Você está na página 1de 6

C6pia impressa

Cópia não pelo Sistema CENWIN


autorizada

S<MBOLOS GRAFICOS DE ELETRICIDADE - PRlNCiPlOS GERAIS 03.004


PARA DESENHO DE SlaMBOLOS GRAFICOS
NBR 6261
I
Simbologia
I MAR/1881

1 OEJETIVO

1.1 Esta Norm estabelece os padroes de proporcionalidade para desenho dos sim-
bolos grificos a serem usados para representar componentes, equipamentos, rela _
q6es entre estds, ou efeitos fisicos que integram 0 funcionamento partial ou corn
pleto dos mesmos.

1.2 Aplica-se a desenhos ticnicos ou diagramas de circuitos e outros onde fa


tos de natureza eletrica precise” ser esquematizados graflcamente.

2 GENERALIDADES

Em urn mesmo desenho ticnico ou diagrama de circuit0 deve ser mantida a uniformi-
dade quanta a w&es de simbolos, legendas e dimensoes.

3 SiMBOLOS

3.1 ModeLa par-a desenho de simbokw

3.1.1 A forma de urn simbolo i a caracteristica essential que permite a todos


receber informa@es corretas sem o use da escrita.

3.1.2 A forma e o tamanho de urn simbolo pode afetar a aparencia de uma parte de
urn equipamen~to. especialmente quando urn grande niimero deles sao grupados.

3.1.3 0 modelo mostrado na Figura 1 destina-se a fornecer dimens&s uniforme e


dime&es relativas entre simbolos de diferentes formas. 0s exemolos 1 a 8 mos

tram grupos tipicos de simbolos.

/Fiqura

Griwm: ABNT SE13/7B


C&3 - Cornit Bnsilairo de Elnricidade
CE-23.1 - Combdo de Estudo de Simbolor Grllficor de Arwntor Genit de Eletr&nia
Enr Norma wbstitui a NBR 5261/17
1
SISTEMA NACIONAL DE ABNT - ASBOCIACAO BRASILEIRA
METROLOGIA, NORMALIZAFAO
DE NORMAS TECNICAS
E OUALIDADE INDUSTRIAL
@

pIb~~~hchrva: rimbola g&fico NBR 3 NORMA BRASILEIRA REGISTRADA

clxl: 521.3:003.62l084.11l Todor 08 dimitoa rrrvdol 6 P&ginar


Cópia não autorizada
C6pia impressa pelo Sistema CENWIN

2 NBR 6261/1S61

I
Exemplos:

1 2

FIGURA 1
Cópia não autorizada
C6pia impressa pelo Sistema CENWIN
NER 526111991 3

3 .2 Kquisitos r~f?'ar:ir~mzdos a‘ .forma


~eco,,,~“d~-s~ que os requisites a seguir estabelecidos sejam considerados nos vi-
lmriros estigios de forma@ dos simbolos:
a) simplicidade e clareza graficas;
b) f$cil reconhecimento;
c) que a similaridade na forma 60 cause confusao;
d) ficil desenho por processes eCOn&iCOS;

e) espessuca uniforme das linhas, de pelo menos 2 mm sendo que, outras espes-
suras’ devem ser usadas se requeridas para dar mais claridade e distingao;
f) espa$o entre duas linhas deve ser 2 I,5 vezes a espessura da linha (neste
case, pelo menos 3 mn’ );
g) a^ngulos menores que 30’ deiem ser evitados;
h) as superficies das linhas devem ser cheias (preto ou outra COT) a fim de
nio causar confusao.
i) areas sombreadas devem ser usadas somente se for realmente essential para
a claridade do simbolo ou desenho.

3.3 use do modek

3.3.1 Simbolos de forma semelhante a alguma do modelo e nso apresentando qual-


quer parte que deve sobressair, deve coincidir completamente corn uma das figuras
geom6tricas da Figura 1. Ver OS exemplos 1 a 3.

3.3.2 Se existir qualquer parte que deve sobressair, estas tambern devem ser ajus
tadas o quanta possivel as figuras geometricas da Figura 1. Ver OS exemplos 4 a 8.

3.3.3 Em qualquer case, as dime&es devem ser escolhidas de tal mode que os sim-
bolos sejam vistas em qualquer grupo coma tendo aproximadamente o mesw tamanho-
e, conseqzentemente deve ser escolhida sempre que possivel para tais simbolos a
mesma razao de reprodaG:o. Uma s6 parte de urn equipamento pode, entretanto, reque
-
rer varias razoes de reprodug& para difererites grupos de slmbolos.

3.3.4 0 quadrado desenhado no modelo (Figura 1) tern lado de 50 mm. Tal dimensao-
6 denominada “dime&o nominal h”.

3.3.5 A linha interrompida externa indica as dimensoes miximas de qualquer parte


de qualquer simbolo.

3.3.6 0 modo de construc$o de nddulo bssico para simbolos 6 explicado “a Figura


2.

’ A espessura de 2 mm 6 relativa ao parsmetro h = 50 m.


Cópia não autorizada
C6pia impressa pelo Sistema CENWIN

4 NBR 5261/1961

-
\
\\ -
-7
-

7 --A
PE
/

\
\
1\
\
\
'P; \
\
-
Q
7- -1
\
\ I
‘r) /
I
/c --. \

Escala 2:l

FIGURA 2

1. Construa urn c~rculo corn d = 50 mm e centro 0.

2. Construa o quadrado ABCD corn OS lados tangente ao circulo.

3. lrace urn segundo circulo corn d - 56,5 mm e corn centro em 0.

4. 0 ponto onde o cfrculo


0
3 intercepta o quadrado 2 sao P,, P2 . . . . P8,

5. Construa o quadrado EFGH de tal modo que seus lados passem par P8 e P,, ~2 e
P4 e P5 e P6 e P7.
p3’
6. Trace as diagonals AC e BD e extenda-as em ambas as dlre$es.
Cópia não autorizada

7, partinda de E trace duas linhas (para a esquerda e para a dlrelta) que formem
urn a^ngulo de 15’ corn AB. Faga o mesmo partlndo de G formando urn ingulo de,15O
CM CD.

8. 0s pontos E, F, G a H e OS quatro pontos que as llnhas menclonadas


07 Inter
cepta OS prolongamentos das diagonals AC a BD formam OS vdrtices de urn oct$-
gono.

5. Atravis dos.pontos am que as diagonals do quadrado


02 intercepta o clrculo-

‘03
10.
aos

Essas
trace
lados
as linhas
do quadrado

linhas
05
0 5

formam
2
corn comprlmento
.

corn as linhas
de 62.5

0IO
M,

OS v&tices
as quals

de dols
sa’o paralelas

ietSngulos
corn dimens& de (40 x 62,51rrm.

3.3.7 Urn grupo de examples 5 dado na Figura 3.

/Flgura
Cópia não
C6pia autorizada
impressa pelo Sistema CENWIN

0 NER 6261/1981

P 0 00
\ /
.
0-
’ I’ -
FIGURA 3