Você está na página 1de 42

ELETROTÉCNICA E MÁQUINAS

ELÉTRICAS

MESTRADO INTEGRADO EM
ENGENHARIA MECÂNICA

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

Responsável da disciplina

Pedro Pereira

Versão 2.0
Data: 3 de Março de 2016

Pedro pereira
pmrp@fct.unl.pt
Anabela G. Pronto
amg1@fct.unl.pt

Ano letivo 2017/18


EME Ano letivo 2017/2018

I. ANÁLISE DE CIRCUITOS EM REGIME CONTÍNUO

CONCEITOS BÁSICOS DE ELETROTECNIA (REVISÕES)

Problema 1. Uma corrente elétrica de 2 A passa através de um condutor


de cobre com 1 mm de diâmetro. Calcular o comprimento do condutor,
sabendo que é necessária uma pilha de 1,5 V para produzir essa
corrente.

Dados: = 1,7 × 10 Ω·m

Problema 2. Um fio de cobre e um outro de ferro têm o mesmo


comprimento, o mesmo diâmetro, e conduzem a mesma corrente .

a) Calcular a razão entre as quedas de tensão nos dois fios.


b) Em qual dos fios o campo elétrico é maior?

Dados: = 10 × 10 Ω·m

Problema 3. Dispõe-se de um acumulador elétrico com uma energia


armazenada de 0,1 kWh. Este acumulador fornece corrente elétrica a
um circuito de resistência 30 Ω, com uma intensidade de 1 A.
Determinar:

a) O valor da energia acumulada em Joule.


b) A tensão aos terminais do acumulador.
c) O intervalo de tempo em que a corrente é fornecida, admitindo que
é a um valor constante.
d) O calor libertado em cada segundo.

Problema 4. Um cilindro elétrico deve elevar a temperatura de 75 litros


de água de 10 para 100 °C numa hora. A tensão de alimentação é de
230 V. Determinar a potência elétrica do cilindro e a resistência do
filamento do mesmo.

Problema 5. Uma lâmpada incandescente possui uma resistência, suposta


constante, de 0,2 Ω e uma potência de 80 W.

a) Qual é a corrente elétrica máxima que pode passar pela lâmpada sem
que esta se queime?
b) Qual é a máxima tensão aplicável?

1
EME Ano letivo 2017/2018

c) Se a tensão aplicada for de 2 V, qual é a energia libertada sob a


forma de calor em 2 minutos?

Problema 6. Uma lâmpada é ligada a uma bateria de 10 V. Quando a


lâmpada está acesa, a corrente fornecida pela bateria é de 2 A.

a) Calcular a potência elétrica fornecida à lâmpada.


b) Supondo que a lâmpada permanece acesa durante uma hora, qual é a
energia elétrica fornecida pela bateria neste intervalo de tempo?
c) Se a bateria possuir uma energia acumulada equivalente a 40 Wh,
durante quanto tempo a lâmpada poderá permanecer acesa até
descarregar a bateria, supondo que a corrente mantém sempre a
mesma intensidade de 2 A?

Problema 7. Um ferro elétrico tem inscrito, na sua chapa de


características, 230 V, DC, 300 W. Calcular:

a) A resistência do ferro.
b) A potência quando o mesmo é alimentado a 110 V (ex.: EUA).
c) A corrente quando se alimenta o ferro com uma tensão de 90 V.
d) A energia consumida em 1h25m, supondo que a alimentação se
mantém a 230 V durante os primeiros 40 minutos, descendo para
185 V no período restante.

Problema 8. Numa habitação, numa determinada semana, são utilizados


três aquecedores de 2 kW, numa média de 25 horas cada, e oito
lâmpadas incandescentes de 100 W cada, numa média de 35 horas
cada. Determinar o custo da eletricidade nessa semana se o preço for
de 0,13 €/kWh.

Problema 9. Uma televisão de 120 W e um aparelho de cortar relva


elétrico de 1 kW são ligados à rede elétrica (230 V). Se se dispuser de
fusíveis de 3, 5 e 10 A, qual será o mais adequado para cada aplicação?

2
EME Ano letivo 2017/2018

LEI DE OHM

LEIS DE KIRCHHOFF: LEI DAS MALHAS E LEI DOS NÓS

ANÁLISE MATRICIAL DE REDES

Problema 10. Considerar os circuitos indicados na Figura 1 em que as


resistências valem = 10 Ω, = 20 Ω e = 30 Ω, e a tensão aplicada
vale = 60 V.

I R1 R2 R3 I1 R1

I2 R2
I
U1 U2 U3
60 V
I3 R3
60 V

U1 , U2 , U3
a) b)
Figura 1

Calcular para o caso do circuito indicado em a):


a) A resistência equivalente do circuito.
b) A corrente total I fornecida pela fonte.
c) As tensões aos terminais de , e , isto é, , e .

Calcular para o caso do circuito indicado em b):


a) A resistência equivalente do circuito.
b) As correntes , e e a corrente total fornecida pela fonte.
c) As tensões aos terminais de , e .

Problema 11. Considerar o circuito indicado na Figura 2, alimentado com


uma tensão = 50 V. Determinar a corrente fornecida pela fonte de
tensão ao circuito.

4
EME Ano letivo 2017/2018

R 4 = 5Ω

R 1 = 4Ω R 2 = 6Ω
R 5 = 12Ω R 5 = 8Ω
R 3 = 6Ω
U = 50 V
Figura 2

Problema 12. Determinar a corrente fornecida pela fonte do circuito


representado na Figura 3, com base no cálculo da resistência
equivalente.

Figura 3

Problema 13. O circuito indicado na Figura 4 é alimentado com uma tensão


10V. As resistências valem = 30 Ω e = = 20 Ω.
I1 R1 I3 R3

I2

U = 10 V R2

Figura 4

Nestas condições, determinar:


a) As correntes , e e a corrente total fornecida pela fonte.
b) As tensões aos terminais de , e , isto é, , e .
c) A potência de Joule posta em jogo em cada uma das resistências do
circuito.
d) A resistência equivalente do circuito. Desenhar o circuito
equivalente indicando o valor da corrente que o percorre e

5
EME Ano letivo 2017/2018

determinar a potência de Joule posta em jogo nessa resistência.


Comparar com a potência obtida na alínea anterior.

Problema 14. Para o circuito elétrico representado na Figura 5, sabe-se que


a tensão aos terminais da resistência vale = 30 V, e que as
resistências , e valem, respetivamente, 100 Ω, 150 Ω e 250 Ω.
Nestas condições, calcular:

a) As correntes nas resistências , e e as tensões e .


b) A tensão e a corrente fornecida pela fonte.

I1 U 1 R1
I
I2 R2
I3
U3
U R3
U 2 = 30V

Figura 5

Problema 15. Tendo em consideração o circuito da Figura 6, calcular a


corrente em cada resistência (Leis de kirchhoff).

Figura 6

Problema 16. Considerar o circuito representado na Figura 7. Determinar


a corrente na bateria; a corrente que atravessa a resistência de 300 Ω;
a corrente que atravessa a resistência de 90 Ω e a potência dissipada
na resistência de 150 Ω.

6
EME Ano letivo 2017/2018

Figura 7
Problema 17. Para o circuito apresentado na Figura 8 e usando análise
matricial de redes, determinar:
a) A corrente que atravessa a resistência de 18 Ω;
b) A corrente na bateria de 8 V;
c) A corrente na bateria de 3 V.

Figura 8

Problema 18. Considerar o circuito representado na Figura 9. Usando a


análise matricial de redes, determinar a corrente que percorre a
resistência de 10 Ω.

Figura 9

Problema 19. Considerar o circuito da Figura 10.


a) Usando a análise matricial de redes, determinar a corrente que
percorre a resistência de 4 Ω;
b) Calcular a potência dissipada nessa mesma resistência.

Figura 10

Problema 20. O circuito representado na Figura 11 é designado por ponte


de Wheatstone. Recorrendo à análise matricial de redes, determinar a
corrente que percorre a resistência de 32 Ω.

7
EME Ano letivo 2017/2018

Figura 11

Problema 21. Recorrendo à análise matricial de redes, determinar a


corrente que percorre a resistência de 10 Ω no circuito da Figura 12.

Figura 12
Problema 22. Considerar o circuito elétrico, representado na Figura 13.
Determinar a corrente no ramo central, isto é, na resistência de 5 Ω.

Figura 13

Problema 23. Considerar o circuito elétrico representado na figura


abaixo. Para o circuito indicado, pede-se:

Figura 14

a) Usar o método das malhas para obter , , , e .

8
EME Ano letivo 2017/2018

b) Calcular a tensão , aos terminais da resistência de 4 Ω, e a tensão


, entre os pontos A e B indicados na figura.
c) Analisar cada fonte de tensão de forma a verificar se funciona como
recetor ou como gerador.
d) Calcular a potência associada a cada fonte de tensão.
e) Fazer o balanço energético e verificar que a potência associada a
toda a geração é igual à soma da potência associada a toda a
recepção com a potência de Joule posta em jogo nas resistências.

9
EME Ano letivo 2017/2018

REVISÃO: OPERAÇÕES COM COMPLEXOS

Problema 24. Esboçar o plano complexo e localizar nele os números


complexos seguintes. Converter cada número para a forma polar e
repetir o esboço (uma comparação entre os dois esboços mostrará se a
conversão foi feita corretamente).

a) 2 − j2

b) 3 + j8

c) − 5 + j3

d) − 4 − j 4

e) 5 − j0

f) j6

g) − 4

h) − j5

Problema 25. Exprimir cada um dos números complexos seguintes na forma


retangular:

jπ 4 − jπ 2
a) 15e d) − 2e

− j 2π 3 − jπ 7 6
b) 5e e) 10e

j5π 6 −3π 2
c) − 4e f) − 18e

Problema 26. Exprimir cada um dos números complexos seguintes na forma


retangular:

a) 25 e j 88 °
b) 0,8∠ − 5°
c) 12,3∠30°
d) 53 ∠160 °
e) 25 ∠ 45 °
f) 85 ∠115 °

10
EME Ano letivo 2017/2018

Problema 27. Efetuar as seguintes operações:

*
a) Z = 3 − j 4 . Determinar Z ⋅ Z

*
b) Z = 10∠ − 40º . Determinar Z ⋅ Z

*
c) Z = 20∠53,1º . Determinar Z + Z

*
d) Z = 2 ,5 e − j π 3 . Determinar Z ⋅ Z

*
e) Z = 2 + j 8 . Determinar Z − Z

*
f) Z = 10 − j 4 . Determinar Z + Z

*
g) Z = 95∠25º . Determinar Z − Z

*
h) Z = Z∠θ . Determinar Z / Z

Problema 28. Determinar o resultado das operações seguintes:

a) (10∠53,1°) + (4 + j2)
b) 10 e j π + (8 − j 2 )
( )
c) − 5 e j 53 ,1 ° − (1 − j 6 )
d) (− 4 − j6) + (2 + j4)
e) 2,83∠45º−(2 − j8)
f) (− 5 + j5) − 7,07∠135º
g) (10 + j1) + 6 −13,45∠ − 42º
Problema 29. Sendo Z1 = 3 − j 2 , Z 2 = −1 + j , Z 3 = 5 + j5 e Z 4 = 3 − j4 ,
determinar:

Z1
a)
Z2
Z3
b)
Z4
Z1 Z 3
c) +
Z2 Z4

12
EME Ano letivo 2017/2018

d) Z 1 + Z 2 + Z 4
Z3
1
e)
( ) (
1 Z1 + 1 Z 2 )
Problema 30. Resolver as seguintes equações:

a) x + jy =
(12 ∠ π / 2 ) ⋅ (3∠ 3π / 4 )
2∠ − π / 3

b) r∠θ = (15∠π / 3) + (12∠π / 2 ) − (6∠π / 3)

Problema 31. Fazer a multiplicação na forma retangular (ou cartesiana) e


polar, comparando os resultados:

a) (3 + j 4) ⋅ (2 − j2)
b) (2 + j0) ⋅ (3 − j3)
c) ( j2) ⋅ ( j5)
d) (2 + j 2) ⋅ (2 − j 2)
e) (− 1 − j1) ⋅ (1 + j1)
f) ( j 2) ⋅ (4 − j3)
g) (x + jy) ⋅ (x − jy)
Problema 32. Determinar, na forma retangular, o resultado das seguintes
operações:

a) 1
j

b) 3 + j 4
2 − j2
π
(3 + j 4) ⋅ (2 − j 2) + 5e j 4
c)
(3 + j 4) + (2 − j 2)

Problema 33. Calcular, em cada caso, Z1 ⋅ Z 2 / (Z1 + Z 2 ) .

a) Z1 = 10 + j 5 e Z 2 = 20∠30º c) Z 1 = 6 − j 2 e Z 2 = 1 + j8

b) Z1 = 5∠45º e Z 2 = 10 ∠ − 70 º d) Z 1 = 20 e Z 2 = j 40

Problema 34. Efetuar, analítica e graficamente, as seguintes operações:

13
EME Ano letivo 2017/2018

a) (3 + j 4) + (5 + j 2)
b) (6 − j 2) − (2 − j5)
c) 5 ∠ 0 º + 3 ∠ 90 º
d) 4 ∠ 30 º + 2 ∠ 45 º

Problema 35. Representar graficamente cada um dos seguintes complexos:

a) 6(cos 240 + jsen 240)



j
b) 4 e 5

π
−j
c) 2 e 4

Problema 36. Resolver cada uma das seguintes operações:

a) [3(cos 40º+ jsen 40º )] [4(cos 80º+ jsen 80º )]


(2∠15º )7
b)
(4∠45º )3
c) 5 ∠ 36 . 9 º + 5 ∠ 53 . 1º
d) 3 + j 4
1 + j2
e) (2 + j 2)(4∠37º )
(8∠60º )(10∠0º )
f)
(8∠60º ) + (5∠30º )
(4,1∠20º )(3,2∠ − 62º )
g)
1,2∠150º

Problema 37. Resolver cada um dos seguintes sistemas de equações:

Z 1 = 4∠30 º

a) 
3Z 1 + 6 Z 2 = 0

2∠15º Z 1 + 3Z 2 = 4∠30º

b) 
3Z 1 + 5∠30º Z 2 = 0

14
EME Ano letivo 2017/2018

4∠35 º Z 1 − 5 Z 2 + 3,8∠ 76 º Z 3 = 12 ∠30 º




c) 2 Z 1 − 4,3∠32 º Z 2 = 10


2,9∠12 º Z 1 + 2∠58 º Z 3 = 2,7 ∠35 º

15
EME Ano letivo 2017/2018

II. ANÁLISE DE CIRCUITOS EM REGIME ALTERNADO SINUSOIDAL

BOBINAS E CONDENSADORES

FORMAS DE ONDA, VALOR MÉDIO, VALOR EFICAZ

POTÊNCIA INSTANTÂNEA E ENERGIA

NOTAÇÃO COMPLEXA: FASORES

Problema 38. O condensador plano representado na Figura 155, tem os


seguintes parâmetros:
Área de cada armadura = 10 cm 2
Distância entre armaduras = 1 mm
Constante dielétrica relativa do isolante (ou dielétrico) inserido entre
as armaduras = 10.
Constante dielétrica do ar = ∙ 10 F/m.

d
Área A Dielétrico ε

i(t)
u(t

Figura 155

Pede-se:
a) Calcular a capacidade C do condensador, sabendo que é dada pela
expressão = ⁄ .
b) Calcular a energia eletrostática = armazenada nas
armaduras do condensador em Joules, quando se aplica aos seus
terminais uma tensão contínua de = 100 V.
c) Aplica-se aos terminais do condensador uma tensão alternada
sinusoidal ( ) = sen( ) V, onde =2 rad·s -1 . Determinar a
corrente elétrica ( ) que atravessa o condensador e a sua
amplitude, , para o valor de calculado, quando a amplitude da
tensão é = 300 V e a frequência vale = 50 Hz. Representar
graficamente ( ) e ( ) em função de .

16
EME Ano letivo 2017/2018

Problema 39. Uma bobina de = 1000 espiras está enrolada num núcleo
de material ferromagnético de permeabilidade magnética relativa =
2000, de comprimento = 10 cm e uma secção transversal = 9 cm 2 ,
como mostra a Erro! A origem da referência não foi encontrada.. A
permeabilidade magnética do ar vale = 4 ∙ 10 H/m.

A
i(t)

u(t l

μ
Figura 16
Pede-se:
a) Calcular o coeficiente de auto-indução da bobina em mH, sabendo
que é dado pela expressão aproximada = ⁄.
b) Calcular a energia magnética = em Joules armazenada no
campo magnético, quando a bobina é atravessada por uma corrente
contínua de = 10 A. Calcular a relação 1⁄ e verificar que é
igual à velocidade da luz no ar.
c) Injeta-se na bobina uma corrente sinusoidal ( ) = cos( ) A,
onde = 2 rad/s. Determinar a tensão aos seus terminais, ( ), e
a sua amplitude, , para o valor de calculado em a) quando a
amplitude da corrente for = 15 A e a frequência for = 50 Hz.
Desprezar a resistência da bobina. Representar ( ) e ( ) em
função de .

Problema 40. Considerar as funções ( ) ou ( ) com a forma indicada nas


figuras seguintes.

Para cada caso calcular o valor eficaz das grandezas.

i(t) i(t)
Io Io

0 T/2 T t 0 T/4 T/2 (¾)T T

-I o -I o

17
EME Ano letivo 2017/2018

a) b)
u(t) u(t)
Um Um Sinusóide

0 T/2 T 3T/2 2T t 0 T/2 T t


Sinusóide comutada

c) d)
Problema 41. Uma corrente periódica ( ) de forma trapezoidal percorre
um circuito RLC série, com os valores indicados na Figura 16.

i(t) A

10

i(t) R = 2 C = 500 μF
5 L = 2 mH

0 1 2 3 4 5 6 t
u R (t) u L (t) u C (t)
- 5

-10

Figura 16

Determinar o andamento das quedas de tensão aos terminais da


resistência, ( ) = ( ), da bobina, ( )= ⁄ , e do condensador,
( )= . Determinar ainda o andamento da carga eletrostática
( )= no condensador.

Problema 42. A corrente através de uma resistência tem a forma de


onda periódica representada na Figura 17 (onda em dente de serra).

i(t) IR
( )
Im

0
u(t) R
T/2 T 3T/2 t

-I m

Figura 17

a) Representar o andamento aproximado da potência instantânea p(t)


na resistência ao longo de 2 períodos.

18
EME Ano letivo 2017/2018

b) Calcular a energia dissipada durante um período . Admitir =5


A, = 2 Ω e = 3 s.

Problema 43. Uma tensão alternada sinusoidal ( ) = 150 cos(1000 ) V,


está aplicada a um circuito indutivo puro de coeficiente de auto-
indução = 0,02 H.
Determinar a corrente ( ), a potência instantânea (t), a potência
média e discuta a função energia ( ), supondo que a energia
armazenada no campo magnético é nula no instante = 0.

Problema 44. Determinar a amplitude, valor eficaz, frequência e período


da corrente dada pela expressão ( ) = 5 cos(400 − 120°) A. Representar
esta corrente em notação complexa (valor eficaz).

Problema 45. Indicar a desfasagem relativa entre ( ) = 4 sen(377 + 25°)


V e ( ) = 0,05 sen(377 − 10°) A. Representar o diagrama fasorial destas
grandezas.

Problema 46. Representar os fasores das seguintes grandezas elétricas:

a) u = 283cos(800t + 150°) V i = 11,3 cos(800t + 140°) A


b) u = 2 ⋅ 10 cos (5000 t − 160 ° ) V i = 2 ⋅ 1,333 cos (5000 t − 73,82 ° ) A
c) u = 80sen(5000t + 45°) V i = 8 cos(5000t − 90°) A
d) u = 2 ⋅ 424 cos (2000 t + 30 ° ) V i = 2 ⋅ 28,3 cos (2000 t + 83,2° ) A

Problema 47. Determinar, graficamente com recurso a fasores, a corrente


i T , dada pela soma das seguintes correntes: i1 = 2 ⋅ 10 cos (ω t + 45 ° ) ,
i 2 = 2 ⋅ 10 sen (ω t + 15 ° ) e i 3 = 2 ⋅ 10 cos (ω t − 195 ° ) .

R: iT = 0

Problema 48. Para f = 50 Hz, determinar as grandezas elétricas que


correspondem aos seguintes fasores:

a) I = 20∠53,1° A ef R: i (t ) = 2 ⋅ 20 cos (314 t + 53,1° )


b) U = 230∠ − 36° V ef R: u (t ) = 2 ⋅ 230 cos (314 t − 36 ° )
c) I = 2,54∠66° A ef R: i (t ) = 2 ⋅ 2,54 cos (314 t + 66 ° )

Problema 49. Determinar a soma das duas tensões u1 = 50sen(ωt + 90°) e


u2 = 50sen(ωt + 30°) .

R: u = 86,6sen(ωt + 60°)

19
EME Ano letivo 2017/2018

Problema 50. Determinar graficamente a diferença entre as duas tensões


u1 = 35cos(ωt + 45°) e u 2 = 100 cos(ωt − 30°) .

R: u = 97 cos(ωt + 129,6°)

Problema 51. Um dispositivo linear foi ensaiado em regime sinusoidal a


f = 50Hz, e verificou-se que quando se aplica uma tensão
u (t ) = 2 ⋅ 220 ⋅ cos(ωt + 60 º ) , a corrente é i (t ) = 2 ⋅ 0,1 ⋅ cos (ω t ) (A).
u(t)

i(t)

Figura 18

a) Representar concertadamente u(t) e i(t) num diagrama temporal, à


escala. Identificar qual das grandezas está em avanço e qual está em
atraso e determinar o ângulo ϕ de desfasagem.
b) Calcular as amplitudes complexas U e I , respetivamente das
grandezas u(t) e i(t). Escolher uma escala conveniente e fazer o
diagrama vetorial dessas amplitudes complexas.
c) Calcular a impedância complexa do dispositivo, Z , nas formas polar
e rectangular. Fazer um diagrama dessa impedância.
d) Calcular a admitância complexa do dispositivo, Y , nas formas polar e
rectangular. Fazer um diagrama dessa admitância.
e) Dimensionar uma associação de elementos em série que, a 50Hz,
seja equivalente ao dispositivo. Calcular as amplitudes complexas
das quedas de tensão em cada elemento, e fazer um diagrama
vetorial com elas e mais U e I , realçando as relações algébricas
entre as várias grandezas.
f) Dimensionar uma associação de elementos em paralelo que, a 50Hz,
seja equivalente ao dispositivo. Calcular as amplitudes complexas
das correntes em cada elemento, e fazer um diagrama vetorial com
elas e mais U e I , realçando as relações algébricas entre as várias
grandezas.

Problema 52. Determinar os parâmetros de um circuito (isto é, os valores


de R, L e C, caso existam) em que a tensão e a corrente são as seguintes:

u ( t ) = 311 ⋅ sen(2500 ⋅ t + 80º ) V


i ( t ) = 15, 5 ⋅ sen(2500 ⋅ t − 235º ) A

20
EME Ano letivo 2017/2018

Problema 53. Num circuito RL série, o valor do coeficiente de auto-indução


da bobina ( ) é de 21,2 H. Sabendo que a frequência da tensão é de 60
Hz e a corrente está em atraso de 53,1° em relação à tensão, calcular o
valor da resistência .

Problema 54. Considerar um circuito RLC série em que R = 10 Ω , L = 0,2H e


C = 250 μF . Calcular a intensidade de corrente no circuito em função do
tempo, i(t), quando a tensão aplicada for:

(a) u(t ) = 150 ⋅ cos(200 ⋅ t ) V.


(b) u(t ) = 100 ⋅ cos(100 ⋅ t) V.

Problema 55. Um circuito RLC série é alimentado por uma fonte de tensão
de C.A. (corrente alternada) com 120 V de valor eficaz e frequência
angular ω = 400 rad/s . O circuito contém 3 cargas: uma resistência R de
valor desconhecido, uma bobina com coeficiente de autoindução
L = 25 mH e um condensador de capacidade C = 50 μF . Sabendo que a
intensidade de corrente está em avanço de 63,4 o em relação à tensão,
calcular o valor da resistência R e a queda de tensão em cada elemento
do circuito. Traçar o diagrama vetorial das tensões, considerando uma
escala que achar conveniente.

Problema 56. Considerar um circuito constituído por uma resistência R,


uma bobina L e um condensador C, em série. Seja u(t ) = 120 × cos(400 ⋅ t ) V
o valor instantâneo da tensão de alimentação. Determinar o valor
instantâneo da corrente i(t) nos seguintes casos, acompanhando a
resolução com os respetivos diagramas fasoriais:

a. R = 20 Ω; L = 25 mH; C = 50 μF.
b. R = 20 Ω; L = 125 mH; C = 250 μF.
c. R = 20 Ω; L = 25 mH; C = 250 μF.

Problema 57. A um determinado circuito foi aplicada uma tensão de


u(t) = 20 × cos(314 ⋅ t + 20º) V . Nessas condições a corrente obtida foi de
i(t) = 4 × cos(314 ⋅ t +10º) A . Determinar:
a. A impedância do circuito.
b. O valor da intensidade de corrente nos instantes em que a
tensão passa por um valor nulo.
c. O valor da tensão nos instantes em que a corrente é nula.

21
EME Ano letivo 2017/2018

Problema 58. No circuito paralelo da figura abaixo, achar as intensidades


de corrente em cada ramo, construindo o diagrama fasorial
correspondente. Calcular a impedância equivalente do circuito ( Zeq )

sabendo que Zeq = U I e comparar com o valor de Z 1 ⋅ Z 2 ( ) (Z 1 )


⋅+ Z2 ,
sendo Z1 e Z2 as impedâncias dos ramos central e da direita,
respetivamente.

Figura 19

Problema 59. Para o circuito representado em seguida, na Figura 20, são


dados os seguintes valores: R1 = 2 Ω , R2 = 3 Ω , ω L1 = 10 Ω , ω L2 = 2 Ω ,
1 1 I , I1 e I 2 e representar o diagrama
=6Ω e = 5 Ω . Determinar
ω C1 ω C2
fasorial do vetor.

Figura 20

Problema 60. O circuito da figura seguinte é alimentado por uma tensão


sinusoidal de valor eficaz U1 . As impedâncias Z 3 e Z 4 são iguais.
a) Calcular a diferença de potencial U AB em função de U 1 , Z1 e Z 2 .
b) Supondo que a impedância Z1 é puramente óhmica (i.e.,
constituída somente por uma resistência de valor R), indicar o tipo
de impedância que deverá ter Z 2 para que o módulo da queda de
tensão U AB seja constante quaisquer que sejam os valores das
impedâncias Z1 e Z 2 .

22
EME Ano letivo 2017/2018

Figura 21

Problema 61. Para o circuito representado, determinar:


a) A impedância equivalente.
b) A corrente e a queda de tensão em cada elemento.
c) Desenhar o respetivo diagrama de fasores.
d) Calcular as potências P, Q, S e ̅.

Figura 22

Problema 62. Um circuito RC série com R = 15 Ω e C = 122,58 μF tem uma


desfasagem ϕ = 60 o com carácter capacitivo. Traçar o triângulo da
impedância e determinar a frequência f do circuito, a reatância
capacitiva 1 ωC , a impedância Z e a tensão eficaz U ef aplicada,
admitindo que a corrente eficaz do circuito vale I ef = 4,15 A.

Problema 63. Aos terminais do circuito representado na Figura 23 aplica-se


uma tensão alternada sinusoidal u (t ) = 2 ⋅ 200 ⋅ cos (ω t ) de frequência
f=50Hz. Os valores dos elementos do circuito são:

R 1 = 18,79 Ω ; L 1 = 21,78 mH
R2 = 5 Ω ; C 2 = 336 μF
A
i R1 R2
u ~ i1 i2
L1 C2

Figura 23

23
EME Ano letivo 2017/2018

a) Calcular as correntes i 1 e i 2 e representar o diagrama vetorial.


º
R: I1 = 2.10e − j 20º A; I 2 = 2.18,7e j 62 A
b) Determinar a corrente lida pelo amperímetro e a sua desfasagem em
relação à tensão.
R: I ef = 22,4 A; ϕ = 36º (corrente em avanço em relação à tensão)

Problema 64. Ao circuito da figura apresentada abaixo, foi aplicada uma


tensão U = 2 .50 e j 0 º V . Dadas as impedâncias de cada ramo, determinar a
corrente de cada ramo do circuito e a corrente total traçando o
diagrama de fasores (realçando as relações algébricas). Calcular ainda a
impedância equivalente do circuito.

R2 R3
IT
R1 3Ω 10Ω
U ~ 10Ω
L1 C1
j4Ω -j6Ω

Figura 24

Problema 65. Determinar o valor da impedância ̅ do circuito da Figura 11,


sabendo que a este circuito se aplica uma tensão U = 2 .50 e j 60 º V que
fornece uma corrente I T = 2 .31,5 ⋅ e j 24 º A. Representar o diagrama
vetorial (fasorial) das tensões e correntes, realçando as somas
algébricas.

R1
IT
4Ω R2
U ~ ̅
L1 10Ω
10mH

Figura 25

24
EME Ano letivo 2017/2018

POTÊNCIAS ATIVA, REATIVA, APARENTE E COMPLEXA

Problema 66. Uma tensão u (t ) está aplicada a bobinas em série, como


indica a Figura 26.a, e em paralelo, como indica a Figura 26.b. Para
cada um dos circuitos determinar a auto-indução equivalente L e q .
Determinar a potência complexa em cada um dos elementos do
circuito.

i i

L1
u(t) ~ u(t) ~ L1 L2
L2

(a) (b)

Figura 26

Problema 67. Uma tensão u (t ) está agora aplicada a dois condensadores


ligados em série, como indica a Figura 32(a), e ligados em paralelo,
como indica a Figura 32(b). Para cada um dos circuitos determinar a
capacidade equivalente C e q dos dois condensadores C 1 e C 2 .
Determinar a potência complexa em cada um dos elementos do
circuito.
i i

C1
u(t) ~ u(t) ~ C1 C2
C2

(a) (b)
Figura 27

Problema 68. Um circuito RL série com R = 20 Ω e L = 60 mH apresenta um


fator de potência cosϕ = 0,67 de carácter indutivo. Calcular o valor da
frequência f.
R: f ≈ 60 Hz
Problema 69. Um circuito RC série é atravessado por uma corrente
sinusoidal i (t ) = I m cos (ωt ) .

25
EME Ano letivo 2017/2018

a) Mostrar que a tensão aplicada ao circuito é da forma


u(t ) = Um cos(ωt − ϕ ) onde

Um = R2 +( 1 2
ωC) .I m =Z I m
e
1 )
ϕ = arctg (− ωCR cos ϕ = R
R 2 + ( 1 )2
ωC

b) Traçar o triângulo da impedância.

Problema 70. Calcular o valor da resistência R do circuito RC série para que


a potência ativa por ele absorvida seja máxima. Para o valor de R
calculado, esboçar o diagrama vetorial das tensões.

Problema 71. Considerar o circuito da Figura 28 a funcionar em regime


alternado sinusoidal à frequência de 50 Hz. A potência de Joule
associada à resistência R 1 vale 20 W. Os valores dos elementos do
circuito são: i

R1 R2
R1 = 2 Ω ; C 1 = 636,6 μF
u ~ i1 i2
R2 = 1 Ω ; L 2 = 3,183 mH
C1 L2

Figura 28

Determinar:

a) U , I1, I2 , I , UR1 , UC1 , UR2 , e UL2 .


b) Os respetivos diagramas vetoriais.
c) As potências complexas S1 e S2 associadas a cada ramo, e a potência
S g associada ao gerador.
d) Verificar os equilíbrios energéticos.

Problema 72. O ramo 2 do circuito em paralelo da Figura 29, tem


associada uma potência de 1490 VA e exibe um fator de potência de
0,805 indutivo. Sabendo que o circuito é alimentado com uma tensão
eficaz de 230 V e que R 1 =2R 2 e L 1 =2L 2 , Determinar a corrente fornecida

26
EME Ano letivo 2017/2018

pela fonte e as potências ativa, reativa e aparente do circuito. Verificar


os equilíbrios energéticos
i

R1 R2
u ~ i1 i2

L1 L2

Figura 29

27
EME Ano letivo 2017/2018

COMPENSAÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA

Problema 73. Uma instalação monofásica de 100 kVA e com um fator de


potência cosϕ = 0,34 indutivo, recebe energia a uma tensão eficaz
U ef =10kV. O gerador e a linha de alimentação podem ser representados
simbolicamente por uma impedância R g + jX g em série com um
gerador de tensão ideal, como representado na Figura 30, cuja f.e.m.
vale u 0 , sendo R g = 17 Ω e X g = 47 Ω.

Ig Rg Xg IL
A

Ic
ΔU
U0 ~ C U Z

Figura 30

a) Calcular a potência complexa em jogo na instalação, determinando a


potência ativa, reativa e aparente. Calcular a impedância da
instalação. Tomando a tensão u(t) para referência das fases (
U = 2U ef e j 0º ), determinar a corrente na instalação e no gerador.
Determinar a potência de perdas de Joule no gerador e na linha.
Fazer um diagrama vetorial onde figurem a tensão U , a f.e.m. U 0 , a
queda de tensão ΔU e a corrente I L = I g .
b) Calcular a capacidade C a colocar em paralelo com a instalação para
compensar totalmente o fator de potência.
c) Calcular I c , I g , I L , Δ U e U 0 , para que a tensão aos terminais da

instalação continue a ser U = 2 .10 kV e j 0 º . Calcular a potência S na


instalação, S g no gerador e as perdas P J na linha e no gerador. Fazer
um diagrama vetorial com as tensões e correntes referidas. Dizer
quais as vantagens da compensação do fator de potência para o
fornecedor e para o consumidor.

Problema 74. Uma carga industrial consome 100 kW com um fator de


potência de 0,8 em atraso. Se um amperímetro na linha de transmissão
indicar que a corrente de carga é 284 A ef , determinar a tensão na carga.

28
EME Ano letivo 2017/2018

Problema 75. Considerar uma carga industrial com um consumo de 80 kW,


fornecidos pela EDP através de uma linha de transmissão com 0,1 Ω de
resistência e 84 kW. Se a tensão na carga for de 440 V ef , determinar o
fator de potência na mesma.

Problema 76. Uma fábrica com uma carga indutiva consome 10 kW de


potência através de uma linha de 230 V ef . Se o fator de potência for de
0,8, determinar qual o ângulo pelo qual a tensão está em avanço
relativamente à corrente na carga.

Problema 77. Uma instalação elétrica industrial pode ser modelada por um
circuito elétrico RL série. Em paralelo com a instalação coloca-se um
condensador C que pode ser desligado através do interruptor S, como
mostra a Figura 31. A frequência da rede é ƒ = 50 Hz, e a tensão é
U=230∠0° V. Tem-se ainda R = 11,5 Ω e L = 63,43 mH.

IL
I
Linha de transmissão de energia
IC
Gerado

C
~ U
S

Fábrica

Figura 31

a) Com o interruptor S ligado, desenhar o diagrama fasorial à escala da


tensão U ef , da corrente I ef através do circuito RL série, da corrente
I C através do condensador C, e da corrente na linha IL para que o
fator de potência do circuito RL//C seja cosϕ = 0,939. A partir do
diagrama fasorial, calcular a capacidade C do condensador, em μ F.
b) Calcular a relação entre as perdas por efeito de Joule na linha de
transmissão de energia depois da compensação parcial e antes da
compensação.

Problema 78. Na Figura 32 está representada uma instalação fabril com um


condensador em paralelo, a dimensionar para a compensação do fator
de potência. A instalação opera a 500 V ef e 60 Hz, sendo constituída por
duas cargas com as seguintes características:

29
EME Ano letivo 2017/2018

P 1 = 48 kW, FP = 0,60 em atraso


P 2 = 24 kW, FP = 0,96 em avanço

Dimensione o condensador para que haja compensação total do fator de


potência.

I L I12

I1 I2
Gerador
1 Carga 1 Carga 2
jω C
~ P 1 = 48 kW,
FP = 0,60
P 2 = 24 kW
FP = 0,96
em atraso em avanço
IC

Figura 32

Problema 79. Uma instalação que alimenta uma carga de 300kW e fator
de potência de 0,65 indutivo, vê o seu fator de potência melhorado
para 0,9 com a adição de condensadores em paralelo.
a) Qual a capacidade do banco de condensadores?
b) Qual a redução (em %) da potência aparente da instalação, após a
compensação?

Problema 80. A carga de um motor de indução de 1500W com fator de


potência indutivo de 0,75, está colocada em paralelo com motores
síncronos de 500VA com um fator de potência de carácter capacitivo
de valor 0,65.
a) Qual o valor de potência reativa necessária para corrigir o fator de
potência total para 0,95 de carácter indutivo.
b) Qual a redução da potência aparente do sistema, em percentagem.

30
EME Ano letivo 2017/2018

ANÁLISE MATRICIAL DE CIRCUITOS EM REGIME ALTERNADO SINUSOIDAL

Problema 81. Calcular a corrente I0 no circuito da Figura 33. Determinar


igualmente i0 (t ) . Representar o diagrama fasorial concertado de U 0 e
I0 .
2Ω j1Ω

I0

~ -j2Ω
U 0 = 20∠60° V 1Ω

Figura 33

Problema 82. Considerar o circuito elétrico indicado na Figura 34, o qual é


alimentado por duas fontes de tensão alternada sinusoidal cujas
amplitudes complexas valem U1 = 30e j 0 º V e U 2 = 20e j 0 º V.

j2 Ω -j4 5Ω
I1 I2 I3

I4 I5

5Ω j2 Ω
U1 = 30e j 0 º V ~ ~ U 2 = 20e j 0 º V

Ia A Ib Ic

Figura 34

a) Para o circuito da figura, determinar a matriz da impedância, [Z ] .


b) Usando o método das correntes de circuito (método das malhas),
determinar o valor da corrente lida pelo amperímetro A.
c) Calcular o novo valor da tensão U 2 para que a corrente no ramo 3 (
I 3 ) seja nula.

31
EME Ano letivo 2017/2018

ANÁLISE DE CIRCUITOS TRIFÁSICOS

Problema 83. Um alternador trifásico de tensão simples U S = 230 V e f


alimenta uma carga simétrica ligada em estrela cuja impedância por

fase vale Z = 11,5 ⋅ e j30° Ω, como está representado na Figura 35.


a) Calcular a corrente em cada impedância e na linha e mostrar que a
corrente no fio neutro é nula.
b) Mostrar que a tensão composta é dada por UC = 3 ⋅US .
c) Mostrar que a potência ativa cedida pelo alternador à carga é dada
por PΥ = 3 ⋅ UCef IL ef cos(ϕ ) .
d) Desenhar o diagrama vetorial das tensões e correntes.

1 iL 1

u1 Z

n n

u2 u3 Z Z
2 3 2
3

Figura 35

Problema 84. Um alternador trifásico de tensão simples U S = 230 V ef (o


mesmo do problema anterior) alimenta uma carga simétrica ligada em

triângulo cuja impedância por fase vale Z = 11,5 ⋅ e j30° Ω, como


representado na Figura 36.
a) Calcular a corrente em cada impedância e na linha e verificar que
I L = 3 ⋅ Iimp.
b) Mostrar que a potência ativa cedida pelo alternador à carga é dada
P I
por PΔ = 3 ⋅ U Cef I L ef cos(ϕ ) , e verificar que Δ = 3 e LΔ = 3 quando
Pλ I Lλ
as impedâncias por fase são as mesmas.
c) Desenhar o diagrama vetorial das tensões e correntes.

32
EME Ano letivo 2017/2018

1 iL 1

u1 Z Z
u 12 u 31
n i 31 i 12

i 23
u2 u3
2 2
u 23 3 3
Z

Figura 36

Problema 85. Um sistema trifásico de três condutores de tensão


composta U C = 400 V ef alimenta uma carga assimétrica ligada em

triângulo de valor Z12 = 25⋅ e j90° Ω, Z 23 = 15⋅ e j30° Ω, e Z31 = 20⋅ e j0° Ω.
a) Determinar as correntes I1, I2 e I3 nas linhas e a potência ativa
total.
b) Desenhar o diagrama vetorial das tensões e correntes.

Problema 86. Um alternador trifásico de tensão simples U S = 230 V e f


alimenta uma carga assimétrica com quatro condutores (três fases e

um neutro) cujas impedâncias são Z1 = 10⋅ e j0° Ω, Z2 = 15⋅ e j30° Ω e


Z3 = 10⋅ e− j30° Ω.

a) Calcular as correntes I1, I2 e I 3 nas linhas.


b) Calcular a corrente I n no neutro.
c) Calcular a potência ativa total fornecida à carga.
d) Desenhar o diagrama vetorial das tensões e correntes.

Problema 87. Suponha-se o mesmo alternador e a mesma carga do


Problema 83 (anterior), mas agora sem neutro (sistema a três
condutores).

a) Calcular as correntes I1, I2 e I 3 nas linhas.


b) Calcular as tensões aos terminais das impedâncias e traçar o
diagrama vetorial.
c) Calcular a tensão entre o ponto neutro do alternador e o ponto
neutro da carga.

33
EME Ano letivo 2017/2018

j30°
Problema 88. Três cargas iguais de impedância Z =10e Ω estão ligadas em
estrela e são alimentadas por um sistema trifásico de tensões (ver
j 0°
Figura 37). A tensão entre a fase A e o neutro é U A = 2 ⋅ 230e V.

⎯U AB ⎯U CA ⎯I A
⎯U BC ⎯I B
⎯I C ⎯Z ⎯Z ⎯Z

⎯U A ⎯U C ⎯U A
⎯U C
⎯U B

Figura 37

a) Calcular as amplitudes complexas de UA, UB e UC (tensões simples) e


fazer o seu diagrama vetorial.
b) Fazer um esquema monofásico equivalente que lhe permita calcular

a amplitude complexa da corrente IA na linha da fase A, e obtenha o


seu valor.

c) A partir de IA, calcular IB e IC , e junte-os ao diagrama vetorial


trifásico.

d) Calcular a potência complexa monofásica SA , a potência aparente


S A , a ativa P A e a reativa Q A monofásicas na fase A. Calcular as

potências trifásicas da carga total, S Y , SY, PY e QY.


e) Determinar, através das leis de Kirchoff, as três tensões entre fases

(tensões compostas) U AB , U BC
, e U CA
, e acrescente-as ao
diagrama vetorial trifásico. Qual a relação genérica entre as tensões
simples e as compostas?

Problema 89. A Figura 38 representa uma carga trifásica indutiva,


equilibrada, ligada em triângulo, alimentada por uma rede trifásica de
50Hz, 400V (valor eficaz de tensão composta). Cada fase tem uma
potência aparente de 10kVA, cos ϕ = 0,5. Atribui-se fase inicial nula à
tensão u 12 (t).

34
EME Ano letivo 2017/2018

1
2
3 iL2
i12
iL1 u12 i23 iC1 iC2 iC3
u23
iL3
u31
CY CY CY

i31

Figura 38

a) Calcular a impedância complexa Z Δ de cada fase, nas formas


retangular e polar. Determinar as potências complexa, aparente,

ativa e reativa, quer trifásicas, ( SΔ, S Δ , P Δ , Q Δ ) , quer monofásicas ( S


, S, P, Q).
b) Determinar as amplitudes complexas das tensões simples e

compostas indicadas na figura: U1,⎯ U 2 , U 3


, U12 , U 23
, U 31
, e as

das correntes I12 , I 23


, I 31
, I L1 , I L2 , I L3 , indicadas e referentes à
carga. Representar as seis tensões num diagrama vetorial que realce
as relações algébricas entre elas. Fazer um diagrama semelhante
com as seis correntes.
c) Diga o que é, como se faz e que interesse tem a compensação do
fator de potência. Usando o Teorema de Poynting Complexo,
determinar a capacidade C Y de cada condensador de uma estrela
capacitiva a instalar em paralelo com a carga, a fim de compensar o
fator de potência.

Problema 90. Três impedâncias iguais de 12 ∠ 30 º Ω , ligadas em triângulo,


e outras três, também iguais, de 5∠ 45 º Ω , ligadas em estrela, são
alimentadas por um mesmo sistemas trifásico de 208V.
Determinar as correntes de linha e a potência total do sistema.

Problema 91. Um motor de indução de 50Cv com rendimento de 85%, a


plena carga, e fator de potência de 0,8 é ligado a um sistema trifásico
de 480V. Determinar as impedâncias da estrela equivalente que pode
substituí-lo.

Problema 92. Um sistema RST trifásico de 400 V, alimenta uma carga

ligada em triângulo, onde ZRS =5∠0oΩ, ZST =2∠30oΩ e ZTR=6∠−15oΩ.

35
EME Ano letivo 2017/2018

Determinar as correntes de linha e as leituras de dois wattímetros


colocados nas linhas R e T.

Problema 93. Uma carga trifásica indutiva, equilibrada, pode ser ligada
tanto em estrela como em triângulo, alimentada pela rede trifásica de
50Hz, 40V (valor eficaz da tensão simples). A impedância de cada carga

é Z = 450∠79°Ω.
1. Considerar a ligação estrela/estrela com neutro, indicada na Figura 39,
para cargas equilibradas.

i1
uG1 uL1
iN = i1 + i2 + i3
Z
NG NL
i3

i2

Figura 39

Admitir U 1 = 2 ⋅ 40 V e j0 . Determinar amplitudes complexas das


correntes nas linhas, tensões simples e compostas. Calcular as
potências nas cargas. Fazer um diagrama vetorial à escala.
2. Considerar a ligação estrela/estrela desequilibrado, com neutro.
Considerar uma resistência de 220Ω em paralelo com a bobina da
fase 3 (ou seja, a resistência não está em paralelo com a impedância
Z , mas apenas com a bobina que compõe a carga). Determinar as
correntes em cada fase, a corrente no neutro, e a potência em cada
fase.
Fazer um diagrama vetorial à escala com as tensões simples e as
correntes nas fases.
3. Considerar a ligação estrela/triângulo equilibrado indicada na Figura 40.

i1 i12
u3 u1

NG
i3 i31 i23
i2
Figura 40

36
EME Ano letivo 2017/2018

Determinar as correntes nas linhas e nas cargas, fazer diagramas


vetoriais realçando a relação entre as grandezas em estrela e
triângulo.
Calcular as potências ativa e reativa por fase, e trifásicas.

4. Considerar a ligação do ponto 3 (estrela/triângulo equilibrado) e uma


compensação do cosϕ com condensadores em triângulo.

Determinar o valor dos CΔ a colocar, e o valor das amplitudes


complexas das correntes nos condensadores e nas linhas.

5. Considerar a ligação do ponto 3 (estrela/triângulo equilibrado) e uma


compensação do cosϕ com condensadores em estrela.
Determinar o valor dos Cλ a colocar, e o valor das correntes nos
condensadores e nas linhas, Figura 41.
1
2
3 iL2

i12
iL1 i23 iC1 iC2 iC3
u12
u23
iL3
CY CY CY
u31

i31

Figura 41: Ligação estrela/triângulo com compensação do ( ).

37
EME Ano letivo 2017/2018

TRANSFORMADOR

Problema 94. Uma bobina de N 1 espiras está enrolada em torno de um


núcleo magnético (2) com as dimensões dadas na Figura 42, feito de

um material de μr =900, e cuja linha média tem 36 cm de


comprimento. O circuito magnético completa-se com duas peças
polares, (1), iguais, que deixam entre si um entreferro (0). Cada peça
polar tem uma linha média de 5 cm, e despreza-se a sua relutância
(considerando-se assim que μ →∞). O entreferro tem uma espessura δ
suficientemente pequena para que se despreze o espalhamento dos
campos no ar. Assim os campos consideram-se uniformes por troços.
No vácuo, μ0 = 4 ⋅ π ⋅10−7 H·m -1 . Em torno do núcleo está também
enrolada uma segunda bobina, com N2 = N1 / 2 espiras, com o sentido
indicado na Figura 42.

Figura 42

a) Calcular a relutância magnética de cada troço do núcleo do circuito.


Calcular δ para que a relutância do entreferro seja igual a metade da
relutância do ferro. Calcular a relutância total do circuito.
b) Sabe-se que a bobina 1 tem um coeficiente de autoindução L 11 = 2H.
Calcular o seu número de espiras. Calcular os coeficientes de indução
L 22 e L 12 .

38
EME Ano letivo 2017/2018

c) Sabendo que no ferro (peça 2) existe um campo de indução B = 1 T


com o sentido indicado, calcular todos os campos magnéticos H, de
indução B e fluxos φ indicados na figura.
d) Com o estado de magnetização da alínea anterior, calcular as quedas
de tensão magnética em cada troço do circuito, e a f.m.m. total para
se obter esse estado. Sabendo que I 1 = 1 A com o sentido indicado,
determinar o necessário valor de I 2 para garantir essa magnetização.
()
e) Supondo agora que a corrente i 1 evolui segundo i1 t =0,5cosωt A, com ( )
ω = 2 π f , f = 50 Hz, T = 1/f = 20 ms, enquanto a bobina 2 se mantém

em aberto (sendo sempre i2(t) =0), aplicar a lei da indução para


determinar as tensões u 1 (t) e u 2 (t), com os sentidos indicados,
sabendo que as resistências dos enrolamentos são desprezáveis.
Representar graficamente, à escala, no mesmo gráfico, dois períodos
das funções i 1 (t), u 1 (t) e u 2 (t).

Problema 95. Um transformador monofásico, de 50Hz, de relação


m=N 1 /N 2 =2, e cuja chapa de características se reproduz a seguir, tem
um núcleo constituído por duas travessas iguais onde se admite
μr →∞, e por três colunas a, b e c (a cinzento, na Figura 43) cujas

dimensões estão indicadas, todas de ferro de μr conhecido

μ0 = 4 ⋅ π ⋅10−7 (H·m -1 ). Na coluna central do núcleo estão montadas


duas bobinas cujos coeficientes de auto-indução relativos ao fluxo no
ferro, l 11 e l 22 , e cujas resistências r 1 e r 2 são dadas .

a i1
φa φb φc
N1
u1 i2
Sa Sb Sc
h N2 u2

a SN U 1N U 2N ζ cc f [Hz]
[kVA] [V] [V] [%]
a 1,15 230 115 7 50
a

2⋅a a

h a l 11 l 22 r1 r2
μr
[cm] [cm] [H] [H] [mΩ] [mΩ]
25 4 500 2 0,5 400 100

39
EME Ano letivo 2017/2018

Figura 43

a) Indicar a relação entre os fluxos φ a , φ b e φ c através das secções S a , S b ,


e S c das colunas.
b) Considerando B b = 1 T na coluna central, calcular o campo de
indução magnética B, em módulo, nas colunas laterais e nas
travessas.
c) Calcular o campo magnético H, em módulo, nas colunas central e
laterais e nas travessas.
d) Aplicando a lei de Ampère ao circuito da figura anterior, escrever o
sistema de equações que o traduz.
e) Determinar a força magnetomotriz necessária para se obter B b = 1 T.
f) Calcular a relutância magnética equivalente, ℜ m , vista dos
enrolamentos.
g) Calcular o número de espiras das bobinas usadas no circuito.
h) Calcular o coeficiente de indução mútua L 12 .

Problema 96. Considerar um transformador monofásico, de potência


aparente nominal S 2n = 60 kVA, de tensões nominais 230/1500 V e a
funcionar à frequência de 50 Hz.
B.T. A.T.

A Figura
W 45 -Transformador monofásico
V Zu

Figura 44 -Transformador monofásico

Os parâmetros do transformador, considerado sem perdas no ferro, valem:

r1 = 3,5 mΩ r2 = 87,5 mΩ
λ1 = 60μH λ 2 = 1,55mH
l11 = 130mH

a) Determinar a corrente nominal no secundário, I 2n , e a impedância


nominal de utilização Zun .
o
j 30
b) Considerar que o transformador alimenta uma carga Zu = 25Ω e à
tensão nominal U 2n . Utilizando o esquema de Steinmetz reduzido ao
'
primário e admitindo fase inicial nula para a tensão U 2n ,
determinar:

40
EME Ano letivo 2017/2018

b1. A corrente I2′ .


b2. A corrente de magnetização, ̅ , e o fluxo principal do primário
(devido ao campo no ferro).
b3. A corrente ̅ e a tensão aos terminais do primário.
b4. Traçar o diagrama vetorial das tensões, correntes e fluxo no
transformador para a carga referida na alínea anterior.

Problema 97. Considerar um transformador, sem perdas no ferro, com as


características seguintes:
n 1 = 200 n 2 = 100
L 11 = 0,318 H L 22 = 0,079 H
l 11 = 0,310 H l 22 = 0,077 H
r 1 = 1,0 Ω r 2 = 0,25 Ω
Ao primário é aplicada uma tensão alternada sinusoidal u1 =U1 cos(ωt +α) V,
f = 50 Hz, de forma a obter-se, no secundário
U 2ef = 400 V I 2ef = 30 A
Considerar os três tipos de carga no secundário:
i - óhmica pura ii - capacitiva pura iii - indutiva pura

e admitindo que a tensão U 2' , no secundário do esquema de equivalente,


está em fase com a origem dos tempos:
a) Determinar os elementos do esquema equivalente, reduzido ao
primário.
b) Construir o diagrama vetorial, onde figurem explicitamente as
' '
grandezas I10, Ψ1P , I1, I 2 , U1, U2 .
c) Admitir que ocorreu um curto-circuito no secundário do
transformador. Determinar a corrente no primário.
d) No caso do curto-circuito, determinar a tensão a aplicar no primário
U 1cc (tensão de curto-circuito) de modo a que se estabeleça no
circuito a corrente nominal.
e) Determinar as impedâncias vistas pela rede nos casos das alíneas a)
e c).

Problema 98. São conhecidos os seguintes parâmetros de um


transformador:
n 1 = 173 n 2 = 127
λ 11 = 0,262 mH λ 22 = 0,141 mH
l 11 = 0,328 H
r 1 = 0,13 Ω r 2 = 0,07 Ω

41
EME Ano letivo 2017/2018

O transformador alimenta uma carga óhmica de 1,5 Ω, e ajusta-se a tensão


primária de modo a obter 110 V no enrolamento secundário. Desprezando
a corrente de magnetização, calcular a tensão de entrada do transformador
e traçar o diagrama vetorial para este regime de funcionamento.

Problema 99. Com o esquema de ligações indicado na figura abaixo,


obtiveram-se as seguintes leituras nos aparelhos:
I 1 = 1,36 A U 1 = 150 V P 1 = 35,7 W f = 50 Hz
Conhece-se: r 1 = 0,15 Ω λ 11 = 0,318 mH

A W
V

Figura 46

Desprezando-se o consumo dos aparelhos de medida, determinar:


a) A resistência e reactância totais e a desfasagem da corrente.
b) A resistência equivalente das perdas no ferro e o módulo do
coeficiente de autoindução referente ao fluxo que se fecha no
núcleo.
Sabendo que para este transformador se tem:
r 2 = 0,1 Ω λ 22 = 0,159 mH n 1 /n 2 = 1,5
c) Calcular os elementos necessários para representar o esquema
equivalente de Steinmetz deste transformador.
d) Aplicou-se ao primário uma tensão tal que se obtém no secundário
U 2ef =115V aos terminais de uma carga resistiva de 2 Ω. Traçar o
diagrama vetorial com todas as tensões e correntes.

42