Você está na página 1de 3

Respiração

Muita respiração. O exercício respiratório consiste no seguinte:


1 – Fique na posição que achar mais conveniente, pode ser sentado, de pé, tanto
faz. Comece aquecendo, respirando o mais fundo possível até sentir o ar
empurrando o plexo solar, segure 2 segundos e exale todo ar até o fim, soltando
o máximo possível. Repita isso 10-15 vezes.
Estando aquecido, é hora das power breaths. Inale profundamente todo ar pelo
nariz e exale pela boca, faça isso de forma rápida e potente, indo até o final do
curso de entrada e saída do ar. Faça num ritmo constante de 30 a 45 respirações
ou até sentir o corpo cheio de oxigênio, tendo algumas “vertigens” ou “vendo
luzes”.
2 – Após ter feito o passo acima, respire mais uma vez, solte todo o ar e então
prenda a respiração e segure o máximo que puder. O máximo que puder. Isso
significa ir até o máximo possível, quando o corpo der quase aquele reflexo de
engasgamento, de respirar ou desmaiar. É claro que não vai causar nenhum
problema. É pra aprender a não ser uma mariquinha chorona que logo no
primeiro desconfortinho que aparecer vai querer implorar pela mamãe,
abandonar tudo e respirar. Aguente pasapalho. A questão aqui é aumentar a
capacidade de oxigenação, bem como saber lidar mentalmente sem se
desesperar quando parecer que “tá morrendo”. Resiliência é um bônus.
3 – Tendo completado o segundo passo recupere a respiração puxando o ar até
a capacidade máxima e então segure a respiração por uns 15-20 segundos.
Assim o primeiro round está completo. Nos primeiros dias faça apenas
dois rounds seguidos. Após uma certa adaptação, vá aumentando o numero
de rounds até 5 ou 6. Tambem pode ser feito várias vezes ao dia. Após ter
completado os rounds, aprecie a sensação de mente limpa e tranquilidade.
Depois de um tempo é possível incluir pliométricos nas fase de segurar a
respiração (2). Podem ser flexões explosivas, ou saltos em altura, agachando e
impulsionando as pernas o máximo que puder. São movimentos que consomem
muito oxigênio, e fazer isso sem ar tende a aumentar o VO2 max com o tempo.
Como fazer o Wim Hof Breathing Technique…

1. Sente-se confortavelmente e feche os olhos

Sente-se ou deite-se da maneira mais confortável para você. Certifique-se de


expandir seus pulmões livremente sem qualquer constrição. Recomenda-se
fazer este exercício apenas depois de acordar quando o estômago ainda está
vazio.

2. aquecer

Inspire profundamente. Faça isso até sentir uma leve pressão dentro do peito no
plexo solar. Solte o máximo de ar que puder. Repita este aquecimento 10-15
vezes.

3. 30 respirações poderosas

Inspire e expire pela boca. O estômago se retrai quando você expira e incha
quando você inala. Mantenha um ritmo regular e use seu abdômen. Feche os
olhos e faça isso 30 vezes até sentir seu corpo cheio de oxigênio. Os sintomas
podem incluir sensações de formigamento no corpo e tontura.

4. Revise seu corpo

Durante as 30 respirações poderosas, mergulhe em seu corpo e tome


consciência dele o máximo possível. Caminhe sua consciência para cima e para
baixo no corpo e use sua intuição quanto às partes que não têm energia e
aquelas onde ela está em excesso. Revise todos os bloqueios entre os dois. Tente
enviar energia / calor para esses bloqueios. Então solte-os gradualmente.

5. Retenção

Após a rápida sucessão do ciclo respiratório, faça outra inspiração, enchendo os


pulmões ao máximo, sem forçar e segurar o máximo de tempo possível. Relaxe e
desbloqueie todos os canais de energia do corpo. Observe como todo o oxigênio
se espalha pelo corpo. Fique sem respirar até sentir um reflexo de engasgo na
parte superior do peito.

Respiração de Recuperação

Inspire completamente. Sinta seu peito inchando. Libere a tensão no plexo


solar. Relaxe seu corpo mais fundo, deixe tudo ir embora. Seu corpo sabe
melhor que você. Após 15 segundos, você completou o primeiro conjunto.

Comece esta prática com um ou dois conjuntos. Tente fazer isso todos os dias e
adicione mais dois conjuntos nos dias seguintes. Assim que você se sentir
confortável para segurar a respiração, pode começar a adicionar exercícios. Faça
um mínimo de 15 minutos ou 6 séries de trabalho. Você pode praticar o quanto
quiser.

Se você sentir tontura ou dor, pare sua postura e deite-se de costas. Respire
normalmente e pare a sessão. Tome pelo menos 5 minutos no final da sessão
para relaxar e explorar o corpo.
Exposição ao frio
Banhos gelados
Exatamente, tomar banho frio aumentando progressivamente o tempo. Se você
for uma moçoila choraminguenta que não suporta fisicamente e muito menos
mentalmente uma aguinha fria (que nem ao menos é fria, é morna, fria seria
perto de 0ºC), comece se adaptando depois do banho quente de princesa, se
expondo à água fria por uns 30-45 segundos e vá aumentando o tempo. a partir
daí comece tomar banho frio todos os dias, no minimo uma vez por dia.
Sei que tem regiões do país que não faz frio então isso dificulta o trato. Mas no
sudeste ou principalmente aqui no sul, as temperaturas favorecem nessas
épocas, e la pelas 11 da noite ou mais, a água ja está numa temperatura boa,
entre 3-5 ºC em alguns dias do ano, portanto os paspalhos daqui não tem
desculpa, só vão continuar sendo frágeis se quiserem.
Banho frio é muito fácil, a água não atinge todos os sensores nervosos do corpo
de uma vez só como acontece se submergir o corpo numa banheira com gelo.
Mesmo assim, o intuito desses exercícios – além das adaptações físicas – é
aprimorar a resistência/força mental, fazendo perceber que estamos separados
da dor. Essas dores (que nem ao menos são dores, são só desconfortos mínimos)
só nos afetam se nos identificarmos com elas, portanto a questão aqui é
fortalecer a mente e o corpo.

Interesses relacionados