P. 1
ENADE 2010 - Fisioterapia[1]

ENADE 2010 - Fisioterapia[1]

|Views: 1.774|Likes:
Publicado porCíntia Ciliânia

More info:

Published by: Cíntia Ciliânia on Dec 29, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/03/2013

pdf

text

original

SINAES

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior

06
Novembro / 2010

EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES

2010

Prova de

FISIOTERAPIA
LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO.
1 - Verifique se, além deste caderno, você recebeu o Caderno de Respostas, destinado à transcrição das respostas das questões de múltipla escolha (objetivas), das questões discursivas e das respostas do questionário de percepção da prova. 2 - Confira se este caderno contém as questões de múltipla escolha (objetivas) e discursivas de formação geral e do componente específico da área, e as questões relativas à sua percepção da prova, assim distribuídas:
Partes Formação Geral/Múltipla Escolha Formação Geral/Discursivas Componente Específico/Múltipla Escolha Componente Específico/Discursivas Questionário de percepção da Prova Número das questões 1 a 8 9 e 10 11 a 37 38 a 40 1 a 9 Peso das questões 60% 25% 40% 85% 75% 15% _ _ Peso dos componentes

3 - Verifique se a prova está completa e se o seu nome está correto no Caderno de Respostas. Caso contrário, avise imediatamente um dos responsáveis pela aplicação da prova. Você deve assinar o Caderno de Respostas no espaço próprio, com caneta esferográfica de tinta preta. 4 - Observe as instruções expressas no Caderno de Respostas sobre a marcação das respostas às questões de múltipla escolha (apenas uma resposta por questão). 5 - Use caneta esferográfica de tinta preta tanto para marcar as respostas das questões objetivas quanto para escrever as respostas das questões discursivas. 6 - Não use calculadora; não se comunique com os demais estudantes nem troque de material com eles; não consulte material bibliográfico, cadernos ou anotações de qualquer espécie. 7 - Você terá quatro horas para responder às questões de múltipla escolha e discursivas e ao questionário de percepção da prova. 8 - Quando terminar, entregue ao Aplicador ou Fiscal o seu Caderno de Respostas. 9 - Atenção! Você só poderá levar este Caderno de Prova após decorridas três horas do início do Exame.

Ministério da Educação

2010
EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES

FORMAÇÃO GERAL
QUESTÃO 1
² 6HUi GH WHUUD tua derradeira camisa: te veste, como nunca em vida. ² 6HUi GH WHUUD e tua melhor camisa: te veste e ninguém cobiça. ² 7HUiV GH WHUUD completo agora o teu fato: e pela primeira vez, sapato. — Como és homem, D WHUUD WH GDUi FKDSpX fosses mulher, xale ou véu.
Painel da série Retirantes, de Cândido Portinari. Disponível em: <http://3.bp.blogspot.com>. Acesso em: 24 ago. 2010.

— Tua roupa melhor VHUi GH WHUUD H QmR GH ID]HQGD não se rasga nem se remenda.

Morte e Vida Severina
(trecho)

— Tua roupa melhor H WH ¿FDUi EHP FLQJLGD como roupa feita à medida.

$t ¿FDUis para sempre, livre do sol e da chuva, criando tuas saúvas. ² $JRUD WUDEDOKDUiV só para ti, não a meias, como antes em terra alheia. ² 7UDEDOKDUiV XPD WHUUD da qual, além de senhor, VHUiV KRPHP GH HLWR H WUDWRU — Trabalhando nessa terra, tu sozinho tudo empreitas: VHUiV VHPHQWH DGXER FROKHLWD ² 7UDEDOKDUiV QXPD WHUUD que também te abriga e te veste: embora com o brim do Nordeste.
João Cabral de Melo Neto. Morte e Vida Severina. Rio de Janeiro: Objetiva, 2008.

Analisando o painel de Portinari apresentado e o trecho destacado de Morte e Vida Severina, conclui-se que A ambos revelam o trabalho dos homens na terra, com destaque para os produtos que nela podem ser cultivados. B ambos mostram as possibilidades de desenvolvimento do homem que trabalha a terra, com destaque para um dos personagens. C DPERV PRVWUDP ¿JXUDWLYDPHQWH R GHVWLQR GR VXMHLWR sucumbido pela seca, com a diferença de que a cena GH 3RUWLQDUL GHVWDFD R VRIULPHQWR GRV TXH ¿FDP D o poema revela a esperança, por meio de versos livres, assim como a cena de Portinari traz uma perspectiva próspera de futuro, por meio do gesto. E R SRHPD PRVWUD XP FHQiULR SUyVSHUR FRP HOHPHQtos da natureza, como sol, chuva, insetos, e, por isso, mantém uma relação de oposição com a cena de Portinari.
FISIOTERAPIA

2

o desmatamento na Amazônia Legal concentrou-se em UHJL}HV HVSHFt¿FDV 'R SRQWR GH YLVWD IXQGLiULR D PDLRU parte do desmatamento (cerca de 80%) aconteceu em iUHDV SULYDGDV RX HP GLYHUVRV HVWiJLRV GH SRVVH 2 restante do desmatamento ocorreu em assentamentos promovidos pelo INCRA. conforme a política de Reforma $JUiULD  .2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 2 QUESTÃO 3 De agosto de 2008 a janeiro de 2009.

 XQLGDGHV GH FRQVHUYDomR  .

do mesmo modo que o político pode se reduzir à ética.org. pois muitos ainda não estão LQWHJUDGRV DRV SODQRV GH PDQHMR VXVWHQWiYHO GD WHUUD D nas unidades de conservação. frente a uma decisão cujo caminho exige um percurso ético. Disponível em: <www.zip. 2010. Acesso em: 30 ago. Considerando a imagem e as ideias que ela transmite. A ética prescinde de condições históricas e sociais. pois é no homem que se situa a decisão ética. isto é. $ pWLFD SROtWLFD VXS}H R VXMHLWR UHVSRQViYHO por suas ações e pelo seu modo de agir na sociedade. III e IV. pois eles não aprofundaram o debate DFHUFD GD TXHVWmR IXQGLiULD B QRV SRYRV LQGtJHQDV SRLV HOHV GHVPDWDUDP D iUHD que ocupavam mais do que a comunidade dos assentados pelo INCRA.imazon. II.br>.net>. A charge acima representa um grupo de cidadãos pensando e agindo de modo diferenciado. Acesso em: 26 ago. III. 2010. DYDOLH DV D¿UPDWLYDV TXH VH VHJXHP I. Disponível em:<http://etica-bioetica. na perspectiva do fortalecimento dos valores pessoais. praticar a autoética. H HP WHUUDV indígenas (7%). e FRUUHWR DSHQDV R TXH VH D¿UPD HP A B C D E I e II. III e V. quando ele escolhe os seus valores e as VXDV ¿QDOLGDGHV V. . A ética não se impõe imperativamente nem XQLYHUVDOPHQWH D FDGD FLGDGmR FDGD XP WHUi que escolher por si mesmo os seus valores e ideias. nos quais o desmatamento foi maior que o realizado SHORV GRQRV GH iUHDV SULYDGDV GD $PD]{QLD /HJDO ÁREA LIVRE FISIOTERAPIA 3 . que costumam burlar OHLV IXQGLiULDV QHODV R GHVPDWDPHQWR IRL PDLRU TXH R realizado pelos assentados pelo INCRA. A nos grupos engajados na política de proteção ambiental. $ pWLFD VH Gi GH IRUD SDUD GHQWUR FRPR compreensão do mundo. E nos assentamentos regulamentados pelo INCRA. C QRV SRVVHLURV LUUHJXODUHV H SURSULHWiULRV UHJXODUL]DGRV que desmataram mais. I e V. em XP SURFHVVR D VHUYLoR GR VXMHLWR UHVSRQViYHO IV.QIHUHVH GR WH[WR TXH VRE R SRQWR GH YLVWD IXQGLiULR o problema do desmatamento na Amazônia Legal HVWi FHQWUDGR Dom Walmor Oliveira de Azevedo. (com adaptações). II e IV. A ética pode se reduzir ao político.

como mostra o estudo “Mulher no mercado de trabalho: perguntas e respostas”.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 4 Conquistar um diploma de curso superior não garante às mulheres a equiparação salarial com os homens. divulgado pelo .%*(.QVWLWXWR %UDVLOHLUR GH *HRJUD¿D H (VWDWtVWLFD .

analise as D¿UPDo}HV VHJXLQWHV I. Conhecer direitos e deveres.com/economia/boachance/ mat/2010/03/08>. a diferença de UHQGLPHQWR SDUD SUR¿VVLRQDLV FRP HVFRODULGDGH GH RQ]H anos ou mais de estudo é de R$ 616. D¿UPDo}HV TXH VH VHJXHP analise as I. II. nesta segunda-feira. mas DEUDQJH IDWRUHV GH FDUiWHU KLVWyULFRFXOWXUDO IV. 2010. Disponível em: <http://www.br/mapas>. Existe relação direta entre o crescimento da ocupação humana e o maior acesso ao VDQHDPHQWR EiVLFR III. Organização Mundial da Saúde. Desde a aprovação da Constituição de 1988. Quando a comparação é feita para o nível VXSHULRU D GLIHUHQoD p GH 5  SDUD HOHV Disponível em: <http://oglobo. Índia e China. I e III. IV e V.google. a criança. e FRUUHWR DSHQDV R TXH VH D¿UPD HP A B C D E 4 Philippe Rekacewicz (Le Monde Diplomatique). No Brasil. Acesso em: 19 out. nos diversos grupamentos de atividade econômica. quando se comemora o Dia Internacional da Mulher. o idoso e o negro. II e V. III e IV. Considerando o mapa apresentado. tem havido incremento dos movimentos gerados no âmbito da sociedade para diminuir ou minimizar a violência e o preconceito contra a mulher. deve-se diagnosticar VXDV FRQGLo}HV EiVLFDV GH LQIUDHVWUXWXUD VHX PIB per capita. e FRUUHWR DSHQDV R TXH VH D¿UPD HP A B C D E I e II. I. QUESTÃO 5 2 PDSD DEDL[R UHSUHVHQWD DV iUHDV SRSXODFLRQDLV VHP DFHVVR DR VDQHDPHQWR EiVLFR Considerando o tema abordado acima. 2 PDLRU DFHVVR DR VDQHDPHQWR EiVLFR RFRUUH em geral. a saúde e a educação. A globalização é fenômeno que ocorre de maneira desigual entre os países. por exemplo. 4XDQWR PDLRU R QtYHO GH DQiOLVH GRV LQGLFDGRUHV GH JrQHURV PDLRU VHUi D SRVVLELOLGDGH GH LGHQWL¿FDomR GD UHDOLGDGH YLYLGD SHODV PXOKHUHV no mundo do trabalho e da busca por uma SROtWLFD LJXDOLWiULD FDSD] GH VXSHUDU RV GHVD¿RV das representações de gênero. Para se analisar o índice de desenvolvimento humano (IDH) de um país. Brasil. a escolaridade de nível superior não aproxima os rendimentos recebidos por homens H PXOKHUHV 3HOR FRQWUiULR D GLIHUHQoD DFHQWXDVH No caso do comércio. a desigualdade social das minorias pWQLFDV GH JrQHUR H GH LGDGH QmR HVWi DSHQDV circunscrita pelas relações econômicas. 2010 (com adaptações). I e II. II.80 a mais para os homens. no local de trabalho H QD YLGD FRWLGLDQD p VX¿FLHQWH SDUD JDUDQWLU D alteração dos padrões de inserção das mulheres no mercado de trabalho. em países desenvolvidos. V. III. Rússia. Segundo o trabalho.globo. I. II e IV. possuem percentual da população com acesso ao saneamento EiVLFR DEDL[R GD PpGLD PXQGLDO IV. países pertencentes ao bloco dos emergentes. III e IV.com. FISIOTERAPIA . II e III. e o progresso social independe dos avanços econômicos. Acesso em: 28 ago. embasado na Pesquisa Mensal de Emprego de 2009. 2006. III e IV.

com base em dados de 2008.6 a 66. O levantamento inclui dados GH  HVWDGRV H GR 'LVWULWR )HGHUDO 'H DFRUGR FRP D 2UJDQL]DomR 0XQGLDO GD 6D~GH 206.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 6 Levantamento feito pelo jornal Folha de S. revela que o índice de homicídios por 100 mil habitantes no Brasil varia de 10.2. Paulo e publicado em 11 de abril de 2009.

B os estados que não divulgaram os seus dados de homicídios encontram-se na região Centro-Oeste. supera a do Rio Grande do Norte em mais de 100%. E Roraima é o estado com menor taxa de homicídios por 100 mil habitantes. não se caracterizando como zona epidêmica de homicídios. D a taxa de homicídios por 100 mil habitantes do estado da Bahia. FISIOTERAPIA  . iUHDV FRP tQGLFHV superiores a 10 assassinatos por 100 mil habitantes são consideradas zonas epidêmicas de homicídios. $ SDUWLU GDV LQIRUPDo}HV GR WH[WR H GR JUi¿FR DFLPD FRQFOXLVH TXH A o número total de homicídios em 2008 no estado da Paraíba é inferior ao do estado de São Paulo. $QiOLVH GD PRUWDOLGDGH SRU KRPLFtGLRV QR %UDVLO Disponível em: <KWWSZZZIROKDXROFRPEUIROKDFRWLGLDQRXOWXVKWPO! Acesso em: 22 ago. em 2008. 2010. C a média aritmética das taxas de homicídios por 100 mil habitantes da região Sul é superior à taxa média aproximada do Brasil.

Rio de Janeiro: 3DUiEROD (GLWRULDO S  FRP DGDSWDo}HV. Uma dica para o bom desempenho linguístico é seguir o modelo de escrita dos FOiVVLFRV . A língua. trata-se apenas de ilustrar o modelo dado por ela. PORQUE $ OLQJXDJHP Gi DR KRPHP XPD SRVVLELOLGDGH GH FULDU mundos. C.). é preciso o cuidado de falar de acordo com a norma padrão.VVR QmR VLJQL¿FD QHJDU R SDSHO GD JUDPiWLFD normativa. S. de criar realidades. de evocar realidades não presentes. pois oferece inúmeros recursos para o domínio da norma padrão e consequente distância GD QmR SDGUmR (VVH GRPtQLR p R TXH OHYDUi R VXMHLWR D GHVHPSHQKDU FRPSHWHQWHPHQWH DV SUiWLFDV VRFLDLV trata-se do legado mais importante da humanidade. E a língua é uma forma particular dessa faculdade [a linguagem] de criar mundos. Conversas com Linguistas: virtudes e controvérsias da Linguística.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 7 Para preservar a língua. & CORTEZ. A escola é um lugar privilegiado de limpeza dos vícios de fala. nesse sentido. é a concretização de uma experiência KLVWyULFD (OD HVWi UDGLFDOPHQWH SUHVD j VRFLHGDGH XAVIER. A. (orgs.

A técnica consiste em irradiar com isótopos radioativos para combater os micro-organismos que causam o apodrecimento dos vegetais e aumentar a longevidade dos alimentos. com essa tecnologia. A As duas asserções são proposições verdadeiras. relacionando-os às causas da poluição atmosférica. alertando sobre os cuidados que devem ter a medicina e a agroindústria. Analisando a relação proposta entre as duas asserções acima. D propõe soluções nucleares como ferramentas de diagnóstico em doenças de animais. analisar o ar de uma região e determinar se um poluente vem da queima do petróleo ou da vegetação. QUESTÃO 8 Isótopos radioativos estão ajudando a diagnosticar as causas da poluição atmosférica. Correio Popular de Campinas. mudanças metabólicas em iUHDV GR FRUSR 2V H[DPHV FRQVHJXHP LQFOXVLYH detectar tumores que ainda não causam sintomas. B elenca possibilidades de uso de isótopos radioativos. A irradiação GH SURGXWRV DOLPHQWtFLRV Mi p XPD UHDOLGDGH SRLV grandes indústrias que vendem frutas ou suco utilizam essa técnica. assim. e a segunda é uma proposição falsa. C destaca os perigos da radiação para a saúde. evidenciando. por exemplo. que conseguem apontar. 22 ago.B9 (com adaptações). alertando para os malefícios que podem causar ao ser humano. sem intervenção cirúrgica. 2010. mas D VHJXQGD QmR p XPD MXVWL¿FDWLYD FRUUHWD GD SULPHLUD C A primeira asserção é uma proposição verdadeira. e a VHJXQGD p XPD MXVWL¿FDWLYD FRUUHWD GD SULPHLUD B As duas asserções são proposições verdadeiras. assinale a opção correta. D A primeira asserção é uma proposição falsa. E As duas asserções são proposições falsas. diminuindo o desperdício. A notícia acima A comenta os malefícios do uso de isótopos radioativos. ÁREA LIVRE 6 FISIOTERAPIA . benefícios do avanço tecnológico. 1D iUHD PpGLFD DV VROXo}HV QXFOHDUHV HVWmR HP IHUUDPHQWDV GH GLDJQyVWLFR FRPR D WRPRJUD¿D e a ressonância magnética. p. e a segunda é uma proposição verdadeira. Podemos. possibilitando um tratamento precoce do câncer e maior possibilidade de cura. Outra utilização dos isótopos radioativos que SRGH QR IXWXUR GLPLQXLU D iUHD GH GHVPDWDPHQWR para uso da agricultura é a irradiação nos alimentos. E H[SOLFD FLHQWL¿FDPHQWH DV YiULDV WpFQLFDV GH tratamento em que se utilizam isótopos radioativos para matar os micro-organismos que causam o apodrecimento dos vegetais.

ext. de um grupo social ou de uma sociedade Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. mas segundo princípios permanentes de legalidade 4 sistema político comprometido com a igualdade ou com a distribuição equitativa de poder entre todos os cidadãos 5 governo que acata a vontade da maioria da população. POL. 2001. conjunto de regras e preceitos de ordem valorativa e moral de um indivíduo. Rio de Janeiro: Objetiva. não de forma ocasional ou circunstancial. 1 SDUWH GD ¿ORVR¿D UHVSRQViYHO SHOD LQYHVWLJDomR GRV SULQFtSLRV TXH PRWLYDP GLVWRUFHP GLVFLSOLQDP RX RULHQWDP R FRPSRUWDPHQWR KXPDQR UHÀHWLQGR HVS D UHVSHLWR GD HVVrQFLD GDV QRUPDV YDORUHV SUHVFULo}HV H H[RUWDo}HV presentes em qualquer realidade social 2 p. 1 governo do povo. governo em que o povo exerce a soberania 2 sistema político cujas ações atendem aos interesses populares 3 governo no qual o povo toma as decisões importantes a respeito das políticas públicas.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 9 As seguintes acepções dos termos democracia e ética foram extraídDV GR 'LFLRQiULR +RXDLVV GD /tQJXD 3RUWXJXHVD democracia. Em seu texto. &RQVLGHUDQGR DV DFHSo}HV DFLPD HODERUH XP WH[WR GLVVHUWDWLYR FRP DWp  OLQKDV DFHUFD GR VHJXLQWH WHPD Comportamento ético nas sociedades democráticas. aborde os seguintes aspectos: D. embora respeitando os direitos e a livre expressão das minorias ética.

FRQFHLWR GH VRFLHGDGH GHPRFUiWLFD YDORU  SRQWRV.

b) evidências de um comportamento não ético de um indivíduo. (valor: 3.0 pontos) c) exemplo de um comportamento éticR GH XP IXWXUR SUR¿VVLRQDO FRPSURPHWLGR FRP D FLGDGDQLD YDORU  SRQWRV.

RASCUNHO .QUESTÃO 9 1 2 3 4  6 7 8 9 10 11 12 13 14  FISIOTERAPIA 7 .

(QWUH  H   PLOK}HV GH SHVVRDV ¿]HUDP parte de turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Parece muito. em vigor desde 2001 e com encerramento previsto para 2010. A seguir. apresentam-se alguns indicativos do PNE 2001.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 10 Para a versão atual do Plano Nacional de Educação (PNE). a esmagadora maioria dos municípios e estados não aprovou uma legislação que garantisse recursos para cumprir suas metas. mas representa apenas um terço dos mais de 29 milhões de pessoas que não chegaram à 4ª série e seriam o público-alvo dessa faixa de ensino. A inclusão da EJA no Fundo de Manutenção e 'HVHQYROYLPHQWR GD (GXFDomR %iVLFD H GH 9DORUL]DomR GRV 3UR¿VVLRQDLV GD (GXFDomR )81'(%.

Em seu texto. Acesso em: 31 ago. Com base nos dados do texto acima e tendo em vista que novas diretrizes darão origem ao PNE de 2011 – documento que organiza prioridades e propõe metas a serem alcançadas nos dez anos seguintes –. contemple os seguintes aspectos: D. UHSUHVHQWRX uma fonte de recursos para ampliar a oferta. mas não atacou a evasão.abril. hoje em alarmantes 43%. Disponível em: <http://revistaescola. 2010 (com adaptações). redija um único texto DUJXPHQWDWLYR HP QR Pi[LPR  OLQKDV DFHUFD GD VHJXLQWH DVVHUWLYD 2 GHVD¿R KRMH QmR p Vy PDWULFXODU PDV PDQWHU RV DOXQRV GD (GXFDomR GH -RYHQV H $GXOWRV QD HVFROD diminuindo a repetência e o abandono.br/politicas-publicas>.com.

D DVVRFLDomR HQWUH HVFROD H WUDEDOKR QD YLGD GRV HVWXGDQWHV GD (-$ YDORU  SRQWRV.

YDORU  SRQWRV. b) uma proposta de ação que garanta a qualidade do ensino e da aprendizagem e diminua a repetência e a evasão.

RASCUNHO .QUESTÃO 10 1 2 3 4  6 7 8 9 10 11 12 13 14  8 FISIOTERAPIA .

Os constituintes do tecido conjuntivo são quase sempre os mesmos: ¿EUDV FROiJHQDV HOiVWLFDV H UHWLFXODUHV.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES COMPONENTE ESPECÍFICO QUESTÃO 11 O tecido conjuntivo forma uma rede contínua responsável pelas relações espaciais entre as células. os tecidos e os órgãos do corpo.

As cicatrizes são formadas por tecido denso H VHP RULHQWDomR VH QmR IRUHP VXEPHWLGDV D HVWtPXORV PHFkQLFRV III. IV e V. II. QUESTÃO 13 EQWUH DV D¿UPDo}HV DEDL[R LGHQWL¿TXH TXDLV GHVFUHYHP FRQGXWDV GH DWHQomR SULPiULD GH XP ¿VLRWHUDSHXWD LQVHULGR QR 1~FOHR GH $SRLR j 6D~GH GD )DPtOLD 1$6). Algumas estratégias mimetizam ações pelo pensamento e outras HQYROYHP D REVHUYDomR GH XP DWR PRWRU $V SURSRVWDV que geram plasticidade adaptativa cortical favorável à recuperação funcional envolvem A LPDJpWLFD H DERUGDJHP GD UHDSUHQGL]DJHP PRWRUD B conceito Bobath e conceito de aprendizagem motora. I. I. II. QUESTÃO 12 1R HVWXGR GR FyUWH[ FHUHEUDO p DERUGDGD D FRQVROLGDomR da aprendizagem/reaprendizagem motora. O tecido conjuntivo frouxo adapta-se com o HQFXUWDPHQWR H FRQWUDomR GH VXDV ¿EUDV FDVR não haja movimento adequado. III e IV. IV e V. e FRUUHWR DSHQDV R TXH VH D¿UPD HP A B C D E I. D método de facilitação neuromuscular proprioceptiva e conceito Bobath. As características do tecido conjuntivo dependerão da IXQomR GH FDGD UHJLmR $ FRPELQDomR GH SURSRUo}HV HVSHFt¿FDV GRV FRQVWLWXLQWHV UHVXOWD HP WLSRV GH tecido conjuntivo estruturalmente diferentes. formando um sistema interligado. II. C prática mental e sistema cortical de neurônios espelho. V. haverá RULHQWDomR GDV ¿EUDV Folágenas segundo esta orientação. O tecido conjuntivo pode apresentar maior SURSRUomR GH ¿EUDV H VH WRUQDU GHQVR VH KRXYHU necessidade de resistência. I. adaptado à WUDQVPLVVmR GH WHQV}HV PHFkQLFDV IV. com SURSULHGDGHV PHFkQLFDV SUySULDV R IURX[R RX DUHRODU H R GHQVR 6mR RV HVWUHVVHV PHFkQLFRV GD DWLYLGDGH motora normal que determinam a constituição do tecido conjuntivo. As fáscias musculares estão em continuidade com os tendões e aponeuroses musculares. $ SDUWLU GDV LQIRUPDo}HV DFLPD DYDOLH DV D¿UPDo}HV a seguir. VXEVWkQFLD fundamental amorfa ou matriz extracelular. As diversas fases do processo de reparo do tecido conjuntivo não interferem na redução do risco de recidiva das lesões musculoesqueléticas. I. III. E DERUGDJHP GD UHDSUHQGL]DJHP PRWRUD H IDFLOLWDomR neuromuscular proprioceptiva. Se a resistência é requerida em direção preferencial. e células. III e V. II. III. como no caso GH XPD LPRELOL]DomR II. IV e V.

II. prevenção e analgesia SDUD GLPLQXLomR H RX. I. Realizar palestras nas escolas acerca da LPSRUWkQFLD GD SRVWXUD GXUDQWH D LQIkQFLD e adolescência. 0RQWDU JUXSRV PXOWLSUR¿VVLRQDLV SDUD WUDEDOKDU técnicas de relaxamento.

pois qualquer procedimento realizado em pediatria deve contar FRP D GHGLFDomR H D FRODERUDomR GD IDPtOLD SDUD TXH HVWH VHMD FRPSOHWR H H¿FD] e FRUUHWR DSHQDV R TXH VH D¿UPD HP A B C D E I. 9 FISIOTERAPIA . Orientar os pais ou responsáveis. . ao controle e à execução de projetos e programas de Do}HV EiVLFDV GH VD~GH V. I. III e V. II e III. DOtYLR GD GRU III. à implementação.GHQWL¿FDU H HQFDPLQKDU DV FULDQoDV H DGROHVcentes para tratamento junto a um serviço de ¿VLRWHUDSLD RX FHQWUR GH UHDELOLWDomR IV. II. I. IV e V. 3DUWLFLSDU GH HTXLSHV PXOWLSUR¿VVLRQDLV GHVWLQDdas ao planejamento. III. IV e V. II e IV.

2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 14 1DV ¿JXUDV HVWmR DSUHVHQWDGRV TXDWUR JUi¿FRV TXH representam diferentes formas de ondas elétricas utilizadas como UHFXUVR ¿VLRWHUDSrXWLFR 'HSHQGHQGR GD IRUPD GH RQGD D TXDQWLGDGH GH FDUJD HOpWULFD TXH VH PRYLPHQWD HP FDGD GLUHomR SRGH VHU LJXDO HTXLOLEUDGD.

RX GHVLJXDO GHVHTXLOLEUDGD.

B I e III. D II e IV. Figura I Figura II Figura III Figura IV 52%(57621 9 :$5' $ /2: - 5((' $ Eletroterapia explicada SULQFtSLRV H SUiWLFDV 5LR GH -DQHLUR (OVHYLHU  ASUHVHQWDP FDUJD PRYLPHQWDGD HTXLOLEUDGD DSHQDV DV RQGDV H[SUHVVDV QDV ¿JXUDV A I e II. 10 FISIOTERAPIA . E III e IV. C II e III.

D GLPLQXLomR QD VHQVLELOLGDGH j GRU H j WHPSHUDWXUD H SDUDOLVLD ÀiFLGD E SDUDOLVLD HVSiVWLFD DEDL[R GR VHJPHQWR H GLPLQXLomR da propriocepção. especialmente nos casos em que o aprender e o reaprender movimentos funcionais HVWHMDP GLILFXOWDGRV H RX. A KLSHUWUR¿DU RV P~VFXORV URWDWRUHV ODWHUDLV H DEGXWRUHV GD FR[D B IRUWDOHFHU JOREDOPHQWH RV P~VFXORV HQYROYLGRV QD articulação do quadril. Esse tipo de treinamento auxilia na correção dos movimentos pela via visual. 1D ¿JXUD DFLPD REVHUYDVH XP FRUWH WUDQVYHUVR GR segmento cervical da medula espinhal. Campinas: UNICAMP. No caso de um paciente com meningeoma na parte posterior da medula espinhal e perda de função na área hachurada UHSUHVHQWDGD QD ¿JXUD RV VLQWRPDV DSUHVHQWDGRV VHULDP A GH¿FLW na propriocepção e estereognosia. seja GXUDQWH D WHUDSLD VRE RULHQWDomR GR ILVLRWHUDSHXWD seja como orientação dos cuidadores para realização de exercícios no domicílio. por diferentes especialidades. 1999.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 15 QUESTÃO 17 &RQVLGHUH TXH XPD EDLODULQD WHQKD SURFXUDGR DWHQGLPHQWR ¿VLRWHUDSrXWLFR FRP GLDJQyVWLFR PpGLFR GH LQtFLR GH QHFURVH DYDVFXODU GD FDEHoD GR IrPXU apresentando fortes dores ao realizar rotação lateral e DEGXomR GD FR[D &RP EDVH QHVVH FDVR FOtQLFR H FRQVLGHUDQGR TXH R REMHWLYR LQLFLDO GR DWHQGLPHQWR ¿VLRWHUDSrXWLFR p UHHVWDEHOHFHU D LUULJDomR GD DUWLFXODomR R WUDWDPHQWR correto para a paciente seria /$1*21( ) 0$548(6 0 - Atlas seccional da medula espinhal e do encéfalo humanos. B EDL[D VHQVLELOLGDGH YLEUDWyULD DWD[LD H SDUDOLVLD C DWD[LD H GLPLQXLomR QD VHQVLELOLGDGH j GRU H j temperatura. C HVWDELOL]DU D DUWLFXODomR GR TXDGULO DSUR[LPDQGR D FDEHoD GR IrPXU DR DFHWiEXOR D aumentar o espaço articular com alongamento dos URWDWRUHV ODWHUDLV H DEGXWRUHV E alongar os adutores e rotatores mediais para DXPHQWDU D DPSOLWXGH GR PRYLPHQWR GH DEGXomR QUESTÃO 18 O treinamento de movimentos em frente a um espelho é utilizado para diferentes recursos em cinesioterapia.

p. D¿UPDQGRVH QD SUiWLFD SRU PXOWLSOLFDomR GH FRPLWrV ELRpWLFRV SRU WRGR R PXQGR RUJDQL]DomR GH QRYDV disciplinas especializadas nas universidades e criação de UHYLVWDV FLHQWt¿FDV *$55$)$ 9 5HÀH[}HV ELRpWLFDV VREUH FLrQFLD VD~GH H FLGDGDQLD Bioética. 11 QUESTÃO 16 $ ELRpWLca. ampliou seu espectro para muito além dos limites tradicionais que WUDWDP GRV SUREOHPDV GHRQWROyJLFRV GHFRUUHQWHV das relações entre os profissionais de saúde com seus pacientes 32548( O neologismo ganhou notoriedade mundial. E $V GXDV D¿rmações são falsas. em termos fisiológicos. que a alguns desavisados parecia tratar-se de uma nova versão da ética médica tradicional e hipocrática. n. E engrama sensorial no aprendizado motor e reconhecimento de padrões motores já aprendidos. 1999. 7. C aprendizado de padrões motores pela área cortical pré-motora. B arquivamento de padrões motores pelo homúnculo motor.1. FISIOTERAPIA . LPSHGLGRV SHOD GRHQoD GH EDVH $ DGRomR GHVVH WLSR GH WUHLQDPHQWR PRWRU funcional justifica-se. pelo fato de incluir A homúnculo motor no aprendizado do engrama sensorial. 13-20. v. D arquivamento de padrões motores pela área cortical motora primária. $QDOLVDQGR HVVDV D¿UPDo}HV DVVLQDOH D RSomR FRUUHWD A $V GXDV D¿UPDo}HV VmR YHUGDGHLUDV H D VHJXQGD MXVWL¿FD D SULPHLUD B $V GXDV D¿UPDo}HV VmR YHUGDGHLUDV PDV D VHJXQGD QmR MXVWL¿FD D SULPHLUD C $ SULPHLUD D¿UPDomR p YHUGDGHLUD H D VHJXQGD p IDOVD D $ SULPHLUD D¿UPDomR p IDOVD H D VHJXQGD p verdadeira.

Neurociências fundamentos para a reabilitação. (VSHFt¿FRV D. L. Darcy A. entre outros. L. EKMAN.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 19 2V DYDQoRV GD ELRWHFQRORJLD YrP DX[LOLDQGR VREUHPDQHLUD D DYDOLDomR FLQpWLFRIXQFLRQDO UHDOL]DGD SHOR ¿VLRWHUDSHXWD R TXH SHUPLWH D HODERUDomR GH SODQRV GH LQWHUYHQo}HV HVSHFt¿FRV H LQGLYLGXDOL]DGRV 1HVVH VHQWLGR SDUD RV WHVWHV GH HTXLOtEULR HVWiWLFR DV SODWDIRUPDV GH IRUoD RULHQWDP R SUR¿VVLRQDO IRUQHFHQGR LPSUHVV}HV VREUH GHVORFDPHQWRV GR FHQWUR GH gravidade. rearranjos posturais. Reabilitação neurológica.  HG 5LR GH -DQHLUR (OVHYLHU  UMPHRED.  HG 5LR GH -DQHLUR (OVHYLHU  QUESTÃO 21 Um projeto de pesquisa foi apresentado como proposta para o desenvolvimento de uma nova tecnologia em instrumentação de medida de movimento humano de EDL[R FXVWR 2V REMHWLYRV GHVVH SURMHWR IRUDP GH¿QLGRV como se segue: ‡ *HUDO 'HVHQYROYHU WDEHODV FRP YDORUHV GH UHIHUrQFLD para avaliações cinemáticas e da função muscular respiratória em crianças de 7 a 12 anos de idade.

YDOLGDU XP SURFHVVR GH IRWRJUDPHWULD a partir da correlação de seus resultados com método SDGUmR RXUR SDUD HVWXGR GD ELRPHFkQLFD SRVWXUDO H UHVSLUDWyULD E.

XWLOL]DU R SURFHVVR GH IRWRJUDPHWULD SDUD PHGLGDV GD JHRPHWULD GD SRVWXUD ÀH[LELOLGDGH UD]}HV GLDPHWUDLV iUHDV WRUDFRDEGRPLQDLV HP PRYLPHQWRV UHVSLUDWyULRV H FRQWULEXLo}HV UHODWLYDV GHVWDV iUHDV para a composição da área total da parede torácica. HP FULDQoDV GH  D  DQRV GH LGDGH F.

PDQREUD GH 'L[+DOOSLNH H 5RPEHUJ VHQVLELOL]DGR sentar e levantar cronometrado e teste de caminhada. ‡ QUESTÃO 20 A goniometria é uma das técnicas mais usuais para PHQVXUDomR GD DPSOLWXGH GH PRYLPHQWR $'0. Hipóteses a serem testadas: O processo de fotogrametria em tela. FODVVL¿FDU os resultados de medidas cinemáticas de acordo FRP RV UHVXOWDGRV GH EDURSRGRPHWULD GH WHVWHV espirométricos e de função muscular respiratória. como recurso cinemático. ‡ Entre os vários testes que podem ser realizados com R SDFLHQWH TXH HVWi VREUH D SODWDIRUPD GH IRUoD SDUD VHQVLELOL]DU R HTXLOtEULR LQFOXHP A B C D E DSRLR XQLSRGDO H PDQREUD GH %DUUp DOFDQFH IXQFLRQDO H 5RPEHUJ VLPSOHV pliometria e prova dos passos de Fukuda. pode ser WRPDGR FRPR XP H[DPH FRPSOHPHQWDU GH EDL[R FXVWR H ERD HIHWLYLGDGH QR DFRPSDQKDPHQWR GR FUHVcimento e do desenvolvimento postural e respiratório de escolares com idade entre 7 e 12 anos.

DUWLFXODU 'XUDQWH D PHQVXUDomR R ¿VLRWHUDSHXWD GHYH REVHUYDU D.

SRVLomR GR SDFLHQWH E.

DPSOLWXGH QRUPDO GH PRYLPHQWR DUWLFXODU F.

SRVLomR GR SLY{ G.

SRVLomR GR EUDoR ¿[R H.

SRVLomR GR EUDoR PyYHO &RP EDVH QD VHTXrQFLD metodológica apresentada para a medição do movimento GH ÀH[mR GR FRWRYHOR DVVLQDOH D DOWHUQDWLYD FRUUHWD A 'HF~ELWR GRUVDO VXSLQDomR.

HSLF{QGLOR PHGLDO GR ~PHUR IDFH PHGLDO GR EUDoR ao longo de seu eixo longitudinal e face medial do DQWHEUDoR DR ORQJR GH VHX HL[R ORQJLWXGLQDO B 'HF~ELWR YHQWUDO SURQDomR. 0º a 130º de ADM.

 ž D ž GH $'0 HSLF{QGLOR ODWHUDO GR ~PHUR IDFH ODWHUDO GR EUDoR ao longo de seu eixo longitudinal e face lateral do DQWHEUDoR DR ORQJR GH VHX HL[R ORQJLWXGLQDO C 'HF~ELWR YHQWUDO SURQDomR.

E 'HF~ELWR GRUVDO ž D ž GH $'0 HSLF{QGLOR ODWHUDO GR ~PHUR IDFH PHGLDO GR EUDoR DR ORQJR GH VHX HL[R ORQJLWXGLQDO H IDFH PHGLDO GR DQWHEUDoR DR longo de seu eixo longitudinal. inclusive nos serviços S~EOLFRV GH DWHQomR j VD~GH A $V GXDV D¿UPDo}HV VmR YHUGDGHLUDV H D VHJXQGD MXVWL¿FD D SULPHLUD B $V GXDV D¿UPDo}HV VmR YHUGDGHLUDV PDV D VHJXQGD QmR MXVWL¿FD D SULPHLUD C $ SULPHLUD D¿UPDomR p YHUGDGHLUD H D VHJXQGD p IDOVD D $SULPHLUD D¿UPDomR p IDOVD H D VHJXQGD p YHUGDGHLUD E $V GXDV D¿UPDo}HV VmR IDOVDV FISIOTERAPIA . 12 &RQVLGHUDQGR R WH[WR DSUHVHQWDGR DYDOLH DV D¿UPDo}HV a seguir. $ PHQVXUDomR GH SUHFLVmR SRGH UHVROYHU SUREOHPDV RX HVFODUHFHU G~YLGDV VREUH PRYLPHQWRV QRV FHQiULRV SUR¿VVLRQDLV GHGLFDGRV j UHFXSHUDomR GDV IXQo}HV motoras apenas na doença e no período residual do processo de atenção à saúde 32548( 2 PRYLPHQWR KXPDQR p R SULQFLSDO REMHWR GD DomR GH PXLWRV SUR¿VVLRQDLV GD VD~GH WDQWR QDV VXDV FDUDFWHUtVWLFDV IXQFLRQDLV TXDQWR QD GLVIXQomR DVVLP R GHVHQYROYLPHQWR GH XPD LQVWUXPHQWDomR TXH YLDELOL]H PHQVXUDomR GH PRGR SUHFLVR H GLQkPLFR DSUHVHQWDVH FRPR SRWHQFLDO UHFXUVR QR HVWDEHOHFLPHQWR GH QRYDV HYLGrQFLDV DXPHQWDQGR D qualidade do atendimento prestado. ž D ž GH $'0 HSLF{QGLOR PHGLDO GR ~PHUR IDFH PHGLDO GR EUDoR ao longo de seu eixo longitudinal e face medial do DQWHEUDoR DR ORQJR GH VHX HL[R ORQJLWXGLQDO D 'HF~ELWR GRUVDO ž D ž GH $'0 HSLF{QGLOR ODWHUDO GR ~PHUR IDFH ODWHUDO GR EUDoR DR ORQJR GH VHX HL[R ORQJLWXGLQDO H IDFH ODWHUDO GR DQWHEUDoR DR longo de seu eixo longitudinal.

2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 22 $ HOHWURPLRJUD¿D GH VXSHUItFLH p XPD WpFQLFD EDVWDQWH XWLOL]DGD QD iUHD GH FLrQFLDV ELRPpGLFDV SDUD analisar o movimento humano e mostrar. por meio do HOHWURPLRJUDPD (0*.

a qualidade do sinal capturado depende I. GR SRVLFLRQDPHQWR H ¿[DomR GRV HOHWURGRV FRQVLGHUDQGR R WUDMHWR GDV ¿EUDV PXVFXODUHV H D GLVWkQFLD HQWUH RV HOHWURGRV II. D DWLYLGDGH HOpWULFD GR P~VFXOR GDGD D VRPDWyULD GRV SRWHQFLDLV GH DomR QD iUHD DEDL[R do eletrodo. 1D UHDOL]DomR GD HOHWURPLRJUD¿D GH VXSHUItFLH DOpP GDV FRQ¿JXUDo}HV WpFQLFDV GR HTXLSDPHQWR H GR LVRODPHQWR do sistema. GR PRGR GH FRQWUDomR LVRPpWULFR FRQFrQWULFR H[FrQWULFR.

GRV FXLGDGRV FRP D SHOH WULFRWRPLD DEUDVmR H OLPSH]D. III.

GD UD]mR GH UHMHLomR GH PRGR FRPXP 550&. SDUD EDL[DU D LPSHGkQFLD WHFLGXDO IV.

II. III. QD LQWHJUDomR GDV Do}HV PXOWLSUR¿VVLRQDOL]DGDV na sua resolutividade e. IV e V. integrar a equipe multidisciplinar. III. III e IV. e FRUUHWR DSHQDV R TXH VH D¿UPD HP A B C D E I. QUESTÃO 23 -RmR DOXQR GR ~OWLPR VHPHVWUH GR FXUVR GH ¿VLRWHUDSLD HVWi UHDOL]DQGR R VHX WUDEDOKR GH FRQFOXVmR GH FXUVR 7&&. na GHOLEHUDomR GD LQWHUQDomR GR FOLHQWH IV. registrar no prontuário do paciente todas as SUHVFULo}HV H Do}HV QHOH GHVHQYROYLGDV D ¿P de se ter o controle de seu quadro clínico e da HYROXomR ¿VLRWHUDSrXWLFD e FRUUHWR DSHQDV R TXH VH D¿UPD HP A B C D E I e II. III e V. principalmente. IV e V. I. II e III. na equipe multidisciplinar de saúde. com participação plena na atenção de saúde prestada a cada cliente. QUESTÃO 24 &DEH DR ¿VLRWHUDSHXWD TXDQWR j VXD DWXDomR HP FHQWURV GH UHDELOLWDomR H UHVSHLWDQGR VXD GHRQWRORJLD SUR¿VVLRQDO I. I. V. II. participar das reuniões de estudos e das GLVFXVV}HV GH FDVRV GH IRUPD DWLYD H FRQWULEXWLYD assim como desenvolver atividades. I e III. a partir da identidade da doença clínica intercorrente. GH H[DPHV ODERUDWRULDLV H GH LPDJHQV GD anamnese funcional e do antagonismo das estruturas anatômicas envolvidas. IV e V. II e V. II e IV. ]HODU SHOD DXWRQRPLD FLHQWt¿FD GH FDGD XP GRV PHPEURV GD HTXLSH DEGLFDQGR GD LVRQRPLD QDV UHODo}HV SUR¿VVLRQDLV HQWUH RV SUR¿VVLRQDLV GD área da saúde. avaliar o estado funcional do cliente. de forma harmônica. da posição inicial do sujeito durante o teste. V.

H GHFLGLX ID]HU XPD SHVTXLVD H[SHULPHQWDO XVDQGR GDGRV GH FULDQoDV FRP SUREOHPDV UHVSLUDWyULRV DWHQGLGDV QD FOtQLFD GH ¿VLRWHUDSLD GD IDFXOGDGH 3DUD evitar as faltas dos pacientes. &RP EDVH QD VLWXDomR KLSRWpWLFD DSUHVHQWDGD -RmR com essa atitude. não seguiu as diretrizes e normas UHJXODPHQWDGRUDV GH SHVTXLVDV HVWDEHOHFLGDV QR D. pois alguns moram longe H QmR WrP GLQKHLUR SDUD D SDVVDJHP GH {QLEXV R DOXQR remunerou alguns deles para garantir o cumprimento do cronograma proposto pelo orientador da pesquisa.

B Resolução no  GR &RQVHOKR 1DFLRQDO GH Saúde. A Código de Ética do Fisioterapeuta. QUESTÃO 25 A terapia por restrição e indução de movimentos 75.0. C &RQVWLWXLomR GD 5HS~EOLFD )HGHUDWLYD GR %UDVLO GH  D Estatuto da Criança e do Adolescente. E Declaração de Helsinque.

Um dos motivos pelo qual o lado corporal acometido diminui consideravelmente sua funcionalidade é o desuso aprendido. WHP SRU REMHWLYR UHVWULQJLU RV PRYLPHQWRV GR dimídio sadio de pacientes com limitações funcionais por lesões neurológicas. em padrões motores mediados pela medula espinal. Hemiparéticos por sequela GH GRHQoD FpUHEURYDVFXODU VmR FRPXPHQWH VXMHLWRV de pesquisas nesse campo. E nas representações corticais do lado lesado. QR IXQFLRQDPHQWR FHUHEHODU OLPLWDQGR VXDV PRGXODo}HV em respostas eferentes e aferentes em todo o sistema nervoso central. diminuindo-a em níveis relDWLYDPHQWH EDL[RV 13 FISIOTERAPIA . Esse desuso LQWHUIHUH VREUHPDQHLUD A B C D nos geradores centrais de padrões medulares.

2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 26 2 WHVWH PXVFXODU PDQXDO 700.

GHVWLQDVH D PHGLU R grau de tensão muscular gerado contra uma resistência. Essa tensão pode variar de acordo com o número de XQLGDGHV PRWRUDV 80¶V.

a área de secção transversa $67. DWLYDGDV R FRPSULPHQWR GR músculo durante a contração.

GR P~VFXOR D SUHGRPLQkQFLD GR WLSR GH ¿EUD muscular. a técnica de HVWDELOL]DomR H R HVWDGR GH PRWLYDomR GR LQGLYtGXR e IDWR TXH RV IDWRUHV DQDW{PLFRV H ¿VLROyJLFRV TXH LQÀXHQFLDP a força muscular não podem ser controlados em uma VLWXDomR GH WHVWH SRUpP PXLWRV GHOHV SRVLFLRQDPHQWR GR SDFLHQWH HVWDELOL]DomR SRQWR GH DSOLFDomR GD UHVLVWrQFLD H PRWLYDomR. o ponto de aplicação da resistência.

SRGHP H GHYHP VHU FRQWURODGRV (VVHV fatores devem ser padronizados para cada teste muscular D ¿P GH PDQWHUVH D FRQVLVWrQFLD H DSULPRUDU D YDOLGDGH H D FRQ¿DELOLGDGH GR 700 +.  HG 5LR GH -DQHLUR (OVHYLHU  DGDSWDGR.6/23 + - 0217*20(5< - Provas de função muscular: técnicas de exame manual.

 QUESTÃO 27 8P PHQLQR FRP  DQRV GH LGDGH DSUHVHQWD GRU QD UHJLmR GD HSt¿VH GH FUHVFLPHQWR GR MRHOKR GLUHLWR H DXPHQWR GR YROXPH GR WXEpUFXOR WLELDO 2 H[DPH UDGLROyJLFR HP SHU¿O.

$ SDUWLU GR WH[WR H FRP UHODomR DR 700 GRV LVTXLRWLELDLV VHPLWHQGLQRVR VHPLPHPEUDQRVR H EtFHSV IHPRUDO. GHPRQVWUD XPD HSL¿VLWH HP WRGD D UHJLmR DSRQWDGD SHOD VHWD QD ¿JXUD FRP LPDJHQV GH irregularidade do contorno ósseo.

por parte do examinador. na parte distal da perna do paciente tentando estendê-la. &RP EDVH QD VLWXDomR H QD DQiOLVH UDGLRJUi¿FD apresentada. 2005. na parte distal da perna do paciente tentando estendê-la. após a demonstração do movimento a ser executado. por parte do examinador. DR PHVPR WHPSR HP TXH HVWDELOL]D R TXDGULO SDUD HYLWDU D VHPLÀH[mR GR PHVPR SDUD DWULEXLU DR 700 R JUDX  E DGRWDU D SRVLomR GH GHF~ELWR GRUVDO UHDOL]DU R PRYLPHQWR GH ÀH[mR GR MRHOKR VHJXLGD GH XPD resistência moderada. o paciente deve A SRVWDUVH QD SRVLomR GH GHF~ELWR YHQWUDO UHDOL]DU R PRYLPHQWR GH ÀH[mR GR MRHOKR DSHQDV FRQWUD D DomR GD JUDYLGDGH HQTXDQWR R H[DPLQDGRU HVWDELOL]D R TXDGULO SDUD HYLWDU D VHPLÀH[mR DR PHVPR WHPSR HP TXH REVHUYD VH R SDFLHQWH UHDOL]RX D DPSOLWXGH SDUFLDO GH PRYLPHQWR SDUD DWULEXLU DR 700 R JUDX  B ¿FDU QD SRVLomR GH GHF~ELWR GRUVDO UHDOL]DU R PRYLPHQWR GH ÀH[mR GR MRHOKR VHJXLGD GH XPD resistência moderada. a tarefa para a qual existe restrição de movimentos desse menino é A B C D E VXELU H GHVFHU HVFDGDV DQGDU GH ELFLFOHWD HP VXSHUItFLH SODQD QDGDU PRGDOLGDGH &UDZO. DR PHVPR WHPSR HP TXH HVWDELOL]D R TXDGULO SDUD HYLWDU D VHPLÀH[mR GR PHVPR SDUD DWULEXLU DR 700 R JUDX  C PDQWHU D SRVLomR GH GHF~ELWR GRUVDO UHDOL]DU R PRYLPHQWR GH ÀH[mR GR MRHOKR DSHQDV FRQWUD D DomR GD JUDYLGDGH HQTXDQWR R H[DPLQDGRU HVWDELOL]D R TXDGULO SDUD HYLWDU D VHPLÀH[mR DR PHVPR WHPSR HP TXH VH REVHUYD VH R SDFLHQWH UHDOL]RX D DPSOLWXGH FRPSOHWD GH PRYLPHQWR SDUD DWULEXLU DR 700 R JUDX  D DGRWDU D SRVLomR GH GHF~ELWR YHQWUDO UHDOL]DU R PRYLPHQWR GH ÀH[mR GR MRHOKR VHJXLGD GH XPD resistência moderada. DR PHVPR WHPSR HP TXH HVWDELOL]D R TXDGULO SDUD HYLWDU D VHPLÀH[mR GR PHVPR SDUD DWULEXLU DR 700 R JUDX   0$**( ' - Avaliação músculo-esquelética. por parte do examinador. na parte distal da perna do paciente tentando estendê-la. São Paulo: Manole.

QUESTÃO 28 Um paciente portador de doença de Charcot-Marie7RRWK '&07. GHDPEXODU HP VXSHUItFLH SODQD permanecer sentado em frente ao computador.

A B C D E 3ODQWDU H HEULRVD )LEXODU ORQJR H FHLIDQWH 7LELDO SRVWHULRU H HEULRVD 7LELDO DQWHULRU H HVFDYDQWH *DVWURFQrPLR FDEHoD PHGLDO. o nome de músculo com fraqueza e o tipo de marcha desse paciente. Considerando o quadro clínico apresentado. respectivamente. assinale a alternativa que apresenta. DSUHVHQWD TXHL[D HP VXD PDUFKD $ LGHQWL¿FDomR GH SDUWLFXODULGDGHV GHVVH WLSR GH PDUFKD H RV JUXSRV PXVFXODUHV DOWHUDGRV VmR SRQWRV VLJQL¿FDQWHV na avaliação cinético-funcional.

H PLRSiWLFD FISIOTERAPIA .

2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 29 2 6LVWHPD ÒQLFR GH 6D~GH 686.

atuar em todos os níveis de atenção à saúde e WUDEDOKDU VHPSUH TXH SRVVtYHO HP HTXLSHV e FRUUHWR DSHQDV R TXH VH D¿UPD HP A B C D E I e II. IV. II e III. A atuação do fisioterapeuta no SUS tem como REMHWLYRV HQWUH RXWURV I. II e IV. GLYXOJDU PpWRGRV ¿VLRWHUDSrXWLFRV H WUDEDOKDU em equipe. III. O pensar desse profissional deve ser voltado para uma visão JOREDO QD DYDOLDomR H QR WUDWDPHQWR 2 PRGHOR GD &ODVVLILFDomR .QWHUQDFLRQDO GH )XQFLRQDOLGDGH &. garantir assistência integral e não-hierarquizada. consistindo em um direito de todos no Brasil. integralidade e equidade. atender prioritariamente a idosos e crianças em urgências e emergências clínicas. QUESTÃO 31 4XDQGR XP LQGLYtGXR WHP VXD URWLQD DOWHUDGD SRU condições que afetam sua saúde. assim como pelo nível de atividade funcional do indivíduo e sua participação na sociedade. III e IV. O fisioterapeuta deve ter conhecimento acerca dos modelos de saúde hierarquizados. II. I e III. essas atividades H D SDUWLFLSDomR GR LQGLYtGXR QR kPELWR VRFLDO VmR EDVWDQWH PRGLILFDGDV $V FRQGLo}HV GH VD~GH VmR influenciadas pelas estruturas e funções do corpo. VH DSRLD QRV princípios da universalidade.).

QUESTÃO 32 O gerente de uma empresa. a disposição física das VDODV RV ORFDLV GH UHFUHDomR H OD]HU RV EDQKHLURV e o estacionamento adaptado. considera os fatores A B C D E sociais e econômicos. psicológicos e integracionistas. adaptação ao espaço físico dentro das empresas. as mesas. no ato da visita de um fisioterapeuta contratado como consultor. coletivos e organizacionais. Após a visita. pelo código de ética e pelas KDELOLGDGHV H FRPSHWrQFLDV LQHUHQWHV j SURILVVmR FDEH DR ILVLRWHUDSHXWD A a exclusividade em orientar ou prescrever ginástica ODERUDO GHQWUR GDV HPSUHVDV B orientar quanto à confecção dos móveis da empresa H j FRQVWUXomR ItVLFD GR PRELOLiULR C sugerir. mostrou os computadores. DPELHQWDLV H SHVVRDLV individuais e alimentares. em caso de necessidade. o fisioterapeuta foi questionado acerca da prestação GH VHUYLoRV WDPEpP QD iUHD GH HUJRQRPLD H JLQiVWLFD ODERUDO DOpP GD FRQVXOWRULD SHUPDQHQWH Nesse contexto. pois ele não UHFHEH HP VXD IRUPDomR DFDGrPLFD LQIRUPDo}HV VREUH FRPR DWXDU HP kPELWR HPSUHVDULDO E realizar consultorias quanto ao espaço físico e RULHQWDomR GD JLQiVWLFD ODERUDO DSHQDV QD DXVrQFLD GH DUTXLWHWRV H RX. assim como a RULHQWDomR GD JLQiVWLFD ODERUDO D RULHQWDU D JHUrQFLD GD HPSUHVD D SURFXUDU SUR¿VVLRQDO competente nesse tipo de consultoria.

WHUDSHXWDV RFXSDFLRQDLV YLVWR TXH HVVHV SUR¿VVLRQDLV VmR RV PDLV LQGLFDGRV SDUD realizar esse tipo GH WUDEDOKo. vem crescendo e se consolidando nos vários campos de WUDEDOKR GR ¿VLRWHUDSHXWD 1HVVH VHQWLGR TXDQGR VH XVD D H[SUHVVmR ³EDVHDGD HP HYLGrQFLDV´ VLJQL¿FD dizer que A D FRQGXWD ¿VLRWHUDSrXWLFD WHP TXH VHU IXQGDPHQWDGD em experiências compartilhadas entre terapeuta e paciente. B R SUR¿VVLRQDO GHYH FRQFHQWUDU VHXV WUDWDPHQWRV QDV HYLGrQFLDV TXH YHP GDQGR FHUWR QR kPELWR GR VHX consultório. FISIOTERAPIA . 15 QUESTÃO 30 $ ¿VLRWHUDSLD EDVHDGD HP HYLGrQFLDV TXH WHYH origem em cursos como medicina e farmácia. C o contexto gerado na avaliação e no atendimento deve centrar-se nas melhores constatações feitas DR ORQJR GD H[SHULrQFLD SUR¿VVLRQDO D R ¿VLRWHUDSHXWD WUDoD HVWUDWpJLDV GH DYDOLDomR H WUDWDPHQWR VHJXQGR DV HYLGrQFLDV TXH REVHUYD FRP UHVXOWDGRV IDYRUiYHLV QD VXD URWLQD GH WUDEDOKR E o tratamento e os procedimentos da avaliação ¿VLRWHUDSrXWLFD GHYHP VHU IXQGDPHQWDGRV HP DUWLJRV FLHQWt¿FRV YDOLGDGRV H FRP Eom nível de evidência.

2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 33 O encurtamento dos músculos respiratórios determina o deslocamento das estruturas da parede torácica. ou a variação do volume pulmonar. Os níveis sistematizados de mensuração dos volumes e capacidades ventilatórias HVWmR H[HPSOL¿FDGRV QD ¿JXUD D VHJXLU VHQGR TXH DV grandezas funcionais para cada medida de volume/ FDSDFLGDGH GHYHP VHU H[SUHVVDV HP OLWURV /. em diferentes níveis de intensidade.

QDV condições de temperatura corporal. pressão atmosférica H VDWXUDomR GH YDSRU GH iJXD SDGUmR %736.

EtFHSV IHPRUDO WLELDO DQWHULRU sóleo. e uma fase de oscilação. R. apoio terminal e pré-oscilação.´ D 7HVWHV GH SLFR GH ÀX[R H[SLUDWyULR GHYHP VHU UHDOL]DGRV QR LQWHUYDOR ³'´ E Testes de volumetria para volumes correntes devem VHU UHDOL]DGRV QR LQWHUYDOR ³+´ &$55 - 6+(3+(5D. 2010. QUESTÃO 34 O ciclo da marcha humana pode ser dividido em uma fase de apoio. Barueri: Manole. que se inicia com a retirada e elevação dos dedos do pé. que se inicia com o apoio de calcanhar. enquanto TXH D IDVH GH RVFLODomR p FRPSRVWD SHODV VXEIDVHV RVFLODomR LQLFLDO PpGLD H ¿QDO 3(55< - Análise da marcha PDUFKD QRUPDO YRO   HG %DUXHUL 0DQROH  &RP EDVH QDV LQIRUPDo}HV H QD ¿JXUD DSUHVHQWDGDV assinale a alternativa correta. Reabilitação neurológica: otimizando o desempenho motor. ÁREA LIVRE $ ¿JXUD DFLPD PRVWUD UHJLVWURV HOHWURPLRJUi¿FRV DVVRciados a três diferentes cadências de marchas. vasto lateral. A partir do texto DSUHVHQWDGR H FRP EDVH QD ¿JXUD D VXEIDVH GH SUp oscilação ocorre aproximadamente no meio da passada e pode ser caracterizada pelo pico de atividade do músculo A B C D E reto femoral.  FISIOTERAPIA . mas que apresentam a mesma forma de onda. A fase de apoio pode DLQGD VHU VXEGLYLGLGD HP FRQWDWR LQLFLDO UHDomR j FDUJD apoio médio. do solo. A Testes de pressão expiratória máxima que não queiram incluir o componente elástico pulmonar GHYHP VHU UHDOL]DGRV QR LQWHUYDOR ³%´ B Testes de pressão inspiratória máxima que não queiram incluir o componente elástico da parede WRUiFLFD GHYHP VHU UHDOL]DGRV QR LQWHUYDOR ³(´ C Testes espirométricos devem ser realizados no LQWHUYDOR ³.

2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 35 Uma empresa. após tomar conhecimento de queixas de ORPEDOJLD H GRUVDOJLD GD PDLRU SDUWH GRV IXQFLRQiULRV GH XP VHWRU FRQWUDWRX XP VHUYLoR GH ¿VLRWHUDSLD 2 ¿VLRWHUDSHXWD responsável traçou um plano de ação que envolveu duas etapas para cada funcionário do referido setor: 1a.

DQDPQHVH H H[DPH ItVLFR a.

Tais evidências seriam o princípio norteador do WUDEDOKR ¿VLRWHUDSrXWLFR D VHU GHVHQYROYLGR SRU HOH MXQWR DRV IXQFLRQiULRV H WDPEpP FDEHULD D HOH DFRPSDQKDU D evolução das disfunções detectadas na avaliação inicial e revisar. I e III. ÁREA LIVRE QUESTÃO 36 8PD PXOKHU FRP  DQRV GH LGDGH IRL HQFDPLQKDGD D XPD FOtQLFD GH ¿VLRWHUDSLD SDUD WUDWDPHQWR GH VHTXHOD GH OHVmR QHUYRVD QR PHPEUR VXSHULRU HVTXHUGR GHFRUUHQWH GH XP DFLGHQWH DXWRPRELOtVWLFR 1R H[DPH ItVLFR H funcional apresentou sinais de alteração sensitiva e motora. ÀH[LWHVWH e FRUUHWR DSHQDV R TXH VH D¿UPD HP A B C D E I e II. características de lesão do nervo radial. De acordo com o quadro clínico descrito. periodicamente. &RP EDVH QD VLWXDomR KLSRWpWLFD DSUHVHQWDGD RV recursos de avaliação e diagnóstico utilizados na VHJXQGD HWDSD GR SODQR GH WUDEDOKR VHULDP I. III e IV. WHVWH GR %DQFR GH :HOOV IV. esSHFLDOPHQWH D ž GH ÀH[mR GR FRWRYHOR FISIOTERAPIA 17 . E DXVrQFLD GD ÀH[mR GRV GHGRV GD PmR H SURQDomR fraca. avaliação postural por plataforma de força. o plano de intervenção adotado. I e IV. III. C perda de extensão do polegar. perda da adução do polegar e do desvio radial do punho. DYDOLDomR GD SRVWXUD H GD ÀH[LELOLGDGH 1D VHJXQGD HWDSD R ¿VLRWHUDSHXWD RSWRX SRU XWLOL]DU HTXLSDPHQWRV TXH GLVSRQLELOL]DVVHP GDGRV TXDQWLWDWLYRV REMHWLYRV DFHUFD GRV PRYLPHQWRV DQDOLVDGRV &RP LVVR R ¿VLRWHUDSHXWD DSUHVHQWRX j HPSUHVD DV HYLGrQFLDV YLVXDLV e quantitativas das alterações cinético-funcionais presentes HP FDGD IXQFLRQiULR GR VHWRU H WUDoRX R SHU¿O GH FDGD um deles. perda do desvio radial do punho e supinação fraca. avaliação postural por medidas em imagens IRWRJUi¿FDV RX IRWRJUDPHWULD II. II e III. D pronação fraca ou ausente. a paciente apresentava A LQFDSDFLGDGH GH DGX]LU RSRU RX ÀH[LRQDU R SROHJDU B VXSLQDomR IUDFD SHUGD GH ÀH[mR GR SROHJDU H SHUGD do desvio ulnar do punho.

o treinamento contínuo pode ser H[HFXWDGR HP SHUtRGRV GH FXUWD DWp  PLQ. De acordo com o tempo de realização.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 37 2 WUHLQDPHQWR GH UHVLVWrQFLD DHUyELD p IXQGDPHQWDO SDUD R DSHUIHLoRDPHQWR GDV IXQo}HV FDUGLRUUHVSLUDWyULDV H SRGH ser aplicado de forma contínua ou intervalada.

 PpGLD GH  D  PLQ.

H ORQJD DFLPD GH  PLQ.

GXUDomR 2 WUHLQDPHQWR DHUyELR LQWHUYDODGR GHYH VHU LQGLYLGXDOL]DGR HVWDEHOHFHQGRVH D GXUDomR WRWDO GR HVIRUoR ItVLFR GR QtYHO GH LQWHQVLGDGH GR Q~PHUR GH UHSHWLo}HV SDUD FDGD LQWHQVLGDGH H GD GXUDomR GH FDGD LQWHQVLGDGH $VVLP R ¿VLRWHUDSHXWD DQWHV GH LQLFLDU R WUDWDPHQWR GH UHVLVWrQFLD DHUyELD GHYH OHYDU HP FRQVLGHUDomR DOJXPDV YDULiYHLV DOpP GD HVWUDWL¿FDomR GH ULVFR FDUGLRYDVFXODU WDLV FRPR LGDGH IUHTXrQFLD FDUGtDFD Pi[LPD )& 0i[.

H FRQVXPR GH R[LJrQLR Pi[LPR 922 0i[.

 'HWHUPLQDomR GD )UHTXrQFLD &DUGtDFD GH 7UHLQDPHQWR )&7.

 VHJXQGR D IDL[D HWiULD Nota: Correspondência entre os valores percentuais do consumo máximo de oxigênio e da frequência cardíaca máxima VXJHULGD SDUD LQGLYtGXRV QRUPDLV H FDUGLRSDWDV 3DUD FDGD IDL[D HWiULD REVHUYDVH R YDORU PtQLPR GR FRQVXPR Pi[LPR GH R[LJrQLR PONJPLQ.

H GD IUHTXrQFLD FDUGtDFD ESP HP  V.

levando-se em consideração VO2 0i[ H )& 0i[ . GH DFRUGR FRP D IDL[D HVFROKLGD SDUD R WUHLQDPHQWR . &RQVHQVR 1DFLRQDO GH 5HDELOLWDomR &DUGLRYDVFXODU IDVH FU{QLFD $UTXLYRV %UDVLOHLURV GH &DUGLRORJLD  Y  Q  S  &RP EDVH QR TXDGUR DSUHVHQWDGR DVVLQDOH D DOWHUQDWLYD TXH DSUHVHQWD D HVWUDWL¿FDomR GH ULVFR FDUGLRYDVFXODU H IDL[D etária correta para treinamento.

com orientação para iniciar a prática do exercício físico QD IDL[D GH  GR FRQVXPR Pi[LPR GH R[LJrQLR RX  GD IUHTXrQFLD FDUGtDFD Pi[LPD HQFRQWUDPVH YDORUHV GH  ESP RX  EDWLPHQWRV V D (P LQGLYtGXR GH  DQRV GH LGDGH DSUHVHQWDQGR VLQDLV GH LVTXHPLD PLRFiUGLFD DR (&* GH HVIRUoR ItVLFR FRP RULHQWDomR SDUD UHDOL]DU H[HUFtFLR QD IDL[D DSUR[LPDGD GH  GR FRQVXPR Pi[LPR GH R[LJrQLR RX  GD IUHTXrQFLD FDUGtDFD Pi[LPD HQFRQWUDPVH YDORUHV GH  ESP RX  EDWLPHQWRV V E Em indivíduo de 70 anos de idade. com orientação clínica para realizar exercício físico. saudável e ativo. saudável e sedentário. GH WUHLQDPHQWR A Em indivíduo de 30 anos de idade. deve XWLOL]DU XPD IDL[D GH  GR FRQVXPR Pi[LPR GH R[LJrQLR RX  GD IUHTXrQFLD FDUGtDFD Pi[LPD HQFRQWUDPVH YDORUHV GH  ESP RX  EDWLPHQWRV V B (P LQGLYtGXR GH  DQRV GH LGDGH VDXGiYHO H VHGHQWiULR FRP RULHQWDomR SDUD UHDOL]DU H[HUFtFLR ItVLFR QD IDL[D GH  GR FRQVXPR Pi[LPR GH R[LJrQLR RX  GD IUHTXrQFLD FDUGtDFD Pi[LPD HQFRQWUDPVH YDORUHV GH  ESP RX  EDWLPHQWRV V C Em indivíduo de 50 anos de idade. que já realiza exercícios físicos regularmente com orientação SDUD UHDOL]DU H[HUFtFLR QD IDL[D DSUR[LPDGD GH  GR FRQVXPR Pi[LPR GH R[LJrQLR RX  GD IUHTXrQFLD FDUGtDFD Pi[LPD HQFRQWUDPVH YDORUHV GH  ESP RX  EDWLPHQWRV V  FISIOTERAPIA . saudável e sedentário.

2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 38 $ GLIHUHQoD QR FRPSRUWDPHQWR GH GLYHUVRV WLSRV GH ¿EUDV QHUYRVDV GLDQWH GH XP HVWtPXOR HOpWULFR H[WHUQR SRGH VHU REVHUYDGD HP XP JUi¿FR GH LQWHQVLGDGHGXUDomR GR SXOVR HOpWULFR $ ¿JXUD DSUHVHQWDGD D VHJXLU PRVWUD XP JUi¿FR GH LQWHQVLGDGHGXUDomR HP TXH VH H[SOLFLWD D YROWDJHP QHFHVViULD SDUD VH SURGX]LU GHWHUPLQDGD UHVSRVWD GRORURVD PRWRUD RX VHQVRULDO.

 DR VHUHP XWLOL]DGRV SXOVRV HOpWULFRV GH GLIHUHQWHV GXUDo}HV 52%(57621 9 :$5' $ /2: - H 5((' $ Eletroterapia explicada SULQFtSLRV H SUiWLFDV 5LR GH -DQHLUR (OVHYLHU  $ SDUWLU GHVVDV LQIRUPDo}HV HODERUH XP WH[WR FRP DWp  OLQKDV MXVWL¿FDQGR DV UD]}HV SDUD DV GLIHUHQoDV HQWUH RV OLPLDUHV SDUD DV UHVSRVWDV GRORURVD PRWRUD H VHQVRULDO PRVWUDGDV QR JUi¿FR LQGHSHQGHQWHPHQWH GD GXUDomR GH SXOVR YDORU  SRQWRV.

RASCUNHO .QUESTÃO 38 1 2 3  5  7  9 10 11 12 13  15 FISIOTERAPIA 19 .

2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 39 1D DYDOLDomR VHQVRULDO FXWkQHD JHUDOPHQWH UHDOL]DGD SRU PHLR GH HVWHVLRPHWULD VmR XVDGRV IUHTXHQWHPHQWH GRLV PDSDV VHQVRULDLV GLVWLQWRV VHQGR XP GHOHV EDVHDGR QD GLVWULEXLomR GRV GHUPiWRPRV H RXWUR EDVHDGR QD GLVWULEXLomR GH QHUYRV VHQVRULDLV SHULIpULFRV RV TXDLV HVWmR DSUHVHQWDGRV QD ¿JXUD D VHJXLU /81'<(.0$1 / Neurociência IXQGDPHQWRV SDUD UHDELOLWDomR  HG 5LR GH -DQHLUR (OVHYLHU  $ SDUWLU GHVVDV LQIRUPDo}HV H FRQVLGHUDQGR D GLIHUHQoD HQWUH RV PDSDV VHQVRULDLV DSUHVHQWDGRV QD ¿JXUD HODERUH XP WH[WR FRP DWp  OLQKDV MXVWL¿FDQGR DV GLIHUHQWHV VLWXDo}HV HP TXH FDGD XP GHVVHV PDSDV GHYH VHU XWLOL]DGR QD DYDOLDomR ¿VLRWHUDSrXWLFD GD VHQVLELOLGDGH YDORU  SRQWRV.

20 FISIOTERAPIA .

QUESTÃO 39 1 2 3  5  7  9 10 11 12 13  15 ÁREA LIVRE FISIOTERAPIA 21 .2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES RASCUNHO .

2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTÃO 40 A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem é desenvolvida pelo Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem %UDVtOLD 6HFUHWDULD GH $WHQomR j 6D~GH  FRP DGDSWDo}HV. $ SOXUDOLGDGH GDV LQVWLWXLo}HV HQYROYLGDV QHVVD FRQVWUXomR p XP FRQYLWH H XP GHVD¿R j FRQVLGHUDomR GD VD~GH GR KRPHP EUDVLOHLUR QDV VXDV LGLRVVLQFUDVLDV H VLPLODULGDGHV QRV   PXQLFtSLRV  HVWDGRV H QR 'LVWULWR )HGHUDO Nesse sentido. Outro é o respeito aos diferentes níveis de desenvolvimento e organização dos sistemas locais de saúde e tipos de gestão. em parceria FRP JHVWRUHV GR 686 VRFLHGDGHV FLHQWt¿FDV VRFLHGDGH FLYLO RUJDQL]DGD SHVTXLVDGRUHV DFDGrPLFRV H DJrQFLDV GH cooperação internacional. nos seus diversos contextos socioculturais e político-econômicos. a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem está alinhada com a Política Nacional de Atenção Básica – porta de entrada do Sistema Único de Saúde – com as estratégias de humanização. Para isso. (VVH FRQMXQWR SRVVLELOLWD R DXPHQWR GD H[SHFWDWLYD GH YLGD H D UHGXomR GRV tQGLFHV GH PRUELPRUWDOLGDGH SRU FDXVDV previsíveis e evitáveis nessa população. e em FRQVRQkQFLD FRP RV SULQFtSLRV GR 686 IRUWDOHFHQGR Do}HV H VHUYLoRV HP UHGHV H FXLGDGRV GD VD~GH MINISTÉRIO DA SAÚDE. a política traduz um longo anseio da sociedade ao reconhecer que os agravos do sexo masculino FRQVWLWXHP YHUGDGHLURV SUREOHPDV GH VD~GH S~EOLFD 8P GRV SULQFLSDLV REMHWLYRV GHVVD 3ROtWLFD p SURPRYHU Do}HV GH VD~GH TXH FRQWULEXDP VLJQL¿FDWLYDPHQWH SDUD D compreensão da realidade singular masculina.

 Considerando as ideias do texto acima. redija um texto dissertativo acerca do tema: A saúde do homem e suas interfaces com a sociedade moderna. $ERUGH HP VHX WH[WR RV VHJXLQWHV DVSHFWRV D.

R DWHQGLPHQWR DR KRPHP QD DWHQomR SULPiULD j VD~GH YDORU  SRQWRV.

E.

D UHODomR HQWUH KRPHP WUDEDOKR H GRHQoD YDORU  SRQWRV.

RASCUNHO .QUESTÃO 40 1 2 3  5  7  9 10 11 12 13  15 22 FISIOTERAPIA .

Entre duas e três horas. Fácil. Poucos. Muito difícil. QUESTÃO 8 &RQVLGHUDQGR DSHQDV DV TXHVW}HV REMHWLYDV GD SURYD YRFr SHUFHEHX TXH A não estudou ainda a maioria desses conteúdos. D estudou e aprendeu muitos desses conteúdos. você considera que a prova foi A B C D E muito longa. Difícil. todos. em relação ao tempo total. QUESTÃO 1 4XDO R JUDX GH GL¿FXOGDGH GHVWD SURYD QD SDUWH GH Formação Geral? A B C D E Muito fácil. em nenhuma delas. adequada. mas não os aprendeu. na maioria delas. Entre uma e duas horas. em todas elas. QUESTÃO 7 9RFr VH GHSDURX FRP DOJXPD GL¿FXOGDGH DR UHVSRQGHU j SURYD 4XDO" A B C D E Desconhecimento do conteúdo. a maioria. QUESTÃO 9 4XDO IRL R WHPSR JDVWR SRU YRFr SDUD FRQFOXLU D SURYD" A B C D E Menos de uma hora. somente em algumas. Poucos. Não. Não. Não. a maioria. longa.2010 EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES QUESTIONÁRIO DE PERCEPÇÃO DA PROVA $V TXHVW}HV DEDL[R YLVDP OHYDQWDU VXD RSLQLmR VREUH D TXDOLGDGH H D DGHTXDomR GD SURYD TXH YRFr DFDERX GH UHDOL]DU $VVLQDOH DV DOWHUQDWLYDV FRUUHVSRQGHQWHV j VXD RSLQLmR QRV espaços apropriados do Caderno de Respostas. E estudou e aprendeu todos esses conteúdos. Agradecemos sua colaboração. nenhum. B estudou alguns desses conteúdos. até excessivas. Sim. Entre três e quatro horas. QUESTÃO 5 Os enunciados das questões da prova na parte de &RPSRQHQWH (VSHFt¿FR HVWDYDP FODURV H REMHWLYRV" A B C D E Sim. muito curta. mas não os aprendeu. Apenas cerca da metade. QUESTÃO 2 4XDO R JUDX GH GL¿FXOGDGH GHVWD SURYD QD SDUWH GH &RPSRQHQWH (VSHFt¿FR" A B C D E Muito fácil. Médio. Difícil. Sim. curta. QUESTÃO 4 Os enunciados das questões da prova na parte de )RUPDomR *HUDO HVWDYDP FODURV H REMHWLYRV" A B C D E Sim. nenhum. Fácil. QUESTÃO 3 Considerando a extensão da prova. todos. Sim. Muito difícil. )RUPD GLIHUHQWH GH DERUGDJHP GR FRQWH~GR (VSDoR LQVX¿FLHQWH SDUD UHVSRQGHU jV TXHVW}HV Falta de motivação para fazer a prova. Sim. QUESTÃO 6 As informações/instruções fornecidas para a resolução GDV TXHVW}HV IRUDP VX¿FLHQWHV SDUD UHVROYrODV" A B C D E Sim. C estudou a maioria desses conteúdos. Apenas cerca da metade. 4XDWUR KRUDV H QmR FRQVHJXL WHUPLQDU 23 FISIOTERAPIA . Médio. Sim. 1mR WLYH TXDOTXHU WLSR GH GL¿FXOGDGH SDUD UHVSRQGHU à prova.

SINAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES 2010 Ministério da Educação .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->