Você está na página 1de 13

MEDICINA LEGAL

Reconhecimento e identificação .......... 8 ENERGIA MECÂNICA ..................... 13


MEDICINA LEGAL ............................ 6 Identificação médico-legal ................... 8 Lesões perfurocortantes ................ 14
DEFINIÇÃO ........................................ 6 Lesão cortante ............................... 14
ODONTOLOGIA FORENSE ............10
CATEGORIAS .................................... 6 Lesão contundente ......................... 15
Identificação pelos dentes .............11 Feridas contusas ................................. 15
Medicina legal especial .................. 6
HISTÓRIA ........................................... 6 Palatoscopia ..................................11 ENERGIAS DE ORDEM
Período antigo ................................ 6 QUÍMICAS ................................. 15
DACTILOSCOPIA..............................11
Período romano .............................. 6 Cáustica ........................................ 15
Idade média .................................... 6 Icnofalangometria .........................12 Venenos ......................................... 16
Período canônico (1200-1600 Impressões digitais ........................12 Envenenamento .................................. 16
d.C) ........................................... 6 Papilograma ..................................12 LESÕES CORPORAL........................ 16
Período moderno ............................ 6 GENÉTICA FORENSE ......................12 TANATOLOGIA FORENSE ............. 16
ANTROPOLOGIA FORENSE ........... 7
TANATOLOGIA FORENSE .............13 MODALIDADE DE MORTE ............ 17
INDENTIDADE E
Autopsia médico-legal ...................13
IDENTIFICAÇÃO ........................ 7 Técnica de autopsia .......................13
Identidade ....................................... 7
Identificação ................................... 7 TRAUMATOLOGIA ..........................13

5
MEDICINA LEGAL HISTÓRIA
DEFINIÇÃO Divide-se em cinco períodos: antigo, romano,
É o elo entre as ciências médico-forense e o idade média, canônica e o científico.
direito, ensina o futuro operador do direito a usar-
se de meios periciais para solucionar conflitos Período antigo
jurídicos. Também pode ser definida como um Havia apenas pequenos traços da medicina legal,
conjunto de conhecimentos médicos usados no relativos principalmente à virgindade, a violação,
âmbito do direito, cooperando na elaboração, ao homicídio, as lesões corporais e aos problemas
auxiliando na interpretação e colaborando na de ordem moral. Neste momento a lei participava
execução dos dispositivos legais. Ela tem como da religião.
objetivo contribuir do ponto de vista médico para
elaboração, interpretação e aplicação das leis. Período romano
Os imperadores julgavam coisas relacionadas ao
CATEGORIAS estado civil e aos problemas de ordem moral. Eles
Medicina legal especial usavam o bom senso no tratamento das questões
Apresenta uma subdivisão muito grande, a saber: que exigiam o concurso de alguém melhor
 Traumatologia médico-legal: Trata das orientado. Na fase anterior a reforma de
lesões corporais sob ponto de vista jurídico e Justiniano, a lei atribuída à Numa Pompilio
das energias causadoras do dano; prescrevia a histerotomia na morte da mulher
 Sexologia médico-legal: vê a sexualidade grávida.
sob ponto de vista normal, anormal e
criminoso.Trata da erotologia, himenologia, e Idade média
obstetrícia forense, analisando a sexualidade Houve nesse período uma contribuição mais direta
em seu tríplice aspecto quanto aos efeitos do médico ao direito. Esse período foi marcado,
sociais; normalmente, patologia e criminologia. portanto, pelos capilares de Carlos Magno, que
 Tanatologia forense: estudo da morte e do estabelece que os julgamentos devam apoiar-se
morto, o diagnóstico, a data, se foi morte no parecer médico.
súbita ou agônica, a necropsia médico-legal, a
exumação e o embalsamento, a causa jurídica Período canônico (1200-1600 d.C)
da morte e as lesões pós-morte. Nesse período foi restabelecido o concurso das
 Pisfixiologia médico-legal: detalham pericias médico-legais, como se depende da bula
aspectos das asfixias de origem violentas, do papa Inocêncio III, em 1219, que trata dos
como esganadura, enforcamento, afogamento, ferimentos em juízo como revestimento de
estrangulamento, soterramento, etc. Analisa as habitualização. Em 1521 o papa leão X foi
formas acidentais ou criminosas, homicídios e necropsiado por haver suspeita de
autocídios, das asfixias, sob o prisma a médico envenenamento.
e jurídico.
 Psiquiatria médico-legal: estuda os Período moderno
transtornos mentais e problemas da Inicia em 1602, em Palermo na Itália, a publicação
capacidade civil, do ponto de vista médico- de Fortunato Fidelis.
forense. Estudo da vontade, das doenças
mentais.
 Infortunística: estuda os acidentes e doenças
de trabalhos, não apenas aos que refere à
perícia, mas também à higiene e a
insalubridade laborativa.
 Antropologia forense: Estudo da identidade e
identificação, Como a datiloscopia,
papiloscopia, iridologia, exame de DNA,
etc.Estabelece critérios para determinação e
individualização da identidade de um
esqueleto, fragmento ou pessoa.
 Toxicologia: Estudo das substâncias cáustica,
venenosa e tóxicas, efeitos das mesmas nos
organismos.
 Crime forense: Estudo de materiais como
tintura, vidros, solos, metais, plásticos,
explosivos e derivados do petróleo.

6
PERÍCIAS MEDICO-LEGAIS deixou vestígios, ou quando houver dúvida no que
Conceito concerne ao estado mental do acusado ou quando
Todo procedimento médico promovido por for admissível e tempestivamente requerido, não
autoridade policial ou judiciária, praticado por se obriga ao juiz determinar a realização do
profissional de medicina visando prestar exame pericial.
esclarecimento à justiça, chama-se perícia ou
diligência médico-legal.
Perícia é, toda sindicância praticada por médico,
objetivando esclarecer à justiça os fatos de
natureza específica e caráter permanente, em
cumprimento a determinação de autoridades
competentes.
A autoridade policial ou judicial recorrerá ao
profissional de medicina ou, onde os houver, ao
perito médico-legal ou legista toda vez que numa
ação penal ou civil lhe deva ser esclarecido um
fato médico.
Sobre as pessoas, as perícias visam determinar
a identidade, a idade, a raça, o sexo, a altura;
diagnosticar prenhes, parto e puerpério, lesão
corporal, sóciopatias, estupro e doenças
venéreas; determinação exclusão da paternidade,
doença e retardamento mental, simulação de
loucura, investigar ainda, envenenamento e
intoxicações, doenças profissionais e acidentes de
trabalho. Nos cadáveres objetiva diagnosticar a
realidade, a causa jurídica, o tempo da morte, a
identificação do morto; diferenciar exames
toxicológicos das vísceras do morto; proceder à
exumação; extrair projéteis. Nos objetos e
instrumentos têm por finalidade a pesquisa de
pelos, levantamento de impressões digitais,
exames de armas e projeteis e caracterização de
agentes vulnerantes e de manchas de salivas,
colostro, esperma, sangue, líquido amniótico e ANTROPOLOGIA FORENSE
urina nos panos, móveis e utensílios. É a aplicação prática ao direito de um conjunto de
As perícias médico-legais se procedem mediante conhecimentos da antropologia geral visando
exames medico psicológicos, necropsia, questões relativas à identidade médico-legal e à
exumação e de laboratório. identidade judiciária ou policial.
As autoridades podem requisitar perícias ao foro
criminal para exame da vítima, do indiciado, das INDENTIDADE E IDENTIFICAÇÃO
testemunhas ou de jurados e do local do crime; ao Identidade
foro criminal para exame da vítima, do indiciado, É a soma de caracteres que individualizam uma
das testemunhas ou de jurado e do local do crime; pessoa ou uma coisa, distinguindo das demais,
ao foro civil, para exame da vítima, do indiciado ao ou, uma série de atributos que tornam alguém ou
foro civil, para exames físicos e mentais, de erro alguma coisa igual apenas a si próprio.
essencial e avaliação da capacidade civil, a  Identidade objetiva: Permite afirmar
existência de nexos, de incapacidade, de tecnicamente que uma determinada pessoa é
insalubridade, indenização etc. ela mesma, por apresentar um elenco de
O exame de corpo de delito pode ser solicitado, elemento, positivos e perenes;
diretamente ao perito pela autoridade militar onde  Identidade subjetiva: Sensação que cada
o fato ocorreu, nunca, porém, pelo advogado indivíduo tem de que foi e será ela mesma a
procurador da parte interessada. consciência de sua própria identidade (seu eu).
No processo penal é a perícia médico-legal Questão ligada à estrutura de personalidade.
amiúde realizada na fase policial, logo que o
delegado de policia tiver conhecimento da prática Identificação
da infração delituosa, ou até a conclusão do É o processo pelo qual se determina a identidade
inquérito, nada obstando, todavia, a sua efetuação de uma pessoa ou de uma coisa, a um conjunto
durante a instrução criminal, mandada realizar de diligência cuja finalidade é levantar uma
pelo juiz a quo, exempligratia, na suposição de identidade. Conjunto de diligência para se levantar
exames de insanidade mental. salvo um crime que
7
uma, identidade os processos de identificação  Classificabilidade: é a condição que torna
podem efetivar-se no vivo, morto e esqueleto. possível guardar e achar, quando preciso, os
Em qualquer perícia dessa natureza sua técnica é conjuntos de caracteres que são próprios e
realizada em três fases: identificadores das pessoas isto é, a
1. Um primeiro registro, em que se dispõe de possibilidade de classificação para facilitar o
características imutáveis dos indivíduos, e que arquivamento e a rapidez de localização em
possa distingui-lo dos outros; arquivos.
2. Um segundo registro dos mesmos caracteres, A identificação do esqueleto fundamenta-se numa
feito posteriormente, na medida em que se criteriosa investigação da espécie, da raça, da
deseja uma comparação; idade do sexo, da estatura e, das características
3. A identificação propriamente dita, em que se individuais.
comparam os dois primeiros registros,
negando ou afirmando a identidade.
Usamos dois processos na identificação:
1. Um médico (requer conhecimentos de
medicina e outras ciências relacionadas);
2. Um policial (diz respeito à Antropometria e à
dactiloscópia).

Reconhecimento e identificação
Reconhecimento é a identificação empírica. O
reconhecimento significa apenas o ato de
certificar-se, conhecer de novo, admitir como certo
ou afirmar conhecer. É a afirmação de um
conhecido, sobre alguém que se diz conhecer ou
de sua convivência.
Identificação é o reconhecimento cientifico. A
identificação é um conjunto de meios científicos,
ou técnicas específicas usadas para que se
obtenha uma identidade. É um procedimento
médico-legal cuja finalidade é afirmar efetivamente
por meio de elementos antropológicos ou
Identificação médico-legal
antropométricos que aquele indivíduo é ele
mesmo e não outro. Neste processo de identificação, exigem-se
 Tipos de identificação: Médico odonto-legal conhecimento e técnicas médico-legais, e
(antropologia) e judiciário entendimento de suas ciências acessórias. Pode
(policial).Identificação física:Espécie, ser feita no vivo, o cadaver inteiro i espostosado,
cicatrizes, raça, tatuagens, sexo, sinais ou reduzdo a fragmentos ou simples ossos.
profissionais, idade, sinais individuais, estatua, Examinaremos a raça, o sexo, a estatura, a idade,
biótipo, e má formação.
a identificação, pelos dentes, peso e conformação,
 Identificação funcional: Altura, mímica, gesto,
as más-formações, os sinais profissionais, as
andar funções sensoriais e voz.
 Identificação psíquica: Baseado nas cicatrizes, tipos sanguíneos, tatuagens etc.
atividades psíquicas desde a infância até a A identificação médico-legal pode ser efetuada
velhice, nesta inclui: Feitio de personalidade, quando à:
traços de personalidade, temperamento e Espécie: quando se encontra um animal, vivo ou
inteligência. morto, com configuração normal, a identificação
Para que um processo de identificação seja se apresenta como tarefa facil. As vezes, podem-
aplicável, ele deve preencher cinco requisitos
se surpreender fragmentados ou partes do corpo.
técnicos elementares:
 Imutabilidade: condição de inalterabilidade Este estudo pode ser levado a efeitos nos
dos caracteres por toda a existência, ou seja, seguintes elementos:
são caracteres que não mudam com o passar Ossos: A distinção entre os ossos de animais e
do tempo; do homem é feito de inicio, morfologicamente,
 Perenidade: é a capacidade de pelo exame de suas dimensões e caracteres que
inalterabilidade dos caracteres por toda a os tornam diferentes. Microscopicamente, a
existência, ou seja, são caracteres que não
diferença é dada pela análise das disposições do
mudam com o passar do tempo;
 Praticabilidade: é a condição que torna o tamanho dos canais de Havers, que são em
processo aplicável na rotina pericial;
8
menor número e mais largos no homem, nos c. Nósion (ponto nasal): situado no centro da
animais estreitos, redondos e mais numerosos. articulação nasofrontal;
d. Ponto subnasal ou espinal: situado no
1. Raça: tipos etnicos fundamentais; Otto Lengi centro virtual da espinha nasal anterior;
classifica em cinco os tipos étnicos e. Glabela: protuberancia frontal entre as
fundamentais: cristas superciliares;
 Tipo caucástico: pele branca, cabelo liso ou f. Bregma: ponto de convergencia das suturas
crespo, louros ou castanhos, iris azuis ou sagital, metópica e coronaria;
castanhas, contorno cranio facial anterios g. Obelion: ocupa a altura dos buracos
ovoide de poligonal perfil facial ortognota e parietais;
ligeiramente prognória. h. Lambda: ponto de junção da sutura
 Tipos mongolicos: pele amarela, cabelos lambdoide com sagital;
lisos, face achatada de diante para trás, fronte i. Inion: situado na base da protuberancia
larga e baixa, espaço interorbital largo, ocipital externa;
maxilares pequenos e muito saliente. j. metalambida: situado no centro mais
 Tipos negróides: pele negra cabelos crespos, posterior do cranio;
em tufos, crânio pequeno, perfil facial k. Opistion: situado na margem posterior do
prognata; fronte alta e saliente, irís castanhas, forame occipital;
nariz pequena largo e achatado, perfil côncavo l. Basion: situado no ponto da borda anterior
e curto, narizas espessas e afastadas, vísiveis do buraco occipital;
de frente e circulares. Os pontos anatomicos laterais e pares de
 Tipo indiano: não se afigura como um tipo importanci são:
racial definido, estatura alta, pele amarela-
trigueiro, tem dente ao avermelhado, cabelo
pretos, lisos, espessos orielhas pequenas,
nariz saliente, estreito e longo, barba escassa,
fronte vertical, zigomas saliente e largos.

 Tipo australoide: estatura alta, pele trigueira,


cabelos pretos, ondulados e longos. Fronte
estreia, zigoma proeminente, nariz curto com
narinas afastadas. Prognotismo, maxilar e
alvelos. Dentes fortes, maxilares
desenvolvidos, cinturas escapular larga e bacia
PERÍCIA
estreita. é todo o procedimento médico realizado por
autoridade policial ou judiciária, pratico por
Para a caracterização da raça tem valor exame profissional da medicina, para prestar
dos seguintes elementos: esclarecimentos a justiça, chama-se pericia. a
1. Forma do crânio: o exame detalhado dos pericia é toda sindicância pradicada por médicos,
contornos verticais, anterior, posterior e objetivando esclarecer à justiça os fatos de
natureza especifica e caráter permanente, em
laterais enseja figuras geométricas aplicaveis a
cumprimento à determinação de autoridades
varias formas do casco. competentes. a autoridade policial ou judicial de
2. indices cefalicos: antes de estuda-los autoridades competendes. a autoridade policial ou
convem conhecermos os pontos anatomicos judicial recorrerá ao profissional de medicina, ou,
craniométricos usados nas suas deteminaões: onde os houver, ao perido médico-legal ou legista,
a. Gnation: situado entre os forames toda vez que numa ação penal ou civil lhe dará
mentonianos bilaterais,na parte mais anterior esclarecido um fato médico.
sobre as pessoas, as pericias visam determinar a
e inferior do mento ósseo;
identidade, a idade, raça, o sexo, a altura,
b. Prostion (ponto alveolar): situado no dignóstico prenhez, parto e puerpério, lesão
rebordo alveolar dos dentes incisivos corporal, sociopatia, estupro e doenças veneras;
centrais superiores; determinar exclusão da paternidade, doença e
retardamento mental, simulação de loucura,
9
investigar envenenamento e intoxicação, doenças
profissionais e acidentes de trabalho.
nos cadaveres objetivando diagnósticar a
realidade, a causa juridica, o tempo da morte, a
identidade do morto, diferenciar as lesões intra
vitam e post mortem; realizar exames
toxicológicos das viceres do morto; proceder à
exumação, extrair projeteis.
nos objetos e instrumentos têm o objetivo de
pesquisas pelos, levantar impressões digitais,
exames de armas, e projeteis e caracterizadas de
agetes vulnerantes de manchas de saliva,
colostro, esperma, sangue, líquido aminiótico e
urinanos paos, móveis e utensilos.

ODONTOLOGIA FORENSE
Deste a antiguidade o homem busca melhores
formas de confirmação de identificação de seus
mortos, e com isso desenvolveu técnicas de
identificação ``post-mortem´´ procurando as mais
variadas formas de facilitar a individualização de
certas característicasque confirma quem é certo
indivíduo.
A identificação odonto-legal se faz de forma
comparativa, sendo importante a documentação
10
odontológica ante-mortem, o que auxiliara na palatinas transversais encontradas na abóbada da
identificação através do confronto entre os boca. Consiste na reprodução que a impressão
procedimentos realizados pelo dentista, onde deixa nas saliências existentes no palato, que são
qualquer característica vai ser de grande facetas imutáveis.
importância, como tratamento endodônticos, A impressão palarina e feita na ficha palatoscópica
proteases, anomalias dentárias, e também com uso de material plastiforme, que aderindo a
restaurações pela sua grande resistência até toda a mucosa palatina, emite vestígio registrado
mesma a grandes temperaturas. nas respectiva ficha. De acordo com a disposição
Em se tratando de uma ossada, podem se estudar dessas rugas, chamadas inicial, complementar,
os arcos superiores e inferiores, separadamente. subinicial ou subcomplementar. Recebem elas a
Já quando se trata de um cadáver fresco, designação de números e letras e, depois de
completo ou cabeça decepada, deveremos impressa em material próprio, de acordo com cada
proceder à retirada do arco maxilar e do arco fórmula, terão seu destino em ficha para
mandibular, para facilitar o manuseio, obtendo a arquivamento.
informação dental, inclusive permitir a tomada de
radiografia.

Identificação pelos dentes


É algo relevante, principalmente em se tratando
de carbonizados ou esqueléticos. Para tanto, é
preciso dispor de uma ficha dentária anterior
fornecida pelo dentista da vítima. A posição e as
características de cada dente, a ausência recente
ou antiga de uma ou várias peças. Os detalhes de
cada restauração, a condição dos dentes no que
diz respeito a cor, erosão, limpeza e má-formação,
tudo é importante no processo de identificação.
Esse processo é conhecido como sistema
odontológico de Amoeda, que tem como
estratégia o levantamento completo do arco
dentário e os assinalamentos de cada peça
dentária, formando um conjunto individualizador.
Entre as alterações dentárias significativas para
registro numa identificação, destacam-se as
alterações adquiridas pelos agente mecânicos,
químicos, físico e biológicos. Entre eles, temos os
desgastes dos dentes dos fumadores de
cachimbo. As mutilações como extrações,
fraturas, cortes, limagem e incrustações são
também, importantes.
Os arcos dentários são elementos importantes na
identificação dentária em vítimas ou autores, nas
lesões apresentadas por dentadas. A diferença
entre o arco superior e o inferior é feita através do
estudo da oclusão, que é o estudo em que se
encontram os dentes quando os maxilares
superior e inferior estão fechados. O raio de
curvatura do arco superior é maior do que o
inferior.
Outros elementos considerados são os pontos DACTILOSCOPIA
incisivos e a relação de inclinação dos molares.No Ciência que trata da identificação humana através
entanto, o que tem interesse médico-legal não é o das papilas dérmicas existentes na palma das
aspecto teórico ou geométrico dos arcos mãos e na sola dos pés, mais conhecida pelo
dentários, não é difícil a identificação de um estudo das impressões digitais.
indivíduo por meio das impressões dentárias O interesse do ser humano pelas impressões
deixadas no corpo da vítima ou mesmo no digitais já vem da pré-história. Na Escócia há um
agressor. desenho que mostra uma mão com uma digital em
espiral feito por nativos pré-históricos.
Palatoscopia Há registro de placas de cerâmicas retiradas de
É o processo pelo qual pode-se obter a uma cidade soterrada no Turquestão, com os
identificação humana, inspecionando as pregas seguintes dizeres: ambas as partes concordam
11
com estes termos que são justos e claros e afixam putrefação. As cristas papilares estão separadas
as impressões dos dedos que são marcas uma das outras pelos sulcos interpapilares, numa
inconfundíveis. distância de dois a sete décimo de milímetros.
Apesar da difusão do uso da impressão digital
como ferramenta individualizadora, não havia até Papilograma
então uma aplicação cientifica do seu uso para As impressões formadas pelas papilas dérmicas
identificação humana. dá-se o nome de papilograma, onde as linhas
Antes dos cientistas forenses se interessarem por negras são formadas pelas cristas papilares e os
impressões digitais para identificação humana, as espaços em brancos formados pelos sucos
sociedades de todas as eras tinham reconhecido a interpapilares.Numa impressão papilar há
necessidade de estigmatizaros criminosos. particularidades anatômicas congênitas que variam
Os métodos antigos consistiam em marcar com na sua apresentação, formato, dimensão,
ferros em brasa, esses métodos sumiram da localização e direção. Essas características
maioria dos países na primeira metade do séc. 18 sãochamadas pontos característicos, que
quando a civilização desenvolveu um sistema de diferenciam e individualizam cada impressão.Os
leis criminais e uma maior importância do dedos apresentam duas faces; palmar e dorsal
indivíduo na sociedade. Em casos de reincidência além dos bordos externo, interno e distal.A
o castigo aplicado era mais severo, o delinquente datiloscopia estuda as papilas localizadas na
buscava esconder suas ofensas passadas falangeta ou falange distal, as quais formam
assumindo nova identidade, e como não havia desenhos distintos que permite sua classificação e
nenhuma forma de identificação, os criminosos se arquivamento.A impressão digital é dividida em
livravam facilmente. três regiões ou grupos de linhas:
A comunidade de execução de leis virou sua Delta: é a figura em forma de triângulo, formada no
atenção para este problema, e um novo método encontro das três regiões, marginal, nuclear e
precisava ser criado. O primeiro método de basal, e o prolongamento imaginário de seus
identificação muito aceito foi desenvolvido pelo braços forma as linhas diretrizes que define a
francês Alphonse Bertilon em 1897, a divisão de cada uma das regiões ou grupos de
Antropometria que confiava numa combinação de linhas, sua função é definir o tipo fundamental da
medidas físicas coletadas por procedimentos impressão digital dando também referência para
cuidadosamente prescritos. contagem das linhas, onde uma linha imaginária é
No sistema havia três fichas para classificação apoiada no primeiro ponto característico logo a
que formavam 9 grupos subdivididos em 3 frente do delta.
subgrupos resultando 27 categorias. Regiãobasal: localizada entre a prega
Inicialmente se formavam dois grandes grupos, interfalângea e o ramo inferior das linhas diretrizes,
segundo o sexo e a idades das pessoas. O e suas linhas seguem de um lado ao outro do dedo
terceiro grupo formado pela dimensão média da maior ou menor paralelas.
cabeça.A Antropometria apresentou uma falha Região do núcleo: localiza-se entre os ramos
que a conduziu ao abandono como ferramenta de inferior e superior das linhas, juntamente com a
identificação. Vários casos de identidade posição em que se encontra o delta, determina o
enganados provaram que havia certas tipo e subtipo da impressão digital.
característicasfísicas comuns que pareciam ser Região marginal: localiza-se acima do ramo
idênticas dentro dos limites de precisão do superior das linhas diretrizes até a base da unha e
sistema.Embora algumas agências continuaram a suas linhas seguem de um lado ao outro do dedo
usar o sistema de Bertillon até os anos 30, a mais ou menos paralelas tomando uma forma
impressão digital era o sistema de identificação do abalada.
futuro. GENÉTICA FORENSE
Icnofalangometria O DNA é o código de muitos organismos. O DNA
Juan Vucetich Kovacetch, austro-húngaro, humano e de muitos outros organismos como
naturalizado argentino. Aos 24 anos ingressou na gatos, cães, ovelhas, tigres, cavalos, plantas, e
polícia de La-PlataBuenos Aires. Ele foi incumbido bactérias tem sido usados em aplicações
de trabalhar no setor de identificação de La-Plata, forenses. Uma pequena porção do DNA de cada
ainda no sistema de Bertillonage. Após saber de célula está localizada nas mitocôndrias. Este DNA
Galton, inventou o seu método de arquivamento e mitocondrial é herdado por mecanismos diferentes
identificação através das impressões digitais e é tratado de forma diferente no contexto forense.
dando-lhe o nome de icnofalangometria. Acredita-se que todos os humanos, exceto os
gêmeos idênticos, diferem em seu DNA nuclear.
Impressões digitais Não há uma prova formal deste conceito de
As papilas dérmicas são formadas por cristas unicidade, contudo isto tem pouca influência nos
papilares e sulcos interpapilares, e se formam trabalhos forenses porque somente algumas
entre seis e oito semanas antes do nascimento, poucas regiões ou loci do genoma humano são
permanecendo imutáveis, por toda a vida, até a examinadas.
12
As áreas do genoma humano usados para os corte de forma individualizada com registro dos
perfis de DNA sãoíntrônicas. Isto significa que elas achados relevantes.
são segmentos de DNA que não codificam para Caso seja justificado, proceder-se à coleta de
proteínas, distribuídas entre áreas do DNA que fluído corporais ou vísceras e seus conteúdos
codificam para proteínas. para a realização de exames complementares.
Elas são consideradas não funcionais, entretanto, Por fim, as vísceras serão introduzidas novamente
acumulam-se evidencias de que estas regiões de no interior das cavidades torácicas e abdominal e
DNA podem, ter uma função. encerradas todas as incisões que forem
necessárias realizar.
TANATOLOGIA FORENSE
É a parte da medicina legal que estuda a morte e
o morto, e suas repercussão na esfera jurídica
social. A morte é a parada total e irreversível das
atividade encefálicas. Tanatologia forense vem do
grego Tanathos (morte) + logia (estudo).
Tanatologia é o estudo da morte. Partindo do
exame do local, da informação sobre as
circunstancia da morte, e atendendo aos dados do
exame necroscópico, procura estabelecer a
identificação do cadáver, o mecanismo da morte,
a causa da morte e o diagnóstico diferencial
médico-legal.
A morte pode ser definida como a cessação total e
permanente das funções vitais; numa perspectiva
médico-legal este processo vai-se arrastar no
tempo e dá lugar ao aparecimento de um conjunto
de fenômenosque são objetos de estudos, de
interpretação e que muitas vezes se revelam
importantes na investigação criminal, os
fenômenos post mortem.

Autopsia médico-legal
Tendo um lugar sempre que haja uma morte
violenta ou sempre que haja uma morte de causa
indeterminada e que pelas circunstâncias em que
ocorre possa levantar suspeita de ter havido a
atuação de um agenteexterno que tenha
provocado a morte. A autopsia pode ser usada
nas delegações do instituto nacional de medicina
legal (INML).

TRAUMATOLOGIA
Estuda as lesões e estados patológicos, imediatos
Técnica de autopsia ou tardios, produzidos por violência sobre o corpo
Deve ser sempre completa, compreende a humano nos seus aspectos do diagnóstico, do
abertura da caixa craniana, da caixa torácica, prognóstico e das suas implicações legais e
cavidade abdominal, por vezes a abertura do socioeconômicas.Trauma é atuação de uma
ráquis e a exploração de quaisquer outros energia externa sobre o indivíduo, que provoque
segmentos corporal desde que isso possa desvio perceptível da normalidade ou apenas
contribuir para o complemento dos objetivos da alterar o funcionamento do organismo.
autopsia. A convivência no meio ambiente pode causar ao
As incisões das partes moles e a abertura das homem as mais variadas formas de lesões
estruturas ósseas destinam-se a permitir a produzidas por alguns tipos de energia.
observação in loco dos diferentes órgãos e
sistemas, registrar as suas alterações ENERGIA MECÂNICA
morfológicas, patológicas ou traumáticas, permitir São aquelas capazes de modificar o estado de
tambéma sua retirada e posterior observação e repouso ou de movimento de um corpo,

13
produzindo lesões em parte ou no todo. Os meios atuam por percussão ou pressão, afastando as
mecânicos causadores do dano vão deste as fibras do tecido e, raramente seccionando-as.
armas propriamente ditas (punhais, revolveres, As lesões derivadas desse tipo de ação são
saqueiras), armas eventuais (faca, navalha, foice, chamadas ferimentos punctiformes ou punctórias,
facão, machado, armas naturais (punhos, pés, pela sua exteriorização em forma de ponto, têm
dentes), até os mais diversos meios imagináveis como característica a abertura estreita; são de
(máquinas, animais, veículos, queda, explosões, raro sangramento, de pouca nocividade na
precipitações). superfície e, de grande gravidade na
As lesões causadas por ação mecânica podem ter profundidade, em face desse ou daquele órgão
suas repercussões externa ou internamente. atingido; e quase sempre de menor diâmetro que
Podem ter como resultado o impacto de um objeto o do instrumento causador, graças à elasticidade
em movimento contra o corpo humano parado, ou e à retratilidade dos tecidos cutâneos.
o instrumento encontrar-se imóvel e o corpo O trajeto dessas feridas é representado por um
humano em movimento, ou finalmente os dois se túnel estreito que se continua pelo tecido lesado,
acharem em movimento indo um contra o outro. representado no cadáver por uma linha escura.O
Esses meios atuam por pressão, percussão, ferimento de saída, quando isso ocorre, é em
tração, torção, compressão, explosão geral mais irregular e de menor diâmetro que o de
deslizamento e contra-choque. De conformidade entrada, em face do instrumento atuar nessa frase
com as características que imprimem às lesões, através de sua parte mais afilada.
os meios mecânicos classificam-se em: As feridas produzidas por instrumentos
 Perfurantes; perfurocortantes de médio calibre, de acordo com
 Cortantes; a região atingida, tomam as seguintes direções:
 Contundentes; Pescoço: linha média- no sentido do músculo
 Perfurocortantes; hioideo;
 Perfurocontundentes; Face lateral no sentido do músculo
 Cortocontudentes. esternocleitomastóideo.
As energias vulnerantes podem ser de três Tórax: face anterolateral: no sentido dos feixes do
ordens: músculo peitoral;
 Físicas: mecânicas, barométrica, térmica, Face maior ou no sentido do músculo serrátil
elétricas e radiante; maior;
Face posterior: no sentido do músculo romboide.
 Química: cáustica, venenos;
Abdômen: linha média: no sentido dos músculos
 Físico-química: asfixias.
retos abdominais;
Quando uma forma de energia entra em contato
Face Antero lateral: no sentido dos feixes do
com o corpo, no ponto em que ocorre a
músculo oblíquo maior;
transferência de energia para o corpo, produzem-
Face posterior: no sentido do músculo trapézio.
se ainda, modificações das atividades ou funções.
Abdômen: linha média:
Alteração morfológica ou funcional do corpo no
local em que ocorre uma transferência de energia
é o que se denomina lesão. Energias lesivas é
qualquer forma de energia capaz de provocar
lesões.
Lesão cortante
Os meios ou instrumentos de ação cortantes
agem através de um gume mais ou menos afiado,
Agentes mecânicos:
por um mecanismo de deslizamento sobre os
Ação: agem por contato e diretamente sobre a
tecidos e, em sentido linear. A navalha, a lâmina
superfície atingida, atuando por:
de barbear e o bisturi são exemplos de agentes
 Pressão; produtores dessas ações;
 Pressão e deslizamento; As feridas, são chamadas de feridas cortantes. A
 Choque, acompanhamento ou não de incisão cirúrgica começa e termina numa mesma
deslizamento. profundidade, que se estende de um extremo a
Daí os três tipos de lesão simples: outro, nas feridas cortantes, as extremidades são
 Puctória; mais superficiais e a parte mediana mais
 Incisa; profunda. São também conhecidas como feridas
 Contusa. fusiformes.Essas feridas diferenciam-se das
As lesões serão estudadas pelo modo de ação demais lesões pelas seguintes características:
dos instrumentos.  Forma linear;
 Regularidade das bordas;
Lesões perfurocortantes  Regularidade do fundo da lesão.
Como exemplo temos os estiletes, a savela, a A forma linear da ferida é devida à ação cortante
agulha, o florete e o furador, os quais sempre por deslizamento, principalmente quando um
14
instrumento afiado atua em sentido perpendicular Feridas contusas
à pele. A regularidade da borda das feridas Trata-se de lesões abertas cuja ação contundente
cortantes deve-se ao gume mais ou menos afiado foi capa de vencer a resistência e a elasticidade
do instrumento usado. São geralmente retilíneas dos planos moles. São produzidos por
graças à ação de deslizamento. A regularidade do compressão, pressão, percussão, arrastamento,
fundo da lesão: tem as mesmas explicações explosão e tração.
anteriores, devendo aos gumes afiados dos As feridas contusas apresentam as seguintes
instrumentos usados. Nesse tipo de ferimento, não características:
há vestígio de ação traumática. Em virtude da Formas estreladas, sinuosas ou retilíneas;
ação rápida e deslizante do instrumento e ainda, Bordas irregulares, escoriadas e equimosadas;
pelo fio de gume, que não permite uma forma de Fundo irregular.
pressão mais intensa sobre os tecidos lesados. A forma da ferida contusa é quase sempre
Assim, não se observam escoriações, equimoses sinuosa ou estrelada, e mais raramente retilíneo,
ou infiltração hemorrágica nas bordas ou em volta variando de acordo com a forma do instrumento, a
da ferida. região atingida e a violência da contusão.
Os instrumentos cortantes, agindo por A irregularidade das bordas de feridas contusa e
deslizamento e seguindo uma direção em justificada pela ação brusca da superfície do meio
semicurva ou condicionado pelo braço do ou instrumento causador da agressão.
agressor ou pela curvatura da região ou do O fundo da ferida é sempre irregular pela ação
segmento atingindo, no final do ferimento, e mais evidente dos planos superficiais e seu
apenas na epiderme, uma cauda de escoriação. O irregular mecanismo de agressão.
início do ferimento é mais brusco e mais fundo:
portanto, não pode apresentar-se em forma de
cauda. Ao determinar-se cauda de escoriação,
subentende-se que é a parte final da ação que
provocou a lesão, caracterizada pelo traço
escoriado superficial da epiderme. Esse elemento
tem grande importância no diagnóstico da direção
do ferimento, na diferença entre homicídio e
suicídio, na forma de crime e na posição do
agressor.
Uma questão de suma importância é a ordem das
lesões que se cruzam, como a segunda lesão foi
produzida sobre a primeira, de bordas já
afastadas, captando-se às margens de uma das
feridas, sendo ela a primeira a ser produzida, a
outra não segue um trajeto em linha reta.

ENERGIAS DE ORDEM QUÍMICAS


Lesão contundente Estudam-se todas as substâncias que, por ação
Entre os agentes mecânicos, os instrumento física, química ou biologia, são capazes de,
contundentes são os maiores causadores de entrando em reação com os tecidos vivos, causar
dano. Sua ação é quase sempre produzida por um danos à vida ou à saúde.Podem agir externa
corpo de superfície, e suas lesões mais comuns (caustica) ou internamente (veneno).
se verificam externamente. Agem por pressão,
explosão, deslizamento, percussão, compressão, Cáustica
descompressão, distensão, torção, fricção, por São substâncias que, provocam lesões
contra golpe ou de forma mista. São meios ou tegumentares mais ou menos graves. Essas
instrumentos com superfície plana, a qual atua substâncias podem resultar em efeitos
sobre o corpo humano. coagulantes ou liquefacientes.
A contusão pode ser ativa, passiva ou mista de As de efeitos coagulantes são aquelas que
conformidade com o estado de repouso ou de desidratam os tecidos e lhes causam escoras
movimento do corpo ou do meio contundente. endurecidas e de tonalidade diversa, como,
É ativa a contusão quando apenas o meio ou o exemplo, o nitrato de prata, o acetado de cobre e
instrumento se desloca. É passivo quando só o o cloridrato de zinco.
corpo humano está em movimento com certa As de efeitos liquefaciente produzem escaras
violência. As mistas também são chamadas de bi úmidas, translúcidas, mole e têm como modelo a
convergentes. O resultado de ação desses meios soda, a potassa e aamônia.
ou instrumentos é conhecido por contusão.

15
Venenos objetivo do estudo das lesões corporais é
Veneno é conceituado como qualquer substância caracterização de sua extensão, de sua gravidade
que, introduza pelas mais diversas vias no ou de sua perenidade.
organismo, mesmo homeopaticamente, danifica a Lesão é qualquer alteração ou desordem da
vida ou a saúde. anormalidade, de origem externa e violenta, capaz
Alimentos e medicamentos podem, em algumas de provocar um dano à saúde em decorrência de
situações, ser prejudiciais a vida ou à saúde. Os culpa, dolo, acidente ou autolesão. Ex.: um
elemento de resistência individual que alteram delegado de polícia que raspa arbitrariamente os
maior ou menor ação maléfica do veneno, citem- cabelos de um jovem, sob aspecto patológico, não
se os seguintes, a idade, o sexo, as condições cometeria nenhuma lesão, em medicina-legal,
hepáticas, o estado de repleção do estômago, incorreria em tal, para alguns, isso representa tão
entre outros. Os venenos são classificados em: só constrangimento ilegal.
Quanto ao estado físico: líquido, sólido e gases; Um fato de importância médico-legal é a distinção
Quanto à origem: animal, vegetal, mineral e entre causa e concausa, se um homem agride
sintético; outro, lesando um vaso calibroso, e em
Quando às funções químicas: óxidos, ácido, bases decorrência surge uma grande hemorragia, existe
e sais. neste fato uma perfeita relação de causa e efeito.
Quanto ao uso: doméstico, agrícola, industrial, A causa seria o que leva a resultado imediatos
medicinal, cosmético e venenos propriamente responsáveis por determinadas lesões,
ditos. suscitandosempre, preexistentes ou
O percurso do veneno através do organismo tem supervenientes, suscetíveis de modificar o curso
as seguintes fases: penetração, absorção, natural do resultado, fatores esses que o agente
distribuição, fixação, transformação, eliminação, desconhecia ou não podia evitar.
nitridatização, toxicidade, intolerância, sinergismo
e equivalente tóxico. Classificações
Chama-se nitrização o fenômeno caracterizado As lesões corporais dividem-se em dolosas e
pela elevada resistência orgânica aos efeitos somente as primeiras têm o subsidio de leves,
tóxicos dos venenos, conseguida através da graves e gravíssimos.
ingestão repetida e progressiva de substância de
alto teor venenoso, até alcançar um estágio
resistência não encontrado nas outras pessoas.

TANATOLOGIA FORENSE
Envenenamento É o ramo da medicina legal que se estuda a morte
É o conjunto de elementos caracterizadores da e as consequencias juridicas a elas inerentes. É
morte violenta ou do dano à saúde ocorrida pela teriocamente impossível conceituar a morte. Antes
ação de determinadas substâncias de forma da era dos transplantes de órgãos e teciduos,
acidental, criminosa ou voluntária. aceitava-se a morte como cessar total é
A intoxicação é caracterizada por reações do permanente, num dado instante, das funções
metabolismo interno, de origem acidental e vitais, hoje em dia esse conceito não é mais
estudado juntamente com as energias de ordem aceito. Pensado-se nisso foi criado dois conceitos
bioquímica. distintos de morte:
O veneno é de caráter quase sempre intencional, Cerebral: teoricamente indicada pela cessação da
de origem exógena e rotulado como produzida por atividade elétrica do cérebro, tanto na cortiça
uma energia de ordem química. De acordo com a quanto nas estruturas mais profundas, pela
quantidade, a velocidade da absorção é a persistência de um traçado isoelétrico, plano ou
sensibilidade individual ao veneno ou nulo;
envenenamento, tanto agudo como crônico, e Circulatorio: por parada cardíaca irreversível à
manifestações específica, identificadas por massagem do coração e as demais técnicas
fenômenos da patologia orgânica para cada grupo usadas nessa atividade.
de veneno. Por qualquer uma dessas teorias adotadas, temos
as razões indiscustíveis de morte como a cessão
LESÕES CORPORAL dos fenômenos vitais por parada das funções
Têm o significado médico-jurídico de cerebral respiratória e circulatória, e o surgimento
caracterização, no dolo ou na culpa, um ato ilícito dos fenômenos vitais por parada das funções
contra integridade física ou a saúde da pessoa, cerebral, respiratórias e circulatórias, e o
como proteção da ordem pública e social. O surgimento dos fenômenos abióticos, lentos e
16
progressivos, que lessam irreversivelmente os espaço, presas por um fio prateado a cicatriz
órgãos e tecido. sendo assim, deve-se umbilica, sentido-se como se mortos estivessem.
prudentemente deixar passar um tempo para
afirmar com rigos clinica a realidal, se da morte.
A sociedade Alemã de cirurgia conceitua a morte
como:
A morte cerebral pode produzir-se ante que
cessem os batimentos cardiácos. Considera-se
que o cérebro está morto após doze horas de
inconsciência com ausência de respiração
espontânea, midríase bilateral e
eletroencefalograma isoeletrico, ou quanto o
angiograma revela a parada da circulação
intracraniana (durante 30 minutos). Pode ocorrer
que o coração pare, mas o SNC está intacto ou
com possibilidade recupera-se. Convém-se, iniciar
a ressucitação se os batimentos cardíacos não
reaparecem pode dar-se por morto o paciente, ma
se reaparecerem, sem que se restabeleçam a
consciência ou a respiração, deve seguir-se
aplicando as normas usuais de assintência
intensiva até que possa ser demonstrada à morte
cerebral.

MODALIDADE DE MORTE
Temos varias modade de morte:
Morte anatômica: é o cessamento total e
permanente de todas as grandes funções do
organismo entre e com o meio ambiente.
Morte histológica: não sendo a morte um
momento, compreende-se ser a morte histológica
um processo decorrente da anterior, em que os
tecidos e as células dos órgãos e sistemas
morrem paulativamente;
Morte aparente: o adjetivo aparente é
adequadamente aplicada, pois o indíviduo
assemelha-se incrivelmente aplicada, pois o
indíviduo assemelha-se incrivelmente ao morto,
mas está vivo, por débil persistência da circulação.
O estado da morte aparente poderá durar horas;
Morte relativa: o indívido já como morto, vítimado
por parada cardíaca disgnosticada pela ausência
de pulso artéria calibrosa, como a carótida
comum, a femoral, associada à perda de
consciência, cianose, ou palizes marmórea.
Parada cardiáca é o cessamento súbito e
inesperado da atividade mecânica do coração sob
forma de fibrilação ventricular, taquicardia
ventricular sem pulso periférico palpável,
dissociação eletromecânica em ritmo orgânico, útil
e suficiente, em indivíduos que não portem
molestias incurável, debilitante, irreversível e
crõnica pois que nesses enfermos a aprada
cardíaca nada mais é que a consequencia natural
do maligno da doença de base.
Morte intermediária: é explicada, como a que
precede a absoluta e sucede a relativa, como
verdadeiro estágio inicial da morte definitiva,
varios relatos de individuos que, em casos como
cirurgias, afogamento frustrados etc. perceberam-
se como que saídos de seus corpos, flutuando no
17