Você está na página 1de 26

VIVER DE

CLÍNICA
mito ou verdade?
17 mitos e verdades que você precisa
saber para ter uma carreira de sucesso!
VIVER DE CLÍNICA

Introdução
Tinha uma menina, que fez faculdade comigo, e era uma das
melhores alunas da turma. Ela queria seguir a psicologia
clínica e a gente tinha certeza que ela teria uma carreira
brilhante, já que era uma aluna super dedicada, fazia estágio e
os professores a adoravam. Terminamos a faculdade e
perdemos o contato.

Até que, em um dia típico de muito calor no Rio de Janeiro,


nos esbarramos no calçadão de Copacabana e perguntamos
como estavam as coisas. Falei que estava trabalhando no
consultório e ela perguntou se eu trabalhava apenas com isso.
Disse que sim. Ela, então, questionou como eu fazia para viver
apenas de clínica e me contou que tinha desistido da profissão
porque era muito difícil conseguir clientes, bancar o
consultório e ainda se sustentar.
Ela começou a trabalhar como caixa de banco e tentou
levar a psicologia clínica paralelamente até que abandonou de
vez a profissão e ficou apenas no banco.

Existem pessoas que mudam de carreira e são muito


felizes com isso! O problema é que ela não era feliz.

Ela se sentia um total fracasso por ter estudado durante 5


anos e não ter dado certo com a psicologia e completamente
frustrada por trabalhar em algo que não gostava. Ela se sentia
decepcionada por abrir mão do seu sonho e, o que mais doía, é
que se sentia decepcionando a sua família, já que eles a
apoiaram, investiram e acreditaram tanto nela.
VIVER DE CLÍNICA

Infelizmente, essa se torna a realidade de muita gente que


escolhe trabalhar com clínica, pois finaliza a faculdade
completamente perdido e não sabe nem por onde começar, já
que não aprenderam nada sobre o mercado de trabalho na
graduação.

Assim, fazem muita coisa errada, perdem dinheiro e não


tem resultado. Só vêem o dinheiro saindo, o tempo passando e
nada de clientes suficientes chegando… E como precisam
pagar as contas, vão trabalhar em outra ocupação e abandonam
a psicologia clínica.

Uma questão fundamental para não dar certo como


terapeuta é o mindset (“jeito de pensar”), ou seja, as crenças, a
forma pela qual as pessoas organizam e dão sentido às suas
experiências, criando assim um modo mental de enxergar o
mundo.

Muita gente (inclusive psicólogos e estudantes) não


acredita que é possível viver de clínica, que é muito difícil
atrair clientes e que o consultório não dá o retorno financeiro
desejado. Se você se identificou com este mindset, a chance de
não conseguir é grande ter sucesso como terapeuta!

Quando não acreditamos que um plano não é possível, a


gente não vai buscar soluções e alternativas para concretizar
aquela meta ou sonho. Você pode até tentar, mas vai descartá-lo
com facilidade por não acreditar de verdade naquilo.
VIVER DE CLÍNICA

Na psicologia clínica, existem muitas crenças que podem


destruir a possibilidade de uma carreira brilhante!

No entanto, se você pensar do jeito certo, chance de não


conseguir sucesso como terapeuta é grande!

Pensando nisso, trago-lhe as 17 principais afirmações


sobre psicologia clínica e explico quais são mitos ou verdades.

Confesso que algumas delas eu também tinha. Talvez, lá


atrás, eu pensasse exatamente como você pensa agora. E mudar
o meu pensamento foi fundamental para chegar onde cheguei.

Nada disso é baseado em achismos ou em teorias não


praticadas.

Tudo é baseado na prática, no cotidiano, na minha bagagem


profissional de 15 anos vivida dia a dia na clínica e nas diversas
experiências de amigos psicólogos, que hoje são muito bem-
sucedidos.

Assim como aconteceu comigo, espero que, ao final dessa


leitura, você também mude as crenças que te limitam e
transforme o seu mindset!

Certamente essas mudanças serão o divisor de águas entre ter


ou não uma carreira de sucesso como terapeuta.
VIVER DE CLÍNICA

1 Não dá pra
TO
viver 100% MI
da clínica

DÁ SIM! Eu tinha esse pensamento quando comecei a


faculdade, até que conheci diversos terapeutas que vivem
exclusivamente da clínica e vi que isso era plenamente
possível.
Toda área tem os profissionais que “deram certo” e os que
“fracassaram”.
Muitas características, tais como desenvolvimento pessoal
e marketing, vão definir em qual grupo você vai estar.
Mas atenção: sorte não é um fator de sucesso!
Então não espere a “sorte chegar” e as coisas acontecerem.
VIVER DE CLÍNICA

2 Não vou
I TO
conseguir M
clientes

Este é um fator que depende exclusivamente de você!


Se ficar sentado(a) na cadeira do consultório, esperando as
pessoas baterem na sua porta, dificilmente vai conseguir
clientes.
Mas, se divulgar o seu trabalho através de amigos,
familiares (você não pode atendê-los, mas eles podem te
indicar clientes), e investir em marketing, há uma grande
chance de atrair clientes e ter uma carreira sólida.
Além disso, também oriento você a fazer parcerias, dar
palestras e, principalmente, usar as redes sociais a seu favor!
Quanto mais você divulgar o seu trabalho, mais pessoas irá
atingir e, assim, possíveis clientes chegarão até você.
VIVER DE CLÍNICA

3 Devo investir E
em marketing A D
ER D
e divulgar o V
meu trabalho

Já ouvi terapeutas falarem que não se deve divulgar o trabalho do psicólogo


pois isso iria influenciar o cliente a nos procurar (falando como se fosse algo
negativo). Isso é completamente errado e eu te dou duas explicações:
1) Ao divulgar o seu trabalho, você não está obrigando alguém a te procurar.
Se a pessoa procurou, foi por vontade própria e não há nada de errado nisso.
2) Muita gente não sabe qual é o trabalho do psicólogo e os benefícios que
pode ter com ele. Por falta de conhecimento, deixam de procurar. Uma pessoa
pode estar com um problema e descobrir, através da sua divulgação, que você
pode ajudá-la. Ou seja, ela vai conseguir o problema dela. E isso não é ruim,
concorda?
Para que as pessoas procurem pelo seu serviço, elas primeiro precisam saber
que você existe e depois em qual área atua. Por isso a divulgação é essencial!
Caso contrário, você será um excelente terapeuta… Sem clientes!
Além disso, na minha opinião, é nosso dever educar as pessoas sobre o que é
terapia, pois, como falei, muita gente ainda desconhece e possui preconceitos
infundados.
Estaremos sendo negligentes se nos omitirmos e não divulgarmos os
benefícios que nosso trabalho pode trazer para a vida das pessoas.
VIVER DE CLÍNICA

4 Tenho que cobrar


pouco pela sessão,
I TO
já que estou M
começando agora

Não é porque está começando, que precisa desmerecer


o seu trabalho e cobrar um valor injusto. Aliás, se o
terapeuta cobrar um preço insatisfatório (seja para mais ou
para menos), ele pode sabotar o processo do cliente.
Por isso, cobre um valor justo, que você acredita merecer.
Você estudou, no mínimo, 5 anos para estar ali. Leve isso
em consideração.
Foram 5 anos construindo a habilidade que você tem
hoje para ajudar a transformar a vida de uma pessoa com o seu
conhecimento.
VIVER DE CLÍNICA

5
Para atender, O
preciso montar um
M I T
consultório

Existem outras opções muito mais baratas do que


construir uma sala exclusivamente para você! Sublocar
horários em alguns consultórios é uma ótima alternativa.
As pessoas estão mais interessadas em como você pode
ajudá-las do que em como é o seu espaço.
Ele não precisa ser o mais caro e lindo do mundo. Se
elas se sentirem acolhidas por você e pelo local, já está
valendo!
VIVER DE CLÍNICA

6 Vou ganhar mais


com RH do que I TO
M
com clínica

Vamos por partes e do começo! No início da carreira, sim, isso é


verdade. Provavelmente você ganhará mais com RH, pois terá um salário fixo,
o que não acontece com o consultório.
Entretanto, depois de um tempo, a tendência é que você tenha mais clientes
e ganhe mais do que com RH, pois a sua possibilidade de crescimento é maior.
Por exemplo, vamos supor que seu colega seja contratado por uma empresa
e receba R$3000,00 por mês. Você é terapeuta, tem apenas 2 clientes e cobra
R$100 por sessão semanalmente. Ou seja, com 2 clientes, você ganha R$800
por mês.
Mas aí, você começa a divulgar o seu trabalho e daqui a pouco está com
mais 6 clientes. Sendo 8, no total e cobrando o mesmo valor pela sessão. Pronto!
Você já está recebendo R$3200,00 por mês. Ou seja, mais do que o seu colega
que trabalha em RH.
Levando em consideração o tempo de estrada e o trabalho continuo de
divulgação, a tendência é continuar aumentando a quantidade de clientes e,
consequentemente, do valor recebido. Já em uma empresa, para o funcionário
receber um aumento significativo de salário, ele precisa ser promovido, o que
dificilmente acontece a curto prazo.
VIVER DE CLÍNICA

8 E
Preciso fazer terapia
A D
para ser um bom ER D
psicoterapeuta V

SIM, SIM E SIM!!!!! Nós cuidamos de pessoas que tem as suas


questões, só que nós também somos pessoas que temos as nossas questões.
Como você quer cuidar do outro, sem antes cuidar de você? Frequentemente
nos deparamos com clientes com questões parecidas com as nossas e, se você já
não tiver elaborado isso na terapia, dificilmente vai conseguir ajudar o seu
paciente.
Além disso, quanto mais desenvolvemos o nosso autoconhecimento, melhor
terapeuta nos tornamos. Quanto mais longe formos no nosso processo de
terapia, mais longe conseguiremos levar o nosso cliente.
É por isso que eu sempre digo para os alunos e psicólogos: quer ajudar a
transformar a vida das pessoas? Transforme a sua primeiro!
VIVER DE CLÍNICA

9
Utilizar as redes sociais
I TO
para divulgar
o meu trabalho
M
é antiético

Nãaaaao!!! Pelo contrário, divulgar nas redes sociais é excelente, pois mais
pessoas terão acesso ao seu conteúdo e ao seu trabalho.
Não há como negar que redes sociais fazem parte da nossa vida e algumas
pessoas chegam a passar mais tempo navegando nelas do que vendo TV.
Outra característica importante é que você pode fazer posts de conteúdo,
onde vai ensinar algo, por exemplo "3 dicas do que fazer para controlar a
ansiedade”, “como lidar com o seu filho adolescente” ou “quais os principais
sintomas da depressão”. Isso é o chamado marketing de conteúdo: a forma mais
eficaz de marketing para nós, psicólogos.

As pessoas não vão na sua página por você, elas vão por elas. O público
curte o seu post pela informação que você dá e porque ele se identifica com
aquela mensagem. Então, procure ensinar algo nas redes sociais, e assim as
pessoas se beneficiarão da informação, curtirão e compartilharão aquele texto
ou ensinamento.
Se ela pensar em fazer terapia, certamente pensará em você, pois já te
conhece e conhece o seu trabalho através do conteúdo que posta.
VIVER DE CLÍNICA

10 E
Vou ter que A D
começar ER D
V
do zero

Sim! Todo psicólogo começa do zero. Os profissionais


que hoje vivem exclusivamente da clínica, trilharam um
caminho para chegar até aqui e começaram do mesmo jeito
que você: um diploma na mão e nenhum cliente no
consultório.
E até mesmo sem consultório! Todo mundo, um dia, teve o
seu primeiro cliente. Essa insegurança que você deve estar
sentindo e as dúvidas que podem estar na sua cabeça, como:
“será que vai dar certo?”, “será que vou conseguir?”, “será
que vou ter clientes?”, é normal de todo recém-formado.
Não se preocupe. Se ocupe em fazer dar certo!
VIVER DE CLÍNICA

11 Na crise, as pessoas
I TO
deixam de fazer M
terapia

Era uma vez um homem que vivia na beira de uma estrada vendendo
cachorro-quente. Ele não tinha rádio, TV e nem lia jornal. Preocupava-se
apenas em produzir e vender bons cachorros-quentes. Prezava muito pela
qualidade do pão, da salsicha e do atendimento ao seu cliente.
Ele também sabia divulgar seu produto: colocava cartazes pela estrada,
oferecia em voz alta e o povo comprava. Quando alguém passava em frente a
sua barraca ele gritava: – "Olha o cachorro-quente especial!”
Usando o melhor pão e a melhor salsicha, o negócio prosperava. Ele formou
uma clientela fiel que voltava sempre e trazia cada vez mais gente para sua
barraca, até que construiu uma grande loja e mandou seu filho estudar na melhor
faculdade do país.
Um dia, seu filho já formado voltou para casa. E falou ao pai:
– Pai, você não ouve rádio, não vê TV, não lê os jornais? A situação é crítica,
o país vai quebrar.
Depois de ouvir isso, o homem pensou: “Meu filho estudou fora, lê jornais e
vê TV. Deve estar com a razão.”
VIVER DE CLÍNICA

Com medo, e a fim de economizar preocupado com a tal crise, procurou um


fornecedor mais barato para o pão e as salsichas de menor qualidade. Também
parou de fazer seus cartazes de propaganda que espalhava pela estrada, para
economizar ainda mais. Abatido pela notícia da crise, já não oferecia seu
produto em alta voz. Ou seja, parou de fazer sua propaganda.

As vendas, é claro, despencaram até o negócio quebrar. Então o pai, muito


triste, falou para o filho:
– Você estava certo filho, estamos no pior momento de todos os tempos.
O que eu quero te dizer com essa história é: Sim, a crise afeta muitas pessoas,
mas não todo mundo. Algumas não estão na crise. E, embora, realmente umas
finalizem o processo, outras iniciam. Se elas virem valor na terapia e no cuidado
com a saúde, elas podem abrir mão de outras coisas e priorizar a terapia.
Assim como mostra a parábola, a sua visão faz toda a diferença. Se você tiver
medo, desanimar e parar de divulgar porque “as pessoas não fazem terapia na
crise”, você realmente vai viver a crise e se afundar no poço.
Você lembra daquele papo de mindset, que eu comentei lá no início? Pois
bem, ele mais uma vez vai te ajudar! Isso porque a crise só vai te consumir se
você estiver pensando do jeito errado. Toda crise é uma ótima oportunidade de
crescimento! É nesta época que as pessoas estão com a cabeça a mil e precisam
de ajuda.
Você já percebeu que enquanto algumas pessoas quebram, outras crescem e
criam impérios justamente na crise? Se o cenário econômico do país é o mesmo
para ambos, a chave não está no cenário e sim em como você lida com ele.
Olha que mindset interessante: “Sim, eu ouvi falar da crise, mas decidi que
minha empresa não vai participar dela.” Pense nisso.
VIVER DE CLÍNICA

12 E
Preciso fazer supervisão
A D
e uma boa formação
ER D
para ser um bom V
psicoterapeuta

É essencial investir em você e no seu desenvolvimento.


Na faculdade, não aprofundamos em nenhuma teoria,
como fazemos na formação.
E não temos bagagem prática o suficiente para atender sem
orientação de um profissional mais experiente.
Você vai aprender e evoluir muito profissionalmente com
uma formação e supervisão.
VIVER DE CLÍNICA

13 Clínica não
I TO
dá dinheiro,
só RH dá dinheiro
M

A única coisa que dá dinheiro é mãe né rsrs Quando


comecei a faculdade, dizia que ia trabalhar com
organizacional porque achava que só RH dava dinheiro e eu
não queria “morrer de fome”.
Depois, percebi que era possível ser um profissional bem
sucedido e bem remunerado em qualquer área da psicologia.
Cada uma tem a sua especificidade, mas, sim, é possível ter
estabilidade e uma vida confortável atuando no consultório.
Quando entendi isso, desisti do RH, pois não era o que eu
queria de verdade e me dediquei exclusivamente a psicologia
clínica.
VIVER DE CLÍNICA

Outra coisa que eu aprendi a considerar e que reforçou o


entendimento de que era possível ser bem-remunerada
através do consultório foi o valor/hora do trabalho.
Vou usar o mesmo exemplo anterior: seu colega foi
contratado por uma empresa e recebe R$3000,00 por mês. Ele
trabalha em torno de 40 horas por semanas (às vezes até mais
porque existem empresas que tiram o couro da pessoa), ou
seja, seu valor/hora é de R$18,75.
Você, como terapeuta, cobra R$100 a sessão, tem 8
clientes (8 horas por semana) e recebe R$3200,00 por mês.
Ou seja, seu valor/hora é de R$100.
Novamente, claro que para essa conta ficar precisa, temos
que considerar os benefícios da empresa, os impostos e os
custos do terapeuta, mas você já entendeu o conceito, certo? :)
VIVER DE CLÍNICA

14 E
A clínica não A D
dá muito retorno ER D
V
a curto prazo

Provavelmente você não estará com a agenda lotada no


seu primeiro ano de atendimento, porém realizando um
trabalho contínuo de divulgação e se desenvolvendo como
profissional, a tendência é crescer gradativamente e ter cada
vez mais retorno até chegar na fase da agenda lotada.
VIVER DE CLÍNICA

15 Preciso ter muito


dinheiro para iniciar I TO
como terapeuta M

Você pode iniciar sua carreira no consultório tendo um custo baixo e


aumentar o seu investimento conforme o seu retorno.
Logo que me formei, comecei a investir em marketing, mas, claro,
não tinha muito dinheiro.
Acredite, meu orçamento para divulgação era de apenas R$30 por
mês e mesmo sendo tão pouco, eu tinha resultado.
Depois, fui tendo mais lucro e progressivamente fui aumentando o
investimento (em marketing, no meu desenvolvimento profissional e
no consultório).
Não se preocupe em ter dinheiro para investir em tudo de uma vez.
Uma dica que eu dou, com a minha experiência, é fazer os
investimentos certos, que mais vão te gerar resultados a curto prazo e
depois coloque dinheiro no que vai te trazer retorno a longo prazo.
VIVER DE CLÍNICA

16 Vai ser muito difícil


me destacar com I TO
tantos psicólogos M
bons por aí

Existem muito mais pessoas precisando de terapia do que


terapeutas. Tem espaço para todo mundo.
O que não pode fazer é comparar o seu bastidor com o
palco do outro. É injusto. Você não sabe o que o outro
terapeuta fez para chegar até ali, só está vendo o trabalho
“pronto” e não os percalços.
Talvez ele tenha tido mais adversidades do que imagina, só
que você não sabe, e por isso tem a sensação de que só você
não consegue.
Além disso, nenhum terapeuta é especialista em todas as
áreas. Eu, por exemplo, não atendo crianças, mas conheço
pessoas incríveis que atendem, então, encaminho as crianças
que chegam para mim para esses terapeutas que são
especialistas. E vice-versa.
VIVER DE CLÍNICA

Você já se deu conta de quantas áreas/temas/demandas


existem e que podem ser trabalhadas?
Criança, adolescente, adulto, idoso, casal, família,
transtornos, dependência química, alimentação, luto,
depressão, ansiedade, aprendizagem, carreira, escolha
profissional, divórcio… Uma infinidade!
Você pode escolher uma para se aprofundar e especializar.
Certamente a chance de se destacar será maior, pois será visto
como uma autoridade no assunto.
VIVER DE CLÍNICA

17 Preciso de
muitas especializações I TO
antes de começar M
a atender

Claro que se especializar é importante, mas você não


precisa disso para começar a atender.
As especializações podem ser feitas paralelamente ao
consultório. É comum não se sentir pronto e ter a sensação de
que falta algo.
Porém, não espere se sentir 100% seguro(a) e pronto(a)
para começar a atender. Não são as teorias que vão te trazer
essa segurança, é a prática.
VIVER DE CLÍNICA

Conclusão
Através desses mitos quebrados e verdades reafirmadas,
eliminamos as crenças limitantes que te impedem de ter um carreira
de sucesso. Com um mindset vencedor, você certamente chegará
onde quiser!
Para ser um bom terapeuta, na minha opinião, o segundo passo
mais importante é fazer terapia (já que o primeiro passo é entrar para
a faculdade de Psicologia). Até porque, em casa de ferreiro o espeto
tem que ser de aço! Por isso, visando o desenvolvimento pessoal,
profissional e a aprendizagem, no meu consultório temos um
atendimento especializado para psicólogos e alunos de Psicologia.
Para saber mais sobre a terapia para psicólogos e estudantes e ser
um excelente terapeuta, acesse: site
Além disso, como todos que desejam iniciar a sua trajetória no
consultório, é bem provável que você esteja perdido e não tenha
ideia de como fazer para começar a sua carreira e atrair clientes de
forma realmente eficaz.
Foi exatamente o que aconteceu com aquela colega de
faculdade, que te contei, e desistiu da profissão.
Mas isso não precisa acontecer com você!
Você vai saber EXATAMENTE o que fazer para iniciar na
clínica.
No curso: “Sou psicólogo e agora? - O passo para iniciar a sua
carreira. Como psicólogo clínico”, eu vou te contar tudo o que fiz
para chegar onde cheguei, sem que você precise cometer os mesmos
erros que eu.
Vou te dar um passo a passo de como começar a sua carreira
como psicólogo clínico e te ensinar o caminho das pedras para
conseguir os seus primeiros clientes.
VIVER DE CLÍNICA

Comentários sobre o curso


“Excelente didática. Conseguiu sanar todas as minhas
dúvidas. É um curso maravilhoso. A qualidade da
experiência, sem dúvidas, fez eu me sentir um profissional
diferente. Fundamental um curso desse tipo na formação de
um psicólogo” Luis Felipe
“Excelente! Extremamente esclarecedor. O curso abre sua
visão de mercado, de formas de começar. É um investimento
muito válido e com certeza trará retorno.” Kelly
“É um guia muito bom para organização e planejamento
para quem está começando na carreira. Não aprendemos na
faculdade sobre esses aspectos mais práticos da carreira, essa
noção dos bastidores e do que é necessário fazer antes de
começar a atender, o que nos forma profissionais cheios de
paranóias sobre a vida financeira. É um verdadeiro norte para
te guiar na carreira.” Leandro
Para saber mais sobre o curso e ter uma carreira de
sucesso, acesse: site
Espero que esse ebook tenha te ajudado e clareado um
pouco os seus pensamentos e dúvidas! Fique à vontade para
compartilhar com os seus amigos e ajudá-los também!
Para saber mais sobre o curso e ter uma carreira de
sucesso, acesse meu site: http://renatadeazevedo.com.br
VIVER DE
CLÍNICA
Sobre Renata de Azevedo

Sit amet, nam te ludus populo


consectetuer. In vis ali
Especialista em Terapia de Família e Casal (IPUB/UFRJ)
Psicóloga (UFRJ)
Coach de Relacionamento - Formação
em Coaching Psychology

Psicoterapeuta individual e de casal, utilizando a


abordagem Análise Transacional
Coautora do livro “A Arte da Guerra – Desperte o Sun
Tzu que está dentro de você”, da Ed Ser Mais

Já participou de programas de TV e rádio e deu


entrevista para revista
Ministra cursos, palestras e workshops para psicólogos, estudantes
e para o público em geralCom frequência dá palestras em
Universidades, como UFRJ, UVA, Celso Lisboa e Estácio.
Possui um site com milhares de visitas mensais e forte presença
nas redes sociais, com mais de 60 mil seguidores no instagram.

Dá cursos e consultoria para psicólogos e estudantes que querem


iniciar a sua carreira na clínica.

Acesse o Site Redes Sociais


www.renatadeazevedo.com.br @renatadeazevedo.psi
/renatadeazevedo.psi
youtube.com/renatadeazevedopsi