Você está na página 1de 5

3

INTRODUÇÃO

Existem muitos debates quando se fala de Teologia do Antigo Testamento, como por
exemplo, se devemos realmente fala em “Teologia” ao invés de “Teologias” do Antigo
Testamento. Isso por considerar a metodologia empregada ao analisar o texto Bíblico, mas,
para a comunidade da Fé a forma canônica é suficiente, porém no mundo acadêmico o debate
ainda continua.

Este trabalho apresenta a forma canônica do testemunho do Sinai. É uma pesquisa


dos livros de Êxodo, Números e Levíticos. Os livros de Gênesis e Deuteronômio estão
relacionados por isso também serão apresentados como uma introdução e uma conclusão.
4

A FORMA CANÔNICA DO TESTEMUNHO DO SINAI

Os livros de Êxodo, Levítico e Números são a parte central do Pentateuco. Neles a


vontade de Deus é expressa de forma completa e direta. Os livros de Gênesis e Deuteronômio
estão diretamente ligados a eles.

No livro de Gênesis de forma resumida encontramos em seu relato como se deu a


queda do homem, o juízo que Deus trouxe a humanidade através do diluvio e a chamada de
Abraão por meio do qual Deus abençoaria todas as famílias da terra, o abençoando e fazendo
dele uma grande nação. Abraão teve um filho chamado Isaque, Isaque teve um filho chamado
Jacó e Jacó teve um filho chamado José por meio do qual Deus o levantou como governador
no Egito e preservou ali a descendência de Abraão. Quando a Bíblia começa a falar da vida de
José (em Gn 37) já é uma introdução ao livro de Êxodo. O livro de Êxodo começa com a letra

hebraica: ‫ו‬, waw, que significa “e”, essa conjunção é sinal claro de que o livro de Êxodo está
vinculado intimamente com o livro de Gênesis.

O livro de Gênesis termina narrando a morte de José, o livro de Êxodo nos conta que
Deus no Egito abençoou a descendência de Abraão de forma que “os filhos de Israel
frutificaram, e aumentaram muito, e multiplicaram-se, e foram fortalecidos grandemente; de
maneira que a terra se encheu deles.” (Êxodo 1.7). A descendência de Abraão agora já era uma
nação como Deus tinha prometido, porém “depois, levantou-se um novo rei sobre o Egito, que
não conhecera a José” (Êxodo 1.8) que temeu ao ver que os filhos de Israel era muito e mais
poderoso do que os egípcios, então os egípcios os oprimiram fazendo amarga a vida dos
hebreus com dura servidão. Nesse momento Deus levanta um homem chamado Moisés, que
por meio dele tira o povo de Israel do Egito e os livra da dura servidão.

Deus tirando Israel do Egito fez dele seu filho (Êxodo 4.22,23), se revelando a eles
como seu Pai por meio de suas ações: trouxe Israel à existência como nação; alimentou e a
guiou. Israel não era um filho no sentido adotivo, ou no sentido de uma mera unidade étnica,
política ou social. Pelo contrário, era um filho criado (formado ao ser liberto do Egito), salvo
e guardado por Deus, o seu Pai. Como filhos verdadeiros, os israelitas tinham de imitar seu
Pai na prática. Quando Deus apareceu a Moisés no monte Horebe atrás do deserto (Êxodo 3.1)
Deus falou que Moisés serviria a Ele naquele monte quando tudo que ele falou com relação a
libertação do povo de Israel se cumprisse (Êxodo 3.12). No monte Sinai Deus aparece e fala
aos ouvidos de todo o Israel todos os seus mandamentos (Êxodo 20.1-17) e se Israel
5

obedecesse a Deus se tornaria sua propriedade peculiar (Êxodo 19.5), reino sacerdotal e povo
santo (Êxodo 19.6).

Quando Deus entrega os seus mandamentos a nação de Israel para que ela pudesse
ser uma nação “santa” ou seja separada das demais nações (ou diferente das demais nações)
Deus sabia que os Israelitas iriam errar, falhar, desobedecer em algum ponto de seu
mandamento, por isso institui Moisés e seu Irmão Arão junto com seus filhos a serem
sacerdotes e ministrarem diante de Deus em favor da nação de Israel. O livro de levítico é um
livro que instrui os Israelitas a como procederem após pecarem contra os mandamentos do
Senhor, o que deveriam fazer como deveriam fazer etc. Os primeiros sete capítulos
apresentam o ensino sobre sacrifícios e, em seguida, a segunda seção discorre sobre
sacerdócio (Lv 8 -10). Os capítulos 11 – 15 falam de leis de pureza. Levítico 16 são instruções
sobre o Dia da Expiação. Os capítulos 17 a 27 trata da santidade na família, em particular na
atividade sexual, santidade em ordenações rituais, como casamentos, ritos de pranto e
lamentação, dias santos e dias de jejuns.

O livro de números nos da uma noção de como Deus abençoou a descendência de


Abraão. Deus prometeu a Abraão numerosos descendentes (Gn 13.16). O livro de Números
registra o censo da primeira geração daqueles que poderiam ir para a guerra (Número 1-4). E
o censo da segunda geração no capítulo 26.

O livro de Deuteronômio, em grande parte, consiste dos últimos sermões de Moisés.


6
7

CONCLUSÃO