1 – (UEL) O Parnasianismo brasileiro foi um movimento. a) Poético do final do século XIX e início do século XX.

b) Lítero-musical do final do século XVIII e início do século XIX. c) Poético do final do século XVIII e início do século XIX. d) Teatral do final do século XX. e) Lítero-musical do início do século XX. 2 – (UFPE) É incorreto afirmar que, no Parnasianismo: a) a natureza é apresentada objetivamente; b) a disposição dos elementos naturais (árvores, estrelas, céu, rios) é importante por obedecer a uma ordenação lógica; c) a valorização dos elementos naturais torna-se mais importante que a valorização da forma do poema; d) a natureza despe-se da exagerada carga emocional com que foi explorada em outros períodos literários; e) as inúmeras descrições da natureza são feitas dentro do mito da objetividade absoluta, porém os melhores textos estão permeados de conotações subjetivas. 3 – (FESP) Com relação ao Parnasianismo, é correto afirmar: a) É sentimentalista; b) Assume uma visão crítica da sociedade; c) Seus autores estiveram sempre atentos às transformações do final do século XIX e início do seguinte; d) O seu traço mais característico é o endeusamento da forma; e) Seu poeta mais expressivo, Olavo Bilac, defendeu um retorno à arte barroca. 4 – (UCSAL) Olavo Bilac, Raimundo Correia e Alberto de Oliveira são representantes de uma mesma escola literária. Assinale a alternativa cujos versos exemplificam as características dessa escola. a) A noite caiu na minh’alma, fiquei triste sem querer. Uma sombra veio vindo, veio vindo, me abraçou. Era a sombra de meu bem que morreu há tanto tempo. b) Dorme. Dorme o tempo que não podias dormir. Dorme não só tu, Prepara-te para dormir teu corpo e teu amor contigo. c) Quantas vezes, em sonho, as asas da saudade Solto para onde estás, e fico de ti perto! Como, depois do sonho, é triste a realidade! Como tudo, sem ti, fica depois deserto! d) Pálida, à luz da lâmpada sombria, Sobre o leito de flores reclinada, Como a lua por noite embalsamada. Entre as nuvens do amor ela dormia! e) Nas horas da noite, se junto a meu leito Houveres acaso, meu bem, de chegar, Verás de repente que aspecto risonho Que torna o meu sonho, Se o vens bafejar! 5 – (PUC-MG) A QUESTÃO ABAIXO ESTÁ RELACIONADA AO ROMANCE O ENCONTRO MARCADO, DE FERNANDO SABINO. A QUESTÃO ABAIXO REMETE AO POEMA “A CAVALGADA”, DE RAIMUNDO CORREIA, CITADO EM O ENCONTRO MARCADO: A lua banha a solitária estrada… Silêncio!… Mais além, confuso e brando,

O som longínquo vem-se aproximando Do galopar de estranha cavalgada. São fidalgos que voltam da caçada; Vêm alegres, vêm rindo, vêm cantando. E as trompas a soar vão agitando O remanso da noite embalsamada… E o bosque estala, move-se, estremece… Da cavalgada o estrépito que aumenta Perde-se após no centro da montanha… E o silêncio outra vez soturno desce… E límpida, sem mácula, alvacenta A lua a estrada solitária banha… A lua banha a solitária estrada… Silêncio!… Mais além, confuso e brando, O som longínquo vem-se aproximando Do galopar de estranha cavalgada. São fidalgos que voltam da caçada; Vêm alegres, vêm rindo, vêm cantando. E as trompas a soar vão agitando O remanso da noite embalsamada… E o bosque estala, move-se, estremece… Da cavalgada o estrépito que aumenta Perde-se após no centro da montanha… E o silêncio outra vez soturno desce… E límpida, sem mácula, alvacenta A lua a estrada solitária banha… Todos os traços são próprios do Parnasianismo e ocorrem no poema acima, EXCETO: a) apreço por poemas de forma fixa, como o soneto. b) atmosfera mística, de contornos indefinidos. c) exaltação da vida, dos jogos, do prazer. d) paisagem exterior, rica de plasticidade. e) riqueza de ritmos e nobreza vocabular. 6 – (FMU) Rio Abaixo Treme o rio, a rolar, de vaga em vaga… Quase noite. Ao sabor do curso lento Da água, que as margens em redor alaga, Seguimos. Curva os bambuais o vento. Vivo há pouco, de púrpura sangrento, Desmaia agora o Ocaso. A noite apaga A derradeira luz do firmamento… Rola o rio, a tremer, de vaga em vaga, Um silêncio tristíssimo por tudo Se espalha. Mas a lua lentamente Surge na fímbria do horizonte mudo: E o seu reflexo pálido, embebido como um gládio de prata na corrente, Rasga o seio do rio adormecido. Olavo Bilac Lendo o poema, não é difícil perceber tratar-se do estilo de época do a) arcadismo b) romantismo c) parnasianismo d) simbolismo e) modernismo 7 – (FMU) Rio Abaixo Treme o rio, a rolar, de vaga em vaga… Quase noite. Ao sabor do curso lento Da água, que as margens em redor alaga, Seguimos. Curva os bambuais o vento. Vivo há pouco, de púrpura sangrento, Desmaia agora o Ocaso. A noite apaga A derradeira luz do firmamento… Rola o rio, a tremer, de vaga em vaga, Um silêncio tristíssimo por tudo

a religião do “eu”. consistindo não poucas vezes em uma linguagem de compreensão extremamente difícil.] Como uma procissão espectral que se move … Dobra o sino… Soluça um verso de Dirceu … Sobre a triste Ouro Preto o ouro dos astros chove. pela obscuridade nebulosa. artifício.” trecho do poema em destaque é parnasiano. Para esculpi-la. c) Ânsia do absoluto. b) Correspondência e inter-relações de sentidos. c) Se a cólera que espuma. Ele revela um poeta: a) distanciado da realidade. d) Distanciamento entre literatura e música. de nebrinas!… e) Quando Ismália enlouqueceu. c) Racionalismo absoluto. c) Vida literária marcada pela excentricidade. com zelo. Pincel. artista. indique a que não se aplica ao Simbolismo: a) Procura evocar a realidade e não descrevê-la minuciosamente. b) Musicalidade dos versos. e) explora a realidade situada além do real e da razão. (ESAPP-modificado) Assinale a única afirmação coerente com as características do movimento simbolista: a) Algumas obras são bastante herméticas. o melhor modelo Vivo. mas . o homem voltado para dentro de si mesmo. e) O tema da morte é valorizado pelos simbolistas. Sangram. as perguntas angustiantes. b) Olha estas velhas árvores. c) Uso de rimas pobres. d) Expressão indireta e simbólica. antes sugeri-las. que não de fatos de ordem espiritual e transcendente.a) Conflito eu X mundo. embebido como um gládio de prata na corrente Rasga o seio do rio adormecido. e) informal. b) Evita radicalmente a abordagem de paisagens desoladamente esfumaçada. a) Procurou instalar um credo estético com base no subjetivismo. de neves... mais belas Do que as árvores novas. árduos. [. cinzel e pena. da beleza antiga. em laivos de ouro. d) Vida introspectiva. a) Românticas/ neutraliza/ abstratas b) simbolistas/ valoriza/ concretas c) parnasianas/ exalta/ mitológicas d) simbolistas/ busca/ cotidianas e) parnasianas/ evita/ prosaicas 9 – (PUC-RS) Vila Rica “O ouro fulvo do ocaso as velhas casas cobre.. 05. justificando a referencia a um estilo “nefelibata”.Se espalha. 06. daí a forte nota individualista. brancas. d) os estado d’alma são importantes. e) Arte poética como fruto do consciente. b) O poeta evita que os sentimentos interfiram na abordagem da realidade. em vão. as minas. oferece. buril. a) romântico / idealização do mundo b) simbolista / busca do eu profundo c) parnasiano / alienação dos problemas sociais d) simbolista / inteligibilidade sintática e) parnasiano / sonoridade dos versos 10 – (PUC-MG) “Estranho mimo aquele vaso! Vi-o. e) Apreensão dos modelos greco-romanos. d) irônico. quebram-se em fatal torneio. a) Evocar os objetos pouco a pouco. d) O simbolismo mantém ligações com a poética romântica.] O trecho evidencia tendências ___________ . 04. na medida em que ______________ o rigor formal e utiliza-se de imagens _____________. 07. pertencente ao autor de “Profissão de Fé”. de um estilo etéreo e de um penumbrismo no ambiente. mesmo. De esbraseada arena. daí a riqueza imagística. não conceitual da linguagem. uma vez. através de um processo encantatório que caracteriza o Simbolismo. b) Correspondência entre o mundo material e o mundo espiritual. b) Não precisar as coisas. É dele também a) Esbraseia o Ocidente na agonia O sol… Aves em bandos destacados. c) objetividade no encarar a vida.. Entre um leque e o começo de um bordado. c) O valor musical dos signos lingüísticos é um efeito procurado pelos poetas. não segue rigidamente o padrão___________ no que se refere à ___________. Casualmente. de visões esgarçadas. a) Descoberta da metáfora como célula germinal da poesia. insânia. 02.” [. e) Impressões sensoriais apuradas. a dor que mora N’alma. Mas a lua lentamente Surge na fímbria do horizonte mudo: E o seu reflexo pálido. da Literatura Brasileira. a) Uso freqüente de aliterações e assonâncias. sinestesias. levando-o à duvida. b) engajado. formas claras de luares. c) Nas obras há um predomínio dos fatos fisiológicos. do eterno e do mundo ideal.” O poema. e) Transcendentalismo 03. no meio. Gabarito: 1-a 2-c 3-d 4-c 5-b 6-c 7-b 8-c 9-c 10-a Nos exercícios de números 01 a 05 assinale em cada série a afirmação que não corresponda ao Simbolismo: 01. e destrói cada ilusão que nasce… d) Ó formas alvas. d) Presença de assonâncias. Esmerilha e investiga! Níssia. Das alternativas abaixo. de um perfumado Contador sobre o mármor luzidio. Olavo Bilac Bilac sobressaiu-se entre os poetas de seu tempo e. Batem-se. que a ambição Na torturada entranha abriu da terra nobre: E cada cicatriz brilha como brasão. lápis. mais amigas. c) crítico. Pôs-se na torre a sonhar… 8 – (PUC-RS) “Tu. b) Poesia surgida do espírito irracional.

dinamicidade. b) A busca da transcendência. aéreos. e) Pré-Modernismo. estaticidade. mórbidos. 09. porém nobre. a) Culto do contraste. Das alternativas abaixo. estaticidade. B (UNESP) Assinale a alternativa em que se caracteriza a estética simbolista. aproximando. e) Um código novo e requintado. O Simbolismo se opõe ao ____________. e) Não há proximidade entre os dois. estaticidade. O simbolismo caracterizou-se por ser: a) positivista. juntou-se o realismo do segundo. e) Preocupação com a perfeição formal. b) antipositivista. sobretudo com o vocabulário carregado de termos científicos. edênicos. ocorre o predomínio das seguintes características: a) inovações. a preponderância do símbolo entre as figuras e o cultivo de um vocabulário ligado às sensações. C 05. (UFMA) Sobre o Parnasianismo e o Simbolismo. principalmente em Jorge de Lima. ausência de seqüência temporal e descritor-observador. c) Culto do sentimento nativista. com o objetivo de transferir ao poema o máximo de correspondência sensorial. b) Barroco.. B 09. na ordem apresentada. a) (1) Realismo / (2) Romantismo / (3) Cruz e Sousa b) (1) Naturalismo / (2) Modernismo / (3) Gonçalves Dias c) (1) Arcadismo / (2) Romantismo / (3) Castro Alves d) (1) Romantismo / (2) Barroco / (3) Manuel Bandeira e) (1) Naturalismo / (2) Modernismo / (3) Olavo Bilac (UFSCar) A ênfase na seleção de vocabulário poético. radiantes. e) Invocações. as lacunas da frase seguinte. que opõe elementos como amor e sofrimento. e) subjetivista – materialista. é uma característica do: a) Romantismo. como a abolição da escravatura. vida e morte. sobretudo. d) Os dois estilos se aproximam quanto à técnica da versificação. rios e fauna. c) A espontaneidade coloquial. D 06. b) Explicações. salmos e cânticos serenos. é correto afirmar que: a) Os estilos são absolutamente distintos quanto à técnica da versificação. E 02. em ___________. a) Valores fonêmicos como elemento estrutural. antinaturalista. que faz do homem primitivo e sua civilização um símbolo de independência espiritual. A 04. concomitância de traços. dinamicidade. d) Invocações. b) Busca do equilíbrio e da simplicidade dos modelos grecoromanos. (UniFEI) Escolha a alternativa que preencha corretamente. naturalista. de uma linguagem simples. assonâncias. D 10. política. através. segundo observa.apenas manifestações da matéria. marcadamente as questões sociais. seqüência temporal e descritor-observador. (PUC-SP) Cruz e Sousa e Alphonsus de Guimaraens são poetas identificados com um movimento artístico cujas características são: a) O jogo de contrastes. soluçantes. ausência de conflito narrativo e ausência de narrador. cientificista. Surdinas de órgãos flébeis. (PUC) No poema de Cruz e Sousa. ausência de conflito narrativo e ausência de narrador. c) objetivo – racional. os temas do cotidiano e o verso livre. 10. que se revela especialmente quanto à apresentação do indígena e das riquezas naturais. célebre autor deBroquéis. o tema da fugacidade da vida e fortes inversões sintáticas. d) Exatidão descritiva. d) Exploração de ecos. Dormências de volúpicos venenos Sutis e suaves. c) À metafísica do primeiro. Infinitos espíritos dispersos Inefáveis. seqüência de traços. como florestas.se do _____________. Resolução: 01. numa tentativa de valorizar a sonoridade da linguagem. c) Explicações.. simultaneidade de traços. aliterações. Fecundai o Mistério destes versos Com a chama ideal de todos os mistérios. aproximando-a da música. 08.. representado pela obra de Alberto de Oliveira. na Literatura Brasileira. E 07. numa tentativa de conciliar pólos antagônicos. representado pelas obras de Cruz e Sousa e Alphonsus de Guimaraens. por exemplo. d) uma volta aos modelos greco-latinos. b) Os dois estilos se aproximam pelas preferências temáticas. A . seqüência de traços. anticientificista. no que diz respeito à presença do subjetivismo e da emoção. d) Preferência pelos assuntos da época. b) O emprego adequado de símbolos. razão e fé. C 08. seqüência temporal e narrador-personagem. sobretudo na obra de Castro Alves. o que revela a objetividade do poeta. c) Alucinações sinestésicas. indique a que não se aplica ao Simbolismo: Visões. principalmente em Gregório de Matos. c) Simbolismo.. e) Exacerbado sentimento da natureza. concomitância de traços. 03. social e literária. d) Parnasianismo.

da sintaxe discursiva. desapareci.aliteração. reveladora dos sofrimentos interiores. veludosas vozes”. e aos brasileiros. EXCETO: a) A vinculação do poeta ao Parnasianismo justifica a incidência do uso de figuras de linguagem. e) O uso abusivo de reticências é apenas o signo externo de uma reticência interior.clareza. em detrimento do conteúdo.musicalidade. respectivamente. a recuperação dos ideais clássicos e o vocabulário precioso. em particular: a) Antiutilitaristas e anticientificistas. b) o impressionismo . se amei ou se odiei. b) Opuseram à estética visual um constante desejo de musicalidade. priorizando especialmente o gráfico. de uma semântica da insinuação (e não da declaração).a percepção . Formas claras”. que se desdobra na tentativa de apreensão do momentâneo e do fragmentário.aliteração. a teoria psicanalítica de Freud. b) As oposições constituem-se num dos recursos predominantes do poema. em geral. do subjetivismo. c) Concepção lúdica da arte. d) Insurgindo-se contra o império do imediato e positivo em arte. que alcança _______. b) Valorização da subjetividade. assim como pela _______. pelo indefinido e pelo mistério. a oposição cultural herdada dos grandes poetas românticos. e) O texto sugere um movimento subjetivo de reflexão acerca das experiências vividas. EXCETO a de que: a) Contraria o pragmatismo de tendência parnasiana. tendência a que se associa Eduardo Guimaraens. c) o romantismo . d) Valorização do aspecto formal do poema. exaltaram o poder de “vidência” da poesia. pela angústia e desejo de evasão. no campo das letras. que tem como base teórica e filosófica a teoria da relatividade de Einstein.musicalidade. (UFAM) Assinale a opção cujo enunciado NÃO pode ser aplicado aos poetas simbolistas. e) a espiritualização . de Eduardo Guimaraens. Sou uma sombra a mais no caminho divino [. se fiz bem. atendendo ao pedido de Verlaine. (PUC-PR) O simbolismo de Cruz e Sousa revela a crise da concepção positivista da vida que marca de forma particular as duas últimas décadas do século XIX.] E como apareci. a) o racionalismo . imprecisa. e até reforçaram.o irracionalismo . Ao priorizar o conhecimento ilógico e intuitivo. D D A C B A D C C A .o pragmatismo . c) Propõe o rigorismo formal. apontando para uma figuração mítica e/ou alegórica da existência. conforme se pode observar em versos tais como: “vozes veladas. d) O poema constrói-se a partir da metáfora da “viagem”. por outro lado. Se fiz mal. que dizia: “De la musique avant toute chose”. pela solidão.d) O perfeccionismo formalista. ler o poema que segue. não sendo rara a presença de poemas de cunho memorialístico.o irracionalismo . c) O último verso reforça a idéia de nascimento e de morte. o aparecimento de uma poesia caracterizada pelos seguintes aspectos: a) Concepção mística do mundo. interesse pelo particular. c) Preteriram o fluxo da imaginação em favor do polimento do verso e repeliram a lírica de confissão. características que apontam para o nacionalismo e culto à natureza. Se gozei ou sofri. (PUC-RS) Todas as afirmativas que seguem podem ser relacionadas ao Simbolismo. (PUC-RS) O Simbolismo. brancas. o visual. d) Retrata a realidade de maneira vaga. algumas vezes em termos espiritualistas. “ó formas alvas. Fim de Viagem "Que vos importa ouvir a voz de um peregrino? Pouco vale saber se cantei ou chorei. Tal motivação justifica o subjetivismo profundo. b) Valoriza a expressão da subjetividade. reage contra _______ da época.. e) Valorização da imaginação.a percepção . provocando. prolongaram. da subjetividade e da temática nacional. das emoções. estética que surgiu também no final do século XIX. donde avulta uma poesia marcada pela melancolia. distingue-se da poesia parnasiana também por apresentar uma maior flexibilidade formal.." Todas as alternativas que seguem estão associadas ao poema. expresso de diferentes formas. (PUC-RS) Para responder à questão. se aceitei o destino. apresentando. e) Expressa-se por imagens e não por conceitos. a filosofia de Nietzsche e a teoria econômica de Marx. d) o cientificismo .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful