Você está na página 1de 31

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA


INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO – Atualizado em 28/02/2018

CONHECIMENTOS GERAIS

LEGISLAÇÃO
1. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 e suas respectivas
emendas (arts. 1º ao 9º; 37 a 41; 205 a 214). 2. Regime Jurídico dos Servidores
Públicos Federais. 3. Ética na Administração Pública Federal. 4. Sanções aplicáveis
aos agentes públicos nos casos de enriquecimento ilícito. 5. Lei e Decreto que
regulamenta o acesso à informação. 6. Lei de criação dos Institutos Federais. 7. Lei
que regula o Processo Administrativo no âmbito da Administração Pública Federal. 8.
Lei que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 9. Lei que regula o
Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal. 10. Estatuto, Plano de
Desenvolvimento Institucional, Regimento e Estrutura Organizacional do Instituto
Federal Farroupilha.

 BRASIL. Constituição Federal (1988). Constituição da República Federativa do


Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988 e atualizada até a Emenda Constitucional
n.º 99, de 14 de dezembro de 2017. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm
 BRASIL. Lei n.º 8.112, de 11 de dezembro de 1990 (e alterações posteriores).
Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias e das
fundações públicas federais. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8112cons.htm
 BRASIL. Decreto n.º 1.171, de 22 de junho de 1994 (e alterações posteriores).
Aprova o Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo
Federal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D1171.htm
 BRASIL. Lei n.º 8.429, de 02 de junho de 1992 (e alterações posteriores). Dispõe
sobre as sanções aplicáveis aos agentes públicos nos casos de enriquecimento ilícito
no exercício de mandato, cargo, emprego ou função na administração pública direta,
indireta ou fundacional e dá outras providências. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8429.htm
 BRASIL. Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a
informações previsto no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3º do art. 37 e no §
2º do art. 216 da Constituição Federal; (...) e dá outras providências. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm
 BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de
Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de
Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm
 BRASIL. Lei n.º 9.784, de 29 de junho de 1999. Regula o processo administrativo
no âmbito da Administração Pública Federal. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9784.htm
 BRASIL. Decreto n.º 7.724, de 16 de maio de 2012. Regulamenta a Lei no 12.527,
de 18 de novembro de 2011, que dispõe sobre o acesso a informações previsto no

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

inciso XXXIII do caput do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216


da Constituição. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-
2014/2012/decreto/d7724.htm
 BRASIL. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e
bases da educação nacional. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm
 BRASIL. Lei n.º 12.772, de 28 de dezembro de 2012. Dispõe sobre a estruturação
do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal; sobre a Carreira do Magistério
Superior, de que trata a Lei no 7.596, de 10 de abril de 1987; sobre o Plano de Carreira
e Cargos de Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico e sobre o Plano de
Carreiras de Magistério do Ensino Básico Federal (...). Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12772.htm
 Estatuto do Instituto Federal Farroupilha, aprovado pela Resolução CONSUP n.
186, de 28 de novembro de 2014. Disponível em:
http://www.iffarroupilha.edu.br/documentosiffar
 Regimento e Estrutura Organizacional do Instituto Federal Farroupilha,
aprovado pela Resolução CONSUP n. 022, de 24 de maio de 2016. Disponível em:
http://www.iffarroupilha.edu.br/regimento-geral
 Plano de Desenvolvimento Institucional do Instituto Federal Farroupilha – PDI
2014 – 2018. Disponível em: http://www.iffarroupilha.edu.br/documentosiffar

*1 - Legislação disponível nos sites: www.planalto.gov.br e www.presidencia.gov.br


*2 - A legislação indicada inclui eventuais alterações posteriores à publicação
original, ainda que não expressamente mencionadas, até a data de publicação do
Edital nº 578, de 22 de dezembro de 2017.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

ADMINISTRAÇÃO (Administração Geral)


1. Conceitos e fundamentos da administração; funções e níveis da administração;
estrutura organizacional; padronização, formalização, especialização, centralização,
departamentalização; rotinas, processos, fluxogramas, formulários e relatórios. 2.
Evolução do pensamento administrativo; teoria geral da administração; conceitos
de
administração; funções administrativas; teoria das organizações e organizações; e
planejamento. 3. Gestão de recursos humanos; recrutamento e seleção de pessoal;
qualidade de
vida no trabalho; desenvolvimento organizacional; clima e cultura
organizacional; comunicação; teorias de liderança; mudança organizacional e
administração do
estresse. 4. Empreendedorismo e plano de negócios. 5. Marketing
e mix mercadológico: produto, praça, preço e promoção. 6. Planejamento financeiro.
7. Administração da produção e operações: Análise do ponto de equilíbrio;
PERT/CPM; layout de processo e de produção; capacidade produtiva; gestão da

cadeia de suprimentos (SCM) e logística; compras; armazenagem e movimentação

de materiais; gestão de estoques e transportes. 8. Gestão ambiental. 9. Secretariado:
Organização e controle de documentos, correspondências e
compromissos;
organização de eventos, reuniões e viagens; práticas de escritório, atendimento ao
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA
PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

público e formas de comunicação. 10. Administração Pública Contemporânea:


Organização da administração pública; princípios fundamentais da administração
pública; planejamento; finanças públicas; contratos e licitações. 11.
Administração/gestão de agronegócios e tipos de inovação nos agronegócios.

 BATALHA, Mario, Otavio (Coord.). Gestão Agroindustrial: GETAI – Grupo de


Estudos e Pesquisas Agroindustriais. Vol. I e Vol. II. 3a.ed São Paulo: Atlas, 2011.
 BRASIL. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993 (e alterações posteriores).
Regulamenta o artigo 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para
licitação e contratos da Administração Pública e dá outras providências.
 CHIAVENATO, Idalberto. Administração geral e pública. Rio de Janeiro:
Campus, 2008
 CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: o capital humano das
organizações. 9a ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.
 CHIAVENATO, Idalberto. Teoria geral da administração. Vol. I e Vol. II. 6a.ed. rev.
e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2001.
 DOLABELA, Fernando. O segredo de Luísa, uma paixão, e um plano de
negócios, como nasce uma empresa e se cria uma empresa. São Paulo, Editora
de Cultura, 2006.
 GITMAN, LAWRENCE Princípios de Administração financeira. 10a ed. São
Paulo: Addison Wesley,2004.
 Kotler, Philip; Keller, Lane Kevin. Administração de marketing. 12a ed. São Paulo:
Pearson Prentice Hall, 2006.
 MAIA, Fernanda Lindolfo Maia; OLIVEIRA, Vanderleia Stece de. Secretariado em
pauta: técnicas de assessoria e métodos de organização. Curitiba: InterSaberes,
2015.
 MAXIMIANO, Antônio Cesar Amauri. Introdução à Administração. 5 ed. São
Paulo, Atlas, 2000.
 MOTTA, Fernando C. Prestes. Teoria das organizações: evolução e crítica. São
Paulo: Pioneira, 2003.
 OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Sistemas, organizações e métodos:
uma abordagem gerencial. 16. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, 2006.
 PHILIPPI, Jr. .Arlindo.; ROMERO, Marcelo Andrade.; BRUNA, Gilda Collet. Curso
de Gestão Ambiental. 2a ed atual. e ampl..Ed. Manole, 2014.
 SANTOS, Clezio Saldanha. Introdução à gestão pública. São Paulo: Saraiva,
2006.
SLACK, Nigel; CHAMBERS Stuart, JOHNSTON Robert. Administração da
Produção. 3a ed São Paulo: Atlas, 2009.

AGRONOMIA
1. Fruticultura; 2. Conservação de solo e água; 3. Legislação ambiental; 4.
Climatologia; 5. Grandes culturas (Café, Soja, Milho, Trigo); 6. Economia rural; 7.
Sustentabilidade/Desenvolvimento Sustentável; 8. Mudanças Climáticas; 9.
Biodiversidade; 10. Unidades de Conservação; 11. Noções de cálculo matemático; 12.
História dos processos agrícolas e agrários; 13. Ciência e agricultura; 14. A realidade
rural brasileira e a intervenção do agrônomo; 15. Sociologia rural; 16. Morfologia do

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

solo; 17. Propriedades químicas do solo; 18. Propriedades físicas do solo; 19. Biologia
do solo; 21. Máquinas e implementos agrícolas; 21. Tecnologia agrícola; 22.
Topografia e elementos de Geodésia; 23. Normas técnicas para apresentação de
projetos; 24. Legislação agrária e ambiental; 25. Agricultura familiar e políticas
públicas; 26. Extensão e comunicação rural.

 ASSAD, EDUARDO DELGADO; PINTO, HILTON SILVEIRA; ZULLO JUNIOR,


JURANDIR; ÁVILA, ANA MARIA HELMINSK. Impacto das mudanças climáticas no
zoneamento agroclimático do café no Brasil. Pesq. agropec. bras., Brasília, v.39,
n.11, p.1057-1064, nov. 2004.
 BALASTREIRE, L.A. Máquinas Agrícolas. São Paulo: Editora Manole, 1987.
 BALSADI, O.V. Características do emprego rural no Estado de São Paulo nos
anos 90. Dissertação de Mestrado. Campinas, IE/Unicamp, 2000.
 BALSADI, O.V. Mudanças no meio rural e desafios para o desenvolvimento
sustentável. SÃO PAULO EM PERSPECTIVA, 15(1) 2001.
 BLAIN, GABRIEL CONSTANTINO. Mudanças climáticas e a fruticultura. Rev. Bras.
Frutic., Jaboticabal - SP, Volume Especial, E. 007-012, Outubro 2011
 Brady, N. C; Weil, R.R. Elementos da Natureza e propriedades dos solos. 3a
edição, 2013. Ed. Bookman
 BRASIL. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Consultoria Jurídica. Legislação
Ambiental Básica / Ministério do Meio Ambiente. Consultoria Jurídica. Brasília:
Ministério do Meio Ambiente, UNESCO, 2008. 350 p.: il.; 25,5 cm. Acesso em:
http://www.mma.gov.br/estruturas/secex_conjur/_arquivos/108_12082008084425.pdf
 BUAINAIN, A. M.; ALVES, E. R. de A.; SILVEIRA, J. M. da; NAVARRO, Z. O
mundo rural no Brasil do século 21. Brasília, DF: Embrapa, 2014.
 BUSTAMANTE, MMC.; NARDOTO, GB.; PINTO, AS.; RESENDE, JCF.;
TAKAHASHI, FSC.; VIEIRA, LCG. Potential impacts of climate change on
biogeochemical functioning of Cerrado ecosystems. Braz. J. Biol., 2012, vol. 72, no.
3 (suppl.), p. 655-671.
 CASTRO, CESAR DE; FRANCHINI, JÚLIO CEZAR; DEBIASI, HENRIQUE;
PROCÓPIO, SÉRGIO DE OLIVEIRA; BALBINOT JUNIOR, ALVADI ANTONIO.
Metodologia para avaliação de sustentabilidade da cadeia produtiva da soja no
Brasil. [recurso eletrônico] – Londrina: Embrapa Soja, 2015.
 CASTRO, CESAR DE; FRANCHINI, JÚLIO CEZAR; DEBIASI, HENRIQUE;
PROCÓPIO, SÉRGIO DE OLIVEIRA; BALBINOT JUNIOR, ALVADI ANTONIO.
Indicadores de sustentabilidade da cadeia produtiva da soja no Brasil. [recurso
eletrônico] – Londrina: Embrapa Soja, 2014.
 FRANCHINI, JULIO CEZAR; DEBIASI, HENRIQUE; SACOMAN, ANTONIO;
NEPOMUCENO, ALEXANDRE LIMA; FARIAS, JOSÉ RENATO BOUÇAS. Manejo do
solo para redução das perdas de produtividade pela seca – Londrina: Embrapa
Soja, 2009. 39 p. - (Documentos / Embrapa Soja, ISSN 1516-781X; n.314).
 FRONZA, DINIZ; HAMANN, JONAS JANNER. Frutíferas de clima tropical e
subtropical. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, Colégio Politécnico:
Rede e-Tec Brasil, 2015.
 GRANDI, L.A. O trator e a sua mecânica. v.2, Lavras: UFLA/FAEPE, 1998.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 HIRAKURI, MARCELO HIROSHI. Avaliação econômica da produção de soja


nos Estados do Paraná e Rio Grande do Sul na safra 2016/17. Circular técnica 126,
EMBRAPA, Londrina, PR, 2017.
 MELO, V. F. ALLEONI, L. R. F. Química e mineralogia do solo. SBCS, 1a Ed.
2009, 1380 p. (parte I e II).
 MIALHE, L. G. Manual de mecanização agrícola. São Paulo, Editora Agronômica
Ceres, 1974.
 MIALHE, L. G. Máquinas motoras na agricultura. v. 1 e 2. São Paulo, Editora
Edusp, 1980.
 MONTEIRO, L. de A. Prevenção de acidentes com tratores agrícolas e
florestais. Botucatu, Editora Diagrama, 2010.
 MONTEIRO, L. de A.; SILVA, P.R.A. Operação com tratores agrícolas, Botucatu,
FEPAF, 2009.
 MÜLLER, CARLOS HANS, KATO; ARMANDO KOUZO; DUARTE, MARIA DE
LOURDES REIS. Manual prático do cultivo de fruteiras. Belém, EMBRAPACPATU,
1981.
 PORTELLA, J.A. Semeadoras para plantio direto. Viçosa: Aprenda Fácil, 2001.
 PORTELLA, J.A. Colheita de grãos mecanizada - implementos, manutenção e
regulagem. Viçosa: Aprenda Fácil, 2000.
 PORTELLA, J.A. Semeaduras para plantio direto. Viçosa: Aprenda Fácil, 2001.
 Quirijn de Jong van Lier. Física do solo. SBCS. 2010. 298 p.
 RIBEIRO, GEORGE DUARTE; COSTA, JOSÉ NILTON MEDEIROS; VIEIRA,
ABADIO HERMES; SANTOS, MAURÍCIO REGINALDO ALVES DOS. Enxertia em
fruteiras. EMBRAPA. Recomendações técnicas 92. Porto Velho RO, 2005.
 SAAD, O. Máquinas e técnicas de preparo inicial do solo. São Paulo, Editora
Nobel, 1986.
 SILVEIRA, G.M. Máquinas para colheitas e transporte. Viçosa: Aprenda Fácil,
2001.
 SILVEIRA, Gastão Moraes da. O preparo do solo: Implementos corretos. Rio de
Janeiro: Editora Globo, 1988.
 SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA –
SNUC. Lei 9985/00. Acesso:
http://www.mma.gov.br/images/arquivos/areas_protegidas/snuc/Livro%20SNUC%20
PNAP.pdf
 TUNDISI, JG. AND MATSUMURA-TUNDISI, T. Biodiversity in the Neotropics:
ecological, economic and social values. Braz. J. Biol., 68(4, Suppl.): 913-915, 2008.
 VILLELA, DM, DE MATTOS, EA., PINTO, AS., VIEIRA, AS; MARTINELLI, LA.
Carbon and nitrogen stock and fluxes in coastal Atlantic Forest of southeast Brazil:
potential impacts of climate change on biogeochemical functioning. Braz. J. Biol.,
2012, vol. 72, no. 3 (suppl.), p. 633-642.

ARTES
1. Elementos das artes visuais: compreensão dos elementos e da linguagem pictórica
(ponto; linha; massa; forma; volume; direção; valor tonal; cor; luz e sombra; textura;
escala; dimensão; movimento; composição; imagens digitais; voxel (volume e pixel).
2. Tendências teórico-metodológicas no ensino de artes: fundamentos da arte na
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA
PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

educação; metodologias no ensino de artes; tendências pedagógicas no ensino de


artes; o ensino e aprendizagem em arte; arte, educação e cultura digital. 3. História da
arte: da pré-história à atualidade. 4. Expressão política e o papel social da arte. 5.
Tendências contemporâneas das artes: princípios e práticas das artes
contemporâneas. 6. Arte, meio ambiente e técnicas artísticas com materiais diversos.
7. Arte e suas tecnologias na atualidade: estética e novas mídias.

 ARNHEIM, Rudolf. Arte e Percepção Visual. São Paulo - SP. EDUSP. 1980.
 BARBOSA, Ana Mae. Arte-Educação no Brasil. São Paulo: Editora Perspectiva:
2002.
 BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. Teoria e prática da educação artística. São
Paulo: Cultrix, 1975.
 BUCHLOH, Benjamin H. D. Procedimentos alegóricos: apropriação e montagem na
arte contemporânea. Revista do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais
da EBA/UFRJ, Rio de Janeiro, ano VII, n. 7, p. 179-197, 2000.
 BOURRIAUD, Nicolas. Estética relacional. Tradução de Denise Bottmann. São
Paulo: Martins Fontes, 2009.
 CAUQUELIN, Anne. Teorias da arte. Tradução de Rejane Janowitzer. São Paulo:
Martins Fontes, 2005.
 DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Editora
34, 1998.
 DOMINGUES, Diana. Arte, Ciência e Tecnologia: Passado, presente e desafios.
São Paulo: Editora UNESP, 2009.
 ECO, Umberto. História da feiúra. Rio de Janeiro: Editora Record, 2007.
 FLUSSER, Vilem. O universo das imagens técnicas: elogio da superficialidade.
São Paulo: Annablume, 2008.
 GIANNETTI, Cláudia. Estética digital. Sintopia da arte, a ciência e a tecnologia.
Belo Horizonte: C/ Arte, 2006.
 GOMBRICH, Ernst Hans. A história da arte. Tradução de Cristiana de Assis Serra.
Rio de Janeiro: LTC, 2013.
 GROYS, Boris. Arte, poder. Tradução de Virgínia Starling. Belo Horizonte: UFMG,
2015.
 HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. São Paulo: Martins
Editora, 2000.
 KANDINSKY, Wassliy. Ponto e linha sobre o plano. Tradução de Eduardo
Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
 KRAUSS, Rosalind E. Caminhos da escultura moderna. Tradução de Julio
Fischer. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
 MARTINS, R. Valor educacional da arte. Porto Arte – Revista do Instituto de
Artes da UFRGS, Nº 1, Ano 1, p.62-65, Maio 1990.
 RANCIERE, Jacques. A partilha do sensível. São Paulo: Editora 34, 2005.
 SANTAELLA, Lúcia; ARANTES, Priscila (Orgs.). Estéticas tecnológicas: novos
modos de sentir. São Paulo: EDUC, 2008.
 VENEROSO, Maria do Carmo de Freitas. No intervalo entre a arte e a vida: R.
Rauschenberg. In.: VENEROSO, Maria do Carmo de Freitas. Caligrafias e

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

escrituras: diálogo e intertexto no processo escritural nas artes no século XX. Belo
Horizonte: C/Arte, 2012. p. 193-207.

BIOLOGIA I (Biologia Geral)


1. Evolução da vida na terra: Teorias de origem da vida, Evidências da evolução,
Teoria sintética da evolução, Especiação. Evolução Humana. 2. Biologia celular.
Biomoléculas (carboidratos, lipídeos, proteínas, minerais e vitaminas). Diversidade de
células. Constituintes celulares e funções. Ciclo celular e divisões celulares,
Gametogênese. 3. Classificação dos seres vivos em Reinos e Domínios. Taxonomia
e Filogenia. 4. Diversidade dos seres vivos: morfologia, fisiologia, genética e
importância ecológica: Monera, Protista e Fungi. 5. Vírus: Morfologia. Replicação e
Importância médica; 6. Reino Plantae: evolução das plantas, classificação, morfologia,
fisiologia e adaptações a diferentes ambientes. 7. Reino Animalia; Anatomia e
fisiologia comparada de vertebrados e invertebrados, incluindo anatomia e fisiologia
humana; 8. Heranças genéticas, genética de populações 9. Biotecnologia e bioética
10. Ecologia: níveis de organização, níveis tróficos, cadeia e teias alimentares, fluxos
de energia e ciclos da matéria, produtividade nos ecossistemas, sucessão ecológica,
perturbações ambientais naturais e antrópicas; 11. Principais doenças humanas
(agente etiológico, vetor e ciclo de vida); 12. Doenças sexualmente transmissíveis,
agentes etiológicos, sintomas, tratamento e prevenção. 13. História da ciência.

 BEGON, M.M.;TOWNSEND,C.R.;HARPER, J.L. Ecologia: de indivíduos a


ecossistemas. Oxford: Blackwell, 2006.
 BYNUM, W. Uma Breve História da Ciência. Coleção L&PM E-books. Formato
ePub. 312 p. 2013.
 CAMPBELL, N.e colaboradores. Biologia - 8a Ed. - Editora Artmed, 2010.
 CHIAVENATO, J. J. O Massacre da Natureza” . 2ª Edição. Coleção Polêmica.
Editora Moderna, 134p . 2005.
 DE ROBERTIS JR.; E. PONZIO, Biologia Celular e Molecular. 14 ed. Rio de
Janeiro: Editora Guanabara Koogan. 2003. 413 p.
 GRIFFITHS, A.J.F.; LEWONTIN, R.C.; , S.B.; WESSLER , S.R. Introdução à
genética. 9. ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan. 2009. 740 p.
 HEISER, JOHN B.; JANIS, C. M.; POUGH, H. A Vida dos vertebrados – 4. ed.
São Paulo: Editora: Atheneu. 2008. 750 p.
 JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J. Histologia Básica – 11. ed. Rio de Janeiro:
Editora Guanabara Koogan. 2008. 542 p.
 LIMA, U. A.; AQUARONE, E.; BORZANI, W.; SCHMIDELL, W Biotecnologia
Industrial: processos fermentativos e enzimáticos. Editora Edgard Blucher Ltda, v. 3,
2011.
 MADIGAN, M.; MARTINKO, J.; BENDER, K.; BUCKLEY, D.; STAHL, D.
Microbiologia de Brock. 14ª Edição. Porto Alegre: Artmed, 2016. 987p.
 PURVES, W.K.; SADAVA, D.; ORIANS, G.H.; HELLER, H.C. Vida: a ciência da
biologia. 6. ed. Porto Alegre: Editora Artmed. 2002.
 RAVEN, P.H., EVERT, R.F. & EICHHORN, S.E. Biologia Vegetal, 7. ed. Coord.
Trad. J.E.Kraus. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro. 2007.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 RICKLEFS, R. E. A economia da natureza. Rio de Janeiro: Editora: Guanabara


Koogan – 6. ed. 2010. 570 p.
 RIDLEY, M. Evolução. 3ª Edição. Porto Alegre: Artmed, 2007. Mark Ridley.
Evolução em PDF. Disponível em:<
https://archive.org/stream/Evo3edmark/Evolu%C3%A7%C3%A3o%203Ed%20Mark
%20Ridley#page/n1/mode/2up> Acesso em FEV 2018.
 RUPPERT, E.E.; BARNES, R.D. Zoologia dos Invertebrados. 6. ed. São Paulo:
Editora Roca. 1996. 1028 p.
 SCHMIDT-NIELSEN, K. Fisiologia Animal. 5. ed. Editora Santos. 2002. 616 p.

BIOLOGIA II (Zoologia)
1. Classificação e filogenia de invertebrados. 2. Classificação e filogenia de
vertebrados. 3. Origem e evolução dos grandes grupos invertebrados (Porífera,
Cnidaria, Platyhelminthes, Nematoda, Mollusca, Annelida, Artropoda e
Echinodermata). 4. Morfologia, estratégias reprodutivas e anatomia comparada dos
diversos sistemas, entre os invertebrados (tegumento e derivados, esqueleto,
sistemas digestório, respiratório, circulatório, excretor, reprodutor, nervoso, órgãos
dos sentidos). 5. Origem e evolução de peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. 6.
Anatomia comparada dos diversos sistemas, entre os vertebrados (tegumento e
derivados, esqueleto, sistema muscular, digestório, respiratório, circulatório, excretor,
reprodutor, nervoso, órgãos dos sentidos). 7. Estratégias reprodutivas em
vertebrados: reprodução sexuada e assexuada, Iteroparidade e semelparidade
ovíparidade, ovovivíparidade e viviparidade, fecundação interna e externa,
autofecundação, espécies r e k estrategistas. 8. Locomoção aquática e terrestre.

 BARNES, R.S.K.; CALOW, P.; OLIVE, P.J.W. Os Invertebrados: uma nova


síntese. Atheneu Editora, São Paulo, 1995. 528 p.
 BRUSCA, R. C.; G.J. BRUSCA. Invertebrados. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2007.
 HICKMAN, C.P.C.; ROBERTS, L.S.; LARSON, A. Princípios integrados de
zoologia. 11. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2009.
 KARDONG, K. V. Vertebrados: anatomia comparada, função e evolução. São
Paulo: Roca, 2011.
 LIEM, K. F. et al. Anatomia Funcional Dos Vertebrados: Uma perspectiva
evolutiva. 3. Ed. Cidade: Cengage. 2013. Professor do Ensino Básico, Técnico e
Tecnológico
 MARGULIS, L.; SCHWARTZ, K.V. Cinco Reinos. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan. 2001.
 ORR, R.T. Biologia dos Vertebrados. 5. Ed. São Paulo: Roca. 1993.
 POUGH, F.H.; JANIS, C.M.; HEISER, J.B. A Vida dos Vertebrados. 4. Ed. São
Paulo: Atheneu. 2008.
 ROMER A.S; PARSONS, T. S. Anatomia Comparada Dos Vertebrados. 5. Ed.
São Paulo: Atheneu. 1985.
 RUPERT, E.E.; BARNES, R.D. Zoologia dos Invertebrados. 6. Ed. São Paulo:
Roca. 1996.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 RUPERT, E.E.; FOX, R.S.; BARNES, R.D. Zoologia dos Invertebrados: uma
abordagem funcional evolutiva. 7. Ed. São Paulo: Roca. 2005. 1145p.
 STORER, T.I. et al. Zoologia Geral. 6. Ed. São Paulo: Companhia Editora
Nacional. 2002.

CONTABILIDADE
1. Fundamentos da contabilidade. 2. Equação patrimonial. 3. Escrituração. 4. Plano
de contas. 5. Registros contábeis. 6. As variações do patrimônio líquido. 7. Operações
com mercadorias. 8. Balanço patrimonial e demonstração de resultados - aspectos
contábeis, legais e societários. 9. Operações contábeis com bens do ativo imobilizado.
10. Depreciação, amortização e exaustão. 11. Contabilidade gerencial: noções gerais.
12. Fundamentos de contabilidade de custos. 13. Gestão estratégica de custos. 14.
Contabilidade social. 15. Contabilidade pública. 16. Responsabilidade fiscal. 17.
Encerramento do exercício. 18. Demonstrações contábeis. 19. Análises das
demonstrações contábeis. 20. Tomada de contas.

 ASSAF NETO, A. Estrutura e análise de balanços: um enfoque econômico-


financeiro. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2015.
 BEZERRA FILHO, J. E. Orçamento aplicado ao setor público: uma abordagem
simples e objetiva. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2013.
 BRASIL. Lei Complementar no 101, de 04 de maio de 2000. Estabelece normas
de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras
providências se demais alterações.
 BRUNI, A. L.; FAMÁ, R. Gestão de custos e formação de preços: com aplicação
na calculadora HP12c e excel. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2012.
 CONSELHO Federal de Contabilidade. Normas Brasileiras de Contabilidade
Aplicadas ao Setor Público – NBC TSP 16.1 a 16.10. Brasília: Conselho Federal de
Contabilidade.
 DUTRA, R. G. Custos: uma abordagem prática. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2017.
 EQUIPE DE PROFESSORES FEA/USP. Contabilidade introdutória: livro-texto.
11. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
 FEIJÓ, C. A.; RAMOS, R. O. R. Contabilidade social. 4. ed. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2017.
 IUDÍCIBUS, S. de. Análise de balanços. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2017.
 MARTINS, E.; GELBCKE, E. R.; SANTOS, A.; IUDÍCIBUS, S. Manual de
contabilidade societária: aplicável a todas as sociedades de acordo com as normas
internacionais e do CPC. 2. ed. São Paulo, Atlas, 2013.
 MARION, J. C. Contabilidade básica. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2015.
 MARTINS, E. Contabilidade de custos. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
 MARTINS, E.; DINIZ, J. A.; MIRANDA, G. J. Análise avançada das
demonstrações contábeis: uma abordagem crítica. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2017.
 MATARAZZO, D. C. Análise financeira de balanços. 7. ed. Atlas; São Paulo,
2010.
 NAKAGAWA, M. ABC: custeio baseado em atividades. 2. ed. São Paulo: Atlas,
2001.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 NEVES, S.; VICECONTI, P. E. V. Contabilidade avançada e análise das


demonstrações financeiras. 17. ed. São Paulo: Saraiva, 2013.
 OLIVEIRA, L. M.; CHIEREGATO, R.; PEREZ JÚNIOR, J. H.; GOMES, M. B.
Manual de contabilidade tributária. 14. ed. São Paulo: Atlas, 2015.
 PADOVEZE, C. L. Contabilidade de custos: teoria, prática, integração com
sistemas de informações (ERP). São Paulo: Cengage, 2013.
 PEREZ JR., J. H.; OLIVEIRA, L. M.; COSTA, R. G. Gestão estratégica custos. 8.
ed. São Paulo: Atlas, 2012.
 PISCITELLI, R. B.; TIMBO, M. Z. F. Contabilidade pública: uma abordagem da
administração financeira pública. 13. ed. São Paulo: Atlas, 2014.
 REIS, A. C. de R. Demonstrações contábeis: estrutura e análise. 3. ed. São
Paulo: Saraiva, 2009.
 RIOS, R. P.; MARION, J. C. Contabilidade avançada: de acordo com as normas
brasileiras de contabilidade (NBC) e normas internacionais de contabilidade (IFRS).
São Paulo: Atlas, 2017.
 SANTOS, J. J. Manual de contabilidade e análise de custos. 7. ed. São Paulo:
Atlas, 2017.
 SILVA, J. P. Análise financeira das empresas. 13. ed. São Paulo: Cengage, 2016.
 STICKNEY, C. P.; WEIL, R. L. Contabilidade financeira: uma introdução aos
conceitos, métodos e usos. 12. ed. São Paulo: Cegange, 2010.

ENGENHARIA CIVIL (Edificações/Materiais e Técnicas Construtivas/Sistemas


Estruturais)
1. Materiais e Técnicas Construtivas: 1.1 Etapas construtivas de obras, serviços
preliminares, locação, canteiro de obras, transportes horizontais e verticais.
Características gerais, propriedade, ensaios, utilização, obtenção de materiais e
técnicas construtivas de aglomerados, cal, gesso, cimento portland, agregados para
argamassa e concretos, aço para concreto armado e alvenarias. Sistemas
construtivos em concreto armado. Sistemas construtivos de fundações. 1.2
Características gerais, propriedade, ensaios, utilização, obtenção de materiais e
técnicas construtivas para fechamentos: alvenarias, divisórias leves, paredes em
gesso, vidros e esquadrias. Sistemas de coberturas. 1.3 Características gerais,
propriedade, ensaios, utilização, obtenção de materiais e técnicas construtivas de
materiais para acabamento interno e externo da edificação. Sistemas de pintura e
impermeabilização. 1.4 Processos de formação do solo. Caracterização, classificação
e uso dos solos. Sondagens Geotécnicas. Tipos de fundações. Rebaixamento do
lençol freático e escavações. Carta geotécnica. 1.5 Aspectos econômicos da indústria
da construção, questões relativas à racionalização da construção: otimização de
processos construtivos; redução de perdas; padronização, técnicas de construção
industrializada: pré-dimensionamento e projeto de peças; fabricação e aplicação de
elementos pré-fabricados. 2. Sistemas estruturais: 2.1 Tipos e características dos
materiais utilizados em estruturas, classificação e identificação do comportamento e
características dos sistemas estruturais e de seus elementos. Estudo dos Elementos
estruturais: Carregamentos em estruturas; Noções de física estática; Equilíbrio,
vínculos e grau de estabilidade; Reações de apoio. Estudo de vigas e treliças
isostáticas: Solicitações (cálculo dos esforços e diagramas); Análise da distribuição de

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

esforços e do comportamento da estrutura. 2.2 Fundamentos da resistência dos


materiais e da distribuição de tensões para seções submetidas a solicitações simples.
Conceitos básicos da Resistência dos Materiais. Dimensionamento e verificação de
peças submetidas a: Esforço Normal; Flexão; Cisalhamento convencional; Torção.
Esforços em vigas hiperestáticas. 2.3 Conceitos básicos para o desenvolvimento de
projetos estruturais em concreto armado. Determinação das cargas atuantes,
dimensionamento e detalhamento de lajes, vigas, pilares, fundações, reservatórios e
escadas em concreto armado. Normas técnicas correspondentes. 2.4 Utilização
estrutural do aço. Processos para verificação da segurança e dimensionamento de
elementos em aço. Suas ligações. O cálculo de cargas e de solicitações em
edificações. Detalhes construtivos. Normas técnicas correspondentes. 2.5
Características da madeira como elemento estrutural. Determinação das cargas
atuantes, pré-dimensionamento, dimensionamento, ligações em peças e
detalhamento de estruturas de madeira e de madeira laminada-colada. Normas
técnicas correspondentes. 3. Orçamento e programação de obras: 3.1 Características
da produção na indústria da construção civil. Documentação: Características,
utilização e importância dos documentos relacionados com obras civis; Redação de
memoriais descritivos; Características e componentes dos métodos de orçamento de
obras; Técnicas para planejamento e controle de obras; Métodos e técnicas para
aperfeiçoamento e garantia de qualidade na construção civil; Diretrizes para a
concepção e especificação de projetos arquitetônicos; Normas técnicas vigentes.

 ABNT. NBR 6118. Projeto de estruturas de concreto – procedimento. Rio de


Janeiro: ABNT, 2014.
 ABNT. NBR 6122. Projeto e execução de fundações. Rio de Janeiro: ABNT,
1996.
 ABNT. NBR 6123. Forças devidas ao vento em edificações. Rio de Janeiro:
ABNT 1998.
 ABNT. NBR 8681. Ações e segurança nas estruturas. Rio de Janeiro: ABNT
2003.
 ABNT. NBR 7190. Projeto de estruturas de madeira. Rio de Janeiro: ABNT 1997.
 ABNT. NBR 12655. Concreto – preparo, controle e recebimento. Rio de Janeiro:
ABNT, 1996.
 BAUER, A. Falcão. Materiais de Construção. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e
Científicos, 2005.
 BEER, F. P; JOHNSTON, E. R., Resistência dos Materiais, 3º Ed. Makron, 1995.
 BORGES, A. C. et al. Prática das pequenas Construções. 8 ed. Revista e
ampliada. São Paulo: Edgard Blücher Ltda. 2002, 323p.
 CARVALHO, R. C.; FILHO, J. R. Cálculo e detalhamento de estruturas usuais
de concreto armado: segundo a NBR 6118:2003.
 COELHO, R. S. A. Orçamento de Obras Prediais. 2001, 206p.
 GOLDMAN, P. Introdução ao Planejamento e Controle de Custos na
Construção Civil. São Paulo: PINI, 1986
 HACHICH, Waldemar, et al. Fundações Teoria e Prática. São Paulo: PINI.
 HELENE, P. R. L.; TENZIAN, P. Manual de Dosagem e Controle de Concreto.
1992. 349p.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 HIBBELER, R. C. Resistência dos materiais; 7º Ed. ABDR, 2010.


 LIMMER, C. V. Planejamento, Orçamento e Controle de Projetos e Obras. 1997.
225p.
 MATTOS, A. D. Como preparar orçamentos de obras: dicas para orçamentistas,
estudos de caso, exemplos. SP, Ed. PINI, 2006.
 SAVASSI, W. Introdução ao método de elementos finitos em análise linear de
estruturas, Editora EESC-USP, 1996.
 SORIANO, H.L.; LIMA, S. S. Método de elementos finitos em análise de
estruturas. São Paulo, EDUSP, 2003. 580p.
 YAZIGI, W. A Técnica de Edificar. São Paulo: Pini Ltda. 1998. 628p.

ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO


1. Controle: 1.1 Aplicações elementares de controle em processos industriais
automatizados. 1.2 Redes de automação industrial. Sistemas pneumáticos:
simbologia, componentes, circuitos básicos, preparação e distribuição do ar
comprimido, eletropneumática, aplicação em processos industriais. 1.3 Sistemas
hidráulicos: simbologia, componentes, circuitos básicos, eletrohidráulica, aplicação
em processos industriais. 2. Automação: 2.1 Controladores Lógicos Programáveis
(CLP): Origem, evolução, funcionamento e hardware. 2.1.1 Elementos de entrada e
saída para CLP. 2.1.2 Instruções básicas em CLP (lógicas, aritméticas, comparação,
contagem e temporização). 2.2.3 Instruções avançadas em CLP (sinais analógicos e
sub-rotinas). 2.2.4 Programação de CLP utilizando linguagens para sistemas
industriais segundo a norma IEC 61131. 2.2 Sistemas Supervisórios: histórico,
funcionamento e principais definições; configuração e criação de drivers, TAGs, telas
e aplicativos; programação e funções avançadas. 2.3 Redes Industriais: Definições,
topologias, requisitos de software e hardware, principais tecnologias, protocolos
industriais e aplicações. 2.4 Acionamentos elétricos industriais baseados em
contadores, motores de corrente contínua, motores de indução monofásico e trifásico,
E dispositivos de comando e proteção para acionamentos de motores elétricos.
Inversores de frequência e suas aplicações em processos industriais. 2.5 Projetos
elétricos: elementos essenciais, aplicação prática em instalações comerciais e
industriais, NBR 5410. 2.6 Desenho em software CAD (2D e 3D): comandos e
elementos básicos. 2.7 Eletrônica básica (analógica e digital): diodos, transistores,
retificadores, reguladores de tensão, amplificadores operacionais, portas lógicas,
circuitos lógicos, temporizadores, osciladores, microcontroladores e lógica de
programação. 2.8 Robótica: conceitos, programação básica e aplicações em
automação. 2.9 Eletricidade básica e circuitos: resistência, corrente, tensão, potência,
resistores, indutores, capacitores, associações básicas em corrente contínua e
corrente alternada, análise de circuitos elementares. 2.10 Sensores: tipos, princípios
de funcionamento e aplicações em projetos.

● ABNT. NBR 5410 Instalações elétricas de baixa tensão: procedimentos. Rio de


Janeiro: ABNT, 164 p, 1990.
● ALBUQUERQUE, Pedro U. B. de; ALEXANDRIA, Auzuir Ripardo de. Redes
industriais: aplicações em sistemas digitais de controle distribuído protocolos
industriais, aplicações SCADA. 2ª Ed. São Paulo: Ensino Profissional, 258 p, 2009.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

● BALDAN, Roquemar. Utilizando Totalmente Autocad 2000 - 2d, 3d e Avançado.


Editora Érica, 13ª Ed, 536 p, 2006.
● BOLLMANN, A. Fundamentos da Automação Industrial Pneutrônica. São
Paulo: ABHP, 278 p, 1997.
● BONACORSO, Nelso Gauze; NOLL, Valdir. Automação eletropneumática. 5ª Ed.
São Paulo: Érica, 137 p, 2001.
● COTRIM, Ademaro A. M. B. Instalações Elétricas. 4ª Ed, Makron Books, 678 p,
2003.
● CRAIG, John. Robótica. 3ª Ed. Editora Pearson, 392 p, 2013.
● CREDER, Hélio. Instalações elétricas. 12ª Ed. Rio de Janeiro: LTC, 507 p, 1993.
● DOEBELIN, Ernest. Measurement systems: application and design. Editora
McGraw-Hill, Nova York, 5ª Ed, 2003.
● DORF, R. C.; BISHOP, R. H.. Sistemas de Controle Modernos. 11ª Ed., Addison
Wesley, 2010.
● FITZGERALD, A. E.; KINGSLEY, Charles; UMANS, Stephen D. Máquinas
Elétricas: com introdução à eletrônica de potência. Porto Alegre: Bookman, 2006.
● FLEMING. D. W. S88 implementation guide: strategic automation for the
process industries. Editora McGraw-Hill, New York, 1999.
● FONSECA, M. de O.; FILHO, C. S.; FILHO, J. A. B. Aplicando a Norma IEC61131
na Automação de Processos. ISA – América do Sul/Distrito 4, 2008.
● FRANCHI, C. M. Acionamentos Elétricos. São Paulo: Érica, 2007.
● FRANKLIN, G. F.; POWEL; J. D.; EMANI-NAEINI, A.. Feedback Control of
Dynamic Systems. 6ª Ed., Addison Wesley, 2009.
● LUGLI, Alexandre Baratella; SANTOS, Max Mauro Dias. Sistemas fieldbus para
automação Industrial: deviceNet, CANopen, SDS e Ethernet. São Paulo: Editora
Érica, 156 p, 2009.
● MAMEDE FILHO, João. Instalações Elétricas Industriais. 7ª Ed, Editora LTC, 914
p, 2007.
● MORAES, C. C.; CASTRUCCI, P. de L. Engenharia de Automação Industrial. 2ª
Ed., Editora LTC, Rio de Janeiro, 2007.
● OGATA, K.. Engenharia de Controle Moderno. 5ª Ed., Pearson, 2010.
SOARES, Joshuah de Bragança. Manual de pneumática e hidráulica. São Paulo:
Jácomo, 1981.

ENGENHARIA ELÉTRICA
1. Sistemas elétricos monofásicos e trifásicos. 2. Modelos de componentes de rede
em regime permanente e representação matricial. 3. Cálculos de faltas simétricas e
assimétricas. 4. Fluxo de potência: conceitos básicos, formulação e métodos de
solução. 5. Dimensionamento de equipamentos de medição para proteção de
sistemas elétricos de potência. 6. Proteção de sobrecorrente em sistemas elétricos de
potência. 7. Proteção de sistemas de distribuição: dimensionamento de elos fusíveis
e seletividade elo fusível – elo fusível. 8. Projetos de redes de distribuição de energia
elétrica. 9. Projetos elétricos residenciais. 10. Projetos elétricos industriais. 11.
Acionamentos elétricos: chaves de partidas e seus componentes. 12. Geração
distribuída de energia elétrica. 13. Estabilidade angular em sistemas elétricos de
potência.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA – ANEEL. Resolução Normativa


nº 482, de 17 de abril de 2012.
 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA – ANEEL. Resolução Normativa
nº 687, de 24 de novembro de 2015.
 ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas: NBR-5410:2004.
 BERGER, L. T.; INIEWSKI, K. Redes Elétricas Inteligentes: Aplicações,
Comunicação e Segurança, LTC, 2015.
 CEMIG: ND-3.1 - Projeto de Redes de Distribuição Aéreas Urbanas (Janeiro,
2014). Disponível em: http://www.cemig.com.br/pt-
br/atendimento/Clientes/Documents/Normas%20T%C3%A9cnicas/nd3_1_000001p.p
df.
 CEMIG: ND-4.15 - Proteção de Sobrecorrentes do Sistema de Distribuição de
Média Tensão da Cemig. (Novembro, 2017). Disponível em:
http://www.cemig.com.br/pt-
br/atendimento/Clientes/Documents/nd_4_15_000001p.pdf.
 COTRIM, A. M. B. Instalações Elétricas. 5. ed. Pearson Education, 2008.
 GLOVER, J. D.; OVERBYE, T; SARMA, M. S.
Power System Analysis and Design . S.l: Thomson Learning, 2002,2008,2012
or 2017.
 KAGAN, N.; OLIVEIRA, C. C. B.; ROBBA, E. J. Introdução aos Sistemas de
Distribuição de Energia Elétrica. São Paulo: Edgar Blucher. 2005.
 MAMEDE FILHO, J. Instalações Elétricas Industriais. 10. ed. LTC Editora, 2010.
 MAMEDE FILHO, J. Manual de Equipamentos Elétricos. LTC. 4ª edição, 2013.
 MAMEDE FILHO, J. Proteção de sistemas elétricos de potência. LTC. Rio de
Janeiro. 2011.
 MONTICELLI, A. J.; GARCIA, A. V. Introdução a sistemas de Energia Elétrica.
Campinas: Unicamp, 2003.
 OLIVEIRA, C. C. B; SCHMIDT, H.P; KAGAN, N; ROBBA, E. J . Introdução a
sistemas elétricos de potência: componentes simétricas. São Paulo: E. Blucher,
2000.
 PEREIRA, C., Redes Elétricas no Domínio da Frequência: Técnicas de Análise,
Modelos de Componentes, Artiliber, 2015.
 ZANETTA JÚNIOR, L. C. Fundamentos de Sistemas Elétricos de Potência, 1ª
ed., Editora Livraria da Física, 2005, São Paulo.

ENGENHARIA QUÍMICA
1. Conhecimentos Gerais: 1.1 Princípios básicos da engenharia química. 1.2 Sistemas
de unidades e conversão. 1.3 Normas de segurança em laboratórios e plantas
industriais. 1.4 Mol, massa molar, concentrações, massa específica e densidade
média de misturas líquidas e gasosas, fração molar e mássica. 1.6 Cálculo
estequiométrico, conversão e rendimento. 1.7 Ligações químicas. 1.9 Funções
químicas orgânicas e inorgânicas. 1.10 Balanços de massa e de energia em
processos no regime permanente. 1.11 Pressão atmosférica, absoluta e manométrica.
1.12 Escalas de temperatura. 1.13 Gases ideais e reais. 2. Fenômenos de Transporte:
2.1 Mecanismos de transferência de calor. 2.2 Condução unidimensional e
bidimensional em regimes permanente e transiente. 2.3 Convecção natural. 2.4
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA
PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

Convecção forçada em escoamentos internos e externos. 2.5 Radiação, trocadores


de calor, isolamento térmico, aletas. 2.6 Fundamentos da transferência de massa. 2.7
Equações diferenciais de transferência de massa. 2.8 Difusão molecular no estado
estacionário. 2.9 Difusão molecular no estado transiente. 2.10 Transferência de massa
convectiva. 2.11 Equipamentos de transferência de massa. 3. Termodinâmica: 3.1
Substância pura. 3.2 Trabalho e Calor. 3.3 Leis da termodinâmica aplicadas a
sistemas abertos e fechados. 3.4 Aplicações da termoquímica. 3.5 Efeitos térmicos.
3.6 Propriedades termodinâmicas de fluidos. 3.7 Relações de Maxwell. 3.8 Equações
de estado. 3.9 Cartas termodinâmicas. 3.10 Equilíbrio de fase. 3.11 Equilíbrio químico.
3.12 Termodinâmica dos processos de escoamento. 3.13 Ciclos a vapor. 3.14
Refrigeração e liquefação. 4. Operações Unitárias: 4.1 Redução de tamanho e
tamisação: princípios, equipamentos e cálculos. 4.2.Separação sólido-líquido e sólido-
gás (decantação, flotação, filtração, adsorção, centrifugação e ciclonagem):
princípios, equipamentos e cálculos. 4.3 Destilação simples e fracionada, pontos de
bolha e de orvalho, diagramas de equilíbrio, torres recheadas e de pratos, cálculos do
número de unidades de transferência, altura equivalente e pratos usando
metodologias. 4.4 Extração sólido-líquido e líquido-líquido: princípios, equipamentos
e cálculos. Uso de diagramas triangulares. 4.5 Absorção gasosa: Princípios,
equipamentos e cálculos. 4.6 Secagem: princípios, equipamentos, cartas
psicrométricas e cálculos. 4.7 Evaporação, cristalização: princípios, equipamentos e
cálculos, incluindo elevação do ponto de ebulição, cálculos de economia e energéticos
em múltiplos efeitos. 5. Processos Químicos: 5.1. Exemplos de processos químicos.
Elementos de um processo, representação em fluxograma. Variáveis de processo e
sua medição. Sistemas, fronteira e volume de controle, ou contorno para balanços de
massa e de energia. Equações globais de conservação. 5.2.Balanços de massa total
e por espécies químicas. Aplicações a processos em regime permanente e transitório.
Aplicações a processos sem e com reações químicas. Movimentação de correntes:
reciclo “by-pass” e purga. 5.3.Algumas propriedades físicas de gases, vapores,
líquidos e sólidos de interesse para a elaboração de balanços. 5.4.Balanços de
energia: aplicações a processos com e sem reações. 5.5. Impactos ambientais de
Processos Químicos e ações de controle de poluição. 6. Cinética Química e Cálculo
de Reatores: 6.1.Tipos de Reações Químicas. Lei de velocidade e seus principais
parâmetros. Influência da temperatura sobre a taxa da reação. Ativação das reações
químicas Equação de Arrhenius. Energia de ativação. Conversão. Concentração e sua
variação numa transformação química. 6.2. Reações a volume constante: Reações
irreversíveis. 6. 3. Reações a volume variável: Conceitos. Fração de conversão
volumétrica. Reações a volume variável de ordem um e dois. 4. Reator tanque
descontínuo (BSTR). Reator tanque de mistura contínuo (CSTR). Reator tubular de
fluxo pistonado (PFR). Comparação de desempenho de reatores e Associação de
reatores. 5. Balanço de massa e coleta de dados em reatores ideais isotérmicos:
batelada (BSTR), reator tanque de mistura contínuo (CSTR) e Reator tubular (PFR).

 ALVES, A. M.. AZEVEDO, E. G. Engenharia de Processos de Separação. Lisboa:


Instituto Superior Técnico, 2° Ed. 2013.
 ATKINS, P. W.. JONES, L. Princípios de Química: Questionando a Vida
Moderna e o Meio Ambiente. 5ª Edição. Bookman, 2012.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 BALDINO JUNIOR, A.C.. CRUZ, A.J.G. Fundamentos de Balanços de Massa e


Energia. São Carlos: EDUFSCAR, 2010.
 BIRD, R. B.. STEWART, W. E.. LIGHTFOOT, E. N. Fenômenos de Transporte -
2ª Ed. Rio de Janeiro: LTC, 2004.
 BORGNAKKE C.. SONNTAG, R. E. Fundamentos da Termodinâmica. 8ª edição.
Blucher, 2013.
 BRAGA FILHO, W. Fenômenos de Transporte para Engenharia. 2. ed. LTC,
2012.
 BRASIL, N.I. Introdução a Engenharia Química. 3ª ed., Rio de Janeiro. Editora
Interciência, 2013.
 BROWN, T.L.. LEMAY JR., H. E.. BURSTEN, B.E.. BURDGE, J. R. Química: A
Ciência Central. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.
 FELDER, R.M. e ROSSEAU, R.W., Princípios elementares dos processos
químicos, 3ª Edição, Editora LTC, 2005.
 FOGLER, H. S. Elementos de engenharia das reações químicas. 3.ed. Rio de
Janeiro: LTC Editora, 2002.
 FOUST, Alan S. et al. Princípios das operações unitárias. 2ed. reimpr. Rio de
Janeiro: LTC, 2012.
 GAUTO, M. & ROSA, G. Química Industrial. Porto Alegre. Bookman – Série
Tekne, 2013.
 GIORGETTI, M. F. Fundamentos de fenômenos de transporte: para estudantes
de engenharia. Rio de Janeiro: Elsevier: Campus, 2015.
 HIMMEMBLAU, D. M.. RIGGS, J. B. Engenharia Química: Princípios e Cálculos.
7ª ed. Rio de Janeiro: LTC Editora, 2006.
 KORETSKY, Milo D. Termodinâmica para engenharia química. Rio de Janeiro:
LTC, 2007.
 LEVENSPIEL, O. Engenharia das reações químicas. 3ª edição. São Paulo:
Blucher, 2000.
 LIVI, C. P. Fundamentos de Fenômenos de Transporte - Um Texto para Cursos
Básicos. Rio de Janeiro: LTC, 2004.
 MAIA, D. J. BIANCHI, J.C.A. Química Geral – Fundamentos. São Paulo: Pearson
Prentice Hall, 2007.
 Manuais de Legislação. Segurança e Medicina do Trabalho. 70ª Ed. São Paulo:
Atlas, 2012.
 MORAN, Michael J.. SHAPIRO, Howard N. Princípios de termodinâmica para
engenharia. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2009.
 SCHMAL, M. Cinética e Reatores: Aplicação a Engenharia Química. 2. Edição.
Rio de Janeiro: SYNERGIA, 2009.
 SHREVE, R. N.. BRINK Jr., J. A. Indústrias de Processos Químicos. 5. ed., Rio
de Janeiro: Guanabara Kooga, 1997.
 SMITH, J.M., VAN NESS, H.C., ABBOTT, M. M. Introdução à Termodinâmica da
Engenharia Química, 5a ed. LTC, 2000.
 TADINI, C. C.. NICOLETTI, V. R.. DE ALMEIDA M., A. J.. PESSOA FILHO, P. A.
Operações Unitárias na Indústria de Alimentos. Rio de Janeiro: LTC Editora,
Volume 1 e 2, 2016.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 TERRON, L.R. Operações Unitárias para químicos, farmacêuticos e


Engenheiros. Rio de Janeiro: LTC Editora, 2012.
 VESILIND, P. A.. MORGAN, S. M. Introdução à engenharia ambiental. Tradução
da 2ª edição norte-americana. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

FILOSOFIA
1. Filosofia da Tecnologia. 1.1 O conceito grego de tékhne. 1.2 A questão da técnica
em Heidegger. 2. Ética. 2.1 Aristóteles. 2.2 Kant. 2.3 Peter Singer. 3. Filosofia da
Ciência. 3.1 Descartes. 3.2 Hume. 3.3 Popper. 4. Filosofia Política. 4.1 Platão. 4.2
Maquiavel. 4.3 Marx. 5. Lógica. 5.1 Argumentos formais, informais e falácias. 5.2
Verdade, validade e correção. 5.3 Argumentos dedutivos e indutivos.

 ARISTÓTELES. Metafísica (I, 1). São Paulo: Loyola, 2002.


 ARISTÓTELES. Ética a Nicômacos. Brasília: Unb, 1985.
 ARISTÓTELES. Física (II, 1). Campinas: Editora da UNICAMP, 2009.
 BOBBIO, Norberto. Teoria Geral da Política. A Filosofia Política e as Lições dos
Clássicos. Elsevier Editora, 2000.
 CARNIELI, Walter & EPSTEIN, Richard. Pensamento Crítico. O poder da lógica
e da argumentação. São Paulo: Editora Rideel, 2011.
 COPI, Irving. Introdução à Lógica. São Paulo: Editora Mestre Jou, 1978.
 CUPANI, Alberto. Filosofia da Tecnologia, um convite. Florianópolis: Editora da
UFSC, 2011.
 DESCARTES, René. Discurso do Método. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
 HEIDEGGER, Martin. Ensaios e conferências (A questão da técnica). Rio de
Janeiro: Vozes, 2012.
 HUME, David. Investigações sobre o entendimento humano e sobre os
princípios da moral. São Paulo: Unesp, 2004.
 KANT, Immanuel. A Fundamentação da Metafísica dos Costumes. São Paulo:
Martin Claret, 2011.
 KENNY, Anthony. Uma nova História da Filosofia Ocidental. São Paulo: Edições
Loyola, 2008.
 MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. São Paulo: Martins Fontes, 2014.
 MARX, Karl. Sobre a questão judaica. São Paulo: Boitempo, 2010.
 MORTARI, Cézar Augusto. Introdução à Lógica. São Paulo: Editora Unesp, 2016.
 PLATÃO. República. São Paulo: Martins Fontes, 2006.
 POPPER, Karl. Conjecturas e Refutações: o progresso do conhecimento
científico. Brasília: Unb, 2008.
 RACHELS, James & RACHELS, Stuart. Os Elementos da Filosofia Moral. Porto
Alegre: Editora AMGH, 2013.
 ROSSI, Paolo. A Ciência e a Filosofia dos modernos: aspectos da revolução
científica. Trad. Álvaro Lorencini. São Paulo: Editora UNESP, 1992.
 SINGER, Peter. Ética Prática. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

GEOGRAFIA
1. História do pensamento geográfico. 2. As categorias de análise do espaço
geográfico. 3. Cartografia. 4. Mundialização do capitalismo e a Geografia mundial. 5.
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA
PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

Dinâmicas populacionais no mundo e no Brasil. 6. Geografia agrária. 7. Geografia


urbana. 8. Geografia da indústria. 9. Geologia. 10. Geomorfologia. 11. Climatologia.
12. Biogeografia. 13. Pedologia.

 ANDRADE, Manuel Correia de. Geopolítica do Brasil. Campinas: Papirus, 2001.


 ANDRADE, Manuel Correia de. Geografia econômica. São Paulo: Atlas, 1998.
 AYERBE, Luis Fernando. Ordem, poder e conflito no século XXI: esse mesmo
mundo é possível. São Paulo: Ed. Unesp, 2006.
 BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro:
Jorge Zahar, 1999.
 CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo Cesar da Costa; CORRÊA, Roberto
Lobato.(org.) Geografia: conceitos e temas. 11 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,
2008.
 CASTRO, Iná Elias de. et al. (Orgs.) Brasil: questões atuais da reorganização do
território. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.
 CAVALCANTE, Sylvia; ELALI, Gleice A. Temas básicos em psicologia
ambiental. (Org.) Petrópolis (RJ): Editora Vozes, 2011.
 COSTA, Wanderley Messias. Geografia política e geopolítica. São Paulo: Edusp,
2008.
 DICKEN, Peter. Mudança global: mapeando as novas fronteiras da economia
mundial. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.
 DUARTE, Fábio. Planejamento urbano. Curitiba: Ibpex, 2007.
 FIGUEIRÓ, Adriano. Biogeografia: dinâmicas e transformações da natureza. São
Paulo: Oficina de Textos, 2015.
 FITZ, Paulo Roberto. Cartografia básica. São Paulo: Oficina de textos, 2008.
 FRIEDEN, Jeffry A. Capitalismo global: história econômica e política do século
XX. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.
 GUERRA, A. J. T. (Org). Geomorfologia urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,
2011.
 HAESBAERT, Rogério. Regional-Global: dilemas da região e da regionalização na
Geografia Contemporânea. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.
 LEPSCH, I. F. 19 lições de pedologia. São Paulo: Oficina de textos, 2011.
 MARQUES, Luiz. Capitalismo e colapso ambiental. Campinas: Ed. da Unicamp,
2016. 2ª edição.
 MENDONÇA, F. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo:
Oficina de textos, 2007.
 PETERSEN, James F; SACK, Dorothy; GABLER, Robert E. Fundamentos de
Geografia Física. Thiago Nascimento (tradução). São Paulo: Cengage Learning,
2014.
 ROSS, Jurandyr L. Sanches. Geografia do Brasil. São Paulo: Edusp, 1996.
 SANTOS, Milton. Por uma Geografia Nova: da crítica da Geografia a uma
Geografia Crítica. 3ª edição. São Paulo: HUCITEC, 1986.
 SPOSITO, Eliseu S. et al (Orgs). Geografia e migração: movimentos, territórios e
territorialidades. São Paulo: Expressão popular, 2010.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 SOUZA, Marcelo Lopes de. Mudar a cidade: uma introdução crítica ao


planejamento e à gestão urbanas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.
 SOUZA, Marcelo Lopes de. A prisão e a ágora: reflexões em torno da
democratização do planejamento e da gestão das cidades. Rio de Janeiro: Bertrand
Brasil, 2006.
 TORRES, F. T. P.; NETO, R. M.; MENEZES, S. O. Introdução à geomorfologia.
São Paulo: Cengage Learning, 2012.
 TORRES, F. T. P.; MACHADO, P. J. O. Introdução à climatologia. São Paulo:
Cengage Learning, 2011.
 WICANDER, Reed; MONROE, James S. Fundamentos de Geologia. São Paulo:
Cengage Learning, 2008.

HISTÓRIA
1 - A história: teorias, objetos, práticas e o diálogo com as ciências sociais. 2 -
Metodologias, práticas e novas tecnologias no ensino de história: uma abordagem
histórica, filosófica e sociológica. 3 - Teoria do Estado e o governo dos povos ontem
e hoje: aspectos históricos, jurídicos e sociológicos. 4- Pré-história: registros
arqueológicos e sociedades pré-colombianas. 5- Antigos e modernos. História antiga,
medieval e contemporânea ocidental. Rupturas e permanências: cidade, regimes
políticos e economia globalizada. 6 - Impérios Atlânticos: Espanha, Portugal e Grã-
Bretanha. 7- Os impactos do tráfico Atlântico de escravos nos estados e reinos
africanos – séculos XVI ao XIX. 8-História da arte no Brasil: os viajantes estrangeiros,
a academia de belas artes e os artistas moderno. 9- A construção de um Estado e
uma nação brasileira durante o Período Imperial. 10- Brasil republicano: processo
histórico e debate historiográfico. 11- História dos negros e indígenas na formação da
sociedade brasileira.

 ALBUQUERQUE, Wlamyra R. de. O jogo da dissimulação: abolição e cidadania


negra no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.
 ALENCASTRO, Luiz Felipe de. (org). Império: a corte e a modernidade nacional.
In: NOVAIS, Fernando A. (org. geral). História da vida privada no Brasil. vol. 2. São
Paulo: Companhia das Letras, 1997.
 ARRIGHI, Giovanni. Adam Smith em Pequim: origens e fundamentos do século
XXI. São Paulo: Boitempo, 2008.
 BASTOS, Pedro Paulo Zahluth, FONSECA, Pedro Cezar Dutra(org.). A Era
Vargas. Desenvolvimentismo, economia e sociedade. São Paulo: Ed. Unesp, 2012.
 BETHELL, Leslie (org.). História da América Latina. São Paulo: Edusp; Imprensa
Oficial do Estado; Brasília, DF: Fundação Alexandre Gusmão, 2004. Volumes 1, 2, 3.
 CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem. A elite política imperial;
Teatro de Sombras. A política imperial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira: 2003.
 CUNHA, Manuela Carneiro da (Org.). História dos Índios no Brasil. São Paulo:
Companhia das Letras: FAPESP: SMC, 1992.
 DALLARI, Dalmo de Abreu. Elementos de Teoria Geral do Estado. 33ªed. São
Paulo: Ed. Saraiva, 2016.
 ELLIOTT, John H. Império del mundo Atlântico: España y Gran Bretaña em
América (1492-1830). Madrid(España): Taurus, 2006.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 FERREIRA, Jorge, DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil Republicano.


Rio de Janeiro: Civilização Brasileira: 2003. Volumes 1,2,3 e 4.
 FRAGOSO, João; BICALHO, Maria Fernanda; GOUVÊA, Maria de Fátima
(organizadores). O Antigo Regime nos trópicos: a dinâmica imperial portuguesa
(séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.
 LE GOFF, Jacques. O apogeu da cidade medieval. São Paulo: Martins Fontes,
1992.
 MAGALHÃES, Marcelo; ROCHA, Helenice; RIBEIRO, Jayme; CIAMBARELLA
Alessandra. Ensino de História: usos do passado, memória e mídia. Rio de Janeiro:
FGV, 2014.
 FERREIRA, Marieta de Moraes; FRANCO, Renato. Aprendendo Historia: reflexão
e ensino. Rio de Janeiro: FGV, 2013.
 LOVEJOY, Paul. A escravidão na África: uma história de suas transformações.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
 MOORRE JR., Barrington. As origens sociais da ditadura e da
democracia: senhores e camponeses na construção do mundo moderno. São Paulo:
Martins Fontes, 1983.
 NAVES, Rodrigo. A Forma difícil: ensaios sobre arte brasileira. São Paulo: Ática,
2001.
 REIS, José Carlos. O desafio historiográfico. Rio de Janeiro: FGV, 2010.
PROST, Antoine. Doze lições sobre a história. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.
 SCHWARTZ, Stuart. Escravos, roceiros e rebeldes. Bauru, SP: Edusc, 2001.
 SENNETT, Richard. Carne e Pedra: o corpo e a cidade na civilização ocidental.
Rio de Janeiro: Bestbolso, 2008
 SKOCPOL, Theda. Estados e revoluções sociais. Análise comparativa de
França, Rússia e China. Lisboa, Editorial Presença: 1985.
 SLENES, Robert W. Na senzala uma flor: esperanças e recordações na formação
da família escrava, Brasil (Sudeste, século XIX). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
 THORNTON, John K. A África e os africanos na formação do mundo atlântico
(1400-1800). Rio de Janeiro: Editora Campus/ Elsivier, 2004.

LETRAS/PORTUGUÊS-ESPANHOL
1. Ensino de espanhol como língua estrangeira: pressupostos teórico-metodológicos
básicos da linguística aplicada e da sociolinguística. 2. Linguística aplicada e ensino
de língua estrangeira: métodos e abordagens. gramática e ensino de espanhol como
língua estrangeira. o desenvolvimento da competência comunicativa em LE. 3.
Espanhol para fins específicos: propósitos e estratégias de leitura. 4. Aspectos
convergentes do português e do espanhol aplicados ao ensino. 5. Coesão e coerência.
referência e substituição. marcadores discursivos. morfossintaxe da língua espanhola.
6. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio / Orientações Curriculares
Nacionais para o Ensino Médio/ Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino
Médio-Linguagens Códigos e suas tecnologias. 7. A construção de um Plano de Curso
da disciplina Língua Espanhola. 8. Conteúdo específico de língua espanhola:
Fonética y Fonología. 2. Género y Número de los Sustantivos. Artículo Definidos.
Indefinidos y Neutro. Heterosemánticos. Heterotónicos. Heterogenéricos. Adjetivos
(género. número. grado. apócope). Pronombres: personales. reflexivos. interrogativos.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

complemento directo/indirecto. Tiempos Verbales de Indicativo. Subjuntivo e


Imperativo: Presente. Pretérito y Futuro. Interpretación de Textos. Regímenes
Preposicionales de los Verbos. Los Posesivos. Oraciones Condicionales. Dichos.
Frases Hechas y Refranes. Adverbios y locuciones.

 ALVARES, Maria Nieves et al. Valores e temas transversais no currículo. Porto


Alegre: Artmed, 2002.
 BARALO, Marta. La adquisición del español como lengua extranjera. Madrid:
Arco Libros, 2004.
 BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Orientações Curriculares para o
Ensino Médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: SEB/MEC, 2006.
 BUSTO, Natalia Barrallo; BEDOYA, María Gómez. La explotación de uma
imagen en la clase de E/LE. In: redELE, n.16, Julio 2009.
 CARRICABURO, Norma. La América tuteante. In: ______.Las fórmulas de
tratamiento en el español actual. Madrid: Arco Libros, 1997, p. 20-23.
 CELADA, María Teresa; GONZÁLEZ, Neide Maia (Coord.).“Gestos que trazan
distinciones entre la lengua española y El portugués brasileño”. Dossier
completo. SIGNOS ELE, dezembro 2008.
 ERES FERNÁNDEZ, I. G. M. Las variantes del español em la nueva década:
¿todavía un problema para el profesor Del español a lusohablantes? Registros de la
lengua y lenguajes específicos. São Paulo: Embajada de España en Brasil/Consejería
de Educación y Ciencia, 2001.
 FANJUL, Adrián. “Ecos de mercado en docentes-alumnos de E/LE em Brasil.
Repeticiones y ausencias”. SIGNOS ELE, abril de 2008.
 GARCÍA SANTOS, J. F.; Coleção Espanhol ELElab (Vol. 1, 2, 3, 4, 5, 6). In: García
Catalán, G. 2013.
 GOMES, A. T.; PONTES, V. O. Espanhol no Brasil: perspectivas teóricas e
metodológicas. Curitiba: CRV, 2015.
 KULIKOWSKI, María Zulma Moriondo; GONZÁLEZ, Neide T. Maia. Español para
brasileños. Sobre por dónde determinar La justa medida de uma cercanía. En:
Anuario brasileño de estúdios hispánicos, 9, 1999, pp.11-19.
 LEFFA, Vilson J.; IRALA, Valesca Brasil (Orgs.). Uma espiadinha na sala de aula:
ensinando línguas adicionais no Brasil. Pelotas: Educat, 2014.
 MCER, Marco Común Europeo de Referencia. Disponible en:
https://cvc.cervantes.es/ensenanza/biblioteca_ele/marco/cvc_mer.pdf. Último acesso
em: 15 de fevereiro de 2018.
 MORENO, Francisco. Qué español enseñar. Madrid: Arco/Libros, 2000. Marco
común europeo de referencia para las lenguas:aprendizaje, enseñanza, evaluación.
2001. Disponível em: <http://cvc.cervantes.es/ensenanza/biblioteca_ele/marco>.
Acesso em: 13 set. 2013.
 PARAQUETT, M. Linguistica Aplicada, inclusión social y aprendizaje de
español en el contexto latinoamericano. In: Revista Nebrija de Lingüística Aplicada
a la Enseñanza de las Lenguas, número 6, 2009.
 REFRANERO ESPAÑOL. Refranero Multilingüe. Disponible
en:https://cvc.cervantes.es/lengua/refranero. Acesso em: 15 de fevereiro de 2018.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

LETRAS/PORTUGUÊS-INGLÊS
1. Letramento digital, multimodalidade, novas tecnologias e o ensino de línguas. 2.
Linguística aplicada e o ensino de línguas.3. Recursos interacionais de linguagens na
sala de aula virtual. 4. Gêneros discursivos na prática escolar. 5. Pedagogia dos
multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. 6. Práticas de leitura
e escrita na contemporaneidade. 7. Identidade cultural e o ensino de língua inglesa
no Brasil. 8. O texto literário no ensino de língua inglesa. 9. O processo de
ensino/aprendizagem de leitura em língua inglesa: estratégias de leitura. 10.
Abordagem instrumental no ensino de língua inglesa. 11. O processo de construção
da identidade nacional brasileira do romantismo ao modernismo. 12. Coesão e
coerência em língua portuguesa. 13. Análise e produção textual contextualizadas. 14.
Comunicação ubíqua e a formação do leitor. 15. Formação da Literatura Brasileira:
contribuições da Literatura Colonial 16. A língua inglesa como instrumento de
comunicação internacional: ideologias e variantes socioculturais.

 ALVARENGA, Magali Barçante. A formação de professores por competências.


In: Configuração de competências de um professor de língua estrangeira (inglês):
implicações para a formação em serviço. (tese de Doutorado) Campinas: Unicamp,
1999. p. 31-59.
 BRASIL. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: Ministério da
Educação, 2006.
 CERVETTI, G.; PARDALES, M. J.; DAMICO, J. S. A tale of differences: comparing
the traditions, perspectives, and educational goals of critical reading and critical
literacy. Reading Online, 4(9). Acesso: April 2001, http://www.readingonline.
org/articles/art_index.asp?HREF=/articles/cervetti/index.html).
 COPE, B.; KALANTZIS, M. Multiliteracies: literacy learning and the design of social
futures. London: Routledge, 2000.
 DUFF, Alan, MALEY, Alan. Literature. Oxford: Oxford UP, 2007.
 FÁVERO, Leonor Lopes. Coesão e coerência textuais. São Paulo: Ática, 2010.
 GEE, J. P. New people in new worlds: networks, the new capitalism and schools.
In: COPE, B.; KALANTZIS, M. Multiliteracies: literacy learning and the design of
social futures. London: Routledge, 2000.
 PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. Desenvolvendo a habilidade de leitura.
In: Práticas de ensino e aprendizagem de inglês com foco na autonomia.
Campinas: Pontes, 2007. p. 129-147.
 PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. Refletindo sobre estilos, inteligências
múltiplas e estratégias de aprendizagem. In: Práticas de ensino e aprendizagem de
inglês com foco na autonomia. Campinas: Pontes, 2007. p. 11-30.
 SANTOS, Denise. Estratégias de compreensão escrita. In: Ensino de língua
inglesa: Foco em estratégias. Barueri: Disal, 2012. p. 46-187.
 SILVA, Izabel Maria da, JORGE, Míriam Lúcia dos Santos. Alguns princípios no
ensino da escrita. In: Práticas de ensino e aprendizagem de inglês com foco na
autonomia. Campinas: Pontes, 2007. p. 149-172.
 SILVA, Kleber Aparecido da. Crenças sobre o ensino e aprendizagem de línguas
na Linguística Aplicada: um panorama histórico dos estudos realizados no contexto
brasileiro. In: Linguagem & ensino. Campinas: Unicamp, 2007. p. 235-271.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica,


2004.
 SOUZA, Valeska Virgínia Soares, MORAES FILHO, Waldenor Barros. Ambientes
virtuais de aprendizagem: concepções e possibilidades pedagógicas. In: Integrando
tecnologias no ensino de Inglês nos anos finais do Ensino Fundamental. São
Paulo: Somos Mestres, 2012. p. 108-132.
 TEMPLE, C. Critical thinking and critical literacy. Thinking Classroom, v. 6, n. 2,
April 2005, p. 15-20. Newark: International Reading Association, 2005.

MATEMÁTICA I (Matemática Geral)


1. Funções polinomiais, exponenciais, logarítmicas e trigonométricas. 2. Geometria
Plana e Espacial. 3. Geometria Analítica. 4. Análise combinatória e probabilidade. 5.
Álgebra linear. 6. Cálculo diferencial e integral a uma variável. 7. Cálculo diferencial e
integral a várias variáveis. 8. Equações diferenciais ordinárias. 9. Teoria dos números.
10. Séries e sequências numéricas. 11. Equações Diferenciais Parciais. 12. Topologia.
13. Álgebra e Teoria de Conjuntos. 14. Séries de Funções. 15. Transformada de
Laplace e Transformada de Fourier. 16. Funções de uma Variável Complexa. 17.
Lógica Matemática.

 ALENCAR FILHO, E. Iniciação à lógica matemática. São Paulo, Nobel, 2002.


 BARBOSA, João Lucas Marques. Geometria Euclidiana Plana. Coleção Professor
de Matemática. Sociedade Brasileira de Matemática. Rio de Janeiro, 1995.
 BOYCE, William e DIPRIMA, Richard C. Equações Diferenciais Elementares e
Problemas de Valores de Contorno. Rio de janeiro: LTC, 2002.
 DOLCE, O; POMPEO, J.N. Fundamentos de matemática elementar: geometria
espacial, posição e métrica. São Paulo, v. 10, Atual, 2013.
 HAZZAN, S. Fundamentos de matemática elementar: combinatória,
probabilidade. São Paulo, v. 5, Atual, 2013.
 IEZZI, G. Fundamentos de matemática elementar: trigonometria. São Paulo, v.
3, Atual, 2013.
 IEZZI, G. Fundamentos de matemática elementar: complexos, polinômios,
equações. São Paulo, v. 6, Atual, 2013.
 IEZZI, G; DOLCE, O; MURAKAMI, C. Fundamentos de matemática elementar:
logaritmos. São Paulo, v. 2, Atual, 2013.
 IEZZI, G; MURAKAMI, C. Fundamentos de matemática elementar: conjuntos,
funções. São Paulo, v.1, Atual, 2013.
 LIMA, E. L. Curso de análise. 7ª edição. Rio de Janeiro, v. 1, Instituto de
Matemática Pura e Aplicada, 1992.
 MILIES, C. P.; COELHO, S. P. Números: uma introdução à Matemática. São Paulo,
Edusp, 2001.
 STEINBRUCH, A.; WINTERLE, P. Álgebra linear. São Paulo: Makron Books,
1990.
 STEINBRUCH, A.; WINTERLE, P. Geometria analítica, São Paulo: 2 ed Makron
Books, 1987.
 STEWART, J. Cálculo. 7ª edição. São Paulo, v.1, Pioneira Thomson Learning,
2013.
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA
PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 STEWART, J. Cálculo. 7ª edição. São Paulo, v.2, Editora Pioneira Thomson


Learning, 2013.
 THOMAS, GEORGE B; WEIR, MAURICE D; HASS, JOEL. Cálculo, 12ª edição,
São Paulo, v.1, Editora Pearson, 2013
 THOMAS, GEORGE B; WEIR, MAURICE D; HASS, JOEL. Cálculo, 12ª edição,
São Paulo, v.2, Editora Pearson, 2013.
 VIDIGAL, A. et al. Fundamentos de álgebra. 1ª edição atualizada. Belo Horizonte,
Editora UFMG, 2009.
 ZILL, D. G., et all, Curso introdutório à análise complexa com aplicações, 2ª
Ed., Rio de Janeiro: LTC, 2011.
 ZILL, D. G.; CULLEN, M. R. Equações diferenciais. 3ª edição. São Paulo, v. 2.,
Makron Books, 2001.

MATEMÁTICA II (Metodologias de Ensino de Matemática)


1. Funções polinomiais, exponenciais, logarítmicas e trigonométricas. 2. Geometria
Plana e Espacial. 3. Geometria Analítica. 4. Análise combinatória e probabilidade. 5.
Cálculo diferencial e integral a uma variável. 6. Álgebra linear. 7. Tendências para o
ensino de matemática: problemas, concepções e perspectivas. 8. Estágio
supervisionado e as práticas de ensino na formação do professor de matemática. 9.
Avaliação em matemática. 10. Formação do professor de matemática como professor
e pesquisador. 11. História da matemática. 12. Concepções atuais no ensino da
matemática.

 ALRO, Helle; SKOVSMOSE, Ole. Diálogo e Aprendizagem em Educação


Matemática. Coleção Tendências em Educação Matemática. Tradução: Orlando
Figueiredo. - Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
 BORBA, Marcelo de C.; PENTEADO, Miriam G.. Informática e Educação
Matemática. Coleção Tendências em educação Matemática. 2. Ed. Belo Horizonte:
Autêntica, 2002.
 CURY, Helena Noronha. Análise de erros: o que podemos aprender com as
respostas dos alunos. Coleção Tendências em Educação Matemática. Belo Horizonte:
Autêntica, 2007.
 D'AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática: elo entre tradições e modernidade.
Coleção Tendências em Educação Matemática. 2. Ed. Belo Horizonte: Autêntica,
2002.
 DOLCE, O; POMPEO, J.N. Fundamentos de matemática elementar: geometria
plana. São Paulo, v. 9, Atual, 2013.
 DOLCE, O; POMPEO, J.N. Fundamentos de matemática elementar: geometria
espacial, posição e métrica. São Paulo, v. 10, Atual, 2013.
 HAZZAN, S. Fundamentos de matemática elementar: combinatória,
probabilidade. São Paulo, v. 5, Atual, 2013.
 HOWARD, Eves. Introdução à história da matemática. Tradução: Hygino H.
Domingues. 3. Ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2002.
 IEZZI, G. Fundamentos de matemática elementar: trigonometria. São Paulo, v.
3, Atual, 2013.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 IEZZI, G. Fundamentos de matemática elementar: geometria analítica. São


Paulo, v. 7 , Atual, 2013.
 IEZZI, G; DOLCE, O; MURAKAMI, C. Fundamentos de matemática elementar:
logaritmos. São Paulo, v. 2, Atual, 2013.
 IEZZI, G; MURAKAMI, C. Fundamentos de matemática elementar: conjuntos,
funções. São Paulo, v.1, Atual, 2013.
 IEZZI, G; MURAKAMI, C; MACHADO, N.J. Fundamentos de matemática
elementar: limites, derivadas, noções de integral. São Paulo, v. 8, Atual, 2013.
 MEYER, João Frederico da C. A.; CALDEIRA, Ademir D., MALHEIROS, Ana Paula
dos S.. Modelagem em Educação Matemática. Coleção Tendências em educação
Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
 MOREIRA, Plínio C.; DAVID, Maria Manuela M. S.. A formação matemática do
professor: licenciatura e prática docente escolar. Coleção Tendências em Educação
Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.
 ONUCHIC, L.R. et al. Resolução de Problemas: teoria e prática. São Paulo: Paco,
2014.
 PONTE, João Pedro; BROCARDO, Joana; OLIVEIRA, Hélia. Investigações
matemáticas na sala de aula. Coleção Tendências em educação Matemática. Belo
Horizonte: Autêntica, 2006.
 SEYMOR, L.; LIPSON, M. L. Matemática Discreta. 2ª edição. Porto Alegre,
Artmed, 2004.
 STEINBRUCH, A.; WINTERLE, P.; Álgebra Linear. São Paulo: Makron Books,
1990.
 THOMAS, G. B. Cálculo. Tradução Thelma Guimarães. 11ª ed. São Paulo, v. 1,
Pearson, 2009.

PEDAGOGIA
1. História da educação brasileira.2. Psicologia da educação.3. Sociologia da
educação.4. Filosofia da educação.5. Educação, tempos e espaços.6. Contextos e
organização escolar.7. Educação em diferentes modalidades.8. Políticas e gestão das
modalidades educativas.11. Educação especial: processos de inclusão.12. Educação
de jovens e adultos.13. Tecnologias da informação e comunicação aplicadas à
educação.14. Didática.15. Transdisciplinaridade e educação.16. Currículo/Currículo
Integrado. 17. Avaliação da aprendizagem.18. Tendências pedagógicas.

 ARANHA, Maria Lucia de Araújo. História da educação e da pedagogia. 3.ed.,


São Paulo: Moderna, 2006.
 DURKEIM, Émile. Educação e Sociologia: Émile Durkeim. Trad. Stephania
Matousek. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.
 FÁVERO, Osmar et al. Tornar a educação inclusiva. Brasília: UNESCO, 2009.
Disponível em: <http://bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br/services/e-
books/184683por.pdf> Acesso em: 12 fev. 2018.
 GANDIN, Danilo. A prática do planejamento participativo: na educação e em
outras instituições, grupos e movimentos dos campos cultural, político, religioso e
governamental. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 GOHN, Maria da Glória. Educação não-formal e o educador social: atuação no


desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.
 HAYDT, Regina Célia C. Curso de Didática Geral. 7.ed. São Paulo: Ática, 2001.
 KENSKI, Vani. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. 8.ed.
Campinas, SP: Papirus, 2012.
 LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2013.
 LIBÂNEO, José Carlos. OLIVEIRA, João Ferreira. TOSCHI, Mirza Seabra.
Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. 10.ed.rev. e ampliada. São
Paulo: Cortez, 2012.
 LIBÂNEO, José Carlos. SANTOS, Akiko (orgs.). Educação na era do
conhecimento em rede e transdisciplinaridade. 3.ed. Campinas, São Paulo:
Alínea, 2010.
 LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos, para quê? 3.ed. São Paulo:
Cortez, 2000.
 LIBÂNEO, José Carlos. Organização e Gestão da escola: teoria e prática.
Goiânia: Alternativa, 2001.
 LOPES, Alice Cassimiro.. MACEDO, Elizabeth. Teorias de currículo. São Paulo:
Cortez, 2011.
 LUCHESI, Cipriano Carlos. Filosofia da Educação. 3.ed. São Paulo: Cortez, 2011.
 MACEDO, Roberto Sidnei. Currículo: Campo, conceito e pesquisa. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2007.
 MIRANDA, Therezinha Guimarães. GALVÃO FILHO, Teófilo Alves (orgs.). O
professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador, Bahia:
EDUFBA, 2012. Disponível em: <http://educacaoinclusivaemfoco.com.br/download-
gratuito-o-professor-e-educacao-inclusiva-formacao-praticas-e-lugares> Acesso em:
12 fev. 2018.
 NUNES, Ana Ignez b. L.. SILVEIRA, Rosemary do Nascimento. Psicologia da
Aprendizagem: processos, teorias e contextos. Brasília: Liber Livro, 2009.
 SOARES, Leôncio. Formação de Educadores de Educação de Jovens e
Adultos: I Seminário de Formação de Formadores. Belo Horizonte: Autentica.
SECAD/MEC. UNESCO, 2006. Disponível em < http://forumeja.org.br/node/951>
Acesso em 14 fev.2018.
 STEPHANOU, Maria. BASTOS, Maria Helena Câmara (orgs.). História e
Memórias da Educação no Brasil. Vol. III, Sec. XX. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.
 VASCONCELLOS. Celso dos S. Planejamento: Projeto de Ensino-Aprendizagem
e Projeto Político-Pedagógico - elementos metodológicos para elaboração e
realização. 12.ed. Libertad, 2004.

QUÍMICA I (Química Geral)


1. Teoria Atômica: Modelos Atômicos e estrutura Atômica. Estrutura Eletrônica dos
Átomos e Propriedades Periódicas; Espectro eletromagnético: frequências e
comprimentos de onda, quantização de energia, efeito fotoelétrico, propriedades
ondulatórias da matéria. Modelo de Bohr para átomo de hidrogênio, modelo atômico
atual. Periodicidade das configurações eletrônicas, das cargas nucleares efetivas, das
energias de ionização, dos raios atômicos e das afinidades eletrônicas. 2. Estrutura
eletrônica e Tabela Periódica. 3. Estados da matéria e suas propriedades: Ligações
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA
PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

químicas. Fórmulas, nomes e propriedades dos compostos. Energia envolvida nas


ligações. Forma e estrutura das moléculas e espécies iônicas. Eletronegatividade e
polaridade das ligações. Ressonância. Forças Intermoleculares e propriedades dos
materiais e compostos. 4. Funções Inorgânicas – Materiais inorgânicos. Funções
inorgânicas: Ácidos e bases. Teorias ácido-base: Arrhenius, Brönsted-Lowry e Lewis.
Nomenclatura, propriedades e formação dos ácidos e bases. Indicadores ácido-base.
Sais. Óxidos. Nomenclatura. Aplicações em geral. 5. Soluções Químicas:
Propriedades. Solubilidade. Unidades de concentração. Propriedades Coligativas.
Dissociação de Eletrólitos, grau de dissociação, hidratação. 6. Reações Químicas
Inorgânicas: Massas atômica e molecular. Grandezas químicas. Representação de
uma reação química. Balanceamento de equações. Tipos de reações químicas:
neutralização, precipitação, oxidação e redução, precipitação, complexação, ácido-
base. Cálculo estequiométrico. 7. Ácido-base. Teorias dos Ácidos e Bases; Ionização
e Dissociação; Grau de Acidez e Basicidade (pH e pOH); Titulação Ácido-Base. 8.
Termodinâmica Química: Entalpia, entropia e energia livre. Entalpia das reações. 9.
Cinética Química e catálise. 10. Equilíbrio Químico em sistemas homogêneos e
heterogêneos. 11. Eletroquímica. 12. Química Orgânica: Átomo de Carbono e
classificação de compostos orgânicos. Propriedades dos compostos orgânicos.
Funções orgânicas. Isomeria Plana e Espacial. Reações orgânicas. 13. Química
Nuclear e aplicações. 14. Química aplicada (Petróleo, biocombustíveis, Química
Verde, Sustentabilidade, Ambiental, Polímeros e Compostos Biológicos).

 ATKINS, P.; de PAULA, J. Físico-Química. 9ª edição. Rio de Janeiro: LTC, 2012.


2v.
 ATKINS, P. e JONES, L. Princípios de Química: Questionando a Vida Moderna e o
Meio Ambiente. 5ª edição. Porto Alegre: Bookman, 2012. 924p.
 BROWN, T.L.; LEMAY Jr, H.E.; BURSTEN, B.E.; BURDGE, J.R. Química: A
Ciência Central. 9ª edição. São Paulo: Prentice-Hall, 2005. 992p.
 KOTZ, J.C.; TREICHEL, P.M.; TOWNSEND, J.R.; TREICHEL, D.A. Química Geral
e Reações Químicas. 9ª edição, São Paulo: CENGAGE Learning, 2015. 2v.
 MORTIMER, E. F.; MACHADO,. A. H. Química. 2.ed. São Paulo: Scipione, 2014,
v.1 v.2 v.3
 MCMURRY, J. Química Orgânica: Combo. 7ª edição. São Paulo: CENGAGE
Learning, 2011. 688p.
 RUSSEL, J.B. Química Geral. 2.ed. São Paulo: Makron, 1994, v.1 v.2.
 SOLOMONS, T. W. G.; FRUHLE, C. B. Química Orgânica. 10.ed. Rio de Janeiro:
LTC, 2012, v.1 v.2.

QUÍMICA II (Metodologias de Ensino de Química)


1. Modelos atômicos clássicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr) e modelo atômico
quântico. Estrutura Atômica e Classificação periódica dos elementos químicos;
Propriedades periódicas. 2. Modelos de ligações químicas para substâncias iônicas,
metálicas, covalentes e moleculares (TLV e TOM); interações intermoleculares;
correlação entre interações e propriedades. 3. A Química dos compostos orgânicos:
características gerais, funções (propriedades funcionais, notação e nomenclatura). 4.
A Química dos compostos inorgânicos: características gerais, funções (propriedades

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

funcionais, notação e nomenclatura). 5. Cálculo de concentração de espécies


químicas em solução e cálculo estequiométrico. 6. Aspectos energéticos das reações
químicas: termoquímica, cinética química e equilíbrio químico. 7. A avaliação no
ensino de Química; avaliação da aprendizagem em Ciências e na Química; avaliações
diagnósticas, formativas e somativas. 8. A prática de ensino na formação docente e o
papel do estágio supervisionado. 9. Diretrizes curriculares para os cursos de formação
de professores para a Educação Básica: habilidades e competências para o ensino
de Química e as orientações curriculares nacionais para o ensino médio – área de
Química.10. Experimentação no Ensino de Ciências e da Química: planejamento de
atividades experimentais para o ensino; práticas de ensino para a aprendizagem e o
desenvolvimento de técnicas laboratoriais em Química; uso de materiais alternativos
no desenvolvimento de atividades experimentais. 11. Analogias no Ensino da
Química: conceitos e definições; relações e particularidades das analogias, das
comparações de mera aparência e das similaridades literais; papel, potencialidades e
riscos das analogias no ensino e na aprendizagem da Química. 12.Uso de tecnologias
digitais / tecnologias da informação e da comunicação no ensino de Ciências e da
Química. Atividades lúdicas e materiais didáticos no ensino de Química.
13.Contextualização, interdisciplinaridade e problematização na Educação em
Química: abordagens com enfoque CTSA na Educação em Química; abordagens
conceituais e abordagens temáticas/contextuais; aprendizagem baseada na
resolução de problemas. 14.Ensino de Química fundamentado em modelagem: o
papel dos modelos no ensino da Química; modelos mentais, modelos consensuais e
modelos didáticos no contexto. 15. A pesquisa em Ensino de Química no Brasil.

 ABRAHAMS, I.; MILLAR, R. Does Practical Work Really Work? A study of the
effectiveness of practical work as a teaching and learning method in school science.
International Journal of Science Education, v. 30, n. 14, 2008.
 ANDRÉS R.; ANDONI G. Analogias no Ensino do Equilíbrio Químico. Química
nova na escola, n. 27, 2008.
 ASTOLFI, J-P.; DEVELAY, M. A Didática das Ciências. Campinas: Papirus, 13
ed., 2009.
 ATKINS, P.; JONES, L. Princípios de Química - Questionando a Vida Moderna e
o Meio Ambiente. Porto Alegre: Bookman, 5 ed., 2011.
 BORGES, A. T. Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno
Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n. 3, 2002. 2016.
 BRASIL. Ministério da Educação Diretrizes Curriculares Nacionais para os
Cursos de Química. Disponível em
http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/130301Quimica.pdf
 BRASIL. Ministério da Educação Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação
Básica. Disponível em
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1554
8-d-c-n-educacao-basica-nova-pdf&category_slug=abril-2014-pdf&Itemid=30192
 DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências:
fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez Editora, 2003.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

 FRANCISCO JUNIOR, W. E. Analogias em livros didáticos de química: um estudo


das obras aprovadas pelo Plano Nacional do Livro Didático Para o Ensino Médio
2007. Ciências & Cognição, v. 14, n. 1, p. 121-143, 2009.
 GIORDAN, M. O papel da Experimentação no Ensino de Ciências. Química Nova
na Escola, v. 10, 1999.
 JUSTI, R. La Enseñanza de Ciências Basada en la Elaboración de Modelos.
Enseñanza de las Ciências, 24, 173-184, 2006.
 JUSTI, R.; FERREIRA, P. F. M.; QUEIROZ, A. S.; MENDONÇA, P. C.
C. Contribuciones de la enseñanza fundamentada en modelación para el desarrollo
de la capacidad de visualización. In: Adela Molina Andrade. (Org.). Algunas
aproximaciones a la investigación en educación en enseñanza de las Ciencias
Naturales en América Latina, 1 ed., Bogotá: DIE, 2012, p. 155-174.
 LEITE, B. S. Tecnologias no Ensino de Química – Teoria e prática na formação
docente. Curitiba: Appris, 2015.
 LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22
ed. São Paulo: Cortez Editora, 2012.
 MACHADO, A. S. Uso de Softwares Educacionais, Objetos de Aprendizagem e
Simulações. Química Nova na Escola, v. 38, n. 2, p. 104-111,2016.
 PIMENTA S. G. O Estágio na formação de professores - Unidade, teoria e
prática? São Paulo: Cortez Editora, 2001.
 RUSSEL, J. B. Química Geral, v.1 e 2. São Paulo: Pearsons, 2 ed., 1994.
 SANTOS, W. L. P. dos; MALDANER, O. A. (Orgs.) Ensino de Química em Foco.
Ijuí: Editora Unijuí, 2010.
 SANTOS, W. L. P. dos; MORTIMER, E. F. Uma análise de pressupostos teóricos
da abordagem C-T-S (Ciência – Tecnologia – Sociedade) no contexto da educação
brasileira. ENSAIO- Pesquisa em Educação em Ciências, v. 02, n. 2, 2002.
 SANTOS, W. L. P.; PORTO, P. A. A pesquisa em ensino de química como área
estratégica para o desenvolvimento da química. Química Nova, v. 36, n. 10, 2013.
 SCHNETZLER, R. A pesquisa em ensino de química no Brasil: conquistas e
perspectivas. Química Nova, v. 25, supl. 1, 2002.
 SOUZA S. C.; DOURADO L. Aprendizagem baseada em problemas (ABP): um
método de aprendizagem inovador para o ensino educativo. HOLOS, v. 5, 2015.
ZÔMPERO, A. F.; LABURÚ, C. E. Atividades investigativas no ensino de ciências:
aspectos históricos e diferentes abordagens. ENSAIO- Pesquisa em Educação em
Ciências, v.13, n. 3, 2011.

QUÍMICA III (Química Orgânica)


1. Ligação química e estrutura molecular em compostos orgânicos. 2. Cadeias
carbônicas. 3. Fórmulas estruturais dos compostos orgânicos e isomeria
constitucional. 4. Alcanos, alcenos e alcinos. 5. Compostos aromáticos. 6. Compostos
orgânicos – Propriedades físicas. 7.Compostos orgânicos representativos: grupos
funcionais, forças intermoleculares e espectroscopia no infravermelho. 8. Isomeria
Geométrica e Óptica. 9. Ácidos e bases. 10. Nomenclatura e conformação em
compostos orgânicos. 11. Polaridade das moléculas orgânicas. 12. Estereoquímica:
moléculas quirais. 13. Reações orgânicas e seus mecanismos: reações de
substituição, reações de eliminação, reações de adição, reações de rearranjo. 14.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

Reações de compostos aromáticos. 15. Álcoois. 16. Polímeros. 17. Carboidratos. 18.
Lipídios. 19. Aminoácidos e proteínas.

 ALINGER, N. L.; CAVA, M. P.; JONG, D. C.; LEBEL, N. A.; STEVES, C. L. Química
Orgânica. 2a ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1992.
 BARBOSA, Luíz. Cláudio. A. Introdução à química orgânica. São Paulo: Prentice-
Hall, 2006.
 BARBOSA, Luíz. Cláudio. A. Espectroscopia no infravermelho na
caracterização de compostos orgânicos. Viçosa: Editora UFV, 2007.
 CAREY, F. A. Química orgânica Vol. 1. 7 ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.
 CAREY, F. A. Química orgânica vol. 2. 7 ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.
 CLAYDEN, Jonathan; GREEVES, Nick; WARREN, Stuart; WOTHERS, Peter.
Organic Chemistry, New York: Oxford university press., 2001.
 BRUICE, P. Y. Química Orgânica v 1. 4 ed. São Paulo: Prentice-Hall, 2006..
 BRUICE, P. Y. Química Orgânica v 2. São Paulo: Prentice-Hall, 2006..
 FERNANDES, Ana Cristina, HEROLD, Bernardo; MAIA, Hernai; RAUTER, Amélia
P.; RODRIGUES, José Augusto R. Guia IUPAC para a nomenclatura de compostos
orgânicos – Tradução portuguesa nas variantes Européia e Brasileira de “A
guide to IUPAC nomenclature of organic compounds” Lisboa: Lidel. 2002.
 McMURRY, J. Química Orgânica: Combo. vol.1, 6a ed., São Paulo: Cengage
Learning, 2005.
 McMURRY, J. Química Orgânica: Combo. vol. 2, 6a ed., São Paulo: Cengage
Learning, 2005.
 MORRISON, R. T.; BOYD, R. N. Química orgânica. 14 ed. Lisboa: Fundação
Calouste Gulbenkian, 2005.
 PAVIA, Donald L.; LAMPMAN, Gary M.; KRIZ, George S.; VYVYAN, James R.
Introdução à espectroscopia – Traduçao da 4ª edição norte americana. São Paulo:
Cengage., 2010.
 SYKES, Peter. A guidebook to mechanism in organic chemistry. New York:
Longman scientific & technical. 6th edition, 1965.
 SIVERSTEIN, R. M.; WEBSTER, F. X.; KIEMLE, D. J. Identificação
Espectrométrica de Compostos Orgânicos, 7a ed. Rio de Janeiro, Livros Técnicos
e Científicos Editora S.A, 2007.
 SOLOMONS, T.W.G; FRYLE, C. B. Química Orgânica vol.1, 8a ed., Rio de
Janeiro, Livros Técnicos e Científicos Editora S.ª, 2005.
 SOLOMONS, T.W.G; FRYLE, C. B Química Orgânica vol.2, 8a ed., Rio de Janeiro,
Livros Técnicos e Científicos Científicos Editora S.ª, 2006.
 VOLLHAHARDT, K. P. C.; SCHORE, N. E. Química Orgânica estrutura e função,
4a ed., Porto Alegre: Artmed editora, 2004.

QUÍMICA IV (Química Inorgânica)


1. Estrutura atômica moderna: números quânticos, funções de onda e orbitais
atômicos. 2. Tabela periódica e propriedades periódicas dos elementos. 3. Ligações
químicas (iônica, covalente e metálica). 4. Compostos de coordenação: constituição,
geometrias, isomeria, ligantes e nomenclatura. 5. Teorias de Ligação em compostos
de coordenação de metais do bloco d (TLV, TCC e TOM). 6. Espectroscopia eletrônica
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA
PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

envolvendo compostos de coordenação do bloco d: transições de campo ligante e


transições de transferência de carga. 7. Reações de substituição em compostos de
coordenação do bloco d. 8. Química de compostos organometálicos de metais do
bloco d. 9. Estrutura de sólidos simples. 10. Estrutura eletrônica dos sólidos metálicos
e semicondutores.
 ATKINS, P. W., SHRIVER, D. F.; OVERTON, T. L., ROURKE, J. P.; WELLER, M.
T.; ARMSTRONG, F. A., HAGERMAN, M. Inorganic Chemistry,5th ed. W. H.
Freeman and Company, New York, 2010.
 GISPERT, J. R. Coordination Chemistry, 1th ed, Wiley-VCH, Weinheim, 2008.
 HOUSECROFT, C. E.; SHARPE, A. G. Inorganic Chemistry, 4a ed., Pearson
Education, 2012.
 HUHEEY, J. E., KEITER, E. A., KEITER, R. L. Inorganic Chemistry: Principles of
Structure and Reactivity. 4th ed.New York: HarperCollins College Publishers, 1993.
 MIESSLER, G. L.; TARR, D. A. Inorganic Chemistry. 4th ed. Upper Saddle River,
NJ: Pearson Prentice Hall, 2011.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA


PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
Rua Esmeralda, 430 – Faixa Nova – Camobi – CEP 97110-767 – Santa Maria/RS
Fone/Fax: (55) 3218-9820 / E-mail: prdi@iffarroupilha.edu.br