Você está na página 1de 39

Termodinâmica

Aplicada
E.R.Woiski
UNESP-Ilha Solteira-SP

Curso de Especialização
em Tecnologias do Gás
Campo Grande - MS
Natural março/2003
Introdução
A Abertura
1.Introdução: O que é a Termodinâmica Clássica?
1.1.Uma Definição para Substância Pura e Sistema
1.2.Que tal Um Exemplo?
1.3.Estado e Propriedades
1.4.Trabalho, Calor e Fluxo de Massa
1.5.O Trabalho Mecânico
1.6.O Calor
1.7.Sistema Fechado, Aberto ou Isolado
1.8.Uma Outra Definição de Termodinâmica
1.9.Representação em Forma de Grafo

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural 2


A Primeira Lei
2.A Primeira Lei para Sistema Fechado
2.1.Conseqüências da Primeira Lei para Sistema Fechad
2.2.Energia Interna, Cinética e Potencial
2.3.O Sistema Aberto
2.4.A Conservação da Massa
2.5.A Primeira Lei para Volume de Controle
2.6.A Entalpia
2.7.Regime Permanente
2.8.Regime Transiente

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural 3


A Segunda Lei

3.A Segunda Lei para Sistema Fechado


3.1.A Entropia
3.2.Conseqüências da Segunda Lei para Sistema Fechad
3.3.As Máquinas Térmicas e Os Refrigeradores
3.4.A Segunda Lei para Sistema Aberto
3.5.O Regime Permanente
3.6.Regime Transiente

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural 4


A Combinação da Primeira
e Segunda Leis

4.Combinação da Primeira e da Segunda Lei da Termodi


4.1.Trabalho Reversível em Sistema Fechado
4.2.A Disponibilidade (Exergia) de Fluxo
4.3.A Disponibilidade (Exergia) de não Fluxo
4.4.Rendimento Termodinâmico pela Segunda Lei

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural 5


As Propriedades
Termodinâmicas e o
Estado
5.As Propriedades Termodinâmicas e o Estado
5.1.Sistema Compressível Simples
5.2.O Postulado de Estado
5.3.Um Pouco de Cálculo
5.4.As Relações de Maxwell
5.5.A Equação de Estado
5.6.A Energia Interna a Partir da Temperatura e do Volu
5.7.A Entropia a Partir da Temperatura e do Volume
5.8.A Entalpia e a Entropia a Partir da Temperatura e da

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural 6


O Comportamento P,v,T
das Substâncias Puras
6.O Comportamento P, v, T das Substâncias Puras
6.1.O Gás Perfeito
6.2.A Variação da Entalpia, Energia Interna e Entropia p
6.3.Comportamento dos Gases Reais
6.4.Regra dos Estados Correspondentes
6.5.A Energia Interna em Coordenadas Generalizadas
6.6.A Entalpia em Coordenadas Generalizadas
6.7.A Entropia em Coordenadas Generalizadas
6.8.Os Diagramas Generalizados com Lee-Kesler
e Fluidos Simples
6.9.O Fator Acêntrico de Pitzer

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural 7


O Comportamento P,v,T:
Superfície P-v-T para a Água

Superfíc
ie P-v-T
para a
Água

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural 8


O Comportamento P,v,T:
Diagrama PV para o O2
Diagrama PV para
o O2

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural 9


O Comportamento P,v,T:
Diagrama de Fases da Água

Diagram
a de
Fases da
Água

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural10


O Comportamento P,v,T:
Diagrama de Fases do CO2
Diagrama de Fases
do CO2

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural11


O Comportamento P,v,T:
Percentagem de Erro...

Percentage
m de Erro
ao Aplicar
Gás
Perfeito ao
Vapor de
Água

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural12


O Comportamento P,v,T:
Compressibilidade do CO2
Compressibilidade
do CO2

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural13


O Comportamento P,v,T:
van der Waals para CO2
Equação de van der Waals
para CO2

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural14


O Comportamento P,v,T:
Regra dos Estados
Correspondentes
Regra dos Estados Correspondentes

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural15


O Comportamento P,v,T:
Z para Fluidos Simples

Carta
Generaliz
ada de Z
para
Fluidos
Simples

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural16


O Comportamento P,v,T:
Fator Acêntrico de Pitzer
Curvas de Pressão de
Vapor

w = -1 -
log10 (PrSAT )

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural17


Misturas Homogêneas
Não Reativas
7.Misturas Homogêneas de Substâncias Puras
7.1.Propriedades Molares Parciais
7.2.Mais do que Uma Questão de Nomenclatura
7.3.As Misturas Homogêneas Quaisquer
7.4.As Soluções Ideais
7.5.Retomando o Exemplo
7.6.As Misturas de Gases Perfeitos
7.7.Revisitando
o Exemplo Usando Mistura de Gases Perfeitos
7.8.As Pseudo-Substâncias Puras
7.9.O Nosso Exemplo Usando Pseudo-Substância Pura

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural18


Misturas Homogêneas
Reativas

8.Misturas Homogêneas Reativas


8.1.Uma Questão de Massa
8.2.O Grau de Reação
8.3.A Base da Entalpia de Formação
8.4.Revendo o Exemplo agora com Reações Químicas
8.5.A Base da Entropia Absoluta
8.6.A Produção Irreversível de Entropia no Nosso
Exemplo

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural19


Misturas Heterogêneas:
Equilíbrio de Fases
9.Misturas Heterogêneas: Equilíbrio de Fases
9.1.A Regra das Fases de Gibbs
9.2.A Relação de Clausius-Clapeyron
9.3.O Sistema Binário Bifásico
9.4.A Fugacidade de Substâncias Puras
9.5.A Fugacidade de Misturas Homogêneas
9.6.A Fugacidade no Equilíbrio de Fases
9.7.O Modelo de Solução Ideal para o Equilíbrio
9.8.O Modelo Regra de Raoult-Gás Perfeito

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural20


Misturas Heterogêneas:
Equilíbrio V-L Heptano-Pentano
Equilíbrio V-L Heptano-Pentano com
Peng-Robinson

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural21


Misturas Heterogêneas:
Mistura Binária Bifásica L-V
Mistura Binária
Bifásica L-V

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural22


Misturas Heterogêneas:
L-V para Metano-Etano
Diagrama de Fases L-V para
Metano-Etano

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural23


Misturas Heterogêneas:
Fugacidades de 1 e 2 na
mistura a T,P
Fugacidades de cada componente
na mistura de dois líquidos a T e
P

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural24


Misturas Heterogêneas:
Exemplo: Processo de
Liquefação
Exemplo: Processo de Liquefação de Linde
para gás natural

60 bar Pré-
Resfriador
Compressor 295K 300K
298K 1 bar
Trocador de
Calor

Tanque Estrangulame
de nto
Flash

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural25


Termodinâmica dos
Processos

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural26


Introdução aos Ciclos
Termodinâmicos

10.Introdução aos Ciclos Termodinâmicos


10.1.Ciclo de Rankine
10.2.Ciclo de Refrigeração por Compressão de
Vapor
10.3.Ciclos Padrão de Ar de Otto, Diesel e Stirling
10.4.Ciclo Padrão de Ar de Brayton de Turbina a
Gás
10.5.Ciclos Mistos

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural27


Introdução aos Ciclos:
Rankine Simples
Ciclo de Rankine
Simples

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural28


Introdução aos Ciclos:
Rankine com Regeneração
Ciclo de Rankine com Regeneração

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural29


Introdução aos Ciclos:
Ciclo de Refrigeração
3 condenser 2 Ciclo de
Refrigeração
expansion compressor
valve
evaporator WC
4 1
22
T
T 2'2'
33

44 1'1' 11

18/11/09 aa Curso de Especialização


b'b' em Tecnologias
bb
s
do Gás Natural30
s
Introdução aos Ciclos:
O Ciclo Padrão de Ar de Otto
O Ciclo Padrão de Ar de
Otto

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural31


Introdução aos Ciclos:
O Ciclo Padrão de Ar de Diesel
P 3' O Ciclo de Diesel
QH 3 3'' s=const
2
4'
4
1 QL
v

T P=const 3'' 3'


v=const 3 4'
2 4
2'
1
18/11/09 Curso de Especialização emb
Tecnologias
c do Gás Natural32
a s
Introdução aos Ciclos:
O Ciclo Padrão de Ar de Stirling
P 3 O Ciclo de Stirling
QH
2 T=const

QL 4
1
v
3 4
T
v=const

2 1 regeneration
18/11/09
a b d s
Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural33
c
Introdução aos Ciclos:
O Ciclo de Brayton Simples
P QH1 1 O Ciclo de Brayton

s=const

1 1
QL
v

T 1'
1''
QH 1
1' p=const
1
1
1
1 '
Q L
18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias
s
do Gás Natural34
Introdução aos Ciclos:
Brayton com Inter-Resf,
Reaquec e Regen

O Ciclo de
Brayton com
Inter-
Resfriamento,
Reaquecimento
e Regeneração
18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural35
Introdução aos Ciclos:
Motor a Turbojato
Motor a
Turbojato

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural36


Introdução aos Ciclos:
Ciclos de Refrigeração em
Cascata
Ciclos de
Refrigeraç
ão em
Cascata

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural37


Introdução aos Ciclos:
Refrigeração por Absorção

Ciclo de
Refrigeraç
ão por
Absorção

18/11/09 Curso de Especialização em Tecnologias do Gás Natural38


Não é o Fim!
Espero que todos tenham se
divertido e aprendido a
respeitar e a gostar da
Termodinâmica...