Você está na página 1de 36

Plano da aula

! Tema: Gravidez e Adolescência


! População alvo: Discentes do 4º CLE e Professora
Celeste Duque
! Objectivo geral: Adquirir conhecimentos que nos
permitam compreender a verdadeira essência da
gravidez na adolescência, sem nunca esquecer que é
um fenómeno multifactorial, com resultados bio-psico-
sociais diversificados.
! Objectivos específicos:

• Identificar os conceitos de gravidez, de adolescência


e de gravidez na adolescência.
• Identificar alguns dos factores que predispõem a
adolescente a engravidar: factores biológicos, sociais,
psicológicos e psicossociais.
• Perceber as diferentes fases pelas quais as
adolescentes passam, durante a gravidez.
• Demonstrar a importância do pai adolescente.
• Identificar quais as acções que poderão ser
desenvolvidas pelo enfermeiro perante esta situação.
Metodologia
Conteúdos Método Técnica M.A.E. Duração
Introdução Computado
Apresentação do grupo e do Afirmativo Exposição re 2’
trabalho Projector

Computado
Desenvolvimento Afirmativo Exposição re 25’
Projector

Computado
Conclusão Afirmativo Exposição re 3’
Projector
Computado
Bibliografia Afirmativo Exposição re 5’’
Projector
ABORDAGEM CONCEPTUAL

DA GRAVIDEZ

NA ADOLESCÊNCIA
ADOLESCÊNCIA

• Segundo a OMS, é considerado adolescente todo o


individuo que tiver idade compreendida entre os 10 e
os 19 anos.

• É com toda a certeza uma delimitação difícil de se


concretizar, se tivermos em conta todas as
diversidades de histórias de vida particulares de cada
jovem, da qual faz parte, o local onde cresceram, a
educação disponibilizada a nível familiar, escolar e
social.
GRAVIDEZ

• A gravidez é considerada como um desafio à


maturidade e à estrutura da personalidade da
mulher, visto que, esta está exposta a
diversos conflitos que requerem, de certa
forma, uma resolução, reestruturação e
reajustamento aos vários níveis fisiológicos,
sociais e psicológicos (Lourenço, 1998, pp.17-
18).
A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
• A gravidez durante a adolescência vai comprometer a
procura e a construção da identidade própria do
processo de adolescência (Correia, 2000, 13 e
Lourenço, 1998, 30).

• A gravidez na adolescência é sem dúvida um desafio


bastante exigente durante o desenvolvimento da
adolescente. Esta depara-se com uma dupla crise:
“crise da adolescência” e “crise da gravidez”.
(Canavarro baseado em Passino, et al,1993,360).
A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
(cont.)

• Segundo Correia & Alves (1990), a gravidez na


adolescência pode ser vivida com grande sofrimento,
surgindo sentimentos de culpa e pecado. Pode ser
entendido como um momento desorganizador, exigindo
ajustamentos individuais e familiares.
FACTORES PREDISPONENTES

DA GRAVIDEZ

NA ADOLESCÊNCIA
FACTORES PREDISPONENTES DA
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA

• Chipkevitch (1995, p.600) organiza os factores


predisponentes da gravidez na adolescência em três
grupos :
» Biológicos;

» Psicológicos;

» Sociais.
FACTORES PREDISPONENTES DA
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA (cont.)

• FACTORES BIOLÓGICOS
! Aparecimento da maturação sexual.

• FACTORES PSICOLÓGICOS
! Comportamentos de risco ligados à gravidez
(Lourenço, 1998, 57);
! Imaturidade do processo cognitivo dos
adolescentes.
FACTORES PREDISPONENTES DA
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA (cont.)

! Sentimentos de invulnerabilidade e invencibilidade;

! A auto-afirmação da sua sexualidade e identidade,


ainda em formação;

! Casamento, como forma de melhoramento da relação


com o parceiro;

! A independência em relação aos pais;

! A necessidade de afecto e de ter alguém a quem


amar.
FACTORES PREDISPONENTES DA
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA (cont.)

• FACTORES SOCIAIS
! Atitudes de rejeição relativamente aos métodos
anticoncepcionais;
! Falta de informação;
! O facto da sexualidade ainda ser um tabu para a
sociedade, havendo a construção de vários mitos à
volta do assunto;
! A forma como os pais abordam o tema da educação
sexual com os adolescentes
FACTORES PREDISPONENTES DA
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA (cont.)

! Dificuldades de relacionamento, os conflitos


familiares, a negligência, a violência física e
psicológica, o abuso sexual e o fraco suporte
familiar
! Opiniões do grupo de pares
! A grávida adolescente insere-se num contexto
sócio-económico e cultural desfavorecido, onde a
taxa de abandono escolar é muito elevada
! A maioria destes adolescentes apresentam
expectativas muito baixas em relação ao seu futuro
(Canavarro, 2001, 328)
FACTORES PREDISPONENTES DA
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA (cont.)

! o abuso de substâncias, perturbações do foro


psiquiátrico e comportamentos delinquentes por
parte dos adolescentes (Aretaris, 1999, p.732).

• FACTORES PSICOSSOCIAIS
! necessidade de saltar estádios e tarefas
desenvolvimentistas, porque terá de lidar com
tarefas adultas para as quais ainda não se sente
psicologicamente e socialmente preparadas;
FACTORES PREDISPONENTES DA
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA (cont.)

! Apresentam aptidões de resolução de problemas e


aptidões sociais mais pobres;

! Maior frequência de comportamentos delinquentes;

! A maioria das adolescentes que engravidam já não


frequentam a escola.
A GRAVIDEZ COMO UMA
CADEIA DE
ACONTECIMENTOS E
DECISÕES
A GRAVIDEZ COMO UMA CADEIA DE
ACONTECIMENTOS E DECISÕES

Quando confrontada com a gravidez, a


adolescente tem de tomar opções
relativamente ao futuro, sendo estas a
aceitação da gravidez, o aborto e a adopção.
A GRAVIDEZ COMO UMA CADEIA DE
ACONTECIMENTOS E DECISÕES (cont.)

Se a opção for aceitar a gravidez, embora continue


com necessidades relacionadas com a própria
adolescência, terá que:

! Aceitar o bebé;
! Construir uma identidade materna;
! Ter capacidade para resolver problemas de
planeamento a longo prazo.
A GRAVIDEZ COMO UMA CADEIA DE
ACONTECIMENTOS E DECISÕES (cont.)

! Se por outro, a decisão for interromper


voluntariamente a gravidez, os conflitos psicológicos
serão mais complexos.

! Experimentam sensações de tristeza, culpabilidade e


castigo.

! Têm crises de choro quando falam no feto e recusam-


se a falar sobre o assunto (Almeida, 1987 cit. por
Lourenço, 1998, 96).
A GRAVIDEZ COMO UMA CADEIA DE
ACONTECIMENTOS E DECISÕES (cont.)

! Por último, se a opção for entregar o filho para a


adopção:

A adolescente passará por um período de reflexão,


que pode ser bastante traumático e doloroso devido a
sentimentos de culpa e vergonha, resultado da
pressão da sociedade e da necessidade de fazer o luto
(Xarepe, 2001, 35).
A GRAVIDEZ COMO UMA CADEIA DE
ACONTECIMENTOS E DECISÕES (cont.)

PERFIL DE UMA MÃE ADOLESCENTE TIPO

! Filha de pais que a tiveram na idade adolescente;


! Começou a praticar o acto sexual quando bastante jovem;
! A relação com os seus pais é distante;
! A comunicação com o seu companheiro é quase nula ou muito
limitada;
! Personalidade inclinada ao risco;
! A sua auto-estima é bastante escassa ou fraca;
! Atribui os seus sucessos à sorte ou ao acaso;
! E, em contrapartida, atribui os seus fracassos às suas
próprias limitações;
! Tem conhecimentos muito incompletos sobre a sexualidade e a
fertilidade humanas.(Mélgosa,J.,1999)
O PAI ADOLESCENTE
O PAI ADOLESCENTE
! Quando se fala em gravidez na adolescência, só se fala na
adolescente e trata-se do assunto como algo, único e
exclusivo do feminino.

! Para além de uma mãe adolescente também existe um pai


que, na maioria das vezes, tal como a mãe, também é jovem.

Tanto o pai como a mãe adolescente enfrentam uma crise


de desenvolvimento que inclui:

• Completar as tarefas de desenvolvimento da


adolescência;
• Realizar a transição para a paternidade;
• Algumas vezes adaptar-se ao casamento.
O PAI ADOLESCENTE

Como é que os pais reagem à noticia da gravidez?

! Uns tendem a fugir da responsabilidade, pois não se


sentem preparados para encarar o papel paternal e de
adolescente ao mesmo tempo;
! Outros aceitam a paternidade, e querem estar em
contacto com o filho, independentemente da relação
que mantêm posteriormente com a grávida/mãe
adolescente.

O que pode prejudicar a motivação do pai adolescente


para o estabelecimento de uma futura relação com a
adolescente e o seu filho é o facto da família
frequentemente o excluir ou rejeitar.
INTERVENÇÕES
DE
ENFERMAGEM
INTERVENÇÃO DE ENFERMAGEM

O adolescente é:

! um ser individual;
! com experiências de vida individuais; famílias
diferentes;
! locais de residência diferentes;
! projectos de vida muito distintos.

Eles necessitam de apoio:


! para enfrentar os seus conflitos interiores;
! eventuais problemas ao longo do percurso.
INTERVENÇÃO DE ENFERMAGEM

! A equipa multidisciplinar, deve desenvolver condições


para a adolescente poder expressar todos os
sentimentos em relação a si e à gravidez

! A intervenção do enfermeiro a nível familiar pode sem


duvida conduzir a que a situação de crise seja
ultrapassada e aceite por esta
INTERVENÇÃO DE ENFERMAGEM

Faz parte da conduta dos enfermeiros:

! Não atribuir “rótulos”;


! Nunca deve abandonar a adolescente com esta
situação;
! Procurar compreender a situação que a
adolescente vive e os sentimentos;
! Deve-se incitá-la a encontrar possíveis
caminhos para solucionar o problema;
INTERVENÇÃO DE ENFERMAGEM

! Informá-la de forma adequada;


! Deve dispor de uma comunicação aberta e
acessível aos pais adolescentes;
! Implicar o pai adolescente no processo de
acompanhamento da sua companheira;
! Incentivar o pai adolescente a participar no
futuro de contracepção do casal.
INTERVENÇÃO DE ENFERMAGEM

“(…) os profissionais que trabalham com adolescentes


grávidas devem incentivar a relação precoce
mãe/filho, fomentando as atitudes saudáveis, o gostar
de si, o aceitar as alterações do corpo como uma
necessidade para o bom desenvolvimento do filho (…)”.
(Miranda, 1999, p.39)

• Os pais adolescentes devem aceitar a existência de


suporte social e a forma como o utilizam para seu
bem-estar e de seu filho
Depois da notícia de gravidez

Amigos Pais

Antes da notícia de gravidez


Adolescente

Adolescente

Adolescente
Amigos Pais

Amigos Pais
CONCLUSÕES
Bibliografia
• Almeida, J. Adolescência e Maternidade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
• Aretaris, D. (1999). Gravidez na Adolescência. Enfermagem Comunitária. Lisboa: Editora
Lusociência.
• Canavarro, M. (2001). Psicologia da Gravidez e da Maternidade. Coimbra: Editora Quarteto.
• Chipkevitch, E. (1994). Puberdade e Adolescência. Aspectos Biológicos, Clínicos e
Psicossociais. São Paulo: Editora Roca.
• Correia, M. J. (2000). No Mar de Emoções: Ser Mãe Adolescente. Sexualidade e Planeamento
Familiar, nº 27/28.
• Correia, M., Alves, M. (1990). Gravidez na Adolescência: o Nascimento de uma Consulta e de
um Programa de Intervenção. Análise Psicológica, Volume VIII, nº 4.
• Gonçalo, M. I. (2002). A mãe-menina. Nursing, Volume 14, nº 172.
• Leal, I. (2000). Gravidez e Maternidade na Adolescência. Sexualidade e Planeamento
Familiar, nº 27/28.
• Lourenço, M. (1999). Estou grávida!: não sei se choro, não sei se me rio... – Resultados de um
Estudo de Campo. Sexualidade e Planeamento Familiar, nº 21/22.
• Lourenço, M. (1998). Textos e Contextos da Gravidez na Adolescência: A Adolescente, a
Família e a Escola. Lisboa: Editora Fim de Século.
• Melgosa, J.(1999). Para Adolescentes e Pais: Colecção. Novo Estilo de vida, Publicadora
Atlântico.
• Miranda, M. P. B. V. B. (1999). Ser adolescente e…mãe. Que liberdade? Revista de Formação
em Enfermagem, volume 5, nº 19 Lisboa: Informat.
• Soares, I.; Jongenelen, I. (1998). Maternidade na Adolescência: Contributos para um
abordagem desenvolvimental. Análise Psicológica. Lisboa.
• Xarepe, F. (1990). A Gravidez na Adolescência: Aspectos Sociais, Análise Psicológica, Volume
VIII, nº 4.
• Xarepe, F. (2001). Gravidez Adolescente: Adopção em que Contexto, Sexualidade e
Planeamento Familiar, nº29/30.
Trabalho realizado por:
Alexandra Neves nº 590
Ana Pinheiro nº 591
Daniela Silva nº 599
Sara Tomé nº 613