Você está na página 1de 73

Così fan tutte

Wolfgang Amadeus Mozart

2006

Teatro Nacional de São Carlos

Quarta-feira, 29* Novembro, 20:00h


Quinta-feira, 30 Novembro, 20:00h, Assinatura A
Domingo, 3 Dezembro, 20:00h, Assinatura C
Terça-feira, 5 Dezembro, 20:00h, Assinatura D
Quarta-feira, 6 Dezembro, 20:00h
Quinta-feira, 7 Dezembro, 20:00h, Assinatura E
Sábado, 9 Dezembro, 16:00h, Assinatura B

Haverá um intervalo com cerca de 30 minutos

* Récita de Gala reservada ao Mecenas Exclusivo do Teatro


Nacional de São Carlos, Millennium BCP
Índice

Ficha Artística 4

Così fan tutte in breve


por João Pedro Cachopo 8

Argumento 24

Libreto 38

Nota do encenador 113

A paixão é como um veneno...


por Paula Gomes Ribeiro 115

Biografias 129

Fichas Técnicas 138

Fotografia da página 1:
Wolfgang Amadeus Mozart retratado por Christian
Ludwig Vogel

Ao lado: Les hasards heureux de l’escarpolette de


Jean-Honoré Fragonard (Col. Wallace)

Così fan tutte 3


Direcção musical Personagens e Intérpretes
Così fan tutte, Donato Renzetti
ossia La scuola degli amanti Fiordiligi
Wolfgang Amadeus Mozart Encenação Irina Lungu [30. Nov. 3. 5. 7. 9. Dez.
Mario Martone Ekaterina Godovanets [29. Nov. 6. Dez.
Opera buffa em dois actos, KV 588.
Libreto de Lorenzo da Ponte Cenografia Dorabella
Sergio Tramonti Laura Polverelli [30. Nov. 3. 5. 7. 9. Dez.
Angélica Mansilla [29. Nov. 6. Dez.
Figurinos
Estreia absoluta Despina
Vera Marzot
Burgtheater de Viena, a 26 de Janeiro de 1790 Silvia Colombini [30. Nov. 3. 5. 7. 9. Dez.
Desenho de Luzes Dora Rodrigues [29. Nov. 6. Dez.
Pasquale Mari
Estreia em Portugal Ferrando
Teatro de S. Carlos, a 7 de Fevereiro de 1958 Saimir Pirgu [30. Nov. 3. 5. 7. 9. Dez.
Mário João Alves [29. Nov. 6. Dez.
Guglielmo
Simone Alberghini [30. Nov. 3. 5. 7. 9. Dez.
Luís Rodrigues [29. Nov. 6. Dez.
Don Alfonso
Orquestra Sinfónica Portuguesa Bruno Praticò
Coro do Teatro Nacional de São Carlos
Maestro titular Giovanni Andreoli

Produção
Teatro San Carlo de Nápoles

4 Così fan tutte 5


Remontagem Cenário
Raffaele di Florio Teatro San Carlo de Nápoles
Teatro Comunale de Ferrara/Ferrara Musica
Assistente de figurinos Teatro Comunale de Modena
Ursula Patzack Fondazione «I Teatri» di Reggio Emilia

Assistente de luz Adereços


Giordano Baratta Teatro San Carlo de Nápoles
Rancati
Arredamenti Cineteatrali
Farani
Director Musical de Cena
João Paulo Santos Guarda-roupa
G.P. 11
Maestro Assistente do Coro
Kodo Yamagishi Calçado
Pompei
Maestro Correpetidor
Nuno Lopes Cabeleiras
Teatro Nacional de São Carlos

Caracterização
Figuração Fátima Sousa
Ana Isabel Trincão
Cristina Alfaiate Técnico do Teatro San Carlo de Nápoles para a montagem
Fátima Ferreira Pasquale Meola
Gabriela Ferreira
Lavínia Moreira
Luís Stoffel
Nuno Barracas
Paulo Lopes
Pedro Garcia
Ricardo Silva
Sérgio Roque
Tânia Lopes

Ao lado: Irina Lungu (Fiordiligi), Laura Polverelli (Dorabella),


Ekaterina Godovanets (Fiordiligi) e Angélica Mansilla (Dorabella).
Fotografias de ensaio.

6
João Pedro Cachopo A obra na farsa de cujo desenlace resultará o desfecho da Così fan tutte de relance
aposta: se Guglielmo e Ferrando, disfarçados de
A composição de Così fan tutte, ossia La scuola degli albaneses, lograrem conquistar em vinte e quatro horas Abertura
Così fan tutte in breve
amanti foi fruto de uma encomenda da corte vienense, os corações das noivas Fiordiligi e Dorabella, vence Don Acto I
O compositor na sequência do sucesso de uma nova produção de Alfonso; se, pelo contrário, as damas de Ferrara se
Le nozze di Figaro, em Agosto de 1789. Estreou-se em mantiverem fiéis aos seus noivos, são Guglielmo e Cena 1
Compositor cimeiro da história da música ocidental, Viena, no Burgtheater, a 26 de Janeiro de 1790, tendo Ferrando quem vence. O libreto concebido por Da Ponte N.º 1 Terceto (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
Wolfgang Amadeus Mozart nasceu em Salzburgo, a 27 sido representada cinco vezes antes da morte do dará razão a Don Alfonso e Despina, tendo Guglielmo – La mia Dorabella
de Janeiro de 1756, tendo falecido em Viena, a 5 de imperador Joseph II a 20 de Fevereiro do mesmo ano. sucesso quase imediato junto de Dorabella (noiva Recitativo (Guglielmo, Don Alfonso, Ferrando)
Dezembro de 1791 após cerca de trinta anos de Seguiram-se representações em Praga, Leipzig, de Ferrando) e Ferrando, ao cabo de múltiplas – Fuor la spada!
actividade composicional feérica. Músico precoce cujo Dresden e, numa versão alemã, em Frankfurt, Mainz e aproximações, junto de Fiordiligi (noiva de Guglielmo); N.º 2 Terceto (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
talento cedo despontou nas mais diversas vertentes Amesterdão. Foi a terceira das três óperas que mas não sem que os dois pares de amantes tenham – É la fede delle femmine
da composição musical, a sua carreira decorreu, não resultaram da colaboração entre Mozart e Da Ponte. feito o périplo de uma experiência que deveria Recitativo (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso)
sem dificuldades de ordem institucional ou material, Contudo, ao contrário de Le nozze di Figaro e de Don conceber-se como de auto-conhecimento. – Scioccherie di poeti!
inicialmente em Salzburgo, ao serviço da corte do Giovanni, após o seu relativo sucesso inicial, a opinião N.º 3 Terceto (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso)
Arcebispo da cidade e, a partir de 1781, em Viena, em crítica dividiu-se quanto ao mérito do libreto e do Somente no século XX, se assistiu a uma revalorização – Una bella serenata
estreita colaboração com a corte imperial, tendo sido resultado final alcançado. Inverosimilhanças diversas generalizada de Così fan tutte, tendo sido recuperados
pontuada por inúmeras viagens ao estrangeiro torná-la-iam uma farsa excessivamente próxima das significados ocultos a cuja reinterpretação se têm Cena 2
(Alemanha, França, Itália, Inglaterra, etc.). A sua convenções da opera buffa: equívocos amorosos, dedicado numerosos estudiosos da obra de Mozart. N.º 4 Dueto (Fiordiligi, Dorabella)
extensa obra inclui música concertante, de câmara, situações improváveis, jogo de máscaras, a que não Na esteira destes estudos, alguns encenadores e – Ah, guarda, sorella
religiosa, bem como, no que à produção lírica faltam os sucessivos disfarces – como médico e críticos têm vindo a questionar a pertinência da Recitativo (Fiordiligi, Dorabella)
concerne, óperas em italiano, alemão, latim, incluindo notário – da astuta criada Despina, pontuam a intriga. restauração dos pares iniciais que, embora conforme – Mi par che stammattina
variados géneros operísticos, da opera seria à opera A esta responde, sem dúvida, a magistral música ao convencionalismo retórico de uma conclusão
buffa, passando pelo Singspiel. composta por Mozart sem que, porém, na opinião de conciliadora, parece opor-se ao sentido da Cena 3
alguns, se ache transposto o hiato que separa uma aprendizagem a que os quatro amantes foram sujeitos Recitativo (Dorabella, Fiordiligi, Don Alfonso)
sucessão de momentos musicalmente sublimes de (nesse sentido, a farsa planeada por Don Alfonso – Non son essi
uma verdadeira obra-prima do género operático. Será revela-se ao serviço de uma experiência de auto- N.º 5 Ária (Don Alfonso)
mesmo assim? -conhecimento): o carácter inocentemente leviano de – Vorrei dir, e cor non ho
Dorabella parece mais próximo do voluntarismo Recitativo (Fiordiligi, Don Alfonso, Dorabella)
No centro da intriga relativamente simples de Così fan garboso de Guglielmo; ao passo que Fiordiligi e – Stelle! Per carita
tutte, deparamo-nos com uma aposta: Guglielmo e Ferrando partilham, com intensidade similar, um certo
Ferrando, dois jovens oficiais apaixonados, confiam idealismo no enlevo amoroso. Por esta e muitas outras Cena 4
incondicionalmente na fidelidade das irmãs Fiordiligi e razões, permanece Così fan tutte uma ópera cuja teia N.º 6 Quinteto (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Don
Dorabella, damas de Ferrara e suas respectivas noivas; enigmática de significados musico-teatrais estamos Alfonso, Guglielmo)
Don Alfonso, filósofo mais velho e experiente, refere-se longe de conhecer em toda a sua amplitude e por cuja – Sento, oh Dio
ironicamente a uma tal fidelidade, comparando-a com audição nos sentimos hoje especialmente atraídos. Recitativo (Guglielmo, Ferrando, Don Alfonso,
a Fénix: a fidelidade das mulheres teria em comum com Fiordiligi, Dorabella)
essa ave mítica mencionada pelos antigos o facto de – Non piangere, idol mio!
muitos se lhe referirem sem que jamais se tenha N.º 7 Duettino (Ferrando, Guglielmo)
confirmado a sua real existência. O tema da – Al fato dan legge
infidelidade feminina – embora suspeito de imoralismo Recitativo (Don Alfonso e Ferrando, Fiordiligi)
– não destoa, como poderia pensar-se à partida, da – La commedia è graziosa
reflexão sobre o sentimento amoroso que percorre a
transição do séc. XVIII para o séc. XIX, de que a «teoria Cena 5
da cristalização» preconizada por Stendhal constitui N.º 8 Coro
uma manifestação exemplar. Segundo esta teoria, as – Bella vita militar!
qualidades do amado constituem meras projecções Recitativo (Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella,
ideais do amante. O sentimento amoroso refere-se Ferrando, Guglielmo)
assim, fundamentalmente, a uma ilusão. No caso de – Non v’è più tempo, amici
Così fan tutte, esta ilusão consiste na inquebrantável N.º 9 Quinteto (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando,
fidelidade que os jovens oficiais, ingenuamente, Guglielmo, Don Alfonso)
supõem ser a de suas amadas. Ilusão a que justamente – Di scrivermi ogni giorno
escapam o cepticismo pragmático do velho filósofo e a Coro
astúcia maliciosa da criada Despina. Ambos colaboram – Bella vita militar!

8 Così fan tutte 9


Cena 6 Cena 13 Cena 8 Così fan tutte no São Carlos
Recitativo (Dorabella, Don Alfonso, Fiordiligi) Recitativo (Don Alfonso, Despina) Recitativo (Ferrando, Guglielmo)
– Dove son? – Oh, la saria da ridere – Amico, abbiamo vinto! Por razões que talvez devamos interpretar à luz do
N.º 10 Terzettino (Fiordiligi, Dorabella, Don Alfonso) N.º 26 Ária (Guglielmo) relativo entusiasmo que suscitou durante o século XIX,
– Soave sia il vento Cenas 14, 15 e 16 – Donne mie, la fate a tanti estreou-se Così fan tutte no Teatro Nacional de São
N.º 18 Final (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Guglielmo, Carlos já na temporada de 1957/58, a 7 de Fevereiro
Cena 7 Don Alfonso, Despina) Cena 9 de 1958, sob a direcção de A. Krannhals – cerca de
Recitativo (Don Alfonso) – Ah, che tutta in un momento Recitativo (Ferrando) uma década após a estreia, também ela tardia, de Le
– Non son cattivo comico! In qual fiero contrasto nozze di Figaro (em 1945), e mais de um século após
Acto II N.º 27 Cavatina (Ferrando) a de Don Giovanni (em 1839). Desde então, Così fan
Cena 8 Tradito, schernito tutte marcou presença sensivelmente decenal neste
Cena 1 Recitativo (Don Alfonso, Ferrando, Guglielmo)
Recitativo (Despina) teatro, tendo sido representada nas temporadas de
Recitativo (Despina, Fiordiligi, Dorabella) – Bravo, questa è constanza
– Che vita maledetta 1963/64, 1972/73, 1979/80, 1984/85 e 1991/92.
– Andate là
N.º 19 Ária (Despina) Cena 10
Cena 9
– Una donna a quindici anni Recitativo (Despina, Dorabella, Fiordiligi)
Recitativo (Despina, Fiordiligi, Dorabella)
– Madame – Ora vedo che siete
Cena 2 N.º 28 Ária (Dorabella)
N.º 11 Ária (Dorabella)
Recitativo (Fiordiligi, Dorabella) – È amore un ladroncello
– Smanie implacabili
– Sorella, cosa dici?
Recitativo (Despina, Dorabella, Fiordiligi)
N.º 20 Dueto (Fiordiligi, Dorabella)
– Signora Dorabella Cena 11
– Prenderò quel brunettino Recitativo (Fiordiligi, Guglielmo, Despina, Don
N.º 12 Ária (Despina)
– In uomini, in soldati Alfonso)
Cena 3 – Come tutto congiura
Recitativo (Don Alfonso, Dorabella)
Cena 10
– Ah, correte al giardino
Recitativo (Don Alfonso, Despina) Cena 12
– Che silenzio! Recitativo (Fiordiligi, Guglielmo)
Cena 4 – L’abito di Ferrando
N.º 21 Dueto e coro (Ferrando, Guglielmo, coro) N.º 29 Dueto (Fiordiligi, Ferrando)
Cena 11
– Secondate, aurette amiche – Fra gli ampressi in pochi istanti
N.º 13 Sexteto (Fiordiligi, Dorabella, Despina,
Recitativo (Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella,
Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
Despina, Ferrando, Guglielmo)
– Alla bella Despinetta Cena 13
– Il tutto deponete Recitativo (Guglielmo, Don Alfonso, Ferrando)
Recitativo (Don Alfonso, Dorabella, Fiordiligi,
N.º 22 Quarteto (Despina, Ferrando, Guglielmo, Don – Oh poveretto me
Ferrando, Guglielmo, Despina)
Alfonso) N.º 30 Ária (Don Alfonso)
– Che sussurro!
– La mano a me date – Tutti accusan le donne
N.º 14 Ária (Fiordiligi)
– Come scoglio
Cena 5
Recitativo (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso, Cena 4
Recitativo (Fiordiligi, Ferrando, Dorabella, Guglielmo) Recitativo (Despina, Ferrando, Don Alfonso,
Dorabella, Fiordiligi)
– Oh, che bella giornatta! Guglielmo)
– Ah, non partite!
N.º 23 Dueto (Dorabella, Guglielmo) – Vittoria padroncini!
N.º 15 Ária (Guglielmo)
– Il core vi dono
– Non siate ritrosi
Cenas 15, 16 e 17
Cena 6 N.º 31 Final (Despina, Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella,
Cena 12
Recitativo (Ferrando, Fiordiligi) Ferrando, Guglielmo, coro)
N.º 16 Terceto (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
– Barbara! Perché fuggi? – Fate presto, o cari amici
– E voi ridete?
N.º 24 Ária (Ferrando)
Recitativo (Don Alfonso, Guglielmo, Ferrando)
– Ah, lo veggio, quell’anima bella
– Si può sapere un poco
N.º 17 Ária (Ferrando)
Cena 7
– Un’aura amorosa
Recitativo (Fiordiligi)
– Ei parte
N.º 25 Rondo (Fiordiligi)
– Per pietà, ben mio

10 Così fan tutte 11


Così fan tutte in breve La obra pragmático del viejo filósofo y la astucia maliciosa de Così fan tutte de relance
la criada Despina. Ambos colaboran en la farsa, de
El compositor La composición de Così fan tutte, ossia La scuola degli cuyo desenlace depende el resultado de la apuesta: si Abertura
amanti fue fruto de un encargo de la corte vienesa Guglielmo y Ferrando, disfrazados de albaneses,
Compositor clave en la historia de la música como consecuencia del éxito de una nueva producción lograsen conquistar en veinticuatro horas los Acto I
occidental, Wolfgang Amadeus Mozart nació en de Le nozze di Figaro en agosto de 1789. Se estrenó en corazones de las novias Fiordiligi y Dorabella, vence
Escena 1
Salzburgo el 27 de enero de 1756, y falleció en Viena Viena, en el Burgtheater, el 26 de enero de 1790, y se Don Alfonso; si, por el contrario, las damas de Ferrara
Nº 1 Terceto (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
el 5 de diciembre de 1791 tras cerca de treinta años represento cinco veces antes de la muerte del se mantuvieran fieles a sus novios, son Guglielmo y
– La mia Dorabella
de una impresionante actividad compositora. Un emperador Joseph II el 20 de febrero de ese mismo Ferrando quienes ganan. El libreto, concebido por Da
Recitativo (Guglielmo, Don Alfonso, Ferrando)
músico precoz cuyo talento pronto despuntó en las año. Seguidamente se realizaron representaciones en Ponte, dará la razón a Don Alfonso y a Despina, ya que
– Fuor la spada!
más diversas vertientes de la composición musical, Praga, Leipzig, Dresden y en una versión en alemán, Guglielmo consiguió un éxito casi inmediato con
Nº 2 Terceto (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
cuya carrera se desarrolló inicialmente, no sin en Frankfurt, Mainz y Ámsterdam. Fue la tercera de Dorabella (novia de Ferrando) y Ferrando, al cabo de
– É la fede delle femmine
dificultades de orden institucional o material, en las tres óperas que nacieron de la colaboración entre múltiples aproximaciones, con Fiordiligi (novia de
Recitativo (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso)
Salzburgo, al servicio de la corte del Arzobispo de la Mozart y Da Ponte. No obstante, al contrario de Le Guglielmo), pero no sin que antes los dos pares de
– Scioccherie di poeti!
ciudad y, desde 1781, en Viena, en estrecha nozze di Figaro y de Don Giovanni, tras su relativo éxito amantes hayan realizado un periplo de una
Nº 3 Terceto (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso)
colaboración con la corte imperial, salpicada por inicial, la opinión crítica se dividió entre el mérito del experiencia que debería concebirse como de
– Una bella serenata
numerosos viajes al extranjero (Alemania, Francia, libreto y del resultado final alcanzado. Varias autoconocimiento.
Italia, Inglaterra, etc.). Su extensa obra incluye música inverosimilitudes la convertirían en una farsa
Escena 2
de concierto, de cámara y religiosa, así como, en lo excesivamente cercana a las convenciones de la opera No fue hasta el siglo XX cuando se asistió al
Nº 4 Dueto (Fiordiligi, Dorabella)
que respecta a la producción lírica, óperas en italiano, buffa: equívocos amorosos, situaciones improbables, reconocimiento generalizado de Così fan tutte,
– Ah, guarda, sorella
alemán y latín, incluyendo varios géneros operísticos, juego de máscaras, y tampoco faltan los distintos recuperando significados ocultos a cuya
Recitativo (Fiordiligi, Dorabella)
desde la opera seria hasta la opera buffa, pasando por disfraces – como médico y notario– de la astuta criada reinterpretación se han dedicado numerosos
– Mi par che stammattina
el Singspiel. Despina, salpican la intriga. A ésta responde, sin estudiosos de la obra de Mozart. Como consecuencia
duda, la magistral música compuesta por Mozart sin de estos estudios, algunos directores y críticos han
Escena 3
que, según algunos, se considere transpuesto el hiato cuestionado la pertinencia de la restauración de las
Recitativo (Dorabella, Fiordiligi, Don Alfonso)
que separa una sucesión de momentos musicalmente parejas iniciales que, aunque cumplen con el
– Non son essi
sublimes de una verdadera ópera prima del género convencionalismo retórico de una conclusión
Nº 5 Aria (Don Alfonso)
operístico. ¿Será así? conciliadora, parece oponerse al sentido del
– Vorrei dir, e cor non ho
aprendizaje que han experimentado los cuatro
Recitativo (Fiordiligi, Don Alfonso, Dorabella)
En el centro de la intriga relativamente sencilla de Così amantes (en ese sentido, la farsa planeada por Don
– Stelle! Per carita
fan tutte, nos encontramos con una apuesta: Alfonso se revela al servicio de una experiencia de
Guglielmo y Ferrando, dos jóvenes oficiales autoconocimiento): el carácter inocentemente liviano Escena 4
enamorados, confían incondicionalmente en la de Dorabella parece más cercano al voluntarismo Nº 6 Quinteto (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Don
fidelidad de las hermanas Fiordiligi y Dorabella, garboso de Guglielmo, al tiempo que Fiordiligi y Alfonso, Guglielmo)
damas de Ferrara y sus respectivas novias. Don Ferrando comparten con similar intensidad, un cierto – Sento, oh Dio
Alfonso, un filósofo más viejo y experto, se refiere idealismo en el éxtasis amoroso. Por ésta y por otras Recitativo (Guglielmo, Ferrando, Don Alfonso,
irónicamente a esa fidelidad, comparándola con el ave muchas razones, permanece Così fan tutte, una ópera Fiordiligi, Dorabella)
fénix: la fidelidad de las mujeres tendría en común con cuyo tejido enigmático de significados músico- – Non piangere, idol mio!
esa ave mítica mencionada por los antiguos el hecho teatrales estamos lejos de conocer en toda su Nº 7 Duettino (Ferrando, Guglielmo)
de que muchos hablan de ella sin que jamás se haya amplitud y por cuya audición nos sentimos hoy – Al fato dan legge
confirmado su existencia. El tema de la infidelidad especialmente atraídos. Recitativo (Don Alfonso e Ferrando, Fiordiligi)
femenina –aunque sospechoso de inmoralidad – no – La commedia è graziosa
desentona, como podría pensarse en un principio, con
la reflexión sobre el sentimiento amoroso que marca Escena 5
la transición del s. XVIII al s. XIX, de que la «teoría de Nº 8 Coro
la cristalización» preconizada por Stendhal constituye – Bella vita militar!
una manifestación ejemplar. Según esta teoría, las Recitativo (Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella,
cualidades del amado constituyen meras proyecciones Ferrando, Guglielmo)
ideales del amante. El sentimiento amoroso se refiere – Non v’è più tempo, amici
así, fundamentalmente, a una ilusión. En el caso de Nº 9 Quinteto (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando,
Così fan tutte, esta ilusión consiste en la Guglielmo, Don Alfonso)
inquebrantable fidelidad que los jóvenes oficiales, – Di scrivermi ogni giorno
ingenuamente, suponen que les profesan sus amadas. Coro
Ilusión a la que justamente escapan el escepticismo – Bella vita militar!

12 Così fan tutte 13


Escena 6 Escena 13 Escena 8 Così fan tutte en São Carlos
Recitativo (Dorabella, Don Alfonso, Fiordiligi) Recitativo (Don Alfonso, Despina) Recitativo (Ferrando, Guglielmo)
– Dove son? – Oh, la saria da ridere – Amico, abbiamo vinto! Por razones que tal vez debamos interpretar a la luz
Nº 10 Terzettino (Fiordiligi, Dorabella, Don Alfonso) Nº 26 Aria (Guglielmo) del relativo entusiasmo que suscitó durante el siglo
– Soave sia il vento Escenas 14, 15 e 16 – Donne mie, la fate a tanti XIX, Così fan tutte se estrenó en el Teatro Nacional de
Nº 18 Final (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Guglielmo, São Carlos ya en la temporada de 1957/58, el 7 de
Escena 7 Don Alfonso, Despina) Escena 9 febrero de 1958, bajo la dirección de A. Krannhals,
Recitativo (Don Alfonso) – Ah, che tutta in un momento Recitativo (Ferrando) cerca de una década después del estreno, también
– Non son cattivo comico! – In qual fiero contrasto tardío, de Le nozze di Figaro (en 1945), y más de un
Acto II Nº 27 Cavatina (Ferrando) siglo después del estreno de Don Giovanni (en 1839).
Escena 8 – Tradito, schernito Desde entonces, Così fan tutte estuvo presente cada
Recitativo (Despina) Escena 1 Recitativo (Don Alfonso, Ferrando, Guglielmo) diez años, aproximadamente, en los programas de
– Che vita maledetta Recitativo (Despina, Fiordiligi, Dorabella) – Bravo, questa è constanza este teatro, representándose en las temporadas
– Andate là 1963/64, 1972/73, 1979/80, 1984/85 y 1991/92.
Escena 9 Nº 19 Aria (Despina) Escena 10
Recitativo (Despina, Fiordiligi, Dorabella) – Una donna a quindici anni Recitativo (Despina, Dorabella, Fiordiligi)
– Madame – Ora vedo che siete
Nº 11 Aria (Dorabella) Escena 2 Nº 28 Aria (Dorabella)
– Smanie implacabili Recitativo (Fiordiligi, Dorabella) – È amore un ladroncello
Recitativo (Despina, Dorabella, Fiordiligi) – Sorella, cosa dici?
– Signora Dorabella Nº 20 Dueto (Fiordiligi, Dorabella) Escena 11
Nº 12 Aria (Despina) – Prenderò quel brunettino Recitativo (Fiordiligi, Guglielmo, Despina, Don
– In uomini, in soldati Alfonso)
Escena 3 – Come tutto congiura
Escena 10 Recitativo (Don Alfonso, Dorabella)
Recitativo (Don Alfonso, Despina) – Ah, correte al giardino Escena 12
– Che silenzio! Recitativo (Fiordiligi, Guglielmo)
Escena 4 – L’abito di Ferrando
Escena 11 Nº 21 Dueto y coro (Ferrando, Guglielmo, coro) Nº 29 Dueto (Fiordiligi, Ferrando)
Nº 13 Sexteto (Fiordiligi, Dorabella, Despina, Ferrando, – Secondate, aurette amiche – Fra gli ampressi in pochi istanti
Don Alfonso, Guglielmo) Recitativo (Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella,
– Alla bella Despinetta Despina, Ferrando, Guglielmo) Escena 13
Recitativo (Don Alfonso, Dorabella, Fiordiligi, – Il tutto deponete Recitativo (Guglielmo, Don Alfonso, Ferrando)
Ferrando, Guglielmo, Despina) Nº 22 Cuarteto (Despina, Ferrando, Guglielmo, Don – Oh poveretto me
– Che sussurro! Alfonso) Nº 30 Aria (Don Alfonso)
Nº 14 Aria (Fiordiligi) – La mano a me date – Tutti accusan le donne
– Come scoglio
Recitativo (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso, Escena 5 Escena 14
Dorabella, Fiordiligi) Recitativo (Fiordiligi, Ferrando, Dorabella, Guglielmo) Recitativo (Despina, Ferrando, Don Alfonso,
– Ah, non partite! – Oh, che bella giornatta! Guglielmo)
Nº 15 Aria (Guglielmo) Nº 23 Dueto (Dorabella, Guglielmo) – Vittoria padroncini!
– Non siate ritrosi – Il core vi dono
Escenas 15, 16 y 17
Escena 12 Escena 6 Nº 31 Final (Despina, Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella,
Nº 16 Terceto (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo) Recitativo (Ferrando, Fiordiligi) Ferrando, Guglielmo, coro)
– E voi ridete? – Barbara! Perché fuggi? – Fate presto, o cari amici
Recitativo (Don Alfonso, Guglielmo, Ferrando) Nº 24 Aria (Ferrando)
– Si può sapere un poco – Ah, lo veggio, quell’anima bella
Nº 17 Aria (Ferrando)
– Un’aura amorosa Escena 7
Recitativo (Fiordiligi)
– Ei parte
Nº 25 Rondo (Fiordiligi)
– Per pietà, ben mio

14 Così fan tutte 15


Così fan tutte in breve The work does not escape the pragmatic scepticism of the old Così fan tutte at a glance
philosopher and the malicious shrewdness of the
The composer Così fan tutte, ossia La scuola degli amanti [All Women maid Despina. Both collaborate in the farce which will Overture
do the Same, or The School for Lovers] was result in the end of the bet: if Guglielmo and Ferrando,
Act I
commissioned by the Viennese court after the success disguised as Albanians, succeed in conquering the
Top composer in the history of western music,
met by a new production of Le nozze di Figaro in heart of their brides Fiordiligi and Dorabella within Scene 1
Wolfgang Amadeus Mozart was born in Salzburg on
August 1789. The opera premiered in Vienna at the twenty four hours, Don Alfonso wins; if on the other Nr. 1 Trio (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
27 January 1756 and passed away in Vienna on 5
Burgtheater on 26 January 1790 and received five hand the Ferrara ladies remain faithful to their fiancés, – La mia Dorabella
December 1791 after approximately thirty years of a
performances before the death of the Emperor both Guglielmo and Ferrando win. The libretto Recitative (Guglielmo, Don Alfonso, Ferrando)
wonderful compositional activity. Precocious musician
Joseph II on 20 February of the same year. conceived by Da Ponte proves Don Alfonso and – Fuor la spada!
whose talent was awakened early on in the most
Performances followed in Prague, Leipzig, Dresden Despina right as Guglielmo is almost immediately Nr. 2 Trio (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
various musical compositions, Mozart began his
and in German version in Frankfurt, Mainz and successful with Dorabella (Ferrando’s bride) and so is – É la fede delle femmine
career at the service of the court of Salzburg
Amsterdam. It was the third of three operas which Ferrando after various attempts to get close to Recitative (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso)
Archbishop and after 1781 he settled in Vienna and
resulted from Mozart–Da Ponte collaboration. Fiordiligi (Guglielmo’s bride), but without both pair of – Scioccherie di poeti!
collaborated directly with the imperial court. During
Nevertheless, after its moderate reception which lovers having done a periplus of an experience which Nr. 3 Trio (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso)
this time he frequently travelled abroad (Germany,
contrasted with the creation of Le nozze di Figaro and should be conceived as self-awareness. – Una bella serenata
France, Italy, England, etc.). His extensive work
Don Giovanni, Così fan tutte divided opinions when it
included concertante, chamber and religious music as
came to the merit of the libretto and the end result Only in the XX century was there a generalised Scene 2
well as lyric repertoire with operas in Italian, German
reached. Various improbabilities would turn it into revaluation of Così fan tutte where hidden meanings Nr. 4 Duet (Fiordiligi, Dorabella)
and Latin including various operatic genres from opera
an excessive farce close to the conventions of the were recovered and to whom many of those who – Ah, guarda, sorella
seria to opera buffa and Singspiel.
opera buffa: equivocal lovers, implausible situations, study the work of Mozart have dedicated their Recitative (Fiordiligi, Dorabella)
successive games of masks to which there was no lack reinterpretation. On the basis of these studies, some – Mi par che stammattina
of disguises of the astute maid, Despina (as a doctor stage directors and critics have come to question the
and a notary), characterize the intrigue. The pertinence of the restoration of the initial pairs which, Scene 3
magisterial music composed by Mozart responds by although according to rhetorical conventionalism of a Recitative (Dorabella, Fiordiligi, Don Alfonso)
itself to this criticism however without succeeding, – conciliating conclusion, it seems to oppose the sense – Non son essi
according to some opinions – to triumph over the of learning to which the four lovers were subjected to Nr. 5 Aria (Don Alfonso)
hiatus separating the succession of prodigious (in this sense, the farce planned by Don Alfonso shows – Vorrei dir, e cor non ho
musical moments and the authentic operatic itself to be at the service of an experience of self- Recitative (Fiordiligi, Don Alfonso, Dorabella)
masterwork. Could this be so? awareness): the inconsiderate and innocent character – Stelle! Per carita
of Dorabella seems to be closer to the graceful will of
In the heart of the quite simple plot of Così fan tutte, Guglielmo; while Fiordiligi and Ferrando share with an Scene 4
we meet with a bet: Guglielmo and Ferrando, two intense similarity, a certain idealism in the joy of love. Nr. 6 Quintet (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Don
young officers who are in love, unconditionally trust For these and many other reasons, Così fan tutte Alfonso, Guglielmo)
the fidelity of the sisters and their respective brides continues to be an opera whose enigmatic web of – Sento, oh Dio
Fiordiligi and Dorabella, two Ferrara ladies. Don musical-theatrical meanings leaves us far from Recitative (Guglielmo, Ferrando, Don Alfonso,
Alfonso an older and more experienced philosopher knowing its greatness and to which we are especially Fiordiligi, Dorabella)
refers ironically to this fidelity by comparing it to the attracted in terms of listening to it. – Non piangere, idol mio!
Phoenix. Women’s fidelity and this mythical bird which Nr. 7 Duettino (Ferrando, Guglielmo)
is spoken of by the elders have this in common: – Al fato dan legge
everyone talks about it but its true existence remains Recitative (Don Alfonso e Ferrando, Fiordiligi)
to be confirmed. The theme of feminine infidelity, – La commedia è graziosa
though suspected to be immoral, is not out of
harmony as it could appear to be in the reflection on Scene 5
the sentiment of love which covers the transition from Nr. 8 Chorus
the XVIII century to the XIX century of which the – Bella vita militar!
«crystallisation theory» announced by Stendhal Recitative (Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella,
constitutes a paradigmatic manifestation. According Ferrando, Guglielmo)
to this theory, the qualities of the loved one merely – Non v’è più tempo, amici
constitute ideal projections of the lover. The feeling of Nr. 9 Quintet (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando,
love is therefore referred to as an illusion. In what Guglielmo, Don Alfonso)
concerns Così fan tutte, this illusion consists of an – Di scrivermi ogni giorno
unbreakable fidelity which the young officers naively Chorus
suppose to be that of their loved ones. This illusion – Bella vita militar!

16 Così fan tutte 17


Scene 6 Scene 14, 15 and 16 Nr. 26 Aria (Guglielmo) Così fan tutte in São Carlos
Recitative (Dorabella, Don Alfonso, Fiordiligi) Nr. 18 Finale (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Guglielmo, – Donne mie, la fate a tanti
– Dove son? Don Alfonso, Despina) For reasons which we should perhaps interpret in the
Nr. 10 Terzettino (Fiordiligi, Dorabella, Don Alfonso) – Ah, che tutta in un momento Scene 9 light of the relative enthusiasm which arose during the
– Soave sia il vento Recitative (Ferrando) XIX century, Così fan tutte premiered at the Teatro
Act II –In qual fiero contrasto Nacional de São Carlos in the season of 1957/58, on
Scene 7 Nr. 27 Cavatina (Ferrando) 7 February 1958, under the direction of A. Krannhals
Recitative (Don Alfonso) Scene 1 –Tradito, schernito – approximately a decade later to the premiere, also
– Non son cattivo comico! Recitative (Despina, Fiordiligi, Dorabella) Recitative (Don Alfonso, Ferrando, Guglielmo) delayed, of Le nozze di Figaro (in 1945), and yet
– Andate là – Bravo, questa è constanza another century later after Don Giovanni (in 1839).
Scene 8 Nr. 19 Aria (Despina) Since then, Così fan tutte has been performed in this
Recitative (Despina) – Una donna a quindici anni Scene 10 theatre every decade in the seasons of 1963/64,
– Che vita maledetta Recitative (Despina, Dorabella, Fiordiligi) 1972/73, 1979/80, 1984/85 and 1991/92.
Scene 2 – Ora vedo che siete
Scene 9 Recitative (Fiordiligi, Dorabella) Nr. 28 Aria (Dorabella)
Recitative (Despina, Fiordiligi, Dorabella) – Sorella, cosa dici? – È amore un ladroncello
– Madame Nr. 20 Duet (Fiordiligi, Dorabella)
Nr. 11 Aria (Dorabella) – Prenderò quel brunettino Scene 11
– Smanie implacabili Recitative (Fiordiligi, Guglielmo, Despina, Don Alfonso)
Recitative (Despina, Dorabella, Fiordiligi) Scene 3 – Come tutto congiura
– Signora Dorabella Recitative (Don Alfonso, Dorabella)
Nr. 12 Aria (Despina) – Ah, correte al giardino Scene 12
– In uomini, in soldati Recitative (Fiordiligi, Guglielmo)
Scene 4 – L’abito di Ferrando
Scene 10 Nr. 21 Duet and chorus (Ferrando, Guglielmo, coro) Nr. 29 Duet (Fiordiligi, Ferrando)
Recitative (Don Alfonso, Despina) – Secondate, aurette amiche – Fra gli ampressi in pochi istanti
– Che silenzio! Recitative (Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella,
Despina, Ferrando, Guglielmo) Scene 13
Scene 11 – Il tutto deponete Recitative (Guglielmo, Don Alfonso, Ferrando)
Nr. 13 Sextet (Fiordiligi, Dorabella, Despina, Ferrando, Nr. 22 Quartet (Despina, Ferrando, Guglielmo, Don – Oh poveretto me
Don Alfonso, Guglielmo) Alfonso) Nr. 30 Aria (Don Alfonso)
– Alla bella Despinetta – La mano a me date – Tutti accusan le donne
Recitative (Don Alfonso, Dorabella, Fiordiligi,
Ferrando, Guglielmo, Despina) Scene 5 Scene 14
– Che sussurro! Recitative (Fiordiligi, Ferrando, Dorabella, Guglielmo) Recitative (Despina, Ferrando, Don Alfonso,
Nr. 14 Aria (Fiordiligi) – Oh, che bella giornatta! Guglielmo)
– Come scoglio Nr. 23 Duet (Dorabella, Guglielmo) – Vittoria padroncini!
Recitative (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso, – Il core vi dono
Dorabella, Fiordiligi) Scene 15, 16 and 17
– Ah, non partite! Scene 6 Nr. 31 Final (Despina, Don Alfonso, Fiordiligi,
Nr. 15 Aria (Guglielmo) Recitative (Ferrando, Fiordiligi) Dorabella, Ferrando, Guglielmo, chorus)
– Non siate ritrosi – Barbara! Perché fuggi? – Fate presto, o cari amici
Nr. 24 Aria (Ferrando)
Scene 12 – Ah, lo veggio, quell’anima bella
Nr. 16 Trio (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
– E voi ridete? Scene 7
Recitative (Don Alfonso, Guglielmo, Ferrando) Recitative (Fiordiligi)
– Si può sapere un poco – Ei parte
Nr. 17 Aria (Ferrando) Nr. 25 Rondo (Fiordiligi)
– Un’aura amorosa – Per pietà, ben mio

Scene 13 Scene 8
Recitative (Don Alfonso, Despina) Recitative (Ferrando, Guglielmo)
– Oh, la saria da ridere – Amico, abbiamo vinto!

18 Così fan tutte 19


Così fan tutte in breve L’œuvre tutte, cette illusion s'exprime par le truchement de Così fan tutte d’un coup d’oeil
cette fidélité inébranlable que les jeunes officiers, non
Le compositeur Così fan tutte, ossia La scuola degli amanti [Ainsi font- sans quelque ingénuité, attribuent à leurs aimées. Le Ouverture
-elles toutes, ou L'École des Amants] est le fruit d'une vieux philosophe, au scepticisme pragmatique, et la
Acte I
Compositeur parmi les plus notoires de la musique commande de la cour de Vienne, qui fait suite au servante Despina, pleine d'astuce et de malice, ne
occidentale, Wolfgang Amadeus Mozart est né à succès remporté par la remise en scène de Le nozze sont quant à eux pas dupes de cette illusion. Tous Scène 1
Salzbourg, le 27 janvier 1756. Il est mort à Vienne le di Figaro en août 1789. L'opéra a été crée au deux collaborent à cette farce, dont le dénouement N.º 1 Trio (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
5 décembre 1791, après trente années marquées du Burgtheater de Vienne, le 26 janvier 1790. Il fut déterminera aussi l'issue du pari: si Guglielmo et – La mia Dorabella
sceau d’un foisonnement musical féérique. Musicien représenté cinq fois avant la mort de l'Empereur Ferrando, sous leurs déguisements d'Albanais, Récitatif (Guglielmo, Don Alfonso, Ferrando)
précoce, son talent lui permet rapidement de se Joseph II, le 20 février de la même année. Suivirent réussissent en vingt-quatre heures à séduire le coeur – Fuor la spada!
familiariser avec les aspects les plus divers de l’art de ensuite des représentations à Prague, Leipzig, Dresde de leurs fiancées, Don Alfonso gagne; à l'inverse, si les N.º 2 Trio (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
la composition. Sa carrière commence au service de et, en version allemande, à Francfort, Mainz et dames de Ferrare parviennent à rester fidèles à leurs – É la fede delle femmine
l’Archevêque de la ville de Salzbourg. Débuts Amsterdam. Ce fut le troisième des trois opéras issus fiancés, les vainqueurs seront Guglielmo et Ferrando. Récitatif (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso)
difficiles, tant à cause des problèmes matériels qu’il de la collaboration entre Mozart et Da Ponte. Le livret de Da Ponte donnera finalement raison à Don – Scioccherie di poeti!
rencontre que des ennuis qu’il s’attire de la part des Cependant, après un succès initial relatif – et Alfonso et à Despina: Guglielmo obtient presque N.º 3 Trio (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso)
institutions. À partir de 1781, il est à Vienne où il contrairement à ce qui s'était produit avec Le nozze di instantanément ce qu'il voulait de Dorabella (fiancée – Una bella serenata
travaille en étroite collaboration avec la cour Figaro et Don Giovanni – Così fan tutte divisa les de Ferrando) et Ferrando arrive au même résultat
impériale. Cette période est pour lui marquée de opinions en ce qui concernait le mérite du livret et de auprès de Fiordiligi (fiancée de Guglielmo), au prix Scène 2
nombreux déplacements à l’étranger (il se rend en l'oeuvre qui en avait été tirée. Ses invraisemblances en cependant de savantes manoeuvres d'approche. Tout N. º 4 Duo (Fiordiligi, Dorabella)
Allemagne, en France, en Italie, en Angleterre, etc..). Il avaient fait une farce très proche des conventions de ceci permet aux deux couples amoureux de vivre un – Ah, guarda, sorella
nous a laissé une œuvre considérable qui couvre tant l'opera buffa: l'intrigue est ponctuée de quiproquos périple qui doit être compris comme une découverte Récitatif (Fiordiligi, Dorabella)
la musique concertante, la musique de chambre, la amoureux, de situations peu crédibles et de ce jeu de soi. – Mi par che stammattina
musique religieuse, que le répertoire lyrique, avec des de masque qui recourt de manière répétée
opéras en italien, en allemand, en latin, ainsi que les aux déguisements variés de l'astucieuse servante Così fan tutte n'a finalement été reconnu qu'au XXème Scène 3
différents genres d’opéra, de l’opera seria à l’opera Despina (le médecin et le notaire). En contrepoint, siècle, après que ses sens cachés aient été dévoilés Récitatif (Dorabella, Fiordiligi, Don Alfonso)
buffa, en passant par les œuvres de Singspiel. indubitablement, il y a la musique magistrale par les réinterprétations qu'en ont faites les nombreux – Non son essi
composée par Mozart, sans que toutefois, selon chercheurs qui se sont penchés sur l'oeuvre N.º 5 Air (Don Alfonso)
l'opinion de certains, on arrive à surmonter le hiatus mozartienne. Suite à ces études, quelques metteurs – Vorrei dir, e cor non ho
qui sépare la simple succession de moments en scène et quelques critiques en sont arrivés à Récitatif (Fiordiligi, Don Alfonso, Dorabella)
musicalement sublimes, et l'authentique chef-d'oeuvre remettre en cause l'opportunité du rétablissement des – Stelle! Per carita
du genre. Mais en est-il vraiment ainsi ? couples de départ, solution qui, bien que conforme au
conventionnalisme rhétorique d'une fin basée sur la Scène 4
Au centre de l'intrigue relativement simple de Così fan conciliation, apparaît cependant comme aller à N.º 6 Quintette (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Don
tutte, nous trouvons un pari: Guglielmo et Ferrando, l'encontre de l'esprit même de l'apprentissage par Alfonso, Guglielmo)
deux jeunes officiers amoureux, nourrissent une lequel sont passés les quatre amants (dans cette – Sento, oh Dio
confiance aveugle quant à la fidélité des soeurs optique, la farce organisée par Don Alfonso sert Récitatif (Guglielmo, Ferrando, Don Alfonso,
Fiordiligi et Dorabella, deux dames de Ferrare qui sont l'objectif de découverte de soi): le caractère Fiordiligi, Dorabella)
aussi leurs fiancées; Don Alfonso, vieux philosophe innocemment léger de Dorabella semble plus proche – Non piangere, idol mio!
plein d'expérience, tient des propos ironiques sur du fier volontarisme de Guglielmo, alors que Fiordiligi N.º 7 Duettino (Ferrando, Guglielmo)
cette fidélité, qu'il compare au Phoenix : la fidélité des et Ferrando partagent avec la même intensité un – Al fato dan legge
femmes et cet oiseau mythologique ont ceci en certain idéalisme au sein de leur ravissement Récitatif (Don Alfonso et Ferrando, Fiordiligi)
commun que beaucoup en parlent mais que leur amoureux. Pour cette raison, et pour bien d'autres, – La commedia è graziosa
véritable existence n'a jamais pu être démontrée. Così fan tutte est un opéra dont la trame énigmatique,
Contrairement à ce qu'on pourrait le croire de prime pleine de sous-entendus musicaux et théâtraux, ne Scène 5
abord, le thème de l'infidélité des femmes – quoique nous a pas encore livré toute l'ampleur de sa N.º 8 Choeur
suspect d'immoralité – ne détone pas avec les complexité, et dont le spectacle constitue toujours un – Bella vita militar!
réflexions sur le sentiment amoureux qui parcourent évènement particulièrement attrayant. Récitatif (Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella, Ferrando,
l'époque de transition entre le XVIIIème siècle et le Guglielmo)
XIXème siècle, réflexions dont la théorie de la – Non v’è più tempo, amici
«cristallisation» de Stendhal constitue l'expression N.º 9 Quintette (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando,
paradigmatique. Pour Stendhal, les qualités de l'être Guglielmo, Don Alfonso)
aimé ne sont que des projections idéalisées de – Di scrivermi ogni giorno
l'amant. Le sentiment amoureux n'est donc finalement Choeur
qu'une question d'illusion. Dans le cas de Così fan – Bella vita militar!

20 Così fan tutte 21


Scène 6 Scène 13 Scène 8 Così fan tutte au São Carlos
Récitatif (Dorabella, Don Alfonso, Fiordiligi) Récitatif (Don Alfonso, Despina) Récitatif (Ferrando, Guglielmo)
– Dove son? – Oh, la saria da ridere – Amico, abbiamo vinto! Pour des raisons que nous devrions peut-être
N.º 10 Terzettino (Fiordiligi, Dorabella, Don Alfonso) N.º 26 Air (Guglielmo) interpréter à la lumière de l’enthousiasme modéré que
– Soave sia il vento Scènes 14, 15 et 16 – Donne mie, la fate a tanti l’oeuvre a soulevé au XIXème siècle, la première de Così
N.º 18 Finale (Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, fan tutte au Théâtre São Carlos n’a eu lieu que le
Scène 7 Guglielmo, Don Alfonso, Despina) Scène 9 7 février 1958 (saison 1957/58), sous la baguette de
Récitatif (Don Alfonso) – Ah, che tutta in un momento Récitatif (Ferrando) A. Krannhals – dix ans après environ la première, elle
– Non son cattivo comico! – In qual fiero contrasto aussi tardive, de Le nozze di Figaro (en 1945), et plus
Acte II d’un siècle après celle de Don Giovanni (en 1839).
Scène 8 N.º 27 Cavatina (Ferrando) Depuis lors, le Théâtre São Carlos a accueilli Così fan
Récitatif (Despina) Scène 1 – Tradito, schernito tutte environ tous les dix ans, lors des saisons
– Che vita maledetta Récitatif (Despina, Fiordiligi, Dorabella) Récitatif (Don Alfonso, Ferrando, Guglielmo) 1963/64, 1972/73, 1979/80, 1984/85 et 1991/92.
– Andate là – Bravo, questa è constanza
Scène 9 N.º 19 Air (Despina)
Récitatif (Despina, Fiordiligi, Dorabella) – Una donna a quindici anni Scène 10
– Madame Récitatif (Despina, Dorabella, Fiordiligi)
N.º 11 Air (Dorabella) Scène 2 – Ora vedo che siete
– Smanie implacabili Récitatif (Fiordiligi, Dorabella) N.º 28 Air (Dorabella)
Récitatif (Despina, Dorabella, Fiordiligi) – Sorella, cosa dici? – È amore un ladroncello
– Signora Dorabella N.º 20 Duo (Fiordiligi, Dorabella)
N.º 12 Air (Despina) – Prenderò quel brunettino Scène 11
– In uomini, in soldati Récitatif (Fiordiligi, Guglielmo, Despina, Don Alfonso)
Scène 3 – Come tutto congiura
Scène 10 Récitatif (Don Alfonso, Dorabella)
Récitatif (Don Alfonso, Despina) – Ah, correte al giardino Scène 12
– Che silenzio! Récitatif (Fiordiligi, Guglielmo)
Scène 4 – L’abito di Ferrando
Scène 11 N.º 21 Duo et choeur (Ferrando, Guglielmo, choeur) N.º 29 Duo (Fiordiligi, Ferrando)
N.º 13 Sextuor (Fiordiligi, Dorabella, Despina, – Secondate, aurette amiche – Fra gli ampressi in pochi istanti
Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo) Récitatif (Don Alfonso, Fiordiligi, Dorabella, Despina,
– Alla bella Despinetta Ferrando, Guglielmo) Scène 13
Récitatif (Don Alfonso, Dorabella, Fiordiligi, Ferrando, – Il tutto deponete Récitatif (Guglielmo, Don Alfonso, Ferrando)
Guglielmo, Despina) N.º 22 Quatuor (Despina, Ferrando, Guglielmo, Don – Oh poveretto me
– Che sussurro! Alfonso) N.º 30 Air (Don Alfonso)
N.º 14 Air (Fiordiligi) – La mano a me date – Tutti accusan le donne
– Come scoglio
Récitatif (Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso, Scène 5 Scène 14
Dorabella, Fiordiligi) Récitatif (Fiordiligi, Ferrando, Dorabella, Guglielmo) Récitatif (Despina, Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo)
– Ah, non partite! – Oh, che bella giornatta! – Vittoria padroncini!
N.º 15 Air (Guglielmo) N.º 23 Duo (Dorabella, Guglielmo)
– Non siate ritrosi – Il core vi dono Scènes 15, 16 et 17
N.º 31 Scène finale (Despina, Don Alfonso, Fiordiligi,
Scène 12 Scène 6 Dorabella, Ferrando, Guglielmo, choeur)
N.º 16 Trio (Ferrando, Don Alfonso, Guglielmo) Récitatif (Ferrando, Fiordiligi) – Fate presto, o cari amici
– E voi ridete? – Barbara! Perché fuggi?
Récitatif (Don Alfonso, Guglielmo, Ferrando) N.º 24 Air (Ferrando)
– Si può sapere un poco – Ah, lo veggio, quell’anima bella
N.º 17 Air (Ferrando)
– Un’aura amorosa Scène 7
Récitatif (Fiordiligi)
– Ei parte
N.º 25 Rondo (Fiordiligi)
– Per pietà, ben mio

22 Così fan tutte 23


Argumento Argumento Synopsis Argument

Acto I Acto I Act I Acte I

Cena 1 Escena 1 Scene 1 Scène 1

A cena abre num café de Nápoles. Dois jovens oficiais La escena comienza en un café de Nápoles. Dos jóvenes The scene opens in a coffee shop in Naples. Two young La scène s’ouvre sur un café de Naples. Deux jeunes
do exército, Ferrando e Guglielmo, louvam a fidelidade oficiales del ejército, Ferrando y Guglielmo, alaban la army officers, Ferrando and Guglielmo claim that their officiers, Ferrando et Guglielmo, se vantent de la
e a constância das suas noivas – as irmãs Dorabella fidelidad y la constancia de sus novias –las hermanas sweethearts are faithful and constant – the sisters fidélité et de la constance de leurs fiancées – les
e Fiordiligi – perante o cepticismo do seu amigo D. Dorabella y Fiordiligi– ante el escepticismo de su amigo Dorabella and Fiordiligi – in presence of their sceptic sœurs Dorabella et Fiordiligi. Leur ami Don Alfonso,
Alfonso, para quem semelhantes elogios dificilmente D. Alfonso, para quien semejantes elogios difícilmente friend D. Alfonso, for whom such praise hardly applies sceptique, affirme que ces qualités ne peuvent
se aplicam a mulheres de carne e osso. se aplican a mujeres de carne y hueso. to real women of flesh and blood. s’appliquer à des femmes en chair et en os.

D. Alfonso acredita, na verdade, que a fidelidade das D. Alfonso realmente cree que la fidelidad de las In truth, D. Alfonso believes that women’s faithfulness Don Alfonso est convaincu que la fidélité des femmes
mulheres é como a fénix: toda a gente fala dela mas mujeres es como el ave fénix: todo el mundo habla de is like the phoenix: everyone says it exists, but no one est comme le phénix: chacun dit qu’il existe, mais
nunca ninguém a viu. Os dois amigos reagem ella pero nadie la ha visto nunca. Los dos amigos se has ever seen it. The two friends react with rage at this personne ne sait où il se trouve. Les deux amis
ofendidos, mas acabam por aceitar uma aposta de ofenden, pero todo se salda con una apuesta de cien slur but a wager of 100 sequins laid by D. Alfonso is réagissent avec colère, mais l’altercation se solde par
cem sequins, selada por brinde das três personagens sequines, sellada con un brindis de los tres personajes accepted and these three characters end up by un pari de cent sequins et tous les trois trinquent au
ao deus do amor. en honor al dios del amor. making a toast to the god of love. dieu de l’amour.

Cena 2 Escena 2 Scene 2 Scène 2

Sentadas num jardim à beira-mar, Fiordiligi (noiva de Sentadas en un jardín a la orilla del mar, Fiordiligi The scene shifts to a seaside garden, where Fiordiligi Assises dans un jardin au bord de la mer, Fiordiligi
Guglielmo) e Dorabella (noiva de Ferrando) (novia de Guglielmo) y Dorabella (novia de Ferrando) (Guglielmo’s fiancée) and Dorabella (Ferrando’s fiancée) (fiancée de Guglielmo) et Dorabella (fiancée de
contemplam os retratos dos seus bem-amados e contemplan los retratos de sus amados y elogian su are sitting and gazing blissfully the portraits of the Ferrando) admirent les portraits de leurs bien-aimés
gabam-lhes a beleza. Entra D. Alfonso, com expressão belleza. Entra D. Alfonso, con expresión preocupada, men they love as well as praising their beauty. D. en vantant leur beauté. Don Alfonso survient, la mine
preocupada, que vem anunciar às duas irmãs uma quien viene a anunciar a las dos hermanas una grave Alfonso arrives, with an apprehensive expression, and défaite, et annonce aux deux sœurs que Ferrando et
grave notícia: Ferrando e Guglielmo foram chamados noticia: Ferrando y Guglielmo han sido llamados a filas announces the bad news to the two sisters: Ferrando Guglielmo ont été appelés par leur régiment et qu’ils
ao seu regimento e devem partir imediatamente para y deben partir inmediatamente con su regimiento and Guglielmo where called off to their regiment and doivent partir le jour même. À ce moment précis, les
a guerra. Nesse momento entram os dois jovens, hacia la guerra. En ese momento entran los dos should leave immediately to war. At that moment, the deux jeunes hommes apparaissent en tenue de
vestidos para a suposta viagem e, enquanto se ouve ao jóvenes, ataviados para el supuesto viaje y, mientras two young men appear, dressed for the supposed trip, combat. Le chœur lointain des soldats parvient
longo o coro dos soldados, os dois casais de se oye al coro de los soldados, las dos parejas de and while the soldiers choir is heard, the two betrothed jusqu’aux deux couples qui se disent adieu en
namorados despedem-se com promessas de eterna enamorados se despiden con promesas de eterna couples bid farewell and promise true fidelity. At the échangeant des promesses d’éternelle fidélité. Don
lealdade enquanto D. Alfonso contém a custo o riso e lealtad, mientras que D. Alfonso contiene la risa con same time, D. Alfonso can hardly control his laughter Alfonso pouffe de rire et, par des apartés, il critique la
vai comentando a cena com apartes cépticos. Por fim, dificultad y va salpicando la escena con comentarios and starts to comment on the scene with sceptic scène dont il est témoin. Les deux officiers
os dois oficiais embarcam, e as suas noivas e escépticos. Finalmente los dos oficiales embarcan y remarks. The two officers depart at last, and their embarquent enfin et leurs fiancées, ainsi que Don
D. Alfonso desejam-lhes uma viagem tranquila. sus novias y D. Alfonso les desean un viaje tranquilo. fiancées and D. Alfonso wish them a peaceful journey. Alfonso, leur souhaitent bon voyage.

Cena 3 Escena 3 Scene 3 Scène 3

Num salão elegante, Despina, criada de quarto de En un elegante salón, Despina, doncella de Fiordiligi y The scene shifts to an elegant room, where Despina, Dans le boudoir, Despina, la soubrette de Fiordiligi et
Fiordiligi e Dorabella, queixa-se da dureza do seu trabalho Dorabella, se queja de la dureza de su trabajo Fiordiligi’s and Dorabella’s maid, complains of the Dorabella, maugrée contre l’injustice de sa condition
enquanto prepara para as suas amas um chocolate mientras prepara un chocolate caliente para sus hardship of her work while preparing for her tandis qu’elle leur prépare un chocolat chaud. Ses
quente. Estas entram na sala, chorando de desgosto e amas. Éstas entran en la sala, llorando de disgusto y mistresses some hot cocoa. They enter the room in maîtresses entrent dans le boudoir en pleurs, et
recusam-se a comer. Dorabella descreve a angústia que se niegan a comer. Dorabella describe la angustia que tears and refuse to eat. Dorabella describes the refusent de manger quoi que ce soit. Dorabella décrit
lhe vai na alma. lleva en el alma. anguish she feels inside her soul. l’angoisse qui la tourmente.

Despina fica espantada quando ouve dizer que as Despina se horroriza cuando oye decir que las jóvenes Despina is stunned to hear that the young ladies Despina reste ébahie lorsqu’elle entend de la bouche
jovens tencionam manter-se fiéis aos namorados pretenden mantenerse fieles a sus enamorados intend on being faithful to their absent boyfriends, des deux jeunes femmes qu’elles ont la ferme intention
ausentes, já que para ela a fidelidade é coisa que não ausentes, ya que para ella la fidelidad es algo que no since fidelity for her, is something that cannot be de rester fidèles à leurs fiancés. Elle prétend qu’il n’y a
se pode esperar dos homens em geral, e muito menos se puede esperar de los hombres en general, y mucho expected from men in general, and least of all, soldiers. rien de moins fidèle qu’un homme, surtout un soldat.
de soldados. menos de los soldados.

24 Così fan tutte 25


Nesta página: Saimir Pirgu (Ferrando) e Simone Alberghini (Guglielmo); Irina Lungu (Fiordiligi)
e Laura Polverelli (Dorabella).

Página seguinte: Saimir Pirgu (Ferrando) e Laura Polverelli (Dorabella); Simone Alberghini
(Guglielmo) e Irina Lungu (Fiordiligi).
Fotografias de ensaio.
Em troca de uma pequena recompensa em ouro, A cambio de una pequeña recompensa en oro, In exchange of a small gold reward, Despina accepts En échange de quelques pièces d’or, Despina accepte
Despina aceita colaborar com D. Alfonso. Contudo, Despina acepta colaborar con D. Alfonso. No obstante, to collaborate with D. Alfonso. However, he does not d’être la complice de Don Alfonso. Cependant, celui-ci
este não lhe revela a verdadeira identidade dos dois éste no le revela la verdadera identidad de los dos reveal to her the true identity of the two foreigners that ne lui révèle pas la véritable identité des deux jeunes
estrangeiros que conta levar à presença das duas extranjeros que pretende llevar ante la presencia de he intends on presenting to the young women. étrangers qu’il a l’intention d’introduire chez les deux
jovens. Ferrando e Guglielmo, disfarçados de las dos jóvenes. Ferrando y Guglielmo, disfrazados de Ferrando and Guglielmo, masquerading as Albanians, jeunes femmes. Ferrando et Guglielmo, déguisés en
albaneses, são apresentados às duas irmãs na albaneses, son presentados a las dos hermanas en are introduced to the two sisters as old friends of albanais, sont présentés aux deux sœurs comme étant
qualidade de velhos amigos de D. Alfonso. calidad de viejos amigos de D. Alfonso. D. Alfonso. de vieux amis de Don Alfonso.

Sob disfarce, Ferrando e Guglielmo cortejam de Bajo el disfraz, Ferrando y Guglielmo cortejan de Disguised, Ferrando and Guglielmo immediately begin Sous leur déguisement, Ferrando et Guglielmo
imediato cada um a noiva do outro. As irmãs não os inmediato cada uno a la novia del otro. Las hermanas no to court with each other’s fiancée. The sisters do not entreprennent de les courtiser sans plus attendre, chacun
reconhecem e ofendem-se com semelhantes los reconocen y se ofenden con semejantes propuestas, recognize them and are offended by their intentions s’adressant à la fiancée de l’autre. Les deux sœurs ne les
propostas, saindo da sala após Fiordiligi ter explicado saliendo de la estancia después de que Fiordiligi haya leaving the room after Fiordiligi explained that her reconnaissent pas et repoussent avec véhémence leurs
que a sua fidelidade é firme como um rochedo. explicado que su fidelidad es firme como una roca. loyalty is as firm as a rock. Guglielmo and Ferrando avances. «Ma fidélité est aussi immuable qu’un rocher»
Guglielmo e Ferrando ficam mais do que nunca Guglielmo y Ferrando acaban más convencidos que are now truly convinced of their lover’s constancy and lance Fiordiligi. Offusquées, elles quittent la pièce.
convencidos da constância das suas amadas, e este nunca de la constancia de sus amadas, y éste último Ferrando believes that true love shall triumph and this Guglielmo et Ferrando sont plus que jamais convaincus de
último considera que o amor triunfante será a melhor considera que el amor triunfante será la mejor will be the best reward of the wager they accepted. la fidélité de leurs bien-aimées. À n’en plus douter,
recompensa da aposta que aceitaram. recompensa de la apuesta que han aceptado. l’amour sera le grand vainqueur de ce pari.

Cena 4 Escena 4 Scene 4 Scène 4

Fiordiligi e Dorabella estão no jardim, lamentando-se Fiordiligi y Dorabella están en el jardín, lamentándose The scene shifts to a garden where Fiordiligi and Fiordiligi et Dorabella sont dans le jardin et chantent
da ausência dos namorados, quando estes entram de la ausencia de los enamorados, cuando éstos Dorabella are grieving the absence of their la douleur profonde que leur fait ressentir l’absence de
em cena ainda disfarçados e acompanhados por aparecen en escena, todavía disfrazados y boyfriends, when the two men appear, still in disguise, leurs amants, lorsque les deux «étrangers» arrivent,
D. Alfonso. Em manifestações de extremo desespero acompañados por D. Alfonso. Con manifestaciones de accompanied by D. Alfonso. In absolute desperation suivis de Don Alfonso. Voyant que leurs déclarations
perante a frieza até agora demonstrada pelas jovens extrema desesperación ante la frialdad demostrada before the indifference manifested until then by the d’amour laissent de marbre les deux jeunes femmes,
para com as suas declarações amorosas, fingem hasta ahora por las jóvenes frente a sus declaraciones young women, to their declarations of love, the young les deux complices feignent d’avaler du poison. Alors
ingerir veneno, e enquanto Fiordiligi e Dorabella amorosas, fingen ingerir veneno, y mientras Fiordiligi men pretend to drink poison resulting in Fiordiligi que Fiordiligi et Dorabella se montrent bouleversées
exprimem a sua comoção por tal gesto, D. Alfonso y Dorabella expresan su conmoción por ese gesto, D. and Dorabella’s distress for such gesture. D. Alfonso par ce geste, Don Alfonso annonce qu’il s’en va
anuncia que vai buscar um médico. Chega Despina, Alfonso anuncia que va a buscar un médico. Ilega makes known that he will bring a doctor. Despina, chercher un médecin. Despina, alliée de Don Alfonso,
entretanto aliciada para a conspiração por D. Alfonso, Despina disfrazada, que participa en la conspiración disguised as a doctor, arrives upon the scene, allured entre en scène, déguisée en médecin. Après avoir
que aparece disfarçada e depois de se gabar dos seus incitada por D. Alfonso. Después de alardear de sus to the plot by D. Alfonso. After praising her vanté ses connaissances encyclopédiques, elle fait
conhecimentos enciclopédicos finge curar os dois conocimientos enciclopédicos finge curar a los dos encyclopaedic knowledge, she makes believe that semblant de guérir les deux faux albanais en utilisant
falsos albaneses utilizando as mais sofisticadas falsos albaneses utilizando las más sofisticadas she has healed the two phony Albanians using the les pratiques les plus sophistiquées de l’époque: le
práticas da época, a saber o mesmerismo1. prácticas de la época, es decir, el mesmerismo1. most sophisticated techniques of the time, like the mesmérisme1.
mesmerism1.
Aproveitando a simpatia que sentem ter despertado Aprovechando la simpatía que notan que han En profitant de l’attendrissement qu’ils sont parvenus
nas jovens com a sua suposta tentativa de suicídio, despertado en las jóvenes con su intento de suicidio, Profiting from the sympathy that they believed to have à éveiller chez les jeunes femmes avec leur soi-disant
Ferrando e Guglielmo pedem-lhes um beijo, mas vêem Ferrando y Guglielmo les piden un beso, pero su won over the young women with their supposed tentative de suicide, Ferrando et Guglielmo leur réclament
este pedido recusado com altivez. petición es rechazada de forma altiva. suicide attempt, Ferrando and Guglielmo ask them for un baiser, ce qu’elles refusent catégoriquement.
a kiss, but this request is rejected with arrogance.

1 1 1 1
Teoria do magnetismo animal criada pelo médico alemão Franz Anton Teoría del magnetismo animal desarrollada por el médico alemán Animal magnetism theory created by the German physician Franz Théorie du magnétisme animal créée par le médecin allemand Franz
Mesmer (1734-1815). Franz Anton Mesmer (1734-1815). Anton Mesmer (1734-1815). Anton Mesmer (1734-1815).

28 Così fan tutte 29


Nesta página: Luís Rodrigues (Guglielmo) e Mário João Alves (Ferrando);

Página seguinte: Ekaterina Godovanets (Fiordiligi), Mário João Alves (Ferrando), Dora
Rodrigues (Despina), Angélica Mansilla (Dorabella) e Luís Rodrigues (Guglielmo).
Fotografias de ensaio.
Acto II Acto II Act II Acte II

Cena 1 Escena 1 Scene 1 Scène 1

Despina tenta convencer as suas amas de que devem Despina intenta convencer a sus amas de que deben Despina tries to convince the young ladies that they Despina essaie de convaincre ses maîtresses de
corresponder sem remorsos ao amor dos dois albaneses, corresponder sin remordimientos al amor de los dos should embrace the love of the two Albanians without correspondre sans réserves à l’amour des deux albanais
explicando-lhes que uma mulher tem de saber, desde os albaneses, explicándoles que, desde los quince años, una remorse, and explains how a woman, from the age of et leur explique qu’une femme doit savoir, dès l’âge de
quinze anos, como tratar o amor sem grande seriedade. mujer tiene que saber tratar el amor sin gran seriedad. fifteen, should handle love with some triviality. quinze ans, ne pas prendre l’amour trop au sérieux.

Quando a criada sai, as duas irmãs confessam uma à Cuando la criada sale, las dos hermanas se confiesan la When the maid leaves, the two sisters confess to each Lorsque la soubrette sort, les deux sœurs avouent
outra que começam a sentir algum interesse pelos una a la otra que empiezan a sentir algún interés por los other that they are starting to feel attracted to the two qu’elles commencent à avoir des sentiments pour les
falsos albaneses e cada uma delas escolhe aquele que falsos albaneses y cada una de ellas escoge el que más disguised Albanians and decide who will pair off with faux albanais et révèlent leur préférence: Dorabella
mais lhe agrada: Dorabella prefere o moreno, le agrada: Dorabella prefiere al moreno, Guglielmo, whom: Dorabella prefers the darker one, Guglielmo, préfère le brun, Guglielmo, tandis que Fiordiligi a un
Guglielmo, enquanto Fiordiligi simpatiza com o louro. mientras que Fiordiligi simpatiza con el rubio. while Fiordiligi succumbs to the blond. faible pour le blond.

Cena 2 Escena 2 Scene 2 Scène 2

Ferrando e Guglielmo chegam ao jardim numa barca, Ferrando y Guglielmo llegan al jardín en una barca, Ferrando and Guglielmo arrive in the garden on a boat, Ferrando et Guglielmo arrivent par bateau et accostent
acompanhados de um grupo de músicos, para fazerem acompañados de un grupo de músicos para cantar una together with a group of musicians serenading the two à proximité du jardin. Accompagnés par un groupe de
uma serenata às duas irmãs. Às suas declarações serenata a las dos hermanas. Sus declaraciones de sisters. Their declarations of love and the favourable musiciens, ils ont l’intention d’offrir aux deux sœurs
de amor juntam-se os argumentos favoráveis de amor se unen a los argumentos favorables de D. Alfonso judgments of D. Alfonso and Despina are somewhat une sérénade. À leurs déclarations d’amour s’ajoutent
D. Alfonso e de Despina, o que surte algum efeito. y de Despina, y todo ello acaba surtiendo efecto. successful. les arguments favorables de Don Alfonso et de
Despina qui portent fruit.
A sós com Guglielmo, Dorabella cede por fim às suas A solas con Guglielmo, Dorabella cede por fin a sus Alone with Guglielmo, Dorabella finally gives in to his
propostas amorosas, e aceita mesmo que este lhe proposiciones amorosas y acepta incluso que éste declarations of love, and accepts a heart-shaped gold Une fois seule avec Guglielmo, Dorabella cède enfin à
ofereça um coração de ouro e leve em troca o le regale un corazón de oro para que lo lleve en lugar ornament from him and, in return, she actually ses avances et va jusqu’à accepter de celui-ci un
medalhão com o retrato de Ferrando que até agora del medallón con el retrato de Ferrando que hasta gives him a locket with Ferrando’s portrait inside pendentif en or en forme de cœur en échange du
trazia consigo. Ferrando por sua vez, declara também ahora llevaba puesto. Ferrando, a su vez, declara that she used to wear. In the meantime, Ferrando also médaillon contenant le portrait de Ferrando. Ferrando,
ele o seu amor a Fiordiligi, mas esta recusa-se a también su amor a Fiordiligi, pero ésta se niega a declares his love to Fiordiligi, but she remains à son tour, déclare également sa flamme à Fiordiligi,
corresponder-lhe. corresponderle. steadfast. mais celle-ci refuse de correspondre à ses avances.

Ficando sozinha, reconhece que a tentação se instalou Cuando se queda sola reconoce que la tentación se ha Fiordiligi finds herself alone and recognizes that she Se retrouvant enfin seule, elle reconnaît que la tentation
na sua alma mas renova os seus votos de lealdade a instalado en su alma, pero renueva sus votos de lealtad nearly fell in temptation but is determined to be true s’est logée dans son cœur, mais elle réaffirme son
Guglielmo. Os dois amigos encontram-se e partilham a Guglielmo. Los dos amigos se encuentran y se cuentan to her Guglielmo. The two young men discuss the intention de rester fidèle à Guglielmo. Les deux amis se
o resultado das suas investidas. Face à traição de los resultados de sus embestidas. Frente a la traición results of their overtures. In face of Dorabella’s rencontrent et échangent leurs récentes expériences.
Dorabella, e embora se sinta orgulhoso da lealdade de de Dorabella, y aunque se sienta orgulloso de la lealtad betrayal, and in spite of being proud of Fiordiligi‘s Face à la trahison de Dorabella, et bien qu’il soit
Fiordiligi ao ponto de se preparar para receber a sua de Fiordiligi hasta el punto de prepararse para recibir determination to the point he is preparing himself to enchanté de la fidélité de Fiordiligi, Guglielmo
metade da aposta, Guglielmo filosofa sobre a su mitad de la apuesta, Guglielmo filosofa sobre la receive his half of the wager, Guglielmo discusses the philosophe sur l’infidélité des femmes et réclame sa
infidelidade das mulheres; Ferrando, embora traído, infidelidad de las mujeres; Ferrando, aunque traicionado, fairer sex’s infidelity. On the other hand, dismayed part de l’enjeu. Ferrando, malgré la trahison de
confessa-se ainda apaixonado por Dorabella. se confiesa todavía enamorado de Dorabella. with the fact that Dorabella has given in to Guglielmo, Dorabella, avoue être encore amoureux d’elle.
Ferrando confesses he is still in love with her.

Cena 3 Escena 3
Scene 3 Scène 3
A sós com Despina, Dorabella reconhece que ama A solas con Despina, Dorabella reconoce que ama a
Guglielmo. Fiordiligi revolta-se contra a atitude da Guglielmo. Fiordiligi se indigna ante la actitud de su Alone with Despina, Dorabella admits her indiscretion Seule avec Despina, Dorabella reconnaît qu’elle s’est
irmã, mas admite com desgosto que ela própria hermana, aunque admite con disgusto que ella misma to Guglielmo. Fiordiligi rebels against her sister’s éprise de Guglielmo. Fiordiligi le lui reproche, mais
começa a amar Ferrando. Dorabella consola-a, comienza a amar a Ferrando. Dorabella la consuela, attitude, notwithstanding sad by the fact that she avoue à contrecœur qu’elle-même commence à aimer
explicando-lhe que não há maneira de resistir ao explicándole que no hay manera de resistirse al amor, herself has surrendered to Ferrando’s charm. Ferrando. Dorabella la console en lui expliquant que ce
amor, que ultrapassa como um ladrão todas as que supera como un ladrón todas las barreras y Dorabella sooths her, explaining that nothing can n’est pas la peine de résister à l’amour qui, tel un
barreiras e depois de roubar o coração da vítima lhe después de robar el corazón de la víctima le impone resist love: it is the thief that surpasses all barriers voleur, franchit toutes les barrières pour dérober le
impõe sem reservas a sua vontade. Quando a irmã e a sin reservas su voluntad. Cuando su hermana y la and, after stealing the victim’s heart, it imposes its cœur de sa victime et lui imposer sa volonté.
criada saem, Fiordiligi fica só e resolve resistir às suas criada salen, Fiordiligi se queda sola y decide resistir will with no reservations whatsoever. The sister and the Dorabella et la soubrette s’en vont et laissent seule

32 Così fan tutte 33


Nesta página: Bruno Praticò (Don Alfonso) e Silvia Colombini (Despina); Bruno Praticò (Don
Alfonso), Simone Alberghini (Guglielmo) e Saimir Pirgu (Ferrando).

Página seguinte: Laura Polverelli (Dorabella) e Simone Alberghini (Guglielmo); Irina Lungu (Fiordiligi)
e Saimir Pirgu (Ferrando).
Fotografias de ensaio.
próprias inclinações, vestir um uniforme de soldado e a sus propias inclinaciones, vestir un uniforme de maid go away, leaving Fiordiligi alone. She decides to Fiordiligi qui entreprend d’enfiler un uniforme de
juntar-se a Guglielmo no campo de batalha. Estes soldado y unirse a Guglielmo en el campo de batalla. resist her very own temptations and decides to put on soldat afin de rejoindre Guglielmo sur le front.
preparativos são, contudo, surpreendidos por No obstante, estos preparativos son descubiertos por a soldier’s uniform and join her fiancé, Guglielmo, in Guglielmo et Ferrando la prennent sur le fait. Alors que
Guglielmo e Ferrando, e enquanto o primeiro rejubila Guglielmo y Ferrando, y mientras que el primero se the battlefield. Nevertheless, Guglielmo and Ferrando find le premier se réjouit de la fidélité de sa bien-aimée,
com a lealdade da sua amada, Ferrando decide tentar regocija por la lealtad de su amada, Ferrando decide out these preparations, and while the former rejoices Ferrando décide d’essayer une fois encore de séduire
de novo convencer a jovem. Face a este novo encontro, intentar convencer de nuevo a la joven. En este nuevo with his lover’s standfastness, Ferrando decides to try la jeune femme. Cette nouvelle rencontre a raison de
Fiordiligi já não consegue resistir e reconhece o seu encuentro Fiordiligi no consigue resistirse y reconoce once again to woo the young lady. Confronted with this la résistance de Fiordiligi qui reconnaît son amour
amor por Ferrando. su amor por Ferrando. new encounter, Fiordiligi can no longer resist and pour Ferrando.
declares her love to Ferrando.
Guglielmo e Ferrando, a sós com D. Alfonso, percebem Guglielmo y Ferrando, a solas con D. Alfonso, entienden Guglielmo et Ferrando, seuls avec Don Alfonso, se
que foram ambos traídos. O amigo procura consolá-los que ambos han sido traicionados. Su amigo intenta Guglielmo and Ferrando, alone with D. Alfonso, rendent compte qu’ils ont été trahis. Don Alfonso les
afirmando que Fiordiligi e Dorabella não são excepções consolarlos afirmando que Fiordiligi y Dorabella no son understand that they were both betrayed. Their friend console en leur affirmant que Fiordiligi et Dorabella ne
e que é assim que fazem todas as mulheres. Chega excepciones y que así es como actúan todas las mujeres. tries to comfort them saying that Fiordiligi and sont pas des exceptions et que toutes les femmes font
Despina, que anuncia que as duas irmãs estão prontas Llega Despina, que anuncia que las dos hermanas están Dorabella are no exceptions to the rule, claiming that ainsi. Despina arrive et annonce que les deux sœurs
a desposar os dois albaneses e se prontifica a ir buscar listas para desposar a los dos albaneses y se ofrece a ir all women behave the same; it is their nature. Despina sont prêtes à épouser les deux albanais. Elle se
o notário para celebrar a cerimónia. a buscar al notario para celebrar la ceremonia. arrives announcing that the two sisters are ready to propose d’aller chercher immédiatement le notaire
marry the two Albanians and volunteers to bring the pour célébrer le mariage.
notary to celebrate the wedding.
Cena 4 Escena 4

Despina e um grupo de criados acabam de preparar Despina y un grupo de criados terminan de preparar el Scene 4 Scène 4
o salão para a cerimónia. Os dois casais de noivos salón para la ceremonia. Las dos parejas de novios
entram, são saudados pelo coro dos criados e entran, son saludados por el coro de los criados y se Despina and a group of servants have just prepared the Despina et quelques valets achèvent de préparer le
sentam-se à mesa. D. Alfonso apresenta o notário sientan a la mesa. D. Alfonso presenta al notario, que room for the wedding ceremony. Saluted by a choir of salon pour la cérémonie. Les futurs époux, accueillis
que é, mais uma vez Despina disfarçada, e que de nuevo es Despina disfrazada y que celebra el servants, the two young couples come in and are seated par un chœur de bienvenue, prennent place à table.
celebra o casamento com grande verborreia jurídica casamiento con una gran verborrea jurídica que nadie at the table. D. Alfonso introduces the notary, who, once Don Alfonso présente le notaire qui n’est autre que
que ninguém entende. Uma vez assinado o contrato entiende. Sin embargo, una vez firmado el contrato again, is Despina in disguise. She celebrates the Despina travestie une fois de plus. Le notaire célèbre
matrimonial, e subitamente desaparecidos o falso matrimonial y después de que desaparezcan wedding using legal jargon that no one understands. le mariage en utilisant un verbiage juridique
notário e os dois falsos albaneses, ouve-se o coro súbitamente tanto el notario como los dos falsos Once the contract is signed, and following the sudden incompréhensible. Une fois le contrat de mariage
militar do primeiro acto e D. Alfonso anuncia albaneses, se oye el coro militar del primer acto y D. vanishing of the disguised notary and the two phony signé, le chœur militaire du premier acte interrompt la
o regresso iminente dos dois noivos partidos para Alfonso anuncia el regreso inminente de los dos novios Albanians, the military choir of the first act is heard, cérémonie. Le faux notaire et des deux faux albanais
a guerra. que partieron a la guerra. and D. Alfonso announces the inevitable return of the disparaissent soudainement. C’est alors que Don
two young men who went to war. Alfonso annonce le retour imminent des deux fiancés
Ferrando e Guglielmo reentram assumindo as suas Ferrando y Guglielmo reaparecen asumiendo sus partis en guerre.
verdadeiras identidades e são recebidos com grande verdaderas identidades y son recibidos con gran Ferrando and Guglielmo come in assuming their true
embaraço por Fiordiligi e Dorabella. Denunciam vergüenza por Fiordiligi y Dorabella. Acusan identities and are received by Fiordiligi and Dorabella Ferrando et Guglielmo arrivent sous leur véritable
rapidamente Despina ainda vestida de notário, que rápidamente a Despina, aún vestida de notario, y les with great embarrassment. They quickly expose identité et sont accueillis par Fiordiligi et Dorabella
lhes explica ter acabado de regressar de um baile de explican que acaban de regresar de un baile de Despina, who, still disguised as a notary, claims to qui se montrent très embarrassées. Ils dénoncent
máscaras, e apanham do chão o contrato matrimonial máscaras, y recogen del suelo el contrato matrimonial have just returned from a masquerade ball. They Despina encore déguisée en notaire, laquelle affirme
que D. Alfonso propositadamente deixou cair. que D. Alfonso dejó caer deliberadamente. pickup the marital contract from the ground that sortir tout droit d’un bal masqué, et ramassent le
D. Alfonso had purposely let fall. contrat de mariage que Don Alfonso a volontairement
Para levar ao máximo o desespero das suas amadas vão Para mayor desesperación de sus amadas, los soldados laissé tomber.
depois vestir-se de novo com as roupas de albaneses, van a vestirse de nuevo con las ropas albaneses, pero In order to take full advantage of their lovers’ despair,
ainda que sem os bigodes e cabeleiras que até então sin los bigotes y las pelucas que hasta entonces habían they leave once again, to disguise themselves as Afin d’accroître le désespoir de leurs bien-aimées, ils
tinham usado com elas, e Ferrando devolve a Dorabella llevado, y Ferrando devuelve a Dorabella su retrato, que Albanians, but without the moustaches and the wigs quittent la scène pour se déguiser à nouveau en
o seu retrato, que esta havia dado a Guglielmo. ésta había dado a Guglielmo. they had worn till then for them. Ferrando returns his albanais, mais sans les moustaches et les perruques.
portrait to Dorabella, who had given it to Guglielmo. Ferrando rend à Dorabella le médaillon qu’elle avait
D. Alfonso intervém então para explicar que agora que D. Alfonso interviene entonces explicar que ahora que offert à Guglielmo.
a verdade foi reposta e que a ingenuidade crédula se ha revelado la verdad y que la crédula ingenuidad D. Alfonso intervenes then to explain that because the
expressa pelos amantes no início de toda a aventura manifestada por los amantes al principio de la aventura truth had been restored and that the credulous naivety Don Alfonso intervient alors en expliquant que la vérité
ficou bem evidente, não há razão para que não se dê ha quedado bien evidente, no existe ninguna razón para shown by the lovers in the beginning of this adventure est enfin apparue et que les jeunes amants se sont
uma reconciliação geral, feita de compreensão das que no se produzca una reconciliación general al was well clear, all should ultimately be forgiven, as montrés bien naïfs au début de l’aventure. Il leur faut
fraquezas na natureza humana e de tolerância mútua. amparo de la mutua tolerancia y de la comprensión de everybody understands the weaknesses of human maintenant se réconcilier, admettre les faiblesses de
las flaquezas de la naturaleza humana. nature, and tolerate things as they are. la nature humaine et faire preuve de tolérance.

36 Così fan tutte 37


Così fan tutte Don Alfonso (fra sé) Don Alfonso (para si)
O pazzo desire! Que louco desejo este:
Libretto Libreto Cercar di scoprire tentar descobrir um mal
quel mal che, trovato, que, quando se encontra,
meschini ci fa. só nos prejudica.
Acto I Acto I
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Scena 1 Cena 1 Fuor la spada! Scegliete Mostrai essa espada! Escolhei
Bottega di caffè. Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso. Na sala de um café. Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso. qual di noi più vi piace. qual de nós preferis para um duelo.

N.º 1 – Terzetto N.º 1 – Terceto Don Alfonso (placido) Don Alfonso (calmamente)
Io son uomo di pace, Eu sou um homem de paz,
Ferrando Ferrando e duelli non fo, se non a mensa. e apenas faço duelos à mesa.
La mia Dorabella A minha Dorabella
capace non è: não é disso capaz; Ferrando Ferrando
fedel quanto bella o céu fê-la tão fiel O battervi, o dir subito Batei-vos, ou dizei depressa
il cielo la fé. quanto bela. perché d’infedeltà le nostre amanti porque julgais as nossas amantes
sospettate capaci! capazes de infidelidade!
Guglielmo Guglielmo
La mia Fiordiligi A minha Fiordiligi Don Alfonso Don Alfonso
tradirmi non sa: não sabe trair-me; Cara semplicità, quanto mi piaci! Cara ingenuidade, quanto me agradas!
uguale in lei credo creio que nela se unem
costanza e beltà. a constância e a formosura. Ferrando Ferrando
Cessate di scherzar, o giuro al cielo!... Deixai de gracejar, ou juro pelos céus...
Don Alfonso Don Alfonso
Ho i crini già grigi, Já tenho cabelos brancos Don Alfonso Don Alfonso
ex cathedra parlo; e falo ex cathedra; Ed io, giuro alla terra, E eu, juro pela terra,
ma tali litigi terminemos, porém, non scherzo, amici miei; não brinco, meus amigos;
finiscano qua. estas discussões. solo saper vorrei apenas desejo saber
che razza di animali a que raça de animais
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo son queste belle, pertencem essas vossas amantes;
No, detto ci avete Não, dissestes que elas se han come tutti noi carne, ossa e pelle, se têm, como todos nós, carne, ossos e pele,
che infide esser ponno; nos podem ser infiéis. se mangian come noi, se veston gonne, se comem como nós, se vestem saias.
provar ce’l dovete, Há que prová-lo, alfin, se Dee, se donne son... Enfim, se são deusas, ou mulheres...
se avete onestà. se tendes honra.
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Don Alfonso Don Alfonso Son donne, São mulheres,
Tai prove lasciamo... Deixemos as provas... ma... son tali, son tali... mas… têm uma classe...

Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo Don Alfonso Don Alfonso


No, no, le vogliamo: Não, não, desejamo-las: E in donne pretendete E pretendeis encontrar
o, fuori la spada, ou desembainharemos as espadas di trovar fedeltà? fidelidade em mulheres?
rompiam l’amistà. e acabaremos com a nossa amizade. Quanto mi piaci mai, semplicità! Ó ingenuidade, quanto me agradas!

(metton mano alla spada) (puxam das espadas) N.º 2 – Terzetto N.º 2 – Terceto

Ferrando e Guglielmo (fra sé) Ferrando e Guglielmo (para si) Don Alfonso (scherzando) Don Alfonso (troçando)
Sul vivo mi tocca Toca-me num ponto sensível E la fede delle femmine A fé das mulheres
chi lascia di bocca todo aquele que proferir come l’araba fenice: É como a Fénix árabe
sortire un accento uma só palavra che vi sia, ciascun lo dice; – Todos dizem que existe...
che torto le fa. que a possa injuriar. dove sia, nessun lo sa. Onde está, ninguém o sabe.

38 Così fan tutte 39


Ferrando (con fuoco) Ferrando (fogosamente) Ferrando Ferrando
La fenice è Dorabella! A Fénix é Dorabella! Giuramenti... Promessas...

Guglielmo Guglielmo Don Alfonso Don Alfonso


La fenice è Fiordiligi! A Fénix é Fiordiligi! Pianti, sospir, carezze, svenimenti. Choros, suspiros, carícias, desmaios.
lasciatemi un pò ridere... Deixai-me rir um pouco...
Don Alfonso Don Alfonso
Non è questa, non è quella: Não é essa, nem a outra; Ferrando Ferrando
non fu mai, non vi sarà. nunca houve, nem nunca haverá. Cospetto! Basta!
È la fede delle femmine A fé das mulheres Finite di deriderci? Deixais de rir de nós?
come l’araba fenice: é como a Fénix árabe
che vi sia, ciascun lo dice; – Todos dizem que existe... Don Alfonso Don Alfonso
dove sia, nessun lo sa. Onde está, ninguém o sabe. Pian piano: Devagar, calma:
e se toccar con mano e se eu vos provar hoje mesmo
Ferrando Ferrando oggi vi fo che come l’altre sono? que elas são iguais a todas as outras?
Scioccherie di poeti! Parvoíces de poetas!
Guglielmo Guglielmo
Guglielmo Guglielmo Non si può dar! Isso é impossível.
Scempiaggini di vecchi! Loucuras de velhos!
Ferrando Ferrando
Don Alfonso Don Alfonso Non è! Não é possível.
Orbene; udite, Pois bem, ouvi-me,
ma senza andare in collera: mas sem fúrias: Don Alfonso Don Alfonso
qual prova avete voi che ognor costanti que provas tendes de que as vossas amantes Giochiam! Apostemos.
vi sien le vostre amanti; vos são sempre fiéis?
chi vi fè sicurtà che invariabili Quem vos fez ter a certeza de que Ferrando Ferrando
sono i lor cori? os corações delas permanecem imutáveis? Giochiamo. Apostemos.

Ferrando Ferrando Don Alfonso Don Alfonso


Lunga esperienza... Longa experiência... Cento zecchini. Cem «zecchini».

Guglielmo Guglielmo Guglielmo Guglielmo


Nobil educazion... Nobre educação... E mille se volete. Mil, se assim o desejares.

Ferrando Ferrando Don Alfonso Don Alfonso


Pensar sublime... Pensamentos sublimes... Parola... Palavra!

Guglielmo Guglielmo Ferrando Ferrando


Analogia d’umor... Feitios parecidos... Parolissima. Palavríssima!

Ferrando Ferrando Don Alfonso Don Alfonso


Disinteresse... Desinteresse... E un cenno, un motto, un gesto E jurais não dizer às vossas Penélopes
giurate di non far di tutto questo uma palavra, um aceno, um gesto
Guglielmo Guglielmo alle vostre Penelopi. daquilo que combinarmos?
Immutabil carattere... Feitio constante…
Ferrando Ferrando
Ferrando Ferrando Giuriamo. Juramos.
Promesse... Promessas…
Don Alfonso Don Alfonso
Guglielmo Guglielmo Da soldati d’onore? Palavra de honra?
Proteste... Protestos…
Guglielmo Guglielmo
Da soldati d’onore. Palavra de militares!

40 Così fan tutte 41


Don Alfonso Don Alfonso Fiordiligi Fiordiligi
E tutto quel farete E faríeis tudo Ah, guarda, sorella, Ah, repara, irmã,
ch’io vi dirò di far? o que eu vos ordenasse? se bocca più bella, se é possível encontrar
se petto più nobile boca mais bela
Ferrando Ferrando si può ritrovar. e aspecto mais nobre.
Tutto. Tudo.
Dorabella Dorabella
Guglielmo Guglielmo Osserva tu un poco, Observa tu um pouco,
Tuttissimo. Mesmo tudo. che fuoco ha ne’ sguardi! observa o fogo do seu olhar,
Se fiamma, se dardi se não parece lançar
Don Alfonso Don Alfonso non sembran scoccar. chamas e flechas.
Bravissimi! Muito bem!
Fiordiligi Fiordiligi
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo Si vede un sembiante Vê-se o semblante
Bravissimo, Muito bem, guerriero ed amante. de um guerreiro e amante.
signor Don Alfonsetto! senhor Don Alfonsinho!
Dorabella Dorabella
Ferrando Ferrando Si vede una faccia Vê-se uma face
A spese vostre or ci divertiremo. Vamos divertir-nos com o vosso dinheiro. che alletta e minaccia. que agrada e ameaça.

Guglielmo (a Ferrando) Guglielmo (para Ferrando) Fiordiligi Fiordiligi


E de’ cento zecchini, che faremo? E que faremos nós com os cem «zecchini»? Io sono felice. Eu estou feliz!

N.º 3 – Terzetto N.º 3 – Terceto Dorabella Dorabella


Felice son io. Feliz estou eu!
Ferrando Ferrando
Una bella serenata Quero fazer uma bela Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
far io voglio alla mia Dea. serenata à minha deusa. Se questo mio core Se este meu coração
mai cangia desio, alguma vez for inconstante,
Guglielmo Guglielmo amore mi faccia que o amor me faça
In onor di Citerea Quero dar um banquete vivendo penar. viver sofrendo.
un convito io voglio far. em honra de Vénus.
Fiordiligi Fiordiligi
Don Alfonso Don Alfonso Mi par che stamattina volentieri Sinto-me com vontade de fazer umas loucuras
Sarò anch’io de’ convitati? Eu serei convidado? farei la pazzarella: ho un certo foco, esta manhã; sinto um certo fervor,
un certo pizzicor entro le vene... um certo fogo nas minhas veias...
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo Quando Guglielmo viene... se sapessi Quando Guglielmo chegar… se ele sonhasse
Ci sarete, sì signor. Claro que sereis, sim senhor. che burla gli vo’ far! o que lhe quero fazer!

Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso Dorabella Dorabella
E che brindisi replicati Quantos brindes repetidos desejamos Per dirti il vero, Para te dizer a verdade,
far vogliamo al Dio d’amor! fazer ao Deus do amor! qualche cosa di nuovo também eu sinto
anch’io nell’alma provo: io giurerei algo de novo na alma: juraria
(partono) (saem) che lontane non siam dagli imenei. que não estamos longe do casamento.

Fiordiligi Fiordiligi
Scena 2 Cena 2 Dammi la mano: io voglio astrologarti. Dá-me a tua mão: quero ler-ta.
Giardino sulla spiaggia del mare. Fiordiligi e Jardim à beira-mar. Fiordiligi e Dorabella olhando para Uh, che bell’Emme! E questo hmm, que belo eme! E aqui temos um pê!
Dorabella. Guardano un ritratto che lor pende dal um retrato. è un Pi! Va bene: matrimonio presto. Já percebi: Matrimónio Próximo!
fianco.
Dorabella Dorabella
N.º 4 – Duetto N.º 4 – Dueto Affé che ci avrei gusto! Eu gostava que acontecesse!

42 Così fan tutte 43


Fiordiligi Fiordiligi Don Alfonso Don Alfonso
Ed io non ci avrei rabbia. E eu não ficaria zangada. Convien armarvi, Minhas filhas, convém
figlie mie, di costanza. que vos armeis de constância.
Dorabella Dorabella
Ma che diavol vuol dir che i nostri sposi Mas porque é que os nossos noivos Dorabella Dorabella
ritardano a venir? Son già le sei. tardam tanto? Já são seis horas. Oh Dei! Qual male Oh Deuses! Que desgraça
è addivenuto mai, qual caso rio? aconteceu, que fatalidade ocorreu?
Fiordiligi Fiordiligi Forse è morto il mio bene? Será que o meu amado morreu?
Eccoli. Aí estão eles.
Fiordiligi Fiordiligi
E morto il mio? Foi o meu que morreu?
Scena 3 Cena 3
Le suddette e Don Alfonso. Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso. Don Alfonso Don Alfonso
Morti... non son, ma poco men che morti. Mortos… não estão, mas estão lá quase.
Fiordiligi Fiordiligi
Non son essi: è Don Alfonso, Não são eles; é Don Alfonso, Dorabella Dorabella
l’amico lor. o amigo deles. Feriti? Estão feridos?

Dorabella Dorabella Don Alfonso Don Alfonso


Ben venga Bem-vindo, No. Não.
il signor Don Alfonso! senhor Don Alfonso.
Fiordiligi Fiordiligi
Don Alfonso Don Alfonso Ammalati? Doentes?
Riverisco. Saúdo-vos.
Don Alfonso Don Alfonso
Fiordiligi Fiordiligi Neppur. Tão pouco.
Cos’è? Perché qui solo? Voi piangete? Que se passa? Porque chegais sozinho? Chorais?
Parlate, per pietà: che cosa è nato? Falai, por piedade, que aconteceu? Fiordiligi Fiordiligi
L’amante... O meu amado... Che cosa, dunque? Então o que é que aconteceu?

Dorabella Dorabella Don Alfonso Don Alfonso


L’idol mio... O meu ídolo... Al marzial campo Uma ordem régia chama-os
ordin regio li chiama. ao campo de batalha.
Don Alfonso Don Alfonso
Barbaro fato! Bárbaro destino! Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Ohimè, che sento! Ai de mim, que ouço!
N.º 5 – Aria N.º 5 – Ária
Fiordiligi Fiordiligi
Don Alfonso Don Alfonso E partiran? E vão partir?
Vorrei dir, e cor non ho, Quero falar e não tenho coragem:
balbettando il labbro va. os lábios tremem-me. Don Alfonso Don Alfonso
Fuor la voce uscir non può, A voz não me sai, Sul fatto. Imediatamente.
ma mi resta mezza qua. as palavras ficam embargadas.
Che farete? Che farò? que fareis? Que farei eu? Dorabella Dorabella
Oh, che gran fatalità! Oh, que grande fatalidade! E non v’è modo d’impedirlo? E não há meio de o impedir?
Dar di peggio non si può, Nada de pior poderia acontecer.
ho di voi, di lor pietà. Tenho piedade por vós e por eles. Don Alfonso Don Alfonso
Non v’è. Não há.
Fiordiligi Fiordiligi
Stelle! Per carità, signor Alfonso, Céus! Por caridade, senhor Alfonso, Fiordiligi Fiordiligi
Non ci fate morir. não nos façais morrer. Né un solo addio?... Nem um adeus?...

44 Così fan tutte 45


Don Alfonso Don Alfonso Fiordiligi Fiordiligi
Gl’infelici non hanno Os infelizes nem sequer Pria ti vo’ morire ai piedi! Prefiro morrer aos teus pés.
coraggio di vedervi. coragem têm para vos ver;
Ma se voi lo bramate, mas, se assim o desejardes, Ferrando (Sottovoce a Don Alfonso.) Ferrando (Baixo, para Don Alfonso.)
son pronti... estão prontos a... Cosa dici? Então, que dizeis?

Dorabella Dorabella Guglielmo (Sottovoce a Don Alfonso.) Guglielmo (Baixo, para Don Alfonso.)
Dove son? Onde estão eles? Te n’avvedi? Estais a ver?

Don Alfonso Don Alfonso Don Alfonso (Sottovoce ai due amanti.) Don Alfonso (Baixo, para os dois amigos.)
Amici, entrate. Entrai, amigos. Saldo, amico: finem lauda. Calma amigos, esperemos pelo final.

Tutti Todos
Scena 4 Cena 4 Il destin così defrauda O destino defrauda assim
Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso. Ferrando e Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso. Ferrando e le speranze de’ mortali. as esperanças dos mortais.
Guglielmo in abito da viaggio. Guglielmo com fatos de viagem. Ah, chi mai fra tanti mali, Ah, quem pode amar a vida
chi mai può la vita amar? no meio de tantas desgraças?
N. 6 – Quintetto N.º 6 – Quinteto
Don Alfonso (fra sé) Don Alfonso (para si)
Guglielmo Guglielmo La commedia è graziosa, e tutti due A comédia é engraçada, e ambos
Sento, oddio, che questo piede Sinto, oh Deus, que os meus pés fan ben la loro parte. representam bem os seus papéis.
è restio nel girle avante. se recusam a caminhar.
(si sente un tamburo in distanza) (ouve-se o rufar de um tambor à distância)
Ferrando Ferrando
Il mio labbro palpitante Os meus lábios palpitantes Ferrando Ferrando
non può detto pronunziar. não conseguem pronunciar uma palavra. Oh cielo! Questo Céus, este é
è il tamburo funesto o tambor funesto
Don Alfonso Don Alfonso che a divider mi vien dal mio tesoro. que me vem apartar do meu tesouro.
Nei momenti più terribili É nos momentos mais terríveis
sua virtù l’eroe palesa. que os heróis manifestam a sua virtude. Don Alfonso Don Alfonso
Ecco, amici, la barca. Eis o navio, amigos.
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Or che abbiam la nuova intesa, Depois de termos ouvido a notícia, Fiordiligi Fiordiligi
a voi resta a fare il meno; cabe a vós a tarefa mais fácil: Io manco. Faltam-me as forças.
fate core: a entrambe in seno tende coragem, e cravai
immergeteci l’acciar. as vossas espadas no nosso peito. Dorabella Dorabella
Io moro. Eu morro.
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Idol mio, la sorte incolpa Meu ídolo, a culpa é do destino
se ti deggio abbandonar. se tenho de te abandonar. Scena 5 Cena 5
Fiordiligi, Dorabella, Don Alfonso, Ferrando, Fiordiligi, Dorabella, Don Alfonso, Ferrando,
Dorabella (a Ferrando) Dorabella (para Ferrando) Guglielmo, soldati e popolani. Marcia militare in Guglielmo, Soldados e Povo. Ouve-se uma marcha
Ah, no, no, non partirai! Ah, não, não partirás... qualche distanza. Arriva una barca alla sponda; poi militar à distância. Chega um navio à praia; depois
entra nella scena una truppa di soldati, entram em cena soldados acompanhados por
Fiordiligi (a Guglielmo) Fiordiligi (para Guglielmo) accompagnata da uomini e donne. homens e mulheres do povo.
No, crudel, non te n’andrai! Não cruel, não partirás!

Dorabella Dorabella
Voglio pria cavarmi il core! Prefiro arrancar o coração.

46 Così fan tutte 47


N. 8 – Coro N.º 8 – Coro Ferrando Ferrando
Sei certa, o cara. Podes estar segura, minha querida.
Soldati e Popolani Soldados e Povo
Bella vita militar! Bela vida militar! Guglielmo Guglielmo
Ogni dì si cangia loco; Todos os dias se muda de posto; Non dubitar, mio bene. Não duvides, meu tesouro.
oggi molto, doman poco, hoje tem-se muito, amanhã pouco;
ora in terra ed or sul mar. ora se anda em terra, ora no mar. Don Alfonso (fra sé) Don Alfonso (para si)
Il fragor di trombe e pifferi, O fragor das trombetas e dos pífaros, Io crepo, se non rido! Eu, se não rir, rebento.
lo sparar di schioppi e bombe, o disparar das armas e das bombas
forza accresce al braccio e all’anima aumentam as forças dos braços e das almas Fiordiligi Fiordiligi
vaga sol di trionfar. que apenas aspiram a triunfar. Sei costante a me sol... Sê fiel apenas a mim.
Bella vita militar! Bela vida militar!
Dorabella Dorabella
Don Alfonso Don Alfonso Serbati fido. Mantém-te fiel!
Non v’è più tempo, amici: andar conviene Não temos mais tempo, amigos; deveis encaminhar-vos
ove il destino, anzi il dover, v’invita. para onde o destino, ou melhor, o dever, vos chama. Ferrando Ferrando
Addio. Adeus.
Fiordiligi Fiordiligi
Mio cor... Meu coração... Guglielmo Guglielmo
Addio. Adeus.
Dorabella Dorabella
Idolo mio... Meu ídolo... Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Addio. Adeus.
Ferrando Ferrando
Mio ben... Meu bem... Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo
Mi si divide il cor, bell’idol mio! Parte-se-me o coração, belo ídolo meu!
Guglielmo Guglielmo Addio! Addio! Addio! Adeus! Adeus! Adeus!
Mia vita... Minha vida...
Soldati e Popolani Soldados e Povo
Fiordiligi Fiordiligi Bella vita militar! Bela vida militar!
Ah, per un sol momento... Ah, só por um momento… Ecc. Etc.

Don Alfonso Don Alfonso (Mentre si ripete il Coro, Ferrando e Guglielmo entrano (Enquanto se repete o coro, Ferrando e Guglielmo entram
Del vostro reggimento A barca do vosso regimento nella barca che poi s’allontana tra suon di tamburi ecc. na barca que se afasta ao som do rufar dos tambores.
già è partita la barca; acaba de partir; I soldati partono seguiti dagli uomini e dalle donne. Os soldados saem, seguidos pelos homens e mulheres do
raggiungerla convien coi pochi amici é conveniente alcançá-la com alguns amigos que, Le amanti restano immobili sulla sponda del mare.) povo. As duas apaixonadas permanecem imóveis na praia.)
che su legno più lieve num barco menor,
attendendo vi stanno. vos esperam. Scena 6 Cena 6
Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso. Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso.
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Abbracciami, idol mio. Abraça-me, ídolo meu. Dorabella Dorabella
Dove son? Onde estão?
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Muoio d’affanno. Morro de angústia! Don Alfonso Don Alfonso
Son partiti. Já partiram.
N.º 9 – Quintetto N.º 9 – Quinteto
Fiordiligi Fiordiligi
Fiordiligi (piangendo) Fiordiligi (chorando) Oh dipartenza Oh partida
Di scrivermi ogni giorno Jura-me, minha vida, crudelissima, amara! crudelíssima e amarga!
giurami, vita mia! que me escreverás todos os dias!
Don Alfonso Don Alfonso
Dorabella (piangendo) Dorabella (chorando) Fate core, Coragem,
Due volte ancora Tu, escreve-me Carissime figliuole. queridas raparigas.
tu scrivimi, se puoi. duas vezes, se puderes. (facendo moto col fazzoletto) (acenando com o lenço)

48 Così fan tutte 49


Guardate: da lontano Vede: lá ao longe Scena 8 Cena 8
vi fan cenno con mano i cari sposi. os vossos esposos fazem-vos sinais. Camera gentile con diverse sedie, un tavolino, ecc.; Sala com várias cadeiras, uma mesinha, etc. Três
tre porte: due laterali, una di mezzo. Despina sola. portas: duas laterais, uma no meio. Despina sozinha.
Fiordiligi (salutando) Fiordiligi (saudando)
Buon viaggio, mia vita! Boa viagem, minha vida! Despina (frullando il cioccolatte) Despina (mexendo o chocolate)
Che vita maledetta Que vida maldita,
Dorabella (salutando) Dorabella (saudando) è il far la cameriera! a de criada!
Buon viaggio! Boa viagem! Dal mattino alla sera De manhã à noite
si fa, si suda, si lavora, e poi sua-se, trabalha-se, faz-se, e depois
Fiordiligi Fiordiligi di tanto che si fa nulla è per noi. de tudo o que se faz, nada é para nós.
Oh Dei! Come veloce Oh deuses, quão veloz è mezza ora che sbatto; Há já meia-hora que bato;
se ne va quella barca! Già sparisce, parte esse navio! Já desapareceu! il cioccolatte è fatto, ed a me tocca o chocolate está pronto, e a mim compete-me
già non si vede più. Deh, faccia il cielo Já não se avista! Queira o céu restar ad odorarlo a secca bocca? cheirá-lo e ficar com a boca seca?
ch’abbia prospero corso. que a viagem seja boa. Non è forse la mia come la vostra, A minha boca não será, por acaso, igual à vossa?
o garbate signore, Ó elegantes senhoras,
Dorabella Dorabella che a voi dèssi l’essenza, e a me l’odore? quem vos deu a vós a essência e a mim o cheiro?
Faccia che al campo giunga Que faça com que chegue ao campo Per Bacco, vo’ assaggiarlo: cospettaccio! Por Baco, vou prová-lo.
con fortunati auspici. de batalha com felizes auspícios. Com’ è buono! Como é bom!
(si forbe la bocca) (limpa a boca)
Don Alfonso Don Alfonso Vien gente. Está a chegar gente!
E a voi salvi gli amanti, a me gli amici. E que salve os vossos amantes, e meus amigos. Oh ciel, son le padrone! Céus, são as patroas.

N.º 10 – Terzettino N.º 10 – Terceto


Scena 9 Cena 9
Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso Despina. Fiordiligi e Dorabella ch’entrano Despina.Fiordiligi e Dorabella, que entram
Soave sia il vento, Que o vento seja suave, disperatamente. desesperadas.
tranquilla sia l’onda, tranquilas se mostrem as ondas,
ed ogni elemento e que todos os elementos Despina (presentando il cioccolatte sopra una guantiera) Despina (apresentando o chocolate numa bandeja)
benigno risponda respondam benignamente Madame, ecco la vostra colazione. Senhoras, eis aqui o vosso pequeno-almoço.
ai nostri/vostri desir. aos nossos desejos. (Dorabella gitta tutto a terra) (Dorabella deita tudo ao chão)
Diamine, cosa fate? Diabo, que fazeis?
(partono le due donne) (as duas mulheres saem)
Fiordiligi Fiordiligi
Ah! Ah!
Scena 7 Cena 7
Don Alfonso solo. Don Alfonso só. Dorabella Dorabella
Ah! Ah!
Don Alfonso Don Alfonso
Non son cattivo comico! Va bene... Não sou mau comediante! Está bem… (si cavano entrambe tutti gli ornamenti donneschi) (arrancam todos os seus enfeites)
Al concertato loco i due campioni No local aprazado os dois campeões
di Ciprigna e di Marte de Vénus e de Marte Despina Despina
mi staranno attendendo: or senza indugio estarão à minha espera: agora, e depressa, Che cosa è nato? Que aconteceu?
raggiungerli conviene. Quante smorfie, convém reunir-me a eles. Quantos achaques,
quante buffonerie! quantas palhaçadas! Fiordiligi Fiordiligi
Tanto meglio per me... Melhor para mim… Ov’è un acciaro? Onde está uma espada?
Cadran più facilmente: Cairão mais facilmente:
questa razza di gente è la più presta Esta raça de gente é a mais rápida Dorabella Dorabella
a cangiarsi d’umore. Oh, poverini! a mudar de humores. Oh, pobres deles! Un veleno dov’è? Onde se encontra um veneno?
Per femmina giocar cento zecchini? Apostar cem «zecchini» por uma mulher?
«Nel mare solca e nell’arena semina «Lavra no mar, semeia na areia, Despina Despina
E il vago vento spera in rete accogliere e espera colher vento em redes Padrone, dico!... Senhoras, dizia eu...
Chi fonda sue speranze in cor di femmina.» aquele que deposita as suas esperanças
num coração de mulher.»

50 Così fan tutte 51


Dorabella Dorabella Despina Despina
Ah, scostati! Paventa il tristo effetto Ah, afasta-te! Treme perante o triste efeito Tanto meglio per loro: Melhor para eles:
d’un disperato affetto: de um afecto desesperado! li vedrete tornar carchi d’alloro. ireis vê-los regressar cobertos de glória.
chiudi quelle finestre... Odio la luce, Fecha aquelas janelas... odeio a luz,
odio l’aria che spiro... Odio me stessa, odeio o ar que respiro... Odeio a mim mesma. Fiordiligi Fiordiligi
chi schernisce il mio duol, chi mi consola. Quem brinca com omeu desgosto, quem me consola? Ma ponno anche perir. Mas também podem morrer.
Deh, fuggi per pietà, lasciami sola! Vai, foge, por piedade! Deixa-me a sós.
Despina Despina
N.º 11 – Aria N.º 11 – Ária Allora, poi, Então, pois,
tanto meglio per voi. melhor ainda para vós.
Dorabella Dorabella
Smanie implacabili Ânsias implacáveis Fiordiligi (sorge arrabbiata) Fiordiligi (zangada)
che m’agitate, que me agitais Sciocca, che dici? Tola, que dizes?
entro quest’anima penetrai esta alma,
più non cessate e não vos detenhais Despina Despina
fin che l’angoscia até que a angústia La pura verità: due ne perdete, A mais pura das verdades: perdeis dois,
mi fa morir. me faça morrer. vi restan tutti gli altri. ficareis com todos os outros.
Esempio misero Com o horrível som
D’amor funesto dos meus suspiros Fiordiligi Fiordiligi
darò all’Eumenidi, darei às Euménides, Ah, perdendo Guglielmo Ah, perdendo Guglielmo
se viva resto, se continuar viva, mi pare ch’io morrei! creio que morrerei!
col suono orribile um triste exemplo
de’ miei sospir. de um amor funesto. Dorabella Dorabella
Ah, Ferrando perdendo Ah, perdendo Ferrando
Despina Despina mi par che viva a seppellirmi andrei! creio que ficarei enterrada viva!
Signora Dorabella, Senhora Dorabella,
signora Fiordiligi, senhora Fiordiligi, Despina Despina
ditemi: che cos’è stato? dizei-me: que aconteceu? Brave, «vi par», ma non è ver: ancora Muito bem, «credes», mas não é verdade: nunca
non vi fu donna che d’amor sia morta. nenhuma mulher morreu de amor.
Dorabella Dorabella Per un uomo morir!... Altri ve n’ hanno Morrer por um homem!... Existem
Oh, terribil disgrazia! Oh, uma terrível desgraça! che compensano il danno. compensações para esse mal.

Despina Despina Dorabella Dorabella


Sbrigatevi in buon’ora. Dizei rapidamente. E credi che potria E crês que poderia
altr’uom amar chi s’ebbe per amante amar outro homem quem teve por amante
Fiordiligi Fiordiligi un Guglielmo, un Ferrando? um Guglielmo, um Ferrando?
Da Napoli partiti Os nossos amantes
sono gli amanti nostri. deixaram Nápoles. Despina Despina
Han gli altri ancora E os outros têm tudo
Despina (ridendo) Despina (rindo) tutto quello ch’hanno essi. o que estes têm.
Non c’è altro? É só isso? Un uom adesso amate, Amais agora um homem,
Ritorneran. Regressarão! un altro n’amerete: uno val l’altro, logo amareis outro: um vale pelo outro,
perché nessun val nulla. porque nenhum vale nada.
Dorabella Dorabella Ma non parliam di ciò; sono ancor vivi Não falemos mais nisto; estão ainda vivos
Chi sa! Quem sabe! e vivi torneran; ma son lontani, e regressarão vivos; mas estão longe,
e piuttosto che in vani e em vez de em inúteis prantos
Despina (come sopra) Despina (sempre rindo) pianti perdere il tempo, perderem vosso tempo,
Come, chi sa? Como quem sabe? pensate a divertirvi. pensai em divertir-vos.
Dove son iti? Para onde foram?
Fiordiligi (con trasporto di collera) Fiordiligi (encolerizada)
Dorabella Dorabella Divertirci? Divertirmo-nos?
Al campo di battaglia. Para o campo de batalha.

52 Così fan tutte 53


Despina Despina Scena 10 Cena 10
Sicuro! E, quel ch’è meglio, Com certeza! E, ainda melhor, Don Alfonso solo; poi Despina. Don Alfonso sozinho; depois Despina.
far all’amor come assassine, e come comportai-vos no amor como assassinas, como
faranno al campo i vostri cari amanti. no campo de batalha farão os vossos amantes. Don Alfonso Don Alfonso
Che silenzio! Che aspetto di tristezza Que silêncio! Que aspecto de tristeza
Dorabella Dorabella spirano queste stanze. Poverette! respiram estas salas. Pobrezinhas!
Non offender così quell’alme belle, Não ofendas assim aquelas almas puras, non han già tutto il torto: Ainda não sofreram tudo:
di fedeltà, d’intatto amore esempi. exemplos de fidelidade e de amor incólume. bisogna consolarle; infin che vanno é necessário consolá-las. Enquanto vão
i due creduli sposi, os dois crédulos esposos,
Despina Despina com’io loro commisi, a mascherarsi, como eu lhes ordenei, mascarar-se,
Via, via! Passaro i tempi Vamos, vamos! Já passou o tempo pensiam cosa può farsi... pensemos o que fazer…
da spacciar queste favole ai bambini. de contar histórias dessas às crianças. Temo un po’ per Despina: quella furba Temo um pouco por Despina: aquela espertalhona
potrebbe riconoscerli; potrebbe poderia reconhecê-los; poderia
N.º 12 – Aria N.º 12 – Ária rovesciarmi le macchine. Vedremo... acabar-nos com a brincadeira. Veremos…
Se mai farà bisogno, Se necessário dar-lhe-ei
Despina Despina un regaletto a tempo: un zecchinetto um presente em tempo útil: uma moedinha
In uomini, in soldati Esperar fidelidade per una cameriera è un gran scongiuro. vale muito para uma criada.
sperare fedeltà? de homens e de soldados? Ma, per esser sicuro, si potria Mas, para estar seguro, poder-se-ia
(ridendo) (rindo) metterla in parte a parte del segreto... fazê-la a pouco e pouco conhecer o segredo…
Non vi fate sentir, per carità! Que ninguém vos ouça dizer isso, por caridade! Eccellente è il progetto... O projecto é excelente…
Di pasta simile Todos os homens são La sua camera è questa. O quarto dela é este.
son tutti quanti: feitos da mesma massa; (batte) (bate à porta)
le fronde mobili, os ramos móveis das árvores Despinetta! Despinetta!
l’aure incostanti e os ventos inconstantes
han più degli uomini são mais firmes do que Despina Despina
stabilità. os homens. Chi batte? Quem me chama?
Mentite lagrime, Lágrimas mentirosas,
fallaci sguardi, olhares falsos, Don Alfonso Don Alfonso
voci ingannevoli, palavras enganosas, Oh! Oh!
vezzi bugiardi, graças fingidas
son le primarie são as suas Despina Despina
lor qualità. qualidades principais. Ih! Ih!
In noi non amano De nós só gostam
che il lor diletto; daquilo que lhes dá prazer, (esce dalla sua stanza) (sai do seu quarto)
poi ci dispregiano, depois desprezam-nos,
neganci affetto, negam-nos o seu afecto, Don Alfonso Don Alfonso
né val da’ barbari não vale de nada pedir Despina mia, di te Despina, minha querida,
chieder pietà. piedade a esses bárbaros. bisogno avrei. preciso de ti.
Paghiam, o femmine, Mulheres, paguemos
d’ugual moneta com moeda igual Despina Despina
questa malefica a essa maléfica Ed io niente di lei. Eu de si não preciso nada.
razza indiscreta; raça indiscreta.
amiam per comodo, Amemos por comodidade Don Alfonso Don Alfonso
per vanità! e por vaidade. Ti vo’ fare del ben. Quero fazer-te bem.
La ra la, la ra la, la ra la, la. La ra la, lar a la, lar a la.
Despina Despina
(partono) (partem) A una fanciulla A uma rapariga como eu
un vecchio come lei non può far nulla. um velho como o senhor nada pode fazer.

54 Così fan tutte 55


Don Alfonso (mostrandole una moneta d’oro) Don Alfonso (mostrando-lhe uma moeda de ouro) Don Alfonso Don Alfonso
Parla piano, ed osserva. Fala baixo e ouve. Han tutto quello Têm tudo aquilo
che piacer può alle donne di giudizio. que pode dar prazer às mulheres com juízo.
Despina Despina Li vuoi veder? Queres vê-los?
Me la dona? É para mim?
Don Alfonso Don Alfonso Despina Despina
Sì, se meco sei buona. Sim, se fores simpática comigo. E dove son? E onde estão eles?

Despina Despina Don Alfonso Don Alfonso


E che vorebbe? E que desejais? Son lì. Estão ali.
È l’oro il mio giulebbe. O ouro é a minha perdição. Li posso far entrar? Posso fazê-los entrar?

Don Alfonso Don Alfonso Despina Despina


Ed oro avrai; E terás ouro; Direi di sì. Diria que sim.
ma ci vuol fedeltà. mas eu quero lealdade.
(Don Alfonso fa entrar gli amanti, che son travestiti.) (Don Alfonso faz entrar os dois amantes, que surgem
Despina Despina mascarados.)
Non c’è altro? Son qua. Não quer mais nada? Aqui estou eu!
Scena 11 Cena 11
Don Alfonso Don Alfonso Don Alfonso, Despina, Ferrando e Guglielmo; poi Don Alfonso, Despina, Ferrando e Guglielmo; depois
Prendi ed ascolta. Então toma, e ouve. Fiordiligi e Dorabella. Fiordiligi e Dorabella.
Sai che le tue padrone Sabes que as tuas patroas
han perduti gli amanti. perderam os amantes. N. 13 – Sestetto N.º 13 – Sexteto

Despina Despina Don Alfonso Don Alfonso


Lo so. Sei. Alla bella Despinetta Apresento-vos, meus amigos,
vi presento, amici miei; à bela Despinetta;
Don Alfonso Don Alfonso non dipende che da lei apenas dela depende
Tutti i lor pianti, Também já conheces todos os prantos, consolar il vostro cor. o consolo do vosso coração.
tutti i deliri loro anco tu sai. e todos os delírios delas.
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Despina Despina Per la man, che lieto io bacio, Por esta mão, que beijo com alegria,
So tutto. Sei de tudo. per quei rai di grazia pieni, por esses olhos cheios de graça,
fa’ che volga a me sereni fazei com que os belos olhos
Don Alfonso Don Alfonso i begli occhi il mio tesor. do meu tesouro se voltem para mim.
Or ben, se mai Pois bem; se fosse necessário,
per consolarle un poco para as consolar um pouco Despina (Fra sé, ridendo.) Despina (Rindo, para si.)
e trar, come diciam, chiodo per chiodo e sarar, como se diz, uma dor com outra dor, Che sembianze! Che vestiti! Que aspecto! Que vestes!
tu ritrovassi il modo que encontrasses maneira Che figure! Che mustacchi! Que figuras! Que bigodes!
da metter in lor grazia de lhes fazer cair em graça Io non so se son Valacchi Não sei se estes homens
due soggetti di garbo dois indivíduos amáveis o se Turchi son costor. são da Valáquia, ou se são Turcos!
che vorrieno provar... già mi capisci... que gostariam de tentar… já me entendes...
C’è una mancia per te di venti scudi, Há uma gratificação de vinte escudos para ti Don Alfonso (sottovoce a Despina) Don Alfonso (baixo para Despina)
se li fai riuscir. se conseguires que eles tenham sucesso. Che ti par di quell’aspetto? Que te parece o aspecto deles?

Despina Despina Despina (sottovoce a Don Alfonso) Despina (baixo para Don Alfonso)
Non mi dispiace Não me desagrada Per parlarvi schietto schietto, Para falar claramente,
questa proposizione. esta proposta. hanno un muso fuor dell’uso, têm um rosto não muito habitual,
Ma con quelle buffone... Basta, udite: Mas com aquelas palhaças… Está bem, escutai: vero antidoto d’amor. um verdadeiro antídoto para o amor.
son giovani? Son belli? E, sopra tutto, são jovens? São bonitos? E, acima de tudo,
hanno una buona borsa têm uma bolsa recheada Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso (fra sé) Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso (para si)
i vostri concorrenti? estes vossos concorrentes? Or la cosa è appien decisa; A coisa está decidida;
se costei non li/ci ravvisa se esta não nos/vos reconhece,
non c’è più nessun timor. já nada há a temer.

56 Così fan tutte 57


Despina (Fra sé, ridendo.) Despina (Rindo, para si.) Don Alfonso (dalla porta) Don Alfonso (da porta)
Che figure! Che mustacchi! Que figuras! Que bigodes! Che sussurro! che strepito! Que agitação! Que barulheira!
Io non so se son Valacchi Não sei se estes homens Che scompiglio è mai questo! Siete pazze, Que confusão é esta! Sois loucas,
o se Turchi son costor. São da Valáquia, ou se são Turcos! care le mie ragazze? minhas caras raparigas?
Volete sollevar il vicinato? Quereis alarmar a vizinhança?
Fiordiligi e Dorabella (di dentro) Fiordiligi e Dorabella (de dentro) Cos’avete? Ch’è nato? Que tendes? O que aconteceu?
Eh, Despina! Olà, Despina! Despina! Ouve! Despina!
Dorabella (con furore) Dorabella (impetuosamente)
Despina Despina Oh, ciel! Mirate: Céus! Vede:
Le padrone! As patroas! uomini in casa nostra? homens em nossa casa?

Don Alfonso (a Despina) Don Alfonso (para Despina) Don Alfonso (senza guardarli) Don Alfonso (sem olhar para eles)
Ecco l’istante! Chegou o momento! Che male c’è? Que mal há nisso?
Fa’ con arte; io qui m’ascondo. Faz as coisas com arte; eu escondo-me aqui.
Fiordiligi (con fuoco) Fiordiligi (enfurecida)
(si ritira) (retira-se) Che male? In questo giorno!... Que mal? Neste dia?
Dopo il caso funesto!... Depois dos acontecimentos funestos!...
Fiordiligi e Dorabella (entrando) Fiordiligi e Dorabella (entrando)
Ragazzaccia tracotante, Rapariguinha insolente! Don Alfonso Don Alfonso
che fai lì con simil gente? Que fazes aí com tal gente? Stelle! Sogno o son desto? Amici miei, Céus! Sonho, ou estou acordado? Meus amigos,
Falli uscire immantinente, Fá-los sair imediatamente miei dolcissimi amici! meus queridíssimos amigos!
o ti fo pentir con lor. ou farei que, como eles, te arrependas. Voi qui? Come? perché? quando? in qual modo? Vós aqui? Como? Porquê? Quando? De que maneira?
Numi! Quanto ne godo! Deuses! Que felicidade!
Despina, Ferrando e Guglielmo (tutti e tre s’inginocchiano) Despina, Ferrando e Guglielmo (os três ajoelham-se) (sottovoce) (Baixo, para eles.)
Ah, madame, perdonate! Ah, senhoras, perdoai! Secondatemi. Fazei como eu!
Al bel piè languir mirate Aos vossos belos pés vedes definhar
due meschin, di vostro merto dois infelizes, apaixonados Ferrando Ferrando
spasimanti adorator. adoradores dos vossos méritos. Amico Don Alfonso! Amigo Don Alfonso!

Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella Guglielmo Guglielmo


Giusti Numi! Cosa sento? Justos deuses! Que oiço! Amico caro! Querido amigo!
Dell’enorme tradimento Quem terá sido
chi fu mai l’indegno autor? o indigno autor de tal traição? (si abbracciano con trasporto) (abraçam-se com alegria)

Despina, Ferrando e Guglielmo Despina, Ferrando e Guglielmo Don Alfonso Don Alfonso
Deh, calmante quello sdegno! Acalmai a vossa indignação! Oh la bella improvvisata! Que bela surpresa!

Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella Despina (a Don Alfonso) Despina (para Don Alfonso)
Ah, che più non ho ritegno! Ah, não me detenho! Li conoscete voi? São vossos conhecidos?
Tutta piena ho l’alma in petto Tenho no peito a alma
di dispetto e di furor! cheia de ira e de furor! Don Alfonso Don Alfonso
Se li conosco! Questi Se os conheço! Estes
Despina e Don Alfonso (Fra sé, Don Alfonso dalla porta.) Despina e Don Alfonso (Para si; Don Alfonso está à porta.) sono i più dolci amici são os mais doces amigos
Mi dà un poco di sospetto São um pouco suspeitas, ch’io mai abbia in questo mondo, que tenho no mundo,
Quella rabbia e quel furor! tanta raiva e tanta fúria! e i vostri ancor saranno. e serão vossos também.

Ferrando e Guglielmo (fra sé) Ferrando e Guglielmo (para si) Fiordiligi Fiordiligi
Qual diletto è a questo petto Que contentamento para o meu coração, E in casa mia che fanno? E que fazem eles em minha casa?
quella rabbia e quel furor! tanta raiva e tanta fúria!
Guglielmo Guglielmo
Fiordiligi e Dorabella (fra sé) Fiordiligi e Dorabella (para si) Ai vostri piedi Tendes, senhoras, aos vossos pés
Ah, perdon, mio bel diletto! Ah, perdão, meu amado; due rei, due delinquenti, ecco madame! dois culpados, dois delinquentes!
Innocente è questo cor. o meu coração é inocente. Amor... Amor…

58 Così fan tutte 59


Dorabella Dorabella Con noi nacque quella face Este fervor que nos agrada
Numi, che sento! Deuses, que oiço! che ci piace, e ci consola, e que nos consola nasceu connosco.
e potrà la morte sola e apenas a morte poderá fazer
Ferrando Ferrando far che cangi affetto il cor. com que o meu coração mude de afecto.
Amor, il Nume... Amor, o Deus… Rispettate, anime ingrate, Respeitai, almas ingratas,
Sì possente per voi qui ci conduce... Para vós tão poderoso, conduziu-nos até aqui... quest’esempio di costanza; este exemplo de constância;
e una barbara speranza e que uma esperança bárbara
(Le donne si ritirano, essi le inseguono.) (As mulheres afastam-se, e eles seguem-nas.) non vi renda audaci ancor! não vos torne ainda mais audaciosos!

Guglielmo Guglielmo (Van per partire. Ferrando la richiama, Guglielmo (Prepara-se para partir. Ferrando pede-lhe que fique,
...vista appena la luce … apenas avistada a luz richiama l’altra.) Guglielmo pede à outra.)
di vostre fulgidissime pupille... das vossas brilhantes pupilas...
Ferrando (a Fiordiligi) Ferrando (para Fiordiligi)
Ferrando Ferrando Ah, non partite! Ah! Não vos ides!
... che alle vive faville... ... em cujas centelhas vivem...
Guglielmo (a Dorabella) Guglielmo (para Dorabella)
Guglielmo Guglielmo Ah, barbare, restate! Ah, cruéis, permanecei!
... farfallette amorose e agonizzanti... ... borboletas apaixonadas, agonizantes... (a Don Alfonso) (para Don Alfonso)
Che vi pare? Que vos parece?
Ferrando Ferrando
... vi voliamo davanti... ... voamos à vossa frente... Don Alfonso (sottovoce a Guglielmo) Don Alfonso (baixo para Guglielmo)
Aspettate. Esperai.
Guglielmo Guglielmo (alle due amanti) (para as duas raparigas)
... ed ai lati, ed a retro... ... e ao lado, e por detrás... Per carità, ragazze, Por caridade, meninas,
non mi fate più far trista figura. não me deixeis fazer uma triste figura.
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
... per implorar pietade in flebil metro. ... para implorar piedade em versos fracos! Dorabella (con fuoco) Dorabella (impetuosamente)
E che pretendereste? E que pretendeis?
Fiordiligi Fiordiligi
Stelle! Che ardir! Céus, que atrevimento! Don Alfonso Don Alfonso
Eh, nulla... ma mi pare... Eh, nada… mas parece-me…
Dorabella Dorabella Che un pochin di dolcezza... Que um pouco de doçura…
Sorella, che facciamo? Irmã, que fazemos? Alfin son galantuomini, No fundo são cavalheiros,
e sono amici miei. e são meus amigos.
Fiordiligi Fiordiligi
Temerari, sortite Temerários, saí! Fiordiligi Fiordiligi
(Despina esce impaurita.) (Despina foge, amedrontada.) Come! E udire dovrei... Como! E deverei eu ouvir…
fuori di questo loco, e non profani Abandonai este local, e que o alento infeliz
l’alito infausto degli infami detti dessas infames palavras não contamine Guglielmo Guglielmo
nostro cor, nostro orecchio e nostri affetti! o nosso coração, os nossos ouvidos Le nostre pene, Os nossos sofrimentos,
Invan per voi, per gli altri invan si cerca e os nossos afectos! e sentirne pietà! e ter piedade!
le nostr’alme sedur: I’intatta fede Será inútil que vós, ou quaisquer outros, La celeste beltà degli occhi vostri A beleza celestial dos vossos olhos
che per noi già si diede ai cari amanti, tentem seduzir as nossas almas; saberemos la piaga aprì nei nostri, abriu uma ferida nos nossos,
saprem loro serbar infino a morte, guardar intacta, até à morte, a fidelidade cui rimediar può solo que apenas poderá ser sarada
a dispetto del mondo e della sorte. que prometemos aos nossos queridos amantes, il balsamo d’amore. com o bálsamo de amor.
apesar do mundo e do destino. Un solo istante il core aprite, o belle, Abri o vosso coração, beldades,
a sue dolci facelle, o a voi davanti às doces amabilidades deles, ou vereis morrer
N.º 14 – Aria N.º 14 – Ária spirar vedrete i più fedeli amanti. diante de vós os apaixonados mais fiéis.

Fiordiligi Fiordiligi
Come scoglio immoto resta Assim como a rocha permanece imóvel
contro i venti e la tempesta, contra os ventos e as tempestades,
così ognor quest’alma è forte assim será esta alma sempre forte
nella fede e nell’amor. na fidelidade e no amor.

60 Così fan tutte 61


N.º 15 – Aria N.º 15 – Ária Don Alfonso Don Alfonso
Se vi sentissero, Se elas vos ouvissem
Guglielmo Guglielmo se vi scoprissero, e se vos descobrissem,
Non siate ritrosi, Não sejais esquivos, si guasterebbe todo o negócio
occhietti vezzosi; pequenos olhos viçosos; tutto l’affar. se desfaria.
due lampi amorosi virai esses relâmpagos
vibrate un po’ qua. amorosos para aqui. Ferrando e Guglielmo (sforzandosi di ridere sottovoce) Ferrando e Guglielmo (esforçando-se para rir sem ruído)
Felici rendeteci, Tornai-nos felizes, Ah, che dal ridere Ah, ah, sinto a alma
amate con noi; amai connosco; L’alma dividere, partir-se de riso,
e noi felicissime e nós iremos tornar-vos ah, che le viscere ah, ah, ah, sinto-me
faremo anche voi. também felizes. sento scoppiar! rebentar de riso.
Guardate, Toccate, Olhai, tocai,
il tutto osservate: observai o todo: Don Alfonso (fra sé) Don Alfonso (para si)
siam forti e ben fatti, somos fortes e somos bem parecidos, Mi fa da ridere O riso deles
e come ognun vede, e, como todos podem ver, questo lor ridere, faz-me rir a mim.
sia merto, sia caso, seja por mérito, seja por acaso, ma so che in piangere Sei, porém, que este é um riso
abbiamo bel piede, temos um pé bonito, dee terminar. que vai acabar em choro.
bell’occhio, bel naso; belos olhos, um belo nariz;
guardate, bel piede, osservate, bell’occhio, observai que belo pé, olhai para este olho bonito, Don Alfonso Don Alfonso
toccate, bel naso, il tutto osservate: tocai neste nariz, observai tudo: Si può sapere un poco E pode saber-se um pouco
e questi mustacchi e também estes bigodes, la cagion di quel riso? a razão deste riso?
chiamare si possono que se podem muito bem chamar
trionfi degli uomini, triunfo dos homens, Guglielmo Guglielmo
pennacchi d’amor. penachos do amor. Oh cospettaccio! Oh, por amor de Deus!
Non vi pare che abbiam giusta ragione, Não vos parece que temos razão,
(Fiordiligi e Dorabella partono con collera) (Fiordiligi e Dorabella saem encolerizadas) il mio caro padrone? caríssimo mestre?

Ferrando (scherzando) Ferrando (rindo)


Scena 12 Cena 12 Quanto pagar volete, Quanto quereis pagar
Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso. Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso. e a monte è la scommessa? pela aposta?

N.º 16 – Terzetto N.º 16 – Terceto Guglielmo (scherzando) Guglielmo (rindo)


Pagate la metà. Pagai a metade.
Don Alfonso Don Alfonso
E voi ridete? Estais a rir? Ferrando (scherzando) Ferrando (rindo)
Pagate solo Pagai apenas
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo ventiquattro zecchini. vinte e quatro moedas.
Certo, ridiamo. Claro que estamos!
Don Alfonso Don Alfonso
Don Alfonso Don Alfonso Poveri innocentini! Pobres inocentinhos!
Ma cosa avete? Mas, que vos deu? Venite qua, vi voglio Vinde cá, quero
porre il ditino in bocca! fazer-vos festinhas!
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Già lo sappiamo. Já o sabemos. Guglielmo Guglielmo
E avete ancora E ainda tendes
Don Alfonso Don Alfonso coraggio di fiatar? coragem para respirar?
Ridete piano! Ride sem ruído!
Don Alfonso Don Alfonso
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo Avanti sera Antes da noite
Parlate invano. Falais em vão. ci parlerem. tornaremos a falar.

Ferrando Ferrando
Quando volete. Ao vosso dispor.

62 Così fan tutte 63


Don Alfonso Don Alfonso Don Alfonso Don Alfonso
Intanto, Entretanto, E come credi E tu como pensas
silenzio e ubbidienza silêncio e obediência che l’affar finirà? que vai terminar este assunto?
fino a doman mattina. até amanhã de manhã. Vogliam sperare Achas que poderemos
che faranno giudizio? esperar que elas tenham juízo?
Guglielmo Guglielmo
Siam soldati, e amiam la disciplina. Somos soldados, e amamos a disciplina. Despina Despina
Io lo farei; Creio que sim;
Don Alfonso Don Alfonso e dove piangon esse io riderei. e onde elas riem eu chorarei.
Orbene, andate un poco Pois bem, ide um pouco Disperarsi, strozzarsi Desesperar-se e atormentar-se
ad attendermi entrambi in giardinetto, e esperai por mim no jardim, perché parte un amante? só porque um amante partiu?
colà vi manderò gli ordini miei. aí vos enviarei as minhas ordens. Guardate che pazzia! Que loucura é esta?
Se ne pigliano due, s’uno va via. Arranjam-se logo dois, quando um parte.
Guglielmo Guglielmo
Ed oggi non si mangia? E hoje não se come? Don Alfonso Don Alfonso
Brava, questa è prudenza. É isso mesmo. Isso é prudência.
Ferrando Ferrando (fra sé) (para si)
Cosa serve? Para quê? Bisogna impuntigliarla. É necessário picá-la.
A battaglia finita O jantar vai saber-nos melhor
fia la cena per noi più saporita. quando terminar esta batalha. Despina Despina
E legge di natura, É uma lei da natureza
N.º 17 – Aria N.º 17 – Ária e non prudenza sola. Amor cos’è? e não apenas prudência. O que é o amor?
Piacer, comodo, gusto, Prazer, comodidade, gosto,
Ferrando Ferrando gioia, divertimento, gozo, divertimento,
Un’aura amorosa Uma aura amorosa passatempo, allegria: non è più amore passatempo, alegria; já não é amor
del nostro tesoro do nosso tesouro se incomodo diventa, quando se torna um incómodo,
un dolce ristoro trará ao nosso coração se invece di piacer nuoce e tormenta. se em vez de encantar, prejudica e atormenta.
al cor porgerà; um doce repouso.
al cor che, nudrito Ao coração que, nutrido Don Alfonso Don Alfonso
da speme, da amore, de esperança e de amor, Ma intanto quelle pazze... Mas, no entretanto, aquelas loucas…
di un’esca migliore não necessita
bisogno non ha. de melhor estímulo. Despina Despina
Quelle pazze Aquelas loucas
faranno a modo nostro. farão como lhes dissermos.
Scena 13 Cena 13 È buon che sappiano É bom que saibam
Don Alfonso solo; poi Despina. Don Alfonso sozinho; depois Despina. D’essere amate da color. que são amadas por eles.

Don Alfonso Don Alfonso Don Alfonso Don Alfonso


Oh, la faria da ridere: sì poche Oh, isso far-me-ia rir: tão poucas Lo sanno. Já o sabem.
son le donne costanti, in questo mondo, são as mulheres fiéis neste mundo
e qui ve ne son due! Non sarà nulla... e aqui encontrava duas! Nenhuma será… Despina Despina
(Entra Despina) (Despina entra) Dunque riameranno. Então tornarão a amar.
Vieni, vieni, fanciulla, e dimmi un poco Vem, vem, rapariga, e diz-me «Diglielo» si suol dire, «Basta informar», como se costuma dizer,
dove sono e che fan le tue padrone. onde estão e que fazem as tuas patroas. «E lascia fare al diavolo». «E deixar actuar o diabo».

Despina Despina Don Alfonso Don Alfonso


Le povere buffone As pobres palhaças Ma come Mas como
stanno nel giardinetto estão no jardinzinho far vuoi perché ritornino farás para que regressem,
a lagnarsi coll’aria e colle mosche a lamentar-se ao ar e às moscas or che partiti sono, e che li sentano agora que partiram, e para que os ouçam
d’aver perso gli amanti. por terem perdido os amantes. e tentare si lascino e se deixem tentar
queste due bestioline? aquelas duas bestinhas?

64 Così fan tutte 65


Despina Despina Scena 15 Cena 15
A me lasciate Deixai-me Fiordiligi e Dorabella; Ferrando, Guglielmo e Don Fiordiligi e Dorabella; Ferrando, Guglielmo e Don
la briglia di condur tutta la macchina. a responsabilidade de pôr a máquina a funcionar. Alfonso; poi Despina. Alfonso; depois Despina.
Quando Despina macchina una cosa Quando Despina maquina algo
non può mancar d’effetto: ho già menati nada pode falhar: já consegui Ferrando e Guglielmo (di dentro) Ferrando e Guglielmo (de dentro)
mill’uomini pel naso, ludibriar mais de mil homens, Si mora, sì, si mora Morra-se, sim, morra-se,
saprò menar due femmine. saberei também levar duas mulheres. onde appagar le ingrate. para contentar as ingratas.
Son ricchi i due monsù mustacchi? São ricos esses dois senhores bigodes?
Don Alfonso (di dentro) Don Alfonso (de dentro)
Don Alfonso Don Alfonso C’è una speranza ancora; Há ainda uma esperança;
Son ricchissimi. São riquíssimos. non fate, o Dei, non fate! não o façais, por Deus, não o façais!

Despina Despina Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella


Dove son? E onde estão? Stelle, che grida orribili! Céus! Que gritos horríveis!

Don Alfonso Don Alfonso Ferrando e Guglielmo (di dentro) Ferrando e Guglielmo (de dentro)
Sulla strada Estão à minha espera Lasciatemi! Deixai-me!
attendendo mi stanno. lá fora.
Don Alfonso (di dentro) Don Alfonso (de dentro)
Despina Despina Aspettate! Esperai!
Ite e sul fatto Ide e sem demora
per la picciola porta mandai-os vir ter comigo (Ferrando e Guglielmo, portando ciascuno una boccetta, (Ferrando e Guglielmo entram, cada um com um frasco
a me riconduceteli; v’aspetto pela pequena porta; espero-vos entrano seguiti da Don Alfonso.) na mão, seguidos por Don Alfonso.)
nella camera mia. no meu quarto.
Purché tutto facciate Se fizerem tudo Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
quel ch’io v’ordinerò, pria di domani o que eu vos disser, antes de amanhã L’arsenico mi liberi Que o arsénico nos liberte
i vostri amici canteran vittoria; os vossos amigos cantarão vitória: di tanta crudeltà! de tanta crueldade.
ed essi avranno il gusto, ed io la gloria. eles terão o gosto, e eu a glória.
(Bevono e gittan via il nappo. Nel voltarsi vedono le due (Bebem e lançam fora os frascos. Ao voltar-se
(partono) (partem) donne.) vêem as duas mulheres.)

Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella


Scena 14 Cena 14 Stelle, un velen fu quello? Céus, aquilo era veneno?
Giardinetto gentile; due sofà d’erba ai lati. Fiordiligi e Pequeno e agradável jardim; dois assentos feitos de
Dorabella. plantas. Fiordiligi e Dorabella. Don Alfonso Don Alfonso
Veleno buono e bello, Veneno puro e simples,
N.º 18 – Finale N.º 18 – Finale che ad essi in pochi istanti que lhes tirará a vida
la vita toglierà. em poucos instantes.
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Ah, che tutta in un momento Ah, como num momento Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
si cangiò la sorte mia, se mudou a minha sorte! Il tragico spettacolo O trágico espectáculo
ah, che un mar pien di tormento Ah, que mar tormentoso gelare il cor mi fa! faz-me gelar o coração.
è la vita ormai per me! é agora a vida para mim!
Finché meco il caro bene Enquanto as ingratas estrelas permitiram Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
mi lasciar le ingrate stelle, que o meu querido amor estivesse comigo, Barbare, avvicinatevi; Aproximai-vos, bárbaras;
non sapea cos’eran pene, eu não sabia o que eram tormentos, d’un disperato affetto vede o triste efeito
non sapea languir cos’è não sabia o que significava sofrer. mirate il triste effetto de um afecto desesperado,
ah, che tutta in un momento Ah, como num momento e abbiate almen pietà. e tende ao menos piedade.
si cangiò la sorte mia... se mudou a minha sorte!
Ah, che un mar pien di tormento Ah, que mar tormentoso Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
è la vita ormai per me! é agora a vida para mim! Il tragico spettacolo O trágico espectáculo
gelare il cor mi fa! faz-me gelar o coração.

66 Così fan tutte 67


Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo E voi con me correte: E vós vinde rapidamente comigo:
Ah, che del sole il raggio Ah, os raios de sol un medico, un antidoto teremos de encontrar
fosco per me diventa! tornam-se obscuros para mim! voliamo a ricercar. um médico e um antídoto.

Don Alfonso, Fiordiligi e Dorabella Don Alfonso, Fiordiligi e Dorabella (Despina e Don Alfonso partono) (Despina e Don Alfonso partem)
Tremo: le fibre e l’anima Tremo: parecem faltar-me
par che mancar si senta, as forças e a alma, Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
né può la lingua o il labbro os lábios e a língua já não Dei, che cimento è questo! Deuses, que situação esta,
accenti articolar! conseguem articular palavras. Evento più funesto não se poderia encontrar
non si potea trovar. um acontecimento mais funesto!
(Ferrando e Guglielmo cadono sopra i banchi d’erba) (Ferrando e Guglielmo caem sobre os bancos de plantas)
Ferrando e Guglielmo (fra sé) Ferrando e Guglielmo (para si)
Don Alfonso Don Alfonso Più bella commediola Não poderíamos ter encontrado
Giacché a morir vicini Já que estes pobrezinhos non si potea trovar! uma comédia melhor que esta!
sono quei meschinelli, estão prestes a morrer, (ad alta voce) (em voz alta)
pietade almeno a quelli mostrai-lhes, pelo menos, Ah! Ah!
cercate di mostrar. um pouco de piedade.
Fiordiligi e Dorabella (stando lontano dagli amanti) Fiordiligi e Dorabella (longe dos dois amantes)
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella Sospiran gli infelici. Os infelizes suspiram!
Gente, accorrete, gente! Socorro! Alguém nos socorra!
Nessuno, oddio, ci sente! Ninguém nos ouve, meu Deus! Fiordiligi Fiordiligi
Despina! Despina! Despina! Despina! Che facciamo? Que fazemos?

Despina (di dentro) Despina (de dentro) Dorabella Dorabella


Chi mi chiama? Quem me chama? Tu che dici? Tu, que achas?

Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi Fiordiligi


Despina! Despina! Despina! Despina! In momenti sì dolenti, Nestes momentos tão dolorosos,
chi potriali abbandonar? quem os poderia abandonar?
Despina (entrando in scena) Despina (entrando em cena)
Cosa vedo! Que vejo! Dorabella (si accosta un poco) Dorabella (aproximando-se um pouco)
Morti i meschini io credo, Creio que os infelizes estão mortos, Che figure interessanti! Que rostos tão interessantes!
o prossimi a spirar! ou quase a morrer.
Fiordiligi (si accosta un poco) Fiordiligi (aproximando-se um pouco)
Don Alfonso Don Alfonso Possiam farci un poco avanti. Podemos talvez aproximar-nos um pouco.
Ah, che purtroppo è vero! Ah, infelizmente é verdade.
Furenti, disperati, Furiosos, desesperados, Dorabella Dorabella
si sono avvelenati. envenenaram-se! Ha freddissima la testa. Tem a cabeça geladíssima.
Oh, amore singolar! Oh, singular amor!
Fiordiligi Fiordiligi
Despina Despina Fredda fredda è ancora questa. Esta também está gelada.
Abbandonar i miseri Seria uma vergonha para vós
saria per voi vergogna: abandonar estes infelizes. Dorabella Dorabella
soccorrerli bisogna. É necessário socorrê-los. Ed il polso? E o pulso?

Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso Fiordiligi Fiordiligi
Cosa possiam mai far? Que poderemos fazer mais? Io non gliel sento. Não o sinto.

Despina Despina Dorabella Dorabella


Di vita ancor dan segno; Ainda dão sinais de vida; Questo batte lento lento. Este bate muito lentamente.
colle pietose mani com as vossas piedosas mãozinhas
fFate un po’ lor sostegno. dai-lhes um pouco de amparo.
(a Don Alfonso) (para Don Alfonso)

68 Così fan tutte 69


Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Ah, se tarda ancor l’aiuta, Ah, se a ajuda demorar muito, Signor dottore, Senhor doutor,
speme più non v’è di vita! já não haverá esperança de vida. che si può far? que se poderá fazer?

Ferrando e Guglielmo (fra sé) Ferrando e Guglielmo (para si) Despina (tocca il polso e la fronte all’uno e indi Despina (tomando o pulso e observando um a seguir ao
Più domestiche e trattabili Ficaram ambas all’altro) outro)
sono entrambe diventate; mais dóceis e tratáveis; Saper bisognami É preciso que saibamos
sta’ a veder che lor pietade estou a ver que a piedade pria la cagione, em primeiro lugar, a razão;
va in amore a terminar. vai terminar em amor. e quinci l’indole e depois, a índole
della pozione: da poção.
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella se calda o frigida, Se quente; se fria;
Poverini! La lor morte Pobrezinhos! A sua morte se poca o molta, se pouca; se muita;
mi farebbe lagrimar. far-me-ia chorar. se in una volta se a tomaram uma,
bebberla o in più. ou mais vezes.

Scena 16 Cena 16 Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso
Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Guglielmo; Despina Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Guglielmo; Despina Preso han l’arsenico, Tomaram arsénico,
travestita da medico e Don Alfonso. mascarada de médico e Don Alfonso. signor dottore; senhor doutor;
qui dentro il bebbero. beberam-no aqui
Don Alfonso Don Alfonso La causa è amore, e a causa é o amor,
Eccovi il medico, Eis o médico, ed in un sorso e engoliram-no
signore belle! belas senhoras. se ‘l mandar giù. de um só trago.

Ferrando e Guglielmo (fra sé) Ferrando e Guglielmo (para si) Despina Despina
Despina in maschera: Despina mascarada! Non vi affannate, Não vos preocupeis,
che trista pelle! Que disfarce mais ridículo! non vi turbate: não vos perturbeis:
ecco una prova eis aqui uma prova
Despina Despina di mia virtù. dos meus méritos.
Salvete, amabiles Salvete, amabiles,
buonae puellae! Bonae puellae! Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi, Dorabella
Egli ha di un ferro Ele tem um ferro
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella la man fornita. na mão!
Parla un linguaggio Fala uma língua
che non sappiamo. que não conhecemos. Despina (tocca con un pezzo di calamita la testa ai finti Despina (toca com um pedaço de íman na cabeça dos
infermi e striscia dolcemente falsos doentes e percorre com ele lentamente o corpo
Despina Despina i loro corpi per lungo) dos dois homens)
Come comandano Falemos então Questo è quel pezzo Isto é um pedaço
dunque parliamo: como ordenais. di calamita, de íman,
so il greco e l’arabo, Eu sei grego e árabe, pietra mesmerica, aquela pedra de Mesmer
so il turco e il vandalo; e turco, e vândalo, ch’ebbe l’origine que teve origem
lo svevo e il tartaro e ainda sei falar nell’Alemagna, na Alemanha
so ancor parlar. sueco e tártaro. che poi sì celebre e que depois se tornou
là in Francia fu. igualmente célebre em França.
Don Alfonso Don Alfonso
Tanti linguaggi Pois conserve para si Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso
per sé conservi. todas essas línguas, Come si muovono, Como se movem,
quei miserabili por agora observe torcono, scuotono, torcem, e agitam!
Per ora osservi; estes infelizes. in terra il cranio Batem com o crânio
preso hanno il tossico, Tomaram veneno; presto percuotono. no chão com rápidos golpes.
che si può far? que se poderá fazer?
Despina Despina
Ah, lor la fronte Ah, segurai
tenete su. a cabeça deles.

70 Così fan tutte 71


Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella Despina e Don Alfonso Despina e Don Alfonso
Eccoci pronte! Estamos prontas! In poch’ore, lo vedrete, Vereis que, em poucas horas,
per virtù del magnetismo e por virtude do magnetismo,
(metton la mano sulla fronte dei due amanti) (seguram na cabeça dos dois amantes) finirà quel parossismo, este paroxismo terminará
torneranno al primo umor. e eles voltarão ao seu carácter anterior.
Despina Despina
Tenete forte! Segurai com força. Ferrando e Guglielmo (Ferrando a Fiordiligi, e Guglielmo Ferrando e Guglielmo (Ferrando para Fiordiligi e Guglielmo
Corraggio; or liberi Coragem! a Dorabella.) para Dorabella)
siete da morte. Já estão livres de morte. Dammi un bacio, o mio tesoro; Dá-me um beijo, meu tesouro,
un sol bacio, o qui mi moro. apenas um beijo, ou morro já aqui.
Fiordiligi e Dorabella e Don Alfonso Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso
Attorno guardano, Olham em redor Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
forze riprendono. e recuperam forças. Stelle, un bacio? Céus, um beijo?
Ah, questo medico Ah, este médico
vale un Perù! vale todo o ouro do Perú. Despina Despina
Secondate Secundai
Ferrando e Guglielmo (sorgendo in piedi) Ferrando e Guglielmo (erguendo-se) per effetto di bontate. esse desejo, por bondade.
Dove son? che loco è questo? Onde estou? Que local é este?
Chi è colui? Color chi sono? Quem é este? Quem são aquelas? Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Son di Giove innanzi al trono? Estou perante o trono de Júpiter? Ah, che troppo si richiede Ah, pedis demasiado
(Ferrando a Fiordiligi, e Guglielmo a Dorabella.) (Ferrando para Fiordiligi e Guglielmo para Dorabella) da una fida onesta amante! a uma fiel e honesta amante!
Sei tu Palla o Citerea? És tu Diana, ou Vénus? Oltraggiata è la mia fede, A minha fidelidade
No, tu sei l’alma mia Dea! Não, tu és a minha adorada deusa! oltraggiato è questo cor! e o meu coração estão ultrajados.
Ti ravviso al dolce viso Reconheço-te pela doçura do rosto,
e alla man ch’or ben conosco pela mão que tão bem conheço Despina, Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso (fra sé) Despina, Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso (para si)
e che sola è il mio tesor. e que é o meu único tesouro. Un quadretto più giocondo Jamais o mundo viu
non si vide in tutto il mondo; uma cena tão divertida;
(abbracciano le amanti teneramente e bacian loro (abraçam-nas com ternura e beijam-lhes as mãos) quel che più mi fa da ridere mas o que mais me faz rir
la mano) è quell’ira e quel furor. são aquela fúria e aquela ira.

Despina e Don Alfonso Despina e Don Alfonso Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Sono effetti ancor del tosco: São ainda efeitos do veneno, Disperati, attossicati, Desesperados ou envenenados,
non abbiate alcun timor. nada tendes a recear! ite al diavol quanti siete; ide para o diabo;
tardi inver vi pentirete tarde vos arrependereis,
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella se più cresce il mio furor! se a minha fúria aumentar!
Sarà ver, ma tante smorfie Será verdade, mas tantas cenas
fanno torto al nostro onor. são uma ofensa à nossa honra. Despina, e Don Alfonso (fra sé) Ferrando e Guglielmo, Despina e Don Alfonso (para si)
Un quadretto più giocondo Jamais o mundo viu
Ferrando e Guglielmo (fra sé) Ferrando e Guglielmo (para si) non si vide in tutto il mondo. uma cena tão divertida;
Dalla voglia ch’ho di ridere Ainda me rebentam os pulmões, Quel che più mi fa da ridere mas o que mais me faz rir
il polmon mi scoppia or or. com a vontade que tenho de rir. è quell’ira e quel furor. são aquela fúria e aquela ira.
(Ferrando a Fiordiligi, e Guglielmo a Dorabella.) (Ferrando para Fiordiligi e Guglielmo para Dorabella) Ch’io ben so che tanto foco Sei bem que tanta fogosidade
Per pietà. Bell’idol mio... Por piedade, belo ídolo meu… cangerassi in quel d’amor. se vai transformar em amor.

Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo


Più resister non poss’io. Não consigo resistir por mais tempo! Un quadretto più giocondo Jamais o mundo viu
non si vide in tutto il mondo. uma cena tão divertida;
Ferrando e Guglielmo (Ferrando a Fiordiligi, e Guglielmo Ferrando e Guglielmo (Ferrando para Fiordiligi e Guglielmo Ma non so se finta o vera não sei se esta fúria
a Dorabella.) para Dorabella) sian quell’ira e quel furor. e esta ira são fingidas,
... Volgi a me le luci liete! … erguei para mim esses alegres olhos. Né vorrei che tanto foco mas não quereria que tanta fogosidade
terminasse in quel d’amor. terminasse em amor.

72 Così fan tutte 73


Atto II Acto II Despina Despina
Io già le faccio. Eu já as pratico.
Scena 1 Cena 1 Ma vorrei che anche voi Mas quereria que também vós
Camera. Fiordiligi, Dorabella e Despina. Câmara. Fiordiligi, Dorabella e Despina. per gloria del bel sesso, para glória do belo sexo,
faceste un po’ lo stesso. Per esemplo, fizésseis um pouco o mesmo. Por exemplo,
Despina Despina i vostri Ganimedi os vossos Ganimedes
Andate là, che siete Vamos! Que duas estranhas son andati alla guerra? Infin che tornano foram para a guerra? Até que regressem
due bizzarre ragazze! raparigas vocês me saíram! fate alla militare: reclutate. fazei como os militares: recrutai.

Fiordiligi Fiordiligi Dorabella Dorabella


Oh, cospettaccio! Por amor de Deus! Il cielo ce ne guardi! Que o Céu nos guarde!
Cosa pretenderesti? Que queres que façamos?
Despina Despina
Despina Despina Eh, che noi siamo in terra, e non in cielo! Devemos ter os pés na terra, e não no céu!
Per me nulla. Por mim nada! Fidatevi al mio zelo: già ché questi Confiai no meu zelo: já que estes estrangeiros
forastieri v’adorano, vos adoram,
Fiordiligi Fiordiligi lasciatevi adorar. Son ricchi, belli, deixai-vos adorar. São ricos, bonitos,
Per chi dunque? Então e por quem? nobili, generosi, come fede nobres, generosos, como vos disse
fece a voi Don Alfonso; avean coraggio Don Alfonso; tiveram a coragem
Despina Despina di morire per voi; questi son merti de morrer por vós; estas são qualidades
Per voi. Por vós. che sprezzar non si denno que não se devem desprezar
da giovani qual voi belle e galanti, por jovens belas e galantes como vós,
Dorabella Dorabella che pon star senza amor, non senza amanti. que podem estar sem amor, não sem amantes.
Per noi? Por nós? (fra sè) (para si)
Par che ci trovin gusto. Parece que gostam do que ouvem.
Despina Despina
Per voi: Por vós: Fiordiligi Fiordiligi
siete voi donne, o no? sois ou não mulheres? Per Bacco, ci faresti Por Baco, tu far-nos-ias
far delle belle cose! praticar belas acções!
Fiordiligi Fiordiligi Credi tu che vogliamo Crês tu que nós queremos
E per questo? E então? favola diventar degli oziosi? ser pasto das línguas do mundo?
ai nostri cari sposi Aos nossos caros esposos
Despina Despina Credi tu che vogliam dar tal tormento? pensas que queremos dar um tal tormento?
E per questo Então devereis
dovete far da donne. comportar-vos como mulheres. Despina Despina
E chi dice che abbiate Mas quem diz que lhes deveis
Dorabella Dorabella a far loro alcun torto? dar algum desgosto?
Cioè? Isto é? (fra sé) (para si)
Amiche, siamo in porto! Chegámos onde queríamos!
Despina Despina
Trattar l’amore en bagatelle; Tratar o amor en bagatelle; Dorabella Dorabella
le occasioni belle nunca deixar escapar Non ti pare che sia torto bastante Não te parece que seria mal suficiente
non negliger giammai; cangiar a tempo, as boas ocasiões; saber mudar a tempo, se noto si facesse se conhecido se tornasse
a tempo esser costanti; ser fiel no tempo certo; che trattiamo costor? que nós recebíamos estes dois?
coquettizzar con grazia; coquetizar graciosamente;
prevenir la disgrazia, sì comune prevenir a desgraça, tão comum Despina Despina
a chi si fida in uomo; a quem se fia nos homens; Anche per questo Mas para isso
mangiar il fico e non gittare il pomo. comer o frango e não deixar os ossos. c’è un mezzo sicurissimo: há um método muito seguro:
io voglio sparger fama eu posso espalhar a fama
Fiordiligi (fra sé) Fiordiligi (para si) che vengono da me. que vêm por minha causa.
Che diavolo! Que diabos!
(a Despina) (para Despina) Dorabella Dorabella
Tai cose Tais acções Chi vuoi che il creda? E quem acreditará nisso?
falle tu, se n’hai voglia. pratica-as tu, se tens vontade.

74 Così fan tutte 75


Despina Despina dar speme a tutti, Deve dar esperança a todos,
Oh bella! Non ha forse Essa é bonita! Se calhar sien belli o brutti; sejam eles bonitos ou feios;
merto una cameriera uma criada não tem direito saper nascondersi deve saber esconder-se,
d’aver due cicisbei? Di me fidatevi. a ter dois apaixonados? Confiai em mim. senza confondersi; deve saber confundir-se;
senza arrossire sem corar,
Fiordiligi Fiordiligi saper mentire; deve saber mentir;
No, no; son troppo audaci, Não, não; são muito atrevidos, e, qual regina e, tal uma rainha
questi tuoi forastieri. estes teus dois forasteiros. dall’alto soglio, do alto trono,
Non ebber la baldanza Então não é que tiveram o atrevimento col «posso e voglio» com um «posso e quero»
fin di chieder dei baci? de nos pedir beijos? farsi ubbidir. fazer-se obedecer.
(fra sé) (para si)
Despina (fra sé) Despina (para si) Par ch’abbian gusto Parece que gostam
Che disgrazia! Que desgraça! di tal dottrina. desta doutrina.
(alle padrone) (para as patroas) Viva Despina Viva Despina,
Io posso assicurarvi Posso assegurar-vos che sa servir! que tão bem sabe servir.
che le cose che han fatto que as coisas que fizeram
furo effetti del tossico che han preso: foram o efeito do veneno que tomaram: (parte) (parte)
convulsioni, deliri, convulsões, delírios,
follie, vaneggiamenti. loucuras, devaneios.
Ma or vedrete come son discreti, Mas vereis agora como são discretos, Scena 2 Cena 2
manierosi, modesti e mansueti. delicados, modestos e mansos. Fiordiligi e Dorabella. Fiordiligi e Dorabella.
Lasciateli venir. Deixai-os entrar.
Fiordiligi Fiordiligi
Dorabella Dorabella Sorella, cosa dici? Irmã, que dizes?
E poi? E depois?
Dorabella Dorabella
Despina Despina Io son stordita Estou aturdida
E poi... E depois… dallo spirto infernal di tal ragazza. pelo espírito infernal desta rapariga.
Caspita, fate voi! O resto é convosco!
(fra sé) (para si) Fiordiligi Fiordiligi
L’ho detto che cadrebbero. Eu bem disse que elas cairiam. Ma credimi, è una pazza. Acredita em mim: é uma louca.
Ti par che siamo in caso Parece-te que estamos em condições
Fiordiligi Fiordiligi di seguir suoi consigli? de seguir os seus conselhos?
Cosa dobbiamo far? Que deveremos fazer?
Dorabella Dorabella
Despina Despina Oh, certo, se tu pigli Claro, se virmos a coisa
Quel che volete: Aquilo que quiserdes. pel rovescio il negozio. pelo outro lado.
siete d’ossa e di carne, o cosa siete? Sois ou não de carne e osso?
Fiordiligi Fiordiligi
N.º 19 – Aria N.º 19 – Ária Anzi, io lo piglio Eu, pelo contrário, acho
per il suo verso dritto: que estamos a ver bem:
Despina Despina non credi tu delitto, não crês que é um crime
Una donna a quindici anni Uma mulher aos quinze anos per due giovani omai promesse spose, para duas jovens já destinadas a esposas
dèe saper ogni gran moda, deve conhecer tudo o que está na moda, il far di queste cose? praticar estas acções?
dove il diavolo ha la coda, onde tem o diabo a cauda,
cosa è bene e mal cos’è. o que está bem, o que está mal. Dorabella Dorabella
Dèe saper le maliziette Deve conhecer as malícias Ella non dice Ela disse
che innamorano gli amanti, que enamoram os amantes, che facciamo alcun mal. que não faríamos mal algum.
finger riso, finger pianti, fingir o riso, fingir o choro,
inventar i bei perché. e inventar belas desculpas. Fiordiligi Fiordiligi
Dèe in un momento Deve, num dado momento, È mal che basta É já um mal bastante
dar retta a cento; saber contentar a cem, il far parlar di noi. fazer falar de nós.
colle pupille e com o olhar
parlar con mille; falar com outros mil.

76 Così fan tutte 77


Dorabella Dorabella Fiordiligi Fiordiligi
Quando si dice Se dissermos que Ed intanto io col biondino E eu, entretanto, vou rir
che vengon per Despina! eles vêm por causa de Despina! vo’ un po’ ridere e burlar. e gozar um pouco com o loirinho.

Fiordiligi Fiordiligi Dorabella Dorabella


Oh, tu sei troppo Tu tens a consciência Scherzosetta ai dolci detti Responderei, divertida,
larga di coscienza! E che diran muito larga! E que dirão io di quel risponderò. às doces palavras dele.
gli sposi nostri? os nossos esposos?
Fiordiligi Fiordiligi
Dorabella Dorabella Sospirando i sospiretti E eu, suspirando,
Nulla: Nada: io dell’altro imiterò. imitarei os suspiros do outro.
o non sapran l’affare, ou de nada saberão,
ed è tutto finito; e tudo acaba aqui; Dorabella Dorabella
o sapran qualche cosa, e allor diremo ou saberão algo, e então diremos Mi dirà: «Ben mio, mi moro». Ele dir-me-á: «Meu bem, eu morro!»
che vennero per lei. que vieram por causa de Despina.
Fiordiligi Fiordiligi
Fiordiligi Fiordiligi Mi dirà: «Mio bel tesoro». Ele dir-me-á: «Meu tesouro!»
Ma i nostri cori? Mas, e os nossos corações?
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Dorabella Dorabella Ed intanto che diletto, E, entretanto, que divertimento
Restano quel che sono: Continuam o que eram; che spassetto io proverò! e que satisfação eu não terei.
per divertirsi un poco, e non morire por nos divertirmos um pouco, e por não morrermos
dalla malinconia de melancolia
non si manca di fè, sorella mia. não faltaremos à fidelidade, minha irmã. Scena 3 Cena 3
Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso. Fiordiligi, Dorabella e Don Alfonso.
Fiordiligi Fiordiligi
Questo è ver. Isso é verdade. Don Alfonso Don Alfonso
Ah, correte al giardino, Ah, correi para o jardim,
Dorabella Dorabella le mie care ragazze! Che allegria! queridas raparigas! Que alegria!
Dunque? Então? Che musica! che canto! Que música! Que cantos!
Che brillante spettacolo! Che incanto! Que espectáculo brilhante! Que encantamento!
Fiordiligi Fiordiligi Fate presto, correte! Depressa, acorrei!
Dunque, Então,
fa un po’ tu: ma non voglio faz tu o que quiseres; mas eu não quero Dorabella Dorabella
aver la colpa se poi nasce un imbroglio. ter culpa se depois nascer uma grande confusão. Che diamine esser può? Que diabo está a acontecer?

Dorabella Dorabella Don Alfonso Don Alfonso


Che imbroglio nascer deve Mas que confusão poderá nascer Tosto vedrete. Depressa vereis.
con tanta precauzion? Per altro ascolta: com tantas precauções? Por outro lado, ouve:
per intenderci bene, para que nos entendamos bem, (partono) (saem)
qual vuoi sceglier per te de’ due Narcisi? qual dos dois Narcisos queres tu escolher?

Fiordiligi Fiordiligi Scena 4 Cena 4


Decidi tu, sorella. Decide tu, irmã. Giardino alla riva del mare con sedili d’erba e due Jardim à beira-mar com assentos de plantas e duas
tavolini di pietra. Alla sponda una barca ornata di pequenas mesas de pedra. Na margem uma barca
Dorabella Dorabella fiori. Ferrando, Guglielmo, Despina, Fiordiligi, ornada com flores. Ferrando, Guglielmo, Despina,
Io già decisi. Eu já decidi. Dorabella, Don Alfonso, marinai e servi. Ferrando e Fiordiligi, Dorabella, Don Alfonso, marinheiros e
Guglielmo con una banda di suonatori e Coro di criados. Ferrando e Guglielmo com um bando de
N.º 20 – Duetto N.º 20 – Dueto marinai – cantatori e cantatrici – nella barca; instrumentistas e um coro de marinheiros na barca;
Despina nel giardino; Fiordiligi e Dorabella, Despina no jardim; Fiordiligi e Dorabella,
Dorabella Dorabella accompagnate da Don Alfonso, vengono da lato; acompanhados por Don Alfonso, surgem pela lateral;
Prenderò quel brunettino, Ficarei com o moreninho servi riccamente vestiti. criados ricamente ajaezados.
che più lepido mi par. que me parece mais divertido.
N.º 21 – Duetto (con Coro) N.º 21 – Dueto (com coro)

78 Così fan tutte 79


Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo Guglielmo Guglielmo
Secondate, aurette amiche, Secundai, brisas amigas, Anzi, madame... Melhor dizendo: senhoras...
secondate i miei desiri, secundai os meus desejos;
e portate i miei sospiri e levai os meus suspiros Ferrando (a Guglielmo) Ferrando (para Guglielmo)
alla Dea di questo cor. à Deusa do meu coração. Parla pur tu. Fala então tu.
Voi che udiste mille volte Vós, que tendes ouvido mil vezes
il tenor delle mie pene, o tom das minhas aflições, Guglielmo (a Ferrando) Guglielmo (para Ferrando)
ripetete al caro bene repeti à minha amada No, no, parla pur tu. Não, não. Fala tu!
tutto quel che udiste allor. aquilo que me ouvistes proferir.
Don Alfonso Don Alfonso
Coro Coro Oh cospetto del diavolo, Oh, com os diabos,
Secondate, aurette amiche, Secundai, brisas amigas, lasciate tali smorfie deixai tais requebros
il desir di sì bei cor. o desejo de tão belos corações. del secolo passato. Despinetta, do século passado. Despineta,
terminiam questa festa, terminemos esta festa,
(Nel tempo del ritornello di questo Coro, Ferrando e (Ferrando e Guglielmo, durante o «ritornello» deste coro, fa’ tu con lei quel ch’io farò con questa. faz tu com essa o mesmo que eu com esta.
Guglielmo scendono con catene di fiori; Don Alfonso e descem da barca com flores; Don Alfonso e Despina
Despina li conducono davanti le due amanti, che conduzem-nos até junto das duas amantes, que ficam N.º 22 – Quartetto N.º 22 – Quarteto
resteranno ammutite ed attonite.) emudecidas e atónitas.)
Don Alfonso (Prende per mano Dorabella, mentre Don Alfonso (Toma a mão de Dorabella, enquanto
Don Alfonso (ai servi che portano bacili con fiori) Don Alfonso (para os criados que trazem cestos com flores) Despina prende Fiordiligi.) Despina toma a de Fiordiligi.)
Il tutto deponete Colocai aqui tudo La mano a me date, Dai-me a mão,
sopra quei tavolini, e nella barca em cima daquelas mesas, e retirai-vos movetevi un pò. movei-vos um pouco!
ritiratevi, amici. para a barca, amigos. (agli amanti) (para os dois amantes)
Se voi non parlate, Se vós não falais,
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella per voi parlerò. falarei eu por vós.
Cos’è tal mascherata? Que palhaçada é esta? (alle signore) (às senhoras)
Perdono vi chiede Um escravo trémulo
Despina (a Ferrando e Guglielmo) Despina (para Ferrando e Guglielmo) un schiavo tremante; pede-vos perdão;
Animo, via, coraggio: avete perso Ânimo, vá, coragem! v’offese, lo vede, ofendeu-vos, bem sei,
l’uso della favella? Perdestes o uso da palavra? ma solo un istante. mas apenas por um instante;
Or pena, ma tace... agora sofre, mas cala...
(la barca s’allontana dalla sponda) (a barca afasta-se da praia)
Ferrando e Guglielmo (Ripetono l’ultima parola con la Ferrando e Guglielmo (retomam a última palavra com a
Ferrando Ferrando stessa cantilena) mesma cantilena)
Io tremo e palpito Tremo e palpito ... tace... … cala...
dalla testa alle piante. dos pés à cabeça.
Don Alfonso Don Alfonso
Guglielmo Guglielmo Or lasciavi in pace... Agora deixa-vos em paz...
Amor lega le membra a vero amante. O amor tolhe os membros ao verdadeiro amante.
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Don Alfonso (alle donne) Don Alfonso (para as mulheres) ... in pace... … em paz...
Da brave, incoraggiateli. Encorajai-os, sede valentes!
Don Alfonso Don Alfonso
Fiordiligi (agli amanti) Fiordiligi (aos amantes) Non può quel che vuole, Não consegue o que quer,
Parlate. Falai! vorrà quel che può. mas quererá o que conseguir.

Dorabella (agli amanti) Dorabella (aos amantes) Ferrando e Guglielmo (ripetono con un sospiro) Ferrando e Guglielmo (repetem suspirando)
Liberi dite pur quel che bramate. Dizei livremente o que desejais. Non può quel che vuole, Não consegue o que quer,
vorrà quel che può. mas quererá o que conseguir.
Ferrando Ferrando
Madama... Senhora... Don Alfonso (alle ragazze) Don Alfonso (para as raparigas)
Su via rispondete, Depressa, respondei;
guardate e ridete? olhais e troçais?

80 Così fan tutte 81


Despina (mettendosi davanti alle due ragazze) Despina (colocando-se diante das duas raparigas) Fiordiligi Fiordiligi
Per voi la risposta Eu dar-lhes-ei a resposta Cosa gli avete detto? Que coisa lhe dissestes?
a loro darò. em vosso nome.
Quello che è stato è stato, O que passou, passou, Ferrando Ferrando
scordiamci del passato. esqueçamos o passado, Eh, gli raccomandai Ah, recomendei-lhe
Rompasi omai quel laccio, que se rompam para sempre di divertirla bene. que a divertisse bem.
segno di servitù. esses laços símbolos de servidão.
(Despina prende la mano di Dorabella, Don Alfonso (Despina toma a mão de Dorabella, Don Alfonso a de Dorabella (a Guglielmo) Dorabella (para Guglielmo)
quella di Fiordiligi; e fan rompere i lacci agli amanti, Fiordiligi; rompem os laços dos amantes e deixam-nos Passeggiamo anche noi. Passeemos também nós.
cui mettono al braccio dei medesimi.) nos braços dos mesmos.)
A me porgete il braccio, Dai-me o braço, Guglielmo Guglielmo
né sospirate più. não suspireis mais. Come vi piace. Como for do vosso agrado.
(Passeggiano. – Dopo un momento di silenzio.) (Passeiam um pouco. Depois de um breve silêncio.)
Despina e Don Alfonso (A parte, sottovoce.) Despina e Don Alfonso (À parte, e baixinho.) Ahimè! Ai de mim!
Per carità, partiamo: Partamos, por caridade;
quel che san far veggiamo; vejamos o que sabem fazer. Dorabella Dorabella
le stimo più del diavolo Terei por elas mais consideração Che cosa avete? Que tendes?
s’ora non cascan giù. do que pelo diabo, se não caírem nesta.
(gli altri due fanno scena muta in lontananza) (os outros dois estão à distância)
(partono) (saem)
Guglielmo Guglielmo
Io mi sento sì male, Sinto-me tão mal.
Scena 5 Cena 5 sì male, anima mia, Tão mal, minha alma,
Guglielmo a braccio di Dorabella, Ferrando e Guglielmo de braço dado com Dorabella, Ferrando e che mi par di morire. que me parece estar a morrer.
Fiordiligi senza darsi braccio. Fanno una piccola Fiordiligi sem darem os braços. Olham-se,
scena muta guardandosi, sospirando, ridendo etc. emudecidos, suspirando, rindo, etc. Dorabella (fra sé) Dorabella (para si)
Non otterrà nientissimo. Não conseguirás nadinha.
Fiordiligi Fiordiligi (forte) (alto)
Oh che bella giornata! Oh, que dia tão bonito! Saranno rimasugli Serão resquícios
del velen che beveste. do veneno que bebestes.
Ferrando Ferrando
Caldetta anzi che no. Um pouco quentinho! Guglielmo (con fuoco) Guglielmo (apaixonadamente)
Ah, che un veleno assai più forte io bevo Ah, veneno bem mais forte bebo eu
Dorabella Dorabella in que’ crudi e focosi nesses cruéis e fogosos
Che vezzosi arboscelli! Que arbustos tão bonitos! mongibelli amorosi! olhos amorosos!

Guglielmo Guglielmo Dorabella Dorabella


Certo, certo: son belli, É verdade, são muito bonitos, Sarà veleno calido: Será um veneno quente:
han più foglie che frutti. têm mais folhas do que frutos. fatevi un poco fresco. apanhai um pouco de fresco.
(gli altri due entrano in atto di passeggiare) (Os outros dois entram, passeando.)
Fiordiligi Fiordiligi
Quei viali Como são agradáveis Guglielmo Guglielmo
come son leggiadri. estas veredas. Ingrata, voi burlate Ingrata, vós rides
Volete passeggiar? Quereis passear? ed intanto io mi moro! e eu entretanto morro!
(fra sé) (para si)
Ferrando Ferrando Son spariti: Desapareceram:
Son pronto, o cara, Estou pronto, querida, dove diamin son iti? para onde terão ido?
ad ogni vostro cenno. a seguir todas as vossas indicações.
Dorabella Dorabella
Fiordiligi Fiordiligi Eh, via, non fate... Vá lá, não façais cenas…
Troppa grazia! Demasiada amabilidade!
Guglielmo Guglielmo
Ferrando (A Guglielmo, nel passare.) Ferrando (Para Guglielmo, ao passar por ele.) Io mi moro, crudele, e voi burlate? Eu morro, cruel, e vós troçais?
Eccoci alla gran crisi. Chegámos à grande crise!

82 Così fan tutte 83


Dorabella Dorabella Dorabella Dorabella
Io burlo? Io burlo? Eu troço? Eu troço? Mi farete morir... Far-me-eis morrer…

Guglielmo Guglielmo Guglielmo Guglielmo


Dunque Então dai-me alguma prova, Morremo insieme, Morreremos os dois,
datemi qualche segno, anima bella, bela alma, amorosa mia speme. minha esperança amorosa.
della vostra pietà. da vossa piedade. L’accettate? Aceitais?

Dorabella Dorabella Dorabella Dorabella


Due, se volete; Duas, se desejais; L’accetto. Aceito.
dite quel che far deggio, e lo vedrete. dizei-me o que desejais, e tê-lo-eis.
Guglielmo (fra sé) Guglielmo (para si)
Guglielmo (pra sé) Guglielmo (para si) Infelice Ferrando! Pobre Ferrando!
Scherza, o dice davvero? Estará a gracejar ou a falar a sério? (a Dorabella) (para Dorabella)
(Forte, mostrandole un ciondolo.) (Alto, mostrando um pingente.) O che diletto! Oh, que contentamento!
Questa picciola offerta Dignai-vos aceitar
d’accettare degnatevi. esta pequena oferta. N.º 23 – Duetto N.º 23 – Dueto

Dorabella Dorabella Guglielmo Guglielmo


Un core? Um coração? Il core vi dono, Dou-vos o coração,
bell’idolo mio; meu belo ídolo;
Guglielmo Guglielmo ma il vostro vo’ anch’io, mas quero também o vosso.
Un core: è simbolo di quello Um coração: é o símbolo daquilo via, datelo a me. Vá lá, dai-mo também!
ch’arde, languisce e spasima per voi. que arde, enfraquece e morre por vós.
Dorabella Dorabella
Dorabella (fra sé) Dorabella (para si) Mel date, lo prendo, Dais-me o vosso e eu aceito-o,
Che dono prezioso! Que presente precioso! ma il mio non vi rendo: mas não vos dou o meu.
invan mel chiedete, É em vão que mo pedis,
Guglielmo Guglielmo più meco ei non è. pois já não me pertence.
L’accettate? Aceitais?
Guglielmo Guglielmo
Dorabella Dorabella Se teco non l’hai, Se não o tens contigo,
Crudele! Cruel! perché batte qui? porque bate ele aqui?
Di sedur non tentate un cor fedele. Não tenteis seduzir um coração fiel.
Dorabella Dorabella
Guglielmo (fra sé) Guglielmo (para si) Se a me tu lo dai, E se a mim me dás o teu,
La montagna vacilla. A montanha vacila. che mai balza lì? porque bate ele ainda aí?
Mi spiace; ma impegnato Lamento, mas dei
è l’onor di soldato. a minha palavra de soldado. Dorabella e Guglielmo Dorabella e Guglielmo
(a Dorabella) (para Dorabella) È il mio coricino É o meu pequeno coração
V’adoro! Adoro-vos! che più non è meco: que já não é meu,
ei venne a star teco, foi-se para ti
Dorabella Dorabella ei batte così. e bate deste modo.
Per pietà... Por piedade…
Guglielmo (vuol metterle il core dov’ha il ritratto Guglielmo (Tenta que ela coloque o pingente em forma
Guglielmo Guglielmo dell’amante) de coração no sítio onde tem o retrato do apaixonado.)
Son tutto vostro! Sou inteiramente vosso! Qui lascia che il metta. Deixa-mo meter aqui.

Dorabella Dorabella Dorabella Dorabella


Oh, Dei! Oh, Deuses! Ei qui non può star. Aqui não pode ficar.

Guglielmo Guglielmo Guglielmo Guglielmo


Cedete, o cara! Cedei, minha querida! T’intendo, furbetta. Entendo-vos, maliciosa!

84 Così fan tutte 85


Dorabella Dorabella Fiordiligi Fiordiligi
Che fai? Que fazes? È vero, è vero! É verdade, é verdade!
Tu vuoi tormi la pace. Tu queres roubar-me a paz.
Guglielmo Guglielmo
Non guardar. Não olhes! Ferrando Ferrando
Ma per farti felice. Mas para te fazer feliz.
(Le torce dolcemente la faccia dall’altra parte, le cava il (Vira-lhe a cara docemente para o lado, tira-lhe o retrato
ritratto e vi mette il core.) de Ferrando e coloca o pingente em forma de coração.) Fiordiligi Fiordiligi
Cessa di molestarmi. Pára de me molestar.
Dorabella (fra sé) Dorabella (para si)
Nel petto un Vesuvio Parece-me ter Ferrando Ferrando
d’avere mi par. um Vesúvio no peito! Non ti chiedo che un guardo. Apenas te peço um olhar.

Guglielmo (fra sé) Guglielmo (para si) Fiordiligi Fiordiligi


Ferrando meschino! Infeliz Ferrando! Pàrtiti. Vai-te embora.
Possibil non par. Parece impossível.
(a Dorabella) (para Dorabella) Ferrando Ferrando
L’occhietto a me gira. Olhai para mim. Non sperarlo Não o esperes
se pria gli occhi men fieri a me non giri. sem que antes me lances um olhar menos severo.
Dorabella Dorabella O ciel! Ma tu mi guardi, e poi sospiri? Ó céus! Mas tu olhas-me e suspiras?
Che brami? Que desejas?
(parte) (parte)
Guglielmo Guglielmo
Rimira Olha e torna a olhar.
se meglio può andar. Haverá melhor que isto? Scena 7 Cena 7
Fiordiligi sola. Fiordiligi sozinha.
Dorabella e Guglielmo Dorabella e Guglielmo
Oh cambio felice Oh, feliz troca Fiordiligi Fiordiligi
di cori e d’affetti! de corações e de afectos! Ei parte... senti... ah no... partir si lasci, Ele vai-se embora... ouve... Ah, não! Deixemos partir,
Che nuovi diletti, Que novos prazeres si tolga ai sguardi miei l’infausto oggetto deixemos que se aparte da minha vista a desgraçada
che dolce penar! e que doce sofrimento. della mia debolezza. A qual cimento causa da minha fraqueza. Em que angústia
il barbaro mi pose!... Un premio è questo me colocou o bárbaro!... Um prémio
(partono abbracciati) (saem abraçados) ben dovuto a mie colpe!... In tale istante que as minhas culpas bem merecem! Num momento
dovea di nuovo amante destes deveria eu ouvir os suspiros de um novo amante?
iI sospiri ascoltar? L’altrui querele Deveria transformar em jogo as queixas do outro?
Scena 6 Cena 6 dovea volger in gioco? Ah, questo core Ah, justo amor,
Fiordiligi e Ferrando. Entra Fiordiligi agitata, seguita Fiordiligi e Ferrando. Fiordiligi entra agitada seguida a ragione condanni, o giusto amore! condenas com razão este coração!
da Ferrando. por Ferrando. Io ardo, e l’ardor mio non è più effetto Eu ardo e este ardor já não é o efeito
d’un amor virtuoso: è smania, affanno, de um amor virtuoso: é inquietude, ânsia,
Ferrando Ferrando rimorso, pentimento, remorso, arrependimento,
Barbara! Perché fuggi? Bárbara! Porque foges? leggerezza, perfidia e tradimento! ligeireza, perfídia e traição!

Fiordiligi Fiordiligi N.º 25 – Rondò N.º 25 – Rondò


Ho visto un aspide, Vi uma áspide,
un’idra, un basilisco! uma hidra, um basilisco! Fiordiligi Fiordiligi
Per pietà, ben mio, perdona Por piedade, meu amor, perdoa
Ferrando Ferrando all’error di un’alma amante; o erro de uma alma amante;
Ah, crudel, ti capisco! Ah, cruel, compreendo-te! fra quest’ombre e queste piante esse erro permanecerá, oh Deus, escondido
L’aspide, l’idra, il basilisco, e quanto A áspide, a hidra, o basilisco, e tudo quanto sempre ascoso, oh Dio, sarà! para sempre nestas sombras e nestas plantas.
i libici deserti han di più fiero, os desertos da Líbia têm de mais selvagem,
in me solo tu vedi. tu vês em mim.

86 Così fan tutte 87


Svenerà quest’empia voglia A minha coragem e a minha fidelidade Ferrando Ferrando
l’ardir mio, la mia costanza; destruirão este meu desejo Ella da prima Ela de início
perderà la rimembranza e farão esquecer esta recordação ride, scherza, mi burla... riu, brincou, enganou-me…
che vergogna e orror mi fa. que me enche de vergonha e de horror.
A chi mai mancò di fede A quem faltou à palavra Guglielmo Guglielmo
questo vano ingrato cor! este coração ingrato e vazio? E poi? E depois?
Si dovea miglior mercede, O meu amor e a tua candura
caro bene, al tuo candor. mereciam melhor recompensa. Ferrando Ferrando
E poi E depois
(parte) (parte) finge d’impietosirsi... fingiu apiedar-se…

Guglielmo Guglielmo
Scena 8 Cena 8 O cospettaccio! Quem diria!
Ferrando e Guglielmo. Ferrando e Guglielmo.
Ferrando Ferrando
Ferrando (lietissimo) Ferrando (felicíssimo) Alfin scoppia la bomba: Por fim rebentou a bomba:
Amico, abbiamo vinto! Amigo, vencemos! pura come colomba pura como uma pomba
al suo caro Guglielmo ella si serba; ela destina-se ao seu querido Guglielmo;
Guglielmo Guglielmo mi discaccia superba, ela despreza-me com soberba,
Un ambo o un terno? Um ás, ou um terno? mi maltratta, mi fugge, maltrata-me, foge-me,
testimonio rendendomi e messaggio testemunhando-me e provando-me
Ferrando Ferrando che una femmina ell’è senza paraggio. que é uma mulher sem igual.
Una cinquina, amico: Fiordiligi Uma quintilha, amigo; Fiordiligi
è la modestia in carne. é a modéstia em pessoa. Guglielmo Guglielmo
Bravo tu, bravo io, Bravo para ti, bravo para mim,
Guglielmo Guglielmo brava la mia Penelope! bravo para a minha bela Penélope!
Niente meno? Nada menos? Lascia un pò ch’io ti abbracci Deixa-me abraçar-te
per sì felice augurio, por tão felizes notícias,
Ferrando Ferrando o mio fido Mercurio! meu fiel Mercúrio.
Nientissimo. Sta’ attento Nada menos! Está atento
e ascolta come fu. e ouve como foi. (si abbracciano) (abraçam-se)

Guglielmo Guglielmo Ferrando Ferrando


T’ascolto: di’ pur su. Ouço-te: diz lá como foi. E la mia Dorabella? E como se portou
Come s’è diportata? a minha Dorabella?
Ferrando Ferrando (con trasporto) (com transporte)
Pel giardinetto, Através do jardim, Ah, non ci ho neppur dubbio! assai conosco Ah, não tenho sequer dúvidas. Conheço
come eravam d’accordo, como combinámos, quella sensibil alma. suficientemente aquela alma sensível.
a passeggiar mi metto; pus-me a passear;
le dò il braccio, si parla dei-lhe o braço, falámos Guglielmo Guglielmo
di mille cose differenti; alfine de mil coisas diferentes; e por fim Eppur un dubbio, No entanto uma dúvida,
viensi all’amor. chegámos a falar de amor. parlandoti a quattr’occhi, falando-te de olhos nos olhos,
Guglielmo Guglielmo non saria mal, se tu l’avessi. não seria mal se a tivesses.
Avanti. Continua.
Ferrando Ferrando
Ferrando Ferrando Come? Como?
Fingo labbra tremanti, Finjo que os meus lábios tremem,
fingo di pianger, fingo finjo chorar, finjo Guglielmo Guglielmo
di morir al suo piè... morrer aos seus pés… Dico così per dir! Digo por dizer!
(fra sé) (para si)
Guglielmo Guglielmo Avrei piacere d’indorargli la pillola. Como gostava de poder dourar a pílula.
Bravo assai, per mia fè. Muitíssimo bem, por minha honra.
ed ella? E ela?

88 Così fan tutte 89


Ferrando Ferrando Guglielmo Guglielmo
Stelle! Cesse ella forse Céus! Ela por acaso cedeu Perbacco, io non lo so. Por Baco, não sei!
alle lusinghe tue? Ah, s’io potessi aos teus avanços? Ah, se eu pudesse
sospettarlo soltanto!... apenas suspeitá-lo!... Ferrando Ferrando
Che fare or deggio? Que devo agora fazer?
Guglielmo Guglielmo A qual partito, a qual idea m’appiglio? A que partido, a que ideia me agarrar?
È sempre bene É sempre bom Abbi di me pietà, dammi consiglio. Tem piedade de mim, aconselha-me.
il sospettare un poco in questo mondo. suspeitar um pouco neste mundo.
Guglielmo Guglielmo
Ferrando Ferrando Amico, non saprei Amigo, não saberia
Eterni Dei! Favella: a foco lento Deuses eternos! Fala: não me faças qual consiglio a te dar. que conselho dar-te.
non mi far qui morir... ma no, tu vuoi morrer em fogo lento… mas não, tu gostas
prenderti meco spasso: ella non ama, de gozar comigo frequentemente: ela só ama Ferrando Ferrando
non adora che me. e só adora a mim. Barbara! Ingrata! Bárbara! Ingrata!
In un giorno!... In poche ore!... Num único dia! Em poucas horas!
Guglielmo Guglielmo
Certo! Anzi in prova Claro! E por isso, como prova Guglielmo Guglielmo
di suo amor, di sua fede, do seu amor e da sua fidelidade, Certo, un caso quest’è da far stupore. Este é um caso que causa verdadeiro assombro!
questo bel ritrattino ella mi diede. deu-me este bonito retrato.
N.º 26 – Aria N.º 26 – Ária
(gli mostra il ritratto che Dorabella gli ha dato) (mostra-lhe o retrato que Dorabella lhe deu)
Guglielmo Guglielmo
Ferrando (furente) Ferrando (furioso) Donne mie, la fate a tanti, Mulheres, tantas fazeis e tais a tantos homens
Il mio ritratto! O meu retrato! che, se il ver vi deggio dir, que, para dizer a verdade,
Ah, perfida! Ah, malvada! se si lagnano gli amanti começo a sentir piedade
(vuol partire) (Quer partir) li comincio a compatir. dos amantes que se queixam.
Io vo’ bene al sesso vostro, Eu quero bem ao vosso sexo,
Guglielmo Guglielmo lo sapete, ognun lo sa: vós sabei-lo, todos o sabem,
Ove vai? Onde vais? ogni giorno ve lo mostro, e todos os dias o demonstro,
vi dò segno d’amistà; dando-vos provas de amizade.
Ferrando (furente) Ferrando (furioso) ma quel farla a tanti e tanti Mas este fazer tantas e tais a tantos
A trarle il cor dal scellerato petto Arrancar-lhe o coração do peito cruel m’avvilisce in verità. enche-me, na verdade, de indignação.
e a vendicar il mio tradito affetto. e vingar o meu amor traído. Mille volte il brando presi Empunhei mil vezes a minha espada
per salvar il vostro onor, para salvar a vossa honra,
Guglielmo Guglielmo mille volte vi difesi defendi-vos por mil vezes
Fermati! Detém-te! colla bocca, e più col cor. com as palavras e com o coração.
Ma quel farla a tanti e tanti Mas essa mania de fazer sofrer a tantos homens
Ferrando (risoluto) Ferrando (resolutamente) è un vizietto seccator. é um vício horrível.
No, mi lascia! Não! Deixa-me! Siete vaghe, siete amabili, Sois formosas, sois amáveis,
più tesori il ciel vi diè, o céu encheu-vos de tesouros,
e le grazie vi circondano e estais rodeadas de graças
Guglielmo Guglielmo dalla testa sin ai piè; da cabeça aos pés.
Sei tu pazzo? Vuoi tu precipitarti Estás louco? Queres arruinar-te ma la fate a tanti e tanti, Mas, fazeis tantas e tais a tantos homens
per una donna che non val due soldi? por uma mulher que não vale duas moedas? che credibile non è. que chega a parecer mentira.
(fra sé) (para si) Che, se gridano gli amanti, Os amantes, quando e se gritam,
Non vorrei che facesse Não quero que ele faça hanno certo un gran perché. têm, seguramente, razão.
qualche corbelleria. algum disparate!
(parte) (sai)
Ferrando Ferrando
Numi! Tante promesse, Deuses, como pôde a ímpia
e lagrime, e sospiri, e giuramenti, esquecer em tão pouco tempo
in sì pochi momenti tantas promessas, e lágrimas,
come l’empia obliò? e suspiros, e juramentos?

90 Così fan tutte 91


Scena 9 Cena 9 Guglielmo Guglielmo
Ferrando solo; poi Guglielmo e Don Alfonso. Ferrando só; depois Guglielmo e Don Alfonso. Intanto mi darete No entretanto, dar-me-eis
cinquanta zecchinetti. cinquenta «zecchini».
Ferrando Ferrando
In qual fietro contrasto, in qual disordine Em que feroz combate, em que desordem Don Alfonso Don Alfonso
di pensieri e di affetti io mi ritrovo? de pensamentos e de afectos eu me encontro? Volentieri. De bom grado.
Tanto insolito e novo è il caso mio, É tão insólito e novo o meu caso Pria però di pagar, vo’ che facciamo No entanto, antes de pagar, quero que efectuemos
che non altri, non io que nem eu nem os demais qualche altra esperienza. outra experiência.
basto per consigliarmi... Alfonso, Alfonso, são suficientes para me aconselhar... Alfonso, Alfonso,
quanto rider vorrai como rirás Guglielmo Guglielmo
della mia stupidezza! da minha estupidez! Come! Como!
Ma mi vendicherò: saprò dal seno Mas, vingar-me-ei, e saberei apagar
cancellar quell’iniqua... cancellarla? do meu peito aquela iníqua... Apagá-la? Don Alfonso Don Alfonso
Troppo, oddio, questo cor per lei mi parla. Odeio este coração que me fala em favor dela. Abbiate pazienza; infin domani Tende paciência. Até amanhã
siete entrambi miei schiavi, a me voi deste sois ambos meus escravos: haveis-me dado
N.º 27 – Cavatina N.º 27 – Cavatina parola da soldati a vossa palavra de soldados
di far quel ch’io dirò. Venite, io spero em como faríeis o que eu ordenar. Vinde, espero
Ferrando Ferrando mostrarvi ben che folle è quel cervello mostrar-vos que é louco aquele
Tradito, schernito Atraiçoado, enganado, che sulla frasca ancor vende l’uccello. que põe a carroça à frente dos bois.
Dal perfido cor, pelo pérfido coração,
io sento che ancora sinto que a minha alma (partono) (partem)
quest’alma l’adora, continua a adorá-la.
io sento per essa Sinto ainda por ela
le voci d’amor. as vozes do amor. Scena 10 Cena 10
Camera con diverse porte, specchio e tavolini. Sala com várias portas, um espelho e mesas.
Don Alfonso (avvicinandosi a Ferrando) Don Alfonso (aproximando-se de Ferrando) Dorabella e Despina; poi Fiordiligi. Dorabella e Despina; depois Fiordiligi.
Bravo, questa è costanza! Bravo, isso sim, é perseverança.
Despina Despina
Ferrando Ferrando Ora vedo che siete Agora vejo que sois
Andate, o barbaro! Ide-vos embora, cruel! una donna di garbo. uma mulher garbosa.
Per voi misero sono. Estou desgraçado por vossa culpa.
Dorabella Dorabella
Don Alfonso Don Alfonso Invan, Despina, Tentei resistir
Via, se sarete buono Vá lá, se vos portardes bem, di resister tentai: quel demonletto em vão, Despina: esse diabinho
vi tornerò l’antica calma. Udite: devolver-vos-ei a antiga tranquilidade. Ouvi: ha un artifizio, un’eloquenza, un tratto tem uns artifícios, uma eloquência, uns modos
(mostrando Guglielmo) (apontando Guglielmo) che ti fa cader giù se sei di sasso. que te fazem cair, mesmo que sejas de pedra.
Fiordiligi a Guglielmo Fiordiligi conserva-se fiel
si conserva fedel, e Dorabella a Guglielmo, e Dorabella Despina Despina
infedel a voi fu. foi-vos infiel. Corpo di Satanasso! Corpo de Satanás!
Questo vuol dir saper! Tanto di raro Isto é que é saber! É tão raro
Ferrando Ferrando noi povere ragazze que nós pobres raparigas
Per mia vergogna. Para minha vergonha! abbiamo un pò di bene, tenhamos uma felicidade
che bisogna pigliarlo allor ch’ei viene. que é preciso agarrá-la bem quando surge.
Guglielmo Guglielmo (entra Fiordiligi) (entra Fiordiligi)
Caro amico, bisogna Querido amigo, há que Ma ecco la sorella. Mas, eis a irmã.
far delle differenza in ogni cosa. distinguir as coisas. Che ceffo! Que carantonha!
Ti pare che una sposa Parece-te que uma esposa
mancar possa a un Guglielmo? Un picciuol calcolo, possa ser infiel a um Guglielmo? Se fizermos uma Fiordiligi Fiordiligi
non parlo per lodarmi, pequena comparação aqui entre nós, Sciagurate! Desgraçadas!
se facciamo tra noi... Tu vedi, amico, e não falo para me vangloriar, poderás verificar, amigo, Ecco per colpa vostra in che stato mi trovo! Vejam em que estado me encontro por culpa vossa!
che un poco più di merto... que tenho um pouco de mérito…
Despina Despina
Don Alfonso Don Alfonso Cosa è nato, Que aconteceu,
Eh, anch’io lo dico. Também digo! cara madamigella? cara senhorita?

92 Così fan tutte 93


Dorabella Dorabella Fiordiligi Fiordiligi
Hai qualche mal, sorella? Dói-te alguma coisa, irmã? E se poi torneranno? E se depois regressam?

Fiordiligi Fiordiligi Dorabella Dorabella


Ho il diavolo che porti Tenho o diabo, que carregue Se torneran, lor danno! Se regressarem, problema deles!
me, te, lei, Don Alfonso, i forestieri a mim, a ti, a ele, a Don Alfonso, aos forasteiros Noi saremo allor mogli, noi saremo Já estaremos casadas, já estaremos
e quanti pazzi ha il mondo. e a quantos loucos há no mundo. lontane mille miglia. muitas milhas longe daqui.

Dorabella Dorabella Fiordiligi Fiordiligi


Hai perduto il giudizio? Perdeste o juízo? Ma non so come mai Não entendo como é possível
si può cangiar in un sol giorno un core. mudar os nossos afectos em apenas um dia.
Fiordiligi Fiordiligi
Peggio, peggio... Pior, pior!... Dorabella Dorabella
Inorridisci: io amo, e l’amor mio Horroriza-te: eu amo, e o meu amor Che domanda ridicola! Siam donne! Que problema ridículo! Somos mulheres!
Non è sol per Guglielmo. não é apenas por Guglielmo. E poi, tu com’hai fatto? E depois tu, como fizeste?

Despina Despina Fiordiligi Fiordiligi


Meglio, meglio! Melhor, melhor! Io saprò vincermi. Eu saberei dominar-me!

Dorabella Dorabella Despina Despina


E che forse anche tu se’ innamorata O quê? Também tu estás enamorada Voi non saprete nulla. Não sabereis coisíssima nenhuma!
del galante biondino? pelo galante loirinho?
Fiordiligi Fiordiligi
Fiordiligi (sospirando) Fiordiligi (suspirando) Farò che tu lo veda. Farei com que o vejas!
Ah, purtroppo per noi. Desgraçadamente para nós!
Dorabella Dorabella
Despina Despina Credi, sorella, è meglio che tu ceda. Acredita em mim irmã: é melhor ceder.
Mo’ brava! Parabéns!
N.º 28 – Aria N.º 28 – Ária
Dorabella Dorabella
Tieni Olha, Dorabella Dorabella
settantamila baci: setenta mil beijos: È amore un ladroncello, O amor é um ladrãozeco,
tu il biondino, io il brunetto, tu com o loirinho, eu com o moreninho, un serpentello è amor; é uma pequena serpente.
eccoci entrambe spose! eis-nos a ambas casadas! ei toglie e dà la pace, Tira e dá sossego ao coração
come gli piace, ai cor. como lhe apetece.
Fiordiligi Fiordiligi Per gli occhi al seno appena Consegue abrir um caminho
Cosa dici? Que dizes? un varco aprir si fa, para o nosso peito, consegue
Non pensi agli infelici Não pensas nos infelizes che l’anima incatena encadear a nossa alma, consegue
che stamane partir? Ai loro pianti, que partiram esta manhã? Não pensas e toglie libertà. tirar-nos a liberdade apenas pelo olhar.
alla lor fedeltà tu più non pensi? nos seus prantos e na sua fidelidade? Porta dolcezza e gusto Se o deixares actuar,
Così barbari sensi Onde aprendeste, onde, se tu lo lasci far, proporcionará prazer e doçura;
dove, dove apprendesti? tão cruéis sentimentos? ma t’empie di disgusto mas, se tentares lutar contra
Sì diversa da te come ti festi? Como te transformaste em algo tão diferente? se tenti di pugnar. ele, encher-te-á de dissabores.
Se nel tuo petto ei siede, Se se alojar no teu peito,
Dorabella Dorabella s’egli ti becca qui, se te ferir aqui,
Odimi: sei tu certa Ouve-me: tens a certeza fa’ tutto quel ch’ei chiede, faz tudo o que ele te pede,
che non muoiano in guerra de que não vão morrer na guerra che anch’io farò così e eu assim o farei também.
i nostri vecchi amanti? E allora entrambe os nossos velhos amantes? E então
resterem colle man piene di mosche. ficaremos as duas com as mãos a abanar. (Dorabella e Despina partono) (Dorabella e Despina saem)
Tra un ben certo e un incerto Entre um pássaro na mão e um a voar
C’è sempre gran divario! não há hesitação possível!

94 Così fan tutte 95


Scena 11 Cena 11 Fiordiligi Fiordiligi
Fiordiligi sola; poi Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso Fiordiligi sozinha; depois Ferrando, Guglielmo e Don Non c’è altro, ho speranza Nada mais falta, tenho esperança
in altra camera; indi Despina. Alfonso numa outra sala; depois Despina. che Dorabella stessa que a própria Dorabella
seguirà il bell’esempio. Al campo, al campo: siga o meu exemplo. Ao campo, ao campo:
Fiordiligi Fiordiligi altra strada non resta há apenas este caminho
Come tutto congiura Como tudo conspira per serbarci innocenti. para que continuemos inocentes.
a sedurre il mio cor! Ma no... si mora para seduzir o meu coração! Mas não... antes morrer
e non si ceda... errai quando alla suora do que ceder… errei quando me abri Don Alfonso (fra sé) Don Alfonso (para si)
io mi scopersi, ed alla serva mia. com a minha irmã, e com a criada. Ho capito abbastanza. Já percebi o suficiente.
Esse a lui diran tutto, ed ei più audace, Elas vão contar-lhe tudo, e ele heroicamente, (A Despina, che ritorna.) (Para Despina, que regressa.)
fia di tutto capace... agli occhi miei será de tudo capaz… e aos meus olhos Vanne pur, non temer. Vai, não tenhas medo.
mai più non comparisca... a tutti i servi talvez não apareça mais… ameaçarei todos os criados
minaccerò il congedo. com o despedimento. Despina (a Fiordiligi) Despina (para Fiordiligi)
(Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso entrano in un’altra (Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso entram numa outra Eccomi. Eis-me, senhora.
camera che si vede per la porta della prima.) sala que se vê através da porta.)
Se lo lascian passar... veder nol voglio, Deixaram-nos passar… não quero Fiordiligi Fiordiligi
quel seduttor. ver o sedutor! Vanne. Vai.
Sei cavalli di posta Vai alugar a um criado
Guglielmo (agli amici) Guglielmo (para os amigos) voli un servo a ordinar... dì a Dorabella seis cavalos de posta… diz a Dorabella
Bravissima! Bravíssima! che parlar le vorrei... que quero falar com ela…
La mia casta Artemisia! La sentite? A minha casta Ártemis! Ouviste-a?
Despina Despina
Fiordiligi Fiordiligi Sarà servita. Farei o que ordenais.
Ma potria Dorabella, Dorabella, porém, sem o meu (fra sé) (para si)
senza saputa mia... Piano... un pensiero conhecimento poderia... Calma... passa-me Questa donna mi par di senno uscita. Creio bem que esta mulher enlouqueceu.
per la mente mi passa: in casa mia uma ideia pela cabeça... em minha casa
restar molte uniformi ficaram alguns uniformes (parte) (parte)
di Guglielmo e di Ferrando... ardir!... de Guglielmo e de Ferrando... coragem...
Despina! Despina! Despina! Despina!
Scena 12 Cena 12
Despina (entrando) Despina (entrando) Fiordiligi, poi Ferrando; Guglielmo e Don Alfonso Fiordiligi, depois Ferrando; Guglielmo e Don Alfonso
Cosa c’è? Que quereis? nell’altra camera. na outra sala.

Fiordiligi Fiordiligi Fiordiligi Fiordiligi


Tieni un pò questa chiave, e senza replica, Toma esta chave e, sem retorquir, L’abito di Ferrando O uniforme de Ferrando
senza replica alcuna, sem resposta alguma, sarà buono per me; può Dorabella ficar-me-á bem: Dorabella
prendi nel guardaroba e qui mi porta vai ao roupeiro e traz-me aqui prender quel di Guglielmo. In questi arnesi pode vestir o de Guglielmo. Assim vestidas
due spade, due cappelli e due vestiti duas espadas, dois chapéus e dois uniformes raggiungerem gli sposi nostri, al loro iremos ao encontro dos nossos apaixonados,
de’ nostri sposi. dos nossos amantes. fianco pugnar potremo poderemos lutar ao lado deles
e morir se fa d’uopo. Ite in malora, e morrer, se for preciso. Ide em má-hora,
Despina Despina (si cava quello che tiene in testa) (retira todos os ornamentos e jóias)
E che volete fare? Que quereis fazer? ornamenti fatali!... Io vi detesto. ornamentos fatais, eu detesto-vos.

Fiordiligi Fiordiligi Guglielmo (agli amici) Guglielmo (para os amigos)


Vanne, non replicare Vai, não discutas. Si può dar un amor simile a questo? Como é possível um amor como este?

Despina (fra sé) Despina (para si) Fiordiligi Fiordiligi


Comanda in abrégé donna Arroganza! Ordena rapidamente Dona Arrogância! Di tornar non sperate alla mia fronte Não espereis voltar a ver-me
pria ch’io qui torni col mio ben; in vostro antes que eu aqui regresse com o meu amado.
(parte) (parte) loco porrò questo cappello... oh, come No vosso lugar colocarei este chapéu:
ei mi trasforma le sembianze e il viso! oh, como se transforma a expressão e o rosto!
Come appena io medesma or mi ravviso! como apenas me reconheço a mim própria!

96 Così fan tutte 97


N.º 29 – Duetto N.º 29 – Dueto Fiordiligi Fiordiligi
Dei, consiglio! Deuses, aconselhai-me!
Fiordiligi Fiordiligi
Fra gli amplessi in pochi istanti Em poucos instantes estarei Ferrando Ferrando
giungerò del fido sposo, entre os abraços do fiel amante; Volgi a me pietoso il ciglio: Volta para mim o teu piedoso rosto.
sconosciuta a lui davanti vou apresentar-me perante ele in me sol trovar tu puoi Só em mim poderás encontrar
in quest’abito verrò. com este uniforme. sposo, amante, e più se vuoi. um esposo, um amante, e mais, se quiseres.
Oh, che gioia il suo bel core Oh que alegria o seu belo coração (tenerissimamente) (com imensa ternura)
proverà nel ravvisarmi! sentirá ao reconhecer-me! Idol mio, più non tardar. Meu ídolo, não tardes mais.

Ferrando (A Fiordiligi, entrando.) Ferrando (Para Fiordiligi, entrando.) Fiordiligi (tremando) Fiordiligi (tremendo)
Ed intanto di dolore E, entretanto, eu, infeliz, Giusto ciel!... Crudel... hai vinto, Justos céus! Cruel, venceste...
meschinello io mi morrò. morrerei de dor. fa’ di me quel che ti par. Faz de mim o que te aprouver.

Fiordiligi Fiordiligi (Don Alfonso trattiene Guglielmo che vorrebbe entrare) (Don Alfonso segura Guglielmo, que quer entrar.)
Cosa veggio! Son tradita. Que vejo? Fui traída!
Deh, partite! Ide-vos! Ferrando e Fiordiligi Ferrando e Fiordiligi
Abbracciamci, o caro bene, Abracemo-nos, meu querido amor,
Ferrando Ferrando e un conforto a tante pene e que o desfalecimento de um doce afecto
Ah no, mia vita! Ah, não, vida minha! sia languir di dolce affetto, e os suspiros de prazer
(Prende la spada dal tavolino, la sfodera...) (Pega na espada, tira-a da baínha…) di diletto sospirar! sejam consolo para tantos tormentos.
Con quel ferro di tua mano Com esta espada tu mesmo
questo cor tu ferirai, ferirás este coração. (partono) (partem)
e se forza oddio non hai Se não tiveres forças, meu Deus,
io la man ti reggerò. eu mesmo te segurarei a mão.
(s’inginocchia) (ajoelha-se) Scena 13 Cena 13
Guglielmo e Don Alfonso; poi Ferrando. Guglielmo e Don Alfonso; depois Ferrando.
Fiordiligi Fiordiligi
Taci, ahimè! Son abbastanza Cala-te, ai de mim! Já sou suficientemente Guglielmo Guglielmo
tormentata ed infelice! atormentada e infeliz. Oh poveretto me! Cosa ho veduto, Ai, pobrezinho de mim, que vi eu!
cosa ho sentito mai! Que acabei de ouvir!
Ferrando e Fiordiligi Ferrando e Fiordiligi
Ah, che omai la mia/sua costanza Ah, agora a sua/minha fidelidade, Don Alfonso Don Alfonso
a quei sguardi, a quel che dice, pelos olhares e pelos seus dizeres, Per carità, silenzio! Silêncio, por caridade!
incomincia a vacillar! vejo que começa a vacilar.
Guglielmo Guglielmo
Fiordiligi Fiordiligi Mi pelerei la barba, Eu cortaria a barba,
Sorgi, sorgi... Levanta-te! Levanta-te! mi graffierei la pelle, e arranharia a pele
e darei colle corna entro le stelle! e daria com os cornos nas estrelas!
Ferrando Ferrando Fu quella Fiordiligi! la Penelope, Aquela Fiordiligi era a tal Penélope,
Invan lo credi. Não acredites nisso. l’Artemisia del secolo! Briccona! a tal Ártemis do século! Malvada!
Assassina... furfante... ladra... cagna... Assassina! Mentirosa! Ladra! Cadela!
Fiordiligi Fiordiligi
Per pietà, da me che chiedi? Por piedade, que queres de mim? Don Alfonso (Lieto, fra sé.) Don Alfonso (Para si, alegremente.)
Ferrando Ferrando Lasciamolo sfogar. Deixemo-lo desabafar...
Il tuo cor, o la mia morte. O teu coração, ou a minha morte.
Ferrando (entrando) Ferrando (entrando)
Fiordiligi Fiordiligi Ebben! Então!
Ah, non son, non son più forte... Ah, já não tenho mais forças.
Guglielmo Guglielmo
Ferrando Ferrando Dov’è? Onde está ela?
Cedi, cara! Cede, querida.
(le prende la mano e gliela bacia) (pega-lhe na mão e beija-a)

98 Così fan tutte 99


Ferrando Ferrando Don Alfonso Don Alfonso
Chi? La tua Fiordiligi? Quem? A tua Fiordiligi? Ebben pigliatele Pois bem, aceitai-as
com’elle son. Natura non potea como elas são. A Natureza não podia
Guglielmo Guglielmo fare l’eccezione, il privilegio fazer uma excepção, e dar-vos o privilégio
La mia Fior... fior di diavolo, che strozzi A minha Fior... flor do diabo que a leve, di creare due donne d’altra pasta de criar duas mulheres diferentes das outras
lei prima e dopo me! a ela primeiro e depois a mim. per i vostri bei musi; in ogni cosa só pelos vossos lindos olhos. Em tudo
ci vuol filosofia. Venite meco; se quer filosofia. Vinde comigo;
Ferrando (ironicamente) Ferrando (com ironia) di combinar la cosa estudaremos o modo
Tu vedi bene: Tu bem vês, studierem la maniera. de arranjar as coisas.
v’han delle differenze in ogni cosa... em todas as coisas encontramos diferenças, Vo’ che ancor questa sera Eu desejaria que ainda esta noite
Un poco di più merto... um pouco mais de mérito... doppie nozze si facciano. Frattanto se celebrassem núpcias duplas. Entretanto,
un’ottava ascoltate: ouvi uma oitava:
Guglielmo Guglielmo felicissimi voi, se la imparate. sereis muito felizes se a aprenderdes.
Ah, cessa amico, Ah, amigo,
cessa di tormentarmi deixa de atormentar-me, N.º 30 – Andante N.º 30 – Andante
ed una via piuttosto e procuremos antes
studiam di castigarle uma maneira Don Alfonso Don Alfonso
sonoramente. de as castigar fortemente. Tutti accusan le donne, ed io le scuso Todos acusam as mulheres e eu desculpo-as
se mille volte al dì cangiano amore; por trocarem de paixão mil vezes por dia;
Don Alfonso Don Alfonso altri un vizio lo chiama ed altri un uso, uns chamam a isso vício, outros feitio;
Io so qual è: sposarle. Eu sei qual é: casar com elas. ed a me par necessità del core. a mim, parece-me necessidade do coração.
L’amante che si trova alfin deluso O amante que no fim se encontra enganado
Guglielmo Guglielmo non condanni l’altrui, ma il proprio errore; não condene o erro dos outros, mas o seu próprio,
Vorrei sposar piuttosto Antes quereria casar già che giovani, vecchie, e belle e brutte, pois que jovens, velhas, belas e feias,
la barca di Caronte! com a barca de Caronte! ripetetel con me: «Così fan tutte!» repeti comigo: «Assim fazem todas!».

Ferrando Ferrando Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso
La grotta di Vulcano. Com a gruta de Vulcano. Così fan tutte! Assim fazem todas!

Guglielmo Guglielmo
La porta dell’inferno. Com a porta do inferno. Scena 14 Cena 14
Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso e Despina. Ferrando, Guglielmo, Don Alfonso e Despina.
Don Alfonso Don Alfonso
Dunque, restate celibi in eterno. Então ficai solteiros para sempre. Despina Despina
Vittoria, padroncini! Vitória, patrões!
Ferrando Ferrando a sposarvi disposte As queridas senhoras
Mancheran forse donne Nunca faltarão mulheres son le care madame; a nome vostro estão dispostas a casar; em vosso nome
ad uomin come noi? a homens como nós. loro io promisi che in tre giorni circa prometi-lhes que dentro de três dias
partiranno con voi. L’ordin mi diero partirão convosco. Ordenaram-me que
Don Alfonso Don Alfonso di trovar un notaio procurasse um notário
Non c’è abbondanza d’altro. Mulheres é o que há mais. che stipuli il contratto; alla lor camera para estipular o contrato; esperam-vos
Ma l’altre che faran, se ciò fer queste? Mas, as outras que farão, se estas isto fizeram? attendendo vi stanno. nas respectivas salas.
In fondo, voi le amate No fundo vós amais Siete così contenti? Ficais contentes?
queste vostre cornacchie spennacchiate. estas vossas gralhas depenadas.
Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso
Guglielmo Guglielmo Contentissimi. Contentíssimos.
Ah pur troppo! Ah, demasiado!
Despina Despina
Ferrando Ferrando Non è mai senza effetto Nunca deixa de haver sucesso
Pur troppo! Infelizmente! Quand’entra la Despina in un progetto. quando Despina entra num projecto.

(partono) (partem)

100 Così fan tutte 101


Scena 15 Cena 15 Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo
Sala ricchissima illuminata. Orchestra in fondo. Sala abastada e iluminada. Orquestra ao fundo. Come par che qui prometta Como tudo aqui parece
Tavola per quattro persone con doppieri d’argento Mesa para quatro pessoas com talheres de prata, tutto gioia e tutto amore! prometer alegria e amor!
ecc. Despina, servitori, servette e suonatori; etc. Despina, criados, criadas e músicos; Della cara Despinetta O mérito é todo da nossa
poi Don Alfonso. depois Don Alfonso. certo il merito sarà. querida Despina.
Raddoppiate il lieto suono, Redobrai a feliz melodia
N.º 31 – Finale N.º 31 – Final replicate il dolce canto, repeti o doce canto
e noi qui seggiamo intanto e nós entretanto sentemo-nos
Despina Despina in maggior giovialità. na maior das jovialidades.
Fate presto, o cari amici, Depressa, caros amigos,
alle faci il fuoco date acendei as tochas (gli sposi si mettono alla tavola) (os esposos sentam-se à mesa)
e la mensa preparate e preparai a mesa
con ricchezza e nobiltà. com luxo e nobreza. Coro Coro
Delle nostre padroncine Os casamentos das nossas Benedetti i doppi coniugi Benditos sejam os duplos cônjuges
gli imenei son già disposti. patroas estão já dispostos. e le amabili sposine! e suas amáveis esposas!
(ai suonatori) (aos músicos) Splenda lor il ciel benefico Que o céu lhes seja propício
E voi gite ai vostri posti, Ocupai os vossos lugares ed a guisa di galline e que, quais galinhas,
finché i sposi vengon qua. enquanto esperamos os esposos. sien di figli ognor prolifiche, sejam sempre prolíferas
che le agguaglino in beltà. em filhos que as igualem em beleza.
Coro di Servi e Suonatori Coro de Criados e Músicos
Facciam presto, o cari amici, Depressa, caros amigos, Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
alle faci il fuoco diamo acendamos as tochas Tutto, tutto, o vita mia, Tudo, ó vida minha,
e la mensa prepariamo e preparemos a mesa al mio fuoco or ben risponde. corresponde agora à minha fogosidade!
con ricchezza e nobiltà. com luxo e nobreza.
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Don Alfonso (entrando) Don Alfonso (entrando) Pel mio sangue l’allegria Pelo meu sangue corre a alegria,
Bravi, bravi! Ottimamente! Bravo, bravo! Perfeito! cresce, cresce e si diffonde. que cresce e se difunde!
Che abbondanza! che eleganza! Que abundância! Que elegância!
Una mancia conveniente Os dois esposos dar-vos-ão Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
l’un e l’altro a voi darà. uma gratificação conveniente. Sei pur bella! Sois bela, na verdade!
(Mentre Don Alfonso canta, (Enquanto Don Alfonso canta. os músicos afinam os
i suonatori accordano.) instrumentos.) Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Le due coppie omai si avanzano, Os dois casais já se aproximam, Sei pur vago! Sois bonito, na verdade!
fate plauso al loro arrivo, aplaudi a sua chegada,
lieto canto e suon giulivo que um canto alegre e uma música festiva Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
empia il ciel d’ilarità. encham o céu de alegria. Che bei rai! Que belos olhos!

Despina e Don Alfonso (Sottovoce, partendo per diverse Despina e Don Alfonso (Baixo, saindo por portas Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
porte.) separadas.) Che bella bocca! Que bela boca!
No, più bella commediola Nunca se viu, nem nunca se verá,
non s’è vista, o si vedrà! uma comédia igual. Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Tocca e bevi! Brindai e bebei!

Scena 16 Cena 16 (toccano i bicchieri) (brindam)


Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Guglielmo, servi e Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Guglielmo, criados e
suonatori. músicos. Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Bevi e tocca! Bebei e brindai!
Coro Coro
Benedetti i doppi coniugi Benditos sejam os duplos cônjuges Fiordiligi, Dorabella e Ferrando Fiordiligi, Dorabella e Ferrando
e le amabili sposine! e suas amáveis esposas! E nel tuo, nel mio bicchiero Na tua taça e na minha
Splenda lor il ciel benefico Que o céu lhes seja propício si sommerga ogni pensiero. afoguem-se todos os pensamentos,
ed a guisa di galline e que, quais galinhas, E non resti più memoria e que nenhuma memória do passado
sien di figli ognor prolifiche, sejam sempre prolíferas del passato ai nostri cor. permaneça nos nossos corações.
che le agguaglino in beltà. em filhos que as igualem em beleza.

102 Così fan tutte 103


Guglielmo (fra sé) Guglielmo (para si) Despina e Don Alfonso Despina e Don Alfonso
Ah, bevessero del tossico, Ah, era bom que bebessem veneno, Bravi, bravi in verità! Muito bem, na verdade!
queste volpi senza onor! estas raposas sem honra!
(La carta resta in mano di Don Alfonso. Si sente un (O contrato fica em mãos de Don Alfonso. Ouvem-se
gran suono di tamburo e canto lontano.) rufar de tambores e cantos longínquos.)
Scena 17 Cena 17
Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Guglielmo e Don Fiordiligi, Dorabella, Ferrando, Guglielmo e Don Coro (di dentro) Coro (de dentro)
Alfonso; poi Despina in veste di notaio. Alfonso; depois Despina mascarada de notário. Bella vita militar! Bela vida militar!
Ogni dì si cangia loco, Todos os dias se muda de posto;
Don Alfonso (entrando) Don Alfonso (entrando) oggi molto e doman poco, hoje tem-se muito, amanhã pouco;
Miei signori, tutto è fatto. Meus senhores, está tudo arranjado; ora in terra ed or sul mar. ora se anda em terra, ora no mar.
Col contratto nuziale o notário já vem a subir
il notaio è sulle scale as escadas com o contrato Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo
e ipso facto qui verrà. e virá aqui ipso facto. Che rumor! Che canto è questo! Que ruído! Que cantos são estes?

Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo Don Alfonso Don Alfonso
Bravo, bravo! Passi subito. Bravo, bravo, que entre já! State cheti; io vo a guardar. Ficai em silêncio, vou ver.
(va alla finestra) (vai à janela)
Don Alfonso Don Alfonso Misericordia! Misericórdia!
Vo a chiamarlo: eccolo qua. Vou chamá-lo. Ei-lo aqui. Numi del cielo! Deuses do céu!
Che caso orribile! Que acontecimento terrível!
Despina (Entrando, con voce nasale.) Despina (Entrando, com voz anasalada.) Io tremo, io gelo! Eu não me sustenho! Eu gelo!
Augurandovi ogni bene Desejando-vos o melhor, Gli sposi vostri... Os vossos esposos...
il notaio Beccavivi o notário Matavivos
coll’usata a voi sen viene vem até vós com a sua Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
notarile dignità. notarial dignidade! Lo sposo mio... O meu esposo...
E il contratto stipulato E ele lerá com clara voce,
colle regole ordinarie depois de tossir e de se sentar, Don Alfonso Don Alfonso
nelle forme giudiziarie, o contrato estipulado In questo istante ... regressaram neste instante,
pria tossendo, poi sedendo, pelas regras habituais tornaro, oddio! Meu Deus!
clara voce leggerà. das fórmulas judiciais. Ed alla riva E já estão a
sbarcano già! desembarcar na margem.
Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo
Bravo, bravo in verità! Bravo, na verdade! Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo
Cosa mai sento! Que oiço?
Despina Despina Barbare stelle! Destino cruel!
Per contratto da me fatto, Pelo contrato por mim redigido, In tal momento Que fazer
si congiunge in matrimonio unem-se pelos laços do matrimónio che si farà? em tal momento?
Fiordiligi con Sempronio, Fiordiligi com Semprónio
e con Tizio Dorabella e Dorabella, sua legítima (I servi portano via la tavola, e i suonatori partono in (os criados levam a mesa e os músicos partem
sua legittima sorella, irmã, com Tizio; fretta.) apressadamente)
quelle, dame ferraresi, elas, damas de Ferrara,
questi, nobili albanesi. eles, nobres albaneses, Fiordiligi e Dorabella (agli amanti) Fiordiligi e Dorabella (para os amantes)
e, per dote e contradote... e como dote e contradote... Presto partite! Parti, depressa...

Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo Fiordiligi, Dorabella, Ferrando e Guglielmo Ferrando, Guglielmo, Despina e Don Alfonso Ferrando, Guglielmo, Despina e Don Alfonso
Cose note, cose note, Já sabemos! Já sabemos! Ma se ci/li veggono? Mas, e se eles vos/nos avistarem?
vi crediamo, ci fidiamo: Acreditamos em si, fiamo-nos,
soscriviam, date pur qua. subscrevemos, dai cá! Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Presto fuggite! Depressa, fugi!

104 Così fan tutte 105


Ferrando, Guglielmo, Despina e Don Alfonso Ferrando, Guglielmo, Despina e Don Alfonso Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Ma se ci/li incontrano? Mas, e se eles vos/nos encontrarem? Richiamati da regio contrordine, Chamados de novo por uma contra-ordem régia,
pieno il cor di contento e di giolito, cheios de alegria e de júbilo,
(Don Alfonso conduce Despina in una camera) (Don Alfonso conduz Despina para outra sala) ritorniamo alle spose adorabili, regressamos às esposas adoráveis
ritorniamo alla vostra amistà. e regressamos à vossa amizade.
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Là, là, celatevi, Escondei-vos ali, Guglielmo (a Fiordiligi) Guglielmo (para Fiordiligi)
Per carità! por piedade! Ma cos’è quel pallor, quel silenzio? Mas, que significa essa palidez e esse silêncio?
(Conducono gli amanti in un’altra camera. Essi ne (Conduzem os amantes para uma outra sala. Eles saem
escono non veduti e partono.) de lá sem que os vejam e partem.) Ferrando (a Dorabella) Ferrando (para Dorabella)
Numi, soccorso! Deuses, socorro! L’idol mio perché mesto si sta? Porque está tão triste o meu ídolo?

Don Alfonso Don Alfonso Don Alfonso Don Alfonso


Rasserenatevi... Acalmai-vos. Dal diletto confuse ed attonite Ficaram mudas, confusas
mute mute si restano là. e atónitas de alegria.
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Numi, consiglio! Deuses, conselho! Fiordiligi e Dorabella (fra sé) Fiordiligi e Dorabella (para si)
Ah, che al labbro le voci mi mancano, Ah, faltam as palavras aos lábios;
Don Alfonso Don Alfonso se non moro un prodigio sarà. se não morrer agora, é um milagre.
Ritranquillatevi... Tranquilizai-vos.
(i servi portano un baule) (os criados trazem um baú)
Fiordiligi e Dorabella (quasi frenetiche) Fiordiligi e Dorabella (freneticamente)
Chi dal periglio Quem nos salvará do perigo? Guglielmo Guglielmo
ci salverà? Quem? Permettete che sia posto Permiti que este baú
quel baul in quella stanza. seja colocado naquela sala.
Don Alfonso Don Alfonso (Esce dalla porta per la quale è uscita Despina, (sai pela porta por onde saiu Despina e regressa
In me fidatevi, Confiai em mim: e rientra immediatamente.) imediatamente)
ben tutto andrà. tudo correrá bem! Dei, che veggio! Un uom nascosto? Deuses, que vejo? Um homem escondido.
Un notaio? Qui che fa? Que faz aqui um notário?
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Mille barbari pensieri Mil pensamentos bárbaros Despina (Rientrando, ma senza cappello.) Despina (Regressando, já sem o chapéu.)
tormentando il cor mi vanno. atormentam-me o coração. No, signor, non è un notaio; Não, senhor, não é um notário,
Se discoprono l’inganno, Se eles descobrem o engano, è Despina mascherata é Despina disfarçada
ah di noi che mai sarà? que será de nós? che dal ballo or è tornata que acaba de regressar do baile
e a spogliarsi or venne qua. e entrou aqui para se despir.

Scena última Última Cena Ferrando e Guglielmo (fra sé) Ferrando e Guglielmo (para si)
Fiordiligi e Dorabella; Ferrando e Guglielmo con Fiordiligi e Dorabella; Ferrando e Guglielmo em Una furba uguale a questa Será difícil de encontrar
mantelli e cappelli militari; Despina in camera; vestes militares; Despina na sala; Don Alfonso. Dove mai si troverà? uma criatura tão astuta como esta.
Don Alfonso.
Despina (fra sé) Despina (para si)
Una furba che m’agguagli Onde se poderá encontrar
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo dove mai si troverà? uma criatura astuta como eu?
Sani e salvi, agli amplessi amorosi Sãos e salvos, regressamos aos abraços amorosos
delle nostre fidissime amanti das nossas fidelíssimas amantes, (Don Alfonso lascia cadere accortamente il contratto (Don Alfonso, discretamente, deixa cair o contrato
ritorniamo, di gioia esultanti, exultantes de alegria sottoscritto dalle donne.) assinado pelas senhoras.)
per dar premio alla lor fedeltà. para premiar a sua fidelidade.
Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
Don Alfonso Don Alfonso La Despina? La Despina? Despina? Despina?
Giusti numi, Guglielmo! Ferrando! Deuses justos! Guglielmo? Ferrando? Non capisco come va. Não entendo o que se passa.
Oh, che giubilo, qui, come, e quando? Que alegria! Aqui! Como? Quando?

106 Così fan tutte 107


Don Alfonso (sottovoce agli amanti) Don Alfonso (baixo para os amantes) Ferrando (a Fiordiligi) Ferrando (para Fiordiligi)
Già cader lasciai le carte, Já deixei cair os papéis, A voi s’inchina, Perante vós
raccoglietele con arte. apanhai-os com jeito. bella damina, se inclina,
il cavaliere bela senhora,
Ferrando (raccogliendo il contratto) Ferrando (apanhando o contrato) dell’Albania! o cavaleiro da Albânia!
Ma che carte sono queste? Que documentos são estes?
Guglielmo (a Dorabella) Guglielmo (para Dorabella)
Guglielmo Guglielmo Il ritrattino Aqui tendes o retratinho
Un contratto nuziale? Um contrato de casamento? pel coricino trocado pelo coração.
ecco io le rendo, Devolvo-o,
Ferrando e Guglielmo (alle ragazze) Ferrando e Guglielmo (para as mulheres) signora mia. minha senhora.
Giusto ciel! Voi qui scriveste; Deuses! Vós assinastes isto:
contradirci omai non vale: de nada vale negar agora. Ferrando e Guglielmo (a Despina) Ferrando e Guglielmo (para Despina)
tradimento, tradimento! Traição! Traição! Ed al magnetico E ao senhor
Ah si faccia il scoprimento Ah! Descubra-se a tramóia signor dottore doutor magnético
e a torrenti, a fiumi, a mari e o sangue escorrerá rendo l’onore rendo-lhe as honras
indi il sangue scorrerà! em torrentes pelos rios e pelos mares. che meritò! que mereceu.

(Vanno per entrare nell’altra camera; le donne li (Querem entrar na outra sala, mas as mulheres Fiordiligi, Dorabella e Despina Fiordiligi, Dorabella e Despina
arrestano.) seguram-nos.) Stelle, che veggo! Céus, que vejo!

Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso
Ah, signor, son rea di morte Ah, senhor, sou culpada Son stupefatte! Estão estupefactas!
e la morte io sol vi chiedo. e só vos peço a morte;
Il mio fallo tardi vedo: vejo tarde de mais a minha culpa. Fiordiligi, Dorabella e Despina Fiordiligi, Dorabella e Despina
con quel ferro un sen ferite Feri com essa espada um peito Al duol non reggo! Não resisto à dor.
che non merita pietà! que não merece piedade!
Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso Ferrando, Guglielmo e Don Alfonso
Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo Son mezze matte. Estão quase a enlouquecer!
Cosa fu? Que aconteceu?
Fiordiligi e Dorabella (accennando Don Alfonso) Fiordiligi e Dorabella (apontando para Don Alfonso)
Fiordiligi e Dorabella (additando Don Alfonso e Despina) Fiordiligi (apontando para Don Alfonso e Despina) Ecco là il barbaro Eis o cruel
Per noi favelli Que falem por nós che c’ingannò. que nos enganou.
il crudel, la seduttrice! o cruel e a sedutora.
Don Alfonso Don Alfonso
Don Alfonso Don Alfonso V’ingannai, ma fu l’inganno Enganei-vos, mas o engano
Troppo vero è quel che dice, É bem verdade o que ela diz disinganno ai vostri amanti, foi um desengano para os vossos amantes.
e la prova è chiusa lì. e a prova está ali fechada. che più saggi omai saranno, Eles agora tornar-se-ão mais sábios
che faran quel ch’io vorrò. e farão o que eu disser.
(accenna la camera dov’erano entrati prima gli amanti) (indica a sala onde tinham entrado os amantes) (li unisce e li fa abbracciare) (une-os e faz com que se abracem)
Qua le destre, siete sposi. Dai as mãos: sois esposos.
Fiordiligi e Dorabella (fra sé) Fiordiligi e Dorabella (para si) Abbracciatevi e tacete. Abraçai-vos e calai-vos.
Dal timor io gelo, io palpito; Gelo de pavor, tenho palpitações Tutti quattro ora ridete, Riam agora os quatro,
perché mai li discoprì! por os terdes descoberto! ch’io già risi e riderò. que eu já o fiz e vou continuar a fazê-lo.

(Ferrando e Guglielmo entrano un momento in camera, (Ferrando e Guglielmo entram na sala e depois saem Fiordiligi e Dorabella Fiordiligi e Dorabella
poi sortono senza cappello, senza mantelli e senza sem chapéu, sem mantos e sem bigodes, mas com o Idol mio, se questo è vero, Meu ídolo, se isto é verdade,
mustacchi, ma coll’abito finto e burlano in modo fato fingido e, assim, gozam com as duas amantes e colla fede e coll’amore saberei compensar o teu coração
ridicolo le amanti e Despina.) com Despina.) compensar saprò il tuo core, com fidelidade e com amor.
adorarti ognor saprò. Saberei adorar-te para sempre.

108 Così fan tutte 109


Ferrando e Guglielmo Ferrando e Guglielmo
Te lo credo, gioia bella, Acredito, minha beldade,
ma la prova io far non vo’. mas não desejo fazer a prova.

Despina Despina
Io non so se veglio o sogno, Não sei se sonho, ou se estou acordada,
mi confondo, mi vergogno. confundo-me e envergonho-me.
Manco mal, se a me l’han fatta, Menos mal; enganaram-me,
che a molt’altri anch’io la fo. mas eu também faço isso a outros.

Tutti Todos
Fortunato l’uom che prende Feliz o homem que toma
ogni cosa pel buon verso, as coisas pelo lado bom,
e tra i casi e le vicende e sabe guiar-se pela razão
da ragion guidar si fa. em todos os acontecimentos e casos.
Quel che suole altrui far piangere Aquilo que costuma fazer chorar os outros
fia per lui cagion di riso, será para ele motivo de riso,
e del mondo in mezzo ai turbini e encontrará a doce calma
bella calma proverà. no meio dos torvelinhos do mundo.

Fine Fim

Tradução do libreto para efeitos de legendagem


e publicação no programa
Jorge Rodrigues

Silvia Colombini (Despina), Bruno Praticò (Don Alfonso), Saimir Pirgu (Ferrando),
Laura Polverelli (Dorabella) e Irina Lungu (Fiordiligi).
Fotografias de ensaio.

110
Mario Martone

O meu primeiro encontro com o teatro de Mozart


acontece no Teatro San Carlo em 1999, com a
encenação de Così fan tutte. Quando me foi proposta,
senti-me feliz e, ao mesmo tempo, assustado: eis que
surgia a possibilidade de encenar uma ópera sublime.
Mas como faze-lo num teatro tão grande quanto
aquele napolitano? A trilogia de Mozart-Da Ponte
implica uma reflexão para que possa crescer na
imaginação dos espectadores, e a distância da grand-
-opéra imposta pela cornija do San Carlo, bloqueava-
me. Pensei imediatamente que seria necessário
transportá-la para a frente, prolongá-la para além do
pano de boca, para além do proscénio, chegar quase
a tocar nos espectadores, e assim imaginei envolver a
orquestra com dois braços que constituíssem, de
facto, um prolongamento do palco. Esta estrutura
cénica permitiria apanhar o sentido, com clareza, das
diversas linhas narrativas que se desenvolvem nos
concertantes, os quais constituem o motor do teatro
musical mozartiano: graças aos braços, os cantores
poderiam colocar-se em profundidades diversas
(primeiros planos e planos de grande campo, por
assim dizer) mas sempre em proximidade com a
orquestra. Poderíamos vê-los e ouvi-los distintamente
sem provocar uma dispersão musical. Um outro eixo
na encenação de Così fan tutte era a recusa de uma
cenografia-coarctada e a assunção de uma única
marca visual que sustentasse o arco inteiro da ópera:
um estrado com duas camas. Sem mais nada, sem
telas de fundo, sem mudanças de cenário, tão-
-somente duas camas no teatro despido. Até esta
escolha tão radical tendia a fazer emergir sem
sobreposições a teatralidade contida na música de
Mozart para a qual, tal como nos versos de
Shakespeare, basta um espaço vazio para criar
universos inteiros na mente dos espectadores.

Saimir Pirgu (Ferrando), Laura Polverelli (Dorabella), Irina Lungu (Fiordiligi) e Simone
Alberghini (Guglielmo).
Mario Martone durante os ensaios no estúdio com Angélica Mansilla, Irina Lungu,
Silvia Colombini e Bruno Praticò.
Fotografias de ensaio.

Così fan tutte 113


Paula Gomes Ribeiro paradoxalmente, chega a considerar-se que o ideal
seria mesmo o de poder intervir cirurgicamente no texto
de Lorenzo Da Ponte de modo a alterar o momento em
A paixão é como um veneno... que Fiordiligi e Dorabella se apaixonam efectivamente
Così fan tutte de Wolfgang Amadeus Mozart pelos novos pretendentes albaneses, admitindo
desposá-los: se esta aceitação fosse, por parte das
jovens senhoras, não mais do uma farsa destinada a dar
I uma lição aos seus noivos, resolver-se-ia uma parte
O paradigma Così fan tutte da perplexidade que a moderna intriga sentimental
causava na época.6 O próprio Hanslick considera, em
A primeira metade do século XIX não assumirá 1875, «que Così não é viável numa cena actual».
pacificamente o legado de Così fan tutte, ossia La
Scuola degli Amanti. A morte do Imperador Joseph II O desafio à ideia de fidelidade, à constância do
interrompe a série de representações de Così, e compromisso amoroso, a volubilidade dos desígnios
impele a partida de Da Ponte. Assim, após as sentimentais, associada ao discurso de Da Ponte e
primeiras cinco representações no Burgtheater de Mozart na sua terceira e última ópera conjunta, são
Viena, em Janeiro e Fevereiro de 17901, a opera buffa recebidos como vectores destabilizadores do
em dois actos será retomada entre Junho e Agosto, idealismo, da pureza moral e da natureza virtuosa do
em cinco novas apresentações, e depois disso será amor romântico. Como refere Alain Corbin ao
remetida ao esquecimento, em Viena, durante trinta descrever o relacionamento íntimo em inícios do séc.
anos. A ópera é reposta no ano da morte de Mozart, XIX: «[O amor], simultaneamente laço entre dois
em Praga, Leipzig, Dresden e Frankfurt sem, no indivíduos e penetração comum no seio de uma esfera
entanto, conquistar o êxito característico de outras mágica, assegura a passagem da ordem natural à
produções deste compositor. ordem poética. Este sentimento implica uma tal
afinidade espiritual que cada um dos dois parceiros
Considerada imoral e prosaica por uma época que se adquire a certeza da perenidade do acordo.»7
desilude com o facto de Mozart ter escolhido tratar
um tal assunto, a obra é encarada como inadequada A filosofia Casanoviana que parece ‘contaminar’ a
à sua genialidade. Ludwig van Beethoven ou Richard estrutura moral desta ópera relega-a assim para um
Wagner encontram nesta ópera uma fragilidade lugar bem mais distanciado do público Oitocentista
inusitada; o primeiro refere a falta de ética do libreto, do que as duas primeiras incursões musico-
o segundo denuncia um fundamento trivial, que -dramáticas que resultam da colaboração entre
impregna, segundo ele, não só o texto como a própria Mozart e Lorenzo Da Ponte – Don Giovanni e Le nozze
música.2 Os primeiros biógrafos de Mozart3 di Figaro. A principal diferença sendo a da relevância
incentivam a ideia da existência de uma lamentável do julgamento imposto aos ‘culpados’ ou ‘imorais’
discrepância entre a música e o libreto. «Perguntamo- nas duas primeiras, e sua consequente condenação, e
-nos como um tal espírito – interroga-se Niemetschek, ausência desta mesma estrutura repressiva em Così
ainda antes do despontar do século XIX4 – se pode fan tutte. Em Le nozze, o final inspira o retorno à
Lorenzo da Ponte (1749-1838); retrato inacabado de Wolfgang Amadeus Mozart da autoria do rebaixar a verter sobre um texto tão miserável as suas moral e à razão, em Don Giovanni, o aventureiro
seu cunhado, Joseph Lange (Inverno de 1782/83. Mozarteum, Salzburgo). radiosas e divinas melodias.» Várias propostas fidalgo é condenado e devidamente castigado,
surgem, de novos libretti que poderiam, conjugando-se inflamando-se nas chamas do inferno. No final de Così
com a textura musical, ‘recuperar’ a obra.5 Porém, fan tutte os casais reencontram, ainda que envoltos

1 5
A estreia dá-se a 20 de janeiro de 1790. Cf. Edward Dent.
2 6
Wagner congratula-se por Mozart não ter escrito para este libreto uma Mladen Dolar, ‘La femme-machine’, New Formations - Lacan and love,
música como a de Le Nozze, afirmando: «que vergonha teria sido para a n.º 23, 1994, p. 44.
música!». 7
Alain CORBIN, «A relação íntima ou os prazeres da troca», Philippe
3
Niemetschek e Nissen. ARIÈS e Georges DUBY, História da vida privada, s.l., Afrontamento, p. 522.
4
Referência de Niemetschek, na biografia de Mozart publicada em 1798,
citado por Marc VIGNAL, ‘Sources, composition et créateurs’, L’avant scène
opéra – Così fan tutte, Mozart, Paris, Premières Loges, n.º 131-132, mai 1995.

114 Così fan tutte 115


numa atmosfera de ambiguidade, uma paradoxal Setecentista.»10 E Leibowitz descreve esta terceira carácter, para uma psicologia cada vez mais contínuo desenvolvimento psicológico das personagens
estabilidade, reassumindo a fórmula que tinha sido etapa da colaboração entre o compositor e Da Ponte desenvolta, na qual as personagens apresentam e a coerência da acção. O compositor conhece a
proposta no início da peça: Fiordiligi-Guglielmo, como a conquista de «um despojamento total, uma virtudes e defeitos, encontrando transformações ao dinâmica teatral, procura-a e desenvolve-a através da
Dorabella-Ferrando. economia dos meios empregues, e uma subtileza de longo da acção e determinadas pelas peripécias. escrita orquestral, do dramatismo vocal, das nuances
nuances prodigiosa».11 das linhas do canto, da importância da transmissão
Por outro lado, sedimenta-se uma crítica à Observem-se, no que concerne as importantes da palavra, das dimensões emocionais, psicológicas
inverosimilhança da trama. A artificialidade das Gustav Mahler inaugurará, no século XX, o percurso transformações da estética dramatúrgica na segunda de cada cena, de cada frase, na dramaturgia de cada
peripécias, reforçada pelas simetrias estruturais, a de representações da versão original da obra, metade do século XVIII, as inovações propostas em palavra, situação, ária ou ensemble.
evasão a uma ‘verdade dramática’, são pontos que dirigindo-a em 1900, em Viena, e Richard Strauss Alceste, estreada em 1767 no Burgtheater de Viena (o
implicam igualmente alguns receios na abordagem a retomá-la-á em 1920, estreando-a ainda no Festival de mesmo ano em que Mozart estreia Apollo et Veja-se, ainda antes da trilogia realizada com Da
uma obra que encontra, na realidade, níveis de Salzburgo passados dois anos. Em 1946, Leibowitz Hyacinthus em Salzburgo, tinha então onze anos13): Ponte, o refinamento das personagens e quadros de
complexidade e de leitura assaz profundos e complexos. lamentava-se ainda do desinteresse devotado a Così evita-se a ária da capo, reduzem-se as repetições Idomeneo,14 e a bravura emocional combinada com as
fan tutte, que não seria representado há mais de trinta textuais, incrementa-se a preocupação com a dimensões de exotismo e alteridade de Die Entführung
O facto da controvérsia se centrar fundamentalmente anos em Paris, e cujas três récitas nem sequer tinham inteligibilidade do texto, torna-se o discurso aus dem Serail. Nesta obra, o amor é revolucionário na
em torno do libreto e dos seus eixos temáticos, tido a sala cheia. fundamentalmente silábico, desaparecem os longos sua essência, ultrapassando todas as barreiras
motivará gestos dinâmicos, por vezes apaixonados, da melismas e os dispositivos de virtuosismo vocal sociais, como o será mais determinantemente em Le
parte de musicólogos, historiadores, teóricos, na A segunda metade do século eleva finalmente esta ópera dissociados da acção teatral, usam-se linhas nozze. Observem-se as subtilezas do desenvolvimento
defesa da mestria do dramaturgo e do bom critério de a uma posição central no repertório operático, melódicas mais simples, e uma textura contínua psicológico da Condessa de Almaviva, as diferenças
Mozart. Edward Dent afirma: «Così fan tutte é o melhor despertando uma imensa curiosidade em músicos e iniciando a dissolução das características estanques da sua dimensão emocional no início e na conclusão
dos libretos de Da Ponte, e a mais refinada obra de encenadores, e tornando-se objecto duma miríade de da ária e do recitativo. Todas estas técnicas e da ópera, encarem-se as subtilezas e progressões
arte das produções líricas de Mozart. O libreto é o leituras cénicas, por vezes suficientemente controversas preocupações dramatúrgicas serão plenamente psicológicas do papel de Susanna, que estabelece
mais perfeito com que um compositor pode sonhar.»8 para motivarem extensas reflexões e críticas. reflectidas e desenvolvidas na textura operática habilmente a mediação entre as classes sociais e os
mozartiana, que sedimenta o discurso musical na géneros, que liga todos as personagens de modo
Sabemos que Mozart era, aliás, exigente com os trama teatral, no sistema de personagens, e nas suas sábio e presciente. Atente-se às transformações a
libretti, e que ele próprio se investia, sobretudo a partir II nuances psicológicas. que Donna Elvira está exposta, as nuances que o
de Die Entführung aus dem Serail (O Rapto do Serralho), Dramaturgia – considerações seu carácter vai revelando. Que dizer então sobre o
na colaboração com o poeta dramático, no sentido de A personagem encontra-se no seio de forças carácter das donzelas de Ferrara neste quadro de
encontrar o discurso e as formas textuais que Se posicionarmos esta comédia em dois actos no contraditórias, que a fazem evoluir e transforma-se transformação psicológica das personagens, e dos
desejava para a criação musico-teatral que contexto em que é gerada, e tivermos em consideração as ao longo do tempo. Procura-se o realismo, a progressivos estados de espírito dos jovens oficiais de
preconizava. Em 1778 queixava-se: «Os antigos premissas da psicologia Setecentista e a estética continuidade ininterrupta da acção, o encadeamento quem se encontram noivas.
(libretti), que são seguramente os melhores, não dramatúrgica de Marivaux ou Beaumarchais, todas as das peripécias, a transformação progressiva das
respondem às exigências do estilo moderno, e os críticas deixam de fazer sentido, não constituindo mais do circunstâncias. Observe-se ainda a alteração do Em Così, uma alargada gama de expressão musical
novos não são utilizáveis.»9 que à priori moralistas e epocais. Charles Rosen afirma: conceito de personalidade na época Setecentista, faz face a todas as subtilezas de relacionamento entre
«Aqueles que consideram que Mozart compôs música que reflecte o início do interesse científico pela as personagens que se integram numa dinâmica
Charles Rosen, reagindo à complexa história da profunda para um libreto trivial compreenderam mal o psicologia experimental. Em Mozart encontramos teatral especialmente vívida e enérgica. Mozart
recepção de Così observa que o seu libreto, seu êxito quase tão radicalmente como aqueles que, esta busca de verdade dramática, através da privilegia o grupo e enaltece as sinergias relacionais,
condenado por ser «absurdo e cinicamente imoral», como Wagner, sentiram que com Così fan tutte ele fluência do encadeamento das peripécias, de uma em numerosos ensembles (a ópera contém quinze
ou defendido como «realista», não assume nenhum fizera música vazia para um texto impertinente.»12 continuidade entre recitativo e ária, na franca ensembles e dois finali), e as diversas transformações
destes traços: «Constrói, afirma, um mundo diminuição do uso do recitativo secco, da crescente que as personagens vão sofrendo internamente, ao
completamente tradicional e artificial, no qual uma Em finais do século XVIII, após Alceste de Christoph importância dramática da orquestra, que confere longo dos seus percursos, em momentos de grande
demonstração psicológica pode ter lugar, e é Willibald Gluck, o processo musico-teatral desenvolve- profundidade e contrapontos semânticos ao jogo subtileza psicológica.
verdadeira, não para a vida, que nunca se intromete -se no sentido de passar de uma mecânica das actancial, numa articulação perfeita entre o tecido
aqui, mas para a visão da natureza humana paixões, de uma tipologia elementar de traços de orquestral, desenho vocal, e texto, enfatizando o

8 10 13 14
Edward J. DENT, Les opéras de Mozart, Paris, Gallimard, p. 259-260. Charles ROSEN, The classical style, London, Faber and Faber, 1987, p. 315. Na sequência de toda uma série de concertos coroados de êxito, Idomeneo, Rè di Creta, é criado a 29 de Janeiro de 1781, em Munique.
9 11 Wolfgang acolhe as suas primeiras encomendas importantes no decurso de
W. A. Mozart citado por J. MASSIN, carta de 3 de Julho de 1778. René LEIBOWITZ, Histoire de l’opéra, Paris, Buchet/Chastel, 1987, p. 52 uma estada de nove meses em Salzburgo, compondo assim o drama escolar
12
Charles ROSEN, op. cit., p. 317. Apollo et Hyacinthus KV 38, estreado a 13 de Maio, 1787. A encomenda
oficial da sua primeira ópera ocorrerá em Viena, 1767, e dará origem à
ópera bufa La finta semplice. Pouco depois, e igualmente em Viena, Mozart
criará Bastien et Bastienne, um Singspiel, a sua terceira incursão no
repertório musico-dramático, levado à cena no Outono de 1768.

116 Così fan tutte 117


III A criação de Le nozze di Figaro conhecerá um
Génese excelente acolhimento e abrirá caminho à criação de
Don Giovanni, cujo êxito da estreia, em Praga, não
O período de maturidade do compositor, a partir de tem precedentes. Mozart desenvolve aqui um
1781, caracteriza-se pela crescente importância de drama psicológico inaudito em ópera, levando a
algumas formas: o concerto para piano, que elege em caracterização musical das personagens ao
detrimento das serenatas e divertimenti, a música de seu expoente.
câmara e a ópera. É decisiva, nesta fase, a sua
amizade com Joseph Haydn, e o estudo que faz da sua Porém, a representação desta ópera em Viena, então
obra (que se tornará evidente nomeadamente na dominada pela linguagem acessível dos compositores
escrita das últimas sinfonias), assim como de obras da moda, não conhece o sucesso esperado. Sendo
de Handel e de Bach, o que o afasta cada vez mais da cada vez mais precária a sua situação financeira,
criação de música de entretenimento. Mozart procura encontrar estímulo e também
estabilidade material, viajando e apresentando-se em
A ópera dos anos de Viena desenvolve os três géneros concerto em Praga, Dresden, Leipzig e Berlim, onde
que Mozart elegera desde a sua infância: a opera acolhe a encomenda de seis quartetos de cordas e
seria, a opera buffa e o Singspiel. Em Die Entführung aus seis sonatas, destinados à filha do rei. Porém, esta
dem Serail, estreada a 16 de Julho de 1782 em Viena, digressão não terá a consequência económica
com um imenso êxito, aprofunda o conceito de desejada, o compositor mantém-se numa situação de
Singspiel, e envolve-se pela primeira vez com grande significativa precariedade e, cada vez mais, anseia por
intensidade na concepção do libreto, demonstrando a autonomia, e pela possibilidade de empreender o seu
correspondência que nos deixa dessa época que a sua próprio trajecto criativo não tendo de reagir aos
devoção ao texto teatral é especialmente decisiva na condicionamentos que lhe impunham as encomendas.
criação desta ópera alemã. Como ‘artista livre’ Mozart estava submetido ao
interesse de um número circunscrito de clientes.15
A sua escrita musico-dramática conhece ainda dois
ensaios que permanecerão incompletos – L’oca del Cairo Sobre o universo quotidiano do compositor, nesta
e Lo sposo deluso – e uma pequena ópera encomendada última fase da sua existência, leia-se a descrição que
pela corte e estreada em Fevereiro de 1786 no palácio dela estabelece Norbert Elias, na sua obra de
de Schönbrunn: Der Schauspieldirektor, comédia com referência sobre Mozart:
música em um acto, antes de iniciar a decisiva
colaboração com o genial poeta Lorenzo da Ponte, que «A solidão crescente, o fracasso crescente. Se se
dará origem à trilogia de óperas italianas: Le nozze quisesse representar este acto de forma dramática,
di Figaro, opera buffa estreada em Viena, 1786, Don mostrar-se-ia Mozart no palco e as pessoas que ele
Giovanni, estreado em Praga em Outubro de 1787 e Così conhecia antes abandonando-o uma após outra. A sua
fan tutte. mulher passa a maior parte do tempo em estâncias
balneares, as alunas nobres e patrícias que ele tinha
Da Ponte, apesar de muito solicitado pelos antes foram-se todas embora. Aumentam as
compositores italianos da corte, tinha prometido a preocupações por causa do dinheiro e as dívidas. As
Mozart que lhe escreveria um libreto. A primeira subscrições para concertos que ele anuncia são um
colaboração entre ambos partirá da comédia de fracasso total. Don Giovanni é secamente recebido em
Beaumarchais Le mariage de Figaro ou La Folle Journée, Viena, embora tenha sido calorosamente acolhido em
obra que obtivera um imenso êxito, em Paris, em Praga. As suas cartas mostram-no em desespero
1784. Mozart dedicara há já algum tempo uma crescente, em parte devido à sua miséria económica,
especial atenção à literatura francesa, nomeadamente em parte devido à sua solidão psíquica.»16
ao teatro de Molière.

15 16
Elias descreve esta dependência de «um círculo de clientes local e Esta descrição insere-se naquele que Elias denomina Acto IV: 1788-
limitado.» E acrescenta: «Este círculo estava bastante fechado em si 5 Dezembro de 1791, a derradeira fase da vida do compositor. Norbert
mesmo e solidamente integrado. Quando se ouvia dizer que o Imperador ELIAS, op. cit., p. 165.
Saimir Pirgu (Ferrando), Bruno Praticò (Don Alfonso) e Simone Alberghini (Guglielmo). não apreciava especialmente um músico, a boa sociedade simplesmente
Fotografias de ensaio. abandonava-o.» Norbert ELIAS, Mozart, sociologia de um génio, Lisboa,
ASA, 1993, p. 40.

Così fan tutte 119


Mozart recebe então a encomenda de uma ópera, que mulieribus, de Bocaccio, e Cymbeline de Shakespeare, Marivaux desenvolvera as suas peças teatrais Como refere Charles Rosen sobre Così fan tutte: «a
dará origem a Così fan tutte, escrita nos últimos meses Orlando Furioso de Ariosto, o mito de Céfalo e Prócris20 instaurando um género que expõe e dinamiza os atmosfera do resto da vida está selada. Há
de 1789. Esta comissão permitir-lhe-á reencontrar tratado por Ovídeo, a ópera de Francesco Araja (1755) traços anímicos das personagens, – a comédia unicamente vítimas e cientistas; e os dois jovens
uma estabilidade financeira: a sua remuneração terá e a opéra-ballet de Grétry (1773) sobre este mesmo psicológica – afastando-se da convenção proveniente da rapazes, que acreditam inicialmente estar entre os
sido assaz importante – o dobro do que recebera para mito, ou La Grotta di Trofonio de Salieri (1785). Refira- pastoral romanesca, e situando-os em meios cientistas compreendem, mais tarde, que se
Le nozze. Nas cartas do compositor, como nas -se que as personagens femininas de Orlando Furioso específicos da sociedade contemporânea. O escritor encontram entre as vítimas.»25
Memórias de Da Ponte, – que se refere à obra somente denominam-se Fiordiligi, Doralice e Fiordespina.21 expõe, de modo sofisticado, nos seus quadros
como La scuola degli amanti, – não se encontra uma dramáticos, um encadeamento de tipologias do Così fan tutte é, para além de um percurso sentimental
justificação completa das circunstâncias de Da Pontei inspira-se assim em referências pré- relacionamento humano, estudando comportamentos, iniciático, um hino às subtilezas do relacionamento
encomenda e de composição desta obra, nem a -existentes, como era, aliás, hábito na sua criação atitudes, gestos, mecanismos relacionais, subtilezas amoroso, ao espectro de afectos entre duas pessoas,
revelação da origem do tema. Mozart menciona-a três libretística, reorganizando-as, dividindo as de carácter. Refira-se Les Fausses Confidences, ternura, paixão, impulso, desejo, sedução, fidelidade,
vezes, brevemente, sem nunca nomear o seu título, contingências sentimentais por dois casais, e comédia em que um velho filósofo observa desilusão... e uma reflexão sobre a complexidade da
em cartas a Puchberg, convidando-o a assistir, e a desenhando peripécias bem inseridas no seu quadro distanciadamente as relações amorosas, apresentada verdade emocional, à qual se associam palpitações,
Joseph Haydn, aos ensaios. Permanece ambígua a sociocultural. Recorde-se que Les Liaisons dangereuses em Viena desde 1776. A sensualidade dos seus arrebatamentos, lágrimas, cálidos estremecimentos, e
origem do tema, mas presume-se que possa ter sido de Choderlos de Laclos são publicadas em 1782, temas, o modo hábil como se aproxima do espectro os matizes da dor e crueldade. A dimensão musical
sugerido pelo próprio Imperador. aluda-se aos jogos amorosos das comédias de afectivo, a galanterie explícita nos quadros de ligações invoca ou constrói circunstâncias que estão para além
Goldoni, refira-se a contemporaneidade de Jacopo entre as personagens, remetem-nos para a dinâmica do discurso verbal, num hábil jogo de metatextos que
Nas muito escassas referências ao processo de Casanova, com o qual Da Ponte desenvolvera plástica de Watteau – Fêtes galantes e L’embarquement enaltece as nuances sentimentais. «Tudo é verdadeiro
criação de Così fan tutte o poeta ele declara que o importantes laços de amizade. São, aliás, assaz pour Cythère – aproximam-no das exigências que Da e tudo é falso» afirma Annie Paradis, ao caracterizar
papel de Fiordiligi é dedicado à sua amante de então, interessantes as afinidades entre estes dois Ponte tece nas suas ‘escolas dos amantes’: Le nozze os quadros espacio-temporais e as atitudes das
Adriana Ferrarese, soprano muito apreciado em pensadores sensualistas, que partilham o desejo de di Figaro e Così fan tutte. personagens de Così.26 As simetrias patentes na
Viena:17 «Escrevi para ela (...) La scuola degli amanti».18 conhecer, e jogar, com o pleno âmbito da construção global conferem a aparência de um jogo,
Mozart não fica particularmente entusiasmado com sensibilidade e afeição – o amor e as suas Così insere-se então nesta linha da comédia enquanto a trama de disfarces se instala em
esta opção, mas concede-lhe o papel. Louise consequências, a paixão, o engano, a prazer, a psicológica, propondo um desafio lançado num artificiosas mudanças de identidade: os jovens oficiais
Villeneuve, pretensa irmã de Adriana, para a qual futilidade,22 tendo o aventureiro sido uma importante sistema fechado, jogando com toda uma série de disfarçados de albaneses, Despina de médico e depois
Mozart tinha composto três árias de concerto, fonte de inspiração para a criação de Don Giovanni.23 disfarces e peripécias. E o teatro, como pedaço de de notário, Fiordiligi de homem... tudo é permutável,
incarnará Dorabella.19 vida, observado microscopicamente, permite esta e o trajecto da intriga, pleno de astúcias e peripécias,
A literatura teatral francesa é especialmente influente reflexão psicológica, esta abordagem intensa sobre acaba por confirmar a tese proposta por Don Alfonso.
Depois de Così fan tutte, Mozart irá ainda compor na construção dramática de Mozart e Da Ponte – um pequeno grupo, integrado num quadro da
La clemenza di Tito KV 621, estreada em Praga em desenham-se as influências de Molière, Marivaux, realidade quotidiana – cafés, jardins, casas do Sul V
1791, e o Singspiel Die Zauberflöte, KV 620, Beaumarchais, sem esquecer Diderot. Este filósofo e de Itália... Jogo trágico
apresentada em Viena cerca de dois meses antes da dramaturgo ansiava pelo momento em que o teatro
sua morte, em 1791. lírico pudesse encontrar um equivalente ao drama No espaço de um dia, e através de uma série de jogos
burguês, abandonando a estética do maravilhoso em Caso façais uma composição, ou caso orquestrados por Don Alfonso, habilmente coadjuvado
função do gosto pelo realismo.24 Difunde a sua teoria representeis, pensai no espectador apenas como por Despina, o entusiasmo inocente envolvido na
V do ‘drama burguês’ levando o homem ao quadro do se este não existisse. Imaginai, na borda do paixão dos dois jovens casais, Guglielmo e Fiordiligi,
Amor e galanterie seu quotidiano, tal como é modelado pela sua vida teatro, uma enorme parede que vos separe da Ferrando e Dorabella, dissipar-se-á e encontrará uma
social – o nascimento, a família, a profissão... e plateia; representai como se a cortina não se dimensão de maturidade que lhes era desconhecida
O tema de Così não é inédito na ocasião em que Da Beaumarchais, descreve o amor com intensa levantasse. até então, integrando paradigmas de sofrimento e
Ponte o elege para a sua terceira colaboração com vivacidade e ritmo dramático em toda uma série de Denis Diderot desilusão.
Mozart. Marc Vignal refere-se à história do tratamento peripécias, nomeadamente em As Bodas de Fígaro ou
deste tema, mencionando Decameron, e De claribus O Barbeiro de Sevilha...

21 23
Cf. Marc VIGNAL, ‘Sources, composition et créateurs’, L’avant scène Tanto Casanova como Da Ponte foram, em dada ocasião das suas
17
Adriana Gabrielli del Bene, dita Ferrarese devido à sua terra natal. i opéra – Così fan tutte, op. cit., p. 8. vidas, banidos de Veneza e deambularam, em percursos acidentados,
Adriana tinha incarnado o papel de Susanna na produção de Le nozze di pelas cortes europeias em busca de enquadramento profissional.
20 22
Figaro em Viena, 1789. O semi-deus Céfalo, filho de Hermes, foi amado por Aurora, mas «Existo porque sinto. – afirma Casanova – Tenho grande curiosidade na
permanecera fiel à sua esposa Procris. Esta, extremamente ciumenta, 24
18 diferença. Amo-a apaixonadamente e faço-me amar por ela. A diferença, Diderot anseia mesmo pela chegada de um compositor que escreva a
Da Ponte citado por Marc VIGNAL, ‘Sources, composition et decidiu espiá-lo enquanto ele caçava, persuadida que era nesse momento mas não com não importa quem (...). De outra forma seria o tédio do música e o texto.
créateurs’, L’avant scène opéra – Così fan tutte, Mozart, Paris, Premières que se encontrava com a amante. Constatou, no entanto, que as suas qual devemos fugir como da morte.» in Philippe Sollers, Casanova, o 25
Loges, n.º 131-132, Mai 1995, p. 6. suspeitas estavam erradas e, feliz, pretende abraçar o seu marido. Mas o Charles ROSEN, op.cit., p. 315.
admirável, Lisboa, Notícias, 1999.
19 ruído da sua saída dos arbustos onde estava escondida, leva-o a crer que 26
O restante elenco da estreia foi formado por: Dorothea Bussani Annie PARADIS, Mozart, l’opéra réenchanté, Paris, Fayard, 1999, p. 285.
se tratava de um animal selvagem, e trespassa-a com a sua lança. Nas
(Despina), Vincenzo Calvezy (Ferrando), Francesco Benuci (Guglielmo),
Metamorfoses e na Arte de Amar, Ovídeo pretende demonstrar com este
Francesco Bussani (Don Alfonso).
mito que o ciúme deve ser banido de uma relação amorosa.

120 Così fan tutte 121


O carácter de ‘jogo trágico’ desta incursão amorosa é pretensa doença com o poder do magnetismo... As
reforçado por Leibowitz: «Não é fácil descrever o ritmo melhorias fazem-nos recuperar a consciência – tecem
extraordinário que este jogo assume – pois trata-se dedicatórias inflamadas às suas damas (trocadas),
efectivamente de um jogo – transportado, constituído, por fim beijam as suas mãos, elas fogem,
formulado, criado por uma música que é, ela mesma, considerando uma exagerada ousadia, que Despina
jogo. Jogo no sentido mais nobre, diria mesmo, no e Don Alfonso se apressam a justificar: ‘son effetti
sentido trágico do termo. Com efeito, este ‘recipiente ancor del tosco’...
fechado’ que constitui a esquematização do libreto, a
estonteante economia das personagens (...), a não A transformação psicológica do quadro de
menos estonteante economia de meios musicais (...), personagens ao longo do drama é notória, de uma
tudo isto é testemunho de um espírito que, sob a inocência apaixonada e desprotegida, de uma
aparência da maior desenvoltura, faz prova, em felicidade prosaica, para uma maturidade atenta e
primeiro lugar, de uma concisão e de uma leveza (no plena de ambiguidades, sempre sob a tutela dos
sentido utilizado por Nietzsche) que são qualidades mestres sentimentais: Don Alfonso, paradigma da
fundamentais de todo o verdadeiro trágico. O que razão iluminista e Despina, ama e mentora
pode parecer paradoxal é que, segundo este ponto de sentimental.
vista, Così fan tutte parece-me incarnar melhor o
trágico que Don Giovanni por exemplo. À primeira As árias de Fiordiligi e Dorabella reflectem com muita
vista, esta última pareceria convir melhor à ideia do precisão o recorte psicológico do momento e as
trágico, como há o hábito de o considerar. Mas é transformações sofridas pelas adolescentes ao longo
talvez um erro de perspectiva, pois tenho a impressão da peça. Se Come scoglio immoto resta constitui uma
que a acção mais ‘desordenada’, mais complicada em incursão irónica sobre a ideia de fidelidade inflexível,
todo o caso (e também mais rica), as personagens pela própria imagem textual – um rochedo que se
mais numerosas e mais ‘modeladas’ de Don Giovanni mantém imóvel contra os ventos e a tempestade – e
criam uma série de saídas pelas quais o trágico se pelas suas características estruturais, definidas pelos
escapa em todo o instante.”27 seus acidentados intervalos, transmitindo o pretenso
‘exemplo de constância’ emocional de Fiordiligi, o seu
Como paradigma de jogo, observe-se o final do Rondó, Per pietà, ben mio no qual se apresenta
primeiro acto, momento em que os dois jovens se aparentemente mais dedicada e tranquila – ‘perdona
encontram pretensamente moribundos na sequência all’error d’un’alma amante’ – esconde um sentido de
da ingestão de veneno, e as duas mulheres são ambiguidade, desenhado na tonalidade e na
compelidas a aproximar-se, examinando-os, orquestração. Fiordiligi é sensível e dócil, mas
revertendo a sua fúria em dedicação interessada – simultaneamente heróica: veja-se como assume
‘poverini’... Elementos burlescos e trágicos vestes masculinas, numa tentativa final de resistir ao
combinam-se agilmente numa estrutura de jogo, desejo que sente por Ferrando. Este travestismo
sendo a aproximação enredada numa sofisticada simboliza a vontade de assumir a sua vontade, a
textura polifónica: eles gritam, elas surpreendem-se, sua liberdade, uma condição masculina, libertando-se
aproximam-se, eles fingem sucumbir ao pretenso das convenções.
envenenamento – sempre sob a direcção dos dois
tutores. Elas sentem pena, tremuras, eles suspiram Dorabella, mais destemida e inconstante, revela na
mimando o desfalecimento, elas aproximam-se mais, primeira ária – Smanie implacabili – uma extrema
interessam-se pelos seus traços, tocam as suas ansiedade amorosa, num grande traço de
testas, os seus pulsos, o coração, e eis que chega o artificialidade, interrogando-se sobre o poder
médico (Despina disfarçada), que deverá tratar a devastador do desejo e da paixão, enquanto que em

27
René LEIBOWITZ, op. cit.

Saimir Pirgu (Ferrando), Simone Alberghini (Guglielmo), Coro do Teatro


Nacional de São Carlos e figuração.
Fotografias de ensaio.

Così fan tutte 123


È amore un ladroncello a cedência à tentação é identidade entre as damas de Ferrara – Fiordiligi e O último par, aquele que manipula os jovens VII
refinadamente expressa. A adolescente propõe Dorabella – e os seus noivos, dispõe os pares em aprendizes, é formado pelos mentores Don Alfonso e Le donne...
desculpar esta cedência com a constatação dos espelho e torna-os facilmente intermutáveis. Despina, que se terão apercebido da inocência,
perigos do amor: fragilidade e artificialidade dos discursos dos jovens As duas adolescentes, que se assumem como
Aliás, são evidentes as similitudes entre os elementos apaixonados, compelindo-os a passar por uma protótipos do comportamento do género feminino,
È amore un ladroncello do par feminino, como do masculino. O discurso dual experiência que os faça consciencializarem-se da como propõe Don Alfonso, são designadas como
Un serpentello è amor amplifica o sentimento, e representa uma só voz, uma verdade do amor. O filósofo conhece os princípios sendo sentimentalmente instáveis e, no entanto, ele
Ei toglie e dà la pace, voz complexa. No início do primeiro acto a atitude dos da natureza humana, circunstância que contribui próprio as desculpabiliza, encontrando precisamente
Come gli piace, ai cor. jovens oficiais é nitidamente idêntica perante o para, segundo os propósitos iluministas, a base de a justificação dessa vicissitude na condição feminina
desafio que lhes é lançado por Don Alfonso. uma nova ordem social. Encara a existência e a do ser... Esta atitude aproxima-se da dramaturgia de
[O amor é um ladrãozeco, dimensão emocional como submetidas a modelos Marivaux – o cuidado com o recorte da fragilidade
É uma pequena serpente. No, detto ci avete deterministas. Para Despina o amor é um instante feminina e o enaltecimento das suas virtudes, alguma
Tira e dá sossego ao coração Che infide esser ponno: fugaz, um deslumbramento que surge antes do austeridade com os perfis masculinos, como dos
Como lhe apetece.] Provar ce ‘l dovete casamento e que se perde. A criada reflecte o universo pressupostos da educação sentimental de Rousseau.
Se avete onestà. sensorial, ligado aos estímulos da Natureza e às
A caracterização das personagens desta intriga pulsões originais. Perfeita aliada de Don Alfonso, será Todos acusam as mulheres mas eu desculpo-as
enquadra-se igualmente no modo como a [Não, dissestes que elas rainha por um dia – médico, notário, pedagoga – Se de amor mil vezes trocam.
personalidade é encarada no séc. XVIII – procurando Nos podem ser infiéis. invertendo o seu estatuto social e terá oportunidade Alguns chamam-lhe um vício, outros um hábito
uma identidade fundamental de comportamentos. Há que prová-lo, de demonstrar o seu cepticismo perante o género A mim, parece-me uma necessidade do coração.
Esbatendo o ensejo de uma definição muito Se tendes honra.] masculino, expondo a sua versatilidade nos assuntos
personalizada de cada indivíduo decorrente de forças passionais, na formação das jovens mulheres: afirma Don Alfonso.
abstractas condicionadoras de atitudes e Prosseguindo as analogias, o duo que nos introduz as
comportamentos, procuram reconhecer-se os eixos protagonistas revela as semelhanças entre ambas Para Rousseau, as mulheres terão recebido como um
que definem o carácter humano, a sua submissão a e, embora Mozart distinga já alguns dos seus Una donna a quindici anni dom a vivacidade do seu espírito.29 Elas surgem
motivos comuns. Assim, as diferenças entre as duas traços psicológicos, o discurso e as atitudes são Dèe saper ogni gran moda, como satélite dos homens, sendo necessário
jovens de Ferrara, ou o que distingue os dois oficiais, concordantes, estabelece-se a partir da complemen- Dove il diavolo ha la coda subordiná-las ao domínio racional, masculino: «Toda a
erigem-se sobre uma base de analogias de taridade das frases de ambas. O enaltecimento do Cosa è bene e mal cos’è; educação das mulheres deve ser relativa aos homens.
personalidade. amor conjuga-se com o espaço que o rodeia – um belo Dèe saper le maliziette Dar-lhes prazer, ser útil, fazer-se amar e honrar por
jardim à beira-mar, contrastando com o ambiente Che innamorano gli ammanti: eles, educá-los enquanto jovens, cuidar deles quando
ruidoso do café onde os rapazes discutiam com Finger riso, finger pianti adultos, aconselhá-los, tornar a sua vida agradável e
VI Don Alfonso. Se, ao longo da ópera as personalidades Inventar i bei perché doce: eis o dever de todos os tempos e eis o que se
Os pares se vão distinguindo através da conjunção de lhes deve ensinar desde a infância.»30
elementos que contribuem para definir o seu carácter, [Uma mulher aos quinze anos
Ao contrário do que sucede em Die Entführung aus dem o início do primeiro acto propõe dois binómios Deve conhecer tudo o que está na moda,
Serail, Le nozze di Figaro, Don Giovanni, ou Die concordantes e intercambiáveis. As raparigas afirmam Onde tem o diabo a cauda, VIII
Zauberflöte, o carácter das personagens centrais não no final do duo: O que está bem, o que está mal. Epílogo – as doenças da paixão
difere pelas classes sociais a que pertencem, não se Deve conhecer as malícias
definindo pelo estatuto social que ocupam. Distinções Se questo mio core Que enamoram os amantes, Estar submetido às emoções e às paixões é
comportamentais decorrentes das diferenças de Mai cangia desio, Fingir o riso, fingir o choro, sempre uma doença da alma, uma vez que
classe entre a camponesa e o fidalgo – Zerlina e Don Amore mi faccia E inventar belas desculpas.] ambas excluem o domínio da razão.31
Giovanni –, contrastes de linguagem entre os pares Vivendo penar! Immanuel Kant, 1797
Belmonte e Constanze face a Pedrillo e Blonde, ou de «Dois casais de jovens, dois iniciadores, os jogos do
Pamina e Tamino perante Papageno e a sua [Se este meu coração desejo e da lei, um itinerário de aprendizagem, nada Na realidade, a paixão que as donzelas de Ferrara
companheira, dissolvem-se quando encontramos dois Alguma vez for inconstante, mais.»,28 afirma Annie Paradis. devotam aos dois pretensos albaneses parece bem
casais que assumem exactamente o mesmo estatuto Que o amor me faça mais verdadeira do que as dedicatórias inflamadas
e se posicionam no mesmo estrato social. Tal Viver sofrendo.] que pronunciam aos seus noivos, no início da obra.

28 30
Annie PARADIS, op. cit., p. 281. Jean-Jacques ROUSSEAU em Émile ou l’éducation (1762).
29 31
Cf. Paul HOFFMANN, La femme dans la pensée des lumières, Paris, Immanuel KANT, Anthropologie du point de vue pragmatique, Paris, Vrin,
Ophrys, 1977, p. 399. 1964.

124 Così fan tutte 125


Permanece para sempre a interrogação: quais são os
pares certos? A sonhadora e heróica Fiordiligi com o
pragmático e impetuoso Guglielmo, a prosaica
Dorabella com o poético Ferrando, ou o contrário –
Fiordiligi e Ferrando, Dorabella e Guglielmo? No final,
a flagrante situação passional é denunciada como um
‘delírio exótico’ e os quatro vêem-se compelidos a
reencontrar no quadro social tradicional a resposta
aos seus desejos de amor. No sexteto final, em Dó
Maior, allegro molto, exposição da moral da história,
vence a razão.

Se em Don Giovanni Mozart permanece do lado das


personagens, segundo Leibowitz, em Così fan tutte,
«a crueldade torna-se absoluta». O autor afirma que
não é demonstrada nenhuma piedade pelo destino
das personagens, e que eles assumem a plena
responsabilidade de todas as suas atitudes nesta
«absurda aventura».32 Com efeito, encontramos a mais
simples e pragmática moral epilogal: deixai-nos guiar,
nas vicissitudes da vida, pela razão.

Feliz aquele que toma


Todas as coisas do bom lado
E que nos reversos da fortuna e nas desventuras
Se deixa guiar pela razão, se deixa guiar pela razão.

O amor racional, passível de ser atingido após um


percurso iniciático e de conhecimento interior, deve
sobrepor-se à perigosa paixão.

Finalizemos com Kant: «A paixão é como um veneno


ingerido ou uma enfermidade contraída; precisa de um
médico que trate a alma do interior ou do exterior,
que saiba, portanto, prescrever medicamentos
paliativos.»33 – e reencontramos a metáfora clínica da
ingestão de veneno, veja-se poção mágica, que, ao ser
pretensamente ingerida pelos dois rapazes, irá despertar
a condescendência e depois a paixão das jovens
irmãs, para posteriormente proporcionar a passagem
a um estado de maturidade e consciencialização, no qual
se atinge a serenidade e tranquilidade do verdadeiro
amor, destituído, esse, de paixão.

32
Cf. René LEIBOWITZ, op. cit., p. 54.
33
Immanuel KANT, Anthropologie du point de vue pragmatique, Paris,
Nesta página: Saimir Pirgu (Ferrando), Laura Polverelli (Dorabella), Irina Lungu Vrin, 1964, p. 109.
(Fiordiligi) e Simone Alberghini (Guglielmo); Simone Alberghini (Guglielmo), Laura
Polverelli (Dorabella), Irina Lungu (Fiordiligi) e Saimir Pirgu (Ferrando). Nota: as traduções livres dos excertos citados são da responsabilidade
Fotografias de ensaio. do autor do artigo.

Così fan tutte 127


Donato Renzetti
Direcção musical

Considerado um dos mais reconhecidos maestros no panorama internacional, ganhou


os Prémios «Diapason d’Argent» (1975), «G. Marinuzzi», «Ottorino Respighi» e
«Accademia Chigiana» (1976). Ganhou a medalha de bronze «Ernst Ansermet» de
Genebra (1978) e o Primeiro Prémio do X Concurso «Guido Cantelli» do Scala de Milão
(1980). Recentemente, foi-lhe atribuído o Prémio «Rossini d’Oro». Desempenhou os
cargos de Maestro Titular da Orquestra Internacional de Itália (1982/87) e de Director
Musical das Orquestras da Toscânia (1987/92) e Stabile de Bergamo (1993/2001). É
Primeiro Maestro Convidado da Orquestra Sinfónica Portuguesa desde 2005.
Desenvolve uma intensa actividade lírica e sinfónica, tendo já dirigido as Orquestras
Sinfonietta, Filarmónica e Philharmonia de Londres, English Chamber Orchestra, RIAS
de Berlim, Estatal Húngara, Filarmonia de Tóquio, Filarmónica de Buenos Aires, do
Scala, da Academia de Sta. Cecilia de Roma, Sinfónica de Dallas, BRT de Bruxelas, Nacional do Capitole de
Toulouse, Nacional de Lyon e RAI de Milão, Turim e Roma.
Dirigiu nos principais Teatros, tais como Opéra de Paris, Covent Garden de Londres, Grand Théâtre de Genebra,
Staatsoper de Munique, Scala de Milão, La Fenice de Veneza, Théâtre du Capitole (Toulouse), Metropolitan de
Nova Iorque e Carnegie Hall, Lyric Opera de Chicago, Ópera de Dallas, de S. Francisco, Colón de Buenos Aires,
para além dos Festivais Internacionais de Música de Glyndebourne, Spoleto e Pesaro.
A sua discografia inclui obras de Mozart e Tchaikovski, aberturas raras de Schubert, e obras por editar de
Mayr e Cherubini; um DVD de La Fille du régiment (Scala), La Cenerentola (Glyndebourne) e Manfred de
Schumann (Scala; XIX Prémio da Crítica Italiana do Disco). Gravou para a Philips, Frequence, Fonit Cetra,
Nuova Era e Dynamic.

Mario Martone
Encenação

Nasceu em Nápoles em 1959. Encenador e realizador, iniciou o seu trabalho no


repertório lírico em 1999, no Teatro San Carlo de Nápoles, com a produção de
Così fan tutte de Mozart. Esta produção foi reposta em duas edições muito bem
sucedidas em Ferrara, sob a direcção de Claudio Abbado (2000 e 2003) e é agora
estreada no São Carlos.
Em 2001 encenou Lulu de Alban Berg no Teatro Massimo de Palermo e em 2002
inaugurou a temporada do San Carlo com Don Giovanni, uma segunda etapa na viagem
pelo teatro de Mozart e de Da Ponte que se concluiu em 2005 com a produção de
Le nozze di Figaro, sob a direcção musical de Jeffrey Tate. Assinou a encenação de
Matilde di Shabran e de Torvaldo e Dorliska de Rossini para o Rossini Opera Festival
(Pesaro, 2004/06). Em 2005 abordou Verdi, pela primeira vez, no Covent Garden em Londres com Un ballo in
maschera dirigido por Antonio Pappano e encenou, para o Festival de Ravello, Il combattimento di Tancredi e
Clorinda de Monteverdi reelaborado por Giorgio Battistelli. Foi-lhe atribuído o Prémio «L’Opera» pela produção
de Don Giovanni e o Prémio «Abbiati» pela de Matilde di Shabran.

Donato Renzetti e Mario Martone durante os ensaios no estúdio.

Così fan tutte 129


Sergio Tramonti Pasquale Mari
Cenografia Desenho de luzes

Pintor, cenógrafo e figurinista, nasceu em Piangipane (Ravenna). Em 1968 estreou-se, Nascido em 1959, exerce a profissão de desenhador de luz e director de fotografia há
também como actor, com Carlo Cecchi em Woyzeck de Büchner, foi o irmão de Medea mais de 25 anos nos teatros e projectos cinematográficos liderados por Mario Martone
no filme homónimo de Pasolini com Maria Callas, e o estudante Antonio Pace em e Toni Servillo, com sede em Nápoles desde 1979. Actualmente é o desenhador de luz
Indagine di un cittadino al di sopra di ogni sospetto de E. Petri. e director de fotografia escolhido para todos os filmes e produções líricas dos dois
Paralelamente, prossegue a sua actividade de cenógrafo em inúmeros espectáculos encenadores. Desde 1985 que trabalha também como free-lancer.
de prosa e ópera com os encenadores C. Cecchi, F. Enriquez, P. Graziosi, U. Dos seus últimos trabalhos destacam-se os mais recentes no teatro de prosa: Oedipus
Gregoretti, I. Spinelli, G. Proietti, T. Bertorelli, A. Pugliese, G. Dall’Aglio e com Mario Rex (Sófocles), no Teatro Argentina (Roma, 2001) e Édipo em Colono (Sófocles), no
Martone, para quem cenografou Così fan tutte, Lulu, Don Giovanni, Le nozze di Figaro Teatro India (Roma, 2003), sempre com Mario Martone; Tartuffe (Molière) no Teatro Valle
e, mais recentemente, Un ballo in maschera, dirigido por Antonio Pappano, (Roma, 2002), Sabato, Domenica… (De Filippo) no Teatro Mercadante (Nápoles, 2003) e
no Covent Garden. Entre outros, assinou a cenografia de Combat de nègre et de chiens Les fausses confidences (Marivaux) no Piccolo Teatro (Milão, 2005), sempre com Toni
de Bernard-Marie Koltès e Le Bourgeois Gentilhomme com encenação de Giampiero Servillo; e Measure by Measure (Shakespeare) e A Midsummer Night’s Dream
Solari. Também cenografou Matilde di Shabran (2004) e Torvaldo e Dorliska (2006) no Rossini Opera Festival. (Shakespeare) no Teatro Garibaldi (Palermo, 2000; 2001), sempre com Carlo Cecchi. Assinou o desenho de luz
No cinema participou como actor e cenógrafo em L’odore del sangue, de novo com Mario Martone. de Boris Godunov e Ariadne auf Naxos, com encenação de Servillo (2001 e 2003), e Neither (2004) no Teatro
Nacional de São Carlos; Matilde di Shabran no Rossini Opera Festival (2004), Il combattimento di Tancredi e Clorinda
(Ravello, 2005) e Le nozze di Figaro (Nápoles, 2006), com encenação de Mario Martone; Idomeneo e Curlew River
em Trento (2004, 2005), com encenação de Andrea De Rosa. No cinema trabalhou com os realizadores Mario
Martone, Stefano Incerti, Ferzan Ozpetek, Pasquale Scimeca, Paolo Sorrentino, Vito Zagarrio e Marco Bellocchio
cujo filme Il Regista di Matrimoni (2006) ganhou o Prémio Globo de Ouro.

Vera Marzot Giovanni Andreoli


Figurinos Maestro Titular do Coro

Depois de ter completado estudos clássicos, iniciou a actividade de figurinista como Estudou Piano, Composição e Direcção Coral e de Orquestra. Iniciou a sua actividade
assistente (Beni Montresor, Pietro Zuffi, Pierluigi Pizzi) assinando posteriormente os na qualidade de maestro residente. Na qualidade de maestro de coro colaborou na RAI
figurinos de filmes de Rossellini, Damiani, Joseph Losey, Nanni Loy, Comencini e Zampa. de Milão, Arena de Verona, e Teatros La Fenice de Veneza e Carlo Felice de Génova.
Assistente de Piero Tosi para O Leopardo, é Visconti que, no ano seguinte, a convida a Trabalhou com os maestros Delman, Muti, Chailly, Barshai, Karabtchevsky, Arena, Santi,
colaborar pela primeira vez numa produção lírica confiando-lhe os figurinos de Don Campori, R. Abbado e Renzetti. Na Biennale Musica de Veneza estreou mundialmente
Carlos (Ópera de Roma), seguindo-se La traviata e Der Rosenkavalier no Covent Garden obras de Guarnieri, De Pablo, Clementi e Manzoni.
em Londres. Trabalhou com Piero Tosi em numerosos filmes (I compagni de Monicelli, Dirigiu os Carmina Burana e a Petite Messe solennelle (Coro e Orquestra do La Fenice),
La donna scimmia de Marco Ferreri, Matrimonio all’italiana de De Sica, Götterdämmerung repondo esta última no Teatro Municipal de São Paulo. Seguiu-se «L’esperienza corale
de Visconti). Alterna a actividade cinematográfica (filmes de Sergio Leone, Nelo Risi) nel ‘900 italiano» (Dallapiccola, Rota e Petrassi). De 1998 destacam-se: L’elisir d’amore
com a televisiva (realizadores Gregoretti, Fenoglio, Segni, Leto, Negrin) e teatral em Rejkjavik; Missa da Coroação (Mozart) e Missa n.º 9 (Haydn), em São Paulo; Via
(Visconti, Lavia, Storch). Depois de ter assinado os figurinos de Gruppo di famiglia in un Crucis de Liszt (Orvieto); Les Noces (Stravinski), no Festival de Granada; Otello
interno de Visconti, optou por dar preferência ao teatro de prosa e à ópera em (Rossini), no Theater an der Wien; e a primeira audição moderna da Missa Amabilis e Missa Dolorosa de Caldara
detrimento da experiência cinematográfica. Com O Pato Bravo de Ibsen iniciou colaboração com Luca Ronconi (Orquestra e Coro do La Fenice). Em 1999 dirigiu Il barbiere di Siviglia (Teatro dei Vittoriale, Gardone-Riviera),
trabalhando em cerca de 40 espectáculos nos palcos de prosa e de ópera fora e dentro de Itália. La traviata (Teatro Real de Copenhaga), Una cosa rara de Soler (Teatro Goldoni, Veneza). Em 2000 dirigiu duas
Desde há alguns anos que suspendeu a sua actividade profissional para frequentar a «L’Ecole de peinture» de produções de La Bohème, uma no Teatro Grande de Brescia com Giuseppe Sabbatini, e outra em Lanciano, com a
Bruxelas. Actualmente intercala a actividade teatral com a pintura. É docente de história e técnica de figurinos Orquestra Giovanile Internazionale. Gravou para a BMG Ricordi, Fonit Cetra e Mondo Musica Munchen; Orfeo
na Faculdade de Arquitectura de Veneza na especialização de teatro. cantando... tolse (A. Guarnieri) na RAI de Florença (1996); e os Carmina Burana com a Companhia do Teatro La
Fenice. Desde 1994 que é o responsável artístico pela Temporada Lírica do Teatro Grande de Brescia.

130 Così fan tutte 131


Irina Lungu Laura Polverelli
Soprano Meio-soprano

Nascida na Moldávia em 1980, estudou Canto, Direcção Coral e Piano com Mikhail Vencedora de Concursos Internacionais, apresenta-se nos principais teatros líricos, a
Podkopaev no Conservatório Estatal de Voronezh (Rússia), cidade onde se estreou nos saber: Carlo Felice de Génova, Regio de Turim, Théâtre des Champs-Elysées e Theâtre
papéis de Leila (Les Pêcheurs de perles), Marfa (A Noiva do Czar) e Desdemona (Otello). du Châtelet em Paris, Staatsoper de Hamburgo, La Monnaie de Bruxelas, Comunale de
Desde 2003 que é membro da Academia do Scala de Milão sob a tutela de Leyla Gencer. Bolonha, Real de Madrid, Opéra de Lyon, Opéra de Montecarlo, Vlaamse Opera de
Dos Concursos Internacionais que venceu, destacam-se «Bella Voce» e «Tchaikovski» Antuérpia, e nos Festivais de Glyndebourne, Orange, Innsbrück, Rossini Opera Festival,
(Moscovo), «Opera» de Dresden, «Elena Obraztsova» (S. Petersburgo), «Maria Callas» Maggio Musicale Fiorentino, entre outros.
(Atenas), «Montserrat Caballé» (Andorra), «Belvedere» (Viena), «Voci Verdiane» Já foi dirigida por C. Abbado, R. Alessandrini, G. Bertini, F. Biondi, O. Dantone, J. Lopez-
(Busseto) e «Operalia» (Los Angeles) e BBC Cardiff («Singer of the World», 2005). -Cobos, J.-C. Malgoire, A. Marcon, C. Rizzi, C. Rousset, J. Tate e A. Lombard.
Apresenta-se regularmente em concerto na Rússia, Alemanha, Croácia, Suíça e Itália tendo No Scala de Milão cantou em Oberon e Nabucco dirigida por Muti, em Les Troyens
actuado nos Festivais de Schleswig-Holstein e Lucerna, em concertos com a Filarmónica dirigida por Colin Davis e em Il turco in Italia dirigida por Chailly. Intérprete reconhecida
de Colónia, os Moscow Virtuosi, sob a direcção de Vladimir Spivakov, entre outros. do repertório barroco, cantou óperas de Cesti, Handel, Monteverdi e Pergolesi. A sua
Compromissos recentes incluem o papel titular da ópera Parisina (Donizetti) no Teatro Donizetti em Bergamo, intensa actividade concertística inclui obras de Pergolesi, Vivaldi, J. S. Bach, Mozart, Caldara e Berlioz.
Bianca em Ugo, conte di Parigi (Donizetti) no Teatro Bellini em Catania, Anais em Moïse et Pharaon no Teatro Dos seus mais recentes compromissos, destacam-se: Dorabella no Teatro Regio de Turim e na Opéra de
Scala de Milão sob a direcção de Riccardo Muti e encenação de Luca Ronconi, Oksana em (Os Sapatinhos) de Montecarlo; Rosina (Il barbiere di Siviglia) na Ópera de Roma e no La Fenice; Sesto (Giulio Cesare) na Staatsoper
Tchaikovski no Teatro Scala de Milão. Integrou o elenco de Il diluvio universale (Donizetti) no Teatro Royal Drury da Baviera; Emone na Antigona de Traetta, no Théâtre du Châtelet; La donna del lago no São Carlos; Pia de’
Lane (Londres) registada para a Opera Rara. Estreou-se no papel de Leonora (Il trovatore), cantou os papéis Tolomei no Teatro La Fenice (gravada em DVD); Rosina em Filadélfia e na Ópera de Roma dirigida por Gelmetti;
titulares de Iolanta (versão de concerto) no São Carlos e em Lugano, e de Sancta Susanna (Hindemith) no Scala Dorabella (Così fan tutte) na Academia de Sta. Cecilia de Roma, com grande êxito, sob a direcção de R. Abbado.
de Milão. Futuros compromissos incluem a sua participação em Evgeni Onegin e Don Giovanni no Bolchoi Futuros compromissos incluem Falstaff com direcção de Z. Mehta, numa digressão ao Japão, com o Teatro
(Moscovo), Don Giovanni (Donna Anna) no Festival de Glyndebourne e Carmen (Micaela) na Ópera de Roma. Comunale de Florença; Il crociato in Egitto (La Fenice) e Giulio Cesare (Teatro Carlo Felice).

Ekaterina Godovanets Angélica Mansilla


Soprano Meio-soprano

Nascida em Moscovo, iniciou os seus estudos de música aos cinco anos de idade. Natural de Madrid, realizou os seus estudos de piano e de canto naquela cidade. Em
Diplomada pela Academia do Conservatório «Tchaikovski» de Moscovo, canta 2002 obteve uma bolsa de estudos da Fundação Albéniz para estudar na Escola Rainha
regularmente com a Orquestra de Crimeia em programas de mélodies e árias das Sofia com, entre outros, Teresa Berganza, tendo recebido o diploma de melhor cantora
óperas Werther, Samson et Dalila, La clemenza di Tito, Le nozze di Figaro, L’italiana in do curso. Actualmente continua a sua formação com a soprano Josefina Arregui.
Algeri, para além de obras de Mahler (Kindertotenlieder), Ravel (Scheherazade) e Foi galardoada em diversos concursos, nomeadamente, com o Primeiro Prémio e
R. Strauss (Vier letzte Lieder) e J. S. Bach (A Paixão segundo S. Mateus). Apresentou-se Prémio do Público no Concurso Internacional de Canto Coloratura «Sylvia Geszty», e o
em recital com Jean-Philippe Lafont em Paris, seguindo-se a interpretação de Poème Segundo Prémio e Prémio «Teatro Victoria» no Concurso Internacional de Canto «Pedro
de l’Amour et de la Mer com a Orquestra Filarmónica de Iaroslavl, L’incoronazione di Lavirgen». Em Fevereiro de 2002, estreou-se em Il barbiere di Siviglia, papel que repetiu
Poppea (Ottavia) com direcção de E. Haïm, Stabat Mater (Rossini) com direcção de J. P. em diversas ocasiões.
Delgrange, e Lieder eines fahrenden Gesellen (Mahler) em Paris. Recentemente, actuou no Apesar da sua ainda curta carreira profissional, o seu repertório conta já com óperas,
Festival d’Aix-en-Provence (Wesendonck-Lieder), no Castelo de Esclimont (perto de Paris) tais como La donna del lago, que interpretou ao lado de Juan Diego Flórez e Daniella
num recital de árias de óperas russas e na Ópera de Massy (Requiem de Schumann). Barcellona (Festival Mozart da Corunha), L’italiana in Algeri (Ópera de S. Francisco), La Cenerentola (Auditório
Na presente temporada tem agendados concertos na Antuérpia e em Ghent e depois deste Così fan tutte no São Nacional de Música de Madrid) e Manon de Massenet (Palácio Euskalduna de Bilbau). Destaque-se a sua recente
Carlos, regressará a este Teatro para integrar o elenco de Die Walküre, seguindo-se um programa de mélodies em actuação no Gran Teatre do Liceu de Barcelona, no papel de Annio em La clemenza di Tito.
Toulouse. Venceu o «Grand Prix de la Mélodie Française de Toulouse», recebeu o Primeiro Prémio e Prémio do
Público do Concurso Rainha Sofia de Oslo, assim como o Terceiro Prémio do Concurso Internacional de
Toulouse. Em Outubro último estreou-se no Teatro Nacional de São Carlos na interpretação do Requiem pelas
vítimas do fascismo em Portugal de Lopes-Graça.

132 Così fan tutte 133


Silvia Colombini Saimir Pirgu
Soprano lírico ligeiro de Coloratura Tenor

Nascida numa família de músicos (é neta do compositor Giancarlo Colombini), Nascido em 1981, estudou Violino e Canto nos Conservatórios de Tirana e Bolzano,
diplomou-se em Violino para depois passar ao canto lírico. Vencedora de três concursos com o seu actual professor, Vito Brunetti.
internacionais, estreou-se em Viena (1999) no papel de Adele em Il Pipistrello (J. Strauss). Em Itália venceu os Concursos «Umberto Sacchetti» («Melhor Jovem Cantor», Bolonha,
Na Alemanha cantou nos prestigiados Semperoper de Dresden, Teatros de Ópera de 2001), «Enrico Caruso» (Milão, 2002) e «Tito Schipa» (Lecce). Estreou-se em
Colónia, Frankfurt, Bona, Staatsoper de Berlim, Aalto Theater de Essen, estreando-se Estrasburgo e no Festival Rossini em Wildbad (L’equivoco stravagante) com Alberto
nos papéis de Norina (Don Pasquale), Olympia (Les Contes d’Hoffmann) Adina (L’elisir Zedda. No Rossini Opera Festival cantou Belfiore (Il viaggio a Reims), e Alì em Adina
d’amore) Gretel (Hänsel und Gretel), Despina (Così fan tutte) e Susanna (Le nozze di (2003). A convite de Daniel Oren interpretou Lord Arturo (Lucia di Lammermoor) na
Figaro) com encenação de Johannes Schaaf, Gilda (Rigoletto), e Rainha da Noite (Die Ópera de Roma. Em 2004 iniciou a sua carreira internacional com Ferrando (Così fan
Zauberflöte). Em 2003 foi convidada pelo Festival de Salzburgo para cantar Elena tutte) dirigido por Claudio Abbado (Ferrara, Reggio Emilia e Modena). Estreou-se com
Egiziaca (R. Strauss), sob a direcção de Fabio Luisi. Em Itália, estreou-se no Teatro Nemorino (L’elisir d’amore) na Ópera Nacional de Tirana e na Staatsoper de Viena
Regio de Turim (2001) onde interpretou o papel de Cordelia em Lear de A. Reimann valendo-lhe o Prémio de Canto «Eberhard Waechter». Seguiu-se Così fan tutte (Ferrando)
(estreia italiana) com encenação de Luca Ronconi. Posteriormente, actuou na Arena de no Festival de Salzburgo, Falstaff (Fenton), Nemorino e Ferrando na Staatsoper de Viena, a
Verona em Un ballo in maschera (Oscar), no Teatro Massimo de Palermo em Lakmé (papel titular) de Delibes, e digressão japonesa de Don Giovanni, com direcção de Seiji Ozawa, Elena e Costantino (R. Carnicer) no Teatro Real de
no Teatro Bellini de Catania em La Bohème (Musetta) e La sonnambula (Amina). Ao longo do Ano Mozartiano Madrid e novamente Ferrando em Munique. Em 2006 cantou na Opernhaus de Zurique (La traviata, Falstaff), na
interpretou os papéis de Elisa (Il Re Pastore), nos Teatros La Monnaie de Bruxelas e do Luxemburgo; Blonde (Die Staatsoper de Berlim (La traviata), na Staatsoper de Hamburgo (Don Giovanni, L’elisir d’amore), no Teatro Comunale
Entführung aus dem Serail) nas três novas produções dos Teatros Petruzzelli de Bari, Regio de Turim e Ópera de de Bolonha (Szenen aus Mozart Leben, Un segreto d’importanza) e no Rossini Opera Festival (La cambiale di matrimonio,
Palma de Maiorca (ao lado do célebre Osmin de Kurt Rydl). Die Schuldigkeit des ersten Gebots). Gravou o primeiro CD de árias de ópera para a Universal.
Em concerto, tem-se apresentado com a Orquestra Bayerischer Rundfunk da Baviera, Mitteldeutscher Rundfunk, Futuros compromissos incluem La traviata (Staatsoper de Berlim), Don Giovanni, Falstaff, L’elisir d’amore
Rai Internacional, Bruckner Festival de Linz e Gewandhaus de Leipzig. (Staatsoper de Viena), Falstaff (Bolonha), Il burbero di buon cuore (Teatro Real de Madrid), Idomeneo (Festival
Styriarte de Graz), Gianni Schicchi (Royal Opera House, 2007) e La traviata (Festival da Ópera de Santa Fé, 2009).

Dora Rodrigues Mário João Alves


Soprano Tenor

Iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Nascido em Perafita, estudou Canto com Fernanda Correia, nos Conservatórios do
Braga e, posteriormente, na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto e Gaia. Em 1996 foi 2.º classificado no Concurso de Canto «Luísa Todi». Das suas
Porto na classe de canto de José de Oliveira Lopes. Estreou-se com o CPO, em 1998, interpretações destacam-se: Nemorino (L’elisir d’amore) CAE/TNSC; Ferrando (Così fan
no papel de Frasquita (Carmen), dando início a uma série de colaborações: Zerlina (Don tutte) no Porto; Tamino (Die Zauberflöte) no Festival Music-Atlantico; Harry (La fanciulla
Giovanni), Musetta (La Bohème), Nanetta (Falstaff), Susanna (Le nozze di Figaro), del West) e The Maintop (Billy Budd) no Teatro Regio de Turim; Albert (Albert Herring),
Valencienne (Die lustige Witwe), Pamina (Die Zauberflöte) e Carmina Burana. No Teatro Herr M. (Neues vom Tage) no Teatro Aberto; Paolino (Il matrimonio secreto) no CAE;
Aberto apresentou-se como Frau M (Neues vom Tage), Isolda (Le Vin Herbé) e Polly (The Sempronio (Lo speziale) e L’arithmétique/Rainette/Théière (L’Enfant et les sortilèges) no
Beggar’s Opera, Britten); Grilletta (Lo Speziale) no TNSJ; Maria (Casinha de Chocolate) S. João; Dom Gilvaz (Guerras de Alecrim e Manjerona) no Acarte; Proteu (As Variedades
no Teatro da Trindade; Joana (Help, Help the Globolinks) na Culturgest, Elvira (Inês de de Proteu) no Festival de Alcobaça; Peter/Keen/Lucien/Counsel (The English Cat) e
Castro) e Tributo a Carreras em Coimbra. No Teatro Nacional de São Carlos interpretou Governador (O Doido e a Morte) no São Carlos.
Elisetta (Il matrimonio segreto), Flor (Parsifal), St. Theresa I (Four Saints in Three Acts), Em 2005/06 cantou MacHeath (Beggar’s Opera) no Teatro Aberto; Nemorino (L’elisir
Echo (Ariadne auf Naxos) numa produção também apresentada em Ferrara e Modena d’amore) no Japão; Aronne (Mosè in Egitto) no Teatro Verdi (Sassari); Pedrillo (Die Entführung aus dem Serail) no
e, recentemente foi Wellgunde na nova produção de Das Rheingold, com assinatura de Graham Vick. No âmbito São Carlos, no Teatro Piccinni (Bari), Artemrede e San Sebastian; Almaviva (Il barbiere di Siviglia) no São Carlos;
das Temporadas Sinfónicas do TNSC interpretou a Quarta Sinfonia de Mahler e a Missa da Coroação de Mozart. Monostatos (Die Zauberflöte) no Teatro La Fenice. No São Carlos, estreou-se como Hylas (Les Troyens), seguindo-
Em concerto e oratória tem actuado com as Orquestras Sinfónica Portuguesa, Nacional do Porto, Metropolitana -se Four Saints in Three Acts, Jeanne d’Arc au bûcher, Il turco in Italia e O Nariz. Próximos compromissos incluem
de Lisboa, do Norte, Clássica da Madeira e do Algarve. Tem participado em vários recitais em Portugal, Bélgica, Agerone (Il re pastore) em Pavia e Como; Monostatos (Die Zauberflöte) no Théâtre La Monnaie de Bruxelas e na
Brasil e Canadá. Obteve o Primeiro Prémio (categoria de Ópera), no II Concurso Internacional de Canto «Tomás BAM de Nova Iorque, Dom Gilvaz (Guerras de Alecrim e Manjerona) no D. Maria II e Te Deum, Bruckner) na
Alcaide». Foi-lhe atribuído o Prémio «Ribeiro da Fonte» – 2001 pelo Ministério da Cultura. Em Abril último Fundação Calouste Gulbenkian.
integrou o elenco de D. Quixote (Manuel Garcia), no Teatro de la Maestranza em Sevilha.

134 Così fan tutte 135


Simone Alberghini Bruno Praticò
Baixo-barítono Baixo-barítono

Depois da sua estreia no Teatro Regio de Turim (I Capuleti e i Montecchi, 1993) e a Nascido em Aosta, estudou com Giuseppe Valdengo e Rodolfo Celletti. Cantou nos
vitória no Concurso «Operalia» (1994), iniciou a sua carreira internacional. Estreou-se principais teatros líricos, tais como Metropolitan Opera, Scala de Milão, San Carlo de
no Festival de Glyndebourne, em La Cenerentola (Dandini), com encenação de Peter Nápoles, Staatsoper de Viena, Comunale de Florença, Comunale de Bolonha, Massimo
Hall, seguindo-se o mesmo papel no Kennedy Center (Washington), Escamillo (Carmen) de Palermo, Grand Théâtre de Genebra, Real de Madrid, La Fenice de Veneza, Ópera de
e Athanael (Thaïs) na Ópera do Kentucky e Don Alfonso (Così fan tutte) na Staatsoper Roma, Carlo Felice de Génova, Regio de Parma, Ópera dos Países-Baixos, de Lausanne
unter den Linden de Berlim, Raimondo (Lucia di Lammermoor) na Ópera de Avignon, e New National Theatre de Tóquio.
Don Basilio (Il barbiere di Siviglia), Capulet (Roméo et Juliette) na Ópera de Los Angeles Sob a direcção de prestigiados maestros tais como Claudio Abbado, Bruno
e La Mirandolina (Martinu) no Festival de Wexford. Em 1998, estreou-se no Scala de Campanella, Riccardo Chailly, Gianluigi Gelmetti, Daniele Gatti, Donato Renzetti e Carlo
Milão, dirigido por R. Muti (Macbeth, Banquo), na Staatsoper de Viena (Ramfis, Aida) e Rizzi, cantou com grande êxito em Falstaff (papel titular), Don Pasquale (papel titular),
em Nova Iorque (Poliuto). Em 2000 estreou-se na Washington Opera (Rigoletto), L’elisir d’amore (Dulcamara), Les Pêcheurs de perles (Zurga), Il barbiere di Siviglia
seguindo-se Don Giovanni dirigido por S. Ozawa. Em Itália cantou na Ópera de Roma (Figaro/Bartolo), La cenerentola (Don Magnifico) e também em Fedora, Le convenienze
(Figaro), Maggio Musicale Fiorentino dirigido por Zubin Mehta (Aida), Rossini Opera e inconvenienze teatrali, Linda di Chamounix (Marchese di Boisfleury), Un giorno di regno
Festival (La donna del lago, Otello, Torvaldo e Dorliska), Bolonha e Reggio Emilia (Anna Bolena), Regio de Parma e I quatro rusteghi. Desde 1993 que actua regularmente no Rossini Opera Festival e, em 1998, ganhou o Prémio
(Lucia di Lammermor), Carlo Felice de Génova (Il viaggio a Reims, La donna del lago), e Regio de Turim «Rossini d’Oro» pela sua interpretação de Don Magnifico. Na última temporada triunfou em Il viaggio a Reims
(Semiramide, Le nozze di Figaro). Em concerto cantou sob a direcção de Sinopoli, Chailly e Tilson Thomas. A sua em Bruxelas e em Il barbiere di Siviglia no Covent Garden em Londres, no Teatro Comunale de Bolonha e no Teatro
discografia inclui I Capuleti e i Montecchi e Tancredi. São Carlos, com Il signor Bruschino no Concertgebouw em Amesterdão e com La Cenerentola em Catania.
Na temporada de 2005/06 estreou-se na Metropolitan Opera de Nova Iorque (La cenerentola) e na Ópera de Futuros compromissos incluem Il barbiere di Siviglia na Metropolitan Opera de Nova Iorque, La Cenerentola na
Filadélfia (Le nozze di Figaro). Próximos compromissos incluem L’elisir d’amore em Denver, La Fille du régiment Staatsoper da Baviera e em Estocolmo, La finta semplice em Viena, Torvaldo e Dorliska em Nápoles e La Fille du
em Washington, e L’italiana in Algeri em Bolonha, com direcção de Donato Renzetti e encenação de Dario Fò. régiment em Houston e em Florença.

Luís Rodrigues
Barítono

Estudou no Conservatório Nacional e na Escola Superior de Música de Lisboa. Em


1995 foi laureado com o 1.º Prémio no II Concurso de Interpretação do Estoril e
ganhou, com o pianista David Santos, o Prémio Jovens Músicos da RDP (Música de
Câmara). Em 1996 foi vencedor do 4.º Concurso de Canto «Luísa Todi».
Intérprete de reconhecida versatilidade tem-se afirmado no domínio da ópera em
papéis como Schaunard (La Bohème), Masetto (Don Giovanni), Conde Robinson
(Il matrimonio segreto), St. Ignatius (Four Saints in Three Acts), Harlekin (Ariadne auf
Naxos), Ping (Turandot), Bustamante (La Navarraise), Figaro (Il barbiere di Siviglia) no
Teatro Nacional de São Carlos; Mr. Gedge (Albert Herring) e Eduard (Neues vom Tage)
no Teatro Aberto; Semicúpio (Guerras do Alecrim e Mangerona) no Acarte, Teatro da
Trindade e Teatro Nacional D. Maria II (Prémio Bordalo da Imprensa 2000 para Música
Erudita); Marcello (La Bohème) com o Círculo Portuense de Ópera e a Orquestra Nacional do Porto no Coliseu
desta cidade; Tom (The English Cat) com a Cornucópia e a ONP no Rivoli e São Carlos; Papagueno (Die
Zauberflöte) na Fundação Calouste Gulbenkian, Giorgio Germont (La traviata) e o papel titular de Don Giovanni
com a Orquestra do Norte; Belcore (L’elisir d’amore), Escamillo (Carmen) e Figaro (Il barbiere di Siviglia) com a
Eventos Ibéricos e a ON. Em Dezembro de 2005 interpretou o papel de Yoshio, na estreia em Portugal da ópera
Hanjo (Toshio Hosokawa), na Culturgest, em co-produção com o São Carlos.

136 Così fan tutte 137


Teatro Nacional de São Carlos Orquestra Sinfónica Portuguesa Violas
Pedro Saglimbeni Muñoz (Coordenador de Naipe)
Conselho Directivo I Violinos Céciliu Isfan (Coordenador de Naipe Adjunto)
Alexander Stewart (Concertino Adjunto) Galina Savova (Coordenador de Naipe Assistente )
Director
Paolo Pinamonti Pavel Arefiev (Concertino Adjunto) Cécile Pays (Coordenador de Naipe Assistente)
Leonid Bykov (Concertino Assistente) Etelka Dudas
Vogais Veliana Hristova (Concertino Assistente) Isabel Teixeira da Silva
Carlos Vargas Alexander Mladenov Joaquim Lima
Nuno Pólvora Anabela Guerreiro
Maria Cecília Neves
António Figueiredo
Maria Lurdes Gomes
Asmik Bartikian
Ewa Michalska Massimo Mazzeo
Iskrena Yordonova Rogério Gomes
Jorge Gonçalves Ruth Forbes
Primeiro Maestro Convidado Laurentiu Ivan Coca Sandra Moura
Donato Renzetti Luís Santos Ventzislav Grigorov
Margareta Sandros Vladimir Demirev
Marjolein de Sterke
Maestro Titular do Coro do Teatro Nacional de São Carlos Natalia Roubtsova
Giovanni Andreoli Violoncelos
Nicholas Cooke
Irene Lima (Coordenador de Naipe)
Pedro Teixeira da Silva
Regina Stewart Hilary Alper (Coordenador de Naipe Adjunto)
Kenneth Frazer (Coordenador de Naipe Adjunto)
Director Técnico Aida Zupancic (Coordenador de Naipe Assistente)
Francisco Vicente II Violinos Alberto Campos (Coordenador de Naipe Assistente)
Jan Schabowski (Coordenador de Naipe) Diana Savova
Directora da Produção Klara Erdei (Coordenador de Naipe Adjunto) Emídio Coutinho
Alda Giesta
Rui Guerreiro (Coordenador de Naipe Adjunto) Gueorgui Dimitrov
Coordenadora de Gestão Artística Mário Anguelov (Coordenador de Naipe Assistente) Luís Clode
Alessandra Toffolutti Nariné Dellalian (Coordenador de Naipe Assistente) Margarida Matias
Aurora Voronova Maria Lourdes Santos
Coordenadora do Gabinete de Imagem,
Comunicação e Publicações
Carmélia Silva
Paula Vilafanha Inna Reshetnikova Contrabaixos
Isabel Barão Pedro Wallenstein (Coordenador de Naipe)
Relações Públicas Kamélia Dimitrova Petio Kalomenski (Coordenador de Naipe)
Ana Fonseca
Katarina Majewska Adriano Aguiar (Coordenador de Naipe Adjunto)
Coordenadora Organizativa Maria Filomena Sousa Duncan Fox (Coordenador de Naipe Adjunto)
do Coro e da Orquestra Maria Lurdes Miranda Anita Hinkova (Coordenador de Naipe Assistente)
Patrícia Ribeiro Slavomir Sadlowski João Diogo
Sónia Carvalho José Mira
Tatiana Gaivoronskaia Manuel Póvoa
Witold Dziuba Svetlin Chiskov

Flautas
Katharine Rawdon (Coordenador de Naipe)
Nuno Ivo Cruz (Solista A)
Anthony Pringsheim (Solista B)
Anabela Malarranha (Solista B)

138 Così fan tutte 139


Oboés Tímpanos e Percussão Coro do Teatro Nacional de São Carlos Tenores
Hristo Kasmetski (Coordenador de Naipe) Elizabeth Davis (Coordenador de Naipe) Alberto Lobo da Silva
Ricardo Lopes (Solista A) Richard Buckley (Solista A) Sopranos Alcino Vaz
Elizabeth Kicks (Solista B) Lídio Correia Ana Cosme Álvaro de Campos
Luís Marques (Solista B) Pedro Araújo e Silva Ana Luisa Assunção Aníbal Real
Laura Marcos* Ana Rita Cunha Arménio Afonso Granjo
Harpas Angélica Neto Carlos Pocinho
Clarinetes Carmen Cardeal (Solista A) Ana Maria Serro Carlos Silva
Francisco Ribeiro (Coordenador de Naipe) Filipa Lopes Diocleciano Pereira
Joaquim Ribeiro (Solista A) Glória Saraiva Fernando Carvalho
Felício Figueiredo (Solista B) Isabel Biu Francisco Lobão
Jorge Trindade (Solista B) Isabel Silva Pereira João Carlos Azevedo*
Luisa Brandão João Gilberto Rodrigues*
Fagotes Luisa Tavares João Miguel Queirós
David Harrison (Coordenador de Naipe) Maria do Anjo Albuquerque João Miguel Rodrigues
Carolino Carreira (Solista A) Patrícia Ribeiro Luís Castanheira
João Rolo Brito (Solista B) Raquel Alão* Mário Silva
Piotr Pajak (Solista B) Rita Paiva Raposo Miguel Calado
Sandra Lourenço Nuno Cardoso
Trompas Sónia Alcobaça Samuel Vieira*
António Nogueira (Coordenador de Naipe) Susana Gaspar* Vítor Carvalho
Laurent Rossi (Solista A) Teresa Gomes
Paulo Guerreiro (Solista A) Barítonos e baixos
António Rodrigues (Solista B) Meio-sopranos Alberto Silveira
Carlos Rosado (Solista B) Ana Cristina Carqueijeiro Aleksandr Jerebtsov
Tracy Nabais (Solista B) Ana Margarida Serôdio António Louzeiro
Ana Maria Neto Carlos Homem
Trompetes Ângela Roque Carlos Pedro Santos*
António Quítalo Cândida Simplício Ciro Telmo
Jorge Almeida (Coordenador de Naipe) Cátia Moreso* Costa Campos
Latchezar Goulev (Solista B) Isabel Assis Pacheco Daniel Paixão
Pedro Monteiro (Solista B) Laryssa Savchenko David Ruella
Lisete Marques Eduardo Viana
Trombones Luisa Lucena Frederico Santiago
Hugo Assunção (Coordenador de Naipe) Madalena Boleo* João Miranda
Jarrett Butler (Solista A) Manuela Santos João Rosa
Fernando Faria (Solista B) Manuela Teves Joel Costa
Vítor Faria (Solista B) Maria Antónia Andrade Jorge Rodrigues
Maria da Conceição Martinho Mário Pegado
Tuba Natália Brito* Osvaldo Sousa
Ilídio Massacote (Solista A) *Reforços Simeon Dimitrov
Neide Gil
Olesya Nagieva*
Susana Moody

*Reforços

140 Così fan tutte 141


Sector Técnico-Artístico Carlos Pires Sector Administrativo
Nilo Lopes*
Director de Estudos Musicais e Director Musical de Cena Romeu Grazinha* Serviço de Assessoria
João Paulo Santos Joaquim Cândido Costa* Juliana Mimoso*

Directora Técnica Adjunta Sector de Electricistas Serviço de Relações Públicas


Margarida Clode Pedro Martins (Chefe do Sector) Maria Stella Cansado
Serafim Baptista
Director de Cena Serviço Financeiro
Victor Silva
Bernardo Azevedo Gomes João Pereira (Coordenador)
Carlos Vaz
Ana Maria Peixeiro (Coordenadora Adjunta)
Adjunta da Direcção de Cena Carlos Santos
Rui Amado
Paula Meneses Paulo Godinho*
António Pinheiro
José Diogo*
Maestro Assistente do Coro João Ruela* (Inventário)
Sector de Som e Vídeo Albano Pais (Tesoureiro)
Kodo Yamagishi
Miguel Pessanha (Chefe do Sector)
Maestro Correpetidor Serviço de Pessoal
Luís Mateus dos Santos*
Nuno Lopes Manuel Alves
Contra-regra Teresa Serradas Duarte
Pesquisa e Documentação Musical João Lopes (Chefe do Sector) Marisa Leitão
Paula Coelho da Silva Arnaldo Ferreira
Herlander Valente Serviço de Bilheteiras
Assistentes da Direcção Técnica e Produção Luísa Lourenço
Filomena Barros Aderecista Rita Martins
Joana Camacho* António Lameiro
José Luís Barata Secretárias do Conselho Directivo
Assistente da Coordenação Organizativa Regina Sutre
do Coro e da Orquestra Sector das Costureiras Gabriela Metéllo
Beatriz Loureiro Zita Pires (Chefe do Sector)
Maria de Lurdes Landeiro Património
Gestão Artística Cassiano Vieira
Anabela Vicente
Fátima Machado António Silva
Maria José Santos*
Lucília Varela
Ana Paula Simaria*
Expediente e Arquivo Administrativo
Serviço de Apoio à Orquestra Mirian Mendonça*
Susana Santos
Celeste Patarra* Miguel Vilhena
Gabinete de Imagem, Comunicação e Publicações
Jerónimo Fonseca (Encarregado) Sandra Correia
Ana Rego (Designer)
Nuno Guimarães* Rui Ivo Cruz*
Anabela Tavares
Secretária do Coro Serviço de Limpeza
Projectos Especiais
Margarida Cruz Lurdes Mesquita (Chefe do Sector)
Maria Gil
Maria de Lurdes Branco
Arquivo Musical
Serviço de Informática Maria do Céu Bilhó
Agostinho Sorrilha
Pedro Penedo* Maria Teresa Gonçalves
José Carlos Costa Maria Conceição Pereira
Legendagem Maria Isabel Sousa*
Sector de Maquinistas
Paulo Lopes* Cesaltina Martins Pinto Marote*
José Silvério (Chefe do Sector)
Frederico Bastos* Patrícia Pires*
Graciano Lopes (Maquinista Chefe)
Miguel Durão*
Augusto Baptista
João Godinho*
Luís Filipe Alves
Fernando Correia
José António Feio * Colaboradores
José Luís Reis
Jacinto Matias
Manuel Friães da Silva

142 Così fan tutte 143


Teatro Nacional de São Carlos O Teatro Nacional de São Carlos é membro da
Opera-Europa e observador da Pearle*
Informações úteis

Bilhetes
O Teatro reserva-se o direito de alterar a sua programação
em casos de força maior. A alteração substancial da sua
programação constitui causa única para efeitos de
reembolso de bilhetes adquiridos. Espectáculos para
maiores de seis anos.
Reserva e aquisição de bilhetes
As reservas podem ser efectuadas pelo telefone e/ou fax
da bilheteira, as quais serão garantidas por 48 horas após
a reserva. Só serão aceites reservas até 48h antes do dia
do espectáculo. Tel. 213 253 045/6 | Fax 213 253 047
Horário das bilheteiras
Dias úteis – das 13:00h às 19:00h; Dias de espectáculo –
das 13:00h até trinta minutos após o início do espectáculo.
Duas horas antes do início do mesmo apenas poderão ser
adquiridos bilhetes para o próprio dia.
Descontos – válidos para os bilhetes avulso
Jovens até 30 Anos e Maiores de 65 Anos – 30% de
desconto, sem limite temporal, para a plateia,
frisas grandes e camarotes de 1.ª e 2.ª Ordem.
Entidades Colectivas – 30% de desconto na aquisição
de, no mínimo, 10 bilhetes por espectáculo. Os televisores do Foyer foram
Bilhetes de «Última Hora» – Duas horas antes de cada gentilmente cedidos por
espectáculo de ópera, os bilhetes disponíveis serão
colocados à venda ao preço de 20C para a plateia, frisas
e camarotes grandes de 1.ª e 2.ª Ordem grandes. Os
restantes lugares da sala poderão ser adquiridos a 15C.
Duas horas antes de cada concerto, os bilhetes
disponíveis serão colocados à venda ao preço de 10C.
Formas de pagamento
Numerário, Cheque, Multibanco e Visa. Apoio

Legendas
No caso de apresentação de óperas em língua estrangeira
o Teatro garante um sistema de legendagem em português.
Pontualidade
Depois do início do espectáculo não é permitido o acesso Apoio na divulgação
à sala até que tenha lugar o primeiro intervalo, durante
o qual os espectadores serão conduzidos aos seus lugares
pelos assistentes de sala.
Gravações e fotografias
Não é permitida a utilização de qualquer tipo de
gravadores ou máquinas fotográficas no interior do Teatro.
Bengaleiro
O Teatro conta com um serviço de bengaleiro situado
dos dois lados exteriores da plateia.
Aparelhos sonoros
Agradecemos que sejam desligados telemóveis e relógios
electrónicos no interior da sala de espectáculos. Fotos de Ensaio © Alfredo Rocha
Cafetarias
Para além da cafetaria no Foyer, o Teatro conta com
um serviço de esplanada no Largo de São Carlos.
Transportes
Autocarros: 58, 100, 204* (*só serviço nocturno)
Eléctrico: 28; Metro: Baixa-Chiado
Teatro Nacional de São Carlos
Preço 6C
Rua Serpa Pinto, n.º 9 – 1200-442 Lisboa Tiragem 2100 exemplares
Tel. 213 253 000 – Fax 213 253 083 Impressão Textype
Consulte a programação em www.saocarlos.pt

144