmação coerente com as características do movimento simbolista: a) Algumas obras são bastante herméticas. formas claras de luares. o melhor modelo Vivo. e) Impressões sensoriais apuradas. o homem voltado para dentro de si mesmo. Pôs-se na torre a sonhar… 8 – (PUC-RS) “Tu. consistindo não poucas vezes em uma linguagem de compreensão extremamente difícil. sinestesias. Esmerilha e investiga! Níssia. cinzel e pena. e) informal. 02. quebram-se em fatal torneio. uma vez. d) os estado d’alma são importantes. do eterno e do mundo ideal. de visões esgarçadas. daí a forte nota individualista. mais belas Do que as árvores novas. c) Se a cólera que espuma. É dele também a) Esbraseia o Ocidente na agonia O sol… Aves em bandos destacados. c) Uso de rimas pobres. as minas. de neves. a) romântico / idealização do mundo b) simbolista / busca do eu profundo c) parnasiano / alienação dos problemas sociais d) simbolista / inteligibilidade sintática e) parnasiano / sonoridade dos versos 10 – (PUC-MG) “Estranho mimo aquele vaso! Vi-o. em vão. c) objetividade no encarar a vida. d) irônico. de um perfumado Contador sobre o mármor luzidio. em laivos de ouro. Entre um leque e o começo de um bordado. d) Expressão indireta e simbólica. De esbraseada arena. embebido como um gládio de prata na corrente Rasga o seio do rio adormecido. mas . a) Evocar os objetos pouco a pouco. b) O poeta evita que os sentimentos interfiram na abordagem da realidade..” O poema. Gabarito: 1-a 2-c 3-d 4-c 5-b 6-c 7-b 8-c 9-c 10-a Nos exercícios de números 01 a 05 assinale em cada série a afirmação que não corresponda ao Simbolismo: 01.” trecho do poema em destaque é parnasiano. da beleza antiga. 06. insânia. pela obscuridade nebulosa. árduos. antes sugeri-las.] O trecho evidencia tendências ___________ . b) Correspondência entre o mundo material e o mundo espiritual. 05. na medida em que ______________ o rigor formal e utiliza-se de imagens _____________. e) Arte poética como fruto do consciente. d) Vida introspectiva..a) Conflito eu X mundo. Pincel. justificando a referencia a um estilo “nefelibata”. artifício. através de um processo encantatório que caracteriza o Simbolismo. mais amigas. Casualmente. a) Procurou instalar um credo estético com base no subjetivismo. a religião do “eu”. Das alternativas abaixo. d) Presença de assonâncias.Se espalha. b) Evita radicalmente a abordagem de paisagens desoladamente esfumaçada. c) Vida literária marcada pela excentricidade. e) Apreensão dos modelos greco-romanos. e) O tema da morte é valorizado pelos simbolistas. com zelo. c) Racionalismo absoluto. a) Descoberta da metáfora como célula germinal da poesia. Para esculpi-la. de nebrinas!… e) Quando Ismália enlouqueceu. b) Não precisar as coisas. no meio. indique a que não se aplica ao Simbolismo: a) Procura evocar a realidade e não descrevê-la minuciosamente. Olavo Bilac Bilac sobressaiu-se entre os poetas de seu tempo e. que a ambição Na torturada entranha abriu da terra nobre: E cada cicatriz brilha como brasão. que não de fatos de ordem espiritual e transcendente. a) Uso freqüente de aliterações e assonâncias. b) Musicalidade dos versos. artista. mesmo. e destrói cada ilusão que nasce… d) Ó formas alvas. b) Olha estas velhas árvores. d) Distanciamento entre literatura e música. c) Nas obras há um predomínio dos fatos fisiológicos. pertencente ao autor de “Profissão de Fé”. 07. buril. da Literatura Brasileira. brancas. não conceitual da linguagem. c) Ânsia do absoluto. b) engajado. d) O simbolismo mantém ligações com a poética romântica. as perguntas angustiantes.] Como uma procissão espectral que se move … Dobra o sino… Soluça um verso de Dirceu … Sobre a triste Ouro Preto o ouro dos astros chove. oferece. c) O valor musical dos signos lingüísticos é um efeito procurado pelos poetas. c) crítico. lápis. e) explora a realidade situada além do real e da razão.

ausência de conflito narrativo e ausência de narrador. por exemplo. aproximando-a da música. e) Não há proximidade entre os dois. estaticidade. ocorre o predomínio das seguintes características: a) inovações. d) Invocações. numa tentativa de conciliar pólos antagônicos. porém nobre. concomitância de traços. (PUC-SP) Cruz e Sousa e Alphonsus de Guimaraens são poetas identificados com um movimento artístico cujas características são: a) O jogo de contrastes. juntou-se o realismo do segundo. indique a que não se aplica ao Simbolismo: Visões. b) Busca do equilíbrio e da simplicidade dos modelos grecoromanos. seqüência temporal e descritor-observador. d) Parnasianismo. simultaneidade de traços. Surdinas de órgãos flébeis. como a abolição da escravatura. vida e morte. Das alternativas abaixo. sobretudo na obra de Castro Alves. os temas do cotidiano e o verso livre. numa tentativa de valorizar a sonoridade da linguagem. c) Explicações. as lacunas da frase seguinte. na Literatura Brasileira. b) Barroco. estaticidade. é uma característica do: a) Romantismo. principalmente em Gregório de Matos. cientificista. c) Culto do sentimento nativista. naturalista. C 08. c) Simbolismo. é correto afirmar que: a) Os estilos são absolutamente distintos quanto à técnica da versificação. a) (1) Realismo / (2) Romantismo / (3) Cruz e Sousa b) (1) Naturalismo / (2) Modernismo / (3) Gonçalves Dias c) (1) Arcadismo / (2) Romantismo / (3) Castro Alves d) (1) Romantismo / (2) Barroco / (3) Manuel Bandeira e) (1) Naturalismo / (2) Modernismo / (3) Olavo Bilac (UFSCar) A ênfase na seleção de vocabulário poético. sobretudo com o vocabulário carregado de termos científicos. rios e fauna. sobretudo. social e literária. C 05. e) Preocupação com a perfeição formal. (UFMA) Sobre o Parnasianismo e o Simbolismo. b) O emprego adequado de símbolos. que se revela especialmente quanto à apresentação do indígena e das riquezas naturais. e) Exacerbado sentimento da natureza. anticientificista. mórbidos. e) Invocações. 09. b) Explicações. segundo observa. seqüência de traços. como florestas. principalmente em Jorge de Lima. aliterações. a) Valores fonêmicos como elemento estrutural. 08.. B 09. (PUC) No poema de Cruz e Sousa. D 10. ausência de seqüência temporal e descritor-observador. seqüência temporal e narrador-personagem. representado pela obra de Alberto de Oliveira. A 04. ausência de conflito narrativo e ausência de narrador. em ___________. B (UNESP) Assinale a alternativa em que se caracteriza a estética simbolista. c) A espontaneidade coloquial. a preponderância do símbolo entre as figuras e o cultivo de um vocabulário ligado às sensações. salmos e cânticos serenos. c) À metafísica do primeiro. O Simbolismo se opõe ao ____________. representado pelas obras de Cruz e Sousa e Alphonsus de Guimaraens. antinaturalista. marcadamente as questões sociais. política. E 02.. e) Pré-Modernismo. o que revela a objetividade do poeta. edênicos. concomitância de traços. dinamicidade. 10. d) Exatidão descritiva. radiantes. d) uma volta aos modelos greco-latinos. assonâncias. b) Os dois estilos se aproximam pelas preferências temáticas. no que diz respeito à presença do subjetivismo e da emoção. seqüência de traços.. Fecundai o Mistério destes versos Com a chama ideal de todos os mistérios. A . na ordem apresentada. razão e fé. célebre autor deBroquéis. E 07. de uma linguagem simples. dinamicidade. c) objetivo – racional. aéreos. (UniFEI) Escolha a alternativa que preencha corretamente. d) Exploração de ecos. c) Alucinações sinestésicas.se do _____________. a) Culto do contraste. e) subjetivista – materialista. b) A busca da transcendência. que faz do homem primitivo e sua civilização um símbolo de independência espiritual. D 06. 03.apenas manifestações da matéria. que opõe elementos como amor e sofrimento. Infinitos espíritos dispersos Inefáveis. soluçantes. aproximando. d) Preferência pelos assuntos da época. com o objetivo de transferir ao poema o máximo de correspondência sensorial. estaticidade. o tema da fugacidade da vida e fortes inversões sintáticas. Dormências de volúpicos venenos Sutis e suaves. O simbolismo caracterizou-se por ser: a) positivista. Resolução: 01. d) Os dois estilos se aproximam quanto à técnica da versificação. através. b) antipositivista.. e) Um código novo e requintado.

. Fim de Viagem "Que vos importa ouvir a voz de um peregrino? Pouco vale saber se cantei ou chorei. e aos brasileiros. donde avulta uma poesia marcada pela melancolia. d) o cientificismo . algumas vezes em termos espiritualistas. a filosofia de Nietzsche e a teoria econômica de Marx. Ao priorizar o conhecimento ilógico e intuitivo. reveladora dos sofrimentos interiores..d) O perfeccionismo formalista. c) Preteriram o fluxo da imaginação em favor do polimento do verso e repeliram a lírica de confissão. e) O uso abusivo de reticências é apenas o signo externo de uma reticência interior.a percepção .o irracionalismo . EXCETO: a) A vinculação do poeta ao Parnasianismo justifica a incidência do uso de figuras de linguagem.clareza. (UFAM) Assinale a opção cujo enunciado NÃO pode ser aplicado aos poetas simbolistas. reage contra _______ da época. apresentando. d) Retrata a realidade de maneira vaga. a teoria psicanalítica de Freud. a) o racionalismo . provocando. e) O texto sugere um movimento subjetivo de reflexão acerca das experiências vividas. c) o romantismo . não sendo rara a presença de poemas de cunho memorialístico. e) Expressa-se por imagens e não por conceitos. se fiz bem. priorizando especialmente o gráfico. b) Valorização da subjetividade. d) Insurgindo-se contra o império do imediato e positivo em arte. (PUC-RS) Todas as afirmativas que seguem podem ser relacionadas ao Simbolismo. das emoções. no campo das letras. desapareci. expresso de diferentes formas. (PUC-RS) O Simbolismo. Sou uma sombra a mais no caminho divino [. brancas. em geral. a oposição cultural herdada dos grandes poetas românticos. assim como pela _______. c) Concepção lúdica da arte. (PUC-PR) O simbolismo de Cruz e Sousa revela a crise da concepção positivista da vida que marca de forma particular as duas últimas décadas do século XIX. em particular: a) Antiutilitaristas e anticientificistas. o visual.o irracionalismo . ler o poema que segue. respectivamente. se aceitei o destino. d) Valorização do aspecto formal do poema. que alcança _______. tendência a que se associa Eduardo Guimaraens. conforme se pode observar em versos tais como: “vozes veladas. D D A C B A D C C A . atendendo ao pedido de Verlaine. b) As oposições constituem-se num dos recursos predominantes do poema. por outro lado.] E como apareci. Se fiz mal. prolongaram. o aparecimento de uma poesia caracterizada pelos seguintes aspectos: a) Concepção mística do mundo. imprecisa. a recuperação dos ideais clássicos e o vocabulário precioso. características que apontam para o nacionalismo e culto à natureza. Formas claras”. e) Valorização da imaginação. do subjetivismo. se amei ou se odiei.musicalidade. de uma semântica da insinuação (e não da declaração). apontando para uma figuração mítica e/ou alegórica da existência. EXCETO a de que: a) Contraria o pragmatismo de tendência parnasiana.aliteração.aliteração. “ó formas alvas. b) Valoriza a expressão da subjetividade. da sintaxe discursiva.o pragmatismo . pelo indefinido e pelo mistério. da subjetividade e da temática nacional. b) Opuseram à estética visual um constante desejo de musicalidade." Todas as alternativas que seguem estão associadas ao poema. que tem como base teórica e filosófica a teoria da relatividade de Einstein. c) Propõe o rigorismo formal. exaltaram o poder de “vidência” da poesia. c) O último verso reforça a idéia de nascimento e de morte. que se desdobra na tentativa de apreensão do momentâneo e do fragmentário. pela solidão. em detrimento do conteúdo. interesse pelo particular. de Eduardo Guimaraens. Tal motivação justifica o subjetivismo profundo. e até reforçaram. que dizia: “De la musique avant toute chose”. pela angústia e desejo de evasão. d) O poema constrói-se a partir da metáfora da “viagem”. Se gozei ou sofri.a percepção . distingue-se da poesia parnasiana também por apresentar uma maior flexibilidade formal. estética que surgiu também no final do século XIX. (PUC-RS) Para responder à questão.musicalidade. e) a espiritualização . veludosas vozes”. b) o impressionismo .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful