Você está na página 1de 19

SIMULADO INTENSIVO MATUTINO

LÍNGUA PORTUGUESA

Para responder às questões de números 01 e 02, leia o texto.

O casamento infeliz da corrupção com cumplicidade e a resultante crise de autoridade na vida


pública (com reflexos em toda sociedade, inclusive na família) trazem à tona a questão da
moralidade. (Não estou usando, de propósito, a palavra ética: a pobre anda humilhada demais.)
Não se confunda moralidade com moralismo, que é filho da hipocrisia. Moralidade faz parte da
decência humana fundamental. Dispensa teorias, mas é a base de qualquer convívio e ordem
social. Embora não necessariamente escrita, está contida também nas leis tão mal cumpridas do
país. Todos a conhecem em seus traços mais largos, alguns a praticam. Moralidade é
compostura. É exercer autoridade externa fundamentada em autoridade moral. É fiscalizar
rigorosamente o cumprimento das leis sem ser policialesco. É respeitar as regras sem ser uma
alma subalterna. Moralidade pode ser difícil num país onde o desregramento impera. Exige
grande coragem dizer não quando a tentação (de roubar, de enganar, ou de compactuar com
tudo isso) nos assedia de todos os lados, também de cima. Num governo, é o oposto de
assistencialismo, que dá alguns trocados aos despossuídos, em lugar de emprego e educação,
que lhes devolveriam a dignidade. É lutar pelo bem comum, perseguindo e escancarando a
verdade mesmo que contrarie grandes e vários interesses.
(Lya Luft, Veja, 20.09.2006)

01. Em — Todos a conhecem em seus traços mais largos, alguns a praticam. — os pronomes
em destaque referem-se

a) ambos ao termo moralidade.


b) aos termos ética e moralidade, respectivamente.
c) ambos à expressão decência humana fundamental.
d) aos termos corrupção e ética, respectivamente.
e) ambos ao termo ética.

02. Exige grande coragem dizer não quando a tentação (de roubar, de enganar, ou de
compactuar com tudo isso) nos assedia de todos os lados...
Na frase, a referência do discurso é a 1.ª pessoa do plural, o que se confirma pelo emprego do
pronome nos. Alterando-se essa referência para a 3.ª pessoa do plural, em norma culta, obtém-
se:

Exige grande coragem dizer não quando a tentação

a) assedia eles de todos os lados.


b) lhes assedia de todos os lados.
c) vos assedia de todos os lados.
d) assedia você de todos os lados.
e) os assedia de todos os lados.

A questão 03 têm como base o trecho — Num governo, é o oposto de assistencialismo, que dá
alguns trocados aos despossuídos, em lugar de emprego e educação, que lhes devolveriam a
dignidade. É lutar pelo bem comum, perseguindo e escancarando a verdade mesmo que
contrarie grandes e vários interesses.
1
03. Assinale a alternativa em que, na primeira coluna, está indicada, corretamente, a palavra a
que se refere o pronome lhes e, na segunda, um emprego sintático semelhante do pronome.

a) governo ---------- A leitura dos contos era-lhe uma atividade bem prazerosa.
b) assistencialismo ------ O cabeleireiro cortou-lhe os cabelos com navalha.
c) trocados ---------- Foi-lhe bastante útil o exercício sobre regência.
d) despossuídos --------- Informaram-lhe com atraso os dias de matrícula.
e) emprego e educação ----- A namorada rasgou-lhe as cartas por ciúmes.

04. “Um livro deve valer por tudo o que nele não deve caber.”
(Guimarães Rosa)

As palavras destacadas no período acima são, respectivamente,

a) artigo definido – pronome indefinido – pronome demonstrativo – pronome relativo


b) artigo indefinido – pronome indefinido – pronome demonstrativo – pronome relativo
c) pronome indefinido – pronome indefinido - pronome relativo – pronome relativo
d) numeral – substantivo – artigo definido – pronome relativo
e) artigo indefinido – substantivo – artigo definido – pronome relativo

05. Observe os períodos abaixo,

I- Nunca soubemos quem roubava-nos nas medidas.


II- Pouco se sabe a respeito de novas fontes energéticas.
III- Nada chegava a impressioná-lo na juventude.
IV- Falaria-me tudo, se eu fizesse pressão.
V- Dar-lhe-emos novas oportunidades.
VI- Eles apressaram-se a convidar-nos para a festa.

A alternativa em que os períodos estão corretos, quanto à colocação dos pronomes oblíquos
átonos é:

a) I, IV, V, VI
b) I, II, IV, VI
c) I,II,III
d) II, III, V, VI
e) III, IV, V

06. “A partir de então, eu mesmo saio ao cair da noite, compro o indispensável para as minhas
refeições leves e frugais, lavo a minha roupa, passo a ferro a que posso e, às vezes, tiro o
excesso de pó dos móveis e objetos que mais uso”.
Os termos destacados são, respectivamente, classificados como:

a) artigo, artigo, preposição, pronome oblíquo.


b) artigo, preposição, preposição, pronome demonstrativo.
c) artigo, artigo, artigo, pronome oblíquo.
d) artigo, artigo, preposição, pronome demonstrativo.
e) artigo, artigo, preposição, pronome oblíquo.

LITERATURA

"A teoria da argumentação é a parte da semiologia comprometida com a explicação das


evocações ideológicas das mensagens. Os novos retóricos aproximam-se, assim, da proposta de
Eliseo Verón, que, preocupado com as condições ideológicas dos processos de transmissão e
consumo das significações no seio da comunicação social, chama de semiologia os estudos
preocupados com essa problemática, deixando como objeto da teoria lingüística as questões
tradicionais sobre o conceito, o referente e os componentes estruturais dos signos. Essa
2
demarcação determina que a semiologia deve ser analisada como uma teoria hermenêutica das
formas como se manipulam contextualmente os discursos".
(ROCHA & CITTADINO, "O Direito e sua Linguagem", p.17, Sérgio Antonio Fabris Editor, Porto Alegre, 1984)

07. Na frase "... consumo das significações no SEIO da comunicação social...", a palavra em
destaque é, no plano semântico e estilístico,
a) denotação e paradoxo.
b) conotação e sinédoque.
c) denotação e pleonasmo.
d) conotação e catacrese.
e) conotação e antítese.
A TRISTE PARTIDA 16 do alegre Natal
17 Passou-se o Natal
01 Passou-se setembro
02 outubro e novembro 18 e a barra não veio
03 estamos em dezembro 19 o sol tão vermeio
04 meu Deus que é de 20 nasceu muito além
05 assim diz o pobre 21 na copa da mata
06 do seco Nordeste 22 buzina a cigarra
07 com medo da peste 23 ninguém vê a barra
08 e da fome feroz 24 pois barra não tem
09 A treze do mês 25 Sem chuva na terra
10 fez a experiência 26 descamba janeiro
27 até fevereiro
11 perdeu sua crença 28 no mesmo verão
12 nas pedras de sal 29 reclama o roceiro
30 dizendo consigo:
13 com outra experiência 31 meu Deus é castigo
14 de novo se agarra 32 não chove mais não
15 esperando a barra [...] ASSARÉ, Patativa. "A Triste Partida". In: Cordéis e
Outros Poemas, Fortaleza: Edições UFC, 2006, p. 9-13.

08. Releia a quarta estrofe do poema:


"Sem chuva na terra
descamba janeiro
até fevereiro
no mesmo verão
reclama o roceiro
dizendo consigo:
meu Deus é castigo
não chove mais não"
Assinale a alternativa que apresenta todas as informações corretas acerca da construção da
estrofe, no tocante ao:NÚMERO DEVERSOS / NÚMERO DE SÍLABAS DE CADA VERSO / ESQUEMA
DE RIMAS
a) oitava - cinco - ABBCBDDC
b) oitava - sete - ABBCBDDC
c) oitava - cinco - ABBCADDC
d) décima - seis - ABBCADDC
e) décima - sete – ABBCBDDC

3
Essa vida por aqui
é coisa familiar;
mas diga-me retirante,
sabe benditos rezar?
sabe cantar excelências,
defuntos encomendar?
sabe tirar ladainhas,
sabe mortos enterrar?
(João Cabral de Melo Neto, "Morte e vida severina")

09. O número de sílabas métricas (ou poéticas) dos versos do excerto é o mesmo do seguinte
provérbio:
a) A bom entendedor / meia palavra basta.
b) Água mole em pedra dura / tanto bate até que fura.
c) Quem semeia vento / colhe tempestades.
d) Quem dorme com cães / amanhece com pulgas.
e) Cabeça de vadio / hospedaria do diabo.
Estavas linda, Inês, posta em repouso
Mas aparentemente bela, Inês;
Pois de teus olhos lindos já não ouso
Fitar o torvelinho que não vês,
O suceder dos rostos cobiçoso
Passando sem descanso sob a tez:
Que eram tudo memórias fugidias
Máscaras sotopostas que não vias.
Jorge de Lima. "Invenção de Orfeu".
10. Assinale a opção que apresente poema similar ao do modelo apresentado, considerando
exclusivamente os aspectos formais de versificação:
a) Abaixo os puristas
Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais
Todas as construções sobretudo as sintaxes de exceção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis
Manuel Bandeira
b) Choraram da Bahia as ninfas belas,
Que nadando a Moema acompanhavam;
E vendo que sem dor navegam delas,
À branca praia com furor tornavam:
Nem pode o claro herói sem pena vê-las,
Com tantas provas, que de amor lhe davam;
Nem mais lembra o nome de Moema,
Sem que ou amante, ou grato gema.
Santa Rita Durão

c) Leva nos braços a infeliz Lindóia


O desgraçado irmão, que ao despertá-la
Conhece, com que dor! no frio rosto
Os sinais do veneno, e vê ferido
Pelo dente sutil o brando peito.
Os olhos em que Amor reinava um dia,
Cheios de morte; e muda aquela língua,
Que ao surdo vento, e aos ecos tantas vezes
Cantou a larga história de seus males.
Basílio da Gama

4
d) Como há muitos Severinos,
que é santo de romaria,
deram então de me chamar
Severino de Maria;
como há muitos Severinos
com mães chamadas Maria,
fiquei sendo o da Maria
do finado Zacarias (...)
João Cabral de Melo Neto
e) No meio das tavas de amenos verdores,
Cercadas de troncos - cobertos de flores,
Alteiam-se os tetos d'altiva nação;
São muitos seus filhos, nos ânimos fortes,
Temíveis na guerra que em densas coortes
Assombram das matas a imensa extensão.
Gonçalves Dias

11. O escritor Paulo Lins em seu romance "Cidade de Deus" expressa o avanço da violência no
Brasil, nas últimas décadas, com a frase:
"Falha a fala. Fala a bala."
Nas duas frases só NÃO se pode identificar a seguinte figura de linguagem:
a) Paronomásia, pelo trocadilho ou jogo de palavras com apelo sonoro.
b) Aliteração, pela repetição de fonemas consonantais.
c) Assonância, pela repetição da vogal "a".
d) Perífrase, pela substituição de "violência" por um dos elementos que a compõe (bala).
e) Personificação, pela característica humana atribuída à "bala".

12. Leia os versos abaixo, do poema "Chama e Fumo" de Manuel Bandeira.

"Amor - chama, e, depois, fumaça...


Medita no que vais fazer:
O fumo vem, a chama passa...

Gozo cruel, ventura escassa,


Dono do meu e do teu ser,
Amor - chama, e, depois, fumaça...
[...]
A cada par que a aurora enlaça,
Como é pungente o entardecer!
O fumo vem, a chama passa..."

Assinale a alternativa correta sobre os versos citados.

a) Através de uma linguagem concisa e metafórica, os versos abordam o tema do amor - em


sua intensidade e efemeridade.
b) Os versos se apresentam numa linguagem elaborada e explícita, contrariando a tendência à
síntese inerente ao gênero lírico.
c) As quadras que compõem as estrofes do poema são irregulares quanto à métrica e às rimas.
d) Os versos 07 e 08 contêm imagens visuais em que o poeta descreve um par amoroso,
alternadamente, ao amanhecer e ao crepúsculo.
e) O poeta expressa, em versos decassílabos, o desejo de que o amor permaneça eternamente
vivo.

5
MATEMÁTICA

13. O número de indivíduos de certa população é representado pelo gráfico a seguir.

Em 1975, a população tinha um tamanho aproximadamente igual ao de:

a) 1960
b) 1963
c) 1967
d) 1970

14. Observe a figura a seguir. Nesta figura está representado o gráfico da função real da
variável real y = f(x).

5  1 
Então o valor de f(3)  f(2 )  f   pertence ao conjunto :
 3

a){x ∈ R / − 2 < x ≤ −1}


b){x ∈ R / − 1 < x ≤ 0}
c){x ∈ R / 0 < x ≤ 1}
d ){x ∈ R / 1 < x ≤ 2}

15.
x 2  5x  4
Se k é uma solução int eira da inequação  0, então k é igual a :
x 2  4x

a) 1
b) 1 ou 4
c) 2 ou 3
d) 1, 2, 3 ou 4

6
16. Na figura, ABC é um triângulo com AC = 20 cm, AB = 15 cm e BC = 14 cm.

Sendo AQ e BP bissetrizes interiores do triângulo


ABC, o quociente QR/AR é igual a:
a) 0,3.
b) 0,35.
c) 0,4.
d) 0,45.
e) 0,5.

17.
PETRÓLEO CAPIXABA
ÓLEO LEVE BOM PARA DIESEL

É o oléo descoberto em Golfinho (figura 1), que começará, em fase de teste, a ser produzido
nos próximos meses. Esse óleo é importante porque é usado para produzir diesel, derivado do
petróleo que o Brasil ainda importa por produzir óleo mais pesado. A falta, até agora, do óleo
leve, é que não permite a auto-suficiência.
Como o Brasil tem muito óleo pesado, exporta gasolina barata e compra diesel caro. Além da
ampliação da produção em terra, com novas tecnologias, e da entrada em produção do campo
de Golfinho, no litoral de Aracruz, foram viabilizadas outras obras:
1) Estação Fazenda Alegre
É um marco no tratamento de óleo pesado, cuja produção nos campos maduros foi viabilizada
pela utilização dos equipamentos para injeção de vapor.
2) Terminal Norte Capixaba
Receberá o óleo pesado de Fazenda Alegre e o óleo leve de Golfinho, separadamente, para
serem embarcados nos navios que estão ancorados na monobóia.
3) Pólo de Gás
- Viabilizado a partir da produção de gás do Campo de Peroá, que começa neste semestre.
- Outra planta receberá o gás de Golfinho, a partir do próximo ano.
- No pólo poderá ser produzido gás de cozinha e gás natural.
- A Petrobrás já construiu o gasoduto de 56 km de Peroá até o Pólo de gás e construirá outro, de
120 km, de Golfinho até o mesmo pólo.
("A GAZETA". 10-07-2005. Modificado.)

Os campos de petróleo de Peroá (P) e Golfinho (G) distam, respectivamente, 56 km e 120 km


de um ponto A do litoral, o qual estamos supondo retilíneo (veja a figura 2). Os pontos A e B
são os pontos do litoral que estão mais próximos, respectivamente, dos campos P e G. A
distância do ponto A ao ponto B é de 88 km. Deseja-se construir no litoral um pólo de gás que
fique situado à mesma distância dos campos P e G.
Nessas condições, pode-se afirmar que o pólo de gás deve ficar situado a:

7
a) 74 km de A e a 14 km de B.
b) 64 km de A e a 24 km de B.
c) 44 km de A e a 44 km de B.
d) 24 km de A e a 64 km de B.
e) 14 km de A e a 64 km de B.

18. Em uma rua, um ônibus com 12 m de comprimento e 3 m de altura está parado a 5 m de


distância da base de um semáforo, o qual está a 5 m do chão. Atrás do ônibus pára um carro,
cujo motorista tem os olhos a 1 m do chão e a 2 m da parte frontal do carro, conforme indica a
figura abaixo. Determine a menor distância (d) que o carro pode ficar do ônibus de modo que o
motorista possa enxergar o semáforo inteiro.

a) 13,5 m
b) 14,0 m
c) 14,5 m
d) 15,0 m
e) 15,5 m

FÍSICA

19. Em um experimento, o Professor Ladeira observa o movimento de uma gota de óleo,


eletricamente carregada, entre duas placas metálicas paralelas, posicionadas horizontalmente. A
placa superior tem carga positiva e a inferior, negativa, como representado nesta figura:
Considere que o campo elétrico entre as placas é
uniforme e que a gota está apenas sob a ação
desse campo e da gravidade. Para um certo valor
do campo elétrico, o Professor Ladeira observa
que a gota cai com velocidade constante.
Com base nessa situação, é CORRETO afirmar
que a carga da gota é

a) negativa e a resultante das forças sobre a gota não é nula.


b) positiva e a resultante das forças sobre a gota é nula.
c) negativa e a resultante das forças sobre a gota é nula.
d) positiva e a resultante das forças sobre a gota não é nula.
20. A Terceira Lei de Newton está presente praticamente em todas as modalidades esportivas.
Dos exemplos abaixo, assinale aquele que NÃO representa um exemplo de aplicação da Terceira
Lei de Newton:
a) Numa prova de natação, o nadador empurra a água para trás e a água o empurra para
frente.
b) Numa prova de tiro a bala se desloca em linha reta e com velocidade constante, por inércia.
c) Numa partida de futebol, ao defender um pênalti, o goleiro exerce sobre a bola uma força
igual e contrária à força exercida pela bola.
d) Para aumentar a sua explosão no instante de partida, o corredor de 100 m rasos empurra a
base (peça onde apóia os pés) para trás.

8
21. Para testar o air-bag de um novo modelo de carro , os engenheiros da fábrica fazem com
que o veículo, após adquirir velocidade, colida com uma grossa parede de aço, resistente o
suficiente para resistir ao impacto sem se desmanchar.
Considerando-se a colisão entre o carro e a parede de aço, é CORRETO afirmar que
a) a força que a parede exerce sobre o carro, que, devido a colisão, é freado e perde velocidade,
é igual à força que o carro exerce sobre a parede, apesar de esta não ser colocada em
movimento em decorrência da colisão.
b) a força que a parede exerce sobre o carro, que, devido à colisão, é freado e perde velocidade,
é maior que a força que o carro exerce sobre a parede, que não é colocada em movimento e,
portanto não adquire aceleração.
c) a parede exerce força sobre o carro, que, devido à colisão, é freado e perde velocidade, mas
o carro não exerce força sobre a parede, que não é colocada em movimento e, portanto, não
adquire aceleração.
d) o carro, antes da colisão, tem energia cinética e pode exercer, sobre a parede uma força
maior que a força que a parede, imóvel, exerce sobre o carro.
22. Carolina dirige seu carro por um trecho retilíneo da estrada que liga Sete Lagoas a Brasília.
Ao longo desse percurso, a velocidade do carro varia em função do tempo, como mostrado neste
gráfico:
Com base nas informações contidas nesse gráfico, é
CORRETO afirmar que, durante as 3 horas nele
representadas, o deslocamento total de Carolina foi de
a) zero km.
b) 80 km.
c) 160 km.
d) 240 km.
23. A velocidade com que uma gota de chuva cai de
uma nuvem, em função do tempo, está representada neste gráfico:

Assinale a alternativa cujo gráfico melhor representa a variação da força resultante que atua na
gota de chuva em função do tempo.

9
24. Na casa de Paulinho, todos os eletrodomésticos são ligados a uma mesma rede, de 120 V.
As especificações do chuveiro e do ferro elétrico nela utilizados informam que a resistência do
primeiro é de 4 . e que a potência do segundo é de 1 000 W.
Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que:

a) a corrente que passa pelo ferro elétrico e pelo chuveiro tem o mesmo módulo.
b) a potência consumida pelo chuveiro é de 3 600W.
c) a resistência do chuveiro é maior que a resistência do ferro elétrico.
d) o ferro elétrico consome mais energia, por unidade de tempo, que o chuveiro.

QUÍMICA

25. Observando-se o comportamento das substâncias nos sistemas a seguir, é INCORRETO


afirmar que:

a) o óleo deve ser solúvel em tetracloreto de carbono;


b) a água e o óleo não são miscíveis, por serem ambos apolares;
c) juntando-se os conteúdos dos sistemas I,II e III, obtém-se uma mistura heterogênea;
c) a sacarose é um composto;
d) o óleo é menos denso que a água.

26. O fenômeno da supercondução de eletricidade, descoberto em 1911, voltou a ser objeto da


atenção do mundo científico com a constatação de Bednorz e Muller de que materiais cerâmicos
podem exibir esse tipo de comportamento, valendo um prêmio Nobel a esses dois físicos em
1987. Um dos elementos químicos mais importantes na formulação da cerâmica supercondutora
é o ítrio:
1s² 2s² 2p6 3s² 3p6 4s² 3d10 4p6 5s² 4d¹, o número de camadas e o número de elétrons mais
energéticos para o ítrio, serão respectivamente:

a) 4 e 1;
b) 5 e 1;
c) 4 e 2;
d) 5 e 3;
e) 4 e 3.

27. Sabendo-se que o subnível mais energético de um átomo do elemento A é o 4s¹ e de outro
átomo do elemento B é o 3p5, assinale a alternativa correta:
a) os íons dos átomos dos referidos elementos são isoeletrônicos;
b) o átomo do elemento A apresenta menor raio atômico que o átomo do elemento B;
c) o átomo do elemento A apresenta 3 camadas;
d) o átomo do elemento B apresenta um total de 18 elétrons;
e) os elementos A e B são metais.

10
28. Da combinação química entre átomos de magnésio e nitrogênio pode resultar a substância
de fórmula:
Números atômicos: Mg (Z = 12); N(Z = 7)
a) Mg3 N2
b) Mg2 N3
c) MgN3
d) MgN2
e) MgN
29. Dados os elementos químicos:
G: 1s²
J: 1s² 2s¹
L: 1s² 2s²
M: 1s² 2s² 2p6 3s²
Apresentam propriedades químicas semelhantes:
a) G e L, pois são gases nobres;
b) G e M, pois têm dois elétrons no subnível mais energético;
c) J e G, pois são metais alcalinos;
d) L e M, pois são metais alcalinos-terrosos
30. Marque a alternativa que indique quantos carbonos assimétricos estão presentes na glicose:

a) 6
b) 4
c) 0
d) 2
e) 3

BIOLOGIA
31. Considere o modelo abaixo, que representa uma planta para o estudo de translocação de
água. Representam, respectivamente, os estômatos e o xilema da planta:

a) I e II.
b) I e III.
c) III e II.
d) II e I.

11
32. Analise os esquemas I e II, em que estão representadas diferentes situações de
crescimento de uma mesma espécie vegetal:

A partir dessa análise, é CORRETO afirmar que a mudança observada nas plantas do esquema
II decorre de:

a) redirecionamento dos hormônios de crescimento.


b) aumento da concentração dos hormônios de dormência.
c) estimulação dos hormônios de envelhecimento.
d) produção de hormônios de amadurecimento.

33. Numere a segunda coluna de acordo com a primeira.

(1)Algas ( ) Vegetais que produzem frutos

(2)Fungos ( ) Plantas avasculares, autótrofas, sem tecidos organizados.

(3)Pteridófitas ( ) Grupo de vegetais vasculares que possuem semente, mas não produzem
frutos.

(4)Gimnospermas ( ) Seres heterótrofos, sem tecidos diferenciados.

(5)Angiospermas ( ) Plantas vasculares que não possuem sementes.

A alternativa correta é:
a) 2, 5, 4, 3, 1
b) 5, 1, 2, 4, 3
c) 5, 2, 4, 3, 1
d) 5, 1 , 4, 2, 3

12
34. Observe estas figuras:

O mexilhão dourado de água doce, molusco originário do sudoeste da Ásia, é uma espécie
invasora do sistema hídrico brasileiro, que provoca sérios problemas em estações de água,
indústrias e hidrelétricas. Entre as características que facilitam a disseminação e o aumento da
população desse molusco, NÃO se inclui:
a) o notável controle de sua população por inimigos naturais.
b) a intensa disseminação de suas larvas.
c) a sua rápida maturação sexual.
d) a sua considerável capacidade adaptativa a diferentes ambientes.
35. Analise este gráfico, em que estão representados dados obtidos em um estudo sobre a
cadeia alimentar presente em determinada área:

Considerando-se essas informações, é CORRETO afirmar


que as curvas I, II e III representam, respectivamente,
populações de

A) capim, gafanhotos e sapos.


B) capim, sapos e gafanhotos.
C) sapos, capim e gafanhotos.
D) sapos, gafanhotos e capim.

36. As cercárias, larvas do esquistossoma, alojam-se nos tecidos de alguns caramujos. Estes
tecidos abrigam grande quantidade de cercárias, por possuírem fibras musculares menos
justapostas.
O conceito, em Ecologia, presente nesta afirmação é de
a) parasitismo
b) comensalismo
c) nicho ecológico
d) habitat

GEOGRAFIA

37. A Teoria da Tectônica Global de Placas procura explicar a formação dos continentes e dos
oceanos bem como do relevo submarino. Entre as proposições sobre essa teoria, considere as
seguintes:

1-A Cordilheira dos Andes é formada a partir da convergência de duas placas tectônicas.
2-A Cordilheira Meso-Oceânica é formada a partir da divergência de duas placas tectônicas.
3-O vulcanismo e os terremotos podem ser conseqüências diretas da movimentação das placas
tectônicas.

São corretos os itens assinalados em;

a) 1, 2 e 3.
b) 1 e 2.
c) 2 e 3.
d) 1 e 3.
13
38. Quanto aos tipos de erosão podemos afirmar, EXCETO;

a) A erosão eólica é típica das regiões desérticas do planeta, tanto hoje como no passado
geológico.
b) A erosão glacial esculpe vales extensos com a forma de U, tipo não representado no
modelado tropical do Brasil na era atual.
c) O modelado observado na maior parte do Brasil reflete pouca ou nenhuma influência da
dinâmica fluvial.
d) A erosão pluvial, no momento atual, sofre grande influência das ações humanas,
principalmente o desmatamento.

39. Quanto à floresta Amazônica podemos afirmar, EXCETO;

a) Constitui o maior conjunto vivo da biosfera, o que gera grande cobiça internacional,
principalmente dos laboratórios de biotecnologia.
b) Apresenta três ambientes típicos com relação ao nível anual das cheias, o Igapó, a Várzea e a
Terra firme.
c) Consiste em um ecossistema de intensa circulação de matéria e um gigantesco fluxo de
energia.
d) Está muito devastada, principalmente nas porções fronteiriças do Brasil com a Venezuela e
com a Colômbia.

40. Analise o mapa climático do Brasil e assinale a alternativa incorreta.

a) Na área 1, o clima é extremamente úmido e quente, de características equatoriais.


b) Na área 2, o clima é o tropical típico, com duas estações bem definidas, uma seca e outra
úmida.
c) Na área 3, os invernos são extremamente secos e os verões muito úmidos, característica dos
climas áridos.
d) Nas áreas 4 e 5, observamos as menores temperaturas do país, em 4, devido às maiores
altitudes, e em 5 pela subtropicalidade do clima.

41. As massas de ar atmosféricas ajudam a definir os climas do Brasil. A massa que atua
principalmente no inverno, causando a friagem na Amazônia e queda de neve no Sul do país, é.

a) massa tropical continental ( mTc ).


b) massa polar atlântica ( mPa ).
c) massa equatorial atlântica ( mEa ).
d) massa tropical atlântica ( mTa )

14
42. “Apesar da riqueza das florestas tropicais, elas estão geralmente baseadas em solos
inférteis e improdutivos. Grande parte dos nutrientes é armazenado nas folhas que caem sobre
o solo, não no solo propriamente dito. Quando a vegetação desaparece, o ciclo dos nutrientes é
alterado e a terra se torna rapidamente infértil.” (Corson, Walter H. Manual Global de Ecologia,
1993.)
No texto acima, pode parecer uma contradição a existência de florestas tropicais exuberantes
sobre solos pobres. No entanto, este fato é explicado pela:
a) profundidade do solo, pois, embora pobre, sua espessura garante a disponibilidade de
nutrientes para a sustentação dos vegetais da região.
b) boa iluminação das regiões tropicais, um vez que a duração regular do dia e da noite garante
os ciclos dos nutrientes nas folhas dos vegetais da região.
c) capacidade de produção abundante de oxigênio pelas plantas das florestas tropicais,
consideradas os “ pulmões” do mundo.
d) rápida reciclagem dos nutrientes, potencializada pelo calor e umidade das florestas tropicais,
o que favorece o rápido processo de decomposição das folhas, galhos e das próprias árvores
caídas.

HISTÓRIA
43. A respeito da Reforma Protestante é correto afirmar:
a) O anglicanismo estabelecia o monarca inglês como chefe supremo da Igreja da Inglaterra.
b) O luteranismo significou o surgimento de uma religião popular contrária aos privilégios da
nobreza da Alemanha.
c) O calvinismo difundiu-se rapidamente na Itália e na Península Ibérica devido aos seus valores
aristocráticos.
d) O anglicanismo representou a separação entre o poder religioso e o Estado na Inglaterra no
século XVI.
e) O calvinismo do século XVI sustentava a idéia de que a salvação realizava-se pela fé e pelas
obras humanas.
44. "Que obra-prima é o homem! Como é nobre em sua razão! Como é infinito em faculdades!
Em forma e movimentos, como é expressivo e maravilhoso! Nas ações, como se parece com um
anjo! Na inteligência, como se parece com um deus! A maravilha do mundo! O padrão de todos
os seres criados!"
(SHAKESPEARE, w. Hamlet. São Paulo: Martin Claret, 2002, p.47.)

Nesse trecho do Hamlet, de William Shakespeare, podemos identificar algumas características:


a) do Catolicismo, com a afirmação da arte como um ofício religioso.
b) do Protestantismo, com a perspectiva da infalibilidade dos escritos bíblicos.
c) do Renascimento, com a valorização do homem como o centro ou a medida do Universo.
d) do Hedonismo, com a identificação da beleza como uma manifestação do espírito divino.
e) do Teocentrismo, com a negação da influência do classicismo grecoromano.
45. A respeito de Portugal durante a época Moderna, é correto afirmar:
a) A montagem do vasto império ultramarino esteve ligada ao fortalecimento dos setores
aristocráticos que dominavam os principais postos e funções do Estado lusitano.
b) A vinculação à monarquia espanhola durante a União Ibérica (1580-1640) estimulou o
movimento republicano vitorioso na revolta de 1640.
c) Vantajosos tratados econômicos foram estabelecidos com a Inglaterra, desde o século XVII, o
que garantiu a prosperidade da economia portuguesa durante a crise do Antigo Sistema
Colonial.
d) Durante a União Ibérica (1580-1640), estreitou-se ainda mais a parceria entre os
portugueses e os holandeses, que financiavam e distribuíam na Europa os produtos coloniais
brasileiros.
e) Ao contrário das demais sociedades européias, o Antigo Regime português caracterizou-se
pela ausência de conflitos religiosos e pelo interesse na produção cultural estrangeira.

15
46. "Os próprios céus, os planetas e este centro [a Terra] Respeitam os graus, a precedência e
as posições.
Como poderiam as sociedades,
Os graus nas escolas, as irmandades nas cidades,
O comércio pacífico entre praias separadas,
A primogenitura e o direito de nascença,
Os privilégios da idade, as coroas, cetros, lauréis,
Manter-se em seu lugar certo - não fossem os graus?"
Estes versos de Shakespeare (da peça Troilo e Cressida) revelam uma visão de mundo:
a) moderna e liberal, ao tratarem das cidades, do comércio e, virtualmente, até do novo
continente.
b) medieval e aristocrática, ao defenderem privilégios, graus e hierarquias como decorrentes de
uma ordem natural.
c) universal e democrática, ao se referirem a valores e concepções que ultrapassam seu próprio
tempo histórico.
d) clássica e monarquista, ao mencionarem instituições, como a monarquia e o direito de
primogenitura, que eram características do mundo greco-romano.
e) particularista e elitista, ao expressarem hierarquias, valores e graus exclusivos da Inglaterra
do século XVI.
47. Após a expulsão dos holandeses do Brasil, em 1654, as relações entre a colônia e a
metrópole portuguesa caracterizaram-se pela:
a) prosperidade econômica, tanto da colônia como da metrópole, em função da expansão do
mercado açucareiro.
b) estabilidade financeira de ambas, uma vez que não houve o pagamento de indenizações nos
tratados de paz.
c) menor opressão da metrópole sobre a colônia, em virtude da extinção do pacto colonial.
d) crise econômica decorrente da concorrência do açúcar holandês das Antilhas, afetando a
metrópole e a colônia.
e) superação da dependência econômica de Portugal e Brasil em relação à Inglaterra.
48. "Nossa milícia, Senhor, é diferente da regular que se observa em todo o mundo.
Primeiramente nossas tropas com que vamos à conquista do gentio bravo desse vastíssimo
sertão não é de gente matriculada no livro de Vossa Majestade, nem obrigada por soldo, nem
por pagamento de munição."
Carta de Domingos Jorge Velho ao rei de Portugal, em 1694.
De acordo com o autor da Carta, pode-se afirmar que:
a) os bandeirantes possuíam tropas de mercenários, pagas pela metrópole, com o objetivo de
exterminar indígenas.
b) havia proibição oficial de capturar índios para a escravização e os bandeirantes pretendiam
evitar ser punidos pelos colonos e pelos espanhóis.
c) os exércitos portugueses, organizados na colônia, tinham a particularidade de serem
compostos por indígenas especializados em destruir quilombos.
d) algumas tribos indígenas ameaçavam a segurança dos colonos e as bandeiras eram tropas
encarregadas de transportar os nativos para as reduções religiosas.
e) muitas das bandeiras paulistas eram constituídas por exércitos particulares, especializados
em exterminar e capturar indígenas para serem escravizados.

ESPANHOL
TEXTO – Cuestiones de 49 a 53
La generación del botellón
Como cada viernes, Jordi ha quedado sobre las ocho de la tarde con unos cuantos amigos en la
esquina de casa. Tras saludarse, se dirigen al súper para llegar antes de que cierre y, lista en
mano, se reparten el trabajo: uno va a por las cervezas y las patatas; otro, a por refrescos y
16
alguna botella de licor, mientras que Jordi se encarga de los vasos de plástico, las servilletas y
las bolsas de basura. Con la compra hecha, se dirigen a El Paio, un local que comparten desde
hace un año doce colegas. Un par de sillones, una tele y un reproductor de DVD, una nevera y
una gran mesa; en las paredes, grafitis que han ido pintando ellos mismos en los que se leen
lemas reivindicativos, y un póster del Barça. “Vamos casi cada tarde para vernos, charlar, tomar
algo o ver una peli”, explica Jordi, que tiene 20 años y es estudiante de publicidad. “Decidimos
alquilar el local porque era muy caro salir de bares y porque, además, con el ruido y la música
que inundan
estos locales, apenas podíamos hablar”.
El fenómeno del botellón no se reduce a los adolescentes y veinteañeros, ni tampoco a una
cuestión económica. Además, no siempre está mal visto: si bien tiene connotaciones negativas
que un grupo de chavales de entre 16 y 24 compartan una botella en el maletero de un coche o
en un parque, en cambio, está socialmente aceptado tomarse unas cervezas en una terraza, en
un bar o en una discoteca, sobre todo si se rebasa cierta edad, por lo general los 25 años.
También la calle es un escenario lícito en muchas ocasiones; la bondad del clima de las ciudades
mediterráneas propicia que el espacio público se convierta en uno de los principales puntos de
encuentro y relación, en donde el botellón, entendido como una reunión de un grupo reducido
de amigos que charlan mientras se toman una cerveza o una copa, es algo frecuente. [...]
“El fenómeno del botellón es social y masivo – considera la psicóloga Nuria Camps – pero no
todos los botelloneros son iguales”. Cada joven es diferente y forma parte de un gran puzzle que
es reflejo de la sociedad y en el que las generalizaciones conducen a errores.
SÁEZ, Cristina.http://www.lavanguardia.es/web/20060416/51244381539.html -
Acceso en 14 abr. 2006. (Texto adaptado)

49. Según el texto, es CORRECTO afirmar que

a) amigos peleando por causa de una cerveza o una copa también se pueden ver en la calle.
b) el grupo de amigos se reúne en un local desde hace un año, casi todas las tardes, para
divertirse.
c) Jordi y sus amigos trabajan en el reparto de un súper, sobre todo de cervezas y patatas.
d) sólo adolescentes sin dinero participan del botellón, lo que no es aceptable del todo.

50. “... Jordi ha quedado sobre las ocho de la tarde con unos cuantos amigos en la esquina de
casa.”
Si se quiere mantener el sentido de las palabras destacadas en este fragmento, NO es posible
reemplazarlas por

a) a eso de las ocho.


b) a las ocho en punto.
c) alrededor de las ocho.
d) hacia las ocho.

51. “... está socialmente aceptado tomarse unas cervezas...” La partícula destacada en este
fragmento significa que uno

a) aprovecha las cervezas.


b) bebe sin picar algo.
c) toma más de la cuenta.
d) toma muchas cervezas.

52. Señale la opción en la que la correspondencia entre los términos destacados y las palabras
entre corchetes está INCORRECTA.

a) ... apenas podíamos hablar. [= casi no]


b) ... en cambio, está socialmente aceptado... [= por el contrario]
c) ... mientras que Jordi se encarga... [= en tanto que]
d) … Tras saludarse, se dirigen... [= Además de]

17
53. Según el texto, es INCORRECTO afirmar que el grupo de amigos.
a) lleva a El Paio diversas cosas como copas, manteles y bolsas de residuos.
b) se apura para llegar al súper, cuando se encuentra, los viernes.
c) se distribuye las actividades que tiene que hacer en el súper.
d) se encuentra con Jordi, todo último día hábil de la semana, para ir al súper.
54. Marque la frase donde el empleo de también / tampoco está incorrecto:
a) Todos soñamos como también lo hacen los ciegos.
b) Mi vecina fue a la feria tempranito y yo tampoco.
c) Mis hijos viajaron a Chile en vacaciones como también mis hermanos.
d) Los ciegos de nacimiento como no tienen visión tampoco tienen sueños visuales.

INGLÊS
According to recent medical research, sleeping more than nine hours or less than six
hours a night can shorten your life expectancy. Those who are likely to live longest are people
who regularly get between seven and eight hours a night.
A new survey of 1,000 adults conducted by the Better sleep Council (BSC) found that few
people understand the important role sleep plays in normal daily brain functions and many
people actually reduce their brainpower by getting to little sleep.
One in three adults admit that they do not get enough sleep, and lack of sleep is leaving
millions of people without the energy to work as hard as they should. Although a large number
of people say that they need to be mentally alert in their work, over half of the people
interviewed say that they sleep more than seven hours a night at the weekend. This suggests
that a significant number of people try to catch up on their sleep at the weekend instead of
getting enough sleep during the week, when they most need it.
According to this survey, nearly half of the population believe that the brain rests when
the body sleeps. In fact, the opposite is true. Sleep allows the brain to go to work, filing and
storing the day’s events. “Most people incorrectly think the brain is resting or recuperating
during sleep. Actually, some parts of the brain are more active when you are asleep,” confirms
Dr. Mark Mahowald, director of the Minnesota Regional Sleep Disorder Center. “Your brain is like
a cluttered desktop at the end of the day. At night, when you are asleep and no more
information can be put on the desk, or your brain, it can then file away the information.”
Macmillan Heinemann. (PUC MINAS)
49. According to recent research, life expectancy is associated with:
a) number of hours the person sleeps.
b) Habit of sleeping early every day.
c) Awareness of the role played by sleep hours.
d) Proportion between work and sleep hours.
50. A BSC survey found that
a) more and more people are sleeping less nowadays.
b) Most people are not aware of the importance of sleep.
c) Many people always prefer to sleep during weekends.
d) People produce less when they sleep too much.
51. This (line 10) refers to the fact that:
a) many people sleep over seven hours a night on weekends.
b) One in three people admit they do not get enough sleep.
c) People do not work hard due to lack of sleep on weekdays
d) People say they need to be mentally alert in their work.

18
52. The phrase catch up on (line 11) refers to the ____________of sleep.

a) a intensity
b) quality
c) depth
d) quantity

53. When the body sleeps, the brain:

a) diminishes its main functions.


b) Recuperates the energy it spent.
c) Eliminates all its alertness.
d) Stores and files the day’s events.

54. The brain is compared to a cluttered desktop at the end of the day because of the

a) energy that the body has spent.


b) events stored during the day.
c) information it continues to receive.
d) accumulated lack of proper sleep.

/var/www/apps/scribd/scribd/tmp/scratch1/16261983.doc

19