Você está na página 1de 5

EQUACIONA EDUCAÇÃO LITERATURA – Prof.

Diogo Brito
PARNASIANISMO

1) OLAVO BILAC (1865 – 1918): foi o mais popular dos poetas


parnasianos brasileiros, sendo eleito em 1913 o primeiro "Príncipe dos
Poetas Brasileiros". Seus poemas foram decorados e declamados por
toda parte, tanto nas ruas como em saraus e salões literários.
Temas Principais:
• Questionamento da própria poesia (o fazer poético);
• Amor > Sensualidade e platonismo alternam-se em seus poemas líricos;
• Natureza;
• Pátria;
• Antiguidade greco-romana.
Obras: Via láctea, Sarças de Fogo, O caçador de Esmeraldas (tentativa
épica).
PROFISSÃO DE FÉ
Invejo o ourives quando escrevo:
Movimento literário de origem francesa, que representou na poesia o
Imito o amor
espírito positivista e científico da época, surgindo no século XIX em
Com que ele, em ouro, o alto relevo
oposição ao romantismo. Diferentemente do Realismo e do Naturalismo,
Faz de uma flor.
que se voltavam para o exame da realidade, o Parnasianismo
(...)
representou na poesia o retorno à orientação clássica, ao princípio do
Assim procedo. Minha pena
belo na arte, à busca do equilíbrio e da perfeição formal. Os parnasianos
Segue esta norma,
acreditavam que o sentido maior da arte residia nela mesma, em sua
Por te servir, Deusa serena,
perfeição, e não no mundo exterior.
Serena Forma!
Início: 1882 – Fanfarras (Teófilo Dias) A UM POETA
Término: 1893 – Missal e Broqueis (Cruz e Sousa) – Com essa obra é
Longe do estéril turbilhão da rua,
inaugurado o Simbolismo.
Beneditino, escreve! No aconchego
Do claustro, na paciência e no sossego,
CARACTERÍSTICAS:
Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!
QUANTO À FORMA Mas que na forma se disfarce o emprego
Do esforço; e a trama viva se construa
 Busca da perfeição formal De tal modo, que a imagem fique nua,
 Vocabulário culto Rica mas sóbria, como um templo grego.
 Gosto pelo soneto
Via láctea – XIII
 Gosto pelas descrições
Ora (direi) ouvir estrelas! Certo
QUANTO AO CONTEÚDO Perdeste o senso! E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
 Objetivismo E abro as janelas pálido de espanto ...
 Racionalismo, contenção das emoções
E conversamos toda a noite, enquanto
 Universalismo
A Via-Láctea, como um pálio aberto,
 Rimas raras; chaves de ouro Apego à tradição clássica
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
 Presença da mitologia greco-latina
Inda as procuro pelo céu deserto.
 Arte pela arte
Direi agora: “Tresloucado amigo !
Que conversas com ela? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?”
E eu vos direi: “Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e entender as estrelas.”
SATÂNIA
Nua , de pé, solto o cabelo às costas,
Sorri. Na alcova perfumada e quente,
Pela janela, como um rio enorme
Profusamente a luz do meio-dia

Entra e se espalha, palpitante e viva.


Como uma vaga preguiçosa e lenta
Vem lhe beijar a pequenina ponta
Do pequenino pé macio e branco
EQUACIONA EDUCAÇÃO LITERATURA – Prof. Diogo Brito
(A) A “Via-Láctea” sofre um processo de personificação.
Sobe... Cinge-lhe a perna longamente; (B) A cena é descrita de modo objetivo, sem interferência da
Sobe... e que volta sensual descreve subjetividade do eu-poético.
Para abranger todo o quadril! – prossegue (C) A opção pelos sintagmas “desenrola” e “jarro de lágrimas ardentes”
visa a presentificar o movimento dos astros.
Lambe-lhe o ventre, abraça-lhe a cintura (D) Há predomínio da linguagem figurada e descritiva.
Morde-lhe os bicos túmidos dos seios (E) A visão de mundo melancólica do emissor da mensagem se projeta
Corre-lhe a espádua, espia-lhe o recôncavo sobre o objeto poetizado.
3) A propósito da poesia parnasiana, é correto afirmar que ela:
Da axila, acende-lhe o coral da boca.
E aos mornos beijos, às carícias ternas (A) caracteriza-se como forma de evocação de sentimentos e emoções.
Da luz, cerrando levemente os cílios (B) revela-se no emprego de palavras de grande valor conotativo e ricas
Satânia... abre um curto sorriso de volúpia. em sugestões sensoriais.
(C) acentua a importância da forma, concebendo a atividade poética
2) ALBERTO DE OLIVEIRA (1857 – 1937): considerado o mais como a habilidade no manejo do verso.
parnasiano dos parnasianos. (D) faz alusões a elementos evocadores de rituais religiosos,
impregnando a poesia de misticismo e espiritualidade.
Temas: natureza, objetos e temática Grecolatina. (E) explora intensamente a cadeia fônica da linguagem, procurando
Poemas mais conhecidos: “Vaso Grego”, “Vaso Chinês”, “A Estátua” associar a poesia à música.
4) Não caracteriza a estética parnasiana:
VASO CHINÊS
(A) A oposição aos românticos e distanciamento das preocupações
Estranho mimo, aquele vaso! Vi-o sociais dos realistas.
Casualmente, uma vez, de um perfumado (B) A objetividade, advinda do espírito cientificista, e o culto da forma.
Contador sobre o mármor luzidio (C) A obsessão pelo adorno e contenção lírica.
Entre um leque e o começo de um bordado. (D) A perfeição formal na rima, no ritmo, no metro e volta aos motivos
clássicos.
Fino artista chinês, enamorado, (E) A exaltação do “eu” e fuga da realidade presente.
Nele pusera o coração doentio
5) Leia o texto a seguir:
Em rubras flores de um sutil lavrado
Na tinta ardente, de um calor sombrio. LÍNGUA PORTUGUESA
Última flor do Lácio, inculta e bela,
Mas, talvez por contraste à desventura —
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Quem o sabe? — de um velho mandarim
Ouro nativo, que na ganga impura
Também lá estava a singular figura.
A bruta mina entre os cascalhos vela...
Que arte em pintá-la! A gente acaso vendo-a Amo-te assim, desconhecida e obscura.
Sentia um não sei quê com aquele chim Tuba de alto clangor, lira singela,
De olhos cortados à feição de amêndoa. Que tens o trom e o silvo da procela,
E o arrolo da saudade e da ternura!
In: Poesia. Rio de Janeiro: Agir, 1959, p. 24.
Amo o teu viço agreste e o teu aroma
3) RAIMUNDO CORREIA (1859 – 1911): sua poesia possui tom filosófico De virgens selvas e de oceano largo!
e melancólico, quase pessimista. Amo-te, ó rude e doloroso idioma,

Poemas mais conhecidos: “As Pombas” e “Mal secreto” Em que da voz materna ouvi: "meu filho!",
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
EXERCÍCIOS O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

1) Marque a afirmativa correta:                                                        (Olavo Bilac)

(A) O Parnasianismo caracterizou-se, no Brasil, pela busca da perfeição São características parnasianas:
formal na poesia. A) perfeição formal, preciosismo linguístico, objetivismo e desprezo pela
(B) O Parnasianismo determinou o surgimento de obras de tom arte útil.
marcadamente coloquial. B) preocupação excessiva com a forma, análise determinista do homem,
(C) O Parnasianismo, por seus poetas, preconizava o uso do verso livre. subjetivismo e universalismo.
(D) O Parnasianismo brasileiro deu ênfase ao experimentalismo formal. C) desprezo pela forma requintada, preocupação político-social,
(E) O Parnasianismo foi o responsável pela afirmação de uma poesia de objetivismo e individualismo.
caráter sugestivo e musical. D) forma requintada, “arte-sugestão”, subjetivismo exacerbado e análise
2) Leia o fragmento abaixo: psicológica do homem.
E) impassibilidade (distanciamento das emoções), “poesia científica”,
E sobre mim, silenciosa e triste, pessoalidade e tematização da natureza.
A Via-Láctea se desenrola
Como um jarro de lágrimas ardentes.
(Olavo Bilac)
Sobre o fragmento poético não é correto afirmar:
EQUACIONA EDUCAÇÃO LITERATURA – Prof. Diogo Brito
6) Leia com atenção:
A) Olavo Bilac, Álvares de Azevedo e Raimundo Correia.
“O objetivo da “arte pela arte” é o Belo, a criação da beleza pelo uso
B) Cruz e Souza, Olavo Bilac e Álvares de Azevedo.
perfeito dos recursos artísticos; nesse sentido, levaram ao exagero o
C) Alberto de Oliveira, Olavo Bilac e Raimundo Correia.
culto do ritmo, da rima e do vocabulário”;
D) Teófilo Dias, Olavo Bilac e Raimundo Correira.
“A partir de 1883, este movimento se define na Literatura Brasileira,
E) Teófilo Dias, Alberto de Oliveira e Raimundo Correia
sobretudo com os versos de Alberto de Oliveira, Raimundo Correia e
Olavo Bilac”. 10) Leia:
Assinale a alternativa que indica o movimento de que tratam os Longe do estéril turbilhão da rua,
fragmentos acima: Beneditino, escreve! No aconchego
Do claustro, na paciência e no sossego,
A) Modernismo
Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!
B) Parnasianismo
C) Concretismo Mas que na forma se disfarce o emprego
D) Simbolismo Do esforço; e a trama viva se construa
E) Naturalismo De tal modo, que a imagem fique nua,
Rica mas sóbria, como um templo grego
7) Leia o texto a seguir:
(Olavo Bilac. Antologia de poesia brasileira - Realismo e Parnasianismo.
A Cavalgada São Paulo: Ática, 1998, p. 48)
A lua banha a solitária estrada... É, no geral, pendular o movimento entre os estilos literários que,
Silêncio!... Mas além, confuso e brando, sensíveis ao contexto histórico, social ou político em que se manifestam,
O som longínquo vem-se aproximando ora tendem para o campo da subjetividade, ora preconizam uma visão
Do galopar de estranha cavalgada. mais objetiva da realidade. Os versos anteriormente transcritos, de
São fidalgos que voltam da caçada; natureza metalinguística, procuram traduzir o ideário de um estilo que
Vêm alegres, vêm rindo, vêm cantando. sucedeu ao subjetivismo do Romantismo:
E as trompas a soar vão agitando A) vinculando o trabalho do poeta à visão religiosa do sacrifício.
O remanso da noite embalsamada... B) com a temática voltada para um mundo agitado pelo progresso.
E o bosque estala, move-se, estremece... C) com a busca da impassibilidade e da forma perfeita.
Da cavalgada o estrépito que aumenta D) com o predomínio da emoção e das preocupações sociais.
Perde-se após no centro da montanha... E) com linguagem fluida e preponderância da sugestão.

E o silêncio outra vez soturno desce... 11) Essa poesia não logrou estabelecer-se em Portugal. De origem
E límpida, sem mácula, alvacenta francesa, suas primeiras manifestações datam de 1866, quando um
A lua a estrada solitária banha... editor parisiense publica uma coletânea de poemas; em 1871 e 1876,
(Raimundo Correia) saem outras duas coletâneas. Os poetas desse movimento literário
pregam o princípio da Arte pela Arte, isto é, defendem uma arte que não
Todos os aspectos abaixo são próprios do movimento Parnasiano e sirva a nada e a ninguém, uma arte inútil, uma arte voltada para si
ocorrem no poema acima, com a exceção de: própria. A Arte procuraria a Beleza e a Verdade que existiriam nos seres
A) Apreço pelas formas fixas concretos, e não no sentimento do artista. Por isso, o belo se confundiria
B) Misticismo indefinido com a forma que o reveste, e não com algo que existiria dentro dele. Daí
C) Exaltação da vida e do prazer vem que esses poetas sejam formalistas e preguem o cuidado da forma
D) Paisagem rica em plasticidade artística como exigência preliminar. Para consegui-lo, defendem uma
E) Riqueza formal e preciosismo vocabular atitude de impassibilidade diante das coisas: não se emocionar jamais;
antes, impessoalizar-se tanto quanto possível pela descrição dos objetos,
8) Olavo Bilac sobressaiu-se entre os poetas de seu tempo e da via de regra inertes ou obedientes aos movimentos próprios da Natureza
Literatura Brasileira, sendo o poeta mais conhecido do movimento (o fluxo e refluxo das ondas do mar, o voo dos pássaros, etc.).
Parnasiano. Considerando as características do estilo literário ao qual Esteticistas, anseiam uma arte universalista. Em Portugal, tentou-se
pertence e suas particularidades enquanto poeta, é possível identificar introduzir esse movimento; certamente, impregnou alguns poetas,
como dele o excerto: exerceu influência, mas não passou de prurido, que pouco alterou o ritmo
A) Esbraseia o Ocidente na agonia literário do tempo. Na verdade, o modo fortuito como alguns se deixaram
O sol… Aves em bandos destacados, contaminar da nova moda poética revelava apenas veleidade francófila,
B) Olha estas velhas árvores, mais belas em decorrência de razões de gosto pessoal ou de grupos restritos: faltou-
Do que as árvores novas, mais amigas. lhes intuito comum.
C) Se a cólera que espuma, a dor que mora (Massaud Moisés. A literatura portuguesa, 1999. Adaptado.)
Nalma, e destrói cada ilusão que nasce…
D) Ó formas alvas, brancas, formas claras As informações apresentadas no texto referem-se à literatura
de luares, de neves, de nebrinas!… A) simbolista, cuja busca pelo Belo implicou a liberdade na expressão dos
E) Quando Ismália enlouqueceu, sentimentos. O texto deixa claro que essa literatura alcançou notável
Pôs-se na torre a sonhar… aceitação entre os poetas da época.
9) O Parnasianismo no Brasil teve a forte representação de três poetas. B) simbolista, cuja preocupação com a expressão do sentimento filia-se à
Conhecidos como a “Tríade Parnasiana”, ____________________, tradição poética do Renascimento. O texto deixa claro que essa literatura
_______________________ e ________________________ teve um desenvolvimento tímido na cena literária portuguesa.
estruturaram e popularizaram o movimento parnasiano no país. C) parnasiana, cuja preocupação com a objetividade a opõe ao
subjetivismo romântico. O texto deixa claro que essa literatura não se
Assinale a alternativa que complete corretamente as lacunas: impôs na cena literária portuguesa.
EQUACIONA EDUCAÇÃO LITERATURA – Prof. Diogo Brito
D) parnasiana, cuja liberdade de expressão e cujo compromisso social (BILAC, Olavo. Olavo Bilac: obra reunida. RJ: Nova Aguilar, 1996. p. 284.)
permitem fundamentar a Arte pela Arte. O texto deixa claro que essa Vocabulário:
literatura teve pouco espaço na cena literária portuguesa. merencória (verso 4): melancólica.
E) realista, cuja influência da tradição clássica é fundamental para se Esse poema representativo do parnasinismo brasileiro,
chegar à perfeição. O texto deixa claro que essa literatura teve uma
disseminação irregular na cena literária portuguesa. A) apresenta uma cosmovisão marcada pela objetividade que tipifica o
Parnasianismo.
12) Leia: B) ratifica, na caracterização do sujeito do sonho descrito, a atmosfera
VASO GREGO pretendida pela estética parnasiana.
C) exemplifica o ideal da impassibilidade preconizado pela teoria que
Esta, de áureos relevos, trabalhada fundamenta o Parnasianismo.
De divas mãos, brilhante copa, um dia, D) recria uma ambiência romântica, com sua temática, amparada por
Já de aos deuses servir como cansada, palavras como “utopias”, “fantasias”, “campeão”, “trovador” e “herói”.
Vinda do Olimpo, a um novo deus servia. E) contraria, com a escolha do soneto como estrutura poética, as práticas
Era o poeta de Teos que a suspendia parnasianas, avessas a essa forma tradicional.
Então e, ora repleta ora esvazada, 14) “Tu, artista, com zelo, Esmerilha e investiga! Níssia, o melhor modelo
A taça amiga aos dedos seus tinia Vivo, oferece, da beleza antiga. Para esculpi-la, em vão, árduos, no meio.
Toda de roxas pétalas colmada. De esbraseada arena, Batem-se, quebram-se em fatal torneio, Pincel,
Depois... Mas o lavor da taça admira, lápis, buril, cinzel e pena.” [...]
Toca-a, e, do ouvido aproximando-a, às bordas O trecho evidencia tendências___________, na medida em que
Finas hás de lhe ouvir, canora e doce, ______________ o rigor formal e utiliza-se de imagens _____________.
Ignota voz, qual se da antiga lira A) românticas/ neutraliza/ abstratas
Fosse a encantada música das cordas, B) simbolistas/ valoriza/ concretas
Qual se essa a voz de Anacreonte fosse. C) parnasianas/ exalta/ mitológicas
(Alberto de Oliveira. Poesias completas. In: Crítica. Marco Aurélio de D) simbolistas/ busca/ cotidianas
Mello Reis. Rio de Janeiro: EDUERJ, 197, p.144.) E) parnasianas/ evita/ prosaicas
A partir da leitura do soneto Vaso grego, assinale a opção correta a 15) Leia os versos do poeta parnasiano Alberto de Oliveira:
respeito do tratamento estético conferido aos mitos antigos pela poética [...] Esta, de áureos relevos, trabalhada
parnasiana. De divas mãos, brilhantes copa, um dia,
A) A recorrência a temas mitológicos atraía o leitor comum e amenizava Já de aos deuses servir como cansada,
os efeitos de distanciamento impostos a ele pelo rebuscamento da Vinda do Olimpo, a um novo deus servia.
linguagem parnasiana. Era o poeta de Teos que a suspendia.
B) Os mitos antigos são atualizados na poesia parnasiana e recebem um Então e, ora repleta ora esvaziada,
significado poético novo, que promove a ruptura efetiva com o passado e A taça amiga aos dedos seus tinia
a tradição mítica. Todas de roxas pétalas colmada.  [...]
C) O tratamento estético dos mitos gregos na poesia parnasiana Assinale a alternativa que contém características parnasianas presentes
aproxima o antigo mundo mitológico dos problemas imediatos e no poema:
concretos da vida social brasileira.
D) A presença de elementos da arte e da mitologia gregas no soneto A) busca de inspiração clássica com nostalgia e subjetivismo;
apresentado está de acordo com uma máxima do Parnasianismo: a arte B) versos impecáveis, misturando mitologia clássica com sentimentalismo
pela arte. amoroso;
E) A frequente subjetividade, a expressão pelo eu lírico da visão de um C) revalorização das ideias iluministas e descrição do passado;
mundo obscuro e injusto dialogam com as referências clássicas do D) descrição precisa e minuciosa de um objeto;
poema. E) vocabulário preciosista, de forte ardor sensual.
13) Leia: 16) Leia as seguintes observações sobre a estética parnasiana:
Sonho I - O poeta parnasiano pretende ser um artesão, um ourives que molda
friamente o seu verso. Tal atitude de objetividade levou-o a preferir temas
Ter nascido homem outro, em outros dias, distantes no tempo. No aspecto formal, sua meta era a perfeição, tendo
Não hoje, nesta agitação sem glória, sido o soneto a forma de composição predominante.
Em traficâncias e mesquinharias, II - O Parnasianismo legou-nos, em sua produção em poesia e prosa,
Numa apagada vida merencória obras cuja temática é sentimental e amorosa. A mulher surge como a
Ter nascido numa era de utopias, Musa inspiradora de versos ternos e afetivos, em meio à paisagem
Nos áureos ciclos épicos da História, brasileira com sua natureza típica e exuberante.
Ardendo em generosas fantasias, III - No Parnasianismo, a atitude de contenção emotiva do poeta e a
Em rajadas de amor e de vitória: busca obsessiva da perfeição na métrica e nas rimas era tal, que se
valoriza, nesse momento, a ideia de arte pela arte.
Campeão e trovador da Idade Média,
Herói no galanteio e na cruzada, Assinale agora a alternativa CORRETA:
Viver entre um idílio e uma tragédia; A) Apenas a afirmativa I é verdadeira.
E morrer em sorrisos e lampejos, B) Apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.
Por um gesto, um olhar, um sonho, um nada, C) Apenas as afirmativas I e III são verdadeiras.
Traspassado de golpes e de beijos! D) Apenas a afirmativa II é verdadeira.
EQUACIONA EDUCAÇÃO LITERATURA – Prof. Diogo Brito
E) Apenas a afirmativa III é verdadeira.

GABARITO

1) A.

2) B.

3) C.

4) E.

5) A.

6) B.

7) B.

8) B. B. A rima rica (Rima entre palavras de classes gramaticais


diferentes, exemplo, substantivo com adjetivo, verbo com adjetivo.)
presente em belas/amigas é característica da escola parnasiana à qual o
poeta pertence.

9) C.

10) C. A impassibilidade transparece logo no primeiro verso, que


preconiza, para a produção poética, ficar “longe do estéril turbilhão das
ruas”, ou seja, afastado dos dramas pessoais ou sociais. A busca da
forma perfeita está presente no uso do soneto, na linguagem rebuscada,
na métrica perfeita etc. As demais opções não se manifestam no texto ou
no ideário parnasiano.

11) C. Como afirmado na alternativa C, o parnasianismo prezava pela


forma, valorizava a arte pela arte, afastava-se das questões sociais.

12) D. O parnasianismo tinha como preceito a valorização da forma em


detrimento do conteúdo, a metalinguagem, ou seja, a arte pela arte.

13) D. A subjetividade e a idealização aproximam as palavras


mencionadas na opção, as quais, por sua vez, fazem parte do ideário
romântico. Assim, apesar da autoria de um poeta parnasiano, não se
pode afirmar que o poema seja marcado por objetividade ou que a sua
atmosfera seja própria do Parnasianismo. O tom emotivo do poema não
serve para exemplificar a impassibilidade pretendida pela escola
parnasiana e a escolha do soneto, ao contrário do que se afirma,
corresponde a uma opção frequente nessa escola.

14) C. O poema parnasiano apresenta forte rigor formal e faz referência


a Níssia (Nice) deusa grega da vitória.

15) D. Aspectos como subjetivismo, sentimentalismo amoroso, ideias


iluministas e forte ardor sensual não são características do
parnasianismo.

16) C. A afirmação II está incorreta pelo fato do parnasianismo não


apresentar produções em prosa.