Você está na página 1de 19

Vírus de Interesse Científico Parte 2

Hepatite Viral Bases Moleculares e Aplicações Biotecnológicas

Prof a . Andréa Mendonça Gusmão Cunha Disciplina: Virologia Molecular Biotecnologia ICS - UFBA

Hepatite Viral

Definição

Classificação pela OMS

Vírus da hepatite A (HAV)

Vírus da hepatite B (HBV)

Vírus da hepatite C (HCV)

Vírus da hepatite D (HDV)

Vírus da hepatite E (HEV)

Em estudo (F, G, TT e SEN) Hepatite não A-E

Distribuição universal

Hepatite

Definição:

Causas:

Ingestão abusiva de álcool

Infecções (bactérias, fungos e vírus)

Infestação por protozoários

Medicamentos e agentes químicos tóxicos

Auto-imune

Sintomatologia • Icterícia • Febre • Mal -estar geral • Fadiga • Artralgia e mialgia
Sintomatologia • Icterícia • Febre • Mal -estar geral • Fadiga • Artralgia e mialgia

Sintomatologia

Icterícia

Febre

Mal-estar geral

Fadiga

Artralgia e mialgia

Desconforto gastrointestinal

Hepatomegalia

Dor abdominal ao toque

Colúria

Acolia fecal

HCV • Descoberta: 1989 - Análise molecular de macacos infectados experimentalmente. • Cultivo em laboratório
HCV • Descoberta: 1989 - Análise molecular de macacos infectados experimentalmente. • Cultivo em laboratório

HCV

Descoberta: 1989 - Análise molecular de macacos infectados experimentalmente.

Cultivo em laboratório

Testes sorológicos (1990)

Controle em Bancos de Sangue (1991)

No Brasil (1993)

Vacina

Vírus da Hepatite C (HCV)

Vírus da Hepatite C (HCV) Profa. Andréa Mendonça Gusmão Cunha

Profa. Andréa Mendonça Gusmão Cunha

HCV • Taxonomia: – Família Flaviviridae – Gênero Hepacivírus • Genoma: RNA fs + •
HCV
• Taxonomia:
– Família Flaviviridae
– Gênero Hepacivírus
• Genoma: RNA fs +
• Envelopado
• Tamanho: 30-60 nm
• 6 Genótipos:
 Genótipos mais comuns 1, 2 e 3
 Genótipos raros 4, 5 e 6
 Brasil (75% são genótipos tipo-1)
• > 100 subtipos (1a, 1b, 1c
,
2a, 2b
,
3c, 3d
)
• Vários subtipos e variantes virais
Estrutura – HCV gP-31 gP-70 P-19 ÁRVORE FILOGENÉTICA – DIVERSIDADE DO HCV Hepatology, vol 42

Estrutura HCV

gP-31 gP-70 P-19
gP-31
gP-70
P-19

ÁRVORE FILOGENÉTICA DIVERSIDADE DO HCV

Hepatology, vol 42 Nro 4 Oct 2005 Simmonds et al
Hepatology, vol 42 Nro 4
Oct 2005 Simmonds et al
DO HCV Hepatology, vol 42 Nro 4 Oct 2005 Simmonds et al Variantes Virais X Evolução

Variantes Virais X Evolução Clínica X Resposta Terapêutica

Genótipos 1b X Virulência X Evolução Clínica X Resposta Terapêutica.

HCV – Genoma – RNA fs + P19 gP31 gP70 P7 !! 5’ UTR C
HCV – Genoma – RNA fs +
P19
gP31
gP70
P7
!!
5’ UTR
C
E1
E2
NS2 NS3 NS4ANS4B NS5A NS5B 3’ UTR
9.600 nt

UTR= Untranslated Region ou NCR = Non-coding Region (regiões conservadas).

-5’UTR X Sítio Interno Ribossomo X Replicação independente de CAP’5 (CONTROLE DA TRADUÇÃO)

- P19 X Apoptose X Cronicidade X Esteatose

- E2: Domínios Hipervaríáveis 1 e 2 (HVR1 e HVR2) X Neutralização

Proteínas Não Estruturais

NS-2 = Proteína transmembrana

NS-3: Complexo com NS-4, RNA-helicase.

NS-4A: !!!

NS-4BB: Co-fator da proteinase

NS-5A X Resistência ao IF

NS-5B = RNA pol RNA dep.

Alta tx de erro, sem correção

5X10 3 sítio por ano

Quaisispecies

• 5X10 3 sítio por ano • Quaisispecies Ciclo de Replicação Vias de Transmissão • Parenteral
Ciclo de Replicação

Ciclo de Replicação

Ciclo de Replicação
Ciclo de Replicação

Vias de Transmissão

Vias de Transmissão • Parenteral (Principal) • sexual (Baixo risco) • Vertical (?) • Outras vias

Parenteral (Principal)

sexual (Baixo risco)

Vertical (?)

Outras vias

Grupos de risco

Transmissão • Parenteral (Principal) • sexual (Baixo risco) • Vertical (?) • Outras vias • Grupos
Vias de Transmissão do HCV UDI 60% Sexual 15% Transfusão 10% (antes da triagem) Outros*
Vias de Transmissão do HCV UDI 60% Sexual 15% Transfusão 10% (antes da triagem) Outros*

Vias de Transmissão do HCV

UDI 60%

Sexual 15% Transfusão 10% (antes da triagem) Outros* 5%
Sexual 15%
Transfusão 10%
(antes da triagem)
Outros* 5%

Indeterminado 10%

*Profissionais da saúde; Nosocomial; Perinatal

15% Transfusão 10% (antes da triagem) Outros* 5% Indeterminado 10% * Profissionais da saúde; Nosocomial; Perinatal
História Natural de Hepatite C
História Natural de Hepatite C
Recuperação e eliminação do HCV RNA =15%
Recuperação e
eliminação do HCV RNA
=15%

=85%

Infecção Persistente
Infecção Persistente
Hepatite Crônica ( 10 a 20 anos ou +)
Hepatite Crônica
( 10 a
20 anos ou +)

60%

Hepatite Aguda
Hepatite Aguda

NIH Consensus Statement, 2004

Evolução Clínica

55% Portadores Crônicos
55%
Portadores
Crônicos

HCV Fase Crônica

HCV – Fase Crônica 1 de 100 mil transfusões pode resultar em transmissão do HCV.

1 de 100 mil transfusões pode resultar em transmissão do HCV.

HCV Fase Aguda

HCV – Fase Aguda Qual o período de janela imunológica? Existe período de janela para detecção

Qual o período de janela imunológica?

Existe período de janela para detecção do genoma?

Diagnóstico - HCV

Clínico:

Similar a infecção aguda por HAV e HBV

Sintomatologia inespecífica

Laboratorial:

Sorológico anticorpos anti-HCV

Molecular- RT-PCR

Transaminases elevadas (TGO e TGP)

Tempo de coagulação

Albumina sérica

Anatomia patológica

Hepatite Crônica - HCV anti-HCV HCV-RNA Genotipagem Positivo Negativo cicatriz viremia sorológica? Biópsia
Hepatite Crônica - HCV
anti-HCV
HCV-RNA
Genotipagem
Positivo
Negativo
cicatriz
viremia
sorológica?
Biópsia
hepática
Indicações: HCV RNA • Determinar viremia • Diagnóstico precoce • Transmissão materno-fetal (Raro) •

Indicações: HCV RNA

Determinar viremia

Diagnóstico precoce

Transmissão materno-fetal (Raro)

Diagnóstico de infecção em imunossuprimidos

Avaliar resposta terapêutica

Indicações: Anti-HCV

Antecedente de drogas EV

Transfusão antes de 1993 (Brasil) Hemodiálise

Elevação persistente da ALT

Acidente com perfurocortante

Crianças nascidas de mães HCV + (Raro)

Tratamento, Prevenção e Controle

Tratamento ( Portaria 639 do MS):

e Controle • Tratamento ( Portaria 639 do MS): – Interferon-alfa ou Interferon Peguilado –

Interferon-alfa ou Interferon Peguilado

Ribavirina (análogo da Guanosina)

Inibidor de Protease (Boceprevir e Telaprevir)

Tratamento precoce X Tratamento tardio

Resposta Terapêutica X Genótipo viral

Prevenção e controle:

Evitar comportamento de alto risco.

Não compartilhar seringas, agulhas, lâminas, alicates e tesouras.

Normas de Biossegurança

Não existe vacina Cura???

Revista Época, abril de 2006

Revista Época, abril de 2006

HBV • Família: Hepadnaviridae • Gênero: Hepadnavirus • Material Genético: DNA fita dupla circular incompleto.

HBV

Família: Hepadnaviridae

Gênero:Hepadnavirus

Material Genético: DNA fita dupla circular incompleto.

Tamanho:42 nm

Ag do Envelope: HBsAg

Ag do Core: HBcAg, HBeAg

Polimerase Viral

Evolução para fase crônica

Resistente a processos para inativação

Core: HBcAg, HBeAg • Polimerase Viral • Evolução para fase crônica • Resistente a processos para

Vírus da Hepatite B (HBV)

VíRUS DA HEPATITE B Antígeno de superfície HBsAg DNA DNA Polimerase viral Nucleocapsídeo HBcAg
VíRUS DA HEPATITE B
Antígeno de superfície
HBsAg
DNA
DNA Polimerase
viral
Nucleocapsídeo
HBcAg

Genoma do HBV

Genoma do HBV AgHBs: Proteínas S + M + L DR1 e DR2 X integração e

AgHBs: Proteínas S + M + L

DR1 e DR2 X integração e oncogênese

“ENHANCER-I” X ativação viral X Oncogenese

Genótipos / Subtipos

Elevada Diversidade Genética

8 Genótipos: (A, B, C, D, E, F, G, H )

Subtipos: (ayw1, ayw2, ayw3, ayw4, adw2 , adw4, adr…)

Epidemiologia molecular

Associação com evolução clínica

Partículas Virais - HBV

Partícula de Dane

Partículas Circulares

Partículas Tubulares

Partículas Virais - HBV • Partícula de Dane • Partículas Circulares • Partículas Tubulares
Partículas Virais - HBV • Partícula de Dane • Partículas Circulares • Partículas Tubulares
Partículas Virais - HBV • Partícula de Dane • Partículas Circulares • Partículas Tubulares
Genótipos do HBV F A, G D A, B A vs. D C, D, G
Genótipos do HBV
F
A, G
D
A, B
A vs. D
C, D, G
D C
C
B
D D
D
B vs. C
B
E
F
F
A A
H
A, B, C, D
F
• 8 genótipos do HBV (baseado no genoma completo do HBV)
DNA pol RNA dependente Retrotranscrição reversa
DNA pol RNA
dependente
Retrotranscrição
reversa
Concentration of Hepatitis B Virus in Various Body Fluids
Concentration of Hepatitis B Virus
in Various Body Fluids

High

Moderate

Low/Not

Detectable

in Various Body Fluids High Moderate Low/Not Detectable blood semen urine serum vaginal fluid feces

blood

semen

urine

serum

vaginal fluid

feces

wound exudates

saliva

sweat

 

tears

breastmilk

semen urine serum vaginal fluid feces wound exudates saliva sweat   tears breastmilk

Hepatite B

Vias de transmissão:

Sexual

Parenteral

Vertical/ perinatal

Grupos de Risco:

Prostitutas, Indivíduos promíscuos/ DST, presidiários, UDI

Hemofílicos

Profissionais da área de saúde

Geographic Distribution of Chronic HBV Infection HBsAg Prevalence 8% - High 2-7% - Intermediate <2%
Geographic Distribution of Chronic HBV
Infection
HBsAg Prevalence
8% - High
2-7% - Intermediate
<2% - Low
Evolução da Infecção pelo HBV X Idade 100 100 80 80 60 60 Chronic Infection
Evolução da Infecção pelo HBV X Idade
100
100
80
80
60
60
Chronic Infection
40
40
20
20
Symptomatic Infection
0
0
Birth
1-6 months
7-12 months
1-4 years
Older Children
and Adults
Age at Infection
Chronic Infection (%)
Symptomatic Infection (%)

Diagnóstico

Diagnóstico clínico: pouca relevância.

Diagnóstico Laboratorial:

Sorológico:

Detecção de Ags e Acs específicos

Utilidade clínica

Bioquímico:

Enzimas hepáticas (AST e ALT)

Atividade de Protrombina

Albumina sérica

Bilirrubina

Molecular: PCR Detecção e genotipagem.

Evolução Clínica - HBV

RN- 90%
RN- 90%

Marcadores Virais

Marcador

Detecção

Significado

HBsAg

Soro

Presença de vírus

Anti-HBs

Soro

Imunidade

Anti-HBc

IgM

Soro

Infecção recente

Anti-HBc

IgG

Soro

Infecção passada/crônica

HBcAg

Hepatócito

Presença de vírus

HBeAg

Soro

Replicação viral

Anti-HBe

Soro

Ausência de replicação

Detecção molecular

   

HBV-DNA

Soro

Replicação viral

Hepatite B aguda - cura
Hepatite B aguda - cura
Titer
Titer
Symptoms HBeAg anti-HBe Total anti-HBc anti-HBs HBsAg IgM anti-HBc 0 4 8 12 16 20
Symptoms
HBeAg
anti-HBe
Total anti-HBc
anti-HBs
HBsAg
IgM anti-HBc
0
4
8
12
16
20
24
28
32
36
52
100
Weeks after Exposure

Tratamento e Controle

Interferon-alfa

Ação antiviral e imunomoduladora.

Lamivudina, Adefovir, Entecavir, Tenofovir

Análogos de nucleosídeos

Ig anti-HBV pode ser administrada:

Viagens para zonas endêmicas

Acidente: uma semana após exposição + Vacinação

RN de mãe AgHBs+

Hepatite B Crônica
Hepatite B Crônica
Titer
Titer

Acute

Chronic

(6 months)

(Years)

HBeAg

anti-HBe

HBsAg

Total anti-HBc

(6 months) (Years) HBeAg anti-HBe HBsAg Total anti-HBc IgM anti-HBc 0 4 8 12 16 20
(6 months) (Years) HBeAg anti-HBe HBsAg Total anti-HBc IgM anti-HBc 0 4 8 12 16 20

IgM anti-HBc

0 4 8 12 16 20 24 28 32 36 52 Weeks after Exposure
0 4
8
12 16 20 24 28 32 36
52
Weeks after Exposure

Years

(Years) HBeAg anti-HBe HBsAg Total anti-HBc IgM anti-HBc 0 4 8 12 16 20 24 28
anti-HBe HBsAg Total anti-HBc IgM anti-HBc 0 4 8 12 16 20 24 28 32 36

Prevenção e Controle - HBV

Vacinação dos recém-nascidos

Vacinação de crianças e adolescentes

Vacinação dos adultos em grupos de risco

Usar preservativo

Evitar uso de drogas injetáveis

Normas de Biossegurança

Testar as bolsas de sangue

Vírus da Hepatite D (HDV)

Vacinação - HBV

Vacina DNA recombinante (leveduras)

Esquema terapêutico:

3 doses:

(leveduras) • Esquema terapêutico: – 3 doses: • Recém-nascidos (0, 1 mês, 6-12 meses) – Brasil

Recém-nascidos (0, 1 mês, 6-12 meses) Brasil (2001)

Crianças (inicial, 1 mês, 6-12 meses)

Adolescentes (inicial, 1 mês, 4-6 meses) Brasil (2002)

Adultos (inicial, 1 mês, 4-6 meses)

É importante que todos os alunos e profissionais da área de saúde sejam vacinados conta o Vírus da Hepatite B

HDV (Deltavírus)

Descoberta: Rizzeto, 1997

Descoberta do Ag Delta X HBV

Novo Vírus (Experimentos em primatas)

Deltavirus

Genoma RNA fs -, circular

em primatas) • Deltavirus • Genoma RNA fs -, circular – Único vírus animal com esse

Único vírus animal com esse tipo de genoma

RNA dobrado com 70% de bases pareadas (BASTÃO)

RNA viral: não codificante

RNA intracelular: codifica Ag Delta

Ag Delta: Proteína S (Replicação) + Proteína L (Montagem)

Não codifica RNA pol RNA dep X Não existe em Cel. Animal X Qual o mecanismo!!!!

HDV (Deltavírus)

Agente Subviral Virusóide

Vírus Satélite - HBV (vírus Helper)

Apenas um Sorotipo

3 Genótipos: I, II, III

I e III X Virulência

Quaisispecies.

Diagnóstico:

Ac, Ag, Genoma

Vacinas!!!!

I , II, III – I e III X Virulência • Quaisispecies . • Diagnóstico: –

Vírus da Hepatite A (HAV)

Família: Picornaviridae

Gênero:Hepatovirus

Material Genético:

RNA linear fs +

Hepatovirus • Material Genético: – RNA linear fs + • Capsídeo icosaédrico, Não envelopado • Tamanho:

Capsídeo icosaédrico, Não envelopado

Tamanho: 27-28 nm

Sorotipo único

7 Genótipos

Cultivado em laboratório

Período de incubação: 15-45 dias (curto)

Vírus da Hepatite A (HAV)

RESISTÊNCIA DO HAV A CONDIÇÕES AMBIENTAIS
RESISTÊNCIA DO HAV A CONDIÇÕES
AMBIENTAIS

Resistente

Acidez estomacal Detergentes, solventes Baixas temperaturas (freezer) Altas Temperaturas (60°/1h)
Acidez estomacal
Detergentes, solventes
Baixas temperaturas
(freezer)
Altas Temperaturas (60°/1h)

Inativado

Cloro: (1 mg/L - 30 min)

Formaldeído

Ebulição, autoclavação, radiação ultravioleta, microondas

Estrutura do HAV

Estrutura do HAV Genoma dividido em 3 regiões: 2 não codificantes e 1 codificante (região central

Genoma dividido em 3 regiões: 2 não codificantes e 1 codificante (região central do genoma) - Região Codificante: P1, P2 e P3. P1: clivagem gera prot. Estruturais (VP1, VP2 e VP3 e VP4. P2:clivagem gera prot. Não-estruturais (2A, 2B e 2C):.

P3:clivagem geral prot. Não-estruturais (3A, 3B e 3C), além da 3D (Vpg)

GEOGRAPHIC DISTRIBUTION OF HEPATITIS A VIRUS INFECTION

GEOGRAPHIC DISTRIBUTION OF HEPATITIS A VIRUS INFECTION

Ciclo de Replicação

Ciclo de Replicação

Vias de transmissão

Oral-fecal:

Ingestão de água e alimentos contaminados;

Contato inter-pessoal (área endêmica- viajantes);

Higiene pessoal;

Ingestão de frutos do mar contaminados;

Sexo oral-anal

Acidente com perfurocortante e transfusão (?)

Período de incubação: 15- 45 dias

Concentração do HAV em fluidos biológicos
Concentração do HAV em fluidos biológicos
urina Urina Saliva Soro Fezes Saliva Soro Fezes 10 0 10 2 10 4 10
urina
Urina
Saliva
Soro
Fezes
Saliva
Soro
Fezes
10 0
10 2
10 4
10 6
10 8
10 10
5
(Cópias virais/mL)

Evolução Clínica HAV

Evolução Clínica HAV

Patogênese do HAV

Patogênese do HAV

Diagnóstico Clínico Laboratorial

Sintomatologia:

– Icterícia, febre, mialgia, cefaléia, …

História Clínica:

Exames Laboratoriais:

Pesquisa de anticorpos (Elisa):

Anti-HAV IgM

Anti-HAV IgG

Dosagem das transaminases:

TGO (AST)

TGP (AAT)

Dosagem de Albumina sérica

Teste de sangramento

PCR (fezes)

Tratamento

Paliativo

Acompanhamento ambulatorial

Recomendações:

Repouso até a melhora da icterícia

Ingestão de líquidos, interromper uso de medicamentos

hepatotóxicos e álcool

Dieta hipocalórica

Controle de cura:

Normalização das aminotransferases

RT-PCR nas fezes

Presença de anti-HVA IgG.

Prevenção e Controle

Vacina/ imunização ativa :

- Indicação:

- Crianças a partir de 1 ano

- Hepatopatas crônicos suscetíveis, transplantados.

- Pacientes portadores do HCV e HBV.

- Composição e administração:

- Vírus inativado c/ formaldeído (estirpe RG-SB)

- 2 doses (6 meses-crianças/ 1 mês- adolescentes e adultos)

Ig humana anti-HAV:

- Situações especiais

Prevenção e Controle

Medidas de higiene

Lavar as mãos, lavar os alimentos

Água potável

Fervura da água e de alimentos

Saneamento Básico:

Esgoto tratado

Fossas sanitárias

Educação sanitária junto a comunidade

Vírus da Hepatite E (HEV)

Vírus da Hepatite E (HEV)

Família: Caliciviridae

Genoma: RNA fs +

Não-envelopado

Capsídeo icosaédrico

Diâmetro: 27 a 32 nm

Apenas um sorotipo

Período de incubação: 28-48 dias

Transmissão: Fecal-oral

• Diâmetro: 27 a 32 nm • Apenas um sorotipo • Período de incubação: 28-48 dias
• Diâmetro: 27 a 32 nm • Apenas um sorotipo • Período de incubação: 28-48 dias

Aspectos clínicos - HEV

Período de incubação: 15-60 dias

Formas agudas graves:

Gestantes (taxa de mort. 20-25 %)

Hepatite fulminante (1%)

Não evolui para fase crônica.

Semelhante à hepatite A.

Distribuição Geográfica do HEV

Distribuição Geográfica do HEV Elevada prevalência em vermelho

Elevada prevalência em vermelho

Diagnóstico - HEV

Clínico:

Similar ao HAV

Laboratorial:

Pesquisa de marcadores sorológicos:

IgG-Anti-HEV Infecção pregressa

IgM-Anti-HEV Fase aguda

Detecção Molecular:

RT-PCR nas fezes

Hepatite viral não A-E

Ocasionadas por vírus não reconhecidos pelo CITV

São raros – Em fase de estudo…

Espécies:

HFV

HGV

TTV

SEN-V

Riscos de transmissão após exposição percutânea

HIV

0,3%

Vírus da hepatite B

até 40%

Vírus da hepatite C

4 a 10%