Você está na página 1de 10

HISTÓRIA DE UMA GAIVOTA E DO GATO QUE A ENSINOU A VOAR

I - Capítulo Primeiro – Mar do Norte

1. O que anunciou a gaivota de vigia?

2. As gaivotas iam com quantas horas de voo?

3. As gaivotas voavam sobre a foz de que rio?

4. Recolhe o nome de todos os bandos de gaivotas referidos neste primeiro capítulo.

5. Onde se localizava a grande convenção das gaivotas?

5.1. Por que motivos é que as gaivotas se dirigiam para lá?

5.2. Em que estação do ano se passa este 1º capítulo?

6. O que é que Kengah gostava especialmente de observar? Porquê? P.12

7. Qual a crítica que ela faz aos homens?

8. Por que razão é que Kengah não ouviu o aviso de emergência?

9. Onde é que Kengah se viu quando tirou a cabeça da água?

I – Capítulo Segundo – Um Gato Grande, Preto e Gordo

1. Após a leitura deste segundo capítulo, caracteriza o gato Zorbas, fazendo o seu Retrato

Físico e Psicológico (hábitos, sentimentos, temperamento, relacionamento com os outros).

1.1. Das características apresentadas na resposta anterior, refere duas cujo processo de

caracterização seja indireta, justificando a tua resposta.

2. Em que cidade vive o gato?

3. "É bom rapaz,", pensou o gato de boca cheia. "Bom rapaz? É o melhor que há!", corrigiu ele

enquanto engolia.

3.1. Explica os motivos pelos quais Zorbas considera o seu dono, um bom rapaz.

4. O que faziam juntos na varanda?

5. Porque diz a mãe ser uma sorte terem nascido num Porto?

6. O que esperam os humanos dos gatos?

7. O que tem Zorbas que o pode tornar infeliz? Porquê?

8. Há quanto tempo Zorbas vive naquela casa?


HISTÓRIA DE UMA GAIVOTA E DO GATO QUE A ENSINOU A VOAR

I – Capítulo Terceiro

1. Porque é que a Gaivota mergulhou a cabeça várias vezes no mar com petróleo?

2. Depois de ter sacudido a cabeça energicamente o que compreendeu?

3. Qual era a lei das Gaivotas?

4. Aponta as consequências possíveis para as aves apanhadas numa maré negra.

5. Kengah faz um julgamento negativo de todos os homens? Justifica a tua resposta.

6. Quantas tentativas fez Kengah até conseguir levantar voo?

7. Como é que Kengah chamava às ondas com petróleo?

8. Qual foi a história que Kengah ouviu de uma velha gaivota das ilhas Frísias?

8.1. Que relação existe entre essa história e a situação de Kengah?

9. Qual o problema para o qual este capítulo pretende alertar?

I – Capítulo Quarto – O Fim de um Voo

A/ Fazer perguntas sobre o conteúdo do texto é uma forma de verificar a sua compreensão.
Constrói e regista as perguntas que poderiam obter as respostas seguintes.

1.………………………………………..?
O gato estava na varanda.

2.……..………………………………..?
A gaivota estava muito suja e com o corpo coberto de uma substância malcheirosa porque tinha sido
apanhada pela maldição dos mares.

4.……..………………………………..?
O gato sugeriu-lhe que voasse até ao Jardim Zoológico, porque lá havia veterinários que cuidariam dela.

5.……..………………………………..?
Em sinal de amizade, o gato lambeu-lhe a cabeça.

6.……..………………………………..?
O gato prometeu que não comeria o ovo, que cuidaria dele até nascer a gaivotinha e que a ensinaria a
voar.

7………………………………………..?
O gato não fez tais promessas convictamente porque, como a gaivota estava doente, por um lado, ele
pensou que ela estava a delirar e que não iria morrer. Por outro lado, achou que devia ser generoso,
fazendo-lhe a vontade para não a preocupar ainda mais.
HISTÓRIA DE UMA GAIVOTA E DO GATO QUE A ENSINOU A VOAR

B/ Segundo o autor da História da Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar, esta obra é uma fábula. Pretende-se
através dos animais, dar um exemplo aos homens.

Tenho um grande carinho pelos animais, mas não escrevi o livro (História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a
Voar) na perspectiva das sociedades protectoras dos animais. A fábula segue a velha escola grega: o seu objectivo é
transmitir a prática da tolerância, o respeito pela diversidade. Sobretudo aprender a respeitar a diferença e aquilo
que nos rodeia.
Luis Sepúlveda, in «Forum Ambiente»

1. Baseando-te no que já conheces da obra e nesta afirmação do autor, responde às seguintes questões:
1.1. Explica de que forma a obra cumpre o objetivo de transmitir o respeito pela diversidade.
1.2. Consideras que o gato deu um exemplo de altruísmo (dar, sem esperar nada receber em troca)?
Justifica a tua resposta.
1.3. Qual a personagem que demonstra ser um exemplo de tolerância, respeitando a diferença?

2. Sabes que o gato Zorbas existiu realmente? Lê o que nos conta o seu dono.
2.1. Infelizmente, quando escreveu este texto, estava muito emocionado e esqueceu-se de todos os sinais de
pontuação. Por isso, para perceberes bem o texto, terás de copiá-lo e pontuá-lo devidamente.

De manhã o carteiro entregou-me um pacote abri-o era o primeiro exemplar de um romance que escrevi
a pensar nos meus três filhos pequenos Sebastián que tem onze anos e os gémeos Max e Léon que têm
oito escrevê-lo foi um acto de amor por eles por uma cidade onde fomos intensamente felizes
Hamburgo e pela personagem central o gato Zorbas um gato grande preto e gordo que foi nosso
companheiro de sonhos histórias e aventuras durante muitos anos justamente quando o carteiro estava
a entregar-me aquele primeiro exemplar do romance e eu a sentir a felicidade de ver as minhas palavras
na ordem meticulosa das suas páginas estava Zorbas a ser examinado por um veterinário queixoso de
uma doença que começou por lhe tirar o apetite e o fez andar triste e murcho e que acabou por lhe
dificultar dramaticamente a respiração fui buscá-lo à tarde e ouvi a terrível sentença lamento mas o gato
tem um cancro pulmonar muito avançado(…) os parágrados finais do romance falam dos olhos de um
gato nobre de um gato bom de um gato de porto porque Zorbas é tudo isso e muito mais com o tempo
passou de nosso gato a ser mais um companheiro um querido companheiro de quatro patas e melódico
ronronar amámos aquele gato e em nome desse amor tive de reunir os meus filhos para lhes falar da
morte
HISTÓRIA DE UMA GAIVOTA E DO GATO QUE A ENSINOU A VOAR

I – Capítulo Quinto – Em busca de conselho

1. Para onde se dirige Zorbas? Qual a sua intenção?

2. Qual a atitude de Zorbas, perante a provocação dos dois gatos de rua ?

3. Quem o recebe quando chega ao restaurante?

4. Descreve fisicamente o Secretário.

5. Faz a caracterização física e psicológica de Colonello.

6. Com quem tenciona Zorbas falar?

7. Onde se encontrava Colonello? E como recebe Zorbas? Justifica.

8. Segundo Secretário e Colonello, o que deverá Zorbas fazer?

I – Capítulo Sexto – Um lugar curioso

1. Onde vivia Sabetudo? Descreve o local.

2. Quem era Harry?

3. O que se tinha de fazer para poder entrar no bazar?

4. Quem eram as mascotes de Harry?

5. Harry não estava, os gatos lamentaram isso, porquê?

6. O que lhes disse Matias à entrada?

7- Quanto pagaram os gatos pela entrada? Porquê?


I - Capítulo Primeiro

1. O que anunciou a gaivota de vigia?


A gaivota de vigia anunciou o aparecimento de um banco de arenques a bombordo (lado
esquerdo).

2. As gaivotas iam com quantas horas de voo?


As gaivotas iam com seis horas de voo sem interrupções.

3. As gaivotas voavam sobre a foz de que rio?


As gaivotas voavam sobre a foz do rio Elba, no Mar do Norte.

4. Recolhe o nome de todos os bandos de gaivotas referidos neste primeiro capítulo.


Bando do Farol da Areia Vermelha, Bando das Ilhas Frísias, Bando da Baía do Sena e de
Saint-Malo, Bando de Belle-Île e de Oléron, Bando dos Cabos de Machicaco, do Ajo e de
Penas.
5. Onde se localizava a grande convenção das gaivotas?
A Grande Convenção das Gaivotas dos Mares Báltico, do Norte e Atlântico localizava-se na
Biscaia.

a. Por que motivos é que as gaivotas se dirigiam para lá?


Para nidificarem.

b. Em que estação do ano se passa este 1º capítulo?


Na Primavera, estação da nidificação.

6. O que é que Kengah gostava especialmente de observar? Porquê? P.12


Gostava especialmente de observar as bandeiras dos barcos, pois sabia que cada uma delas
representava uma forma de falar, de dar nome às mesmas coisas com palavras diferentes.

7. Qual a crítica que ela faz aos homens?


Crítica o facto de possuírem Línguas diferentes. P. 12

8. Por que razão é que Kengah não ouviu o aviso de emergência?


Porque mergulhou a cabeça na água do mar para agarrar um arenque.

9. Onde é que Kengah se viu quando tirou a cabeça da água?


Viu-se sozinha na imensidade do oceano.

I – Capítulo Segundo

1. Após a leitura deste segundo capítulo, caracteriza o gato Zorbas, fazendo o seu Retrato

Físico e Psicológico.

Retrato Físico: «Gato grande, preto e gordo»; «ágil» p.20;


Retrato Psicológico: era observador e atencioso p.16 afetuoso, grato, protetor p.19

«vivaço»; determinado, curioso, aventureiro p.20 corajoso, astucioso p.22

1.1. Das características apresentadas na resposta anterior, refere duas cujo processo de

caracterização seja indireta, justificando a tua resposta.

Determinado e corajoso, vê-se pelo seu comportamento.

2. Em que cidade vive o gato?

Porto de Hamburgo.

3. "É bom rapaz,", pensou o gato de boca cheia. "Bom rapaz? É o melhor que há!", corrigiu ele

enquanto engolia.

3.1.Explica os motivos pelos quais Zorbas considera o seu dono, um bom rapaz.

Porque o rapaz gastava o dinheiro da sua mesada em bolachas para o Zorbas, mantinha o

seu caixote sempre limpo e falava-lhe de coisas importantes.

4. O que faziam juntos na varanda?

Contemplavam a incessante azáfama do porto de Hamburgo.

5. Porque diz a mãe ser uma sorte terem nascido num Porto?

Porque lá as pessoas gostam de gatos e protegem-nos.

6. O que esperam os humanos dos gatos?

Que mantenham os ratos à distância.

7. O que tem Zorbas que o pode tornar infeliz? Porquê?

Tem o pelo preto. Porque há humanos que julgam que os gatos pretos dão azar.

8. Há quanto tempo Zorbas vive naquela casa?

Há cinco anos. P. 22

I – Capítulo Terceiro

1. Porque é que a Gaivota mergulhou a cabeça várias vezes no mar com petróleo?

Para limpar os olhos.

2. Depois de ter sacudido a cabeça energicamente o que compreendeu?

Que a maldição dos mares, o crude, lhe obscurecia a visão.

3. Qual era a lei das Gaivotas?

A Lei proibia presenciar a morte das companheiras.

4. Aponta as consequências possíveis para as aves apanhadas numa maré negra.


Morte, comidas por um peixe, asfixiadas pelo petróleo ou de fome. P.26

5. Kengah faz um julgamento negativo de todos os homens? Justifica a tua resposta.

Sim, pois amaldiçoa-os. De facto os responsáveis pela poluição eram os homens, que

lavavam os petroleiros, derramando crude no mar.

6. Quantas tentativas fez Kengah até conseguir levantar voo?

Quatro, levantou voo à quinta.

7. Como é que Kengah chamava às ondas com petróleo?

A mancha negra, a peste negra. A maldição dos mares.

8. Qual foi a história que Kengah ouviu de uma velha gaivota das ilhas Frísias?

Foi a história de Ícaro, que para realizar o sonho de voar, fabricou umas asas com

penas de águia.

8.1. Que relação existe entre essa história e a situação de Kengah?

Kengah lembra-se que o petróleo das suas asas pode derreter, tal como a cera das asas

de Ícaro derreteram quando ao voar se aproximou do sol.

9. Qual o problema para o qual este capítulo pretende alertar?

Para o problema da poluição dos mares pelos petroleiros.

I – Capítulo Quarto – O Fim de um Voo


A/ Fazer perguntas sobre o conteúdo do texto é uma forma de verificar a sua compreensão. Constrói e
regista as perguntas que poderiam obter as respostas seguintes.

1. Onde se encontrava o gato, quando a gaivota caiu?


O gato estava na varanda.

2. Porque motivo estava a gaivota muito suja?


A gaivota estava muito suja e com o corpo coberto de uma substância malcheirosa porque tinha sido
apanhada pela maldição dos mares.

4. O que sugeriu Zorbas que a gaivota fizesse?


O gato sugeriu-lhe que voasse até ao Jardim Zoológico, porque lá havia veterinários que cuidariam dela.

5.O que fez Zorbas para a libertar do petróleo?


Em sinal de amizade, o gato lambeu-lhe a cabeça.

6. Que promessas fez Zorbas à gaivota?


O gato prometeu que não comeria o ovo, que cuidaria dele até nascer a gaivotinha e que a ensinaria a
voar.

7. Zorbas estava convicto quando fez as promessas, justifica.


O gato não fez tais promessas convictamente porque, como a gaivota estava doente, por um lado, ele
pensou que ela estava a delirar e que não iria morrer. Por outro lado, achou que devia ser generoso,
fazendo-lhe a vontade para não a preocupar ainda mais.
1. Baseando-te no que já conheces da obra e nesta afirmação do autor, responde às seguintes questões:
1.1. Explica de que forma a obra cumpre o objetivo de transmitir o respeito pela diversidade.
Ao vermos um gato a falar com uma gaivota, estamos perante um exemplo de respeito pela diversidade,
pois são ambos animais muito distintos, que na vida real instintivamente, não se dão lá muito bem.
1.2. Consideras que o gato deu um exemplo de altruísmo (dar, sem esperar nada receber em troca)?
Justifica a tua resposta.
Sim, porque o gato pensa em ajudá-la sem receber nada em troca, por pura solidariedade.
1.3. Qual a personagem que demonstra ser um exemplo de tolerância, respeitando a diferença?
O gato, pois respeita e ajuda um ser muito diferente de si, a gaivota.

I – Capítulo Quinto – Em busca de conselho

1. Para onde se dirige Zorbas? Qual a sua intenção?

Para Cuneo, o restaurante italiano do porto. Com a intenção de pedir ajuda para
socorrer a gaivota Kengah.

2. Qual a atitude de Zorbas, perante a provocação dos dois gatos de rua ?


Zorbas defendeu-se com coragem, acabando por vencer.

3. Quem o recebe quando chega ao restaurante?


O Secretário.

4. Descreve fisicamente o Secretário.


Era um gato romano muito magro, apenas com dois pelos de bigode, um de cada lado
do nariz.

5. Faz a caracterização física e psicológica de Colonello.


Colonello era a nível físico um gato muito velho, «de idade indefinível», e a nível
psicológico, «possuía um curioso talento para aconselhar os que se encontravam em
dificuldades», sendo uma autoridade entre os gatos do porto.

6. Com quem tenciona Zorbas falar?


Com Colonello.

7. Onde se encontrava Colonello? E como recebe Zorbas? Justifica.


Encontrava-se na adega e recebeu bem Zorbas, dizendo-lhe «Estou às tuas ordens,
caro amico.»

8. Segundo Secretário e Colonello, o que deverá Zorbas fazer?

Consultar Sabetudo.
I – Capítulo Sexto – Um lugar curioso

1. Onde vivia Sabetudo? Descreve o local.

No Harry – Bazar do Porto. Era um local semelhante a uma «loja de artigos estranhos, um
museu de estravagâncias, um depósito de máquinas sem préstimo, a biblioteca mais caótica do
mundo ou o laboratório de algum sábio inventor de objetos impossíveis de enumerar», mas era
muito mais do que isso; distribuía-se por três casas interligadas, com um milhão de objetos dos
mais variados tipos.

2. Quem era Harry?

Harry era um velho marinheiro, que ao longo da vida colecionara toda a espécie de objetos
dos diferentes e inúmeros portos por onde passara.

3. O que se tinha de fazer para poder entrar no bazar?

Pagar uma entrada de dois marcos.

4. Quem eram as mascotes de Harry?

Matias, um chimpanzé e Sabetudo, um gato.

5. Harry não estava, os gatos lamentaram isso, porquê?

Porque Harry tinha sempre palavras carinhosas e uma salsicha para lhes dar.

6. O que lhes disse Matias à entrada?

Que tinham de pagar bilhete.

7. Quanto pagaram os gatos pela entrada?

Nada, porque Zorbas intimidou Matias.

Interesses relacionados