Você está na página 1de 6

1 a AULA

Exercícios sobre tipologia textual

1. Cespe/2014 - MTE

Nos últimos cinquenta anos, um dos fatos mais marcantes ocorrido na sociedade brasileira foi a

inserção crescente das mulheres na força de trabalho. Esse contínuo crescimento da participação feminina

é explicado por uma combinação de fatores econômicos e culturais. Primeiro, o avanço da industrialização

transformou a estrutura produtiva, e a queda das taxas de fecundidade proporcionou o aumento das pos- sibilidades de as mulheres encontrarem postos de trabalho na sociedade. Segundo, a rebelião feminina do final dos anos 60 do século passado, nos Estados Unidos da América e na Europa, chegou às nossas terras e fez ressurgir o movimento feminista nacional, aumentando a visibilidade política das mulheres na socieda- de brasileira. Esse sucesso influenciou o comportamento e os valores sociais das mulheres, visto que pro- porcionou alterações na formação da identidade feminina. A redefinição dos papéis femininos aconteceu em todas as classes sociais e elevou a taxa de participação feminina no mundo do trabalho e da política.

No que se refere ao texto acima, julgue o item.

Internet: <www.mte.gov.br> (com adaptações).

• O texto pode ser classificado como narrativo, por apresentar a história da inserção das mulheres na força de trabalho. (Errado)

Comentário: O texto é predominantemente dissertativo, pois trata de um fato (A inserção das mulheres na força de trabalho) que é transmitido de forma lógica, coerente e seguindo uma progressividade tex- tual.

2. Cespe/2014 - MTE

Durante os primeiros minutos, Honório não pensou nada; foi andando, andando, andando, até o

Largo da Carioca. No Largo parou alguns instantes, enfiou depois pela Rua da Carioca, mas voltou logo,

e

entrou na Rua Uruguaiana. Sem saber como, achou-se daí a pouco no Largo de S. Francisco de Paula;

e

ainda, sem saber como, entrou em um Café. Pediu alguma coisa e encostou-se à parede, olhando para

fora. Tinha medo de abrir a carteira; podia não achar nada, apenas papéis e sem valor para ele. Ao mesmo

tempo, e essa era a causa principal das reflexões, a consciência perguntava-lhe se podia utilizar-se do di- nheiro que achasse. Não lhe perguntava com o ar de quem não sabe, mas antes com uma expressão irônica

e de censura. Podia lançar mão do dinheiro, e ir pagar com ele a dívida? Eis o ponto. A consciência acabou

por lhe dizer que não podia, que devia levar a carteira à polícia, ou anunciá-la; mas tão depressa acabava de lhe dizer isto, vinham os apuros da ocasião, e puxavam por ele, e convidavam-no a ir pagar a cocheira. Chegavam mesmo a dizer-lhe que, se fosse ele que a tivesse perdido, ninguém iria entregar-lha; insinuação que lhe deu ânimo.

Machado de Assis. A carteira. In: Obra completa de Machado de Assis, vol. II. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

Julgue o item subsequente, referente às estruturas linguísticas do texto acima.

• Por tratar de um conflito interior acerca da ética e da moral, o trecho acima é predominantemente dis- sertativo. (Errado)

Comentário: O texto é, predominantemente, narrativo, uma vez que conta um episódio com enredo, narrador, personagem, tempo, espaço e discurso.

3. IADES/2014 - Conab – Engenharia Agrícola

Uso de agrotóxicos eleva o risco à saúde de trabalhadores rurais

(23/11/2013) O comércio irregular de agrotóxicos pela internet, em parte alimentado por produtos falsifi- cados, sem registro e vendidos por empresas fantasmas, eleva o risco à saúde de trabalhadores rurais que têm contato com produtos químicos. Com predomínio de minifúndios voltados à produção de uvas e hor- tigranjeiros, Bento Gonçalves é o município gaúcho com o maior número de registros de intoxicação por agrotóxicos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação do governo federal. De 2007 à metade deste ano, Bento Gonçalves teve 94 — quase um quinto — dos 458 casos do estado. Mas o tamanho do problema é maior do que indicam os números. Estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) mos- tra que, para cada registro de intoxicação por agrotóxicos, outros 50 casos deixaram de ser verificados.

Disponível em: <http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/economia/noticia/

2013/11/uso-de-agrotoxicos-eleva-o-risco-a-saude-de-trabalhadores-ru

rais-4342272.html>. Acesso em: 5/5/2014, com adaptações

Quanto à tipologia, o texto classifica-se, predominantemente, como

a) dissertativo, pois estabelece uma relação, com base em uma estimativa, entre o uso de agrotóxicos e o

aumento do risco à saúde de trabalhadores rurais que têm contato com tais produtos.

b) narrativo, pois faz um relato de fatos envolvendo doenças provocadas pelo uso de agrotóxicos no cam-

po.

c) dissertativo, pois apresenta uma sequência de fatos.

d) narrativo, pois relata um fato ocorrido em Bento Gonçalves.

e) descritivo, pois destaca as características principais dos agrotóxicos.

LETRA A. Comentário: O texto é dissertativo expositivo, pois transmite ao leitor um fato (o risco à saúde) verificado devido ao uso de agrotóxicos.

4. IADES/2014 – CRQ 21ª Região/ES - Administrador

Tudo é composto por substâncias químicas. O ser humano, por exemplo, é um amontoado de car- bono, oxigênio, hidrogênio e outros 18 elementos. Assim como nós, todos os objetos são feitos de átomos que interagem entre si e formam uma infinidade de substâncias com propriedades diferentes. “É impossível ignorar a química porque ela está presente em todas as nossas atividades, das co- midas que fazemos até o banho que tomamos”, afirma o químico Joe Schwarcz, da Universidade McGill, Canadá. Manipulando os diferentes elementos, o homem consegue – muitas vezes por acaso - formular remédios, melhorar alimentos e descobrir como a natureza funciona.

Disponível em htpp://super.abril.com.br/ciencia (com adaptações)

A respeito da tipologia textual, é correto afirmar que o texto apresentado consiste em

a) descrição.

b) narração.

c) dissertação.

d) instrução

e) exposição

LETRA C. Comentário: O texto é predominantemente dissertativo, já que expõe o fato de que tudo é composto por elementos químicos e que a química está presente em todas as nossas atividades.

5. MPE/RN 2012 - FCC - Analista do Ministério Público Estadual - Comunicação Social/Jornalismo

“Quinta-feira à tarde, pouco mais de três horas, vi uma coisa tão interessante, que determinei logo de começar por ela esse texto. Agora, porém, no momento de pegar na pena, receio achar no leitor menor gosto que eu para um espetáculo, que lhe parecerá vulgar, e porventura torpe. Releve a importân- cia; os gostos não são iguais”. (Machado de Assis)

Pelas características, esse texto é um[a]

a) crônica.

b) ensaio.

c) artigo.

d) crítica.

e) resenha.

(Adaptado:www.eeagorajose.kt.net)

LETRA A. Comentário: O texto de Machado de Assis é uma crônica, pois tem visíveis características narrativas. O ensaio, o artigo de opinião, a crítica e a resenha são textos dissertativos.

6.

CEITEC 2012 - FUNRIO - Advogado - AAO-ADVOGADO

O

trecho que segue foi extraído do conto “Lâmpadas e Ventiladores”, de Humberto de Campos:

A tarde estava quente, abafada, ameaçando tempestade. Na sala da sorveteria onde tomávamos chá, os ventiladores ronronavam, como gatos, refrescando o ambiente. Lufadas ardentes, fortes, brutais, varreram, lá fora, o asfalto da Avenida. O céu escureceu, de repente, e um trovão estalou, rolando pelo céu. Nesse momento, as lâmpadas do salão, abertas àquela hora, apagaram-se todas, ao mesmo tempo em que, dependendo da mesma corrente elétrica, os ventiladores foram, pouco a pouco, diminuindo a marcha, até que pararam, de todo, como aves que acabam de chegar de um grande voo.

Sobre a tipologia textual dessa passagem do conto, pode-se dizer a organização predominante é

a) argumentativa.

b) descritiva.

c) expositiva.

d)

narrativa.

e) poética.

LETRA B. Comentário: O texto é, predominantemente, descritivo, uma vez que faz um “retrato” da situ- ação ocorrida numa tarde. O narrador vai caracterizando o que ocorria dentro da sorveteria.

7. TJ/RR 2012 - CESPE - Administrador

O exercício da advocacia criminal constitui instrumento de equilíbrio social. Não haveria paz e tran- quilidade se os julgamentos fossem realizados sem leis antecipadamente organizadas e se os réus — por mais graves que fossem os crimes cometidos — pudessem ser condenados sumariamente sem defesa. Quando se fala em defesa, trata-se da ampla defesa, que abrange o direito de recorrer, quando a deci- são não for favorável. O recurso ampara-se em dois fundamentos de natureza psicológica. De um lado,

o sentimento inato, inerente ao gênero humano, de inconformidade com a derrota. De outro, a certeza

universal da falibilidade humana. Daí o impulso existencial legítimo de ver um julgamento desfavorável reexaminado, de preferência por quem lhe pareça mais qualificado por melhores dotes de sabedoria e experiência, e mesmo, ainda que por simples presunção, por melhores valores culturais e morais. Se, na vida, recorrer ao amparo dos nossos semelhantes é uma necessidade, a lei não poderia deixar de acolher

a utilização de recursos para o seu trato diário, como uma forma de ver-se prestigiada, ou seja, para que

as partes envolvidas no processo se sintam amparadas, com a sensação de que a decisão foi, tanto quanto possível, devidamente apreciada, imparcial e justa.

Tales Castelo Branco. Todo réu deve ter defesa. Internet:

http://super.abril.com.br (com adaptações).

Considerando as ideias e a tipologia do texto apresentado, julgue o item subsequente.

• O texto pode ser classificado como dissertativo, visto que nele se defende a ideia da importância da ampla defesa e se desenvolve argumentação a partir dela. (Certo)

Comentário: O texto é classificado como dissertativo argumentativo, pois, de forma lógica e coerente, transmite informações que tentam convencer o leitor sobra a importância de haver a ampla defesa nos processos jurídicos.

8. STJ 2012 - CESPE - Técnico Judiciário - Apoio Especializado/Telecomunicações e Eletricidade

A um coronel que se queixava da vida de quartel, um jornalista disse:

— E o senhor não sabe como é chato militar na imprensa.

Sírio Possenti. Os humores da língua. São Paulo: Mercado de Letras, 1998, p. 86.

Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do trecho acima, julgue o item a seguir.

• O emprego do vocábulo “chato”, cujo sentido é pejorativo, é inadequado ao gênero do texto em ques- tão. (Errado)

Comentário: Como o gênero em questão é uma piada, não há problema de ser usado os vocábulos de cunho pejorativo.

1 a Aula: Gabaritos Comentados

9. TRE/RJ 2012 - CESPE - Analista Judiciário - Contabilidade

A instrumentalização da cidadania e da soberania popular, em uma democracia contemporânea, faz-se

pelo instituto da representação política. E a transformação da soberania popular em representação se

dá, em grande parte, por meio da eleição. O povo a que remete a ideia de soberania popular constitui

uma unidade, e não, a soma de indivíduos. Jurídica e constitucionalmente, a representação “representa”

o povo (e não, todos os indivíduos). Além disso, não há propriamente mandato, pois a função do repre-

sentante se dá nos limites constitucionais e não se determina por instruções ou cláusulas estabelecidas entre ele (ou o conjunto de representantes) e o eleitorado. As condições para o exercício do mandato e, no limite, seu conteúdo estão predeterminados na Constituição e apenas nela. Estritamente, nem sequer

é possível falar em representação, pois não há uma vontade pré-formada. Há a construção de uma von- tade, limitada apenas aos contornos constitucionais.

Eneida Desiree Salgado. Princípios constitucionais estruturantes do direito eleitoral. Tese de doutoramento. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2010. Internet: <http://dspa ce.c3sl.ufpr.br> (com adaptações).

Julgue os próximos itens, referentes à estrutura e à tipologia do texto em apreço.

• Identifica-se no texto ambivalência estrutural, evidenciada pela presença de trechos tipicamente dis- sertativos e outros marcadamente narrativos. (Errado)

Comentário: Não há nenhuma parte em que seja evidenciada a narração, pois o texto é, predominan- temente, dissertativo.

10. ANCINE 2012 - CESPE - Técnico Administrativo

O riso é tão universal como a seriedade; ele abarca a totalidade do universo, toda a sociedade,

a história, a concepção de mundo. É uma verdade que se diz sobre o mundo, que se estende a todas as

coisas e à qual nada escapa. É, de alguma maneira, o aspecto festivo do mundo inteiro, em todos os seus níveis, uma espécie de segunda revelação do mundo.

Mikhail Bakhtin. A cultura popular na Idade Média e o Renascimento:

o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hucitec, 1987, p. 73 (com adaptações).

No que se refere aos aspectos gramaticais e às ideias do texto acima, julgue o item que se segue.

• Embora o texto seja essencialmente argumentativo, seu autor se vale de estruturas narrativas para reforçar suas opiniões. (Errado)

Comentário: Não há estruturas narrativas no trecho em questão, uma vez que o autor apenas expõe um assunto e não conta uma história.