P. 1
A Essência da Constituição

A Essência da Constituição

|Views: 95|Likes:
Publicado porrazanotti

More info:

Published by: razanotti on Nov 12, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/18/2012

pdf

text

original

A Essência da Constituição

Prefácio de Aurélio Wander Bastos 6º edição As informações sobre esta conferência de Lassale tiveram outras três publicações, esta é a 4ª publicação editada pela Editora Lúmen Júris e tomou como base a tradução feita por Walter Stöner. Comparando o texto com o original em outras línguas foi feito algumas adaptações de linguagem, assim, não divulgando o texto com sua denominação original em português, Que é uma Constituição? Por fidelidade ao teor político e jurídico da obra, entendemos mais conveniente publicá-la com o título A Essência da Constituição. Este livro de Ferdinand Lassale ( Breslau, 1825 -1864 ) é um clássico do pensamento político constitucional. Lassale não se destacou como jurista ou intelectual erudito, mas produziu trabalhos de significativa importância filosófica, sendo este, o último trabalho para dar continuidade à coleção de clássicos do Direito. Esta obra o consagrou entre os constitucionalistas, porém seu trabalho político mais importante é sobre o estudo de problemas e alternativas para o sindicalismo, especialmente alemão – prussiano da época: Programa dos operários, tendo como tese principal o sufrágio universal igual e direito para os operários. A Essência da Constituição é dos únicos trabalhos constitucionais de alcance acadêmico que estuda os fundamentos, não formais, mas, como ele denomina essenciais, sociais e políticos de uma Constituição. Lassale, neste trabalho, explicita com límpida clareza os fundamentos sociológicos das constituições: os fatores reais de poder; constituem esses fatores: a monarquia, a aristocracia, a grande burguesia, os banqueiros e, com específicas e especiais conotações, a pequena burguesia e a classe operária, e o que elas representam da ciência nacional. Ele estuda também o papel do exército ou das forças policiais não como fator autônomo e real do poder, mas como instrumentos desses fatores. Qual será a verdadeira essência, o verdadeiro conceito de Constituição? Talvez muitos procurariam na legislação prussiana de 1850 ou se perguntasse a um jurisconsulto receberia mais ou menos esta resposta: Constituição é um pacto de juramento entre o rei e o povo, estabelecendo os princípios alicerçais da legislação e do governo dentro de um país. O conceito da Constituição – é a fonte primitiva da qual nascem a arte e a sabedoria constitucionais. Lei e Constituição – Qual a diferença entre elas? - Constituição não é uma lei como as outras, é uma lei fundamental da nação. Como distinguir uma lei fundamental de outra lei qualquer? 1º Deve ser uma lei básica; 2º Que constitua; 3º Que tenha fundamentos. Fatores reais de Poder – Atuam no seio de cada sociedade e são essa força ativa e eficaz que informa todas as leis e instituições jurídicas vigentes, determinando que não possam ser, em substância, a não ser tal como elas são.

As transformações que afetam os fatores reais do poder de uma sociedade: A Constituição Feudal. ficou demonstrado que o poder da nação é muito superior ao do exército. Senado – Estabelece que alguns grandes proprietários da aristocracia reúnam em suas mãos tanto poder como os ricos. Primeira conseqüência – Para transformar o exército de um rei. por mais unânime que seja. Para a burguesia uma constituição escrita era o de menos. a Revolução Burguesa. A pequena Burguesia e a Classe Operária. era pois a expressão simples e clara dos fatores reais do poder que vigoravam na França medieval. O Sistema Eleitoral das Três Classes – Dividia a nação em três grupos eleitorais. mas o que queriam era. nem intervir nos seus assuntos e organização. mas entre essas forças existe uma diferença muito grande: o poder da nação é desorganizado e o do exército é organizado e disciplinado. supremacia esta que ficaria diminuída embora o poder efetivo da nação fosse dez. Assim o rei consegue reunir um poder muito superior ao que goza a nação inteira. foi aprovada a proposta de obrigatoriedade de todos os oficiais reacionários a resignar seus postos. intrometer – . em essência. Quando esses fatores reais do poder se incorporam a um papel tornam –se um verdadeiro direito – instituições jurídicas.Monarquia. Gritavam todos à Assembléia Legislativa: Ocupai – vos da Constituição e somente da Constituição. nem a câmara dos deputados e nem a nação têm que se preocupar com o exército. Constituição Escrita e Real – Quando podemos dizer que uma constituição escrita é boa e duradoura? – Quando essa constituição escrita não corresponder à constituição real e tiver suas raízes nos fatores do poder que regem o país. estariam de acordo também com as posses de cada eleitor. os Banqueiros. O poder da Nação é Invencível – Em 1848. solicitando a aposentadoria. a não ser em casos isolados que acontece em momentos históricos de grande emoção. no qual lhes permitirá contrabalancear a vontade nacional e de todas as classes que a compõe. limitando-se somente a votar as quantias necessárias para que a instituição subsista. de acordo com os impostos por eles pagos e que. Constituição Real e Efetiva – Em nenhum documento constavam os direitos do povo e os do governo. a Constituição de um país: a soma dos fatores reais do poder que regem uma nação. evitar o afastamento dos fatores reais e efetivos do poder dentro do país. Quem atentar contra eles atenta contra a lei e. naturalmente. Aristocracia. Esta é. vinte ou cinqüenta vezes maior que o do exército. A grande Burguesia. o Absolutismo. O Rei e o Exército – O rei nomeará todos os cargos do exército e da marinha e não será exigido deles o juramento de guardar a Constituição (Constituição Prussiana). por conseguinte é punido. A realidade era esta: o povo estava sempre por baixo e devia continuar assim. num instrumento da nação. por isso vence sempre. em síntese.

ia ao encontro à constituição real. passo a passo. porém. de um modo especial. O rei continuava com o poder. como as organizações dos funcionários públicos. Esta Constituição poderá ser reformada radicalmente. Somente o fato de existir o grito de alarme que incite a conservá-la é uma prova evidente de sua caducidade para aqueles que saibam ver com clareza. até impor-se à constituição escrita. Terceira conseqüência – Onde a Constituição reflete os fatores reais e efetivos do poder. se não se justifica pelos fatos reais e efetivos do poder”. CLEIDE CALGARO RAFAEL STAPASOLLA ZANOTTI VITÓRIA MEYER . o rei em 5 de dezembro de 1848 proclamou a Constituição baseada nos papéis da assembléia. que ficasse impossibilitado de aparecer como soberano perante a nação. mas do poder. porque ela já é respeitada. a verdadeira Constituição de um país somente tem por base os fatores reais e efetivos do poder que naquele país vigem e as constituições escritas não tem valor nem são duráveis a não ser que exprimam fielmente os fatores do poder que imperam na realidade social: eis aí os critérios fundamentais que devemos sempre lembrar. imiscuir-se nele tanto e de tal forma. contra os fatores reais do poder. o valor que representa o exército como fator decisivo e importantíssimo do poder organizado. Conclusões Práticas – Os problemas constitucionais não são problemas de direito. Nesta conferência eu quis demonstrar. UCS – NUCAN – DIREITO CONSTITUCIONAL I PRFª. nunca. Assim a constituição real abriu caminho. invulnerável. não pode existir um partido político que tenha por lema o respeito à Constituição. mantida integralmente. Segunda conseqüência – A Assembléia Nacional foi dissolvida. isto é.se no Poder Executivo. mas também existem outros valores. “De nada servirá o que se escrever em uma folha de papel. etc. que podem ser considerados também como forças orgânicas do poder de uma sociedade.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->