Você está na página 1de 7

Laboratório de Eletricidade Aplicada

Laboratório 1 Análise de Circuitos Simples

Aluno: AlinneAdley de Morais Souza Matrícula: 11/0073771 Turma: A Professor: Rudi H. van Els Experimento realizado das 14:00 as 16:00 horas do dia 08 de setembro de 2014.

Introdução Teórica

O processo de análise de qualquer circuito requer o entendimento de algumas leis básicas

que regem os circuitos elétricos. Dentre elas estão o Divisor de Tensão e Corrente.

Divisor de Tensão

Considere-se o circuito representado na Figura 1, constituído por uma cadeia de resistências ligadas em série com uma fonte de tensão.

de resistências ligadas em série com uma fonte de tensão. Figura 1 . Divisores de tensão

Figura 1. Divisores de tensão (a) e de corrente (b)

A queda de tensão aos terminais de cada uma das resistências é dada por:

aos terminais de cada uma das resistências é dada por: Com j= 1,2, k , e

Com j=1,2,

k, e em que i define a corrente comum a todas as resistências:

em que i define a corrente comum a todas as resistências: Substituindo (4.22) em (4.21), obtém-se:

Substituindo (4.22) em (4.21), obtém-se:

as resistências: Substituindo (4.22) em (4.21), obtém-se: Para a tensão aos terminais de cada uma das

Para a tensão aos terminais de cada uma das resistências, expressão que é designada por regra do divisor de tensão.

Para a tensão aos terminais de cada uma das resistências, expressão que é designada por regra

Divisor de Corrente

Considere-se o circuito representado na Figura 1.b, constituído por um conjunto de resistências ligadas em paralelo com uma fonte de corrente. A corrente em cada uma das resistências é dada por:

A corrente em cada uma das resistências é dada por: com j= 1,2, k , e

com j=1,2,

k, e em que v define a tensão comum a todas elas:

1,2, k , e em que v define a tensão comum a todas elas: Substituindo (4.28)

Substituindo (4.28) em (4.27), obtém-se a expressão da corrente em cada um dos componentes:

a expressão da corrente em cada um dos componentes: que neste caso se designa por regra

que neste caso se designa por regra do divisor de corrente. No caso de duas resistências, a expressão do divisor de corrente toma a forma particular:

a expressão do divisor de corrente toma a forma particular: ou ainda: Objetivo  Aplicar técnicas

ou ainda:

do divisor de corrente toma a forma particular: ou ainda: Objetivo  Aplicar técnicas de resolução

Objetivo

Aplicar técnicas de resolução de circuitos resistivos e observar sua proximidade com valores reais;

Familiarizar-se com os elementos de bancada e suas conexões;

-Parte 1:

Resultados

O seguinte circuito foi proposto para montagem utilizando os seguintes valores para os resistores: R1=56Ω; R2=150Ω; R3=150Ω; R4=150Ω e R5= 56Ω.

R1=56 Ω; R2=1 50 Ω; R3=1 50 Ω; R4=1 50 Ω e R5= 5 6 Ω.

Figura2. Circuito 1.

Aplicando o divisor de tensão, obtém-se:

Circuito 1. Aplicando o divisor de tensão, obtém-se: Req1= 56 .150 5 6 + 1 5

Req1=

56

.150

56 +150 = 40,77Ω

V

A =

83 ,97

83

,97 .

150 .12= 7,19V

I

2 =

7

,19 0

150

= 0,047A

Req2= 40,77 + 150 = 190,77Ω

40

, 77

V B = 190 , 77 . 7,19= 1,54V

I 3 =

7

,19 1 ,54

150

= 0,037A

I

1 =

I 4 =

Req3=

190 ,77 .150

190 ,77 +150 = 85,97Ω

12

7 , 19

56

= 0,086A

1

,54

150

= 0,01A

I 5 = 0,0275A

-Parte 2:

O seguinte circuito foi proposto para montagem utilizando os seguintes valores para os resistores:

R1=56Ω; R2=150Ω; R3=150Ω; R4=150 Ω e R5= 56Ω.

R1=56Ω; R2=150Ω; R3=150Ω; R4=150 Ω e R5= 56Ω. Aplicando o divisor de tensão, obtém-se: Req1= ((R

Aplicando o divisor de tensão, obtém-se:

Ω e R5= 56Ω. Aplicando o divisor de tensão, obtém-se: Req1= ((R 3 + R 4

Req1= ((R 3 + R 4 ) // R 5 ) // R 2 = ((150 + 150) // 56) // 150 = 35,9 Ω

35

,9

V A = 35 ,9 +56 .12=

4,69V

150

V B = 150 +50 .12= 2,345V

I

I

1 =

5 =

12

4 ,69

56

= 0,13 A

4 ,69 0

56

= 0,084 A

I 2 =

4

,69 0

150

= 0,031 A

I 34 =

4

,69 0

150

+150 = 0,01564 A

Análise de Resultados

Os resultados encontrados para os resistores foram considerados satisfatórios considerando os erros encontrados, como principais causas para tais erros encontram-se os erros de instrumentação, e calibração, e os paralaxe decorrentes da leitura do voltímetro devido ao mal posicionamento do observador.

do voltímetro devido ao mal posicionamento do observador . Diagrama de Montagem Circuito 1. Tabela 1.

Diagrama de Montagem Circuito 1.

Tabela 1. Resultados Experimentais Circuito 1.

Tensões/ Correntes

Teórico

Experimental

Erro (%)

V

A

7,19 V

7 ± 0,5V

2,64

V

B

1,54 V

1,5 ± 0,5V

2,59

I

1

0,086 A

   

I

2

0,047 A

   

I

3

0,037 A

   

I

4

0,01 A

   

I

5

0,027 A

   
Digrama de Montagem Circuito 2. Tabela 2. Resultados Experimentais Circuito 2. Tensões/ Correntes Teórico

Digrama de Montagem Circuito 2.

Tabela 2. Resultados Experimentais Circuito 2.

Tensões/ Correntes

Teórico

Experimental

Erro (%)

V

A

4,69V

4,7 ± 0,5V

0,21

V

B

2,34 V

2,2± 0,5V

5,98

I

1

0,13 A

   

I

2

0,03 A

   

I

3

0,016 A

   

I

4

0,016 A

   

I

5

0,084 A

   

Conclusão

O experimento demonstrou as várias possibilidades existentes de resolução de um circuito simples, o método das malhas e métodos dos nós, e as várias possibilidades de resoluções analíticas dentro destes métodos após a obtenção das equações que definem as correntes ou tensões do circuito.