Você está na página 1de 32

INSTITUTO HUMANITATIS

CURSO DE FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA TRANSPESSOAL

VISUALIZAÇÃO CRIATIVA APLICADA À CURA

Emília Fernanda Nicomedio

Maria Cristina Paterlini Oliveira

Maria do Carmo Ferreira

Priscilla Vitorelli

Jundiaí – SP

2016
1
Emília Fernanda Nicomedio

Maria Cristina Paterlini Oliveira

Maria do Carmo Ferreira

Priscilla Vitorelli

VISUALIZAÇÃO CRIATIVA APLICADA À CURA

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado


ao Instituto Humanitatis como requisito de conclusão
do curso de formação em Psicologia Transpessoal Aplicada.
Coordenadora do curso Leyde Christina Righetti Rino Resende.

Jundiaí – SP

2016

2
DEDICATÓRIA

Dedicamos este trabalho ao “EU SUPERIOR” de cada um de nós, que nos guiou
neste caminho de transformação e encontro com a nossa verdadeira essência. Ao
percorrermos este caminho, nossa imensa gratidão aos grandes mestres que
compartilharam conosco seus ensinamentos, acolheram nossas aflições,
inseguranças e medos, amparando-nos para que pudéssemos transformá-los em
virtudes.

Todos os momentos de nossa vida são infinitamente criativos e não há limites para a
bondade do universo.

Basta definir o que queremos com suficiente clareza e todos os nossos desejos se
transformarão em realidade

3
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO.............................................................................................6

CAPÍTULO 1 - O QUE É VISUALIZAÇÃO CRIATIVA................................09

1.1 Crenças limitantes ................................................................................10


1.2 Formação das Imagens Mentais ...........................................................11
1.3 Relação Visualização - Imaginação que liberta ................................... 13

CAPÍTULO 2 - COMO FUNCIONA A VISUALIZAÇÃO


CRIATIVA..................................................................................................... 15

2.1 Energia .................................................................................................. 17


2.2 Magnetismo ............................................................................................18

2.3 Lei da Atração ....................................................................................... .20

CAPÍTULO 3 - PARA QUE SERVE A VISUALIZAÇÃO


CRIATIVA................................................................................................. 22

3.1 O inconsciente pessoal e seus complexos e o inconsciente coletivo e seus


arquétipos ................................................................................................. 22
3.2 Polaridade psíquica ...............................................................................24

CAPÍTULO 4 - PARA QUEM É INDICADO E O QUE PODEMOS ESPERAR

DA VISUALIZAÇÃO.....................................................................................27

4.1 Resistência e Permissão ........................................................................28

CAPÍTULO 5 - COMO A VISUALIZAÇÃO PODE SER


REALIZADA..................................................................................................18

5.1 Formas para o emprego da Visualização: Visualização Espontânea e


Visualização Dirigida ................................................................................... 18
5.1.1 Visualização Espontânea ................................................................... 20
4
5.1.2 Visualização Dirigida .....................................................................22

CAPÍTULO 6 - A VISUALIZAÇÃO CRIATIVA APLICADA À CURA


.............................................................................................................. 24

CAPÍTULO 7 - TÉCNICAS E APLICAÇÃO ....................................... 26

CAPÍTULO 8 - PRÁTICA .....................................................................28

CONCLUSÃO.........................................................................................32

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.......................................................32

5
INTRODUÇÃO

A cada dia, pesquisadores e estudiosos dos fenômenos psíquicos vêm descobrindo


mais e mais a respeito do funcionamento do cérebro (físico) e da mente (extrafísica).

É através de imagens que a mente dialoga com o corpo físico. Essa é uma
característica comum e da qual todos fazemos uso quase que ininterruptamente.

Palavras, sentimentos e emoções geram imagens que podem ser positivas ou


negativas, dependendo do valor emocional agregado à imagem.

Descobriu-se que interferem na realidade da pessoa que criou essas imagens, tanto
de maneira positiva, quanto de maneira negativa.

A intensidade da energia utilizada para criar essas imagens é chamada de poder


mental o qual é diretamente proporcional à intensidade da interferência causada.

Poder mental é energia de criação e de realização, capaz de causar mudanças


radicais na realidade física de seu emissor. Manifesta-se através dos diálogos
internos e imagens associadas.

É pela frequência desses diálogos repetitivos que se formam os padrões mentais, as


crenças adquiridas e desenvolvidas de forma consciente ou não, as quais nos
direcionam pela vida, ainda que nosso consciente queira tomar outra direção.

A observação das imagens mentais associadas a pensamentos, sentimentos,


palavras ou emoções que surgem espontaneamente mostra o que vai no
inconsciente, muitas vezes, no porão onde se encontra a “parte escura”, a “sombra”
de cada alma.

É o que acontece com a maioria das pessoas, uma vez que a criação de imagens
mentais é espontânea. Padrões negativos são verbalizados na forma de frases feitas
como por exemplo “só faço besteira”, “só trago problemas para as pessoas”, “sou
burro mesmo”, “estou gorda, preciso emagrecer 50 quilos!”, “estou muito magricela,
uma tábua, quem vai me querer assim?”, “não dou uma dentro”, “não consigo”, “tenho
medo”, “não tenho segurança pra isso”, “sou feia”, e por aí vai.

6
A repetição dessas imagens e verbalizações cria padrões mentais negativos que
assumem o controle de nossa vida quando temos que enfrentar alguma situação. São
padrões limitantes que nos mantêm presos, reféns das imagens negativas que
criamos.

É preciso reconhecer a parte sombria e substituir as imagens negativas por novas


imagens que sejam de libertação, de confiança, de paz, de amizade, enfim, que sejam
positivas.

É possível criar imagens que funcionem como auxiliares na realização de objetivos


sejam eles materiais ou não. É possível criar uma imagem tão poderosa capaz de nos
auxiliar a qualquer momento, bastando para isso um mecanismo (gatilho) que poder
ser, por exemplo, um estalar de dedos, um local específico, etc.

Talvez a crença que mais interfira na realidade humana seja a crença em deus. Na
verdade, cada qual construiu para si uma imagem de deus, seja de um velhinho
bondoso, de um gigante sentado num trono no céu, de uma luz intensa, de um sol
gigante, enfim, cada um de nós elegeu uma representação de deus, ainda que essa
representação seja o nada, o vazio, para aqueles que não acreditam nele.

Seja como for, a imagem eleita está associada a um tipo psicológico, ou seja, a um
deus que castiga e que condena os humanos ao fogo dos infernos ou um deus que
criou a raça humana e o Universo com suas regras e depois deixou tudo funcionando
segundo suas leis e não se importa com o destino de sua criação, ou ainda aquele
deus que escolhe um povo dentre todos para ser o seu favorito e não importa o que
você faça, se não estiver entre os eleitos, nunca o será.

A relação que cada um tem com Deus determina certos padrões de comportamento.
Por exemplo, aquele que crê no deus que castiga, vive julgando o que é certo e o que
é errado, o que pode e o que não pode e, fatalmente, vai entrar em conflito quando
errar (pois é humano e vai errar) e, crente no castigo de Deus, vai criar imagens em
sua mente que lhe trarão de fato um castigo proporcional ao erro cometido.

A situação acima é só um exemplo de como a imagem do ser mais poderoso do


universo pode criar um padrão mental negativo na vida de uma pessoa.

7
De forma inversa, podemos usar a imagem do ser mais poderoso de todo o universo
para criar padrões positivos para a realidade material. Assim sendo, construir uma
imagem de deus que seja amigo, confidente, que esteja pronto a auxiliar e a indicar
caminhos sempre que for necessário, é uma forma de criar um padrão de extremo
poder, uma vez que o ser mais poderoso do universo é meu melhor amigo e sabe de
tudo e, portanto, quando eu estiver indeciso ou com algum tipo de problema, ele,
sabendo de tudo, poderá me indicar a melhor saída, a melhor decisão a ser tomada.

Um padrão mental se forma através da repetição. Portanto, vale conversar com deus,
o melhor amigo, sempre.

A criação de imagens mentais é uma ferramenta poderosa que pode ser utilizada com
eficácia em todos os setores da vida. Aqui, damos ênfase ao uso dessa ferramenta na
saúde.

Quando se tem um desequilíbrio físico a vivência dessa questão torna-se uma dura
realidade. Em muitos casos existe a exigência de acompanhamento médico e de
ingestão de medicamentos que causam diversos efeitos no corpo físico. Nesses
casos a mente racional acredita na doença, no desequilíbrio, especialmente se o
médico disser que não tem cura ou que vai precisar tomar remédio pelo resto de sua
vida.

Como dissuadir a mente racional para que acredite que existe uma força maior,
interior, capaz de curar qualquer disfunção orgânica?

A mente racional é lógica, é exata e desfila intermináveis argumentos que reforçam o


diagnóstico médico. Por exemplo, “já existe caso na família”; “já passou dos quarenta
e, portanto, já era de se esperar uma doença”; “anda muito estressado, queria o
quê?”, e assim por diante.

Não existe uma fórmula mágica para convencer a mente de que há outras
possibilidades. Então, se não pode vencê-la... não junte-se a ela, mas tire-a de
circulação, faça com que não interfira. Como?

O segredo está na alteração do estado de consciência. Alterando o estado de


consciência, a mente racional “dorme” e é possível criar imagens cheias de
significados positivos, de cura plena, de saúde, de abundância, de prosperidade e

8
fazer com que a mente acredite que essa é a realidade. Assim, ela vai trabalhar a seu
favor, para criar a situação que você mostrou a ela.

Essa ferramenta é a Visualização Criativa, uma das mais poderosas ferramentas de


intervenção na realidade material, capaz de criar infinitas possibilidades, infinitos
caminhos e colocá-los à nossa disposição.

CAPÍTULO 1

O QUE É VISUALIZAÇÃO CRIATIVA

A visualização criativa é uma técnica que consiste em usar a imaginação para criar o
que você deseja em sua vida. Trata-se da força natural da sua imaginação, da
energia criativa fundamental do universo, que constantemente utilizamos, tenhamos
ou não consciência disso. Podemos aprender a usar nossa imaginação de um modo
cada vez mais consciente, sendo a chave que nos possibilita o acesso à benevolência
e à bondade da vida (GAWAIN, 2006).

A visualização criativa é mágica, no sentido mais verdadeiro e elevado do termo.


Fazer uso dela implica compreender e aceitar os princípios naturais que governam o
funcionamento do nosso universo e aprender a utilizar esses princípios da maneira
mais consciente e criativa possível.

Na visualização criativa você utiliza a sua imaginação para produzir uma imagem
mental bem definida, uma ideia ou uma sensação de algo que você deseja, pode
assumir a forma de imagens mentais, de palavras escritas ou faladas ou de uma
representação física, a seguir, continue a concentra-se regularmente nesta
representação, transmitindo-lhe energia positiva até que o seu desejo se transforme
em realidade objetiva, ou seja, que você alcance o que estava sendo almejado.

A Visualização Criativa é um método para se pesquisar o desconhecido, trazendo-o


para nossa vida consciente. Além dessa função, também a utilizamos para
transformar padrões antigos de pensamentos em novos e para fortalecer
positivamente nosso campo energético (MEDNICOFF, 2007).

Grande parte das pessoas não tem consciência de que passam o tempo todo com um
diálogo interminável, consigo mesmo, sobre os acontecimentos do dia, sobre os
projetos para o futuro, sobre coisas que deixaram de fazer, e assim por diante. Esse

9
diálogo interno é criado por palavras, idéias, pensamentos que fluem naturalmente em
nossa mente, os quais são muito importantes para a compreensão da realidade em
que vivemos.

O diálogo mental influencia e mascara os sentimentos e a percepção dos fatos. Esse


fluxo continuo não permite que nos aprofundemos em nossa mente, nem que usemos
a intuição. Fica ocupando nossa mente, desviando-nos do campo mental adequado
para atingirmos a solução.

Se prestarmos atenção a esse papo interno, perceberemos que se encontram


repetidos vários pensamentos, várias frases e palavras. Como por exemplo: “não
adiante, eu não vou conseguir”, “eu sou burro mesmo”, “tudo para mim dá errado”, “eu
não sou capaz de conquistar”.

A associação dessas palavras com a imagem mental facilita o entendimento para


alguns padrões que repetimos. São os registros antigos herdados ao longo da vida
que vão nos paralisando e paralisando tudo ao nosso redor.

Mudando essas palavras por outras, nosso diálogo interno também mudará, pois
transformando as imagens negativas em positivas, cria-se um campo mais propício
para a realização dos nossos desejos.

Como podemos ver, já utilizamos a visualização criativa ao longo de nossa vida,


diariamente e por muitos anos, mas sem que tenhamos consciência. Porém, por não
termos conhecimento de sua função, desenvolvemos conteúdos internos,
pensamentos, imagens e atitudes de acordo com conceitos equivocados, com
crenças adquiridas erroneamente.

Esses pensamentos acumulados por afinidades criam um campo fortíssimo que nos
impulsiona a comportamentos, atitudes, pensamentos e reações físicas prejudiciais.

1.1 Crenças limitantes

Tudo em nossa vida é baseado no que acreditamos como verdadeiro, todos temos
um conjunto de crenças do qual fazem parte todos as experiências que
emocionalmente nos marcaram. Essas experiências marcantes formaram e
continuam formando pensamentos e sentimentos em relação à nós mesmos. Tudo
que acreditamos como sendo verdadeiro afeta nossas experiências, trazendo

10
resultados positivos ou negativos. São conceitos que desenvolvemos em nossa vida e
que, como são inconscientes, nem sabemos que existem, mas que atuam em nossa
vida com grande eficiência para nos impedir de chegarmos ao nosso objetivo.

Essas crenças vão fazendo parte de nossa mente naturalmente, desde criança e ao
longo da vida. São aceitas como verdades, fazendo sentido para nós e, dessa forma,
vão se acumulando e criando força.

Mente e corpo trabalham em conjunto, sendo que a mente manda e o corpo obedece.
Assim acontece com tudo que se encontra parado em nossos pensamentos: todas as
imagens de doenças refletem em nosso organismo alguma disfunção e assim sempre
o é.

A imaginação programa e a vontade opera. E, como sabemos, a vontade nada


resolve quando em luta com a imaginação, porque a imaginação sempre ganha da
vontade.

Portanto, se utilizamos a Visualização de forma equivocada e percebemos que dá


resultados, podemos utilizá-la de forma adequada e aproveitar os seus benefícios: é
só uma questão de entendimento e alguns ajustes.

1.2 Formação das Imagens Mentais

O simples fato de termos uma idéia e conservá-la em nossa mente é uma energia que
atrairá e criará forma no plano material, pois, afinal, somos o que pensamos, o que
falamos e o que fazemos.

Atraímos para nossas vidas as coisas em que pensamos com maior frequência e,
consequentemente, as imagens em nosso inconsciente vão se agrupando de acordo
com afinidades, cores, formas e vão criando cada vez mais volume e força. Se
vivemos pensando em doenças, acabamos ficando doentes; as ideias inconscientes e
os sentimentos ocultos dentro de nós operam da mesma maneira.

Então fica claro: quanto mais imagens semelhantes e afins, maior energia de criação.
Sabendo disso, podemos criar as imagens que queremos e que venham a nos
beneficiar, transformando nossas vidas.

1.3 Relação: Visualização - Imaginação que liberta

11
Tanto para a Visualização Espontânea quanto para a Dirigida usamos a nossa
imaginação. Mas o que é imaginação?

Imaginação é a capacidade mental que permite a formação, a criação de objetos, de


novas idéias e de sensações. Na Visualização, usamos a imaginação para criar
imagens mentais, baseada na transformação que se deseja alcançar.

O instrumento mais poderoso que possuímos é nossa imaginação. Ela, além de


poderosa, é muito fácil de usar. Quando pensamos em alguma coisa, nossa memória
nos mostra a imagem dessa coisa. Além disso, quando relaxamos e mantemos a
mente numa questão, mais nos tornamos envolvidos e mais vívidas são as imagens
(COOPER,1999).

Usar a imaginação para o trabalho criativo amplia nossa habilidade de vermos


imagens em nossa mente. Qualquer um pode ver imagens mentais. De fato, todos se
entregam a devaneios, que nada mais são do que uma forma descontrolada de usar a
imaginação.

A Visualização Criativa diz respeito a controlar a nossa imaginação. É muito


importante que sejamos positivos no uso da nossa imaginação, usando-a de tal forma
que nossa mente interior aceite as imagens como uma instrução, não como um
devaneio. Devemos nos imaginar vivendo a situação, com todos os detalhes e
requintes, dando mais e mais liberdade à nossa imaginação.

Com o tempo e a prática, aprenderemos a eliminar o pensamento negativo e a


colocar os problemas aparentes de lado. A responsabilidade disso está em nós
mesmos, precisamos nos esforçar e treinar a mente.

Mais prática, mais dedicação, mais entusiasmo – melhores resultados. Por trás disso,
está o poder da crença, para aqueles que acreditam estar perto de serem bem
sucedidos, quando os outros fracassaram: sermos motivados pelas crenças positivas
faz a grande diferença.

Quando surgir um pensamento prejudicial, que pode acontecer: pensamentos


conduzem a sentimentos, sentimentos conduzem a ações e ações conduzem a
resultados. Através dessa regrinha, podemos obter o entendimento de alguns

12
símbolos que escondem o real. Assim, nossos pensamentos serão decodificados,
fazendo o caminho inverso.

Alcançaremos a transformação das crenças limitantes em entendimento e raciocínio


lógico. Dessa forma, criaremos nossas imagens mentais baseadas nesse novo
pensar, ou seja, a imagem mental negativa será transformada em positiva.

Muito importante salientar: para que dê resultado, não basta fazer a Visualização, é
necessário que seja realmente introjetado em nossa mente de uma forma
permanente; é necessário que se torne um pensamento automático.

O pensamento é uma modalidade de energia rápida, sutil e móvel, que se manifesta


instantaneamente. Sempre que criamos algo, fazemos primeiramente na forma de
pensamento ou ideia, que precede a manifestação.

Sempre atraímos para nossa vida as coisas em que pensamos com maior frequência,
que acreditamos e desejamos com mais força.

Assim como no ato de dirigir um carro as ações se tornam automáticas, depois de um


certo tempo de prática, o mesmo acontece com nossas imagens mentais. Precisamos
de um tempo, uma prática para que essas novas imagens sejam parte integrante dos
nossos pensamentos; para que automaticamente pensemos nelas, como se elas
estivessem desde sempre na nossa mente.

Por essa razão, a Visualização Dirigida deve ser feita todos os dias, pelo menos duas
vezes por dia, para que se transforme em pensamento habitual; ao acordar e antes de
dormir, visto que são dois momentos em que estamos em estado de relaxamento.

É interessante também salientar que, segundo alguns estudiosos, são necessários 21


dias para se criar um hábito. Esse é um período suficiente para que isso aconteça, só
que é importante que seja feito com frequência para que se torne algo comum ao
nosso pensamento.

13
CAPÍTULO 2

COMO FUNCIONA A VISUALIZAÇÃO CRIATIVA

Para que possamos entender melhor o funcionamento da Visualização Criativa, faz-se


necessário entendermos alguns conceitos que sustentam esta técnica.

2.1 Energia

O universo físico é energia, o mundo científico está começando a descobrir que nosso
universo físico não é constituído de nenhuma espécie de “matéria”. Seu componente
fundamental é uma espécie de força ou essência que podemos chamar de “energia”
(GAWAIN, 2002).

As coisas aparentam ser sólidas e individualizadas no nível em que são percebidas


pelos nossos sentidos físicos. No nível atômico e subatômico, no entanto, o que
parece ser matéria sólida mostra-se como uma série de partículas dentro de
partículas, de tamanho cada vez menor e que acabam revelando ser apenar pura
energia.

A Física nos ensina que nós e tudo o que está a nossa volta é constituído de energia,
somos parte de um grande campo de energia. Coisas que percebemos como sólidas
e distintas, na realidade são apenas formas diferentes da mesma energia
fundamental, comum a todos nós.

Tudo na natureza funciona através da energia e, portanto, nossa mente não seria
diferente. Temos uma energia que chamamos de “psíquica”, necessária para manter
a própria vida em funcionamento. É ela que regula nosso instinto de sobrevivência e
que se manifesta em nossa vida através da fome, da sede e da sexualidade, nos dá
ânimo, vontade, interesse, entusiasmo e resiliência.

Jung diz que a energia psíquica não pode ser perdida nem criada, apenas
transformada, isto é, “nenhum valor psíquico pode desaparecer sem ser substituído
por outro” (MEDNICOFF, 2007).

14
Fazer planos, dedicar-se a novos relacionamentos e projetos faz parte de uma vida
saudável. Porém, algumas vezes, nos deparamos com alguns insucessos, um
relacionamento que termina, um projeto que não deu certo e a energia despendida
nesses insucessos deve ser redirecionada para novos horizontes para que não se
torne uma energia estagnada, destrutiva da auto-estima e do próprio corpo. É assim
que se formam os complexos e as doenças, pois eles são “nós” de energia.

Quando passamos por esses momentos de dificuldades, a autoimagem que criamos,


porque não conseguimos superar, nem reagir aos choques, é baixíssima. Ao invés de
criarmos um movimento pela baixa resiliência, absorvemos a energia que se
manifesta através da somatização.
Essa energia que não foi transformada, nem desviada para um outro objetivo é
absorvida virando um nó inconsciente, transformando frustração em doença e em
complexos, impedindo o avanço da vida.

2.2 Magnetismo

Magnetismo Humano é basicamente a força que atrai ou repele pessoas e energias,


que ocorre de acordo com nosso comportamento, pensamento e sentimento.

Esse campo energético, formado negativamente, faz parte de nossa mente, ou seja, é
a nossa energia psíquica gerada por nossas emoções e nossos pensamentos. A
mente entra em contato com as imagens, estas disparam as emoções, que vibram de
acordo com a sua sintonia, negativa ou positiva.
Por exemplo, quando entramos em contato com pessoas pessimistas, que só
reclamam, que só falam de doença e problemas, se estamos na mesma sintonia, nem
percebemos, porém, se não vibramos nessa sintonia, vamos nos sentir incomodados
e consequentemente nos afastamos, pois logo percebemos que não nos afinamos
com essa pessoa. Portanto, onde está nossa mente, ali estamos nós.

A energia é magnética, portanto a energia de uma determinada espécie ou vibração


tende a atrair energias do mesmo tipo.

Os pensamentos e os sentimentos possuem a sua própria energia magnética, que


atrai energia de natureza semelhante.

15
Todos nós já ouvimos falar de “Formas Pensamento”: são cargas de energia, imagens
mentais que afetam nosso campo magnético, tanto positiva quanto negativamente.
Nosso campo eletromagnético atrai ou repele de acordo com nosso campo vibratório:
se vibrarmos positivamente, atrairemos o positivo, se vibrarmos negativamente,
atrairemos o negativo, ou seja, o controle está em nossos pensamentos e emoções.

Por exemplo, o “mau olhado” não pega em quem está emocionalmente equilibrado,
com suas cargas de energia calibradas positivamente.

2.3 Lei da Atração

É fundamental educarmos nossos pensamentos e nossas emoções sem ficarmos


alimentando as energias negativas, pensando ou falando de coisas ruins, pois senão
poderemos criar um canal de sintonia ruim já que sabemos que os semelhantes se
atraem ( Lei da Atração).
Isto é fato: se pensarmos demais em nossos projetos, eles tomarão forma; se
pensarmos demais em nossos objetivos, eles se concretizarão; se pensarmos demais
em nossos desejos, eles se tornarão realidade!
O controle do magnetismo está baseado no sentimento e pensamento, porque são
eles que comandam nossos atos e as consequências deles. Portanto, o caminho da
saúde física, emocional e espiritual está fundamentado na escolha certa dos nossos
pensamentos e emoções que impulsionam nossos comportamentos e atitudes.

Nossa melhor arma de defesa está em nossa mente e no nosso coração: o amor, a
paz, a alegria, a esperança, a determinação e o conhecimento são fundamentais,
sendo eles os responsáveis por fortalecer nosso campo magnético com energia
positiva.

Nosso campo eletromagnético é resultado do fluxo de energia que circula pelos sete
chakras principais, que estão ligados entre si por um condutor chamado meridiano.
Como sabemos, cada chakra está associado a uma glândula, a um órgão, a
sentimentos e emoções. Quando fazemos o desbloqueio das energias e ativamos
cada chakra, proporcionamos uma tonificação, uma limpeza e um revigoramento
metabólico, fortalecendo nossa saúde psico-física.

16
CAPÍTULO 3

PARA QUE SERVE A VISUALIZAÇÃO CRIATIVA

A Visualização Criativa não pode ser utilizada para “controlar” o comportamento das
outras pessoas. O objetivo desta técnica é remover nossas barreiras interiores,
levando-nos à harmonia natural e à nossa auto-realização, permitindo que todas as
pessoas possam manifestar seus aspectos mais positivos.

“Este é o objetivo último da visualização criativa – fazer de cada


instante de nossa vida um maravilhoso momento de criação, optando
de modo natural pela melhor e mais bela vida que se possa
imaginar...” (GAWAIN, 2006, p. 28).

3.1 O inconsciente pessoal e seus complexos e o inconsciente coletivo e seus


arquétipos

Denominado por Jung de inconsciente coletivo, entendemos como sendo todos os


nossos registros herdados de nossos pais e de todos os nossos ancestrais gravados
em nosso inconsciente. Podemos entendê-los como culturalmente herdados e
geneticamente transmitidos. São experiências repetidas e passadas por gerações até
os dias atuais. Temos em nosso interior todas as respostas e todas as possibilidades
de mudança.

Todos esses registros formam a nossa essência: o que realmente somos, o que
pensamos, como agimos. Mas ao longo de nossas vidas, desde a vida intra-uterina,
sentimos interferências através do que é permitido e bem aceito socialmente, assim
criamos uma máscara para lidarmos com o mundo.

Vamos criar algumas crenças baseadas nessas interferências e viveremos sobre


essas regras, esse é o inconsciente pessoal. Exatamente assim vamos criando
bloqueios, “nós”, que nos impedem de agir e de pensar espontaneamente.

Uma determinada situação psíquica carregada de uma grande carga emocional é


chamada de complexo. Popularmente, são conhecidos como trauma. Os complexos
não são em si negativos, mas causam efeitos que se mostram negativos na vida da

17
pessoa. Então, os complexos são agrupamentos de conteúdos psíquicos que se
desligam da consciência e passam a fazer parte do inconsciente.

Os complexos formam-se ao redor do arquétipo, que é o núcleo do complexo. Os


arquétipos criam imagens ou visões que correspondem a alguns aspectos da situação
consciente. Essas imagens formadas pelos arquétipos possuem uma carga
energética bastante grande, que por atração juntarão um número muito grande de
experiências afins (COEX).
Esse campo energético não atua somente no inconsciente, ele tem a tendência de
atrair para a vida da pessoa os mesmos conteúdos inconscientes. Então, as imagens
aparecem nos sonhos, nas visualizações, através da arte e ao seu redor, enfim, são
coisas que acontecem que mostram exatamente o que se passa interiormente.

3.2 Polaridade psíquica

O universo é formado de dualidade: a inteligência necessita da ignorância para


transformá-la em sabedoria; o feio existe para promover o bonito; o mal para
cativarmos o bem; o negativo para buscarmos o positivo. Também somos assim: é a
necessidade que empurra o homem às descobertas, à tecnologia, ao progresso e
assim vamos contestando e aprendendo.

A polaridade psíquica é a inevitável oposição que existe dentro da totalidade de cada


um de nós. Por isso, podemos considerar que os opostos permanecem em constante
tensão na busca pelo equilíbrio e pela integração. Enquanto isso não ocorre,
permanecemos em constante briga dentro de nós; ou somos bonzinhos ou somos
maus; ou somos calmos ou agressivos e assim por diante. Normalmente, o lado
positivo é o que aparece; temos a tendência de reprimir o outro lado.

O ideal é que tivéssemos integrado os dois pontos internamente e mesmo não


utilizando o seu oposto, tivéssemos consciência dele. E se fizéssemos uma opção de
não usá-lo, não é necessário ter que negar um para utilizar o outro.
Somos seres duais. Quando negamos um lado, causamos um desequilíbrio,
reprimindo e rejeitando características que são nossas, que podemos chamar de
nossa sombra.

18
É exatamente nesse ponto de desequilíbrio totalmente voltado para a rejeição que
ocorre a atração daquilo que se tem internamente.

Como sabemos, atraímos tudo aquilo que pensamos intensamente: atraímos o que
tememos, o que nos desagrada, o que queixamos. Contudo, também atraímos aquilo
que agradecemos, o que nos motiva, nos empolga e nos faz vibrar. O fato é que a
tendência da grande maioria é valorizar o que é ruim, focar no problema e não na
solução, na doença e não na saúde e assim se manifesta o desequilíbrio da
polaridade.

Se nos tornarmos atentos, veremos o porquê de tantas coisas que nos incomodam,
acontecerem. Esse questionamento facilita muito os processos de mudança mental,
além de facilitar no momento de usarmos a Visualização Criativa Dirigida.

O sonho também é uma outra forma do inconsciente se expressar. Nesse caso, a


Visualização Criativa é muito mais eficiente, pois podemos entrar em contato com
essas imagens que simbolicamente representam nossos complexos, mas de forma
consciente.

Então, o que ocorre na Visualização é que o material produzido em estado consciente


é bem mais completo e vem carregado de valores sentimentais e podem ser
avaliados pelos próprios sentimentos.

Os conteúdos inconscientes também são importantes, porém somente quando são


definidos, quando criam corpo, podemos falar a respeito deles.

É difícil fazer as pessoas se conscientizarem e acreditarem que as reações físicas


que estão se manifestando ou os impedimentos das realizações de seus sonhos e
desejos estão diretamente ligados à sua vida psíquica.
Só que esse fato é real, acontece de verdade e, para que a vida possa fluir
novamente, é preciso encarar esses conteúdos e trazê-los à tona, transformando-os
depois desse contato.

19
CAPÍTULO 4

PARA QUEM É INDICADO E O QUE PODEMOS ESPERAR DA VISUALIZAÇÃO


CRIATIVA

O uso da Visualização Criativa pode vir a se transformar numa experiência de


crescimento profundo e significativo. Muitas vezes, descobrimos maneiras pelas quais
temos impedido e prejudicado nosso próprio potencial de nos realizarmos plenamente
e obter satisfação na vida, devido a nossos medos e crenças inconscientes.

Quando detectamos estas atitudes negativas em nossos comportamentos, podemos


utilizar a técnica da visualização para removê-las, permitindo-nos encontrar a
harmonia, plenitude e satisfação.

Já sabemos que todos nós usamos a Visualização diariamente, mas de forma


negativa e equivocada, poluindo nossa mente com conteúdos negativos que acabam
atraindo mais e mais campos e energias negativas.

Por isso, é necessário que estejamos dispostos e concentrados no que procuramos


atingir. Dessa forma, podemos dizer que a Visualização é uma técnica indicada a
todas as pessoas que querem o autoconhecimento, que buscam o aprimoramento, a
melhora de atitudes frente à vida e suas emoções.

4.1 Resistência e Permissão

Nosso pensamento deve estar em uma vibração compatível com o que estamos
querendo. Não adianta querer conquistar um ótimo emprego, mas pensar “não sou
capaz”. Quando emitimos uma vibração incompatível com o que queremos, estamos
criando uma resistência que impede de alcançarmos o que queremos.

O contrário da resistência é a permissão, ou seja, permissão é um estado em que


emitimos uma vibração compatível com o que queremos. Consequentemente, se
estamos nos sentindo bem, se as coisas estão fluindo, se estamos com aquela
sensação constante de bem estar, harmonia, paz e alegria, podemos dizer que
estamos em estado de permissão. Mas o que ocorre na grande maioria das pessoas
é a dificuldade de perceber essas crenças limitantes, sendo que a falta de consciência
20
impede-nos de fazermos as transformações. Então, a Visualização favorecerá e
facilitará o seu acesso.

Outras vezes, já temos conscientemente qual a crença está nos limitando. Dessa
forma, podemos transformá-la em uma vibração com frequência compatível com o
que buscamos. É isso que podemos esperar da Visualização Criativa: respostas às
nossas perguntas e domínio sobre os resultados. Podemos dizer que facilita o contato
com as crenças e a transformação das mesmas, permitindo que consigamos o que
queremos.

Podemos modificar qualquer campo - o físico, o mental, o emocional e o espiritual –


trazendo para nossas vidas, mudanças importantes. As transformações começam
surgir de dentro para fora, positivamente não só para nós, mas às pessoas ao nosso
redor, à sociedade, ao nosso planeta.

CAPÍTULO 5

COMO A VISUALIZAÇÃO PODE SER REALIZADA

5.1 Formas para o emprego da Visualização: Visualização Espontânea e


Visualização Dirigida:

Entendido como ocorre a criação de imagens e como elas atuam, podemos partir para
a Visualização de fato. Ela pode ser usada primeiramente para fazer uma sondagem
e captura de imagens relacionadas a algum aspecto da sua vida que não vai bem
(Visualização Espontânea).

Em outro momento, pode-se fazer a Visualização para promover a transformação


dessas imagens já existentes (Visualização Dirigida). Como já vimos anteriormente,
sabemos que são fatores limitantes (crenças) que impedem o sucesso e, portanto, há
necessidade de produzir um campo positivo.

A Visualização pode ser feita também para alcançarmos alguns objetivos e


realizarmos nossos sonhos. Para encontrarmos a pessoa de nossa vida,
conquistarmos um relacionamento mais maduro, para termos um organismo mais
saudável, para a conquista de bens materiais.

21
Existem finalidades diversas para a Visualização Criativa: como devolver o peso das
expectativas de nossos pais que foram depositados em nós quando crianças; tirar o
sentimento de culpa e remorso; promovermos o autoperdão e o perdão ao próximo,
entre outros.
Cada exercício pode proporcionar vários resultados, dependendo da intenção. Os
exercícios vão liberando os campos de energia e fazendo sua mudança de carga
energética.
5.1.1 Visualização Espontânea

Utilizamos esta Visualização quando queremos entrar em contato com registros


inconscientes que, muitas vezes, nem nos damos conta que existem e estão atuando
em nossa vida; também quando temos sonhos e não entendemos o que eles querem
nos dizer, quando existem emoções que não sabemos ao certo a origem.

O objetivo da Visualização Espontânea é dar voz aos lados da personalidade que


normalmente não são ouvidos, estabelecendo uma linha de comunicação entre a
consciência e o inconsciente.

A Visualização favorece o contato com nossos sentimentos, pensamentos, atitudes e


emoções através de vários personagens que aparecem. No confronto com o
inconsciente, geralmente o primeiro contato é com a sombra pessoal. Ela é, na maior
parte, um agrupamento de tudo que rejeitamos em nós mesmos. Contém todos os
tipos de potencialidades não desenvolvidas e não expressas que complementam o
ego, mas que nossa personalidade consciente se recusa a admitir e assim esquece,
rejeita e enterra.

5.1.2 Visualização Dirigida

Utilizamos essa prática quando vamos fortalecer aspectos positivos, transformar


alguns pensamentos limitantes em facilitadores, quando precisamos tomar uma
decisão e queremos uma resposta, quando fazemos nosso planejamento mental.

Essa forma de Visualização é, para a grande maioria das pessoas, muito mais fácil de
ser praticada, já que poucas sentem dificuldade de usar a imaginação.
22
CAPÍTULO 6

A VISUALIZAÇÃO CRIATIVA APLICADA À CURA

A visualização criativa pode ser uma maneira eficaz para realização de curas, sendo
um dos meios mais importantes para melhorar e conservar a saúde, porque ela vai
direto à causa-raiz do problema, ou seja, nossos próprios conceitos e imagens
mentais.

Nossa saúde física é vinculada ao nosso estado emocional, mental e espiritual, sendo
a doença um estado de desarmonia, conflito, tensão, em algum desses níveis. Uma
advertência para que examinemos com profundidade nossas emoções e atitudes, a
fim de restaurarmos nosso equilíbrio.

Através da Visualização, podemos fazer com que nossa mente se comunique com
nosso corpo, promovendo imagens e pensamentos que serão transmitidos ao corpo.
A cura essencial vem de dentro, mesmo que necessitemos de tratamento exterior. O
uso consciente da Visualização pode acelerar e facilitar o processo normal de cura.

Lembre-se de que nem todas as doenças destinam-se a ser


simplesmente “curadas” no sentido de as vencermos e recuperar a
saúde. Algumas doenças podem ter um propósito importante em
nossa vida ou na jornada da nossa alma, e ficar conosco por muito
tempo ou mesmo a vida toda. Nesse caso precisaremos usar a
visualização criativa e as afirmações para nos ajudar a aceitar nossas
limitações e a viver a vida do modo mais feliz ou gratificante possível
(Gawain, 2006 p. 96).
Muitas doenças surgem devido ao estado mental da pessoa: medo, preocupação,
ansiedade e depressão podem cobrar seus atributos.
Há muito a ser dito para manter o seu corpo saudável e razoavelmente em boa forma,
mas existe uma demanda muito maior para encorajar as pessoas a cultivar uma
mente saudável. Uma pessoa naturalmente otimista e alegre, geralmente tem menos
probabilidade de ficar doente. Na verdade, a medicina está chegando à conclusão
que muitas doenças são psicossomáticas – elas existem somente na mente.

23
Padrões de crença governam a vida e também a saúde. A lição, portanto, é a
seguinte: Pense de modo saudável e você será saudável. A prevenção é melhor que
a cura, especialmente hoje em dia, quando o nível de stress mental está muito
elevado. Stress e tensão prejudicam o corpo e o tornam mais influenciado pelo
pensamento negativo e pela doença. A mente é um instrumento poderoso e o stress
pode fazê-la trabalhar de modo errado.

Portanto, é necessário organizarmos nosso pensamento de acordo com um padrão


saudável, adotando técnicas de redução de stress e limpeza de toxinas da mente. A
natureza tem muito a nos ensinar sobre a vida. Ali não há pressa, apenas paz. E paz
é o caminho para a saúde. Sair para o ar livre, ouvir os sons da natureza, respirar
profundamente, fazer um relaxamento, esvaziar a mente de preocupações, são coisas
que valem muito mais do que todos os remédios do mundo (COOPER, 1999).

CAPÍTULO 7

TÉCNICAS E APLICAÇÃO

Inicialmente, podemos praticar a visualização criativa em momentos específicos, com


metas determinadas. Porém, ao se habituar à técnica e começar a acreditar nos
resultados, esta prática se incorpora à nossa maneira de pensar e passamos a viver
em um estado de permanente atenção e consciência, no qual assumimos a
responsabilidade pela criação da nossa vida.

É importante fazer um profundo relaxamento quando estamos aprendendo a usar a


Visualização. O relaxamento do corpo e da mente altera os padrões das ondas
cerebrais, sendo mais eficaz na preparação para a Visualização.

Não se preocupe com o termo “visualizar”, algumas pessoas não conseguem “ver”
uma imagem mental definida quando fecham os olhos e tentam a visualização,
podemos ter a sensação de que nada está acontecendo, precisamos relaxar e aceitar
o que acontece naturalmente conosco. Algumas pessoas se orientam mais pela visão,
outras pela audição e outras são cinestésicas (sensação). Usemos nossa imaginação,
de modo que qualquer processo que utilizemos para imaginar seja perfeitamente
satisfatório.

24
Podemos dizer que a Visualização é como uma reprogramação mental, ou seja,
através da repetição real e concreta de crenças e valores positivos, as imagens
acabam se instalando em nossa mente. Por isso, é importante a disciplina e manter
os pensamentos conscientes (MEDNICOFF, 2007).

A Visualização inclui em seu processo a reflexão para o pensar e o sentir cuidadoso


durante as experiências, com a finalidade de ampliar a consciência e integrar os
traços descobertos da sua personalidade. É muito importante que não existam
julgamentos, críticas e punições quanto às descobertas. Precisamos acolher com
amor e carinho e entender que também é parte nossa. A aceitação provoca
mudanças de energia. Quando ocorre a censura, o bloqueio do ego é inevitável,
impedindo a liberação e a transformação.

O movimento que acontece com a prática da Visualização é sábio: os insigths


começam a acontecer da parte mais externa, mais superficial do inconsciente e,
naturalmente, com a retirada de uma camada, aparecerá outra, porém existe um
tempo para que isso ocorra.

Mudar pensamentos ruins, que há muito já se tornaram um hábito, é trabalhoso, mas


com certeza, muito compensador.

Para retirar vícios de pensamentos negativos, a auto-observação diária e o


autocontrole são imprescindíveis, pois não existe no mundo ninguém que possa
avaliar de forma mais completa e sincera do que nós mesmos.

O ato de visualizar sensibiliza nosso inconsciente, reforçando nossa convicção,


fortalecendo nossa confiança e complementando nosso ser, porque estamos criando
nosso futuro, mas nunca devemos nos esquecer que devemos agir para que nossa
Visualização dê certo.

Pensar positivamente é vital para sermos bem sucedidos. Com pensamento positivo,
sempre se obtém bons resultados; talvez a maior causa do fracasso seja o
pensamento negativo. Sejamos realistas. Não podemos esperar que a mente interior
responda a nossos desejos se estamos, por um lado, pedindo cura, enquanto que,
por outro, estamos cheios de dúvidas e incertezas.

25
Relaxamento é fundamental

Para a prática da Visualização Criativa é muito importante que a mesma seja


precedida por um momento de relaxamento. Limpar a mente de todos os
pensamentos cotidianos e das preocupações, acalmar-se e tranquilizar-se através de
respirações profundas são passos importantes para a prática da Visualização.
Quando relaxamos, nosso cérebro produz também ondas alfa, que estão associadas
a sentimentos de bem estar e a uma percepção mais intensa, criativa e receptiva a
sugestões positivas.

Importante fechar os olhos suavemente sem apertar as pálpebras, impedindo a


entrada do mundo exterior e dos inúmeros objetos que atraem e estimulam a nossa
atenção.

O próximo passo é a respiração, que está intimamente ligada à emoção. A respiração


revela fielmente a forma que a pessoa está e até como ela é, ou seja, percebemos o
estado emocional através da respiração.

Como precisamos de um estado emocional elevado e que propicie a abertura para o


novo, a respiração deve ser ampla, profunda e pausada. Enquanto fazemos a
respiração, sem perder a consciência desse procedimento respiratório, colocamos
nossa atenção para relaxar cada parte do nosso corpo.

A partir daí, poderemos dar continuidade, entrando na Visualização Criativa.

Para aprimorar a prática da Visualização Criativa e torná-la mais eficaz, algumas


fases fazem-se necessárias:

1. Estabeleça as suas Metas


Decida o que gostaria de ter, realizar ou criar. Pode ser um emprego, uma casa,
um relacionamento, uma mudança em você mesmo, uma melhoria na sua
situação financeira, mais disposição, saúde, beleza, a solução de um problema
familiar ou comunitário ou qualquer um outro.
Inicie com metas fáceis e rapidamente possíveis de serem alcançadas e com a
prática e experiência, concentre-se em questões mais difíceis ou desafiadoras.

26
2. Mentalize uma ideia ou imagem bem definida
Mentalize uma ideia, uma imagem ou uma sensação do objeto ou da situação
exatamente como os quer. Pense neles no presente, como se já existissem do
modo como gostaria que fossem. Inclua nessa mentalização o máximo de
detalhes que puder.

3. Concentre-se nela regularmente


Pense com frequência em sua ideia ou imagem mental, desse modo ela se
transformará numa parte integrante da sua vida, parecerá mais real e poderá ser
projetada com maior eficácia.

4. Transmita-lhe Energia Positiva


Quando estiver se concentrando em sua meta, pense nela de maneira otimista e
estimulante. Faça a si mesmo firmes declarações otimistas: que o objeto de seu
desejo existe, que já o conseguiu ou que está prestes a conseguir. Imagine-se
recebendo ou conquistando o que quer obter. Essas declarações positivas são
denominadas “afirmações”. Ao fazer as afirmações, procure eliminar
temporariamente quaisquer dúvidas que possa ter e tente intensificar a sensação
de que aquilo que deseja realmente existe e pode ser obtido (GAWAIN, 2006).

Ao atingir seu desejo e meta, reconheça conscientemente que essa etapa foi
concluída. Reconheça seus próprios méritos e congratule-se consigo mesmo, sem
esquecer de manifestar sua gratidão ao universo por ter realizado seu desejo.

CAPÍTULO 8

PRÁTICA

1) Introdução – Reflexão

Algo que nos enfraquece é a falta de esperança de vivermos a nossa vida de uma
forma significativa. Diante da doença, nos sentimos infelizes, mas sempre é produtivo
lembrar que criamos todas as “doenças” do nosso corpo, uma vez que ele (o corpo)
reflete exatamente os nossos pensamentos e crenças interiores.

27
Vamos refletir sobre algumas das nossas crenças sobre doença: o que sua mãe (ou
seu pai) fazia para você quando estava doente? Quando você adoece, o que você
sempre quer? Qual o seu aprendizado sobre doença na sua infância? Você vê
alguma vantagem em ficar doente? Em que situações você percebe que fica
debilitado, que adoece? O que você quer evitar ou o que você quer conseguir nessas
ocasiões? Pense agora, analise qual a parte do seu corpo mais vulnerável, neste
momento. Qual a função dessa parte do seu corpo? Levá-lo a algum lugar? Digerir?
Proporcionar flexibilidade? Dar prazer? Expressar o que quer ou o que não quer?
Qual o recado que esse desconforto está querendo te trazer? O que você precisa
mudar?

2) Relaxamento e Indução

Deite-se confortavelmente. Feche os olhos e conscientize-se do seu corpo; apenas


observe como você o está sentindo agora... Se notar que alguns pontos estão tensos,
respire suavemente para dentro desses pontos. Imagine que eles estão relaxando e
que todas as tensões desnecessárias estão sendo liberadas e dissolvidas.

Primeiro, concentre a atenção nos pés e imagine-os relaxando.

Em seguida, ponha sua atenção nos tornozelos e na barriga da perna, e relaxe-os


suavemente...

Agora concentre-se nas coxas e quadris. Relaxe a parte superior das pernas e toda a
área pélvica...

Suavemente, respire para dentro da parte inferior do corpo e sinta que ela está se
tornando muito relaxada...

Ponha agora a atenção no abdômen e no estômago, a área de seus órgãos internos,


e imagine todos eles relaxados, funcionando facilmente, confortavelmente,
saudavelmente, brandamente...

Relaxe o peito e os ombros; os braços, as mãos e os dedos...

Concentre-se no pescoço e na garganta e imagine essa parte do seu corpo


completamente relaxada...... Se houver alguma tensão nessa área, imagine-a saindo

28
através dos seus braços, atravessando seus dedos, indo para o chão e entrando na
terra...

Agora, relaxe a cabeça, o rosto... relaxe o couro cabeludo... relaxe as orelhas e as


pálpebras. Relaxe o maxilar...

Deixe que sua consciência examine minuciosamente todo o seu corpo, da cabeça aos
pés, dos pés à cabeça, e sinta o seu corpo profundamente relaxado... Imagine que
você pode sentir a energia da vida fluindo suave e livremente por todo ele. Se sentir
alguma parte presa ou tensa, liberte-a suavemente e sinta a energia fluindo através
dela...

Respire profundamente e, enquanto expira, liberte qualquer resíduo de tensão que


você esteja retendo em seu corpo. Sinta-o totalmente relaxado...

De novo, respire fundo e, ao expirar, relaxe a sua mente. Finja que ela é apenas um
músculo do seu corpo que você pode relaxar agora. Você não deve estar atento a
nenhum pensamento. Você pode libertá-los agora e fazer com que sua mente fique
quieta e lenta, e até mesmo um pouco fora de foco...

Imagine que sua mente está se tornando muito tranquila e sossegada, como um lago
ou uma piscina de águas calmas, tão cheios de paz que não há nem mesmo uma
onda na superfície...

Imagine agora uma luz dourada, com propriedades de cura, envolvendo todo o seu
corpo; sinta-a, experimente-a, deleite-se com ela...

Se houver alguma parte do seu corpo que esteja doente ou dolorida, pergunte a essa
parte se ela tem alguma mensagem para você ou se existe algo que você precise
fazer ou entender, seja nesse instante, ou na sua vida, de um modo geral. Verifique
se quaisquer palavras, imagens ou sentimentos vêm até você em resposta à essas
perguntas.

Caso obtenha uma resposta, empenhe-se ao máximo para entendê-la e acatar-lhe as


recomendações. Se não houver nenhuma resposta, limite-se simplesmente a
continuar com o processo. A resposta poderá vir até você mais tarde, talvez de um
modo diferente do que você espera.

29
Em seguida, envie uma mensagem especial constituída de amor e de energia de
cura, para a parte do seu corpo que precisa de ajuda.

Visualize-a ou sinta-a sendo curada.

Pode ser que você deseje a presença de seu guia ou de algum mestre a efetuar a
cura.

Faça uma representação mental do problema se desfazendo e perdendo energia, ou


mentalize alguma outra imagem metal que seja eficaz para o seu caso.

Agora, imagine-se gozando da mais perfeita saúde.

Imagine-se em diferentes situações, sentindo-se bem disposto, ativo e com saúde.


Imagine-se cuidando muito bem de si mesmo, para que continue saudável.

Repita agora mentalmente as afirmações, fazendo-as repercutir no mais profundo do


seu ser:

EU ESTOU ME AMANDO E ME CURANDO EM TODOS OS NÍVEIS – ESPIRITUAL,


MENTAL, EMOCIONAL E FÍSICO.

EU HONRO E RESPEITO MEU CORPO.

EU OUÇO AS MENSAGENS DO MEU CORPO.

ESTOU APRENDENDO A CUIDAR DE MIM MESMO.

AMO O MEU CORPO E O ACEITO SEM RESTRIÇÕES.

SOU BOM PARA O MEU CORPO E O MEU CORPO É BOM PARA MIM.

EU MEREÇO SER SAUDÁVEL E ME SENTIR BEM.

MEU CORPO ESTÁ EQUILIBRADO E EM PERFEITA HARMONIA COM A TERRA E


COM O UNIVERSO.

SOU GRATO POR TER CADA VEZ MAIS SAÚDE, BELEZA E VITALIDADE.

É NATURAL SE SENTIR BEM.

30
Respire profundamente e imagine a força e a energia da vida fluindo livre e facilmente
por todo o seu corpo, nutrindo cada célula, liberando as células velhas de que você
não precisa mais e substituindo-as por novas, cheias de energia vital e atividade.

Devagarinho vá voltando... respire profundamente...Conscientize-se do seu corpo e


de como você o sente agora...perceba a sala ao seu redor...

Quando se sentir preparado, vá abrindo os olhos bem devagar e vá voltando para o


seu ambiente...

CONCLUSÃO

A chave para o mistério da vida abundante, e da própria vida, é acreditar. Como você
pensa, assim você é. O que quer que acredite ser verdade, será verdade. A tarefa,
portanto, é livrar-se das crenças equivocadas e adotar padrões realísticos de crença,
efetuando, assim, uma mudança nas circunstâncias.

Lembre-se: sua mente interior é o seu próprio centro de milagres, o “Deus interior”.
Além de suas capacidades para manipular as energias da vida em seu benefício,
também tem memória ilimitada. Quanto mais otimista você for, quanto mais ampla a
sua visão e mais expansivos os seus pensamentos, melhor será a sua qualidade de
vida, não apenas do ponto de vista da saúde, mas também em outras áreas. Plante
“pensamentos-sementes” na terra fértil da sua mente interior e a colheita da
abundância será sua.

“A Visualização Criativa para a saúde é um caminho de auto-cura, de auto-amor,


onde, liberto do medo e de padrões limitantes, você decreta sua vitória na presente
jornada!”

31
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

MEDNICOFF, Elizabeth. O poder da Visualização Criativa

GAWAIN, Shakti. “Visualização Criativa”. São Paulo: Editora Pensamento, 2002.

GAWAIN, Shakti. Meditações – Visualização Criativa

COOPER, Phillip. Os segredos da Visualização Criativa

COOPER, Phillip. Visualização Criativa

http://www.luzdegaia.org/downloads/livros/diversos/A_Arte_e_a_Pratica_da_Visualiza
cao_Criativa_Ophiel.pdf

32