Você está na página 1de 100

INFOMAIL

Miranda
do
Corvo
Junho | 2009 Municipal

Montagem capa.indd 1 26/05/09 9:32:17


6/17/09 9:19 AM
Miranda Municipal
Miranda do Corvo
Editorial 02

Acção
Social 04

Cultura e
Animação 18

FICHA TÉCNICA Turismo, Património


e Ambiente 31
Titulo | Miranda do Corvo
Municipal

Propriedade | Município de Educação 44


Miranda do Corvo

Edição | Câmara Municipal


de Miranda do Corvo Desporto 49
Presidente | Dr.ª Fatima Ramos

Coordenação/Redacção | Sector de Produção e


Comunicação Audiovisual Acessibilidades e
da CMMC Requalificação Urban 58
Design Gráfico e maquetagem | OPAL Publicidade, SA

Fotos e Capa | Sector de Produção e Colaboração


Comunicação Audiovisual
da CMMC Inter-Institucional 68
Periodicidade | Variável

Tiragem | 6500 exemplares Capital da


Impressão | Litografia Coimbr Chanfana 72
Distribuição gratuita |

Deposito Legal | 203255/09 Prestamos


Contas 79

Miranda
nos jornais 85

O que não
calamos… 91

Apontamentos 92

Miranda “nas mãos”


de uma mulher 93

Miranda 94
Activa

plano capa.indd
Montagem 2
capa.indd 2 6/17/09 9:19 AM
Editorial
Editorial

“Todas as flores do futuro estão nas sementes de hoje”.


(Provérbio Chinês)
2009. Este é um ano diferente, cheio de eleições: europeias, legislativas, autár-
quicas.
A crise económica atinge muitos de nós, mas será a pensar num futuro melhor
que optaremos.
Vivemos em liberdade.Temos uma larga experiencia em eleições. Que cada um
de nós faça a sua escolha.
Nas europeias pensando na Europa. Nas legislativas dando primazia a Portugal.
Nas autárquicas escolhendo Miranda.
Não há democracia sem partidos. Não há política sem escolha de pessoas. Não
se constrói um futuro melhor sem ideias.
Estamos a entrar na recta final do nosso segundo mandato. Dr.ª Fátima Ramos,
Está na altura de avaliar se há ou não obra feita, se as criticas da oposição têm Presidente da Câmara Municipal
ou não fundamento. de Miranda do Corvo
Faltam cerca de quatro meses para completar quase oito anos à frente dos
destinos do concelho. Estamos de consciência tranquila. Foram dois mandatos
cheios de realizações.
Sabemos que o futuro só pode ser ainda mais feliz porque as sementes, essas, já
foram lançadas por nós. Lançámo-las, mesmo em tempos de contenção, numa
altura em que as autarquias continuam a reduzir os orçamentos.
Habituámo-nos a prestar contas. Este boletim informativo apresenta o essen-
cial do que foi feito nos últimos dois anos. É o segundo boletim que editámos –
dois em quatro anos – confirmando a aposta no rigor, evitando desperdícios.
Cabe a todos analisar e avaliar o trabalho realizado mas também, participar nos
destinos da nossa Terra, apresentando críticas e sugestões.
Ao longo dos anos deixámos aos órgãos de comunicação social o papel de pu-
blicar e informar, cabendo-nos dar conta do que foi realizado, mas sem esbanjar
meios, com publicações frequentes e repetitivas.
Os leitores frequentes dos jornais foram tendo acesso às noticias sobre o con-
celho e sobre a actividade autárquica.
Para todos, cidadãos mais ou menos atentos, editámos este boletim resumindo
a gestão autárquica dos últimos 20 meses.
Somos uma comunidade saudável e solidária onde o bem-estar dos munícipes
está em primeiro lugar.
Apostamos num forte espírito de união e de colaboração com as juntas de
freguesia, com as empresas, colectividades e outras instituições sem fins lucra-
tivos do concelho.
O sucesso deve-se a todos.
Vivemos tempos de crise mas, juntos, seremos audazes.
Para um amanhã mais florido e mais feliz!
3

paginaçao v8_maio2009B.indd 3 25/05/09 18:18:55


Acção
Social

Ministro da Economia na atribuição do 1º prémio de Investimento Humano à parceria entre a Câmara Municipal de Miranda do Corvo e a ADFP.

• Prémio de Investimento Humano • Parceria entre a Câmara e a ADFP


(novos investimentos) (projecto da Quinta da Paiva)

“Miranda do Corvo, terra solidária”. Mais do que uma categoriza- Acima de tudo, dessa pareceria resulta um projecto sustentável - que
ção, é, há anos, o nosso lema e a nossa orientação política. A provar aposta na coesão social, com a promoção da formação profissional,
isso mesmo está a atribuição, em 2007, do Prémio de Investimento da criação de postos de trabalho para actividades ocupacionais e em-
Humano à parceria estabelecida entre a autarquia e a Associação de prego destinados prioritariamente a pessoas com deficiência, doença
Desenvolvimento e Formação Profissional (ADFP), depois de estas crónica e/ou vítimas de exclusão, nomeadamente desempregados de
duas entidades se terem unido numa candidatura conjunta, em me- longa duração – e que tem permitido, a partir de 2003, um conjunto
ados do ano. de investimentos na Quinta da Paiva.

O projecto “Formação Profissional/Integração de Cidadãos Graças à cooperação entre a Câmara Municipal e a ADFP (institui-
Desfavorecidos, com Deficiência e/ou Vítimas de Exclusão Social” ção privada de Solidariedade Social) foi possível a concretização de
conquistou, assim, o primeiro lugar a nível nacional, de um total de 45 vários investimentos, a saber: construção de uma sala de cinema; cin-
candidatos. Um prémio cuja atribuição representa o reconhecimento co apartamentos tipo T3 para pessoas com necessidades especiais;
do IAPMEI e do Governo ao trabalho desenvolvido nesta área pela construção do Centro Social de Lamas; edificação de uma nova resi-
parceria Câmara Municipal/ ADFP. dencial para 44 deficientes/doentes crónicos; construção de um pa-
vilhão para formação profissional (na zona industrial); concepção do
A cerimónia de atribuição deste prémio decorreu no Centro Cultural projecto para o Centro Social do Senhor da Serra, com lar de idosos
de Belém, presidida pelo Ministro da Economia, e o trabalho mereceu e creche (que teve início no ano seguinte).
inúmeros elogios, tendo sido mesmo seleccionado para representar
Portugal numa competição europeia. Investimentos na Quinta da Paiva que levaram, precisamente, à atri-
buição do prémio European Enterprise Awards: investement in peo-

paginaçao v8_maio2009B.indd 4 25/05/09 18:18:58


Acção
Social
ple award, um projecto que assentou no princípio da complementa-
ridade e transparência.

A Quinta da Paiva é um projecto que aposta na utilização múltipla de


espaços, valorizando o ambiente e promovendo a cultura, o desporto
e o lazer. Um mesmo objectivo para duas áreas de terreno, distintas, e
também duas entidades com gestão independente e recursos finan-
ceiros autónomos, unindo-se na rentabilização da mais-valia turística
existente.

Festival do Bem-Estar
• Emprego e inclusão social

Este projecto integra um Centro Hípico com picadeiro coberto, um


Museu de Artes e Ofícios Tradicionais (com oficinas de artesanato
ao vivo), o Restaurante Museu da Chanfana, uma área de Ecomuseu,
a quinta pedagógica com protecção de raças autóctones, um parque
temático com animais cinegéticos selvagens representativa da fauna
nacional, um parque de lazer ao ar livre com piscina, circuito de ma-
nutenção e hotel.

O parque de lazer - incluindo piscina, parque infantil, parque de me-


rendas e circuito de manutenção - é propriedade da câmara; os res-
tantes investimentos são propriedade da Associação. Refira-se que
a ADFP é o maior empregador do concelho e mais de 20% dos
colaboradores são pessoas com deficiência ou doença crónica. Parque infantil na Quinta da Paiva

Lançada no passado, esta parceria vai continuar, numa acção conjun-


ta fruto da motivação e do trabalho em equipa que pretende criar
infra-estruturas e dignificar o concelho, promovendo a integração
profissional de cidadãos deficientes e criando empregos para os mais
desfavorecidos e excluídos socialmente.

• “Boas Práticas no Sector Público” Piscina Municipal da Quinta da Paiva


e Festival do bem-estar
ao mínimo de bem-estar que deve fazer parte da dignidade humana.
“É nosso lema que não basta uma sociedade livre, democrática, igual nos Miranda tem procurado com as suas práticas dar cumprimento a esta
direitos, se muitos são excluídos, marginalizados, impedidos de ter acesso filosofia.”

paginaçao v8_maio2009B.indd 5 25/05/09 18:19:11


Acção
Social

Festival do Bem Estar

Festival do Bem Estar

Inovação, Competitividade e Empreendedorismo sustentam a orien- midade a Coimbra – cidade “Capital da Saúde”- e os vários serviços
tação e a visão estratégicas que pretendemos para o concelho de de apoio à saúde e ao bem-estar que temos vindo a promover no
Miranda de Corvo, no qual queremos promover o “bem-estar” como nosso concelho.
sector de desenvolvimento, apostando na qualidade de vida. Aliás, isso
mesmo justifica o longo trabalho que tem vindo a ser desenvolvido, Serviços para diferentes escalões etários aos quais somámos a quali-
nos últimos anos, pela autarquia com as várias IPSS’s do concelho. dade da paisagem e dos nossos recursos naturais, do nosso patrimó-
nio e cultura, das tradições religiosas e até da nossa gastronomia…
Assim, a aposta nos serviços de apoio social e de saúde, nos ele- “produtos da casa”, também mais-valias para a criação de um produ-
mentos naturais e nos elementos patrimoniais como suportes da to turístico: por isso criámos o Festival do Bem-Estar.
estratégia para lançar e promover Miranda do Corvo “fora de casa”
tem tido frutos: para além do prémio de investimento humano dos Um evento temático, de quatro dias, relacionado com o bem-estar e
European Enterprise Awards, fomos depois seleccionados para a longevidade, simultaneamente um “cartão-de-visita” de Miranda do
“short-list” do prémio Boas Práticas no sector público, na categoria Corvo, a proporcionar um programa inovador, arrojado e original e
de Capital Humano (prémio promovido pela Deloitte e pelo Diário a colocar o nosso concelho na rota dos pontos turísticos de exce-
Económico). lência.

Ousámos querer que Miranda se assumisse como pólo de conheci- Um festival arrojado e repleto de sugestões ou não fosse a vontade
mento na área do bem-estar e da longevidade, aproveitando a proxi- de prolongar a saúde e a juventude comum à maioria… Um conví-

paginaçao v8_maio2009B.indd 6 25/05/09 18:19:47


Acção
Social
vio – pedagógico e interactivo - a beneficiar do contributo de várias
entidades, desde o Instituto Português de Naturologia ao Centro de
Saúde local, contando também o contributo da nossa Unidade Móvel
de Apoio ao Cidadão.

• Fundo de emergência social e pode servir, por exemplo, para ajudar as pessoas com dificulda-
des graves ao nível da alimentação, ou na aquisição de produtos para
Para responder a situações pontuais e aflitivas de pessoas e famílias crianças. A mais-valia deste fundo consiste em poder ser utilizado de
do concelho que estejam a ser afectadas pela crise económica, foi forma célere, para resolver situações momentâneas e urgentes.
criado pela autarquia um fundo de emergência social de modo a que
a Câmara possa intervir em casos de emergência pontual, mediante O fundo funcionará como um complemento do Programa de
relatórios sociais elaborados pelas técnicas da autarquia que permi- Desenvolvimento Integrado de Acção Social que, actualmente, com
tam averiguar cada situação. verbas do município e da Segurança Social, é accionado perante si-
tuações graves, de carência económica, e para melhorar a condição
O fundo de emergência social foi inscrito no orçamento da autarquia habitacional de agregados familiares.

paginaçao v8_maio2009B.indd 7 25/05/09 18:19:59


Acção
Social

Perspectiva do Hospital da ADFP

• Pela melhor saúde de todos

Tal qual doença crónica, tivemos de manter a luta por melhores con-
dições na prestação dos cuidados de Saúde em Miranda do Corvo,
nomeadamente, exigindo junto da tutela a criação de consultas de
especialidade no Centro de Saúde local.

Depois de terem sido gastos mais de 370 mil euros na reabilitação do


edifício para remodelação do Centro, há dois anos continuavam as ins-
talações sem serem devidamente rentabilizadas para a população. Por
isso, a autarquia insistiu e exigiu a criação de consultas de especialidade
(Estomatologia, Ortopedia, Cardiologia, Psiquiatria, Endocrinologia e
doenças metabólicas), medida que, a concretizar-se, permitiria melho-
rar a qualidade dos cuidados de saúde no nosso concelho.

Centro de Saúde de Miranda do Corvo


Na sequência de vários pedidos da Autarquia a ARS prometeu a
criação de consultas de especialidade, não tendo ainda cumprido o Miranda quer em Poiares, com salas encerradas à custa do fecho de
prometido. serviços em ambos os concelhos, instalações óptimas para o efei-
to, cuja existência foi desde logo (re) lembrada, atempadamente, à
Igualmente em prol da saúde do concelho, a autarquia não deixa de Administração Regional de Saúde.
se assumir publicamente contra a decisão do Governo que quer a
instalação na Lousã da sede do Agrupamento de Centros de Saúde Recorde-se que o Centro de Saúde de Miranda do Corvo possuía
do Pinhal Interior, este a incluir os concelhos de Arganil, Góis, Lousã, internamento e urgências 24 horas. Sofreu obras de modernização há
Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra,Tábua,Vila Nova de Poiares cerca de 4 anos, para, posteriormente, numa atitude incompreensível,
e Miranda do Corvo. o Governo encerrar as urgências e o internamento. Uma medida ale-
gadamente para poupar, num argumento que deixa de fazer sentido
Uma decisão que autarquia considera irracional, do ponto de vista quando agora pretende recorrer a instalações arrendadas.
económico, já que isso implica o pagamento de rendas – e outras
despesas – por se tratar de um edifício em propriedade privada. Por considerá-la uma decisão despesista, também a comissão muni-
cipal de Saúde do Miranda do Corvo já manifestou o seu desagrado
Pior: o Ministério da Saúde até tem edifícios do Estado, quer em perante este medida, que continuaremos a contestar.

paginaçao v8_maio2009B.indd 8 25/05/09 18:20:13


Acção
Social

As respostas que existem no concelho no campo da Saúde continu-


am a ser uma das prioridades deste executivo e, em Abril passado, no Convenção sobre saúde
âmbito das actividades do programa Rede Social, decorreu mais uma Por proposta da presidente da Câmara, foi reforçado o apoio à
vez a Convenção de Saúde, numa acção com vista a dar a conhecer Associação, atribuindo-se aos bombeiros um subsídio de 5 mil eu-
as respostas que temos e o que tem sido feito neste sector. ros por mês, entre Junho e Dezembro do ano passado, sendo que a
autarquia apoiou ainda a compra de um conjunto de equipamentos
Foram, assim, apresentadas as actividades e os projectos das várias en-
para o novo destacamento dos Bombeiros de Semide.
tidades de Miranda (ADFP, Centro de Saúde, Bombeiros Voluntários
e UMS) e criado um espaço de reflexão de modo a perspectivar o Recorde-se que este destacamento iniciou funções em Junho de
futuro e novos projectos, numa iniciativa que contou com a presença 2008, sendo a freguesia onde está instalado a segunda maior do con-
do Dr. António Sequeira, director executivo dos Agrupamentos dos celho e estando aí localizadas várias infra-estruturas, desde lares de
Centros de Saúde do Pinhal Interior Norte. Em colaboração com a idosos à extensão de saúde. Pretendeu-se, acima de tudo, garantir
ADFP continuamos a lutar para obter apoios para a construção do uma melhoria do apoio prestado no norte do concelho, que passou
Hospital dos Vales do Seira e Dueça. O investimento previsto é de a contar com uma Equipa de Apoio Permanente.
3.500.000 euros. Caso se consiga concretizar o projeto teremos o
melhor apoio à população de Miranda do Corvo e dos concelhos À central de rádio, cedida pela autarquia, somou-se uma ambulân-
vizinhos e criaremos postos de trabalhos. cia nova, também oferta da Câmara. Viatura e meios de comunica-
ção novos para agilizar o funcionamento da corporação e para uma
melhor protecção da população, numa altura em que o concelho
continuava à espera de apoios do Governo – no caso, a entrega de
• Apoio financeiro para os uma nova viatura - que minimizassem o encerramento do serviço de
“soldados da Paz” Urgências (fechado por decisão da tutela). Após oferta da nova am-
bulância pela Câmara Municipal, o Governo entregou também uma
A mesma linha de orientação levou a autarquia a apoiar financeira-
ambulância INEM aos Bombeiros.
mente a Associação Humanitária dos nossos Bombeiros Voluntários.

Ambulância nova, oferecida pela Câmara Municipal de Miranda do Corvo Ambulância nova, oferecida pela Câmara Municipal de Miranda do Corvo

paginaçao v8_maio2009B.indd 9 25/05/09 18:20:31


Acção
Social
• Autarquia parceira no apoio a diabé-
ticos

O Centro de Saúde de Miranda lançou o desafio; a autarquia


aceitou-o sem hesitar. Por isso, ambos são parceiros numa iniciativa
que visa ajudar as pessoas portadoras da diabete a viverem melhor
com esta doença.

“Caminhar para o Equilíbrio” é nome do projecto, dirigido a grupos


de diabéticos que, ao longo de oito sessões, têm a oportunidade
de desenvolver competências, de auto-controlo e de auto-vigilância,
que lhes permitam adquirir conhecimentos capazes de os tornarem
“médicos de si próprios”.

Dados os benefícios da actividade física no controlo desta doença


crónica, todas as sessões terminam com a realização de exercícios de
mobilização, alongamentos e fortalecimento muscular, sob a orienta-
ção de uma professora de educação física.

Porque o Centro de Saúde não possui recursos humanos com for-


mação na área do desporto, a parceria com autarquia surge como
fundamental para a concretização do projecto, que cede uma técnica
nesta área. Fica assim claro que só através da união e do espírito de
colaboração, nomeadamente entre as instituições, se pode concretizar
projectos.

• Unidade de Saúde e Apoio continua


sobre rodas
Durante o ano de 2008 realizaram-se cerca de 8500 consultas e
cerca de 600 visitas domiciliárias que representam, sem dúvida, uma
mais-valia importante na promoção, prevenção e vigilância da saúde
no Concelho de Miranda do Corvo.

Para além dos serviços de saúde, a UMS possibilita também um apoio


O projecto é extremamente bem acolhido pela comunidade, sendo
à população a nível de serviços camarários, levando informações e
que esta reconhece os serviços que se prestam e que se preconizam
respondendo às solicitações.
na Unidade Móvel.
A Unidade Móvel de Saúde e Apoio ao Cidadão tem-se revelado
O Concelho de Miranda do Corvo tem uma grande fatia de popu-
uma mais-valia para a saúde da população do Município de Miranda
lação idosa com algumas dificuldades ao nível do acesso a serviços.
do Corvo. Esta Unidade tem servido de ligação entre os utentes e
Existem várias povoações dispersas e distantes do centro cujos ha-
o Município, nomeadamente, utentes que possuem maiores dificul-
bitantes têm alguma dificuldade em aceder aos serviços camarários
dades de mobilidade ou de recursos para se deslocarem até à Sede
ou de saúde. Por estas e outras razões, torna-se problemático para
do Concelho.
muitas pessoas tratar dos mais variados assuntos.

10

paginaçao v8_maio2009B.indd 10 25/05/09 18:20:35


Acção
Social

Unidade Móvel de Saúde e Apoio

11

paginaçao v8_maio2009B.indd 11 25/05/09 18:21:10


Acção
Social
De realçar também a importância da presença de uma técnica de mestre deste ano já foram efectuadas 2189 consultas de enfermagem,
serviço social na unidade, como complemento ao trabalho desenvol- 90 atendimentos de cariz social e 150 visitas domiciliárias, sendo que
vido, e, fora da área médica, pela ligação que faz entre a Câmara e os do total dos atendimentos realizados, mais de 80 por cento foram-no
munícipes. a pessoas com mais de 60 anos.

O apoio da unidade móvel vai ser enriquecido com o apoio de uma Aos cuidados de saúde, somam-se a prestação de serviços de outro
psicóloga que passará também a dar apoio psicológico às pessoas que tipo, já que é possível tratar na Unidade de assuntos relacionados
mais necessitam. com a autarquia, obter informações e outros pedidos. Uma técnica de
serviço social, presente na Unidade, complementa a acção da UMA,
Estamos perante um serviço com grande aceitação por parte da co- já que é o elo de ligação entre a autarquia e a população, população
munidade que contribui activamente para o aumento da qualidade de que, aliás, tem reagido de forma muito positiva a este projecto, um
vida das populações e liberta os serviços do Centro de Saúde e da serviço em prol da comunidade e do aumento da qualidade de vida
Câmara de situações facilmente resolvidas no terreno. de todos.

Prevenção e vigilância da saúde, serviços camarários (diversos) e ac- • Miranda solidária… sempre
ção social. Eis, recordemos, as três grandes mais-valias da Unidade
Móvel de Saúde e Apoio ao Cidadão, um projecto que continua a «Com cerca de 14 mil habitantes, repartidos por cinco freguesias, o con-
girar – e a chegar – a todo o concelho. celho de Miranda do Corvo tem, cada vez mais, um lugar de destaque
quando falamos em solidariedade.
A funcionar desde 2005, consiste numa viatura equipada para a pres-
tação de cuidados de enfermagem primários, servindo ainda para o Os passos que têm sido dados no sentido de eliminar a pobreza e ex-
apoio administrativo e social aos munícipes. Por mês, a Unidade Móvel clusão social encaminham Miranda para um destino, que poderá ser,
presta os serviços para que está vocacionada em mais de 100 pontos a médio prazo, o do reconhecimento do concelho como “Capital da
distintos de Miranda. Solidariedade Social»

Serviços valiosos num concelho onde – tal como em todo o país – Porque a verdadeira solidariedade começa quando não se espera
aumenta depressa o índice de envelhecimento bem como a disper- nada em troca, também o Natal em Miranda assume o espírito da
são demográfica. Com este projecto encurtámos distâncias e, quatro fraternidade.
anos depois, é positivo o balanço ao trabalho desenvolvido: sobretudo
na área da saúde, permitiu a vigilância e prevenção de doenças, nome- Com o auxílio dos bombeiros de Miranda do Corvo e de jovens
adamente junto dos mais idosos, aqueles que têm mais dificuldades voluntários do Concelho, a autarquia conseguiu promover o “Natal
em aceder aos cuidados de saúde convenientes. Solidário”, uma campanha com vista à recolha de alimentos e de bens
essenciais e que foi acolhida pelas superfícies comercias do concelho.
Triagem e controlo mensal da tensão arterial, medição da glicemia e
do índice de massa corporal, verificação da actualização e administra- Os alimentos e bens essenciais foram oferecidos pela nossa gente,
ção de vacinas, acções de educação para a saúde, encaminhamento cidadãos que, aquando as suas compras, não hesitaram em ser gene-
de situações de risco para o centro de saúde são os serviços presta- rosos e permitiram que mais de duas dezenas de famílias carenciadas
dos pela Unidade, que realiza ainda visitas domiciliárias, transporte de do concelho recebessem cabazes de Natal… uma pequena ajuda,
receitas e administração de terapêutica intramuscular injectável. mas cheia de solidariedade, que visou que, pelo menos nesta qua-
dra, essas famílias pudessem ver minorada a sua situação de carência
Só nos últimos três meses do ano passado, foram efectuadas mais de económica.
2060 consultas de enfermagem e feitas mais de 120 visitas domiciliá-
rias a munícipes dependentes, o que espelha a dimensão do projecto A mesma solidariedade que trilhou as rotas do passeio de auto-
e do trabalho que tem sido desenvolvido, enquanto no primeiro tri- móveis, denominado “Espírito de Natal”, uma iniciativa conjunta da

12

paginaçao v8_maio2009B.indd 12 25/05/09 18:21:12


Acção
Social

Entregas de prendas aos alunos das escolas na Festa de Natal

Entregas de prendas na ADFP Entregas de prendas aos alunos das escolas na Festa de Natal

Casa do Gaiato de Miranda do Corvo

13

paginaçao v8_maio2009B.indd 13 25/05/09 18:21:27


Acção
Social
autarquia e da Alfanord (Clube Alfistas de Portugal) realizada para
reunir apoios para a Casa do Gaiato do concelho.

A concentração/passeio de viaturas – da marca Alfa Romeu – con-


seguiu associar o espírito natalício à solidariedade e, assim, juntar pre-
sentes, bens e verbas para aquela que é mais antiga Casa do Gaiato
em Portugal. E apesar da competição, ganharam o espírito de lazer, o
desportivismo e o “fair play”, vitória conseguida em nome da causa.

Desta acção, fica-nos a euforia e o entusiasmo das crianças da Casa


do Gaiato que, no fim da prova, receberam os participantes, que
chegaram em caravana a oferecer surpresas, perícias, espectáculo e
sobretudo solidariedade.

• Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher, dia 8 de Março, foi assinalado em Miranda


do Corvo com a realização de diversas iniciativas ao longo de todo o
mês.

À semelhança de anos anteriores, o Clube da Mulher da ADFP e a Câmara


Municipal de Miranda do Corvo promoveram uma noite de fados com
jantar onde, no dia 07 de Março, participaram 150 mulheres. O evento
teve lugar no Salão de Festas da ADFP, tendo sido a noite abrilhantada
pela fadista Graça Santos, encantando as participantes com o fado de
Lisboa, acompanhada à guitarra pelo músico e compositor Mário Mata.

À semelhança dos anos anteriores, também não faltou a viagem, cujo


Espírito de Natal – Entrega de presentes na Casa do Gaiato destino foi Lisboa, onde as 110 participantes assistiram ao musical “West
Side Story” encenado por Filipe La Feria, no Teatro Politeama. O transporte
foi cedido pela Câmara Municipal e ADFP, tendo as interessadas suporta-
do os custos do bilhete.

A solidariedade é já tradição em Miranda, o mesmo o é a comemora-


ção do dia da Mulher no concelho, que, a dia 8 e durante todo o mês
de Março, se enche de iniciativas, sobretudo para elas.

Num concelho “governado” por uma mulher – uma das 20 que li-
deram autarquias num país com mais de 300 municípios! – o Dia
Internacional da Mulher ganha também maior significado e exige ati-
tude à altura da efeméride.

Assim, e à semelhança dos outros anos, para elas Março é mês de


surpresas e de homenagem, iniciativas a incluírem um grandioso jan-
Espírito de Natal – Entrega de presentes na Casa do Gaiato

14

paginaçao v8_maio2009B.indd 14 25/05/09 18:21:52


Acção
Social

Viagem ao Porto –“ Comemorações do Dia da Mulher”

Viagem com. do Dia da Mulher ao Teatro Politeama em Lisboa “West Side Story”.

Viagem ao Porto –“ Comemorações do Dia da Mulher”

Sessão de cinema – Filme “Mamma Mia - Abba”

Viagem ao Porto –“ Comemorações do Dia da Mulher”

Jantar da Mulher

Viagem ao Porto –“ Comemorações do Dia da Mulher” Viagem ao Porto –“ Comemorações do Dia da Mulher”

15

paginaçao v8_maio2009B.indd 15 25/05/09 18:22:54


Acção
Social
tar, fados, um encontro sob o tema “Integração das diferenças das
mulheres” e, claro está, a viagem – já habitual – até Lisboa, onde 110
mulheres assistiram ao musical “West Side Story”, um espectáculo no
Politeama, encenado por Filipe La Féria.

Mais um momento especial no feminino graças à parceria entre a


autarquia e a ADFP, sendo que este ano a sessão de cinema levou
à sala do grande ecrã 140 mulheres - que viram e recordaram os
ABBA, com o filme “Mamma Mia” – enquanto o já famoso jantar
junto 150 participantes, numa noite abrilhantada pela fadista Graça
Santos e Mário Mata.

Um século depois da manifestação de 15 mil mulheres que, em Nova


Julgado de Paz na Expo-Miranda
Iorque, exigiram melhores condições de trabalho, melhores salários e
o direito de voto, Miranda continua, como se vê, a “lutar” pela dignifi-
cação da mulher e do seu papel na sociedade, bem como a promover
o convívio das mulheres da nossa terra, idades e posição social à
parte.

• Julgado de Paz aproxima justiça

Novos Serviços

Maior aproximação da justiça à população e descongestionamento


do Tribunal Judicial da Lousã (numa redução de processos que be-
neficia também a comunidade vizinha). São, num primeiro momen-
to, as grandes conquistas do Tribunal Julgado de Paz, a funcionar em
Miranda do Corvo há cinco anos. Assinatura do Protocolo entre a Câmara Municipal de Miranda do Corvo
e a Associação de Arbitragem de Consumo do Distrito de Coimbra
Fruto de um protocolo entre a Câmara Municipal e o Ministério da
Justiça, o Tribunal Julgado de Paz tem alcançado bons resultados, ten- o auditório da Câmara Municipal para a realização de julgamentos
do já resolvido 355 processos, o que se traduz numa média de 41 dias cujos casos sejam de Miranda do Corvo. Uma ideia que tem por
para cada processo. Sem dúvida uma resolução célere, numa altura base o modelo da Holanda, e que já foi sugerida à tutela pela autarca:
em que a Justiça está cada vez mais lenta… «Tenho esperança que dentro de algum tempo sejam realizadas ses-
sões de julgamento aqui em Miranda, nesta mesma sala, sem ser ne-
Criados no inicio de 2000, os julgados de paz estão vocacionados para cessário ir para outro local, contribuindo que a justiça tenha a melhor
a pacificação entre as partes antes do recurso aos tribunais judiciais, imagem possível», confessou, a propósito, Fátima Ramos na sessão do
missão que o de Miranda tem conseguido concretizar com sucesso. 5.º aniversário do Julgado de Paz.
Isso mesmo ficou claro na sessão comemorativa do 5.º aniversário
do Tribunal Julgado de Paz, onde, mais uma vez, foram salientadas as Dia que fica também marcado por mais um passo dado no sentido
boas instalações e o excelente trabalho de toda a equipa, altamente de melhorar a acção da Justiça, já que a autarquia e Associação de
dinâmica. Arbitragem de Consumo do Distrito de Coimbra assumiram um pro-
tocolo com vista a implementar no conselho a Rede Intermunicipal
Orgulhosa pelo desempenho do Julgado, e entusiasmada pelo suces- de Apoio ao Consumidor.
so conseguido, Fátima Ramos, presidente da autarquia, disponibilizou

16

paginaçao v8_maio2009B.indd 16 25/05/09 18:23:15


Acção
Social

Assinatura do Protocolo entre a Câmara Municipal de Miranda do Corvo e a Associação de Arbitragem de Consumo do Distrito de Coimbra

Uma parceria que permitirá à Câmara ter um espaço integrado nessa Novos lares
rede, e acolher um local onde se possam dirimir conflitos de consu-
mo*. Mais um serviço disponibilizado ao concelho pelo executivo A Câmara Municipal elaborou projecto de arquitectura para a am-
camarário, que se pretende como útil para os munícipes bem como pliação das instalações do Lar Dr. Clemente de Carvalho. A Câmara
para ajudar a descongestionar os meios habituais da Justiça. Municipal irá comparticipar esta obra em 30%, até ao valor máximo
de 150.000 Euros, caso a instituição consiga apoio do Estado. No caso
de a instituição não conseguir apoio do Estado, o apoio irá até 50%.

*Nota: Os conflitos de consumo são aqueles que decorrem do forneci- A Santa Casa da Misericórdia de Semide foi também apoiada na ela-
mento de bens, da prestação de serviços ou transmissão de quaisquer boração do projecto de arquitectura e vários projectos de especiali-
direitos, destinados a uso não profissional por pessoa que exerça com dades para o novo lar.
carácter profissional uma actividade económica que vise a obtenção de
benefícios. Consideram-se igualmente litígios de consumo os que decor- O terreno onde será construído o lar foi também cedido pela
ram do fornecimento, prestação ou transmissão de bens, serviços ou di- Câmara Municipal. A ADFP foi apoiada na cadência das instalações
reitos pelos organismos da administração pública, por pessoas colectivas da antiga Escola Ferrer Correia, no Senhor da Serra, onde será cons-
públicas, por empresas de capitais privados ou detidas maioritariamente truído outro lar.
pelo Estado, pelas regiões Autónomas ou pelas Autarquias Locais e por
empresas concessionárias de serviços Públicos. A nível financeiro estas instituições serão apoiadas em 30% do in-
vestimento, até ao limite máximo de 300.000 Euros, caso tenham
apoio do Estado. Se não tiverem apoio do Estado o apoio da Câmara
poderá ser de 50%, pagos em 5 anos.

17

paginaçao v8_maio2009B.indd 17 25/05/09 18:23:21


Cultura e
Animação
• Expo Miranda

Estamos apenas a dias de mais uma edição da Expo Miranda, um


certame que decorre pela 19.ª vez, como já é habitual, nos últimos
dias de Maio e primeira semana de Junho. Um evento levado a cabo
pela autarquia, em conjunto com a comissão organizadora (composta
por representantes da autarquia e dos empresários do concelho),
que pretende mostrar toda a actividade económica, industrial, agrícola,
cultural e artesanal de Miranda do Corvo.

O dinamismo das instituições de solidariedade social do concelho


bem como as actividades das colectividades desportivas, recreativas,
culturais e humanitárias, e das escolas José Falcão e Ferrer Correia
Abertura oficial da Expo-Miranda 2008
também estão representados na Expo-Miranda, iniciativa que propor-
ciona o convívio e a vinda de muitos visitantes.

Comemorações do Dia Mundial da Criança – Praça José Falcão

Comemorações do Dia Mundial da Criança – Praça José Falcão Comemorações do Dia Mundial da Criança – Praça José Falcão

18

paginaçao v8_maio2009B.indd 18 25/05/09 18:24:26


Cultura e
Animação
De ano para ano, a Expo tem crescido, quer no número de visitantes
quer no número de expositores; na edição do ano passado estiveram
presentes cerca de centena e meia de expositores, um número que
só não foi ainda maior por causa de limitações do espaço, já que
o certame decorre num recinto fechado, também por questões de
segurança.

Habitualmente, a Expo-Miranda acolhe as comemorações do Dia


Mundial da Criança, a 1 de Junho, data muito acarinhada por toda a
comunidade mirandense, sendo que é a data do feriado municipal, o
que permite a realização de uma série de actividades (desportivas,
culturais e recreativas).
Comemorações do Dia Mundial da Criança – Praça José Falcão
Visitar este evento é ter oportunidade de contactar com espaços
vocacionados para uma multiplicidade de áreas, desde os sectores
mais tradicionais, às novas tecnologias, sem esquecer as preocupações
ambientais bem patentes em stands como o da AREAC - Agência
Regional de Energia e Ambiente do Centro.

O certame acolhe também exposições, de pintura e de fotografia,


stands da feira do livro, e, claro, promove e divulga a gastronomia local,
apresentando uma zona de “tasquinhas”, exploradas pelas colectivi-
dades do concelho, locais onde é possível provar a famosa chanfana
de Miranda, a sopa de casamento e o sarrabulho entre muitos outros
petiscos famosos e tradicionais.

Recorde-se que Miranda é berço da chanfana e de boa cozinha tradi-


cional, e a presença das “tasquinhas”, dinamizadas pelas colectividades,
demonstram também quão generosas são as pessoas do concelho,
Comemorações do Dia Mundial da Criança – Praça José Falcão
sempre disponíveis para, sem esperar qualquer retribuição, darem o
seu trabalho voluntário para que as suas colectividades possam ser
mais prósperas, dinâmicas e capazes de contribuir para a melhoria da
qualidade de vida das suas terras.

No ano passado, ficou clara a aposta no artesanato local, tendo ha-


vido a participação de artesãos de olaria, de latoaria e de tecelagem,
numa clara defesa destas actividades que cada vez mais tendem a
desaparecer. Numa luta contra a tendência, trazemos à feira vários
artesãos que trabalham ao vivo, uma iniciativa que queremos repetir.

A animação – capaz de agradar a diferentes públicos – é sempre


seleccionada, de modo a proporcionarmos um programa rico em
qualidade, com bandas e artistas de renome. Acima de tudo, um cer-
tame que queremos que enobreça o concelho, uma feira que já é um
êxito e que apresenta o que de melhor por cá se faz.
Comemorações do Dia Mundial da Criança – Praça José Falcão

19

paginaçao v8_maio2009B.indd 19 25/05/09 18:25:12


Cultura e
Animação

Consignação da Construção de balneários da Casa dos Reis – Vila Nova


A inauguração desta feira teve lugar a 5 de Abril último, na Praça José
Feira das Velharias
Falcão, local que mensalmente vai acolher a iniciativa, numa feira onde
• Certames, Espectáculos e Encontros os comerciantes apresentam a venda de artigos em panos, no chão,
ou em mesas de exposição.
Diz o povo que “do velho se faz novo”, agora, em Miranda do Corvo,
a cada primeiro domingo do mês tem lugar a Feira das Velharias, uma Raridades, objectos de valor, peças de colecção ou simplesmente ar-
feira na qual serão comercializados todo o tipo de objectos, entre as tigos antigos podem aqui ser encontrados, numa feira onde há lugar
09h00 e as 17h00. para quem se que desfazer de algo que já não necessita ganhando
com isso. Para participar basta inscrever-se junto do posto de Turismo,
sendo que 5 euros é o preço da inscrição e as receitas revertem para
a Associação do Cedro, Casais de S. Clemente, um centro que acolhe
animais abandonados.

Por falar em feira, continua também a FAM, com lugar de dois em dois
anos. A Feira de Actividades dos Moinhos (FAM) voltou a mobilizar os
jovens do Centro Juvenil dos Moinhos, que, com o apoio da autarquia,
se organizaram e deram forma à 6.ª edição do certame, um evento
que pretende promover e divulgar o comércio, a indústria, o artesa-
nato e o desporto da comunidade dos Moinhos.

Uma iniciativa virada sobretudo para os jovens mas que acaba por
mobilizar toda a população, revelando-se altamente dinamizadora do
concelho e promotora de um conjunto de actividades.

Este ano, no último trimestre, decorrerá mais uma FAM, sendo que
a de 2007 acolheu o lançamento do livro “Ter-te assim em Mim”, de
Bruno Carvalho, bem como de uma tertúlia sobre os “10 anos de
FAM”, iniciativa que juntou também os ex-presidentes da colectivi-
dade.

Miguel Torga foi homenageado pelo concelho onde viveu durante


Homenagem a Miguel Torga algum tempo, na localidade de Vila Nova, isto no ano em que se as-

20

paginaçao v8_maio2009B.indd 20 25/05/09 18:25:41


Cultura e
Animação

Biblioteca Municipal Miguel Torga


sinalou o 100.º aniversário do nascimento do escritor. Assim, uma
exposição do pintor Zaug (José Augusto Coimbra) sobre um dos
contos da obra de Torga, “Os Bichos”, marcou presença na Biblioteca
Municipal Miguel Torga, em Miranda do Corvo.

Note-se, aliás, que, e de modo a satisfazer as necessidades dos uten-


tes, a Biblioteca Municipal tem, há meses, um novo horário de funcio-
namento, abrindo portas de segunda-feira a sábado entre as 10h30 e
as 19h00, fechando no período de almoço, entre as 12h30 e as 14h00,
altura em que estão abertas as bibliotecas escolares.

Pretendeu-se, assim, ter a Biblioteca aberta até mais tarde, em horário


pós-laboral, e a funcionar ao sábado, dia em que habitualmente estava
Teatro “O Jardineiro do Sol” – Comemorações do Ano Internacional da Astronomia
encerrada.

Falamos de leitura, e referimos, por isso, a habitual Semana da Leitura,


promovida pelo Plano Nacional da Leitura, uma iniciativa que envolve
todas as escolas do 1.º ciclo do Agrupamento de Miranda do Corvo
e do Agrupamento Ferrer Correia. Carlos Canhoto foi, na edição do
ano passado, o escritor que esteve presente na iniciativa, autor cujas
obras foram abordadas nas actividades escolares.

Na Semana da Leitura, os alunos apresentam dramatizações de tex-


tos, poemas musicados e outros trabalhos, tendo sempre como pon-
to de partida os textos dos autores convidados, no caso, de obras
como “Pirá e piranhita desdentada” e Barbatanar”, obras de Carlos
Encontro com a escritora Manuela Ribeiro e o Ilustrador Pedro Morais
Canhoto, escritor alentejano.

21

paginaçao v8_maio2009B.indd 21 25/05/09 18:25:48


Cultura e
Animação

Depois da leitura, e porque a expressão cultural ganha muitas vezes


forma dentro de um contexto religioso, têm continuado os encontros
de Coros, uma iniciativa anual que se repete vai para 15 anos e que
decorre na Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Semide.

A envolvência quase milenar do Mosteiro e as excelentes condições


acústicas da igreja criam o ambiente e o palco perfeitos para a ac-
Ateliers mensais da Biblioteca Miguel Torga tuação dos coros. Recorde-se que a grande qualidade deste evento
levou a que, em 2003, este espectáculo fosse incluído no programa
“Coimbra Capital da Cultura”.

A organização desta iniciativa – “Encontro de Coros” - é da respon-


sabilidade da Câmara Municipal que conta com a colaboração do
CEARTE e da Delegação Regional da Cultura do Centro.

O Ensemble de Metais, da Orquestra Sinfónica Juvenil do Estado de


Lara, da Venezuela, também visitou Miranda do Corvo, com os seus
35 elementos – crianças e jovens de várias orquestras daquele estado
venezuelano – a actuarem no salão da ADFP, na gala de comemora-
ção dos 25 anos do Grupo de Instrumentos de Sopro de Coimbra.

Um espectáculo grandioso, dirigido pelo maestro Pedro Carlos


Vasquez Asuaje e a apresentar obras de compositores sobeja e mun-
Encontro com a escritora Fátima Effe no Dia Mundial do Livro
dialmente conhecidos no mundo da música clássica, desde Bach a
Verdi, entre muitos outros.

Trazer a Miranda grandes espectáculos, enaltecendo a cultura e pro-


porcionando momentos únicos e inesquecíveis continua a ser apa-
nágio da autarquia. No caso, destacamos o apoio essencial da ADFP,
e do Inatel, que permitiu o regresso dos Encontros Natalícios. Um
espectáculo que reúne a actuação de vários grupos folclóricos e que
é também um sucesso.

“As Tecedeiras dos Moinhos”, o Rancho Etnográfico “Flores das


Cortes”, o Rancho Típico de Semide e o Rancho do Centro Social de
Cultura e Recreio de Godinhela são presenças desta iniciativa na qual
os grupos interpretam temas de Natal. Actuações na Igreja Matriz
(ou no Mosteiro de Santa Maria de Semide), num ambiente único e
Concurso de Montras e Janelas Floridas propício a este tipo de espectáculo.

22

paginaçao v8_maio2009B.indd 22 26/05/09 8:58:24


Cultura e
Animação
A aposta da autarquia na descentralização das actividades culturais
é clara, e neste contexto surgem projectos para divulgar a cultura e
preservar os valores tradicionais através dos “agentes culturais” locais,
a saber: Filarmónica Mirandense, Jovens Gaiteiros do Espinho, Rancho
Etnográfico “Flor das Cortes”, Rancho Folclórico “As Tecedeiras dos
Moinhos”, Rancho Típico de Semide, Rancho do Centro Social de
Cultura e Recreio de Godinhela, Rancho Juvenil da Granja de Semide,
grupo de Teatro “Filhos do Palco”, Coro da Casa do Povo, Grupo
de Cantares da Universidade Sénior da ADFP, Coro Juvenil de Santa
Maria de Semide, Clube de Musica “Putos Fixes” e grupo de Teatro
“Escola em Cena” ambos do Agrupamento de Escolas de Miranda Concurso de Montras e Janelas Floridas

do Corvo).

São estas as entidades culturais do nosso concelho que têm realizado


um admirável trabalho, nomeadamente no âmbito da iniciativa “Sons
de Dentro”, um projecto que tem permitido várias actividades cul-
turais nos últimos meses, nomeadamente na Associação de Jovens
de Vila Flor Meroucinhos, no Clube Recreativo e Cultural de Casais
de S. Clemente, na Associação Recreativa de Vale de Colmeias e na
Associação da Chapinha,Tróia, Roçaio e Moita.

Concurso de Montras e Janelas Floridas

• Feira do Mel e Festas das Vindimas

Setembro e Outubro destacam-se no calendário de Miranda, com


várias iniciativas que visam promover os produtos endógenos locais.
O mel, já se sabe, é um dos que assume papel de destaque, por isso,
a Feira do Mel, realizada no belo espaço da Praça José Falcão, área
ajardinada, iniciativa que acolhe dezenas de expositores, estando pre-
sentes produtores e apicultores.

Note-se que Miranda do Corvo está inserida na região da Serra da


Lousã, uma área privilegiada para a apicultura graças à grande diversi- Concurso de Montras e Janelas Floridas
dade de espécies melíferas que ali existe. Mas a Miranda chegam tam-
bém apicultores dos concelhos vizinhos (Penela, Pedrógão Grande
e Góis), sendo que para além do mel também os seus derivados
merecem destaque no certame, como os licores e aguardentes de
mel, e os utensílios/ferramentas inerentes à arte.

Para além da exposição e do mercado, a Feira do Mel, cuja realização


assume cada vez mais êxito, oferece ainda um conjunto de outras
actividades, de animação e cultura, e na do ano passado decorreu
a entrega de prémios do concurso “Montras e Janelas Floridas” e o
lançamento do livro do Dr. Edgar Panão.
Concurso de Montras e Janelas Floridas

23

paginaçao v8_maio2009B.indd 23 26/05/09 8:58:45


Cultura e
Animação

Entrega de prémios do Concurso de Montras e Janelas Floridas Lançamento do livro do Dr. Edgar Panão

Entrega de prémios do Concurso de Montras e Janelas Floridas Lançamento do livro do Dr. Edgar Panão

Entrega de prémios do Concurso de Montras e Janelas Floridas Lançamento do livro do Dr. Edgar Panão

A par do mel, o vinho e a sua produção são também altamente carac-


terísticos no concelho o que justifica a Festa das Vindimas. A freguesia
de Lamas – comunidade onde ganha destaque a produção vinícola
– acolheu o evento, ou não fossem as vindimas um dos pontos altos
na vida dos seus habitantes.

A Festa das Vindimas recria a azáfama da recolha das uvas e da pro-


dução manual do delicioso néctar, e transporta-nos numa viagem ao
passado, evocando tradições de outros tempos. Por isso, com o passar
dos anos, esta festa soma êxitos, e traz prestígio não só a Lamas mas
Entrega de prémios do Concurso de Montras e Janelas Floridas

24

paginaçao v8_maio2009B.indd 24 26/05/09 8:59:34


Cultura e
Animação

a todo o concelho. À defesa dos produtos tradicionais da nossa terra,


soma-se a alegria deste fim-de-semana também cheio de outras ac-
tividades e de animação.

• Feira da Árvore

“A produção de viveiros assume grande importância nesta região,


dado que cerca de 80% da produção nacional de viveiros provêm da
freguesia de Semide e região envolvente (Ceira e Lousã). Nos últimos
Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia
5 anos, foram produzidas e comercializadas mais de 12 milhões de
árvores nesta zona”.

Já em Outubro é tempo da tradicional Feira da Árvore. A IX edi-


ção teve lugar, nas instalações da Escola Ferrer Correia, no Senhor da
Serra, numa organização da Câmara Municipal, das juntas de freguesia
de Semide e de Ceira e da Associação dos Viveiristas do distrito de
Coimbra com o apoio do Agrupamento de Escolas Ferrer Correia,
do CIER – Turismo do Centro e, no ano passado, da autarquia de
Coimbra.

Assim, viveiristas, instituições e stands (de equipamentos destinados Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia
a esta actividade) estiveram presentes no certame, cujo objectivo é
divulgar e defender uma actividade de grande importância no conce-
lho de Miranda do Corvo e que assume um papel de destaque nos
concelhos vizinhos, nomeadamente Coimbra (Freguesia de Ceira) e
Lousã.

Saiba que em Semide, e a nível nacional, se encontra a maioria dos


agricultores que desenvolvem esta actividade tornando-se assim uma
área de grande expressão que importa apoiar e desenvolver. Isto por-
que o sucesso do seu trabalho, enquanto viveiristas, reflecte-se ao
nível da riqueza concelhia e regional e tem também alta representa-
tividade nacional. Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia

25

paginaçao v8_maio2009B.indd 25 26/05/09 8:59:49


Cultura e
Animação

Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia

Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia

Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia

Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia Feira da Árvore na Escola Ferrer Correia

26

paginaçao v8_maio2009B.indd 26 26/05/09 9:00:29


Cultura e
Animação
Ora, para além da divulgação das actividades e produtos, esta feira Açor, Associação Cultural Recreativa e Desportiva da Juventude do
serve também de ponto de encontro dos profissionais que, aqui, tro- Espinho, Grupo Recreativo e Cultural Corvense, Grupo Desportivo
cam saber e experiências, nomeadamente nas jornadas técnicas que Recreativo e Cultural Pereirense, Escola EB1 de Miranda do Corvo,
são realizadas durante o certame. Associação de Jovens de Vila Flor e Meroucinhos, e Rádio Dueça –
Informiranda são as colectividades/instituições que se unem para dar
A tudo isto, soma-se a gastronomia já que, e pelo segundo ano, a or- e dimensão cor aos festejos desta quadra.
ganização aproveitou a feira da Árvore para a prova gastronómica da
chanfana, produto de Miranda altamente ligada a esta freguesia. Há dois anos, graças ao comércio tradicional, as ruas por onde pas-
saram os corsos estavam ainda mais coloridas, já que os comercian-
A animação e outras actividades culturais também estão presentes no tes se associaram para decorar as montras, num convite da UAC
certame, que se salda por um enorme sucesso; só no ano passado a Dueceira – Unidade de Acompanhamento e Coordenação do
feira foi visitada por mais de 3000 pessoas, vindas de todo o país, e, Comércio numa associação criada para apoiar, dinamizar e promover
por exemplo, a de 2007 serviu até de palco para o programa “Terra o comércio tradicional em colaboração com a Câmara Municipal.
a Terra” da TSF. Sem dúvida, uma iniciativa que fica na memória de
todos e que lança raízes para muitos outros sucessos no concelho! Presença habitual é a das crianças que, numa iniciativa conjunta das
escolas primárias e pré-primárias do concelho, desfilam no Corso
Carnavalesco Infantil, sendo que a iniciativa conta depois com vários
desfiles, em diferentes dias, com muita animação, música e alegria. E é
• Festival da Juventude
assim há oito anos…
A pensar nos mais jovens a Câmara Municipal realiza o Festival da
Juventude, Rock na Quinta. Realizado no magnífico cenário da Quinta
da Paiva, este evento tem trazido a Miranda do Corvo milhares de
jovens.

Para esta realização tem sido fundamental o apoio dos voluntários


que, a título gratuito colaboram na organização e divulgação do even-
to.

• Carnaval: Folia e animação


no concelho

Animação e folia são marcas do carnaval de Miranda do Corvo, altura Festival da Juventude – “Rock na Quinta”
em que a autarquia e colectividades do concelho se unem para a
realização dos festejos e dos cortejos com os vários corsos. É exem-
plo do espírito de colaboração entre instituições, que se empenham
numa enorme festa para promover e divulgar o concelho.

Na vila, o evento já ganhou tradição e todos os anos sai às ruas,


chamando a Miranda cada vez mais forasteiros que participam nos
festejos, estes cheios de diversão e com cada vez mais qualidade.

Moto Clube de Lamas – Baco Boy, Associação para o Desenvolvimento


e Formação Profissional (ADFP), Santa Casa da Misericórdia de
Semide, Associação Recreativa Cultural e Desportiva de Vale do Carnaval

27

paginaçao v8_maio2009B.indd 27 26/05/09 9:00:37


Cultura e
Animação

Carnaval em Miranda do Corvo Carnaval em Miranda do Corvo

Carnaval em Miranda do Corvo Carnaval em Miranda do Corvo

Carnaval em Miranda do Corvo Carnaval em Miranda do Corvo

Carnaval em Miranda do Corvo Carnaval em Miranda do Corvo

28

paginaçao v8_maio2009B.indd 28 26/05/09 9:01:28


Cultura e
Animação

Carnaval em Miranda do Corvo Carnaval em Miranda do Corvo

Carnaval em Miranda do Corvo Carnaval em Miranda do Corvo

Carnaval em Miranda do Corvo Carnaval em Miranda do Corvo

Carnaval em Miranda do Corvo Carnaval em Miranda do Corvo

29

paginaçao v8_maio2009B.indd 29 26/05/09 9:02:10


Cultura e
Animação

Carnaval em Miranda do Corvo Carnaval em Miranda do Corvo

• Ainda, e sempre,
o Mosteiro de Semide

Apesar de todo o empenho da autarquia, continua sem haver obras


no Mosteiro de Semide. A Câmara Municipal não se conforma, e
continua a alertar para o problema, nomeadamente com chamadas
de atenção ao Governo e à presidência da República. Aguarda-se o
lançamento das obras da 2.ª fase da recuperação do Mosteiro, um
edifício classificado como monumento nacional cujo estado de de-
Carnaval em Miranda do Corvo gradação de agrava de dia para dia.

Carnaval em Miranda do Corvo Mosteiro de Santa Maria de Semide

Carnaval em Miranda do Corvo Mosteiro de Santa Maria de Semide

30

paginaçao v8_maio2009B.indd 30 26/05/09 9:02:39


Turismo, Património
e Ambiente
Sem medo de represálias, a autarquia tem lançado vários gritos de Mosteiro de Semide
alerta e não se coíbe de classificar todo este processo como «uma
autêntica vergonha para o Estado»: não esqueçamos que foi gas- O Mosteiro de Santa Maria de Semide foi fundado em 1154.
to dinheiro na primeira fase do restauro mas que a obra nunca foi Inicialmente, era ocupado por monges beneditinos, e, mais tarde,
acabada, o que transforma esses trabalhos em obras inúteis caso o tornou-se num convento de freiras que recebia as descendentes
Governo não conclua a obras. do seu fundador.

Chegou mesmo a haver, através do IEFP, disponibilidade financeira O Mosteiro manteve-se até à morte da última monja e, em
para comparticipar as obras, nomeadamente para recuperação do 1664, um incêndio devorou a maior parte do edifício. Um espaço
espaço que será transformado em salas para formação profissional, já que foi reconstruído e depois inaugurado com a actual igreja
que numa das alas do Mosteiro já são realizados cursos pelo CEARTE, corria o ano de 1697. Mais tarde, novos incêndios: em 1964 as
onde também falta o espaço. chamas voltam ao mosteiro, desta vez para consumirem a ala
poente e, em 1990, as chamas atingiram o claustro velho, a casa
Sem motivos que justifiquem a inércia que se vê, a autarquia conti- do capítulo e a sacristia.
nua a exigir o início dos trabalhos e não deixará de ir até às últimas
consequências senão forem tomadas medidas o quanto antes. A situ- Classificado como monumento nacional, o Mosteiro de Semide
ação atingiu um ponto que há risco de se perder, irremediavelmente, tem ainda muita vida, sendo que para além do valor patrimonial
um património de valor inestimável, quase milenar. Inexplicavelmente tem também muita riqueza ao nível das vertentes formativa e
nada se faz para salvaguardar a herança dos nossos antepassados e a social. É que nas suas instalações funcionam um lar da Cáritas
nossa memória colectiva… Não podemos permitir! Diocesana de Coimbra e um pólo do Cearte, e é dada formação
profissional e apoio social a dezenas de pessoas, nomeadamen-
Por isso, o executivo camarário tem vindo a alertar o Governo nome- te a jovens.
adamente para o facto do claustro quinhentista estar em grande risco
de ruir, pelo que a obra de consolidação já deveria ter sido iniciada As obras de recuperação do Mosteiro foram alvo de um protoco-
(uma situação possível já que o processo de concurso está ultimado lo, celebrado em 1999, entre o Instituto do Emprego e Formação
e a obra preparada para iniciar, segundo informação dos Edifícios e profissional e a Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos
Monumentos Nacionais). Nacionais. Lamentavelmente a 1.ª fase das obras só arrancou
em 2003, tendo sido concluída no início de 2004.
Apesar dos sucessivos alertas, nenhuma entidade competente fez
nada, nem mesmo depois de parte do claustro ter ruído já em final Avançou depois a preparação da 2.ª fase das obras. O proces-
de 2006… No ano seguinte, soubemos de problemas administrati- so ficou concluído e pronto a arrancar, e a empreitada inclui a
vos, somaram-se diligências e ofícios e chegámos a expor o proble- consolidação do claustro. O IEFP, no âmbito do protocolo, teve
ma ao Ministério da Cultura. E apesar de ter sido aprovada portaria disponível uma verba para permitir o início imediato da 2.ª fase,
com definição de verbas, assinada pelos ministros das Finanças e da mas as obras ainda não arrancaram.
Segurança Social, certo é que ainda nada foi feito. A Câmara tudo
fará para que a nossa geração não deixe perder o Mosteiro de Santa
Maria, de Semide.

Iremos continuar a lutar. Recentemente fomos informados pelo Sr.


Director Regional da Cultura que irá ser feita uma candidatura ao
QREN e que as obras vão avançar. Esperamos que seja cumprido
acreditamos que o Sr. Director Regional da Cultura também está mo-
tivado. Um grupo de Deputados do PSD também esteve recente-
mente para nos apoiar.

Mosteiro de Santa Maria de Semide

31

paginaçao v8_maio2009B.indd 31 26/05/09 9:02:41


Turismo, Património
e Ambiente

Mosteiro de Santa Maria de Semide Dr. Durão Barroso quando anunciava as obras da 1.ª Fase do Mosteiro de
Semide, na Inauguração da escola Ferrer Correia

Iluminação do Largo do Mosteiro Claustros do Mosteiro de Semide

Iluminação do Largo do Mosteiro Claustros do Mosteiro de Semide

Iluminação do Largo do Mosteiro Inauguração da Requalificação do Largo do Mosteiro

32

paginaçao v8_maio2009B.indd 32 26/05/09 9:03:47


Turismo, Património
e Ambiente

• Posto de Turismo equipamentos lúdicos, desportivos e turísticos, alguns implementados


(uma piscina e infra-estruturas de apoio, circuito de manutenção, cam-
O Posto de Turismo de Miranda do Corvo está situado no centro da pos de jogos e parque de merendas) e outros a implementar (um
vila e disponibiliza um vasto conjunto de informações turísticas, desde hotel, campos de jogos, Museu e Restaurante da Chanfana e Museu
a oferta hoteleira, a actividades culturais e desportivas e eventos mu- Vivo de Artes e Ofícios).
nicipais; disponibiliza também um acompanhamento personalizado e
especializado, quer aos utentes quer a colectividades que queiram Na quinta está já em fase de conclusão o Parque Biológico, que inte-
promover as suas actividades. gra um zoo representativo da vida selvagem portuguesa e uma quinta
pedagógica com uma mostra de animais de raça autóctones.
No sentido de melhorar a qualidade dos serviços prestados, desde
Abril que o Posto de Turismo está a abrir também aos sábados, para Um espaço a permitir o convívio, e por isso registamos o primeiro
além dos cinco dias da semana, um horário que doravante se vai man- encontro da Comissão de Jovens da ACAPO, que aqui decorreu, em
ter no sentido de Miranda continuar a bem receber os seus visitantes Fevereiro deste ano, trazendo à Quinta jovens de todo o país, parti-
e a reforçar a sua imagem de Comunidade Saudável e Solidária. cipando numa iniciativa que permitiu o debate e a descoberta e os
estimulou para uma participação associativa e para o exercício de
uma plena cidadania.

• Quinta da Paiva O grupo esteve também em Gondramaz, onde visitou a aldeia de


e aldeia do Gondramaz xisto do concelho de Miranda do Corvo, sendo que o percurso pe-
destre “Caminho do Xisto Acessível do Gondramaz” foi o primeiro
Foi recentemente consignada, pelo executivo camarário, a execução
percurso homologado tendo em vista a máxima acessibilidade e per-
da requalificação da Área Verde de Lazer da Quinta da Paiva. São
mitindo a utilização por pessoas portadoras de incapacidade, no caso,
obras que visam dotar toda a área de lazer de condições de acessi-
deficiência visual.
bilidade, de estacionamento bem como a arborização dos espaços
verdes. Sensações únicas sentidas por estes jovens que, de forma independen-
te, percorreram o caminho pedestre, andaram a cavalo e usufruíram
Acima de tudo, a obra constitui mais um passo na criação de uma
do contacto directo com animais domésticos e com a Natureza.
zona de lazer geradora e potenciadora do turismo local, sendo que
todo o investimento se insere numa estratégia de protecção e pre- O Gondramaz é uma das aldeias do xisto que mais elogios tem re-
servação do ambiente, permitindo a sua fruição pela população. cebido também pela recuperação das casas e dos espaços públicos;
todo o projecto das aldeias de xisto tem merecido vários louvores,
Na Quinta da Paiva, um local com gestão partilhada entre a Câmara
tendo inclusivamente sido premiado com a Palma de Prata na feira
Municipal e ADFP, existem já diversos equipamentos e o projecto
de Berlim, na Alemanha.
resultou da associação do Centro Hípico, criado em 1995, a vários

33

paginaçao v8_maio2009B.indd 33 26/05/09 9:03:53


Turismo, Património
e Ambiente

Parque Infantil da Quinta da Paiva Requalificação da Zona Verde e de Lazer da Quinta da Paiva

Circuito de manutenção da Quinta da Paiva Circuito de manutenção da Quinta da Paiva

Circuito de manutenção da Quinta da Paiva Piscina Municipal da Quinta da Paiva

Circuito de manutenção da Quinta da Paiva Picadeiro coberto da Quinta da Paiva

34

paginaçao v8_maio2009B.indd 34 26/05/09 9:04:45


Turismo, Património
e Ambiente

Centro Hípico da Quinta da Paiva Museu ao vivo de artes e ofícios da Quinta da Paiva

Centro Hípico da Quinta da Paiva Museu ao vivo de artes e ofícios da Quinta da Paiva

Centro Hípico da Quinta da Paiva

Centro Hípico da Quinta da Paiva Museu ao vivo de artes e ofícios da Quinta da Paiva

35

paginaçao v8_maio2009B.indd 35 26/05/09 9:06:04


Turismo, Património
e Ambiente

Museu ao vivo de artes e ofícios da Quinta da Paiva Parque Biológico da Quinta da Paiva

Restaurante da Quinta da Paiva Parque Biológico da Quinta da Paiva

Restaurante da Quinta da Paiva Parque Biológico da Quinta da Paiva

Parque Biológico da Quinta da Paiva Parque Biológico da Quinta da Paiva

36

paginaçao v8_maio2009B.indd 36 26/05/09 9:07:44


Turismo, Património
e Ambiente

Parque Biológico da Quinta da Paiva Inauguração do caminho de xisto acessível do Gondramaz

Parque Biológico da Quinta da Paiva Inauguração do caminho de xisto acessível do Gondramaz

Parque Biológico da Quinta da Paiva Inauguração do caminho de xisto acessível do Gondramaz

Parque Biológico da Quinta da Paiva Inauguração do caminho de xisto acessível do Gondramaz

37

paginaçao v8_maio2009B.indd 37 26/05/09 9:08:55


Turismo, Património
e Ambiente

Inauguração do caminho de xisto acessível do Gondramaz Centro de BTT do Gondramaz

Inauguração do caminho de xisto acessível do Gondramaz Centro de BTT do Gondramaz

Restaurante da Quinta da Paiva Centro de BTT do Gondramaz

Centro de BTT do Gondramaz Centro de BTT do Gondramaz

38

paginaçao v8_maio2009B.indd 38 26/05/09 9:09:40


Turismo, Património
e Ambiente

Centro de BTT do Gondramaz Apresentação da carta gastronómica das Aldeias do Xisto

Miradouro da Chapinha Caçoíla de Chanfana


Gondramaz vai, aliás, acolher novos trilhos de percursos pedestres e diferentes dificuldades e níveis de destreza, sendo que toda a infor-
de BTT, um sector inaugurado em Maio, com muita festa e com os mação sobre todos os trilhos e percursos está disponível em www.
sabores regionais da Carta Gastronómica das Aldeias do Xisto, que aldeiasdoxisto.pt/centrosbtt .
foram provados no restaurante Pátio do Xisto.
Gondramaz continua a oferecer a possibilidade de se conhecerem
Assim, no dia 2 de Maio foi inaugurado o Sector do Gondramaz – lugares únicos nos seus recantos naturais, entre montes e vales, per-
Centros de BTT das Aldeias do Xisto, no dia seguinte o Caminho do to do cima da montanha, quase a tocar o céu… Destaque para o
Xisto do Gondramaz. São acima de tudo locais deslumbrantes desta Caminho do Xisto do Gondramaz, que atravessa a encosta oeste da
localidade que poderão ser desfrutados em BTT ou pelos caminhos Serra da Lousã e chega ao Parque de Merendas da Chapinha, poden-
dos trilhos que percorrem este pedaço de paraíso natural. do ser feito no sentido inverso, mas apenas entre Maio a Outubro,
meses supostamente de tempo seco.
No centro de BTT ficaram disponíveis quatro trilhos de Downhill, de

39

paginaçao v8_maio2009B.indd 39 26/05/09 9:09:59


Turismo, Património
e Ambiente
• Parque de autocaravanismo,
investimentos no Cadaval e praia fluvial
de Segade

Miranda do Corvo regista um número cada vez maior de visitantes,


gente que aqui procura a diversificada oferta turística desta região e
do concelho. A par da requalificação da aldeia do Gondramaz, está a
construção da praia fluvial de Segade e os investimentos na Quinta
da Paiva, pelo que continua a ser aposta do executivo a divulgação do
que o concelho tem para oferecer e das boas condições com que
sabemos receber quem nos visita. Praia Fluvial de Segade

No início de 2008, foi apresentado na autarquia um projecto turístico


com implementação prevista para a aldeia do Cadaval, numa cerimó-
nia onde também esteve presente o presidente da Entidade Regional
de Turismo do Centro, Pedro Machado.

A ser desenvolvido em redor das aldeias do Cadaval Cimeiro e


Fundeiro, numa área de 25 hectares, o empreendimento foi estimado
em cerca de 3.840.000,00 euros. Um projecto que inclui uma unidade
de turismo rural e tem como grandes objectivos a preservação física
das várias casas da aldeia, a preservação cultural representativa de
Inauguração da Praia Fluvial de Segade
toda a vivência rural, nomeadamente a vida na aldeia, a mercearia, as
tarefas agrícolas, entre muitos outros aspectos.

Com excelente localização – a cerca de duas horas de Lisboa, 4 horas


de Madrid, 30 minutos de Coimbra e muito próximo das praias da
Figueira da Foz – este investimento reveste-se de alta importância
para o desenvolvimento do turismo aos seus vários níveis (de nature-
za, de património, gastronómico e enófilo) e para uma maior dimen-
são das aldeias do xisto e históricas do concelho.

Fica claro que uma das estratégias de desenvolvimento para o con-


celho é a aposta no turismo, e não há dúvidas de que Miranda do Inauguração da Praia Fluvial de Segade

Parque de Auto Caravanas de Miranda do Corvo Parque de Auto Caravanas de Miranda do Corvo

40

paginaçao v8_maio2009B.indd 40 26/05/09 9:10:29


Turismo, Património
e Ambiente

Parque de Merendas e Infantil da Praia Fluvial de Segade Terreno do futuro Pavilhão Multiserviços de Semide

Praia Fluvial de Segade Consignação da Construção do Pavilhão Multiserviços de Semide

Alçado lateral do Pavilhão Multiserviços de Semide

Corvo tem grandes potencialidades ao nível do turismo religioso, gas- gar diversas funções até porque vai ficar situado numa localidade com
tronómico e de natureza. Salientamos ainda os santuários da Senhora forte tradição agrícola. A freguesia se Semide, e a zona envolvente,
da Piedade de Tábuas e do Senhor da Serra, a gastronomia e o pa- produzem cerca de 80 por cento da produção de viveiros, a nível
trimónio natural. nacional.

O edifício vai ser construído no local onde já se realiza a feira mensal,


um evento com grande participação, e funcionará como ponto de
• Pavilhão Multiserviços em Semide encontro, para além de, simultaneamente, vir dinamizar e organizar
um espaço que até aqui tem estado descaracterizado.
Foi recentemente celebrado, pela autarquia, o contrato para a cons-
trução do pavilhão Multiserviços de Semide, um edifício que vai alber- Prevê-se que o edifício seja composto por diversos corpos, que se

41

paginaçao v8_maio2009B.indd 41 26/05/09 9:11:01


Turismo, Património
e Ambiente
unirão com um fim comum: servir a freguesia de Semide, dotando
a de um elemento fulcral para o seu desenvolvimento económico
e urbano. Constituído por dois volumes, a infra-estrutura pretende
organizar o espaço exterior e também, através de uma plataforma
inferior, permitir um local que há-de acolher diversos eventos e múl-
tiplas actividades.

A actividade viveirista vai aqui ter um lugar de destaque, já que se


concebeu um espaço que promove a inovação nesta área.

O piso inferior será destinado ao mercado, com todas as condições Convenção sobre Turismo
de higiene, salubridade e funcionalidade exigidas a um espaço deste
tipo, disponibilizando instalações sanitárias, cais de descarga, arrumos
e ainda uma sala de reuniões. Para o piso superior prevê-se um con-
junto de lojas, o que dará origem a um espaço destinado a comércio
e/ou serviços, bem como à nova sede da junta de freguesia Semide e
eventualmente um espaço comercial de maiores dimensões.

Ao todo, a área do edifício é de 1583.00 m2, contando com os arran-


jos exteriores, e implica um investimento na ordem dos 647.814,73
euros. Uma obra com a qual o município de Miranda do Corvo tenta
responder ao desafio de requalificar os espaços urbanos do concelho,
Convenção sobre Turismo
nomeadamente através de investimentos capazes de proporcionar,
simultaneamente, desenvolvimento económico e social e também o
bem-estar da comunidade. A obra já foi iniciada.

Porque o Ambiente é uma das nossas grandes preocupações, não


podemos deixar de registar, e lamentar, os incidentes detectados no
final de 2007 no rio Ceira, onde, no espaço de apenas alguns dias,
forma detectados focos de poluição na zona da captação de água de
Braços, captação que, aliás, abastece cerca de 70% da rede de água
do Miranda do Corvo.

Curiosa e infelizmente uma situação recorrente, apesar dos suces- Convenção sobre Turismo
sivos alertas da autarquia junto das entidades competentes, e que
acabou por trazer bastantes transtornos à população. Fica a nota para
quem de direito aja em conformidade de modo a que não se repita o
cenário que tem poluído a nossa água e o nosso Ambiente.

• Convenção sobre Turismo


trouxe novos projectos para o concelho

Organizada pela autarquia, decorreu, em Março passado, a Convenção


sobre Turismo, uma iniciativa que contou com a presença do presi-
dente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal, Pedro
Multiserviços de Semide

42

paginaçao v8_maio2009B.indd 42 25/05/09 18:37:13


Turismo, Património
e Ambiente
Machado, do Coordenador Geral da Agência Para o Desenvolvimento Casa de Campo Sabores da Fraga, em Souravas. Este
Turístico das Aldeias do Xisto – ADXTUR, Rui Simão, bem como de empreendimento conjuga o aluguer de quartos com o serviço de
diversos investidores na área do turismo. refeições de gastronomia tradicional, propondo ao visitante a possibi-
lidade de conhecer o concelho através de diversas actividades, num
Desta acção saiu reforçada a ideia de que é importante uma apos- investimento que ronda os 100 000 euros;
ta na qualidade, na imagem e na capacidade de promoção, num
contexto de uma estratégia global, no qual se insere o esforço de Núcleo de Educação Ambiental e Cultural da Quinta
cada autarquia e investidor. Marcas como Aldeias do Xisto e Aldeias da Paiva – Resulta da parceria entre a ADFP e a Câmara Municipal,
Históricas – nascidas da dinâmica de algumas Câmaras Municipais - um projecto com um investimento na ordem dos 2,5 milhões de
contribuem já para a dinamização e promoção da região, criando es- euros que aposta na integração do cidadão com deficiência e na sus-
paços e mercados capazes de albergar outros produtos, como notou tentabilidade. A ADFP pretende construir um hotel neste espaço.
Pedro Machado.
Estão também já em desenvolvimento vários outros investimentos
Já a autarquia apresentou, em síntese, o trabalho desenvolvido em para o concelho, na área do turismo, nomeadamente dois em-
prol do desenvolvimento turístico e que tem potenciado o investi- preendimentos para alojamento na Retorta, no valor
mento privado, nomeadamente ao nível da requalificação urbana, das de 347.000 euros e um em Tróia, também para alojamento, no
aldeias do xisto, o calendário de animação cultural, as praias fluviais, o valor de 192.000 euros. Importa sublinhar que estes investimentos
centro histórico, piscinas, elaboração de percursos pedestres, de BTT ascendem a mais de 8 milhões de euros, o que, na época de crise que
e equestres, e muitos outros projectos que virão complementar o atravessamos, são um contributo importante não só para o desenvol-
trabalho já efectuado. vimento económico do concelho mas também para a recuperação
financeira da região. e criação de postos de trabalho.
Foram também apresentados investidores privados em fase de im-
plementação, sendo que os investidores realçaram o grau de envolvi- Ficou claro ter sido determinante para os investidores presentes nes-
mento e de interesse que a autarquia e entidades envolvidas nos pro- ta convenção a maneira como foram recebidos pela autarquia, na fase
cessos de licenciamento têm demonstrado pelos projectos, criando de avaliação dos projectos, bem como o apoio dado pela Câmara no
assim condições para o seu desenvolvimento. sentido de desburocratizar procedimentos.

Eis alguns dos projectos previstos que foram então revelados: Mais: este convénio ilustrou um concelho dinâmico e agradou a todos
os presentes, numa época de algum cepticismo. É cada vez mais im-
Requalificação das Aldeias do Cadaval por Recantos portante a complementaridade de projectos, tendo o carácter inova-
do Xisto, liderada por um grupo empresarial sedeado em Cascais, dor como factor de diferenciação e de sucesso. O trabalho até agora
com um investimento estimado de cerca de 4,5 milhões de euros, desenvolvido tem-se traduzido em novos investidores no concelho e
com aposta na grande qualidade das intervenções a nível de edifícios acima de tudo numa estratégia de conjunto.
e espaços públicos, energias renováveis e ecológicas. Estas aldeias fa-
rão parte da rede de aldeias do xisto como aldeias temáticas;

Unidade de Agro-Turismo Quinta do Mouro, na · Campo de golfe


Tapada do Campo do Mouro, Lomba de Rei, empreendimento lide-
rado por Pedro Domingos que se irá desenvolver em vertentes, uma Têm existido alguns contactos de diversos investidores com o objec-
de Agricultura Biológica e outra no âmbito do Turismo de Habitação. tivo de ser construído um campo de golfe no concelho. Trata-se de
um processo moroso e complexo. Estamos contudo convictos de
Projecto que associa as duas valências numa combinação inovadora, que se trata de um projecto muito importante para o concelho pelo
criando um espaço multifuncional e capaz de acolher diversos even- qual vamos lutar.
tos. Com uma cozinha industrial, para além dos produtos hortícolas
serão confeccionados doces e compotas biológicos. Este investimen-
to ronda os 350 000 euros;

43

paginaçao v8_maio2009B.indd 43 25/05/09 18:37:14


Educação

Contos pela Camaleão – Dia Mundial do Livro Encontros com a escritora Fátima Effe – Dia Mundial do Livro

• Dia Mundial do Livro • Escolas requalificadas


Foi uma semana cheia de iniciativas para assinalar o Dia Mundial do Recuamos a 2007 para evocar a actividade que, na Biblioteca Municipal
Livro, celebrado a 23 de Abril, e que motivou um conjunto de acti- Miguel Torga, propôs uma ponte entre a aprendizagem do Português
vidades promovidas pela autarquia no sentido de chamar a atenção e a linguagem da banda desenhada: “Filactera, meu amor” foi o nome
para a importância do livro e da leitura. do atelier, concebido e dinamizado por Miguel Horta no sentido de
estimular o debate à volta do significado dos adjectivos, bem como de
Assim, organizados pelo Grupo de Trabalho Concelhio da Rede de
procurar verbos que traduzam o sentido das onomatopeias.
Bibliotecas Escolares e Municipal, houve encontros entre a escritora
Fátima Éffe e os alunos do 1.º ciclo dos dois agrupamentos, e foi Uma actividade no âmbito do Itinerâncias, programa promovido pelo
realizada uma acção sobre “O valor da leitura: disparos de olhos ven- Ministério da Cultura em parceria com a Direcção Geral do Livro e
dados”, dinamizada pelo Dr. Pedro Balaus da ESEC, destinada a pro- das Bibliotecas e ao qual Miranda do Corvo não podia deixar de se
fessores e alunos a partir do 9.º ano. associar. Uma iniciativa marcada pela aprendizagem não formal, na
qual participaram os alunos do 7.º ano das escolas de Miranda do
Houve ainda sessões de contos, para os alunos do Jardim de Infância
Corvo.
de ambos os agrupamentos, dinamizados pela Associação Camaleão,
enquanto a Biblioteca Municipal esteve de portas abertas até às 11 Depois, também os alunos do 5.º ano puderam conversar com o au-
da noite, no dia Mundial do Livro, acolhendo o debate “Os livros da tor, desta vez sobre o livro Pinok e Baleote, obra que revela Tamarindo,
minha vida”. uma ilha imaginária de Cabo Verde, e um menino crioulo com fama
de mentiroso. Acima de tudo, o relato de uma amizade entre homens
No agrupamento de escolas de Miranda do Corvo, a Biblioteca
e animais que acaba por salvar a ilha, semeando solidariedade.
Manuel Alegre acolheu uma Tertúlia Literária, para alunos do 7º
ano de escolaridade, a propósito do livro de Jorge Amado “O Gato Também a apresentação do livro “Drogas em Portugal” foi acolhida
Malhado e a Andorinha Sinhá”, uma iniciativa organizada e dinamizada pela Biblioteca Municipal Miguel Torga. “Drogas em Portugal” é um
pelas professoras de Língua Portuguesa, tendo a Biblioteca distribuído, estudo de Lúcia Dias, mestre em Toxicodependência e Patologias
na escola, marcadores de livros com os Direitos do Leitor, extraídos Psicossociais, pelo Instituto Superior Miguel Torga de Coimbra,
da obra “Como um Romance” de Daniel Pennac. profissional que trabalha actualmente no Instituto da Droga e da
Toxicodependência.
Já na escola EB 23 C/JI Ferrer Correia, os alunos do 1º CEB dramati-
zaram histórias para os alunos mais pequenos do Jardim de Infância, Esta apresentação pretendeu ser um contributo à compreensão do
sendo que houve ainda outras diversas iniciativas nas diferentes esco- fenómeno das drogas no âmbito nacional, aferindo como o mesmo
las e jardins-de-infância do concelho. se tem repercutido na trajectória e na evolução das políticas de dro-
gas em Portugal, salientando, nomeadamente as suas continuidades,
interrupções, revisões e previsões ao longo das últimas décadas.

44

paginaçao v8_maio2009B.indd 44 25/05/09 18:37:17


Educação

Obras na Escola de Vila Nova Escola de Rio de Vide

Obras na Escola de Vila Nova Escola de Rio de Vide

Obras na Escola de Vila Nova Escola de Rio de Vide

Escola de Rio de Vide Escola de Rio de Vide

45

paginaçao v8_maio2009B.indd 45 25/05/09 18:39:32


Educação
Voltamos a 2007 para recuperar a conclusão das obras de requali- da componente de apoio à família. Um plano totalmente subsidiado
ficação e ampliação da escola de Vila Nova, o encerramento de um pela autarquia e que quis abranger todos os alunos que frequentam
processo que foi mesmo motivo de celebração e convívio, com um ensino pré-escolar público.
almoço que juntou crianças, pais e encarregados de educação, pro-
fessores, funcionários e representantes do executivo camarário, numa Por considerar que a expressão físico motora faz parte integrante
iniciativa organizada pelos docentes do estabelecimento de ensino do currículo dos alunos do pré-escolar e atendendo a que nos es-
com o apoio dos encarregados de educação. tabelecimento de ensino onde o número reduzido de crianças no
horário de prolongamento não permite o normal funcionamento das
O investimento e a melhoria na rede escolar do concelho são, aliás, actividades, a autarquia solicitou à Direcção Regional da Educação do
predicado da autarquia; a escola de Vila Nova, que já anteriormente Centro (DREC) autorização para implementar o ensino coadjuvado.
fora intervencionada e que ficou em 2007, dotada de uma copa, de
recreio coberto e de instalações sanitárias, é a única a funcionar nesta Ou seja, pretende-se com isso que as educadoras tenham a oportu-
freguesia, sendo frequentada por mais de duas dezenas de crianças. nidade de trabalhar com professores especializados, podendo assim
adquirir conhecimentos, vivenciar experiências e até terem formação
Requalificada foi também a escola de Rio de Vide, que mereceu festa para que no futuro possam elas próprias implementar estas activida-
idêntica, sendo que na celebração do fim das obras os mais peque- des no horário curricular, permitindo melhorar e diversificar o proces-
nos apresentaram os seus dotes artísticos e o que aprenderam na so ensino/aprendizagem dos alunos.
escola.
Recordamos que, mesmo antes da existência das actividades de en-
A requalificação das casas de banho, com construção de casa de ba- riquecimento curricular no 1.º ciclo (programa criado pelo governo
nho para deficientes, a requalificação do hall de entrada, a construção e implementado pela Autarquia), já essa prática não era totalmente
de sala polivalente e a colocação de vedação foram algumas obras nova no nosso município, sendo que existiam aulas de expressão físi-
feitas em 2007, sendo que, e por solicitação da autarquia, a Direcção co motora e de inglês na maioria das escolas básicas do concelho, por
de Estradas de Coimbra fez uma passagem inferior para peões de iniciativa da autarquia.
modo a que ficassem garantidas as condições de segurança junto ao
estabelecimento de ensino, nomeadamente na travessia da EN17-1.

Apostar na rede escolar é palavra de ordem da autarquia, o mesmo • Parque Infantil Temático nos Moinhos
o é quando de trata de apoiar a celebração do Natal nas escolas do
No início deste ano foi consignado pela autarquia um parque infantil
concelho. Por isso, a Câmara Municipal tem apoiado e organizado as
temático de circulação rodoviária para a freguesia dos Moinhos, em
tradicionais festas de Natal nos estabelecimentos do 1.º ciclo bem
Miranda do Corvo. Com a execução do parque pretende-se criar
como das pré-primárias, reunindo, nestas ocasiões festivas e cheias de
não só uma zona de lazer mas também um espaço que desperte os
surpresas, centenas de crianças.
mais pequenos para as questões da segurança rodoviária, nomeada-
mente através de jogos, brincadeiras e projectos pedagógicos.

• Câmara implementa aulas de Para além do espaço destinado às crianças, esta obra vai criar tam-
expressão físico motora e de inglês bém um espaço para os que acompanham os mais pequenos possam
desfrutar de agradáveis momentos ao ar livre, colmatando assim a
No ano passado, a autarquia apostou na implementação de aulas/ falta de um local destinado às famílias, numa localidade marcada pelo
actividades de expressão físico motora e de inglês em toda a rede do grande dinamismo e com uma população muito activa em termos
ensino pré-escolar. “Prés em acção” foi o nome escolhido para este de associativismo. O valor da obra ronda os 34.000 euros e tem um
novo plano educacional, o qual a Câmara pretendeu levar a todos os prazo de concretização de 45 dias.
jardins-de-infância do concelho.
Previamente à construção do parque foi realizado uma reunião com
Para isso, a autarquia colocou profissionais especializados nestes es- a população para análise e recolha de sugestões sobre o projecto e
tabelecimentos de ensino para leccionarem nestas áreas, no horário localização. A população participou tendo dado alguns contributos
importantes.
46

paginaçao v8_maio2009B.indd 46 25/05/09 18:39:34


Educação
• Apoio à formação dos nossos séniores
Em Fevereiro passado, a Câmara Municipal atribui um voto de louvor
à Universidade Sénior da Associação da ADFP. Uma distinção que teve
por base o facto de a Universidade ter conquistado o primeiro lugar no
Concurso Nacional de Cultura, promovido pela Rede das Universidades
da Terceira Idade e onde estiveram representadas 16 congéneres do país.
Este ano, será a Universidade Sénior da ADFP a organizar o Concurso, de
uma vez que conquistou o primeiro lugar.

Obras de Construção do Parque Infantil e Temático dos Moinhos, Mas a conquista desse prémio foi apenas mais uma razão para o voto
em colaboração com a Junta de Freguesia
de louvor, de uma vez que, tal como consagra esse louvor, o que está
em causa e o que motiva um profundo reconhecimento é todo o tra-
balho que tem sido desenvolvido pela Universidade Sénior, na procura
da melhoria da qualidade de vida da população sénior, pelo que estão
de parabéns os alunos, os professores, a instituição e os dinamizadores
deste projecto.

E a propósito da Universidade Sénior, a autarquia deliberou também de-


senvolver esforços para que o Tesouro de Chão de Lamas venha para o
município. Uma tomada de posição que visa complementar, e apoiar, as
Obras de Construção do Parque Infantil e Temático dos Moinhos,
acções que estão a ser desenvolvidas por aquela instituição no sentido
em colaboração com a Junta de Freguesia de resgatar este património. Uma deliberação por unanimidade, com os
vereadores do PS a mostrarem-se também empenhados na recupera-
ção do tesouro.

Saiba que o tesouro de Chão de Lamas é um conjunto de peças de prata


lavrada e fundida, de raro valor, que está em Madrid há várias décadas
sem que nunca ninguém se tenha preocupado com a sua devolução ao
nosso país.Também não se sabe como foi parar a Espanha tudo levando
a crer foi comprado, onde tem sido estudado por arqueólogos e etnó-
grafos estrangeiros.

Obras de Construção do Parque Infantil e Temático dos Moinhos, Confirmada a existência do tesouro no país de “nuestros hermanos”, no
em colaboração com a Junta de Freguesia
Museu Arqueológico Nacional, em Madrid, importa levar a cabo uma
missão para que o tesouro regresse a casa, missão iniciada pela nossa
Universidade Sénior.

Obras de Construção do Parque Infantil e Temático dos Moinhos, Alunos da Universidade Sénior
em colaboração com a Junta de Freguesia

47

paginaçao v8_maio2009B.indd 47 25/05/09 18:39:55


Educação

Algumas peças do Tesouro de Chão de Lamas

48

paginaçao v8_maio2009B.indd 48 25/05/09 18:40:12


Desporto
• Miranda está em forma…

Em colaboração com diversas entidades, a autarquia promoveu, em


Abril passado, diversos eventos desportivos com o objectivo de fo-
mentar e incentivar a prática desportiva no concelho, promovendo
várias modalidades correntemente praticadas em Miranda do Corvo,
divulgando as colectividades/associações que dinamizam essas práti-
cas, e sensibilizando todos os munícipes para as vantagens da prática
desportiva e de um estilo de vida saudável.

Torneios de Natação do Clube Náutico de Miranda do Corvo


Com vista ao fomento de um estilo de vida qualitativamente superior,
foram programadas na última fase do tema várias modalidades, como
natação, badminton, andebol, futsal, futebol de 11, equitação, atletismo,
judo, ginástica, BTT e pedestrianismo.

Pequenos e grandes, desde as escolinhas aos seniores, dos masculi-


nos aos femininos, das competições distritais às nacionais, passando
pelos treinos e convívios, tudo e todos estiveram representados em
Miranda, num Abril muito mexido e activo.

O pavilhão, as piscinas e os campos (relvado e pelado) municipais


Torneios de Natação do Clube Náutico de Miranda do Corvo
de Miranda do Corvo, o pavilhão da Casa do Povo, os campos dos
Moinhos e de Lamas e os Caminhos Pedestres foram os principais
locais onde decorreram as actividades, eventos realizados aos fins-
de-semana e que contaram com o envolvimento das colectividades
desportivas de Miranda do Corvo.

Torneios de Natação do Clube Náutico de Miranda do Corvo

Torneios de Natação do Clube Náutico de Miranda do Corvo Finais do Campeonato nacional misto de Badminton

49

paginaçao v8_maio2009B.indd 49 25/05/09 18:40:35


Desporto

Entrega de prémios das finais de Badminton realizadas no Pavilhão Municipal

Finais de Badminton realizadas no Pavilhão Municipal Entrega de prémios das finais de Badminton realizadas no Pavilhão Municipal

Entrega de prémios das finais de Badminton realizadas no Pavilhão Municipal Entrega de prémios das finais de Badminton realizadas no Pavilhão Municipal

Entrega de prémios das finais de Badminton realizadas no Pavilhão Municipal Finais de Badminton realizadas no Pavilhão Municipal

50

paginaçao v8_maio2009B.indd 50 25/05/09 18:42:06


Desporto

Futsal – Jogo Casa do Povo Vs Benfica Torneio Internacional de Esperanças – Judo

Futsal – Jogo Casa do Povo Vs Benfica Torneio Internacional de Esperanças – Judo

Futsal – Jogo Casa do Povo Vs Benfica Torneio Internacional de Esperanças – Judo

Prova de saltos de obstáculos - centro hípico de Miranda do Corvo Torneio Internacional de Esperanças – Judo

51

paginaçao v8_maio2009B.indd 51 25/05/09 18:42:58


Desporto

Torneio Internacional de Esperanças – Judo Torneio Internacional de Esperanças – Judo

Torneio Internacional de Esperanças – Judo Torneio Internacional de Esperanças – Judo

Torneio Internacional de Esperanças – Judo Torneio Internacional de Esperanças – Judo

Torneio Internacional de Esperanças – Judo Torneio Internacional de Esperanças – Judo

52

paginaçao v8_maio2009B.indd 52 25/05/09 18:43:34


Desporto

Torneio Internacional de Esperanças – Judo Torneio Internacional de Esperanças – Judo

Torneio Internacional de Esperanças – Judo Torneio Internacional de Esperanças – Judo

Torneio Internacional de Esperanças – Judo Torneio Internacional de Esperanças – Judo

Torneio Internacional de Esperanças – Judo Torneio Internacional de Esperanças – Judo

53

paginaçao v8_maio2009B.indd 53 25/05/09 18:44:26


Desporto

Torneio Internacional de Esperanças – Judo Grupo de Caminheiros – Pedestrianismo da Primavera

BTT - Vale do Açôr Grupo de Caminheiros – Pedestrianismo da Primavera

BTT no Grondramav Grupo de Caminheiros – Pedestrianismo da Primavera

Grupo de Caminheiros – Pedestrianismo da Primavera Grupo de Caminheiros – Pedestrianismo da Primavera

54

paginaçao v8_maio2009B.indd 54 25/05/09 18:45:12


Desporto
• … Toca a mexer! Federação Portuguesa de Futebol, do Instituto do Desporto e do
Banco Espírito Santo, foi instalado um mini campo polidesportivo, sin-
A pensar sobretudo na população em geral, e no seu exercício físico, tético, nas instalações do estádio municipal relvado.
a autarquia decidiu organizar as caminhadas: a primeira foi em Março,
no dia 22, numa festa de boas vindas à Primavera. Assim, a Caminhada Uma infra-estrutura inaugurada no início desta ano que pode ser uti-
da Festa da Primavera visitou vários locais em redor das aldeias ser- lizada pelos alunos das escolas do 1.º ciclo, no âmbito das actividades
ranas do concelho, nomeadamente Gondramaz, Galhardo e Cadaval. extracurriculares, bem como por todo o público juvenil em geral. A
autarquia já se candidatou, na 2.ª fase deste projecto, a mais quatro
No final da caminhada, no parque de merendas da Chapinha, des- mini-campos, candidaturas que estão agora em fase de aprovação.
frutou-se de um almoço partilhado e de convívio, tendo a Câmara O programa, no âmbito do qual foi feita a candidatura, destina-se
garantido o transporte, do Mercado Municipal até ao Gondramaz, a apoiar a instalação de recintos desportivos constituídos por mini
para início da caminhada, e também no regresso. campos polivalentes, com dimensões aproximadas de 21 x 12 m,
revestidos a relva sintética, equipados com balizas de futebol/andebol,
As caminhadas são organizadas pela autarquia e têm o apoio da tabelas de basquetebol, postes de voleibol, tabelas e balaustradas de
ADFP, do Núcleo de Miranda do Corvo da Fundação Portuguesa de cercadura/protecção em estrutura de aço ou madeira, tratados para
Cardiologia e de vários grupos de caminheiros do concelho, e, um uso ao ar livre.
mês depois – em Abril – saiu à rua a segunda caminhada, a da Rota
da Chanfana. E porque Miranda é, sem dúvida, um concelho em movimento, a
vila recebeu, em Março passado, a final do Campeonato Nacional
Porque também não esquece os mais idosos, a autarquia deu início, de equipas mistas de Badminton, um evento que decorreu no Pavil-
também em Abril, às aulas de Ginástica e de Manutenção destinadas a hão Municipal, numa organização conjunta da autarquia, da Federação
alunos de uma faixa etária mais elevada, aulas que desde então decor- Portuguesa de Badminton e da Associação Portuguesa de Juízes e
rem todas as terças-feiras. Árbitros de Badminton.

Destaque para outro evento tradicional em Abril, a famosa Prova de Vimos assim mais uma importante competição nacional chegar ao
Carro de Rolamento, que este ano, no Dia da Liberdade, se realizou Pavilhão Municipal, tendo chegado a Miranda várias dezenas de atle-
mais uma vez entre o Senhor da Serra e Semide, promovida, como tas de todo o país, nomeadamente, os representantes nacionais nos
habitualmente, pela junta de freguesia de Semide. Jogos Olímpicos de Pequim e, ainda, o primeiro classificado no ranking
nacional (que foi também primeiro classificado no ranking europeu
De referir as instituições concelhias que aderiram a este progra- de juniores).
ma, dando as mãos com a autarquia, e, assim, contribuíram para o
enriquecimento deste projecto, o “Miranda em Grande Forma Momentos altos no desporto do concelho, de muita espectaculari-
Desportiva”: Clube Náutico, MCV Bike, Bike on Elas, Escola José Fal- dade, a título do que já acontece no município com a realização do
cão – Desporto Escolar, Federação Portuguesa de Judo, Associação Torneio Internacional de Esperanças, um evento que decorre no
Distrital de Judo de Coimbra, Secção de Judo da Casa do Povo, Junta Pavilhão Gimnodesportivo Municipal de Miranda do Corvo, numa
de Freguesia de Semide, Caminheiros da ADFP, Fundação portuguesa organização da Federação Portuguesa de Judo.
de Cardiologia/Centro de Saúde de Miranda do Corvo e Sector de
Desporto da autarquia. A divulgação e promoção do Judo em Portugal, e a mobilização das
associações distritais, de clubes, treinadores, árbitros e atletas na in-
crementação do prestígio internacional da Federação Portuguesa de
• Mini campos sintéticos num concelho Judo são os grandes objectivos deste evento, que coloca Miranda
que acolhe competições nacionais do Corvo na rota dos grandes acontecimentos, possibilitando uma
divulgação extraordinária do concelho, ou não fosse o Torneio ampla-
Graças a uma candidatura da Câmara Municipal a um projecto da mente divulgado, nomeadamente na televisão e internet.

55

paginaçao v8_maio2009B.indd 55 25/05/09 18:45:14


Desporto

Inauguração do Mini-Campo Poli Despotivo no Estádio Municipal Inauguração do Mini-Campo Poli Despotivo no Estádio Municipal

Inauguração do Mini-Campo Poli Despotivo no Estádio Municipal Inauguração do Mini-Campo Poli Despotivo no Estádio Municipal

Inauguração do Mini-Campo Poli Despotivo no Estádio Municipal Inauguração do Mini-Campo Poli Despotivo no Estádio Municipal

Inauguração do Mini-Campo Poli Despotivo no Estádio Municipal Inauguração do Mini-Campo Poli Despotivo no Estádio Municipal

56

paginaçao v8_maio2009B.indd 56 25/05/09 18:46:06


Desporto
Mais uma vez, esta importante prova voltou a realizar-se no Pavilhão
Municipal de Desportos de Miranda do Corvo, com os mirandenses
e a autarquia a sentirem-se orgulhosos por receberem, de novo, a
confiança da Federação Portuguesa de Judo e da Associação Distrital
de Judo de Coimbra, que aceitaram a colaboração da Câmara para
organizar uma prova desta dimensão.
No torneio deste ano participam cerca de duas centenas de atletas,
estando representadas as selecções de Portugal, Espanha e Bélgica.
A competição decorreu a 18 e 19 de Abril, tendo depois os atletas
ficado em estágio durante mais 3 dias.
Estágio Nacional de Katas

Isto, graças às boas condições, à boa receptividade por parte das en-
tidades municipais e ao interesse na divulgação da modalidade. Para
além dos dois treinos diários, os atletas participantes usufruíram e
desfrutaram dos atractivos do concelho.

A coroar o bom trabalho no desenvolvimento do Judo, Miranda foi


também palco, entre os dias 1 e 3 de Maio, do Estágio Nacional de
katas. O kata é um conjunto de técnicas fundamentais, um método
de estudo especial, para transmitir a técnica, o espírito e a finalidade
do judo.
Estágio Nacional de Katas

A organização destes eventos é da responsabilidade da Federação


Portuguesa de Judo e Associação de Judo de Coimbra e conta com
o apoio da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, Junta de Freg-
uesia de Miranda do Corvo e Secção de Judo da Casa do Povo de
Miranda do Corvo, e insere-se também no projecto “Miranda em
Grande Forma Desportiva”.

Estágio Nacional de Katas

Estágio Nacional de Katas Estágio Nacional de Katas

57

paginaçao v8_maio2009B.indd 57 25/05/09 18:46:35


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Redes de Água e Saneamento)

• Acessibilidades ção de filtragem para melhorar a qualidade da água. Intervenções


essenciais, até porque a povoação de Tábuas está localizada muito
As acessibilidades continuam a ser uma área de grande investimento próximo da Senhora da Piedade, local de grande valor paisagístico
por parte da autarquia, tendo em conta o progresso e a qualidade de e religioso, que assim ficou ainda mais valorizado.
vida no concelho. O bom estado das vias e a beneficiação da rede • Elaboração de um projecto de arquitectura para a recuperação
viária florestal não foram descuradas, e só no ano de 2007 houve do edifício da hospedaria do Santuário da Senhora da Piedade de
uma série de investimentos. A saber: Tábuas, projecto possível graças a uma candidatura ao programa
Agris - “Recuperação e Valorização do Património Natural da Pais-
• Rectificação e pavimentação da ligação, por Pousafoles, entre La- agem e dos Núcleos Populacionais em Meio Rural” - promovida
mas e a EN110. Englobados neste projecto formam também pavi- pela autarquia e que mereceu parecer favorável.
mentados alguns arruamentos em Lamas. Um projecto que incluiu • Foi consignada a empreitada de pavimentação da estrada que liga
limpeza geral da plataforma e das valetas, saneamento do pavi- Segade a Braços, localidades da freguesia de Semide. Um troço que
mento, execução de valetas em betão, construção de aquedutos, estava em terra batida e cuja pavimentação foi a primeira a ser apli-
alargamento da plataforma, muros de suporte e pavimentação. Um cada, sendo que a empreitada visou também a limpeza de bermas
grande investimento nesta freguesia, nomeadamente nas condições e valetas bem como a construção de um sistema de drenagem de
de circulação e na ligação a outros pontos do concelho; uma obra águas pluviais. Acima de tudo, tornou-se possível a abertura de um
que foi adjudicada por cerca de 142.000 euros. novo acesso a Segade de Lá, localidade que até então tinha apenas
• Com vista à beneficiação de várias estradas florestais nas freguesias uma via de acesso e sem saída. Novas ligações à sede do concelho
de Miranda do Corvo, Vila Nova e Lamas, foi celebrado um con- e à de freguesia foram assim abertas. Para além das estradas adjdju-
trato pela autarquia que visava intervenções para 2007 e 2008, ao dicadas, os funcionários da Autarquia também realizaram inúmeras
abrigo do projecto comunitário Agris, obras num valor total superi- melhorias em várias estradas
or a 130.000 euros. A regularização geral das plataformas das estra-
das, com a abertura de valetas, a limpeza de taludes, a drenagem de
águas pluviais e a construção de aquedutos foram as grandes obras
realizadas, numa altura em que a requalificação deste tipo de vias se
assume como fundamental na protecção florestal, nomeadamente
ao nível da prevenção/combate de incêndios florestais.
• Pavimentação da estrada entre Tábuas e a Senhora da Piedade, uma
obra feita na sequência dos trabalhos de colocação de saneamento
e pavimentação em Tábuas, realizados nos dois anos anteriores.
Também em Tábuas foi construído um reservatório para abasteci-
mento de água e, depois, foi adjudicada a construção de uma esta-
Estrada Lamas / Pousafoles

Inauguração da Repavimentação da Estrada Lamas / Pousafoles Estrada Lamas / Pousafoles

58

paginaçao v8_maio2009B.indd 58 25/05/09 18:47:05


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Redes de Água e Saneamento)

Pavimentação da estrada de ligação de Segade a Braços Requalificação Urbana, redes de água e Saneamento

Pavimentação da estrada de ligação de Segade a Braços

Inauguração da estrada de ligação Segade / Braços

• Requalificação Urbana,
Emissário de Vila Nova a Miranda do Corvo
redes de água e Saneamento

Ainda em 2007 foram iniciadas as obras do sub-sistema de sanea-


mento desde de Vila Nova a Miranda do Corvo, englobando emis-
sários, estação e conduta elevatória. Um projecto que teve como
objectivo a recolha e drenagem dos caudais de águas residuais do-
mésticas, de Vila Nova para a ETAR de Miranda do Corvo.

Previu-se então que o novo emissário se desenvolvesse sensivel-


mente ao longo da EN17-1, permitindo o devido tratamento dos
efluentes de Vila Nova, localidade que até aí utilizava fossas que não Requalificação Urbana, redes de água e Saneamento
tinha, condições de salubridade. Esta foi uma obra da responsabili-

59

paginaçao v8_maio2009B.indd 59 25/05/09 18:47:30


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Redes de Água e Saneamento)

Obra de Construção do Interface de Miranda do Corvo

dade da empresa Águas do Mondego, num investimento a rondar os Uma candidatura apresentada pela Câmara Municipal e pela ACIC
760.000 euros, que está concluída. (Associação Comercial e Industrial de Coimbra) e que mereceu a
Recorde-se, que em termos de abastecimento de água, já em 2006 aprovação do Governo, permitindo a execução de investimentos pri-
fora lançado o projecto do complexo da Boavista, e extensão ao vados de remodelação de estabelecimentos comerciais bem como
sector nascente, que incluía, para além das obras a executar no con- alguns investimentos públicos. Uma zona de estacionamento de du-
celho de Coimbra, os reservatórios de Cabouco III e EE anexa, o ração limitada na Praça surge neste contexto, já que se trata de um
reservatório de Chãs de Crastro, o reservatório do alto de Miranda, local que regista grande pressão por causa da procura de lugares para
bem como das condutas adutoras até ao reservatório do Ribeiro. estacionar.
A Câmara Municipal de Miranda do Corvo é accionista da empresa Assim, e tal como defendia um estudo elaborado pelo Departamen-
Águas do Mondego. Trata-se de um investimento extremamente im- to de Engenharia Civil da Faculdade de Ciências e Tecnologia, da Uni-
portante para o Concelho, dado que permitirá abastecer todos os versidade de Coimbra, decidiu-se criar estacionamentos tarifados, e
habitantes com água de grande qualidade e em quantidade. limitados, apoiando os serviços e o comércio daquela área. A intenção
foi a de beneficiar comerciantes e utentes, no caso, ficando o estacio-
Também no final de 2007, teve lugar, finalmente, a consignação, namento limitado, entre as 10 e as 18 horas dos dias úteis.
por parte da CP, do Interface de Miranda do Corvo, com vista à
construção da componente rodoviária. Uma empreitada cujo valor O regulamento, e preços a cobrar, foram aprovados em reunião de
ascende a 810 mil euros, a contemplar intervenções profundas em câmara, por unanimidade e em assembleia municipal. O preço de
toda a envolvente da estação de Miranda. Obras que se haviam de estacionamento foi fixado em 5 cêntimos por cada período de 10
prolongar pelo menos durante um ano com vista a uma profunda minutos, valor igual ao que é cobrado na Lousã e inferior ao cobrado
requalificação desta zona. em Condeixa.

• Segurança Rodoviária

Também a requalificação da zona da Praça José Falcão motivou o


condicionamento do estacionamento naquela área, uma medida im-
plementada pela autarquia e prevista na Proposta de Estruturação do
Sistema Viário e Pedonal da Vila de Miranda do Corvo, proposta que
foi, aliás, apresentada e aprovada pelo programa URBCOM – Urban-
ismo Comercial.
Parquímetro da Praça José Falcão

60

paginaçao v8_maio2009B.indd 60 25/05/09 18:47:45


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Redes de Água e Saneamento)

Estacionamento na Praça da Feira da Sardinha

Construção de passeios na antiga EN 342 no Bairro Novo Rua de Ligação entre a Praceta Luís de Camões e a Rua Dr. Rosa Falcão

Construção de passeios na antiga EN 342 no Bairro Novo Construção de passeios na Rua João Paulo II

61

paginaçao v8_maio2009B.indd 61 25/05/09 18:48:06


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Redes de Água e Saneamento)

Passeios na Rua Arménio da Costa Simões Rede de Águas e Saneamento no Corvo

Praça Dr. Fausto Correia Rede de Águas e Saneamento no Corvo

Passeios na Rua Arménio da Costa Simões Fátima Ramos solicita ao Secretário de Estado das Obras Públicas
os estudos para o novo IC3

De olhos postos no IC3


Porque se trata de uma via fundamental para Miranda, e para toda a região do Pinhal Interior, a autarquia solicitou, em Fevereiro passado,
informações sobre o concurso da Concessão do Pinhal Interior, na qual está inserido o futuro IC3. Por esta altura, e depois da informação de
que o concurso estava ainda a decorrer, aguarda-se a qualquer momento o anúncio do vencedor.
Para além de Miranda do Corvo, o novo IC3 vai cruzar os concelhos de Coimbra, Condeixa-a-Nova, Penela, Figueiró dos Vinhos, Ansião, Al-
vaiázere, Ferreira do Zêzere e Tomar, permitindo a interligação rápida e segura entre a variante de Tomar, o IC8 em Avelar, a A1/IC2/EN1, em
Condeixa, e a circular externa de Coimbra, que se encontram já construídas e sob exploração.
Mais: este traçado vai permitir a abertura do IC3 ao trânsito resultante dos concelhos de Miranda, Lousã, Góis e Pampilhosa da Serra.
Assim, a construção do IC3 reveste-se de grande importância para um conjunto de concelhos que, apesar das infra-estruturas rodoviárias cria-
das nos últimos anos, por todo o país, têm ficado sistematicamente esquecidos. A autarquia de Miranda aguarda o início da obra, um projecto
altamente impulsionador do desenvolvimento do concelho e da região.

62

paginaçao v8_maio2009B.indd 62 25/05/09 18:52:41


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Redes de Água e Saneamento)

Entretanto, e fruto deste tipo de investimentos, outras ruas foram alvo


deste tipo de intervenção, nomeadamente as ruas Dr. José Carlos
Pereira de Carvalho, da Coutada, da Quinta do Viso, João Paulo II,
Arménio da Costa Simões, Estrada Real, e ainda a Dr. Carlos Alberto
Mota Pinto.

Já antes, tinha sido aprovada o concurso para a execução de sanea-


mento no Corvo bem como a remodelação da rede de águas nesta
localidade. Uma obra que pretendeu dotar o Corvo de uma rede de
drenagem de águas residuais e de uma renovada rede de águas para
um abastecimento com maior qualidade.
O Corvo é uma localidade da vila de Miranda que, no início de 2008,
Uma medida tomada no início de 2008, altura em que se previa
não dispunha ainda de saneamento e, no caso da rede de águas, o
já a execução de um novo parque de estacionamento na zona da
investimento consagrou uma renovação que incluiu os ramais dos
Praça da Feira da Sardinha, bem como a abertura de uma nova rua
domicílios.Tudo isto numa altura em que estavam também em curso
de ligação entre a Praceta Luís de Camões e a Rua Dr. Rosa Falcão,
as obras na rede de saneamento em Bujos e em Vale Simões, numa
tendo a autarquia projectos e, inclusivamente, adquirido os terrenos
clara prova do esforço do executivo na melhoria da qualidade de vida
necessários para o efeito.
dos munícipes.

Nesta linha de investimento na requalificação urbana mas também


tendo em conta uma aposta nas boas condições de segurança ro-
• Miranda passa na prova
doviária no concelho, a autarquia celebrou, no início deste ano, a con-
e mantém serviços certificados
signação da construção de passeios nas Meãs, tendo sido também
consignada a obra de construção de passeios ao longo da antiga EN
O município de Miranda continua a ter serviços certificados, depois
342, nomeadamente nas ruas do Cruzeiro, da Casa do Gaiato e do
da auditoria realizada pela LUSAENOR que veio aferir das condições
Bairro Novo.
para manutenção deste tipo de certificação. Recorde-se que em
Março de 2008 foi atribuído a Miranda do Corvo o certificado que
Note-se que estas vias são percorridas diariamente por muitas pes-
tem como base a NP EN ISO 9001 - sistemas de gestão da qualidade,
soas, tratando-se também de zonas com muito trânsito automóvel,
válido por três anos mas dependente de uma auditoria anual.
daí a importância deste tipo de obras, passo fundamental para au-
mentar a segurança dos peões e dos próprios automobilistas.
Em causa está a boa qualidade dos serviços prestados, nomeadamente

63

paginaçao v8_maio2009B.indd 63 25/05/09 18:53:13


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Traçado previsto para o IC3)

Traçado do novo IC3

64

paginaçao v8_maio2009B.indd 64 25/05/09 18:54:29


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Traçado previsto para o IC3)

Traçado do novo IC3

65

paginaçao v8_maio2009B.indd 65 25/05/09 18:54:40


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Redes de Água e Saneamento)

no atendimento aos munícipes, nas áreas do saneamento, das taxas e comercial, constitui uma referência para toda a população, merecen-
licenças, dos recursos humanos, do património, do aprovisionamento, do uma intervenção que dignifique o espaço. O Mercado Municipal
do expediente geral e do arquivo. O mesmo se aplica no sector das faz parte de um conjunto de equipamentos que tendem a atrair a
águas, ao nível da captação, distribuição e serviços administrativos. população para o seu uso e promovem a economia local.

O grande objectivo do município em manter este processo de certi- As obras na Rua Dr. Mota Pinto e a Praça Dr. Fausto Correia já estão
ficação é, precisamente, o de saber que satisfaz as necessidades e ex- em curso, pretendendo-se a requalificação do espaço público, criando
pectativas dos cidadãos, servindo e atendendo com qualidade e com novas centralidades e ocorrências urbanas. O arranjo urbanístico no
rapidez, indo de encontro às melhores expectativas dos munícipes. Porto Mourisco, os passeios e o bar da Quinta da Paiva permitirão
o acesso a equipamentos de qualidade e promoverão o bem-estar,
No decorrer da auditoria, realizada recentemente, foi, aliás, elogiado o dando visibilidade e facilitando o acesso a uma zona vocacionada para
trabalho e o envolvimento dos funcionários que mostraram conhecer as actividades recreativas e de lazer.
o sistema, empenhando-se na melhoria dos serviços, bem como na
gestão deste processo da qualidade. Reconhecida foi também a quali- Já as acções de promoção da cidadania terão como objectivo mo-
dade do sistema informático e de outros projectos que, no futuro, vão bilizar os residentes, criando ciclos de participação cívica e desen-
melhorar ainda mais o atendimento. volver acções para que Miranda do Corvo seja uma vila cada vez mais
acolhedora.Todos estes investimentos vão também ajudar a valorizar
• Plano Operacional Regional do Centro o dinamismo das actividades comerciais e dos serviços existentes
inserindo-se nas acções previstas no plano estratégico recentemente
É, sem dúvida, um grande passo no sentido de ver requalificados mais elaborado para o concelho.
alguns espaços de Miranda do Corvo: a autarquia apresentou uma Recorde-se que nesse plano, após uma análise dos pontos fracos e
candidatura ao Plano Operacional Regional do Centro, nomeada- dos pontos fortes, a equipa que elaborou o trabalho concluiu que
mente ao programa “Parcerias para a Regeneração Urbana”, a qual o melhor slogan para o concelho é o de “Comunidade Saudável e
já foi aprovada. Solidária”. Esta candidatura insere-se nessa filosofia de modo a tornar
a vila mais competitiva e inovadora; os investimentos previstos terão
O valor do investimento previsto é de cerca de 1.300.000 euros, uma óptima interligação com o investimento do novo interface fer-
incluindo IVA, a taxa de comparticipação é de 70% e o montante de roviário do Metro Mondego, com a Quinta da Paiva e também com
incentivo é de aproximadamente 906.000 euros. O projecto de can- o Pólo Escolar.
didatura inclui várias obras extremamente importantes e a realização «Refira-se que apesar de situado no Pinhal Interior, Miranda do Cor-
de acções de promoção de cidadania. vo é um concelho com infra-estruturas que lhe permitem oferecer
boa qualidade de vida. Possui um índice de desenvolvimento social
Incluídas na candidatura estão as obras de requalificação da Rua acima da média.
Dr. Mota Pinto, incluindo construção da Praça Dr. Fausto Correia, a
requalificação do Mercado Municipal e área envolvente, construção Ao nível da micro economia vive, claro, um momento difícil com
de passeios na Rua do Porto Mourisco, arranjo urbanístico no Porto enormes dificuldades para a pequena indústria e pequeno comércio,
Mourisco e o bar da Quinta da Paiva. sobretudo na área da construção civil, motivado pela conjuntura de
recessão do país. Apesar disso, temos tido alguns casos de sucesso
Obras que visam valorizar o dinamismo das actividades comerciais e com empresas a instalarem-se na zona industrial, novas superfícies
dos serviços existentes, criar melhores condições de mobilidade para comerciais e projectos de qualidade no turismo.
automóveis e peões e aumentar a oferta de espaços verdes e de lazer,
melhorando assim a qualidade de vida das pessoas. Os novos investimentos projectados, quer pela Câmara Municipal
quer pelo Governo, nomeadamente o IC-3 (com perfil de auto-es-
Destaque também para a intervenção prevista para o Mercado Mu- trada) e o Sistema de Mobilidade do Mondego, o Parque de Lazer
nicipal e espaço envolvente, local que, pela sua localização e actividade da Quinta da Paiva e as aldeias do xisto, entre outros, terão impactos
muito positivos no desenvolvimento do concelho e da região.

66

paginaçao v8_maio2009B.indd 66 25/05/09 18:54:43


Acessibilidades e Requalificação
Urbana (Redes de Água e Saneamento)

Rede de Águas e Saneamento nos Bujos

Lançamento da 1.ª pedra da Praça Dr. Fausto Correia

Requalificação urbana Rua Dr. Mota Pinto Rede de Águas e Saneamento nos Bujos

Praça Dr. Fausto Correia Interface de Miranda do Corvo – Metro Mondego

Mercado Municipal Interface de Miranda do Corvo – Metro Mondego

67

paginaçao v8_maio2009B.indd 67 25/05/09 18:55:31


Colaboração
Inter-Institucional
“O princípio da Democracia é dar e receber” de todo o processo, nomeadamente transporte, armazenagem, con-
Anónimo servação, confecção de alimentos, exposição, higiene, equipamentos,
mecanismos de autocontrolo, etc.

Por isso, foram também apresentados exemplos de más práticas, e


não permitidas, que podem constituir risco para a saúde dos consu-
midores e acarretar sanções para os agentes económicos. O mesmo
com exemplos de boas práticas, sendo que foram dados conselhos e
orientações para o armazenamento, manipulação e comercialização
de produtos alimentares.

Uma iniciativa que teve lugar no auditório da Câmara Municipal e


Sessão de Esclarecimento com Técnico da ASAE muito bem recebida pela comunidade, sendo que estiveram presentes
mais de 80 pessoas nesta formação, que o executivo promoveu no
final de 2007.

De registar, também, a colaboração da ACIC – Associação Comercial


e Industrial de Coimbra, que, em cooperação com a autarquia, pro-
moveu uma sessão de esclarecimentos sobre as PME (Pequenas e
Médias Empresas) e os incentivos disponíveis para este tipo de inves-
timento (Linha de Crédito PME Investe II e os microcréditos).

•Sessões de esclarecimento

A colaboração entre autarquia, entidades, colectividades e instituições


tem sido fundamental para o trabalho realizado pela Câmara Mu-
nicipal. Porque dar é, também, saber receber, frisamos alguma dessa
colaboração, no caso, apontamos um pouco dessa cooperação, no-
meadamente a nível inter-institucional.

Com a presença de técnicos da ASAE, e depois de um convite for-


mulado pela autarquia, todas as questões relacionadas com a Auto-
ridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) foram esclare-
cidas, numa sessão sobre as responsabilidades dos operadores dos
Sessão de Esclarecimento com Técnico da ASAE
estabelecimentos do sector alimentar. Uma iniciativa dedicada a as-
sociações, comerciantes e muitos outros interessados neste tipo de
informações.

Para além do esclarecimento sobre o objectivo da ASAE – que pre-


tende avaliar e comunicar os riscos na cadeia alimentar, bem como
disciplinar o exercício das actividades económicas nos sectores
alimentar e não alimentar, mediante a fiscalização e prevenção do
cumprimento da legislação reguladora das mesmas – foi facultada in-
formação sobre os diplomas legais que regulamentam as actividades Sessão de Esclarecimento com Técnico da ASAE

68

paginaçao v8_maio2009B.indd 68 25/05/09 18:55:43


Colaboração
Inter-Institucional

• Rede de Cidades Saudáveis


em Miranda

Em Fevereiro de 2008, Miranda do Corvo acolheu a reunião da as-


sembleia intermunicipal da Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis.
Rede que, aliás, integra vários municípios (Amadora, Aveiro, Bragança,
Cabeceiras de Basto, Lisboa, Loures, Lourinhã, Montijo, Odivelas, Oei-
ras, Palmela, Portimão, Resende, Seixal, Serpa, Setúbal, Torres Vedras,
Viana do Castelo,Vila Franca de Xira e Vila Real) e foi constituída em
1997.
Apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do Projecto
Cidades Saudáveis nos municípios que pretendam assumir a pro- Centro de Biomassa de Miranda do Corvo

moção da saúde como uma prioridade, é o grande objectivo da Rede


Portuguesa de Cidades Saudáveis.

Miranda do Corvo tem muito orgulho em pertencer a esta rede.


Aquando da reunião dos representantes dos vários municípios no
nosso Concelho, foi proporcionada uma visita de estudo a vários lo-
cais do concelho, pontos que estão relacionados com uma vivência
saudável, como é o caso de Gondramaz, a Quinta da Paiva e a ADFP.

O projecto de parceria existente entre a Câmara Municipal e a ADFP


Centro de Biomassa de Miranda do Corvo
foi seleccionado para ser representado numa reunião da Assembleia
da rede de cidades saudáveis, dado constituir um bom exemplo de
trabalho de integração.

• Estratégia para o desenvolvimento


industrial em Miranda

Criar, por exemplo, uma incubadora para o acolhimento de empre-


sas tecnologicamente inovadoras, principalmente na área das energias
renováveis, no caso em colaboração com o Centro de Biomassa para
a Energia e a Universidade de Coimbra, é uma das linhas da estratégia
Requalificação Urbana na Zona Industrial
da Câmara Municipal para o desenvolvimento industrial no municí-
pio.

69

paginaçao v8_maio2009B.indd 69 25/05/09 18:56:12


Colaboração
Inter-Institucional
empresários, nomeadamente realizando reuniões com o IAPMEI e com
outros organismos. Neste contexto, a criação de uma incubadora e a di-
sponibilização de novos terrenos industriais, surgem como bases de incen-
tivo ao empreendedorismo, aproveitando as instalações e os equipamentos
de excelência existentes no CBE.

• Contra a transferência da Direcção


Zona Industrial de Miranda do Corvo Regional da Economia

Depois do encerramento, em Miranda, da Agência para a Prevenção dos A Câmara Municipal de Miranda do Corvo, por unanimidade, repudia a
Incêndios Florestais, que deixou as instalações do CBE subaproveitadas, a decisão do Governo de mudar a sede de serviços, de Coimbra para Aveiro,
autarquia pôs em curso um plano de revitalização e reafirmação do tecido da Direcção Regional da Economia do Centro. Uma decisão que autarquia
industrial do concelho. não pode deixar de criticar de uma vez que não existem quaisquer funda-
Por isso, começou por realizar várias reuniões de trabalho que levassem mentos nem razões plausíveis para tal mudança, já anunciada.
à criação dessa incubadora. Com a dinamização do CBE pretende-se
reaproveitar as instalações de modo a criar um pólo para apoio de novas Na opinião do executivo, trata-se de uma decisão inimaginável e também
indústrias. irracional, quanto mais não seja pelos custos que isso envolve. Numa altura
de crise tão profunda, o Ministério da Economia decide gastar dinheiro na
Por esta altura – primeiro trimestre do ano passado – estava já em fase final deslocação de um serviço em qualquer razão válida.
de discussão pública a ampliação do loteamento de Miranda do Corvo,
que vai contar com mais 6 lotes disponíveis, numa primeira fase, e, numa Mais: não é compreensível que se venham a gastar cerca de 6.000 euros
segunda (depois de aprovado o Plano de Pormenor), mais 40 lotes. EmVale mensais a transportar os funcionários da Direcção, de Coimbra para Aveiro,
Marelo, na freguesia de Semide, iniciaram os trabalhos de terra planagem. já para não falar nos transtornos que a deslocação causará aos cerca de 80
Na zona industrial de Miranda do Corvo decorrem obras de colocação funcionários. Salientamos ainda a facto de a Direcção dispor de um edifício
de infraestruturas e pavimentação com o objectivos de tornar o espaço próprio em Coimbra, construído para o efeito, enquanto em Aveiro será
mais agradável. necessário arrendar instalações, o que, obviamente, terá custos acrescidos.

A autarquia considera estarmos perante mais um ataque a Coimbra, en-


•Loteamentos industriais quanto capital da Região Centro, o que não se pode tolerar, por isso, a
manifestação pública de repúdio da presidente da Câmara e todos os vere-
Recorde-se que durante alguns anos não houve a possibilidade de licenciar adores, que solicitaram ao Governo que mantenha a Direcção Regional da
novas indústrias, não existindo também meios de cedência de lotes para Economia em Coimbra.
a indústria o que implicava a não renovação do tecido industrial local. Por
isso, a autarquia teve de avançar, em 2002, com a elaboração de planos
de pormenor para licenciamento de novos espaços industriais; processos • Novas empresas na zona industrrial
morosos que só no ano passado começaram, finalmente, a aproximarem-
se da fase final. Apesar da crise, temos tido alguns casos de sucesso com empresas a in-
stalarem-se na zona industrial, novas superfícies comerciais e projectos de
À semelhança do que passa no país e no mundo, também as indústrias do qualidade no turismo.
concelho lutam contra vários problemas, especialmente as dos sectores de
mão-de-obra intensiva. Numa altura em que a crise económica tem pro- Acreditamos que os novos investimentos projectados quer pela Câmara
vocado encerramentos de muitas empresas, Miranda do Corvo padece do Municipal quer pelo Governo, nomeadamente o IC3 com perfil de au-
mesmo mal, nomeadamente com o fecho de fábricas da área do vestuário toestrada e o Sistema de Mobilidade do Mondego terão impactos muito
e calçado, cerâmica e rochas ornamentais. positivos no desenvolvimento do Concelho e Região.

Ciente das dificuldades, a Câmara Municipal tem, também, apoiado vários A pensar nas vantagens que o IC3 trará ao concelho, temos já em marcha
um processo de criação de uma zona industrial em Lamas.
70

paginaçao v8_maio2009B.indd 70 25/05/09 18:56:17


Colaboração
Inter-Institucional

71

paginaçao v8_maio2009B.indd 71 25/05/09 18:56:28


Miranda,
Capital da Chanfana
• Chanfana mobiliza tradições

“A chanfana é um prato regional da Beira Litoral. É um dos pratos tradi-


cionais mais famosos, cozinhada nos caçoilos de barro. O concelho de
Miranda do Corvo é conhecido por ser a Capital da Chanfana que terá
nascido em Semide. Em Miranda do Corvo existem dois pratos únicos
derivados da chanfana: a Sopa de Casamento e o Negalho.”
“Segundo a lenda, a chanfana teria surgido no Mosteiro de Semide. Até
finais do séc. XIX, todos os agricultores e rendeiros eram obrigados ao
pagamento dos foros (…) Muitos dos moradores, porque eram pas-
tores, pagavam com cabras e ovelhas. Ora, como as freiras não tinham
disponibilidade nem meios para manter tão grande rebanho, descobriram
uma fórmula para cozinhar e conservar a respectiva carne, aproveitando
o vinho que lhes era entregue pelos rendeiros, o louro que tinham na
sua quinta, bem como os alhos e demais ingredientes. Surge, assim, a
chanfana que era religiosamente guardada ao longo do ano nas caves
frescas do mosteiro. Segundo outros, terá sido durante a terceira invasão
francesa que as freiras inventaram esta fórmula gastronómica para evitar
que os soldados franceses roubassem as cabras e as ovelhas da região.
Finalmente, há quem diga que a receita da chanfana nada tem a ver com
o Mosteiro de Semide, mas apenas com as invasões francesas. Diz-se,
então, que, quando as tropas francesas andaram pela região da Lousã e
de Miranda do Corvo, a população envenenou as águas para matar os
franceses. Mas era preciso cozinhar a carne habitualmente consumida
(de cabra e de carneiro) e, como a água estava envenenada, utilizou-se
o vinho da região. A chanfana é um prato típico, não só no concelho de
Miranda do Corvo como de praticamente toda a região centro”

Certo, certo é que, em Miranda, se criou uma rica gastronomia em


que se aproveita integralmente a cabra velha que, depois de ter gera-
do os cabritos no seu ciclo de vida, termina bem assada em bom
vinho tinto, sendo a carne transformada em deliciosa chanfana, as tri-
pas confeccionadas nos apetitosos negalhos, e os resíduos da caçoila
(carne e o molho) a temperarem a saborosa sopa de casamento.
Os amantes da boa e tradicional gastronomia terão a certeza de
comer em Miranda alguns dos pratos mais típicos da cozinha portu-
guesa e de ser servidos com grande simpatia, em ambientes simples,
de gente de bem. Por isso mesmo, já tem data fixa no calendário o
evento “Miranda Capital da Chanfana”.
De meados de Abril à primeira semana de Maio, todo o concelho se
mobiliza para esta iniciativa, realizada num período que compreende
dois feriados (25 de Abril e 1 de Maio). Vários restaurantes dão as
mãos para, em colaboração com a autarquia, promover a gastrono-
mia tradicional baseada na carne de cabra velha, como a chanfana, os

72

paginaçao v8_maio2009B.indd 72 25/05/09 18:56:36


Miranda,
Capital da Chanfana

negalhos e a sopa de casamento.


Estabelecimentos da terra que servem da melhor forma os muitos
amantes da boa gastronomia, muitos deles vindos de fora. Miranda
abraçou o desafio de promover a cozinha tradicional ou não fosse
o berço da receita da chanfana, bem como de outros produtos re-
gionais que lhe estarão sempre associados. Um evento que conta
a colaboração da UAC da Dueceira, sendo que a vertente cultural
e desportiva está também presente no certame, sempre com um
programa rico e diversificado.
Saiba que a chanfana se cozinha com vinho tinto, tradicionalmente
cultivado na freguesia de Lamas, é assada em fornos de barro e em Comemorações do 25 de Abril

antigas caçoilas (fabricadas pelos oleiros do Carapinhal), sendo certo


que Miranda é ainda um museu vivo do barro vermelho. É evidente
a relação entre a confecção da carne de cabra velha e o barro e a
olaria. A sopa de casamento é um prato feito com base em couve e
pão enriquecido com o molho da chanfana enquanto os negalhos são
confeccionados com as tripas de cabra assadas em vinho tinto.

Ingredientes: carne de cabra velha; vinho tinto; alho; colorau; pimenta;


louro; sal.
Confecção: corta-se a carne aos bocados, que se colocam numa ca-
Comemorações do 25 de Abril
çoila de barro. Tempera-se com sal, cabeças de alho inteiras, colorau,
pimenta e louro. Cobre-se com vinho tinto. Vai ao forno de lenha,

73

paginaçao v8_maio2009B.indd 73 25/05/09 18:56:59


Miranda,
Capital da Chanfana

Receita
Ingredientes: carne de cabra velha; vinho tinto; alho; colorau; pi-
menta; louro; sal.
Confecção: corta-se a carne aos bocados, que se colocam numa
caçoila de barro. Tempera-se com sal, cabeças de alho inteiras,
colorau, pimenta e louro. Cobre-se com vinho tinto. Vai ao forno de
lenha, previamente aquecido. Durante o tempo em que a chanfa-
na está a assar, normalmente cerca de 4 horas, a boca do forno
deve manter-se completamente vedada com barro. Geralmente,
a chanfana confecciona-se na véspera de ser consumida. Assim,
deixa-se ficar no forno até à hora de ser servida. Nessa altura,
o barro é picado para se abrir a porta do forno. Serve-se, geral-
mente, com batata cozida e grelos.”

previamente aquecido. Durante o tempo em que a Chanfana está a


assar, normalmente cerca de 4 horas, a boca do forno deve manter-se
completamente vedada com barro. Geralmente, a Chanfana confec-
ciona-se na véspera de ser consumida. Assim, deixa-se ficar no forno
até à hora de ser servida. Nessa altura, o barro é picado para se abrir
a porta do forno. Serve-se, geralmente, com batata cozida e grelos.”

• Real Confraria da Cabra Velha

Continua dinâmica a Real Confraria da Cabra Velha, sendo que as-


sinalamos a Assembleia da Sagração (assembleia-geral) ocorrida em
Janeiro passado, um momento que contou com a participação de
seis dezenas de confrades, sendo que a Real Confraria conta com
cerca de 150.

74

paginaçao v8_maio2009B.indd 74 25/05/09 18:57:20


Miranda,
Capital da Chanfana

Entronização de Novos Confrades

Entronização de Novos Confrades

Entronização de Novos Confrades

Entronização de Novos Confrades

75

paginaçao v8_maio2009B.indd 75 25/05/09 18:58:49


Miranda,
Capital da Chanfana

VI capítulo da Confraria da Cabra Velha

Novos Confrades Entronizados VI capítulo da Confraria do Vinho de Lamas

Confraria da Jeropiga dos Moinhos II capítulo da Confraria do Vinho de Lamas

76

paginaçao v8_maio2009B.indd 76 25/05/09 19:00:24


Miranda,
Capital da Chanfana

Assembleia da Confraria da Cabra Velha nas Chãs

77

paginaçao v8_maio2009B.indd 77 25/05/09 19:01:08


Miranda,
Capital da Chanfana
Uma Assembleia que decorreu na bonita aldeia de Chãs de Semide e des, Telheiro, Paris e Teia foram os restaurantes que aceitaram o desafio
que contou também com a presença de Mário Raposo, grande impul- da autarquia e se associaram na confecção e divulgação da gastronomia à
sionador do Núcleo de Lisboa da Real Confraria da Cabra Velha. base de carne de porco durante esse fim-de-semana.

À parte os trabalhos, houve lugar para um magnífico almoço à base dos À iniciativa juntou-se também a marca “Saludães” que, com o apoio de
pratos de carne de cabra, mas que aqui nesta aldeia tomam alguns con- Carlos Laranjeira, e depois do convite da autarquia, ofereceu 12Kg de ar-
tornos particulares. Para o ano está já marcada nova assembleia-geral, na roz a cada um dos restaurantes participantes. A juntar ao sarrabulho, ao
aldeia de Casal da Senhora. bucho, aos enchidos, às febras e a muitos outros pratos, os clientes foram
brindados com a actuação de gaiteiros que animaram a refeição.
Em Abril, assinalou-se o VI Grande Capítulo da Real Confraria da Cabra
Velha, assinalando-se a efeméride com uma missa solene, um desfile das Porque a riqueza de uma terra é composta pelas suas gentes, o seu
Confrarias e a entronização de novos Confrades. património, as suas paisagens, as suas tradições e a sua gastronomia, a
autarquia não se cansa de apoiar iniciativas como esta, sobretudo para
Destaque ainda para a semana gastronómica da Real Confraria que, em que tão grande, e genuína, riqueza, nunca se perca!
Outubro de 2007, decorreu no Casino da Figueira da Foz. Da ementa
faziam parte “Sopa de Casamento”; “Chanfana com batata cozida e gre-
los” e “Negalhos”, tendo sido escolhidos para sobremesa a “Nabada” e a
“Súplica”, heranças das nossas monjas de Semide, pratos da gastronomia
tradicional do concelho.

No “Salão Caffé” viveu-se um ambiente muito especial e caloroso, típico


dos eventos organizados pelas confrarias, com abundância de rituais
muito próprios e envolventes sob o lema “Manter a tradição de bem
comer e bem beber, de viver melhor e em harmonia com todos”.

Ao mesmo tempo, patente no hall do Casino esteve uma exposição


temática sobre o município de Miranda do Corvo. Registe-se que o Ca-
sino Figueira apostou nesta iniciativa para difundir alguns dos mais simbóli-
cos, saborosos e reconfortantes pitéus da gastronomia portuguesa, dos
quais o concelho de Miranda do Corvo é um digno representante.

•Depois da cabra, só mesmo um (bom) por-


co

Mas nem só de cabra velha se faz a boa gastronomia tradicional de Miran-


da, sendo que as iguarias feitas à base de carne de porco também são
afamadas. Por isso, e também dentro da lógica de defesa da gastronomia
tradicional concelhia, a autarquia, com o apoio da UAC da Dueceira, re-
alizou o fim-de-semana gastronómico dedicado à carne de porco, sob a
sigla “VIVÓ PORCO”.
Parreirinha, Alheda-Caracol, Araújo, Brazão 2005, Café Dueça, Colher de
Pau, Estação de Sabores, Fajú, Manjar do Dia, Brasileiro, Caniço, Careca,
Carpinteiro, Dino, Espanhol, Ferrador, Grelhador, Pedroso, Retiro do Men- Fim de semana gastronómico

78

paginaçao v8_maio2009B.indd 78 25/05/09 19:01:25


Prestamos
Contas
• Rigor orçamental

A 16 de Abril último, o executivo municipal de Miranda do Corvo


apresentou, em sessão de Câmara, o relatório de gestão e contas
referentes a 2008, documento que foi também aprovado.

O volume de execução de obras (nomeadamente ao nível das aces-


sibilidades, da educação, do saneamento e requalificação urbana)
merece destaque, sendo que os orçamentos de receita e despesa
foram concretizados em 66,93% e 61,64%, respectivamente.
Construção da Rede de Abast. de Água do Mondego a Miranda do Corvo

O nível de resultados líquidos positivos é de 140.634,45 euros e o


valor dos meios libertos de 2.183.105,95 euros, fruto da gestão de
rigor levada a cabo pelo executivo. E embora o município não tenha
ainda recebido quaisquer fundos do actual Quadro Comunitário (por
causa do atraso na sua implementação) já conseguiu ver aprovadas
algumas candidaturas o que significa que vai receber fundos já nos
próximos anos.

Também, e ainda, no âmbito do anterior Quadro Comunitário, há


outras candidaturas que foram na altura aprovadas, tendo mereci-
Construção da Rede de Abast. de Água do Mondego a Miranda do Corvo
do aprovação o projecto de candidatura para a execução da nova
alameda das Moitas, obra implementada em 2007/2008, bem como a
aprovação de financiamento para a estrada de Lamas/Pousafoles, para
a obra do Gonramaz e para a estrada agrícola do Senhor da Serra/
Coenços. Actualmente, decorre o arranjo paisagístico da Alameda das
Moitas, através da plantação de árvores e plantas.

Já na sequência de uma candidatura ao Programa Foral, foram real-


izadas várias acções de reorganização dos serviços da Câmara Mu-
nicipal tendo o município obtido em 2008 a certificação de acordo
com a norma ISO9001:2000 para vários serviços, tendo sido 2008, Construção da Rede de Abast. de Água do Mondego a Miranda do Corvo
um ano que representou, simultaneamente, a continuidade de alguns
projectos já iniciados em anos anteriores e o lançamento de novos
projectos que hão-de concretizar-se nos próximos.

Destes novos projectos, destaque para o lançamento do concurso para


o Centro Educativo de Miranda do Corvo, o edifício multi-serviços
de Semide, a construção da Praça Dr. Fausto Correia, a requalificação
de toda a Rua Mota Pinto, o projecto de infra-estruturas da zona in-
dustrial da Pereira e o facto de o Governo ter dado continuidade aos
estudos da nova proposta de IC-3, a qual, a concretizar-se, será uma
grande oportunidade para o concelho. Construção da Rede de Abast. de Água do Mondego a Miranda do Corvo

79

paginaçao v8_maio2009B.indd 79 25/05/09 19:01:32


Prestamos
Contas
Aliás, só a união dos concelhos do Pinhal e a forte capacidade argu-
mentativa da Câmara de Miranda permitiram que o Governo estu-
dasse um traçado do IC-3 alternativo ao inicialmente apresentado,
uma alteração que traz grandes vantagens para Miranda do Corvo e
para a região do Pinhal e do Rio Mondego.

Recorde-se que esta via tinha sido solicitada por diversas ocasiões
por Fátima Ramos, presidente da Câmara, nomeadamente aquando
a cerimónia de abertura ao trânsito do troço da variante da EN342,
entre Miranda e a Cervejota, com a presença do Secretário de Estado
Construção da Rede de Abast. de Água do Mondego a Miranda do Corvo das Obras Públicas.

Mais e melhor para Miranda!

Ainda em 2008, foram iniciadas as obras que vão permitir o abas-


tecimento de Miranda a partir do rio Mondego, num investimento de
alta envergadura – cerca de 25 milhões de euros – e que deve estar
concluído em finais de 2009. Também uma conquista do executivo,
depois de o município ter aguardado anos pela sua concretização.Vão
avançar ainda os projectos de abastecimento de água a Lamas, e a Vila
Construção da Rede de Abast. de Água do Mondego a Miranda do Corvo
Nova a partir de Louçainha.

A rectificação da estrada Urzelhe/Lobases, com construção de nova


ponte, a nova rua de ligação entre a Praceta Luís de Camões e a rua
Dr. Rosa Falcão, as obras de execução de saneamento no Corvo e
Bujos, o emissário de Vila Nova a Miranda, os projectos para o Sen-
hor da Serra, Casais e Semide, os investimentos no Gondramaz e na
Quinta da Paiva, a pavimentação de arruamentos em diversos lugares
do concelho, e a praia fluvial de Segade, entre muitos outros, são
alguns dos investimentos a destacar.

Construção da Rede de Abast. de Água do Mondego a Miranda do Corvo


A vinda de novos investidores que querem apostar no concelho,
especialmente na área do turismo, demonstra o empenho do ex-
ecutivo em investimentos de elevada qualidade, nomeadamente no
Gondramaz e na Quinta da Paiva. Investimentos que vão aumentar
as potencialidades de Miranda e que são também uma recompensa
para todos.

Ao nível da protecção civil foram realizados vários investimentos, com


destaque para diversas obras de melhoria em estradas florestais, con-
strução de pontos de água, acções de silvicultura preventiva (com
Construção da Rede de Abast. de Água do Mondego a Miranda do Corvo limpeza de faixas ao longo dos caminhos) e foram concluídas as obras
no edifício para os Bombeiros em Semide.

80

paginaçao v8_maio2009B.indd 80 25/05/09 19:01:50


Prestamos
Contas

Perspectivas e Plantas do novo Centro educativo de Miranda do Corvo

81

paginaçao v8_maio2009B.indd 81 25/05/09 19:02:16


Prestamos
Contas
A autarquia colaborou com os bombeiros na aquisição de novos eq- Urbana e a contratualização de fundos comunitários, através da CI-
uipamentos e na defesa de novos projectos. Conseguiu a abertura do MPIN, constituirão forte apoio no prosseguimento do nosso objec-
destacamento de Semide, a aquisição de novas viaturas, nomeada- tivo de conseguir sempre mais e melhor para Miranda.
mente uma ambulância para a corporação.

Apoiou ainda a Comissão Fabriqueira de Miranda do Corvo e a • Saneamento


população do Vale do Açor na construção da casa mortuária, aconte-
Temos aproveitado os atrasos na implementação do QREN e nas
cendo o mesmo em Rio de Vide. Já com a AFRAL, a autarquia cola-
decisões relativas à gestão das redes de saneamento e água em baixa
borou na requalificação de uma praça e elaborou um projecto para
para elaborar vários projectos de saneamento para várias localidades
a Associação do Vidual no sentido de ser construído um espaço de
do Concelho, nomeadamente Chapinha,Tróia, Cadaixo, Casais de São
lazer junto ao Centro Associativo de S. Mateus.
Clemente, Granja de Semide, Rio de Vide, Vale do Açor e Senhor da
Serra. Estamos a elaborar projectos de saneamento para Chãs e Vale
Em colaboração com a Associação de Vale de Colmeias, a autarquia
de Colmeias.
ajudou na pavimentação do espaço junto ao campo desportivo lo-
cal, e tentou sempre dar apoio às diversas instituições culturais e
Recentemente abrimos concurso para a rede de saneamento em
desportivas do concelho.
Semide e Moinhos e Godinhela (2.ª fase).
No contexto de acção social, a autarquia continua a trabalhar em
Estamos a construir redes de saneamento e a remodelar redes de
parceria com as várias instituições sociais, no sentido de manter – e
água em Lata, Bujos e Corvo.
até melhorar – o muito trabalho que tem sido realizado.

Mesmo apesar de o Governo não ter apoiado a construção de lares


em Miranda do Corvo, a autarquia conseguiu que a ADFP iniciasse
a construção do lar no Senhor da Serra, e apoiou também a Miser-
icórdia de Semide em todos os projectos, ao nível técnico, para o lar
de Semide.

Sem dúvida que é de grande qualidade e de muito mérito o trabalho


realizado, para prestígio do concelho e dos mirandeses. Um trabalho
que é feito sempre na procura de fomentar a união, a concórdia e a
solidariedade, desenvolvendo o concelho num clima de Paz.

Benção da Casa Mortuária de Rio de Vide


Numa altura em que o país – e o mundo – vivem em crise, a acção e
o trabalho do executivo tornam-se ainda mais meritórios; em tempos
de fortuna seria fácil conseguir investimentos e realizar projectos… já
em tempos de crise, como os que vivemos, consegui-los – e alguns de
grande relevância! - dá-nos ainda mais força e coragem.

É intenção deste executivo continuar a investir na qualidade de vida


das pessoas que vivem em Miranda, com a criação de novas redes de
saneamento (em colaboração com a empresa “Águas do Mondego”),
de zonas industriais, de espaços de lazer, de melhores acessibilidades
e melhor educação, entre outras. Quartel dos Bombeiros de Semide
Certamente que, também, a aprovação de novos projectos no âm-
bito do QREN, nomeadamente o Centro Educativo, a Regeneração

82

paginaçao v8_maio2009B.indd 82 25/05/09 19:03:48


Prestamos
Contas

Inauguração do Quartel dos Bombeiros de Semide Estrada Urzelhe – Lobazes

Inauguração do Quartel dos Bombeiros de Semide Inauguração da ponte de Porto do Rio

Inauguração do Quartel dos Bombeiros de Semide Inauguração da estrada Urzelhe – Lobazes

Quartel dos Bombeiros de Semide Estrada Urzelhe – Lobazes

83

paginaçao v8_maio2009B.indd 83 25/05/09 19:04:11


Prestamos
Contas

Rua nova de ligação entre a Praceta Luís de Camões e a Rua Dr. Rosa Falcão Arruamentos em Lobazes

Rua nova de ligação entre a Praceta Luís de Camões e a Rua Dr. Rosa Falcão Inauguração do Recinto Social e Recreativo de Vale do Açôr

Rua nova de ligação entre a Praceta Luís de Camões e a Rua Dr. Rosa Falcão Arruamentos em Barbens

Praceta Luís de Camões Arruamentos em Vale da Silva

84

paginaçao v8_maio2009B.indd 84 25/05/09 19:04:54


Miranda
Nos Jornais
Ficam, tal como notas soltas, caídas de páginas de jornais, amareleci- jardins-de-infância de Lamas, Moinhos e Espinho.
das pelo passar do tempo… Transcrevemos algumas das notícias que “As escolas que pretendem fechar tiveram investimentos e obras signifi-
puseram Miranda a “dançar” no folhear de títulos…
cativas nos últimos dois anos. Algumas tiveram mesmo ampliações com
edifícios totalmente novos, que cumpriram o previsto na Carta Educativa”,
• 28 Abril 2008, Lusa
destaca Fátima Ramos, que recusa cumprir essa exigência.
«A Câmara de Miranda do Corvo acusou hoje um organismo dependente
“Porque sabem que a construção de uma nova escola em Miranda é
do Ministério da Educação de exercer uma postura de “chantagem” so-
muito necessária, estão a adoptar um comportamento de autêntica
bre o município na aprovação do projecto de um Centro Educativo que
chantagem sobre a autarquia, com a agravante de que as exigências
consta da Carta Educativa.
que nos estão a ser feitas contrariam o que se encontra previsto na Lei”,
Fátima Ramos, presidente da autarquia (PSD), denunciou que o Gabinete
sustenta.
de Estatística e Planeamento da Educação (GEP) não deu ainda parecer
Fátima Ramos alerta que “a não aprovação do centro e consequente
favorável à construção de um Centro Educativo porque exige o encer-
financiamento comunitário conduzirá à manutenção das crianças na es-
ramento de escolas com um número de crianças superior às previstas
cola com horário desdobrado e ao funcionamento das actividades extra-
na Lei.
curriculares em péssimas condições, já que a Câmara não tem condições
“Pretendem que encerremos escolas com muito mais de 20 alunos, quan-
financeiras para avançar com o investimento na totalidade”.
do a legislação refere apenas o encerramento gradual das escolas do 1.º
Se, entretanto, não houver uma resposta do GEPE, a autarquia vai reunir
ciclo com menos de 20 alunos”, criticou a autarca social-democrata em
extraordinariamente o Conselho Municipal de Educação, no dia 19 de
conferência de imprensa.
Maio, para decidir as medidas a tomar que, segundo a Lusa apurou, po-
A presidente da edilidade disse aos jornalistas que a construção do eq-
dem passar por um processo judicial contra o Estado.»
uipamento, orçado em 1,715 milhões de euros, obteve parecer favorável
da Direcção Regional de Educação do Centro (DREC) e consta da Carta
Educativa do concelho, homologada pela ministra da Educação em 15
• Maio de 2008, Lusa
de Janeiro.
«A autarquia de Miranda do Corvo vai promover um Festival do Bem-
“Não podemos aceitar essas exigências. Estamos disponíveis para cum-
Estsar com o objectivo de “levar as pessoas a desfrutar melhor os tempos
prir a legislação mas ninguém tem o direito de exigir que façamos mais
livres”.
do que o previsto na Lei”, frisa Fátima Ramos, que afirma não “com-
Durante quatro dias, a população do concelho e os visitantes serão con-
preender” a situação.
vidados a usufruir de actividades de lazer, relaxamento e desporto, no
Salientando a necessidade de construir um Centro Educativo em Miranda
âmbito de uma política autárquica “inclusiva e de respeito por todos os
do Corvo para evitar que as crianças continuem a ter aulas em horário
estratos populacionais”.
desdobrado, a autarca teme que a postura do GEP venha a inviabilizar a
“Tirando partindo da proximidade a Coimbra (capital da saúde), e da
candidatura ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).
existência no concelho de vários serviços de apoio à saúde e ao bem-
“O meu medo é que se não houver uma decisão o concelho perca uma
estar vocacionados para diferentes escalões etários, pretende-se assumir
comparticipação do QREN que vai entre 50 a 75 por cento do investi-
Miranda do Corvo como um pólo de conhecimentos na área do bem-
mento total”, sublinha Fátima Ramos.
estar estar e longevidade”, explicou hoje Fátima Ramos, presidente da
Segundo a autarca, “de acordo com as regras publicadas teriam preferên-
autarquia.
cia os Centros Educativos que visassem acabar com escolas do 1.º ciclo a
A autarca social-democrata disse, em conferência de imprensa, que o
funcionar em horário desdobrado, que é o caso da escola de Miranda”.
evento pretende “criar e fomentar o bem-estar das pessoas, ajudando-as
“De forma inexplicável, o GEPE não nos dá parecer favorável argumenta-
a desfrutar melhor dos seus tempos livres e a prolongar a saúde através
ndo que o Centro Educativo não responde às condicionantes de aprova-
das mais variadas formas”.
ção da Carta Educativa. Condicionantes essas das quais nunca tinha sido
Assumindo a promoção do bem-estar “como sector estratégico de de-
dado conhecimento à Câmara”, acrescentou.
senvolvimento”, Fátima Ramos salientou que o município “tem vindo a
A presidente do município afirmou ainda que foi solicitado à Câmara, tele-
desenvolver um programa de intervenção claramente vocacionado para
fonicamente, que incluísse no texto da candidatura ao QREN o encerra-
a qualidade vida”, objectivo que consta do Programa de Desenvolvimento
mento de todas as escolas do 1.º ciclo da freguesia de Miranda (excepto
e Inovação, Competitividade e Empreendedorismo do concelho.
a da sede do concelho), das freguesias de Lamas e Vila Nova e ainda os

85

paginaçao v8_maio2009B.indd 85 25/05/09 19:05:00


Miranda
Nos Jornais
O Festival do Bem-Estar vai realizar-se em parceria com o Instituto Por- Registando a Expo-Miranda, desde a primeira edição, um crescimento
tuguês de Naturologia, Centro de Saúde de Miranda do Corvo, Casa de considerável quer em número de expositores quer em visitantes, a presi-
Saúde de Santa Filomena (Coimbra), Inatel e Associação para o Desenvol- dente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo considera que “o cer-
vimento e Formação Profissional de Miranda do Corvo.» tame traduz bem toda a actividade económica, industrial, agrícola, cultural
e artesanal, bem como o dinamismo das instituições de solidariedade
• Maio 2008, Campeão das Províncias social, das colectividades desportivas, recreativas, culturais, humanitárias e
A XVIII Expo-Miranda abriu ontem, dia 28, as suas portas ao público, escolas do concelho”.
prolongando-se até ao próximo domingo, 1 de Junho, coincidindo com Pelos momentos de convívio, pelos milhares de pessoas que se deslocam
as comemorações do feriado municipal e do Dia Mundial da Criança. ao concelho mas também pela dinamização e promoção quer do concel-
Para além da feira comercial, os próximos dias vão ser preenchidos com ho quer das actividades económicas, Fátima Ramos considera importante
exposições, actividades lúdicas e desportivas e um diversificado programa a realização da Expo-Miranda.
de espectáculos musicais que teve início ontem com a actuação de Pedro O espectáculo de Pedro Khima deu ontem à noite as primeiras notas
Khima. musicais de um programa de animação diversificado, preparado com
A decorrer no espaço da Praça da Liberdade e do Mercado Municipal, o a intenção de agradar aos diversos públicos. Até domingo, passam pelo
certame assume-se como a mostra mais representativa do concelho de palco da Expo-Miranda o grupo RockLuso (hoje à noite); os Irmãos Ver-
Miranda do Corvo – apostando por isso na qualidade e diversidade – e dades (amanhã); Ala dos Namorados e Nuno Guerreiro (sábado); Grupo
constitui, segundo Fátima Ramos, presidente da autarquia, uma oportu- Coral da Universidade Sénior da ADFP, Rancho Folclórico “Flor das Cortes”,
nidade de promoção da actividade económica, industrial e agrícola do Rancho Folclórico “As Tecedeiras dos Moinhos” e Rancho Típico de Semide
concelho, contribuindo em simultâneo para a divulgação da cultura, do (domingo à tarde); e ainda Carina Carvalho e Quim Barreiros (no do-
artesanato, das colectividades e da gastronomia local. mingo à noite).
No arranque de mais uma edição da Expo-Miranda, apesar da orga- Outros motivos de atracção do certame são ainda o artesanato – com
nização considerar que estão reunidos os ingredientes para agradar aos vários artesãos a executarem peças ao vivo –, uma exposição de pintura
visitantes, há também a consciência de que o espaço onde o evento se re- e outra de fotografia e ainda uma feira do livro.
aliza (a Praça da Liberdade e o interior do Mercado Municipal) começar
a tornar-se insuficiente para dar resposta às solicitações de entidades, Tasquinhas dão a provar gastronomia
empresas e outros interessados em marcar presença.
Este ano a mostra conta com cerca de 150 expositores das mais diversas Na apresentação do evento aos jornalistas, Fátima Ramos fez questão
áreas de actividade (empresas, entidades, instituições e colectividades), de sublinhar que “Miranda, berço da chanfana, é terra de boa cozinha
um número que só não é maior porque as limitações físicas do local tradicional”. Assim, exploradas pelas colectividades do concelho, as “tas-
obrigam o município e a comissão organizadora a uma selecção mais quinhas” da Expo-Miranda são o local onde se pode apreciar a gastro-
criteriosa. nomia do concelho, designadamente, a chanfana, os negalhos, a sopa de
A criação de um espaço que possa acolher condignamente o evento casamento e o sarrabulho, entre muitos outros petiscos e iguarias.
e permitir o seu crescimento é uma das preocupações partilhadas por
Fátima Ramos e pela organização da feira. Segundo a edil, a presença de colectividades com “tasquinhas” na pre-
Perante a impossibilidade de construir um pavilhão multiusos no centro da sente edição da Expo-Miranda “demonstra quão generosas são as pes-
vila de Miranda do Corvo, designadamente na zona das Moitas, devido soas do concelho, que sem esperarem qualquer retribuição, estão sempre
a questões relacionadas com o licenciamento e os índices de construção disponíveis para dar o seu trabalho voluntário para que as que as colec-
permitidos, a solução poderá passar no futuro por mudar o certame para tividades possam ser mais prósperas, dinâmicas e capazes de contribuir
um local ainda em estudo e, simultaneamente, projectar um edifício pre- para a melhoria da qualidade de vida das suas terras”.
parado para acolher pequenos espectáculos, colóquios, exposições e out- Para cumprir escrupulosamente as normas impostas pela Autoridade de
ros eventos de menores dimensões. Segurança Alimentar e Económica (ASAE), a adaptação da área reser-
vada às “tasquinhas”, designadamente, o aluguer de estruturas adequa-
Mostra permite sentir o pulsar do concelho das obrigou à redução do número de participantes, apenas quatro.
Integrado na Expo-Miranda, será comemorado o Dia Mundial da Criança

86

paginaçao v8_maio2009B.indd 86 25/05/09 19:05:02


Miranda
Nos Jornais
e o Feriado Municipal no dia 1 de Junho, com a realização de actividades é accionado para ajudar em situações graves de carência económica e
desportivas, culturais e recreativas e o No mesmo dia decorrerá uma ses- melhorar a condição habitacional de agregados familiares. A mais-valia do
são solene no auditório municipal e será aberto oficialmente o destaca- fundo agora criado reside no facto de poder ser utilizado de forma célere,
mento de Semide dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo, cujas para resolver situações momentâneas e urgentes.»
instalações foram inauguradas no feriado do 25 de Abril.
O Dia Mundial da Criança, que se assinala a 1 de Junho e coincide com … e não deixamos de rectificar os que não correspondem aos factos:
o Feriado Municipal de Miranda do Corvo, é integrado nas actividades da
Expo-Miranda com a dinamização de várias acções desportivas, culturais No passado dia 31 de Dezembro, foi publicada no Diário de Coimbra
e recreativas. Já a comemoração do Dia do Município tem dois momentos uma notícia intitulada “Assembleia Municipal suspensa por causa de
particularmente importantes, nomeadamente, o lançamento da primeira empréstimo”. Na referida notícia pode ler-se “A sessão foi interrom-
pedra da Praça da Rua Mota Pinto, área que vai ser dotada de equipa- pida e será retomada dia 7, já com a lista de obras a efectuar, exigida
mentos de lazer e adquirirá uma nova centralidade dentro da vila; e a pelo PS” e “A presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo
cerimónia da abertura oficial do destacamento dos Bombeiros Voluntários vai ser “obrigada” a apresentar uma lista com as obras a executar…”
de Miranda do Corvo em Semide.
Destas afirmações depreende-se que não foi apresentada na Assem-
• Janeiro de 2009, Campeão bleia Municipal qualquer relação de obras. Tal facto não corresponde
das Províncias à verdade uma vez que da documentação entregue aos deputados
municipais constava efectivamente uma relação das obras em cuja
«A Câmara Municipal de Miranda do Corvo acaba de anunciar a criação
realização o executivo pretende utilizar o empréstimo.
de um fundo de emergência social destinado a “responder a situações
pontuais e aflitivas de pessoas e famílias do concelho que estejam a ser
Destas destacam-se a construção da rede saneamento e remodela-
afectadas pela crise económica actual.
ção da rede de águas do Corvo, a pavimentação da Estrada Real
Em declarações recentes à agência Lusa, Fátima Ramos, presidente do
entre o Corvo e Meãs, a pavimentação da estrada de ligação entre
Município, referiu que este fundo “permite à autarquia intervir, com celeri-
Segade de Lá e Braços, a construção da rede saneamento e remod-
dade em casos de emergência pontual, mediante relatórios sociais elabo-
elação da rede de águas em Bujos e Vale Simões, a pavimentação dos
rados pelas técnicas da autarquia que permitam averiguar as situações”.
arruamentos em Lamas, a rectificação da estrada de ligação entre
Este fundo de emergência social, foi inscrito no Orçamento da autarquia
Pousafoles e Lamas com ligação à EN 110, a aquisição de terrenos
e permitirá “apoiar pessoas em dificuldades graves de alimentação ou
e a criação de infra-estruturas para as zonas Industriais, a conclusão
eventualmente falta de dinheiro para pagamento de rendas ou produtos
de passeios na EN 342, a execução dos passeios da Estrada Real
para crianças”.
entre Meãs e Montoiro, a execução dos passeios na Rua Mota Pinto,
Partilhando com o autarca de Vila Nova de Poiares “a preocupação com
a construção da praça na Rua Mota Pinto, a construção dos estacio-
a grave crise económica em que vive o país”, que se reflecte de forma
namentos na Volta da Costa, a aquisição de terrenos para o Centro
extremamente negativa na vida dos portugueses e à qual os mirandeses
Educativo, as obras de requalificação e ampliação de edifícios esco-
não são excepção, a social-democrata Fátima Ramos reconheceu que
lares existentes, a estrada entre a Avenida Padre Américo e a Rua
tem vindo a ser confrontada regularmente com “situações de pobreza de
25 de Abril, o parque Infantil e a praça nos Moinhos; obras diversas
famílias que até tinham um bom nível de vida”.
de pavimentações entre a Senhora da Piedade e Tábuas em Barbéns
“Com o acentuar da crise temos sentido que algumas famílias do con-
e em Lobases, obras diversas de melhoria da segurança na estrada
celho estão a viver grandes momentos de aflição. Sabemos que não con-
municipal entre Vale Colmeias e o limite do Concelho por Canas, as
seguimos resolver todos os problemas, mas queremos criar condições que
obras de requalificação urbana na Chapinha, a abertura da rua de liga-
nos permitam socorrer as situações mais aflitivas e injustas”, explicou a
ção entre a Praça Luís de Camões e a Rua Rosa Falcão, a construção
autarca de Miranda do Corvo.
do Edifício Multi-Serviços com Mercado em Semide.
Segundo Fátima Ramos, o Fundo de Emergência Social funcionará como
As obras apresentadas totalizam um montante bastante superior ao
um complemento do Programa de Desenvolvimento Integrado de Acção
do empréstimo, dado que é objectivo da Câmara apresentar candi-
Social que, actualmente, com verbas do município e da Segurança Social,
daturas destas obras aos fundos comunitários para apoio ao financia-

87

paginaçao v8_maio2009B.indd 87 25/05/09 19:05:03


Miranda
Nos Jornais
mento e utilizar também receitas geradas pela própria Câmara.

Não sendo ainda conhecido em que moldes será permitido o acesso


a fundos comunitários e desconhecendo-se o tipo de apoios que
eventualmente podem ser conseguidos, não é possível que se saiba
desde já quais as obras susceptíveis de financiamento, motivo que a
levou à adopção da metodologia referida.

Os deputados municipais socialistas impuseram como condição que


a proposta fosse reformulada, diminuindo o número de obras para
valores mais próximos do montante do empréstimo. Os socialistas
fizeram ainda depender o seu voto da constituição de uma comis-
são de utilização da conta corrente, que integre elementos do seu
partido.

A presidente da câmara disponibilizou-se para aceitar as condições


do partido socialista no decorrer da assembleia, pedindo que indicas-
sem as obras que pretendiam excluir da listagem por ela apresentada.
O líder da bancada socialista, Eduardo Barata, exigiu que o assunto
fosse objecto de decisão numa outra assembleia.

O deputado Municipal do PSD, Carlos São Miguel, alertou para o


facto das condições do empréstimo serem muito favoráveis à câmara,
temendo que atrasos de decisão pudessem conduzir à perda dessas
condições dado o prazo de validade da proposta. Após a realização
de uma conferência de líderes, a Assembleia foi suspensa até ao dia 7
de Janeiro, permitindo assim a indicação de um menor valor de obras
e introduzindo a existência de uma comissão de utilização de conta
corrente.

A interrupção da assembleia surgiu na sequência da intervenção de


um deputado municipal do PS, Eduardo Moita, que se mostrou contra
a disciplina de voto imposta naquele ponto pela sua bancada, por
discordar da inviabilização da proposta inicial e propôs, logo após a
explicação das razões do empréstimo pela presidente, um intervalo
para uma reunião dos líderes das duas bancadas com o objectivo de
se conseguir um consenso.

Felizmente e após as reuniões entre os dois partidos a decisão foi


aprovada por todos, tendo tido também parecer favorárel do tribunal
de contas.

88

paginaçao v8_maio2009B.indd 88 25/05/09 19:05:10


Miranda
Nos Jornais

89

paginaçao v8_maio2009B.indd 89 25/05/09 19:05:11


O que não
Calamos

Quase 8 milhões de euros abastecer os municípios de Lousã e Penela.


para água e saneamento Segundo Nelson Geada, o concurso para estas últimas empreitadas
foi lançado este mês, estimando-se que vão servir 25 mil pessoas.
Águas do Mondego anunciou que três milhões de euros referem-se A nível de tratamento de efluentes, a AdM terminou, em Junho de
ao abastecimento de água e 4,8 milhões de euros destinam-se ao 2008, o subsistema de saneamento de Miranda, que representou um
tratamento dos efluentes domésticos investimento de 800 mil euros. A empreitada incluiu a construção de
quatro quilómetros de emissários, de condutas elevatórias e de esta-
Cerca de oito milhões de euros é o montante de investimento da ções elevatórias que permitem drenar os efluentes para a ETAR de
empresa Águas do Mondego (AdM) para abastecer o sistema público Miranda do Corvo, que será muito em breve integrada no sistema.
do concelho de Miranda do Corvo e construir a rede de saneamento Para responder às necessidades do concelho, a AdM tem ainda três
em cerca de 80 por cento do seu território. empreitadas em projecto ˆ os sistemas de saneamento de Semide
O anúncio foi feito sexta-feira à noite por Nelson Geada, presidente (que inclui Pedreira), de Vale de
da comissão executiva da empresa, durante uma convenção pro- Açor e de Moinhos, cujos concursos serão lançados no 2.º semestre
movida pela Câmara Municipal para esclarecer a população sobre as de 2009, num investimento de quatro milhões de euros.
obras que estão em curso. O Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água e Saneamento
Do investimento previsto para o concelho, cerca de três milhões de de Águas Residuais do Baixo Mondego-Bairrada foi criado em Julho
euros referem-se ao abastecimento de água, através do Complexo da de 2004 com o objectivo de satisfazer as necessidades da população
Boavista e Extensão ao Sector Nascente (Lote B), e 4,8 milhões de da região ao nível da quantidade e qualidade da água de abasteci-
euros destinam-se ao tratamento dos efluentes domésticos. mento e do tratamento das águas residuais.
Esta empreitada, consignada em Dezembro de 2007, ao consórcio A concessão para a construção, exploração e gestão do sistema foi
de empresas Camilo Sousa Mota & Filhos, Norlabor e CME, vai servir atribuída, por um período de 35 anos, à AdM, S.A., empresa que re-
os municípios de Miranda do Corvo e as freguesias de Ceira e Torres sulta da parceria entre a Águas de Portugal e os municípios de An-
do Mondego (Município de Coimbra), tendo como data prevista de sião, Arganil, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Góis, Leiria, Lousã, Mealhada,
conclusão Janeiro de 2010. Mira, Miranda do Corvo, Penacova, Penela e Vila Nova de Poiares, os
A obra inclui duas estações elevatórias, cinco reservatórios e 20 km quais, além de accionistas, são também utilizadores do sistema.
de condutas adutoras, desde o Pinhal de Marrocos (Coimbra) até ao
município de Miranda do Corvo, permitindo em obras posteriores Diário de Coimbra
25-05-200956

90

paginaçao v8_maio2009B.indd 90 25/05/09 19:05:20


O que não
Calamos
Para além de autarca foi jurista, vice-presidente do Centro de Estudos
e Formação Autárquica e coordenador de vários projectos de coop-
eração jurídica com os PALOP e com outros países de África.

Em sua homenagem atendendo às suas grandes qualidade humanas


e ao facto de ter exercido o cargo de presidente da autarquia, a Câ-
mara Municipal decretou luto Municipal por dois dias.

Obrigado ADFP!

«Agradeço à família ADFP – directores, sócios, voluntários e funcionários


- o bom serviço que têm prestado às pessoas, especialmente às mais des-
favorecidas. Felicito os seus directores pela capacidade empreendedora e
de inovação que têm imprimido aos projectos e investimentos.
Até sempre, Fausto!
Numa sociedade cada vez mais materialista, é bom sentir que em Miran-
Outubro de 2007 chegou demasiado frio, num tempo que seria ainda
da do Corvo existe uma instituição de grande mérito gerida gratuita-
só de Outono. Num calafrio gelado, soubemos da morte, inesperada
mente por voluntários. Recordo o saudoso director Lídio Alves Gomes e
e surpreendente de Fausto Correia. Foi de imediato declarado o luto
todo o carinho e dedicação que sempre deu aos mais necessitados.
municipal e a bandeira de Miranda do Covo colocada a meia haste,
desde o falecimento até que se realizasse o funeral.
Recentemente foi elaborado para o Município de Miranda um Plano
Director de Inovação Competitividade e Empreendedorismo. Este Plano
Fausto Correia foi membro da Assembleia Municipal de Miranda do
Estratégico, elaborado por uma equipa externa, concluiu que a melhor
Corvo na década de 80 e, depois, na de 2000, tendo sido mesmo o
imagem do concelho era a de “Comunidade Saudável e Solidária”
seu presidente de 2002 a 2005. Membro do Conselho de Estratégia
Acredito que vários factores e várias realizações contribuem para a obten-
da ADFP, Fausto Correia foi também membro fundador da Real Con-
ção desta bonita realidade.
fraria da Cabra Velha, na qual era presidente do Conselho Fiscal.

Somos um concelho com boas instituições, escolas modernas, bons es-


«Fausto Correia eram um homem bom, que acreditava em ideais. Foi
paços verdes, bons equipamentos culturais e desportivos…. Estou con-
meu opositor político em duas eleições mas isso nunca prejudicou o nosso
tudo convicta que a ADFP constituiu um importante trunfo que projectou
excelente relacionamento humano. Enquanto presidente da assembleia
Miranda nesta direcção. Miranda não seria a mesma se não tivesse a
municipal procurou colocar sempre os interesses de Miranda à frente das
ADFP.
lutas político-partidárias. A região e o país perdem um grande homem»,
A ADFP estende já o seu raio de acção a vários concelhos do distrito de
disse, na altura, Fátima Ramos, presidente da Câmara do município que
Coimbra, assegurando valências sociais em Miranda do Corvo e Coimbra
não esquecerá Fausto.
e serviços culturais em Coimbra, Penela, Lousã, Góis e Penacova. Possui
cerca de 2.500 sócios e 3.400 pessoas que utilizam os seus serviços,
incluindo as 260 pessoas (idosos, deficientes, doentes crónicos, mulheres
• Miranda de Luto
mal tratadas e crianças) que vivem nas suas residências.

Foi com grande pesar e tristeza que foi


A ADFP vai iniciar um serviço de apoio domiciliário a pessoas com defi-
recebida por todos nós Mirandenses, a
ciência mental em seis concelhos do distrito. Trata-se de um trabalho ino-
notícia da morte do Sr. Dr. José Rodri-
vador e extremamente necessário. A filosofia da instituição recusa que a
gues Lopes, ex-presidente da Câmara
mesma seja um gueto. Possuí valências sociais, serviços de saúde, secções
Municipal.

91

paginaçao v8_maio2009B.indd 91 25/05/09 19:05:29


Apontamentos
culturais, recreativas e desportivas, apostando numa lógica de desenvol- Miranda do Corvo, vila e sede de concelho, pertence ao distrito de
vimento regional, tendente à criação de riqueza, postos de trabalho e Coimbra. Com uma área de 127,28 Km2, tem cinco freguesias: Lamas,
combate à pobreza. Miranda, Rio de Vide, Semide e Vila Nova, e cerca de 14 000 habitantes.
Vila Nova de Poiares, Lousã, Figueiró dos Vinhos, Penela, Condeixa-a-
No âmbito do “Roteiro para a Inclusão”, o senhor Presidente da República Nova e Coimbra fazem fronteira com Miranda.
visitou a instituição. No discurso de encerramento proferido em Santarém,
salientou duas instituições que tinham marcado o roteiro. Foi com grande O concelho é contemplado pelo rio Dueça, que nasce em Penela, tem
satisfação que o ouvimos referir de forma elogiosa a ADFP. como principal afluente a ribeira do Alhêda, que nasce próximo da
aldeia serrana do Gondramaz, e atravessa a vila.Vila que é servida pela
Mais recentemente, a Câmara Municipal de Miranda do Corvo e a ADFP linha férrea do “Ramal da Lousã” e que, entre Miranda e Coimbra, nos
apresentaram uma candidatura aos European Enterprise Awards. Foi dá a conhecer a bela mata da Trêmoa, outrora foreira do cabido da Sé
com grande satisfação que as duas entidades tomaram conhecimento de Coimbra.
da atribuição do 1.º Prémio de Investimento Humano – Formação Profis-
sional/Integração de Cidadãos Desfavorecidos, Com Deficiência e/ou Víti- Para além da famosa gastronomia, Miranda é conhecida pelas suas
mas de Exclusão Social. rendas. Saiba que no século XII foi fundado, em Semide, um mosteiro
das religiosas beneditinas, onde segundo a tradição se executaram ren-
O prémio teve como base a cooperação existente entre a autarquia e a das mais tarde usadas nas festas religiosas, não só para ornamentar os
ADFP e a parceria de investimento no Projecto da Quinta da Paiva. Dos altares mas também para as vestes e paramentos. As rendas são hoje
concorrentes foram escolhidos dois para representar Portugal no concurso executadas em fio de algodão muito fino, preso ao ombro num peque-
europeu. Esta parceria foi um dos projectos escolhidos. A cerimónia ocor- no búzio, mais tarde ganhando o nome de “rendas engomadas“, já que,
reu no Centro Cultural de Belém, presidida pelo Sr. Ministro da Economia. depois de prontas, levam um banho de goma, que não só lhes dá maior
Este momento deu-nos força para continuar a trabalhar em parceria. durabilidade mas também as torna mais abertas.

Sinto-me feliz por ter a ADFP no Concelho. Trata-se de um parceiro que Depois, a cestaria. Com o acentuado decréscimo da actividade agrí-
merece ser estimado e admirado. Acredito que este espírito de união e cola, esta forma de artesanato entrou em declínio, já que era aquela que
cooperação entre a sociedade civil, Câmara e ADFP nos ajudará também absorvia quase toda a produção cesteira. No entanto, esta arte (que
a conseguir alcançar outro sonho – a construção de um Hospital no entrelaça matérias primas de origem vegetal, como o castanho, a acácia,
concelho. o vime e outros) ainda se encontra em alguns locais, como em Torno,
Cardeal e Casal das Cortes, aldeias da serra de Vila Nova.
Temos consciência que se trata de um projecto arrojado. Estamos contudo
convictos de que se trata de um projecto estratégico muito necessário Também a latoaria é prata da casa das tradições de Miranda, tratan-
para o bem-estar das pessoas que traria benefícios não só para o con- do-se de uma actividade artesanal que produz objectos como funis,
celho mas também para a população dos concelhos limítrofes. almotolias, alcatruzes, candeeiros de azeite, ladras e outras mais. A folha-
A sua concretização insere-se no lema “ Miranda Comunidade Saudável de-flandres, a folha de zinco, a folha de alumínio e a chapa zincada são
e Solidária” as matérias-primas mais utilizadas nesta arte, que entrou em declínio
Com a ajuda de todos, e do Governo, acreditamos que é possível con- com o aparecimento de outras matérias-primas, como o plástico. A
cretizá-lo. latoaria encontra-se sobretudo nas freguesias de Miranda do Corvo
e de Lamas.
Estamos disponíveis para continuar a cooperar.
A tecelagem e a tanoaria são outras actividades tradicionais do
nosso concelho. A tecelagem é a chamada tecelagem de Almalaguês, a
qual, se diferencia da chamada tapeçaria regional de Coimbra. Trata-se
de uma tecelagem bordada em puxados, executada exclusivamente
em fio de algodão e é uma arte que se encontra nas freguesias de
Miranda do Corvo, Lamas, Rio de Vide e Semide.

92

paginaçao v8_maio2009B.indd 92 25/05/09 19:05:30


Miranda “nas mãos”
de uma mulher

“O verdadeiro líder não se impõe, mas desperta nos outros a von- desde 2001, ano em que o partido apostou nela para competir nas
tade de fazer.” eleições com o PS, isto já depois de ter sido vereadora, da oposição.
(Anónimo) Há oito anos que assume os destinos do concelho, muito embora
as estruturas políticas – muitas dominadas pelo masculino – possam
Há os que dizem que as próximas eleições – e são três este ano – continuar a ser inibidoras à participação mas mulheres.
serão um teste à aplicação da Lei da Paridade, uma lei promulgada
pelo Presidente da República em Agosto de 2006 e que prevê a in- Em Março passado, a maioria das mulheres autarcas no país consid-
clusão de um terço de mulheres nas listas de candidatos às eleições. erou, em declarações à agência Lusa, que «as mulheres são mais prag-
máticas, mais empenhadas e mais sensíveis para algumas áreas, como
Olhando para trás, vemos que, 30 anos depois das primeiras eleições o urbanismo, a qualidade de vida, a educação e as questões sociais».
autárquicas democráticas a igualdade do género continua longe de Mulheres presidentes que afirmaram também que não sentiram, de-
chegar à presidência das autarquias do país, ficando-se a representa- pois de eleitas, «atitude diferenciada dos cidadãos pelo facto de as-
ção feminina em cerca de 6,5 por cento. sumirem um cargo tradicionalmente ocupado por um homem».

Ou seja, nos 308 municípios há apenas 20 que são liderados por Em tempo de reflexão, fica a pergunta: quanto têm a ganhar os ci-
mulheres, sendo o PSD quem tem mais mulheres nas autarquias. A dadãos com lideranças femininas nas autarquias, nomeadamente ao
ascensão de mulheres ao cargo não tem sido fácil, seja porque as ro- nível do equilíbrio da representação social? O passado recente de
tinas políticas estão quase sempre ligadas a uma tendência masculina Miranda do Corvo mostra-nos a resposta; fica-nos como um exem-
seja porque muitas mulheres consideram, ainda, as funções políticas plo a seguir.
incompatíveis com o papel de mães e esposas.
Fátima Ramos, economista, é presidente da Câmara de Miranda Ana Paula Cardoso
Jornalista

93

paginaçao v8_maio2009B.indd 93 26/05/09 9:24:43


Miranda
Activa

Construção da Praça Dr. Fausto Correia

Requalificação do Largo Nossa Senhora da Guadalupe em Chapinha Parque infantil e temático dos Moinhos

Largo do Gondramaz - Vila Nova Requalificação do Largo da Capela Sta. Catarina no Corvo

94

paginaçao v8_maio2009B.indd 94 25/05/09 19:05:56


Miranda
Activa

Alameda das Moitas

Iluminação no Passadiço da Volta da Costa Construção de novos Ossórios no Cemitério de Miranda

Reabilitação de Passagem Hidraulica no Espinho Construção de passeios e iluminação nas Meãs

95

paginaçao v8_maio2009B.indd 95 25/05/09 19:06:26


Miranda
Activa

Repavimentação da estrada Lamas / Pousafoles

Inauguração da estrada Lamas / Pousafoles Projecto do Interface e Variante no Corvo

Inauguração do Interface de Miranda - Metro Mondego Projecto do Interface e Variante nos Moinhos

96

paginaçao v8_maio2009B.indd 96 25/05/09 19:07:34


Miranda
Activa

Requalificação da área verde e de lazer da Quinta da Paiva

Ampliação do cemitério de semide (obra em colaboração com a Junta de Freguesia) Interface de Miranda do Corvo

Lançamento da 1ª pedra da Praça Dr. Fausto Correia Novos vazos na entrada da Câmara

97

paginaçao v8_maio2009B.indd 97 25/05/09 19:08:14


Miranda
Activa

Festival da Juventude - Rock na Quinta

Festival da Juventude - Rock na Quinta Festival da Juventude - Rock na Quinta

Festival da Juventude - Rock na Quinta Festival da Juventude - Rock na Quinta

98

paginaçao v8_maio2009B.indd 98 25/05/09 19:08:38


Assembleia
Municipal

Mirandenses,

É com empenho, determinação e coragem que continuamos o combate pela qualidade, 
pelo desenvolvimento e progresso do nosso Concelho, numa dinâmica diária que postula 
a  defesa  intransigente  da  causa  pública  e  do  bem  comum,  alicerçada  nos  princípios, 
valores e ética que estão subjacentes à acção autárquica.

É  nesta  dimensão  de  exigência,  rigor,  qualidade  e  transparência  que  continuaremos 


a  honrar  o  compromisso  assumido  com  os  Mirandenses,  defendendo  o  diálogo  e  a 
partilha como vectores da participação cívica que enobrece, que constrói, que edifica,
que nos faz chegar mais além.

Ontem como hoje, a nossa mais valia são as pessoas! Dos jovens sonhadores, irreverentes 
e empreendedores até aos mais idosos com todo o seu saber e experiência acumulada! 
Todos e cada um de nós! Seja pela nossa força individual, seja pela capacidade e dinâmica 
das  nossas  instituições,  colectividades  e  empresas,  possuímos  uma  riqueza  ímpar  que 
faz de Miranda uma terra com alicerces para vencer os desafios que se colocam
quotidianamente.

Vivemos hoje um clima de dificuldades que se estende a todo o País. Logo, é imperioso
estar atento e responder eficazmente aos problemas que se colocam, fundamentalmente
aos  mais  fragilizados  e  aos  mais  desfavorecidos,  aliás  como  é  timbre  das  gentes 
Mirandenses, afirmando-nos cada vez mais como um município saudável e solidário que
se edifica em torno de causas e princípios que lhe permitem desenhar continuamente
a esperança.

Uma liderança construtiva, preocupada com o bem-estar das pessoas, aberta, e em


diálogo  com  todos,  em  contacto  permanente  com  as  populações,  empenhada  em 
garantir para Miranda os investimentos necessários, tem permitido superar os obstáculos 
e continuar a realizar obras por todo o Concelho! Miranda renova-se a cada dia que
passa! Miranda inova, vence os desafios e afirma-se no panorama distrital! Miranda está
cada vez mais bonita! 

Continuamos a sentir que a determinação colocada em cada objectivo, em cada obra, em 
cada infra-estrutura, em cada conquista, vale sempre a pena porque se integra na procura
de melhores condições de vida para os munícipes, em mais e melhores equipamentos 
visando a promoção de um desenvolvimento real, sustentado e integrado que potencia 
a coesão social.

Vamos continuar a caminhar olhando sempre em frente, com honra e orgulho de sermos 
Mirandenses! Temos fortes razões para continuar a acreditar! Queremos sempre mais 
e melhor num Concelho dos cidadãos que garanta a segurança,  que reforce as nossas 
capacidades comuns para vencer os desafios, promovendo a integração e acolhimento
de todos quantos continuam a escolher Miranda para viver.

É com base nestas premissas! É nesta dimensão de futuro, de esperança renovada que 
cumprimento todos os Mirandenses e todos aqueles que escolheram Miranda para viver 
e nos ajudam diariamente a fazer de Miranda “uma terra de mil encantos!”

Bem hajam

O Presidente da Assembleia Municipal

 José Manuel Simões
99

Montagem capa.indd 3 26/05/09


6/17/099:32:26
9:19 AM
Praça José Falcão | 3220-206 Miranda do Corvo | Tel.: 239 530 230 | Fax: 239 532 952
e-mail: camara@cm-mirandadocorvo.pt | www.cm-mirandadocorvo.pt

Alameda das Moítas

plano capa.indd
Montagem 1
capa.indd 4 6/17/09 9:19 AM