Você está na página 1de 77

Tamanho

não é .DOC II

ficina
Capa:
Erik Kurkowski Weber

Organização e diagramação:
Henry Alfred Bugalho

Esta obra está protegida pela Licença Creative Commons de


Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Deriva-
das 2.5. Para ver uma cópia desta licença, visite:
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.5/br/

2009
Oficina Editora
SUMÁRIO

Apresentação 7
Antonio Velasko 9
Erik Kurkowski Weber 29
Henry Alfred Bugalho 45
Rafael T. Okada 55
Wellington Souza 67
Wilson Gorj 73
Apresentação

Twitter s.m. 1 serviço gratuito de rede


social e microblogging que permite o
envio de mensagens, limitadas a 140
caracteres, para outros usuários.
Microconto s.m. 1 narrativa literária
breve, com estrutura semelhante à do
do conto, mas de menor extensão, geral-
mente, inferior a mil palavras.

Os microcontos que
compõem esta obra foram
redigidos e postados no
Twitter (www.twitter.com)
durante o mês de agosto
de 2009.
ANTONIO
VELASKO
Mineiro, estudante de Direito,
aspirante à carreira diplomá-
tica, detentor de concepções
filosófico-existenciais paradoxais
e aficionado em animação japo-
nesa. Suas características mais
marcantes, contudo, são sua
indiferença de proporções imen-
suráveis e seu vínculo umbilical
com a literatura. É um excêntrico
totalmente comum.
“És a mais ridícula de minhas
obras”, disse o rabino para o
golem. Ou terá sido Deus quem o
disse ao homem?

Filho de peixe, peixinho é. Até


Tamanho crescer, é óbvio...
não é
.DOC

10

Eis o futuro: a fabricação de se-


res humanos perfeitos em labo-
ratório. O progresso das taxas de
suicídio, porém, será ainda mais
avançado.
Antonio

VELASKO
Dr. Frankenstein
Algumas perguntas corroíam
sua mente. Naquela noite, ima-
ginava no que daria o cruzamen-
to da hidra de lerna com o yeti.
Tamanho
não é
.DOC

A mais saborosa iguaria que o 11


leão já provara fora a domadora
do circo onde antes trabalhava.

Seppuku
Canhões e armas de fogo con-
tra flechas e espadas. De cabeça
erguida morreram os samurais
em batalha contra as forças do
progresso.
Justiça Divina?
Fora responsável por centenas
de mortes no Congo. Vinte minu-
tos no confessionário e quarenta
rezando. Absolvição total.

Descobriu uma grande verdade:


Tamanho quem fala besteira com autorida-
não é de inventa teoria.
.DOC

12

John viajou ao Brasil para


praticar português. Perguntou à
recepcionista como ela estava. A
moça, indignada, respondeu que
só falava inglês.
Antonio

VELASKO
Ganância
“Por que estas malditas não
botam ovos de ouro?” Pensava o
rico fazendeiro.

Tamanho
não é
.DOC

Sabedoria Oriental 13

E o mestre disse: “Não é o tem-


po que passa, gafanhoto; somos
nós”.

Levantou e sacudiu a poeira.


Antes de dar a volta por cima,
porém, sumiu. No fim era só pó
mesmo.
“Mamãe, o cavalo de pau está
parindo”, falou o menino. “Cala a
boca e dorme”, respondeu a mãe.
Cinco minutos depois, Tróia es-
tava em chamas.

Cotidiano
Tamanho
não é
Todos os dias ele olhava em
.DOC
seus olhos e lembrava-se do
quanto a amava. O amor em si
14 não crescia, mas ao menos se
mantinha vivo.

Assim Medusa conheceu sua


maior frustração: transformaria
todos os homens que amasse em
pedra.
Antonio

VELASKO
“Agora é tarde, eu já morri!”
Pensou o cadáver de Inês de Cas-
tro ao sentar-se no trono.

Tamanho
não é
.DOC

“Abominação! Abominação!” – 15
Mote bíblico bastante usual.

O japonês, irado, desenhou um


olho enorme. Nascia o primeiro
mangá.
Gênese
“Adão, teu viadinho covarde,
coma logo esta porra de maçã!”
Bradava Eva, ameaçadora.

Oráculo de Delfos
Tamanho
não é
“Chegará o dia em que nin-
.DOC
guém saberá mais nada. Só o
Google.”
16

O origamista achava que não


tinha nenhum valor. Quando ter-
minou o milésimo tsuru desejou
ser o melhor dentre os seus.
Antonio

VELASKO
Lembrou-se dos dias em que
dançava ao fitar a cadeira de
rodas ao lado da cama.

Tamanho
não é
.DOC

Quando a esposa lhe contou 17


suas ideias para aquela noite, ele
olhou para ela com cara de bravo
e disse: “Porca!”

“Olha! Queijo!” Estas foram as


últimas palavras do ratinho.
Bastidores
O rei teve de ordenar que
matassem o filho do cocheiro ou
não haveria um príncipe encanta-
do naquela história.

Confissão
Tamanho
não é
Pra falar a verdade, a madras-
.DOC
ta da Branca de Neve era bem
gostosa.
18

Conclusão Astral
O astrólogo fez um punhado
de mapas e constatou, surpreso,
que seu destino era mentir.
Antonio

VELASKO
Pinóquio andou por aí e tomou
uma decisão. Sujou os pés, ficou
sem comer por uns dias e foi
pedir esmola. Era um menino de
verdade.
Tamanho
não é
.DOC

Pesadelo 19

Abriu o livro predileto e perce-


beu que não sabia ler.

O chinês viu aquele cão garbo-


so, forte, e não pôde deter um
pensamento instintivo: “Hmmm,
que gracinha de bicho”.
O Cúmulo do Chic
A iguaria mais apreciada por
Cleópatra eram pérolas diluídas
em vinagre.

Autossugestão
Tamanho
não é
Os pontos de interrogação mor-
.DOC
riam em massa. Como sobrevive-
riam fora d’água se achavam que
20 eram cavalos-marinhos.

Ninguém nunca presenciou o


florescer daqueles botões. Eis o
segredo de sua beleza.
Antonio

VELASKO
As mulheres normalmente
recebiam flores. A prostituta de
Van Gogh surpreendeu-se com a
orelha embrulhada em papel de
presente.
Tamanho
não é
.DOC

Love Story 21

Os dois poetas amavam-se e


desejavam-se loucamente. Isto
não mudou nem quando Rim-
baud deu um tiro em Verlaine.

Ironia
Ouviu o granjeiro dizer que pé
de galinha não mata pinto. Antes
do entardecer sufocou o pintinho
sob as garras da mãe negligente.
Soberba
“Pelo menos em meu país não
nos fritam”, vangloriou-se a car-
pa para a piaba.

Luxúria
Tamanho
não é
Ela disse que o homem já tinha
.DOC
ficado com todas as putas do
estabelecimento. Ele perguntou
22 sobre a cadela que dormia sob a
mesa.

Avareza
Era tão avaro que morreu de
inanição. Achava o pão muito
caro.
Antonio

VELASKO
Ira
Destruiu tudo o que conseguiu
antes de ir embora. Ninguém sa-
bia o motivo daquela raiva toda.

Tamanho
não é
.DOC

Cobiça 23

Pensou que se juntasse todo


aquele dinheiro e enterrasse,
poderia suplicar ao pai uma
pensão.

Gula
Era tanta comida que dava pra
alimentar a África inteira. Sen-
tou-se e começou a engolir tudo
vagarosamente.
Preguiça
Os bombeiros gritavam para
a mulher que se levantasse e
tentasse chegar até eles. Mas
ela estava com tanto sono; com
tanto calor.

Pílula da Normalidade - efeitos


Tamanho colaterais: frustração, apatia,
não é depressão, além de outras ten-
.DOC dências autodestrutivas.
24

Nada tenho; nada tive; nada


terei. Eis a biografia do homem
comum.
Antonio

VELASKO
Ao menos um século levou a
bala para percorrer a distância
entre o pelotão de fuzilamento e
os cadáveres frente ao paredão.

Tamanho
não é
.DOC

Obviamente pediria mais cem 25


desejos ao gênio.

O mágico apontou o dedo para


o pombo: “avestruz”. A ave en-
fiou a cabeça na terra. Morreu na
hora. Traumatismo craniano.
“Eu já disse que te amo?” Disse
o marido apaixonado. Pensava no
irmão dela.

canibal: s. aquele que aprecia


Tamanho comer carne humana. necrófilo:
não é s. aquele que aprecia comer car-
.DOC ne humana morta.
26

“Tenho um segredo para te


contar. Eu assisto animes de ma-
drugada”. Disse o homem. “Seu
doente!” Respondeu a mulher,
que foi embora.
Antonio

VELASKO
“Nossa! Que mulher gostosa!
Oh, lá em casa, hein!” Édipo, em
chegada a Tebas. Falava de Jocas-
ta, sua mãe.

Tamanho
não é
.DOC

Cadê a comida que tava aqui? 27


O gato comeu! Cadê o leite que
tava aqui? O gato bebeu! Cadê o
dinheiro que tava aqui? Este foi
o leão.

O menino caiu. De preguiça,


não levantou. Com o tempo, mor-
reu. O menino não chegou com o
pão, mas ninguém se importou.
Erik Kurkowski

WEBER Formado em Design Gráfico,


mas busca agora seu lugar à
sombra no funcionalismo públi-
co; nas horas vagas é mais um
gênio da humanidade.
Filosofia de Café: Há sempre
uma luz no fim do funil.

Vô e Vó na pocilga malcheirosa
Tamanho do SexShop; pediram uma máqui-
não é na do Tempo de 30 cm.
.DOC

30

Era mãe de seis; um menino,


duas meninas, e três números
primos.
WEBER
Erik Kurkowski

Assim que o professor de me-


cânica quântica arriou as calças
para ela, a aluna suspirou e dis-
se, Quark!

Tamanho
não é
.DOC

Há de se desconfiar de um 31
Adestrador de Animais que, aos
40 anos, ainda é solteiro.

O lado bom de se estuprar al-


guém é o lado de dentro.
Que é a morte senão, ou a regra
ou a exceção?

O silêncio é uma locomotiva


Tamanho carregada de chocalhos.
não é
.DOC

32

Ela jogava boliche; era a bola.


WEBER
Erik Kurkowski

Mais vale um cotonete na mão


do que dois otorrinolaringologis-
tas voando (num AirFrance).

Tamanho
não é
.DOC

Boa moça, mas deslocou o om- 33


bro ao comprar um vibrador.

A preguiça é a mãe do Congres-


so; o pai é o Sarney.
Perfil falso de Sarney no Twit-
ter exibia o codinome de ‘sena-
dorsexy23cm’.

Não tinha pênis; tinha uma


Tamanho solitária (...).
não é
.DOC

34

Como disse Martin Luther King:


‘Eu tenho um sonho; e ninguém
tasca!’.
WEBER
Erik Kurkowski

Nos dias sórdidos da semana


vendia as esfihas da esposa num
mercadinho de Bagdá; aos sá-
bados e domingos era hora dos
bicos como homem bomba.
Tamanho
não é
.DOC

Morreu ao ser alvejado por um 35


ponto final.

Começou a roubar bancos e


carros a conselho da esposa, que
queria que ele emagrecesse.
O surdo tinha uma pulga do
MST atrás da orelha.

Prostituta: um útero com taxí-


Tamanho metro.
não é
.DOC

36

Na hora do sexo, perguntou


para ela, Onde fica o seu Ponto
G? E ela disse, entre o Ponto F e o
Ponto H.
WEBER
Erik Kurkowski

O ponto G dela ficava no cartão


de crédito dele.

Tamanho
não é
.DOC

Pisou em tantas macumbas que 37


já não tinha pé para pisar outras.

Não colocava o cinto se segu-


rança porque achava que a deixa-
va mais gorda.
Ela era estéril e não podia ter
filhos; mas o útero dava uma óti-
ma bandeja, disse o psicopata.

Zona Franca de Manaus: lugar


Tamanho do Amazonas onde as prostitutas
não é são muito sinceras.
.DOC

38

Era garota de programa for-


mada em Letras, especialista em
Nabokov.
WEBER
Erik Kurkowski

Descoberto aparelho reprodu-


tor de peixe de 350 milhões de
anos; era um VISA de 30 cm.

Tamanho
não é
.DOC

O pôr do sol é sempre o mes- 39


mo; o que muda é a remela.

Minha alma não só saiu do cor-


po sem licença como a pegaram
no Teste do Bafômetro.
Relatividade: 10s parecem
2hrs quando se carrega um filme
pornô.

Quem nunca jogou pedra em


Tamanho alguém que atire a primeira.
não é
.DOC

40

Quem vê coração não vê Pho-


toshop (e vice-versa).
WEBER
Erik Kurkowski

O lado bom das crianças é que


elas cabem num liquidificador.

Tamanho
não é
.DOC

O Gato tinha 7 vidas; e mais 41


dois ‘continues’.

O homem mais velho do mun-


do disse, acerca do segredo da
sua longevidade: vegetais, exercí-
cios físicos, e muito Photoshop.
Ele disse para ela, Qual dos
buracos é o clitóris?

Quando, barrado no salão do


Tamanho clube, Jesus esqueceu o rebolado
não é e disse: “Vão ver só, vou chamar
.DOC Papai!”.
42

Quando falaram ao Bispo que


a noite era uma criança, ele logo
perguntou, bem alegrinho: De
quantos anos?
WEBER
Erik Kurkowski

Há vida após os créditos finais?

Tamanho
não é
.DOC

Água mole em pedra dura, tan- 43


to bate até que ejacula.
Henry Alfred
BUGALHO
Formado em Filosofia pela
UFPR, com ênfase em ­Estética.
Especialista em Literatura
e ­História. Autor de quatro
romances e de duas coletâne-
as de contos. Editor da Revista
SAMIZDAT e um dos fundadores
da Oficina Editora. Autor do
livro best-selling "Guia Nova
York para Mãos-de-Vaca". Mora,
atualmente, em Nova York, com
sua esposa Denise e Bia, sua
cachorrinha.
Don Juan
“Vou te amar pra sempre”, ele
repetia todos os dias; cada noite
para uma mulher diferente.

Vida comum
Tamanho
não é
Excetuando ter ganhado cinco
.DOC
vezes na megasena, nunca nada
de extraordinário ocorria em sua
46 vida.

Acidente
— Por acaso você é cega? — o
policial para a motorista com o
carro esmagado no poste.
— Sim, seu guarda, mas isto
nunca me atrapalhou antes.
Henry Alfred

BUGALHO
Ladrão de galinhas
Ser preso injustamente o revol-
tava: acusado de roubar galinhas,
ao invés de ter matado o vizinho.
O sistema penal está falido, ele
dizia.
Tamanho
não é
.DOC
O caminho das pedras para o sucesso
47
Descobriu que o caminho das
pedras para o sucesso era piso-
teando seus colegas. Mas para
derrubá-lo bastou uma única
pedra solta.

O tornado
Os boatos diziam que aquele
tornado havia sido encomendado
pela máfia; a cidade inteira su-
miu do mapa, menos a pizzaria
do Tony.
História reescrita - Guilherme
Tell
Disparou a flecha, que zunindo
cruzou o ar. Não acertou a maçã.
Foi assim que Guilherme Tell
matou o próprio filho.

História reescrita - Caixa de


Tamanho
Pandora
não é
.DOC
Receoso, Epimeteu abriu a cai-
xa de Pandora: nela havia delicio-
48 sos bombons de licor.

História reescrita - Branca de


Neve
Após entregar a maçã à Bran-
ca de Neve, a bruxa saiu rindo e
comentando consigo: “se ferrou,
amanhã terá um bela dor-de-
barriga!”
Henry Alfred

BUGALHO
Rotina monótona
A rotina cotidiana o oprimia;
pilotar caças de manhã, alimen-
tar tubarões à tarde e enfrentar
ninjas assassinos à noite era
muito tedioso.
Tamanho
não é
.DOC
História reescrita - Ulisses
49
Leopold Bloom abriu a porta do
quarto e encontrou Molly, a espo-
sa, traindo-o. Com um homem
seria trágico, mas com um vibra-
dor era ridídulo!

O fotógrafo
Sua câmera fotográfica roubava
as almas das pessoas. Nas pare-
des de casa, os retratos gemiam
e suplicavam por liberdade.
Decepção
Marinete viajou para a Espa-
nha na esperança de ser escrava
sexual. Tinha vergonha de contar
para amigas que virara garçone-
te.

Solidão
Tamanho
não é
A casa vazia o angustiava.
.DOC
Enchia-a de indigentes e punha
no som CDs do ABBA. “Festas
50 sempre, repletas de amigos”, os
vizinhos comentavam.

Insônia
Passava as noites em claro, e os
dias roncando e babando pelos
cantos.
Henry Alfred

BUGALHO
OVNI na favela
A porta do disco voador se
abriu, mas os ETs foram mortos
por balas-perdidas de traficantes
antes que pudessem fazer con-
tato. Tamanho
não é
.DOC

Insuportável 51

Furou os próprios olhos, pois


não suportava ver tanta beleza
no mundo.

Azarado
Diziam-lhe que não havia
perigo. Acreditou. De fato, nós
ultimos dez anos, ele seria a pri-
meira vítima fatal.
Recordações
Assim que o garçom trouxe o
prato, ele desatou a chorar. Era o
mesmo que ela sempre lhe pre-
parava. Garfadas acres por suas
lágrimas.

Patriotismo
Tamanho
não é
Era um sujeito muito patriota.
.DOC
Preferiu abandonar o país para
não ter de ver seus defeitos.
52

Filosofia de pastelaria
Fitava o pastel de carne com
aspecto duvidoso na estufa. Em
seus pensamentos, o aforismo
nietzschiano: “o que não me
mata, fortacele-me”.
Rafael T.
OKADA
Vinte e cinco anos, estudan-
te de engenharia mecânica da
Universidade Estadual Paulista
(UNESP), mora atualmente na
­República Vamointão com doze
outros estudandes. E não ve a
hora de formar-se. Sempre gos-
tou de ler, porém nunca escre-
veu nada com mais de cento e
quarenta caracteres.
A melhor das maquiagens
Até então não tinha percebi-
do que através da web todas as
pessoas são lindas, legais e até
inteligentes.

Maria vai com as outras


Tamanho
não é
“Cara, agora é a minha vez...”,
.DOC
o chapado gritando para o gno-
mo que havia acabado de pular
56 da janela do sétimo andar.

Ovelha negra
Disseram-lhe que era a ovelha
negra da família, mas ainda não
sabiam de nada. Era a cor-de-
rosa.
OKADA
Rafael T.

Dura realidade
Quando percebeu que na rea-
lidade o gnomo sabia voar, não
havia mais tempo: ia se espatifar
na calçada sete andares abaixo.
Tamanho
não é
.DOC

Ovelha cor-de-rosa 57

Mais tarde naquela reunião de


família, percebeu que gostava
mais quando eles o tratavam
como uma ovelha negra.

Outro sonho de liberdade


Depois que o papagaio desco-
briu que sabia voar, achava que
todo sonho se tornava realida-
de. Desta vez sonhou que era o
batman.
Mais louco que o Batman
E não é que vale mais um pás-
saro na mão que dois voando?
A criança segurava um papagaio
que se achava o Batman.

Domingão
Tamanho
não é
No sétimo dia, por preguiça, o
.DOC
mundo não se tornou um lugar
melhor.
58

Cadê o Greenpeace?
Era tão feia que quando pulou
ao mar, o coitado do golfinho
morrreu afogado.
OKADA
Rafael T.

Havia uma porta no caminho


Estava atrasado para sua en-
trevista de emprego e não per-
cebera que havia uma porta de
vidro. Acabou que não conseguiu
o emprego. Tamanho
não é
.DOC

Os importantes do mundo 59

Se fosse qualquer um falando


seria uma imbecilidade, mas era
um cineasta. Todos bateram pal-
mas no fim.

Aos dez
A menina descobriu que o dedo
servia para mais coisas além de
cutucar o nariz: cutucar o ouvi-
do.
Aos treze
A menina descobriu que o ou-
vido e o nariz não estavam com
nada.

Enfim...
Tamanho
não é
Aos vinte e um, conhecia
.DOC
poucos lugares onde conseguia
enfiar o pulso: dois.
60

As gatas
Depois de tantas loiras, russas
e mexicanas, decidira beber bre-
jas, vodkas e tequilas. Certamen-
te sairia mais barato.
OKADA
Rafael T.

Todas formas de pagamento


Depois de ter começado lá de
baixo, sabia que a felicidade
cabia na carteira. E vinha em
cheques, cartões ou em dinheiro
mesmo. Tamanho
não é
.DOC

O nível das coisas 61

Decidira que a partir de hoje


seria um homem culto. Comprou
um livrinho de citações.

Desculpa esfarrapada
Disse que estava grávida, mas
não fizera sexo. Seu pai respon-
deu: “Já usaram esta desculpa há
uns dois mil anos.”
A melhor desculpa de todas
Para encobrir a gravidez, a
esposa do marceneiro disse que
o bebê em seu ventre era filho de
deus. E todos acreditaram!

Arrependimento
Tamanho
não é
Toda vez que roubava era a
.DOC
mesma coisa: sentia-se muito
mal. Precisava parar com aquilo,
62 precisava perder o peso na con-
sicência.

A curiosidade mata
Em 2097, descobriram que
existe vida após à morte, e então
todos esqueceram-se que tam-
bém existe vida antes.
OKADA
Rafael T.

Ô gostosa...
Hoje, decidiu permanecer na
cama com sua nova amante: a
depressão. No colo dela, curtia a
balada com wisky e Prozac.
Tamanho
não é
.DOC

O cara sabia 63

Maconha, balas, doces e até


cola de sapateiro. Finalmente
chegara em pasárgada. Manuel
bandeira tinha razão.

Ninguém viu
Quando viu que estava fudido,
o padre pediu para a freira fazer
o aborto.
Me conta outra
Durante a vida estudou muito,
então morreu. O que iria fazer
com todo aquele conhecimento?
Contar para deus?

A maior curtição
Tamanho
não é
A velhinha, agora, abria cami-
.DOC
nho entre os marmanjões espir-
rando em suas caras. Esta gripe
64 veio a calhar.

Ledo engano
Percebera que as drogas o
deixaram burro quando cheirou
a bala, injetou o beck e fumou o
doce.
OKADA
Rafael T.

Bênção dos santos


Padre justificava-se no inferno
lembrando a todos que para bai-
xo todo santo ajuda.

Tamanho
não é
.DOC

65
Wellington

Souza
Paulistano, mas morou tam-
bém em Ribeirão Preto, onde
cursou economia na Universi-
dade de São Paulo. Hoje, reside
novamente no bairro em que
nasceu. Participou das antologias
do concurso Nacional de Contos
da Cidade de Porto Seguro e do
Poetas de Gaveta/USP. Escre-
ve poemas, contos, crônicas e
ensaios literáios em um blog
(Hiper-link), na revista digital
SAMIZDAT e no portal Sociedade
Literária. “Escrever é um modo
de ser outro ser”.
Foi até a padaria chutando
pedra. Voltou na mesma, mais
o balanço do saco. Ante o gol,
sofreu pênalti de um Uno que
ganhou contramão.

-Desce pinga! -Hum -Virou


Tamanho bixa; guri vai sair de casa, agora;
não é Morar com amiga e amigo. -Hum
.DOC -Que vá, não ligo.Ouviu: que vá!!
68 -Hum...

“...não tenho dinheiro”, “tem


sim”, a respondeu. Ela, mulher,
captou e se despiu. O pior era
a certeza do prazer e da pompa
vitoriosa.
Wellington

SOUZA
Não sei até quando ficarei aca-
bando. Será que depois de muito
acabar, que parar de vez de ver
tudo, ficarei como a mesa ou as
cadeiras?
Tamanho
não é
.DOC

Não morreu pelo atropelamen- 69


to, nem pela nuca no meio fio.
Queria era se apagar, dormir,
esquecer, então não resistiu ao
soninho que veio...

Gostava, quando criança, de


jogar bola – resta a saudade. On-
tem em plena chuva não resisti e
fui também. Agora os pneumoco-
cos estão jogando.
Matou o amante da esposa.
Tatuou (braço e peito) um caixão,
nome do alvo e a data, se fun-
dem ali. Esperou, com cerveja e
futebol, a polícia.

A casa pegando fogo, o Homem


Tamanho Moderno parou na janela e per-
não é guntou: “como está o tempo ai
.DOC fora?”. Silêncio, todos esperavam
70 um vôo triunfante.

Se eu não terminar, ela não


sofrerá agora e sim depois. Se
terminar, sofre agora: o futuro
não sei. Não, agora não, arruma-
rei outra antes.
Wellington

SOUZA
Roxo ou preto? unha negra ou
branca? Com ou sem decote?
Sombra clara ou forte? Para que
isso, se depois da queda meu
caixão ficará fechado!
Tamanho
não é
.DOC

71
Wilson
GORJ
Autor do livro Sem Contos
Longos. Tem contos, minicon-
tos e poesias publicados em
antologias e premiados em
alguns concursos. Mantém o
blog O Muro & Outras Páginas
(omuroeoutraspgs.­blogspot.com),
onde expõe seus textos e outras
novidades vinculadas ao mundo
da micronarrativa.
FRUTAS
Mulher melancia, mulher me-
lão, mulher maçã, mulher moran-
guinho - todas comprometidas.
Cada qual acompanhada do seu
homem banana.

NAMORAR?
Tamanho
não é
– Você não me aguentaria. Sou
.DOC
muito chata.
– As medalhas de ouro também
74 o são.

e-manchete
ladrao@cofrede.comercial
Wilson

GORJ
PENSAMENTO POSITIVO
Deparou-se com uma filosofia
barata.
Esmagou-a na sola do seu pes-
simismo.
Tamanho
não é
.DOC

PUNGÊNCIA 75

Sofria de gases. Que sofrimento


pum-gente!

ATENTADO
– Embaixador. Tem um ponti-
nho vermelho dançando em sua
testa.
BALA VS. VIDA
Ambas perdidas.

T_IRÃ_NO
Tamanho Quanto mais enriquece urânio,
não é tanto mais empobrece o país.
.DOC

76

SUICÍDIO
Deixou a própria vida incompl

DESCASO
A Praça Publica não tinha acen-
to.