Você está na página 1de 16

Domingo, 7 de Abril de 2019

DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO

DON KIKAS E WALTER ANANAZ


Lembrança de antigas
inquietações
As canções “Esperança moribunda” e “Quem tem dinheiro”, de Don Kikas e Walter Ananaz respectivamente,
sucessos da década de 1990, foram entoadas em uníssono pela plateia da última edição dos Duetos N’Avenida,
numa sintomática evidência da força da música enquanto sinal dos tempos.

Curiosidades + Comer fora + Comer em casa + Reportagem + Cultura + Roteiro de casa + Roteiro de rua
2 CURIOSIDADES Domingo
7 de Abril de 2019

Horóscopo
País
Carneiro de 21/03 a 20/04
DR
Saiba
Período desafiador, mas cheio de resultados e oportunidades.
Tente não desistir daquilo que quer. Tente ouvir mais os
seus sonhos e o seu coração e também a sua intuição.
Pode ser um óptimo momento para resgatar velhos sonhos
IECA
e projectos. Siga em frente com toda coragem e ousadia
que você sempre teve. Igreja Evangélica Congrega-
Touro de 21/04 a 20/05 cional em Angola (IECA) foi re-
É um momento de preparação interna. É hora de se fortalecer co n h e c i d a p e l o G o v e r n o
e buscar respostas dentro de você. Conversar com amigos Angolano aos 24 de Janeiro de
ou compartilhar responsabilidades com alguém são boas 1987, sob o Decreto Executivo
estratégias para lidar com os desafios que a semana oferece. nº 9/87 e sob o Registo nº 1 de
A semana também é óptima para resolver pendentes an- 24 de Outubro de 2005 do Mi-
tigos. nistério da Justiça. Entretanto
Gémeos de 21/05 a 20/06 foi fundada, aos 11 de Novem-
Um bom momento para fazer um balanço de todos os seus bro de 1880, data que marca
projectos. Olhe atentamente para tudo que está acontecendo a chegada dos seus primeiros
na sua vida e coloque mais energia naquilo que já está a missionários americanos, na
dar certo, ou que pelo menos tem tudo para acontecer. É antiga Ponte Cais de Benguela.
um bom momento para cortar o que não faz mais sentido A delegação foi constituída pe-
e não te faz bem nesse momento. los Reverendos Bagster que ti-
Caranguejo nha na altura 32 anos de idade
de 21/06 a 21/07 e era o chefe da delegação, Wil-
Dias super importantes no seu trabalho. E decisivos sobre liam Henry Sanders que tinha
os seus próximos passos e rumos. Não deixe de sonhar, mas na altura 25 anos de idade e
tente ser mais prático para escolher os melhores caminhos. pelo professor Samuel Taylor
Sobre os desafios que vai encontrar nos próximos dias, é o Miller, que era um Universitário
céu querendo ter a certeza se você está mesmo a seguir no ligado às questões sobre trans-
caminho certo. formação social (descendente
Leão
de 22/07 a 22/08
Você tem certeza sobre os seus sonhos e planos. Tem
Embala Belmonte de escravos Africanos, prova-
velmente originários desta An-
gola, nomeadamente Vie). Os
certeza está a ser justo com as pessoas que gostam de si? A Embala Belmonte está localizada na cidade do Cuito, província do Bié. Reza a história missionários entraram em Ben-
Está a dar espaço para que gente boa possa fazer parte que a mesma foi construída há 178 anos, tendo dado origem à antiga cidade de Silva guela e desta Província foram
da sua vida? Não desanime diante de alguns nãos que a Porto, na sequência de um acordo de fidelidade entre os nativos do Reino do Viyé e o se estendendo para o interior
vida pode te dar agora. aproveite para abrir novas frentes sertanejo Silva Porto. Durante este período albergou vários sobas e regedores e é um do País. Portanto 300 anos mais
e possibilidades. dos símbolos do poder tradicional. O complexo possui uma área aproximada de 2000 tarde depois da chegada do
Virgem metros quadrados. português Diogo Cão em Angola
de 23/08 a 22/09
DR
Valorize mais as suas boas relações. A semana é de en-
contros e conversas importantes e decisivas. É um óptimo
momento para resolver coisas práticas, burocracias e Fazem anos esta semana
assuntos financeiros. Um óptimo momento para resolver
pendentes e fazer mudanças. Começar agora, só se você
tiver muita certeza.
Balança
de 23/09 a 22/10
JORGE EURICO
Semana desafiadora, especialmente nas suas relações. Tente Jornalista com uma caminhada profissional invejável, Jorge
perceber o quanto as relações têm tido uma troca justa e equi- Eurico nasceu no dia 8 de Abril. Da sua trajectória profissional
librada, o quanto você e a outra pessoa estão mesmo com- destacam-se passagens pela TV Zimbo, Jornal de Angola e
prometidos e o quanto cada pessoa faz ou não faz bem para Rádio Nacional de Angola. Jorge Eurico integra o grupo de
si. São dias produtivos e mais tranquilos no trabalho. "ouro" do primeiro curso de jornalismo realizado nas
Escorpião instalações do Instituto Médio de Economia de Luanda (IMEL).
de 23/10 a 21/11
Por mais responsabilidades e coisas para fazer, tente
divertir-se. Um novo amor pode surgir, ou mesmo um
clima entre você e alguém de quem você é muito amigo
pode trazer alguma coisa interessante para a sua vida.
São dias produtivos, mas cheios de desafios no trabalho CÉSAR SILVEIRA
e na sua rotina. Organize-se melhor.
Sagitário Redactor e editor do semanário Valor Económico, César isto é, em 1482. O trabalho mis-
de 22/11 a 21/12 Silveira nasceu no dia 8 de Abril. Jovem dinâmico e sionário desenvolvido por estes
Talvez não seja assim tão fácil divertir-se. Então, foco nas ambicioso do ponto de vista profissional, César Silveira homens de fé e mais tarde por
responsabilidades e em tudo que é mais urgente. É aquela destaca-se pelas suas excelentes abordagens jornalísticas outros que se seguiram (entre
velha história de primeiro o dever e depois o prazer. São na vertente económica. Fez parte do surgimento dos mais nacionais e estrangeiros) ex-
dias agradáveis no ambiente familiar e óptimos para você diferentes títulos jornalísticos da imprensa privada em pandiu-se por quase toda An-
cuidar e organizar as coisas da casa. Angola. gola. Muitas missões e centros
Capricórnio evangélicos foram fundados
O Museu do Louvre, em Paris,
de 22/12 a 20/01 para
tem umaajudar
dasos homensde
colecções e mu-
arte
Algum assunto de família pode dar mais trabalho. E é um lheres, crianças
mais ricas e velhos aEncon-
do mundo. serem
momento para perceber mais claramente os limites que perfeitos
tram-se nelae perfeitamente
representadosha- to-
existem em você e nas pessoas mais próximas. Não deixe bilitados para toda
dos os períodos a boa
da arte obra.
europeia
para amanhã o que pode fazer hoje e não acumule pendentes. NELO BODE As
atémissões e os centros
ao Impressionismo. evan-
O museu
A semana é óptima para viajar e também para conversas, gélicos
é um vastotinham para além
complexo de 200 de
cursos e estudos. Quadro sénior da Televisão Pública de Angola (TPA), templos, escolas,
000 quadrados, hospitais,
que compreen-
Aquário Nelo Bode nasceu no dia 9 de Abril. O profissional é um internatos, residências de apoio
de sete departamentos, dedi-
21/01 a 19/02 dos mais exímios operadores de imagens da TPA. A de- ao trabalho
cados eclesiástico,
a antiguidades terras
egípcias,
Cuidado com as conversas. Escolha bem as palavras e na dicação e profissionalismo fazem de Nelo Bode um dos aráveis
orientais,para a prática
gregas da agri-
e romanas,
dúvida prefira o silêncio. Escute primeiro, fale depois. São trabalhadores mais requisitados para as grandes cultura e pecuária.
escultura, pintura eA desenho.
Igreja ini-
bons dias para investir energia em cuidar de você e organizar coberturas jornalísticas da Televisão Pública de Angola. ciou como
Alberga uma ummagnífica
movimento co-
melhor a sua vida e rotina. Tente pegar mais leve com religioso
lecção dede educação
pintores para a
europeus
você e com os outros. Pode rolar um novo amor. Vida transformação
como Leonardosocial, da Vinci,com Ra-o
social mais intensa. objectivo
fael, Rubens,de Rembrandt,
trazer os autóc- Ver-
Peixes de 20/02 a 20/03 tones
meer eà dignidade
Goya, entre desejável
muitos
São dias mais felizes e é importante você ter a certeza se de filhoContém
outros. de Deus.obras-primas
Para imple-
está a aproveitar bem a vida. Aproveite esses dias para RAÚL LIMA mentar este objectivo
da Renascença escolheu
italiana e do
aumentar a sua vaidade e cuidar melhor de si, seja da as áreas ebarroco.
período comunidades rurais,
Encontram-
sua energia como do seu corpo, mente, emoções e visual. Deputado pela bancada parlamentar do MPLA, Raúl tendo como destino
se expostos objectos o reinado
de arte
Muito cuidado com os gastos e assuntos financeiros. Augusto Lima nasceu na cidade do Huambo no dia 9 de Vie (Bié).
medieval, Porém, a história
renascentista e mo-
de Abril. Pós-graduado em Gestão de Investimento e assegura
derna, bem quecomopassando pelo
os tesouros
Comércio Internacional, foi um dos rostos do asso- território do Rei Ekuikui
dos reis franceses. II, Rei-
No depar-
ciativismo juvenil em Portugal, onde esteve a frequentar no do Bailundo,
tamento foram detec-
de antiguidades
Editor-Chefe: António Cruz
Editor: Isaquiel Cori
o ensino superior. Actualmente é o segundo secretário tados
orientaiscomo estrangeiros
encontra-se uma im- e
Subeditores: Edna Cauxeiro e Ferraz Neto de mesa da Assembleia Nacional. solicitados a apresentarem-se
portante colecção de arte da
Edição de Arte: Salvador Escórcio, Raúl perante o Rei.
Mesopotâmia.
Geremias, Henrique Faztudo e A.Quipuna
Textos: Analtino Santos, Mário Cohen,
No séculoFonte:XIIIgreja
foi neste local
Evangélica
Fim-de-Semana Guimarães Silva. Congregacional em Angola
Fotos: JAimagens e Globo
3 CAPA Domingo
7 de Abril de 2019

DON KIKAS E WALTER ANANAZ NO DUETOS N’AVENIDA


Quando a música desperta
antigas inquietações
A forma acalorada e sentida como as canções “Esperança moribunda” e “Quem tem dinheiro”, respectivamente
de Don Kikas e Walter Ananaz, foram recebidas pela plateia da última edição dos Duetos N’Avenida, na Casa 70,
diz muito do actual estado de alma de uma franja significativa de angolanos
DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO

Analtino Santos

Em ambas as composições
é notória a preocupação dos
“artivistas” (neologismo que
junta as palavras artistas e
activistas) com as makas que
estamos com elas. Volvidas
cerca de duas décadas, “Es-
p e ra n ç a m o r i b u n d a ” e
“Quem tem dinheiro” con-
tinuam actuais e reflectem o
país real, onde se, por um la-
do, temos uma “terra linda,
rica, bonita até demais”, por
outro temos a “ambição e
muito mais” que esteve na
origem de muitos dos males
do país. É o lado mágico da
arte musical, com palavras
e sons a despertar memórias
de outros tempos e a embalar
os ouvintes para um tempo
de inquietação situado entre
o presente e o futuro.
A música ao vivo arran-
cou ao som de “Timidez”,
com interpretação inicial
de Don Kikas, que nessa
noite despiu-se da sua “vi-
be” sensual e consagrou-se
como artista com pinta de
showman. Seguiram-se “Pu-
ra sedução” e a conhecida
“Indelével”, interpretadas
em puro dueto, intercaladas boite”, tema que nos anos De Walter Ananaz os hits mas “João dya Nzambi” e nas vésperas do 4 de Abril. nina, Yola Semedo e Pérola.
pela novidade “Basta”, tema 1980 fez furor ao retratar a "Nhá maneira" e "Mor" fo- "Sexta-feira". Faltou tam- A produtora Zona Jovem Estão ainda programados
promocional do próximo ál- vida da mulher que aban- ram os grandes ausentes, bém o discernimento para regressa com os Duetos N’A- Calado Show e Gilmário
bum de Don Kikas,e “Mira- donava o lar e deixava o filho ao passo de Don Kikas pri- colocar no alinhamento do venida este mês Abril, tra- (Maio), Ary e Kyaku Kya-
gem”,daqueles bons temas no afã da diversão nas casas maram pela ausência os te- show o “Kilapanga da Paz”, zendo uma proposta femi- daff (Junho).
perdidos de Walter Ananaz, nocturnas. O ex-integrante
assim como “Je suis lá”. dos Gambuzinos, que seno-
DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO
Surgiu então uma sequência tabilizou com “Kalumba”
de sucessos que fizeram reviver na década de 70, ainda fez
um passado bem mwangolê, vibrar a plateia ao interpretar
como a expulsão de um pe- o tema “Kizaca”.
netra no boda em “Pato fora”, A noite estava a ficar no
a vida quando estamos piores ponto. A plateia cantou em
que um cão em “Solidão”, o coro “Como foi bom”, en-
boss que só dá kumbú e não quanto o showman, com al-
amor real em “Check check”, guns toques, mostrava o seu
além de outros, como a pro- lado sensual nos temas “Sexy
posta do “Semba matinal”, bany” “Angolamente sen-
que fez diferente num alinha- sual”, “Nady”, “Kifuami kia-
mento de Kizomba. mi” e “Na lama do amor”,
A balada “Mais um do- dentre outros.
mingo”, tema que Don Kikas
afirmou ser um dos mais be- Convidada surpresa
los de Walter Ananaz, foi Pérola foi a convidada surpresa.
bem apropriada e caiu como Subiu ao palco para cantar
prenúncio de “Será diferen- “Amor de ninguém”, tema
te”. Foi mesmo tudo dife- que sem medo de errar é um
rente, até a postura super dos mais aclamados duetos
solta do recém-baptizado de estúdio dos últimos tempos
Homem de Toda a Tonga e e que pode ser encontrado no
o jeito natural com o sumo álbum “Regresso à base”.
de uva e a cerveja em palco Para o fecho dos temas de
a fazerem justiça ao tema Walter Ananáz a plateia de-
em que Kikas convida os liciou-se com “Me desculpa”
melómanos a apreciarem as e “Suly”, e do Don Kikas que
bebidas da terra. não é o Juan a socialmente
Num momento de home- interventiva “Esperança mo-
nagem prestigiou o palco ribunda” e “1900 Kabuza”,
Dualy Jair, o homem do Kim- outra história bem cantada
bundu com dicção a “putu”. sobre os “problemas que es-
Foi sua aposta“De boite em tamos com eles”.
4 ENTREVISTA Domingo
7 de Abril e 2019

SRDJAN VASILJEVIC FALA DO CAN NO EGIPTO


“Precisamos de condições para
preparar bem a competição”
Os Palancas Negras começam a preparar em Luanda, no dia 1 de Junho, com 27 atletas, a participação na fase final da 32.ª edição
da Taça de África das Nações (CAN), a ter lugar de 21 de Junho a 19 de Julho, no Egipto. Em entrevista ao Jornal de Angola, o
seleccionador nacional, Srdjan Vasiljevic, que completou 46 anos na segunda-feira passada, defendeu a realização de um estágio
da Selecção Nacional de Honras de Futebol, num país próximo do Egipto, para evitar uma longa viagem até ao local da
competição e para a adaptação ao clima idêntico ao do palco da prova. Srdjan Vasiljevic disse que para o CAN vai levar 23
jogadores, dos quais três guarda-redes.

EDIÇÕES NOVEMBRO
António Cristóvão com a direcção da federação
onde iremos realizar a prepa-
Quando é que começa a pre- ração. Temos que sentar, ana-
paração dos Palancas Negras lisar e combinar. Como disse,
para a fase final da 32.ª edição temos que encontrar e provi-
da Taça de África das Nações? denciar as condições adequa-
É uma grande satisfação ter das. Se conseguirmos criar as
apurado Angola ao CAN do Egip- condições de alta qualidade
to. Quando vim para Angola e para a preparação, poderemos
estava a negociar com a direcção representar bem Angola. O con-
da federação, estabeleci dois trário poderá criar muitos pro-
objectivos: o apuramento para blemas.
o CAN e fazer todos os possíveis Quando é que pensa sentar-
para a qualificação ao mundial se com a FAF para tratar da
do Qatar, em 2022. O CAN já questão da preparação?
conseguimos. Agora, temos a O tempo está curto. Vamos
obrigação de apresentar uma procurar fazê-lo na próxima
excelente selecção na compe- semana. Outra coisa que nos
tição. Até agora nunca prometi aguarda é o sorteio no Egipto.
nada. O programa de prepara- É através do sorteio que vamos
ção para o CAN já existe. O que ter várias respostas. Vamos sa-
espero e, foi combinado com ber onde estaremos concen-
a direcção da federação, são trados e disputar a competição
as condições para uma prepa- e quando será o nosso primeiro
ração com qualidade. Para criar jogo. É um factor importante.
um bom ambiente e relações Com as datas das partidas pro-
humanas e irmos para o CAN gramadas, vamos saber car-
com uma Selecção Nacional regar fisicamente a equipa e
no seu melhor. quanto será suficiente para
Que condições solicitou à FAF poder recuperá-la.
para fazer uma óptima parti- Quando é que pensa anunciar
cipação no CAN? a convocatória e dar início
Pedimos o primordial, as con- aos trabalhos de preparação?
dições para a recuperação dos Primeiro, a data final do Girabola
jogadores depois dos cam- 2018/2019 e depois da Taça de tantes 20 jogadores. No início as coisas do jeito que elas são, agora é que começam a con- fazer para uma boa partici-
peonatos difíceis. Queremos Angola. A primeira competição da preparação, teremos quatro franca e sinceramente. Desta tactar-me, o que permitiu o re- pação no CAN?
realizar a preparação num país termina no dia 12 de Maio, a atletas a mais. Depois, no Egipto, forma podemos obter a con- sultado alcançado. Todos eles Tenho um jeito específico de
com condições climatéricas segunda disputa a final a 25 de vamos ter três guarda-redes e fiança. Com trabalho no campo agora gostariam de ser parte preparar a equipa. Temos a in-
semelhantes à do Egipto. Estou Maio. Temos de ter em consi- mais 20 atletas. e os resultados obtidos, criamos integrante desta equipa. Vou formação de que os jogadores
a falar de um bom campo, de deração o estado de saúde dos e conseguimos um certo nível dar-lhe um dado. Tenho uma estão a sair de campeonatos
boas condições para a recu- jogadores, pois vêem de cam- de autoridade que os jogadores lista de 150 atletas do Girabola. duros. A primeira obrigação é
peração depois de um trabalho peonatos duros e longos. Temos sabem reconhecer e respeitar. Se formos fazer a análise esta- recuperar os jogadores tendo
intenso e de se providenciar, de trabalhar na sua recuperação. Da nossa parte, é uma honra tística com relação a este nú- em consideração que o cam-
nesse período, no mínimo, A intenção é iniciarmos a pre- jogar pela Selecção Nacional. mero, mais de 65 por cento peonato começa no dia 21 de
dois jogos amistosos. É im- paração no dia 30 de Maio ou “Quando vim para Só era necessário recuperar a destes jogadores já fizeram Junho, no Egipto. Se iniciarmos
portante que o local de pre- 1 de Junho, para os jogadores Angola... estabeleci confiança deles e começarem parte da preparação da Selecção a preparação no dia 1 de Junho,
paração não seja muito afas- terem, pelo menos, cinco dias a acreditar que aqui vão ter Nacional. Para este Girabola, teremos praticamente 15 dias
tado do Egipto, para termos para descansar com as famílias. dois objectivos: o boas condições para trabalha- nós precisamos elevar a qua- para trabalhar. E nesses dias,
uma viagem curta e sem can- Os campeonatos dos atletas apuramento para o rem e, com o bom trabalho, te- lidade e o nível do jogo. Angola se disputarmos três jogos amis-
saço para os jogadores. da diáspora também terminam rem a possibilidade de criarem possui esta qualidade e de cer- tosos seria em cada cinco dias
Depois da qualificação na ci- no meio de Maio. Terão um pe- CAN e fazer todos bons resultados. Na primeira teza que não vou ampliar este um desafio particular. Isso seria
dade de Fancistown, o presi- ríodo mais prolongado de des- os possíveis para a convocatória contra a Zâmbia, novo leque de jogadores em o máximo. Seria importante
dente da FAF, Artur Almeida canso. Mas o programa indivi- só vieram dois jogadores da um número muito grande. Es- apenas dois amistosos.
e Silva, anunciou que o estágio dual de treino que vão ter já qualificação ao diáspora. Veio somente o Djal- pero que sejam no máximo Já tem os possíveis adver-
dos Palancas Negras seria rea- está preparado para os joga- mundial do Qatar, ma Campos e o Bastos Quis- mais quatro jogadores. sários para os jogos de pre-
lizado na África do Sul, devido dores do exterior. O programa sanga. Com o andar do tempo, Teremos novidades na Se- paração?
aos custos da estadia. Seria para nos agruparmos seria no em 2022. O CAN já eles comunicavam-se entre lecção com jogadores da Por enquanto não. De qualquer
bem-vindo? dia 1 de Junho. conseguimos” eles de que o ambiente é bom diáspora? forma não gostaria de ter um
Tivemos uma grande pressão Quantos jogadores o selec- e que havia a possibilidade de Disse que estou à espera e adversário muitíssimo forte ou
antes do jogo. Dez dias antes cionador pensa convocar para se fazer um bom resultado. aguardando. São jogadores muito fraco, porque temos de
da partida, tive de apanhar al- os Palancas Negras? Eles demonstraram e fizeram de alta qualidade e nível. Já prestar atenção ao moral da
gumas injecções, por estar com Um número que não seja gran- Como está a relação entre o isto. Felicito todos eles pelo temos jogadores deste tipo na equipa. Temos de entrar no
febres altas. Estávamos cientes de. Os jogadores têm as suas seleccionador e os jogadores comportamento. Selecção Nacional, mas dese- campeonato estável emocio-
de que só uma vitória nos qua- emoções e expectativas. São da diáspora? Além dos jogadores que uti- jamos mais alguns em certos nalmente e motivados.
lificava para o CAN. Quando pessoas com carácter e men- O essencial no nosso trabalho lizou na campanha, pensa in- sectores, para manter a con- Sente que a equipa técnica
terminou o jogo com um resul- talidade. Não seria bom termos é que somos profissionais, antes cluir novos atletas? corrência na equipa. está completa para realizar
tado positivo, todas as emoções um grupo grande e depois ter de tudo. Fazemos o nosso ser- Não deixo de fazer contactos Poderia dizer-nos qual é o sec- um excelente CAN?
transbordaram. Naquela altura de dispensar um por um. De viço, do mesmo jeito que os jo- com os atletas do exterior. Tenho tor que precisa ser reforçado? Sim. Sempre falamos da nossa
falámos de muitas coisas, sem qualquer forma, vamos estar gadores que têm famílias que feito sempre. A base é de joga- Não gostaria de falar. Se disser equipa técnica. Talvez as pes-
termos abordado este assunto na situação de fazermos isto, dependem do trabalho deles. dores da diáspora e em Angola. as posições dos atletas, já lhe soas não me entendam algumas
e analisado esta situação. Na- mas o número óptimo para a O mais importante nesta relação Trabalho no sentido de procurar estaria a dizer os nomes. Vamos vezes. Quando menciono estas
quilo que posso dizer neste mo- nossa preparação ronda entre é manter o nível profissional. novos jogadores e de manter aguardar. pessoas, muitos pensam que
mento, é que ainda não falei os três guarda-redes e os res- Temos de ser sinceros e falar contacto com os mesmos. Eles Quantos jogos gostaria de estas é que têm mérito pelo su-
Domingo
7 de Abril de 2019 ENTREVISTA 5
EDIÇÕES NOVEMBRO
cesso. O mérito é de todos, mas um grande apoio entre todos sem salário. Algum dia pensou
às vezes digo que é importante nós. Não seria conveniente que- abandonar o comando técnico
o papel de Love Cabungula, Sil- brar. Não, especialmente quando e onde foi buscar a motivação
vestre “Pelé”, Chila Muemba, nos aguarda um campeonato. para se manter no cargo?
os Doutores Pedro Miguel e O mérito é de todos os jogado- Nós somos profissionais. Quan-
Agostinho da Costa. Há outras res. Só vamos trabalhar para do te posicionas como profis-
pessoas que ajudam na recu- trazer a qualidade, para apre- sional e tratas de fazer o teu
peração dos jogadores, como sentar o futebol angolano no serviço, aguardas que sejas re-
são os casos de Felisberto Di- mais alto nível. munerados por isso. Nunca
reito, George Miguel, Pedro Qui- Disse que tem uma lista de disse à opinião pública que
fucussa “Mampela”, Raimundo 150 jogadores observados no tinha problemas financeiros.
Ngongue “Barbosa”, Oliveira Girabola e do exterior do país? Essas coisas ficam em casa.
Huango, Paulo Ribeiro e pessoal Posso dizer-lhe, são 100 fute- Sempre pedi a criação de con-
da segurança. Temos o Sasa, bolistas. Quando vim para An- dições de trabalho. O dinheiro
Alexandar Jovic e Maksimovic. gola, mostrei o projecto e falei é importante. As nossas famílias
É conhecido como um indiví- com um homólogo que ainda encontram-se a 15 mil quiló-
duo ambicioso e optimista. continua na federação. Ques- metros de Angola e vivem do
Que objectivo é que traça para tionou-me onde tinha tirado a fruto do nosso trabalho. Como
os Palancas Negras no CAN? lista contendo os 100 nomes. qualquer angolano que traba-
Já estava preparado para uma Preparei e sabia que num do- lha e sustenta a sua família,
questão destas. Temos de estar cumento tinha todos os joga- também nós. Entretanto, isto
atentos. O primeiro objectivo dores do Girabola e noutro tinha nunca foi impedimento de con-
da minha equipa técnica já foi os nomes dos elementos da tinuar a fazer o nosso trabalho.
alcançado, que era a qualifica- diáspora. Perguntou-me se A minha motivação foi sempre
ção. Não vamos esquecer um podia tirar uma foto da lista e não desapontar os jogadores
dado. Quando entrámos na disse-lhe que podia tirar, se qui- e a população que sempre nos
competição com esta equipa sesse. Depois, disse-me que deu apoio.
técnica, éramos o último do aqui ninguém tinha isto. Tem conhecimento do futebol
grupo, sem pontos. É uma res- Quais foram as principais di- africano e tem preferência
posta muito complexa. Durante ficuldades sentidas durante dos adversários na prova?
a campanha, não prometia na- a campanha de apuramento No que se trata de ir assistir ao
da. Disse que iríamos trabalhar ao CAN? sorteio, isto depende da fede-
e preparar. Temos uma equipa Podemos recuar um bocadinho ração. Para o sorteio têm de ir
que não era para um prazo curto, pessoas para sondar as loca-
mas para o futuro, para os pró- lidades onde possivelmente
ximos dez anos. Se nos forem podemos estar alojados e ver
criadas as melhores condições os campos onde podemos trei-
de trabalho, vamos para o CAN nar. Se fosse eu a decidir, man-
jogar futebol e apresentar uma “Nunca disse à dava lá as pessoas que já têm
Angola no jeito positivo possível. opinião pública que experiência para não deixar
Vamos ser profissionais e dar coisas ao acaso. É necessária
tudo da nossa parte para ele- tinha problemas a comunicação, pessoas que dos êxitos dele e agora temos
varmos os níveis. Novamente, financeiros. Essas têm domínio de certas línguas. tido a oportunidade de con-
não posso prometer nada. Não é só o momento de tirar versar. Que o futebol se desen-
Sente-se bem em Angola? coisas ficam em fotografias, mas também temos volva para que regresse como
Sinto-me bem. Raramente vou casa. Sempre pedi de trabalhar. foi em 2006.
para o meu país. Estive apenas Que acha do nível técnico do Que preparou especificamente
duas vezes. No Hotel Samba, condições de Girabola? para melhorar a eficácia do
sinto-me em casa. Aqui vive trabalho.” Gostaria de dizer que, nas con- ataque dos Palancas Negras?
a equipa técnica da Selecção dições climatéricas em que se Quando falamos da qualidade
Nacional, onde também se faz no tempo. Quando nos con- joga o Girabola em alguns de- do ataque e das oportunidades,
a concentração dos Palancas centrámos no Hotel Belo Ho- safios, o seu horário deveria temos que ter em mente o valor
Negras. Já entendi aqui como rizonte para a preparação do ser alterado. Alguns jogos são do nosso adversário. Quais são
se vive e conheço a mentali- CHAN, em Marrocos, na primeira disputados às 15h00, quando as características dos nossos
dade da maioria das pessoas. reunião com os jogadores es- está muito calor. Nestas con- jogadores do ataque. Temos
Tento encontrar o meu lugar. perava uma sala cheia, mas a dições, é difícil qualquer jogador um jogador do centro do ataque
Respeito todo o mundo, para equipa técnica da Selecção Na- dar o máximo de si. Quando que é o Gelson Dala, mas ele
não ofender ninguém e para cional só encontrou oito joga- assisti a jogos nocturnos havia não é atacante central clássico.
não ser ofendido. dores. Este foi o primeiro choque mais agressividade, qualidade Ele pode jogar atrás do ponta,
Em algum momento sentiu- que vivi e não sabia o que fazer e corria-se. Angola tem o seu no extremo esquerdo e no di-
se irritado com a crítica da naquele momento. Depois, re- potencial. O Girabola também reito. Significa que em Angola
imprensa? cebi um grande apoio e ajuda possui equipas com qualidade. não tem um avançado típico e
Não. Agradeço à comunicação dos técnicos “Love” Cabungula, Tem técnicos com qualidade. um clássico central. Entretanto,
social pelas críticas positivas Silvestre “Pelé”e “Chila” Muem- Os resultados são sempre uma como não temos um jogador
e ao mesmo tempo pelas ne- ba. Começaram a sugerir novos incógnita mesmo quando jogam com este perfil, temos um estilo
gativas, porque são elas que nomes de atletas e depois de as grandes equipas. Por exem- específico de jogo que compo-
geram a minha força para con- dois dias já tínhamos 35 joga- plo, aconteceu quando o Petro mos com as características dos
tinuar a trabalhar. Conseguimos dores na concentração. Esta de Luanda perdeu contra o Re- nossos atletas. Se, no futuro,
o primeiro objectivo, que era foi a minha primeira dificuldade. creativo da Caála no Huambo. encontrarmos um atacante clás-
de qualificar Angola ao CAN. Mas fomos ao CHAN com uma Respeito o trabalho do técnico sico, então o nosso jogo já não
Gostaria de nos preparar para vontade e crença. Calhámos Zeca Amaral, Mário Soares, Al- terá este modelo. Vou dar-vos
o segundo objectivo, que é num grupo forte, com Camarões, bano César, Miller Gomes, Goiko um dado estatístico dos últimos
lutar pelo apuramento no Cam- Burkina Faso e a República De- Zec, Zoran Maki, Drulovic. Angola cinco jogos: Fizemos uma média
peonato do Mundo, no Qatar, mocrática do Congo. Fomos tem potencial, mas tem de ser para cada desafio. Foi em nosso
em 2020. eliminados nos quartos-de- desenvolvido continuamente favor, com 54 por cento contra
O seu contrato termina no final pela Nigéria, mas foi um para melhorar as coisas. O futuro 46 da posse de bola. Pontapés
próximo mês de Dezembro. azar. Foi o momento que os jo- é mais para coisas positivas e de cantos, foram seis a favor
Pensa continuar? gadores passaram a acreditar não para negativas. da Selecção Nacional, contra
Realmente, o contrato expira e depois as coisas passaram a Qual é sua relação com os trei- três dos adversários. Passes
em Dezembro. Mas como sou correr com mais facilidade. No nadores no país? certeiros, são 403, e para os
profissional, neste momento primeiro jogo, com o Botswana Estou a aprender a falar por- nossos adversários foram 353.
não é da minha competência em Luanda, ocorreu-me uma tuguês. Alguns ficaram surpre- Em disputas de bola, Angola
pensar se o vínculo vai ser pror- pergunta: Será que todos os sos quando falei algumas conseguiu 57 por cento e 43
rogado ou não. Isso é obrigação jogadores vão aparecer mesmo? palavras na TV e na Rádio, mas para os adversários. Tivemos
da federação. A decisão é da Quando vi que vieram, sabia ainda não estou num nível bom. uma média de 11 remates para
direcção da federação se vão que teríamos êxito. Quando vi A cooperação com os treina- a baliza e conseguimos cinco
querer prorrogar ou não. Neste o Mateus Galiano, um grande dores é boa, com muita com- golos, já os nossos adversários
momento, estou focado nas capitão com autoridade, vi o preensão. Temos uma óptima remataram oito e marcaram
obrigações da preparação da Djalma Campos, Bastos Quis- comunicação para compreender dois. Em passes finais, Angola
estratégia e das condições para sanga, Freddy, Gelson Dala e o que eles fazem, trabalham e teve dez e os adversários quatro,
o CAN. O resto fica de parte. Geraldo, sabia que iríamos con- o pensam sobre o futebol. Es- enquanto nos duelos somámos
Alguma vez foi assediado para seguir o planeado. O que criou queci-me de mencionar o téc- 57 e os opositores 43. Angola
orientar uma equipa do Gira- um impacto em mim foi quando nico Romeu Filemon, com quem fez 16 faltas e os adversários
bola? disputámos o primeiro jogo tenho falado constantemente. fizeram 19. Estes dados dão in-
Isto não é verdade. Se fosse, com o Botswana perante 45 mil Quando deixo passar alguns dícios de que a Selecção Na-
lhe diria. espectadores. Foi a maior im- nomes, não faço propositada- cional não é muito agressiva,
Vamos continuar assim até à pressão da minha carreira como mente. São muitas pessoas e mas consegue disputar bolas
fase final do CAN? técnico de futebol. Tinha a ex- tenho uma lista deles (os téc- sem faltas. Por isso é que ocu-
É uma família que criámos na pectativa de que o estádio iria nicos). Estou satisfeito por ter pamos a primeira posição do
qual existe respeito, conside- encher daquele jeito. falado com o Oliveira Gonçalves. grupo I da campanha de apu-
ração, entendimento mútuo e Trabalhou um longo período Antes de vir para Angola, sabia ramento ao CAN no Egipto.
6 FESTAS Domingo
7 de Abril e 2019

MOÇÂMEDES
Espectáculo musical e pirotécnico
marca o fim das Festas do Mar
EDIÇÕES NOVEMBRO

João Upale| cutiva das Festas do Mar, Co- como a Geração de Saul, Ira- cional de Segurança Social é muito acolhedora, achei Abraçar a causa social
missão de Efemérides do cema, Dom Kikas e Cangato, (INSS) em Cabinda, apro- por bem ficar mais tempo, O local da realização das
A Edições Novembro, pro- Governo Provincial, hotéis, entre outros, animaram a veitou a licença disciplinar para acompanhar bem o Festas do Mar foi entregue
prietária do Jornal de Angola, restaurantes e similares, me- noite. para visitar o Cuanza-Norte, encerramento dessas fes- à sociedade civil e a empre-
Jornal dos Desportos, Eco- receram igualmente elogios A Marginal de Moçâme- Huambo, Bié, Cuando Cu- tas”, frisou. sários da província, para
nomia e Finanças e Jornal do governador. des, circundada pela praia bango, Huíla e Namibe, nesta continuarem com a organi-
Cultural, foi no domingo dis- O evento prestigiou outros das Miragens, a linha férrea última província para assistir zação. O governador Carlos
tinguida em Moçâmedes, organismos e instituições, e o monumento histórico da às Festas do Mar, que apenas da Rocha Cruz deu a conhe-
província do Namibe, com com realce para os Serviços Fortaleza de São Fernandes conhecia de ouvir falar. cer esta informação no en-
um diploma de mérito, pela Provinciais de Bombeiros e (actual Marinha de Guerra “Vim cá para comemorar cerramento do evento. As
cobertura jornalística das Protecção Civil, Gabinete Angolana) enquadraram o as Festas do Mar. A cidade “Vim cá para Festas do Mar devem ser
tradicionais Festas do Mar, Provincial da Cultura, Turis- centro das festividades, fre- tem muita beleza e um clima comemorar as realizadas pela sociedade
que terminaram no dia 31 mo, Juventude e Desportos, quentado por pessoas de di- bom. Há muita coisa boa”, civil, através de várias as-
de Março. da Educação, e associações ferentes estratos sociais, admitiu. José Fuca pensa re- Festas do Mar. sociações, como as Câmaras
Na homenagem, o gover- desportivas, associação pro- degustando frutos do mar, gressar na próxima edição, A cidade tem do Comércio e Indústria, as-
nador Carlos da Rocha Cruz, vincial das Pescas, agentes salgados e outras iguarias, com a família. sociação de Pescas, da mu-
enalteceu a Edições Novem- culturais (destaque para o consumindo bebidas alcoó- O jovem turista garantiu muita beleza e um lher empresária do Namibe
bro e outros órgãos de co- fabricante de carros de latas, licas acompanhadas de “ca- que vai levar muitas recor- clima bom. (ASSOMENA) e outras en-
municação social pelo “árduo Gervásio Dumbo Matias, que brité” (carne de cabrito assada dações de Moçâmedes para tidades, explicou.
trabalho e dedicação pres- durante a feira foi muito na brasa). As crianças per- a sua cara metade, essen- Há muita coisa Carlos da Rocha Cruz disse
tados ao longo do período aplaudido pelos clientes e diam-se em brincadeiras e cialmente pulseiras de fabrico boa”, admitiu. que o governo da província
festivo e pelo contributo para outros admiradores do seu noutras actividades. artesanal e malas. vai paulatinamente entregar
que a edição de 2019 das Fes- talento), expositores de várias José Fuca tinha o regresso José Fuca pensa todas as actividades de âmbito
tas do Mar fosse um êxito”. empresas e feirantes. Satisfação dos presentes marcado para domingo, regressar na social, cultural, desportivas
As Forças de Defesa e Se- Lançamento de fogo de O momento era convida- com o roteiro Huíla, Ben- e outras de carácter científico
gurança, Serviços de Saúde, artifício e uma sessão mú- tivo e ninguém queria ficar guela, Cuanza-Sul, Luanda próxima edição, à sociedade civil, pois o Go-
Administração Municipal de sico- cultural com artistas de fora. José Fuca, 38 anos, e Cabinda, mas “atendendo com a família.” verno “não pode assumir to-
Moçâmedes, Comissão Exe- locais e de outras paragens, funcionário do Instituto Na- que a cidade de Moçâmedes das as responsabilidades”.
Domingo
7 de Abril de 2019 FESTAS 7
A edição finda das Festas EDIÇÕES NOVEMBRO

do Mar foi patrocinada pela


Coca-Cola, Ngola e outros
parceiros do Governo do Na-
mibe e contou com o apoio
de muitas associações. Carlos
da Rocha Cruz agradeceu,
por isso, aos amigos do des-
porto motorizado, que com
parcos recursos e tempo li-
mitado realizaram provas de
karting, motociclismo e au-
tomobilismo.
Neste sentido, lançou um
apelo à sociedade civil de
modo a organizar-se em as-
sociações e concorrer para
a gestão e realização das Fes-
tas do Mar no próximo ano,
podendo as propostas serem
remetidas ao Governo Pro-
vincial ou à Administração
Municipal de Moçâmedes,
a partir de 1 de Abril, de modo
que as autoridades assumam
o papel de regulador da ac-
tividade económica e desta
forma “promover” o empre-
sariado local.

“o governo da
província vai
paulatinamente
entregar todas as
actividades de
âmbito social,
cultural,
desportivas e outras
de carácter
científico à
sociedade civil”

Criar sinergias locais


As Festas do Mar constituem
uma tradição que atrai tu-
EDIÇÕES NOVEMBRO
ristas nacionais e estrangei-
ros. É também um espaço
para divulgação das poten-
cialidades e capacidades de
produção, com vista a criar
sinergias para a melhoria do
ambiente de negócios no Na-
mibe. Daí que o Governo,
em parceria com os jornais
“Valor Económico” e “Ga-
zeta”, bem como a empresa
Soronel, tenham organizado
um fórum sobre a oportu-
nidade de investimentos no
Namibe, com o propósito de
oferecer aos investidores,
empresários, empreende-
dores e aos decisores de for-
ma geral, uma plataforma
de reflexão e identificação
de oportunidades concretas.
É objectivo do executivo
do Namibe reforçar a rea-
lização desses fóruns, tendo
como plano de fundo a apro-
ximação entre os investi-
dores e o empresariado
local, promovendo eventos
de promoção da capacidade
efectiva e de empreendi-
mento, com incentivo à
criatividade e à inovação,
a melhoria de níveis de efi-
ciência colectiva através de
redes de preparação insti-
tucional, empresarial e só-
cio-económica.
Dada a proximidade das
comemorações do Dia da Paz
e da Reconciliação Nacional,
a 4 de Abril e Dia da Juventude
Angolana, a 15, o ambiente
festivo no local da Feira vai
continuar, desta feita, sob a
gerência da juventude.
8 REPORTAGEM Domingo
7 de Abril e 2019

CIDADE TURÍSTICA DO REINO DE MARROCOS


Marraquexe tradicional
resiste à modernidade
Marraquexe é linda, além de histórica. Tem “ginga” que exibe aos seus visitantes. Com vários hotéis, aliás, grandes palácios e
jardins, na sua maioria de cinco estrelas, com preços a começar pelos três mil dirhans marroquinos, ou seja, mais de 98 mil
kwanzas, por uma diária, as cores da cidade chamam a atenção a qualquer pessoa que a visite, pela primeira vez. Os edifícios e
muralhas são todos pintados a vermelho de terra, a tal “cor de tijolo”, como é habitualmente designada por muitos angolanos.

Augusto Cuteta |Marraquexe EDIÇÕES NOVEMBRO

O sol de 25 de Março nasce


cedo em Marraquexe, cidade
que, aos 26 graus Célsius,
recebe nesse dia ilustres con-
vidados. São ministros dos
Negócios Estrangeiros e re-
presentantes diplomáticos
de 40 países africanos, que
chegam a Marrocos, para
discutirem o diferendo entre
esse reino da África do Norte
e a Frente Polisário, um mo-
vimento político que luta
pela autonomia do território
do Saara Ocidental e pela
autodeterminação do povo
saaraui, mediante a procla-
mação da República Árabe
Saaraui Democrática.
Com 1.671 quilómetros
quadrados de extensão, a
Prefeitura de Marraquexe é
a escolhida para acolher tão
importante reunião, numa
altura em que, poucos dias
depois, na mesma semana,
na África do Sul, Chefes de
Estado e de Governo da SADC
condenam a atitude dos par-
ticipantes ao encontro da-
quela cidade de Marrocos.
Fora isso, Marraquexe é
linda, além de histórica. Tem
“ginga” que exibe aos seus
visitantes. Com vários hotéis,
aliás, grandes palácios e jar-
dins, na sua maioria de cinco
estrelas, com preços a co-
meçar pelos três mil dirhans
marroquinos, ou seja, mais
de 98 mil kwanzas, por uma
diária, as cores da cidade
chamam a atenção a qual-
quer pessoa que a visite, pela
primeira vez. Os edifícios e ganha a alcunha de “Cidade e meia de voo, Marraquexe nessa altura, ao campo, a ci- nómadas provenientes do são transladadas para Mar-
muralhas são todos pintados Vermelha”. No fundo, o no- costuma ser uma das entra- dade é fundada apenas em Saara. Essa dinastia almo- raquexe, com vista a atrair
a vermelho de terra, a tal me caiu tão bem, que, ac- das de turistas a Marrocos, 1062, por Abu Becre ibne rávida abraça o Islão e es- peregrinos.
“cor de tijolo”, como é ha- tualmente, parece virar com a Praça Jemaa el-Fnaa, Omar, um caudilho berbere tende a cultura muçulmana,
bitualmente designada por charme para os locais. localizada na zona da Medina, primo do emir almorávida que origina um império, en- Do artesanato a meios
muitos angolanos. Se na parte externa dos a ser um dos principais atrac- Lúçufe Ibne Taxufine. tre os séculos XI e XII. Esse modernos
O impacto da decoração edifícios, o povo de Marra- tivos para visitantes de di- reinado atinge o actual Saara Marraquexe segue os cami-
da cidade despertou a cu- quexe luta contra a força do versas partes do globo. Ocidental (a sua origem), nhos do desenvolvimento,
riosidade do repórter deste Sol, no interior, a situação Mas, há outros aspectos No hotel em que Marrocos, Mauritânia e parte como Rabat e Casablanca.
diário. A partir daí, o jor- é diferente. Há luz, muita em Marraquexe para encan- estou, com mais sul da Península Ibérica. Apesar disso, a região pre-
nalista, numa incessante luz. As cores, de vários tons, tar os seus visitantes. No de 300 de De volta à Marraquexe, serva sempre as edificações
busca pelo significado da ajudam a dar maior vida à hotel em que estou, com quartos, uma das actualmente, a cidade é dos milenares, algumas das quais
cor dos imóveis de Marra- beleza arquitectónica, que, mais de 300 de quartos, uma situações que principais pontos da cultura, estão localizadas em áreas
quexe, encontra uma série tem modernidade, mas pre- das situações que desperta desperta a da religião e do comércio para estratégicas, por isso os es-
de explicações. Mas, a mais serva sempre o tradicional. a atenção tem a ver com os atenção tem a ver a região do Magrebe, com a paços adjacentes são apro-
próxima da lógica revela Ao branco, é misturada uma “hospedeiros”. São bastante com os Praça Jemaa el-Fna, inscrita, veitados por comerciantes.
que os primeiros habitantes, série de imagens e de mo- cultos, pois falam árabe ou “hospedeiros”. há 18 anos, na lista do Patri- É igualmente nessas ruas
dada a proximidade com o saicos de outras épocas. berbere, francês, inglês, es- São bastante mónio Cultural Imaterial da que se vê os vendedores de
deserto do Saara, passaram Nos pisos, os edifícios são panhol. São esses que ajudam cultos, pois falam Humanidade, a dar cartas. rua, muitos dos quais oriun-
a pintar as residências nesse ornamentados com belos ta- o repórter a conseguir uma árabe ou A cidade, antiga capital dos dos bairros mais novos.
tom para diminuir o impacto petes, que duplicam o co- série de dados sobre a cidade, berbere, francês, de Marrocos, em anos iniciais Apesar de preservar a pro-
da luz solar. lorido dos hotéis e grandes que tem mais de um 1.800.000 inglês, espanhol. do século XVI, alberga os dução de bens tradicionais
É que a moda pegou até vivendas de Marraquexe, de habitantes. túmulos dos conhecidos “Se- da região, com destaque para
aos dias que correm. Fruto que é uma cidade em terreno Quarta maior cidade do te Santos de Marraquexe”, as fábricas de tapetes dos
disso, Marraquexe, criada plano e sem edifícios muito Reino de Marrocos, atrás de Almorávida. Quem é? É que é a designação dada a antigos berberes, Marraquexe
no longínquo século XI, pelos altos. Os que divisámos não Casablanca, Fez e Tânger, uma espécie de eremita (in- sete sabedores e santos sufis tem apostado, nos últimos
almorávidas, durante o sul- passam dos cinco andares. Marraquexe situa-se a 327 divíduo que vive isolado, no muçulmanos ligados à região tempos, em equipamentos
tanato de Yusuf ibn Tashfin, Bem perto de Lisboa, ca- quilómetros de Rabat, a capital deserto) muçulmano. Ini- e que ali têm os seus mau- mais modernos. A electró-
numa altura em que essa tem pital de Portugal, percurso do país. Embora já habitada cialmente, fala-se em mon- soléus. Reza a história que nica de consumo actual é
já alguns habitantes berberes, que é feito em cerca de hora por berberes que se dedicam, ges-soldados ou grupos as catacumbas dos santos uma dessas apostas.
Domingo
7 de Abril de 2019 REPORTAGEM 9
EDIÇÕES NOVEMBRO

Como em algumas regiões


de Angola, o artesanato é
das maiores actividades dos
habitantes da cidade, que
tem 79 por cento da sua po-
pulação na zona urbana e
só 21 nos bairros rurais. É,
nessa última, onde o trânsito
é feito com alguma dificul-
dade, dada a presença de
cavalos à carroça, bicicletas
e motos (muitas montadas
por mulheres).

Gastronomia de dar inveja


Nos hotéis e restaurantes,
a gastronomia é rica. A co-
mida é caprichada, com pe-
quenos detalhes que dão
sabores inquestionáveis à
iguaria. De tão boa que fica,
há consumidores que nem
querem saber de que prato se
trata. O jornalista deste diário
que o diga!
Entre os pratos que mais
atraem os visitantes de Mar-
raquexe, palavra de onde
terá surgido a actual desig-
nação de Marrocos, constam
delícias como cuscuz (que
é cozido com leite batido),
a sopa de harira (caldo à base
de farinha e legumes, len-
tilhas, grão, cebola, tomate,
ovos e arroz), cordeiros e tan-
gia (carne de vaca ou peixe
com legumes), kebab (carne
espetada), tanjine e a berin-
jela frita.
Há uma série de varie-
dades de carnes ou frangos,
às vezes, de peixe, estufados,
com destaque para touajen
e djaja mahamara. Por nor-
ma, a cozinha marroquina
faz recurso a especiarias e
a doces.
Os sumos naturais e os
chás marroquinos são dos que
mais atraem os visitantes e
os locais. Os famosos “chás
marroquinos” arrastam cen-
tenas de pessoas para os res-
taurantes. As maiores solici-
EDIÇÕES NOVEMBRO
tações são os feitos com gen-
gibre ou canela. Esses chás
ajudam na digestão, uma
vez que a mesa marroquina
é de fartura.

Locais de atracção turística


Além da Praça Djemma el-
Fna, Marraquexe tem outros
atractivos turísticos. A Mes-
quita Koutobia, embora seja
um lugar que não recebe vi-
sitas, por ser um lugar sa-
grado, tem ali o ponto mais
alto da região de Marraquexe,
com uns 70 metros. Mas, na
sua parte externa, há espaço
de diversão e restaurante a
céu aberto.
A Souk Smarine, onde se
pode adquirir tecidos, es-
peciarias, antiguidades e ta-
petes de qualidade, além
de outros produtos, e a Me-
dersa Bem Youssef, lugar
de estudos religiosos e que
alberga uma universidade,
onde se ensina o Alcorão,
são outros lugares que atraem
visitantes. Há ainda o Portão
Bab Agnaou, que é consi-
derado a entrada para a ci-
dade imperial.
Marraquexe tem, além do
Palácio el-Badi e do Palais
el-Bahia (um grande palácio
real, erguido pelo vizir (título)
Bou Ahmed, que vivia ali
com quatro esposas e 24 con-
cubinas) e os jardins Menara
(este tem um pavilhão que
é o cartão postal da cidade)
e Majorelle (ganhou o nome
por ter sido pintado pelo
francês Jacques Majorelle).
10 CRÓNICA DE DOMINGO Domingo
7 de Abril de 2019

“LATAS E KANDIMBAS”
Aquilo que não era quilo
O que surgia “era tudo do povo”. O povo mandava e desmanchava. O povo era quem
mais ordenava e as coisas (algumas do tempo da senhora expulsa) estavam sendo
ignoradas, pois algures se dizia que “o homem novo traria coisas novas”
NUNO FLASH | EDIÇÕES NOVEMBRO
Soberano Kanyanga de cereais perdidos pelo era quem mais ordenava e Os ensacáveis como arroz,
comboio do Mbungu-Kikolu as coisas (algumas do tempo açúcar, sal, feijão e outros
para alimentar os pombos e da senhora expulsa) estavam cereais, quando os houvesse,
A presente narrativa tem en- apanha de metades terminais sendo ignoradas, pois algures eram encontrados já nas
quadramento nos anos oi- de cana vinda de Malanje e se dizia que “o homem novo montras com a indicação de
tenta do século XX, em Lu- de outras paragens desco- traria coisas novas”. Daí que xis quilos. Muitas vezes não
anda. O bairro é Rangel, ao nhecidas. Não preciso de citar, as lojas tinham balanças para correspondiam, mas eram
Kaputu, Rua de Ambaka, dentre os deveres, a escola o povo ver e nos mercados e os quilos declarados e leva-
congregando catetenses, há obrigatória, a explicação para bancadas fazia-se a vida com dos pelo comprador. Era a
muito instalados; cuanza- alguns e enfrentar as filas dos latas e kandimbas para o loja do povo e ponto final.
sulinos, novos e antigos no “supermercados”, depósitos povo medir. Um pouco mais realistas
bairro; malanjinos e cuan- de pão, talhos, peixarias, lojas eram as mamãs das kitandas
za-nortenses contados a de- do gás, entre outros serviços e das bancadas à porta. A lata
dos. Nortenses do Uije e Zaire delegados pelas mães, que “A kandimba, de óleo vegetal, alta e mais
não havia. Se houve, eram se ocupavam da venda, e pelos unidade de peso estreita; a lata de margarina,
muito insignificantes. papás que trabalhavam na mais curta e mais larga; a
para os que
A actividade principal das Baixa e noutras paragens para quadriculada de azeitonas ou
senhoras era ser “dona de garantir o cartão de abaste-
menos podiam a circular de chouriços tanto
casa”, algumas com registo cimento mensal (era amare- comprar ou serviam para “aviar” ao cliente
no Bilhete de Identidade co- linho, com os doze meses menos de fuba (milho, bombô ou
mo profissão, e revender gé- registados e uma lista de bens precisassem trigo), sal, açúcar, feijão, jin-
neros alimentícios adquiridos perecíveis, não perecíveis e naquele dia, era guba, arroz, etc. Todas essas Mais exacta, pelo menos A kandimba, unidade de
em primeira instância nas os electrodomésticos que exacta. Medida canecas/latas tinham apenas em termos de volume, pois peso para os que menos po-
“lojas do povo” ou na kan- nunca vinham). única em todos os algo de comum. A designação. o peso varia sempre em diam comprar ou menos pre-
donga dos desviadores de É na venda e revenda, entre mercados e As quantidades que podiam função da densidade, era a cisassem naquele dia, era
“géneros do povo”. lojas e bancadas, que surgia bancadas. carregar eram variáveis, em- kandimba. Essa sim. A kan- exacta. Medida única em to-
E nós, crianças desse tem- aquilo que não era quilo. Desapareceu bora comummente se tratasse dimba era a lata de leite dos os mercados e bancadas.
po, vivíamos a nossa época A balança calibrada e fis- (in)felizmente ” aquela quantidade variável moça. Quando fosse para Menos na loja. Desapareceu
do melhor jeito que ela per- calizada tinha ficado encer- por “quilo”. Assim comprá- se usar a unidade imedia- (in)felizmente.
mitia: corridas de jante e de rada na cantina do colono vamos o “quilo” de arroz ou tamente inferior àquilo que - Ó tia, quanto é a kan-
pneus, jogar e caçar casta- expulso. O que surgia “era de sal medido em lata de 900 não era quilo, usava-se a dimba de arroz, avia bem,
nhas de caju, caça de “gaffas” tudo do povo”. O povo man- É assim: nas lojas, balan- gramas de onde se tinha con- kandimba ou ainda a latinha faxavor, mamã disse é sua
junto à linha férrea, recolha dava e desmanchava. O povo ças faziam o “faz de contas”. sumido a margarina. de massa-tomate. comadre!

COMER EM CASA

Bife à Parmegiana Bolo de fruta finlandês Bebida refrescante


Ingredientes Ingredientes de mamão
• 500 gr de carne para bife (alcatra); • 2 ovos (batidos);
• 2 dentes de alho e 2 ovos; • 1 chávena de açúcar; Ingredientes
• sal e pimenta do reino a gosto; • 1 ¼ chávena de farinha de trigo; • 1 mamão médio;
• 1 chávena de farinha de trigo; • 1 colher de chá de fermento de bolo; • sumo de 1 limão;
• 1 chávena de pão ralado. • ¼ chávena de margarina (derretida); • sumo de 3 laranjas;
Molho • 1 pitada de sal; • 2 colheres de sopa de açúcar;
• 2 latas de tomate pelado; • 2-2 ½ chávenas de fruta (maçã, pera, pêssego • 2 gasosas sprite;
• 1 cebola (em cubos) e 2 dentes de alho (triturados); e manga descascadas e em fatias). • gelo em cubos.
• 1 pitada de açúcar;
• manjericão e 200 gr de queijo mozarela;
• 4 colheres de sopa de queijo parmesão (ralado).
Preparação Preparação
Preparação Misture tudo menos a fruta e Descasque o mamão e tire a
Para fazer o molho, primeiro, deve refogar a cebola e deite numa forma untada de 24 semente. Corte em bocados,
o alho. Adicione o tomate pelado e cozinhe por 15 cm de diâmetro. Coloque a fruta junte o sumo do limão e das
minutos. Mexa. Tempere com sal, a pitada de açúcar, em cima da massa. Polvilhe um laranjas e o açúcar. Passe
pimenta do reino e o manjericão. Os bifes devem ser pouco de açúcar com canela por pelo “passe-vite” para
temperados com alho, sal e pimenta do reino. Passe- cima. Asse em forno médio triturar. Depois, passe por
os na farinha de trigo, depois, nos ovos batidos e pão (180°C) durante 30-45 minutos. uma peneira e misture com
ralado. Coloque o bife numa panela com óleo quente a gasosa. Coloque o gelo
e deixe dourar dos dois lados. Depois, numa travessa, dentro de copos e encha-os
ponha os bifes e cubra-os com molho de tomate, por com o líquido refrescante.
cima, coloque fatias de mozarela e queijo parmesão.
Leve ao forno pré-aquecido (200°C) por 15 minutos.
Domingo
7 de Abril de 2019 TELEVISÃO 11
FICHA TÉCNICA
Título
Star Trek: Discovery

Lançamento: 2017

Gênero: Ficção,
Drama, Aventura

Duração: 1h40

Director: Bryan Fuller


e Alex Kurtzman

EM EXIBIÇÃO
Netflix
Episódios: 25
Temporadas: 2

ALUSÕES “STAR TREK: DISCOVERY” ALTOS +


Culturas A reviravolta
Uma das “marcas” de todos
os filmes e séries “Star Trek”
Renasce uma lenda das histórias
produzido até hoje centra-
se na diversidade de espé-
cies. O choque entre culturas
é muito explorado, assim
como em algumas circuns-
da ficção científica É incrível como a cada epi-
sódio, “Star Trek” é capaz
de surpreender os seus es-
pectadores com histórias
de viagens ao impossível.
tâncias colocado ao extre-
Uma viagem ao desconhecido, onde o limite é a própria Se antes quando Gene Rod-
mo. Mas… é preciso chamar imaginação, é o que se espera da nova série de ficção, que denberry criou a história
atenção a essas questões, procura reerguer um “gigante” da cultura popular, eram só os planetas dife-
uma vez que não existem rentes e as outras espécies
culturas mais ou menos de- cujo legado influenciou uma geração que maravilhavam, hoje,
senvolvidas. Há sim uma em “Discovery”, há todo um
diversidade que precisa ser mundo novo onde a ciência
respeitada e valorizada. Nes- Adriano de Melo importância da diversi- humana está bastante avan-
tes adventos de novas tec- dade na busca pelo des- çada e é até capaz de realizar
nologias, em que as redes conhecido. o impossível: dominar o es-
sociais dominam, no país e Cinco décadas depois, 13 “Ir corajosamente até paço. A conquista do espaço
no mundo, é preciso alertar, filmes e seis séries de te- onde nenhum homem foi é o sonho da humanidade.
em especial os jovens, para levisão, “Star Trek” con- antes” este é o propósito.
a importância do respeito
e da preservação cultural.
tinuam a impressionar
não só os fãs do género,
como também os aman-
tes da ficção. Com a es-
Claro que ao longo do ca-
minho vemos o significado
de sermos humanos, em
cada aventura dos tripu-
BAIXOS -
treia da nova sequência
para TV, “Discovery”, a
realizadora Marta Cun-
lantes da nave. Apesar de
ser inovadora, a série não
deixou de lado os “temas”
O ambiente
Afirmação ningham mostrou que é
possível revitalizar uma
da cultura pop que a tor-
naram um “gigante” entre sombrio
lenda clássica num pro- os seus admiradores.
A protagonista da série, Mi- duto novo, com muito Primeira temporada foca no conflito com os Klingons Os aspectos técnicos, a Um dos aspectos negativos
chael Burnham é uma mulher boa aceitação. exploração de novos uni- da série, pelo menos em toda
negra. Este foi um dos desafios Actualmente na sua versos, assim como a in- a primeira temporada, já que
que o canal CBS aceitou e segunda temporada, a sé- trodução de outras espécies, a segunda ainda está a ser
trouxe, depois de vários co- rie, que procura focar em ao desconhecido. Uma Burnham (interpretada além dos já “conhecidos” exibida, é o tom sombrio das
mentários negativos dos fãs, alguns problemas reais porta aberta para a ima- p o r S o n e q u a Ma r t i n - Klingons, dão o “toque” personagens, visto, por exem-
a nova imagem de “Star Trek”. da actual sociedade mo- ginação humana, que já Green), uma mulher que mágico de uma história de plo, na convivência entre es-
Mesmo para a própria actriz derna, mas numa pro- tem sido feita desde 1966 luta para ter um posto de ficção à “Discovery”. Para tas. Outro aspecto que ajuda
Sonequa Martin-Green aceitar jecção mais futurista, e hoje ganha um novo ca- capitã na nave espacial muitos dos fãs, em espe- a moldar este tom sombrio
tal responsabilidade é um como o relacionamento pítulo: “the discovery” “Discovery”. Até a própria cial aqueles mais fanáti- na primeira temporada é a
peso. Mas é preciso que a luta entre espécies, com des- (“a descoberta”): uma escolha da protagonista cos, a série ainda é muito abordagem de temas como
pela afirmação seja uma rea- taque também para as re- nave espacial capaz de foi um passo em busca de fraca, mas quem apenas tortura e abuso sexual, em
lidade, bem como a abertura lações sexuais – um tema nos levar aos locais mais um novo futuro e uma busca por uma aventura especial tendo em conta que
para quem pretende fazer que já tinha sido contes- recônditos do universo, aposta de risco, pelo facto em mundos desconheci- os fãs de “Star Trek” não têm
carreira. A construção de um tado nas edições ante- para explorar novas ga- dela ser mulher e negra. dos, com outras espécies uma idade definida. Para
país passa também pela pos- riores de “Star Trek”, que láxias e conhecer outros Muitos dos fãs da série vivas, espalhadas pelo quem espera uma viagem
sibilidade dos seus melhores na época ousou mostrar seres vivos. icónica já protestaram por Universo, então “Disco- espacial pelo desconhecido
filhos mostrarem o seu valor, o primeiro beijo homos- Numa aventura pelas esta escolha da CBS. Po- very” é a proposta certa, e ver novos mundos, pensar
uma vez que a fuga de “cé- sexual da TV. várias galáxias do univer- rém, mostrou, nesta se- com a dose certa de tudo na possibilidade de ser “abu-
rebros” é um facto real e co- Porém, acima de aná- so, a série, que pode ser gunda temporada, ter sido um pouco que nos torna sado” pode retirar a vontade
mum em África. lises a questões sociais, vista na Netflix, está cen- uma escolha acertada e humano e o mistério do para embarcar na aventura.
“Star Trek” é uma viagem trada na vida de Michael uma forma de mostrar a desconhecido.
12 Domingo
7 de Abril de 2019

PUBLICIDADE

(600.013a)
Domingo
7 de Abril de 2019 13
PUBLICIDADE

(700.029)
Domingo
7 de Abril de 2019 CONCERTO 14
SELDA, A MORENA DE CÁ
Artista madura
no Show do Mês
Selda voltou a pisar o palco do Royal Plaza e fez o impulso inicial para a VI Temporada do Show do Mês, da
mesma forma que em Janeiro de 2014 foi a escolhida para a estreia do projecto que a Nova Energia
implementou, trazendo ao mesmo tempo ao mercado as marcas da qualidade e da pontualidade

Analtino Santos Jomo Fortunato, assim como


EDIÇÕES NOVEMBRO
“Renúncia” e “Mufete” de
Outra das marcas do Show André Mingas, juntaram-se
do Mês é um canal no You- a outros temas que constam
tube, considerado por Yuri do álbum “Morena de Cá”,
Simão como sendo “a maior como “Palavras Doces”, “És
e melhor plataforma de con- Tu e Você”, o tema que dá
teúdos de música angola- titulo à obra e a nostálgica
na” e que permite o acompa- “Aquela Rua”.
nhamento dos concertos à Sendo que a escolha de
distância. Selda para actuar em Março
A cantora subiu ao palco foi propositada, o facto ficou
depois do habitual pedido bem vincado por ela ao co-
de Yuri Simão para dar mais locar no reportório “Natural
luz à plateia. Sem o apre- Woman”, tema que ganhou
sentador de serviço, Salú projecção mundial na voz
Gonçalves, o concerto co- da rainha da Soul-Music
meçou com Selda a cantar Areha Franklin, ganhando
“Apaixonada”. o estatuto de hino de movi-
No mês dedicado à mu- mentos feministas.
lher, Selda partilhou um texto Selda, com o seu concerto,
em que foca a violência do- abriu alas para a próxima atrac-
méstica que tem estado nas ção do Show do Mês: o vete-
pautas noticiosas, antes de rano músico Ruy Mingas.
cantar “Mais Mulher”, com-
posição de Filipe Zau que Percurso do talento
passa uma mensagem muito Selda, nome artístico de Gui-
feminista. selda Tainara Salgueiro Por-
Totó ST foi o primeiro con- telinha, nasceu no Huambo
vidado a subir ao palco, fa- e passou a infância na cidade
zendo um dueto com Selda do Lubango e a juventude
em “Cio”, de André Mingas, em Luanda, com uma curta
e fechando com o seu próprio passagem por Lisboa. Criança
tema “Dois em Um”. Outra ainda participa em festivais
convidada, Carla Morena nas escolas. Aos 14 anos foi
partilhou o tema “Eu não apresentada ao cantor Zé EDIÇÕES NOVEMBRO

vou”, dos Fat Family e acabou Maria Boyoth e mais tarde


trazendo Cabo Verde à sala dois jovens músicos, Toty
apinhada com a interpretação Samed e Caetano, que ti-
de “Tunuka”, original dos nham uma banda, cruzam
imortais “Tubarões” capi- no seu percurso e passa a
taneados por Ildo Lobo. ensaiar com os mesmos no
O seu lado Rock fez-se Restaurante Kings Club, em
presente em “Heaven”, do Luanda. Selda é dona de uma
canadiano Bryan Adams, e voz inconfundível que viaja
a paixão pela música brasileira musicalmente pela Soul-
em “Oceano”. de Djavan. Music, Afrojazz, Blues, Bossa
Nestes dois temas, Mário Go- Nova e Zouk Love. Possui
mes provou que também tem várias distinções, entre as
a veia roqueira e na segunda quais “Voz Revelação” no
o dedilhar e as dissonantes Top Rádio Luanda, em 2012.
de Carlos Praia harmonizaram Partilhou o palco com estrelas
com os sopros de Raidel. “Re- mundiais nos festivais Sons
viravolta”, composição de do Atlântico e Jazzing.
Domingo
7 de Abril de 2019 ROTEIRO DE CASA 15
Estreias-TVcine Filmes Mais pequenos Futebol
Planeta dos Macacos Braven Petro enfrenta 1º de Agosto
O astronauta americano George Taylor
(Charlton Heston) aterra por acidente
num planeta habitado por macacos fa-
A história de Pedrito Coelho
lantes. Os animais dominam o lugar, A série conta a
escravizando os seres humanos, inclusive história de Pedrito
George e os tripulantes da nave. Agora, Coelho que vive
o astronauta terá que lutar pela sua li- num lago no
berdade e os outros. Filme de ficção norte de
científica, baseado no romance homó-
nimo de Pierre Boulle. . Inglaterra. Ele é
muito traquino e
Quinta-feira, às 22h00 no TVCine 2. Quando Joe Braven, um humilde matreiro, capaz
lenhador, se vê confrontado com de ultrapassar
um grupo de traficantes de droga, todos os
na sua cabana isolada nas mon-
tanhas, vai fazer tudo para proteger obstáculos, supera
a sua família...até mesmo caçar! predadores e evita o perigo. Petro de Luanda e 1º de Agosto disputam hoje, às 16h00, no
Quando crescer o Pedrito quer Estádio Nacional 11 de Novembro, no município do Kilamba
Domingo - 21h30 ser como o seu pai, que é o seu Kiaxi, nesta cidade, em jogo de realce para a 23ª jornada do
grande modelo. Entretanto, vai Campeonato de Futebol da I Divisão, Girabola'2018/2019.
Um jogo aguardado com bastante expectativa pelos exigentes
O Espírito da Festa vivendo muitas aventuras com adeptos das equipas em confronto. Os tricolores dominam
os seus amigos, o primo as estatísticas nos jogos entre si, com 31 triunfos, 21 empates
Benjamim e a nova amiga Lily. e 25 derrotas contra 25 vitórias e 31 desaires dos militares
Amanhã - 07h30 do Rio Seco. As equipas jogam o 78º derby do Girabola, onde
o conjunto do Eixo Viário lidera com 15 títulos de campeão
nacional, enquanto a formação do Rio Seco tem 12 troféus
da compita. Na primeira volta, o Petro perdeu com 1º de
Agosto, por 0-1, no mesmo recinto desta tarde e pretende
desforrar-se da derrota.
Hora: 16h00
Elena de Avalor Local: Estádio Nacional 11 de Novembro
Conheça a história de Elena de Jornada: 23ª
Avalor, uma jovem que, depois Competição: Girabola No canal de TV: TPA 1 e Zap

A empresa de Max prepara uma de salvar o seu reino das garras


festa de casamento, num palácio de uma cruel feiticeira, precisa Séries
francês do século XVII. Recrutou
uma equipa de empregados e
cozinheiros, além de ter aconse-
assumir a coroa e aprender a
comandar o seu povo, Barry
lhado o casal em relação ao fo-
enfrentando desafios e
tógrafo e reservado a banda: tudo obstáculos com a ajuda de
para que a festa seja um suces- alguns amigos mágicos.
so. Hoje, 07h30 - 08h00
Domingo - 18h20

A Lei do Ódio O Último Retrato


A Lei do Ódio conta a história do velho
xerife Sam Burgade (Charlton Heston),
que se torna alvo de uma vingança.
Numa poeirenta cadeia, no início do Chovem Almôndegas
ano 1900, o rebelde Zach Provo (James Numa cidade obcecada com
Coburn) organiza a fuga com outros sardinhas que não o surpreende,
seis condenados. Provo não está à pro-
cura de liberdade, ele quer vingar-se Flint Lockwood é um jovem a
do homem que o aprisionou anos antes tentar mudar o mundo, invenção
e que foi também o responsável pela a invenção. A sorte dele é que a Barry, frustrado, perde uma aula de representação para
morte da sua mulher, atingida por uma sua melhor amiga e aspirante, a honrar uma obrigação. Os detectives Moss e Loach tentam
bala durante o tiroteio que originou a meteorologista Sam juntar as peças todas do puzzle para resolverem um assassinato.
sua captura. Mas como Burgade, agora Gene pressiona Barry a arriscar mais.
reformado, não quer nada com armas De visita a Paris, em 1964, James Sparks, está lá para
nem duelos, Zach Provo resolve raptar Lord, um escritor americano e o ajudar! 7 Abr - 04h55 - TVSéries HD
a sua filha Susan (Barbara Hershey) e amante das artes, é convidado Hoje - 08h20
ameaça matá-la se Brugade se recusar pelo reconhecido artista Alberto
a confrontá-lo. Sem opções, Burgade Giacometti a pousar para um re-
coloca os revólveres no coldre e parte trato. Assim começa a história
no encalço do assassino Provo. de amizade entre dois homens
profundamente diferentes...
Quinta-feira, às 22h00 no TVCine 2 Domingo - 12h25

Rainha do Pecado
Doodleboo T1
Com alguns
traços do seu
lápis,
Doobleboo
consegue
sempre
Posy Pinkerton tem um noivo fazer um
perfeito e uma vida perfeita. Mas desenho
não consegue ficar indiferente divertido,
ao misterioso Jack e sente-se
tentada a conhecê-lo melhor. Na que ganha
vida assim
Brooklyn Nine-Nine T6
internet, Posy cria um alter ego Charles envolve Jake num caso, quando um terapeuta reporta o
para uma última aventura antes que acaba de desaparecimento de um dos pacientes. Holt descobre que Rosa
do casamento: Rainha do Peca- ser colorido. tem uma nova namorada que todos já conheceram. Amy acredita
do. Hoje, que recebeu, acidentalmente, uma encomenda destinada a Terry.
Domingo - 16h05 09h22
Domingo - 7 Abr - 14h05 - TVSéries HD
16 ROTEIRO DE RUA Domingo
7 de Abril de 2019

Música Leitura Filmes Exibição (Cinemax)

Renata Torres Cai na real Corgi


em Stand Up Comedy Actores: Jack Whi-
- Vamos Falar a Sério tehall, Julie Walters,
Tom Courtenay
Ano: 2019
A produtora cultural Kianda Sessions organiza Argumento: Rob
na sexta-feira, às 19 horas, no Elinga Teatro, o Sprackling, Johnny
espectáculo de Stand Up Comedy de Renata Smith
Torres, intitulado Vamos Falar a Sério. Duração: 92 minutos
O evento tem como finalidade satirizar os mais Género: Animação
variados aspectos sociais, através do Stand Realizador: Vincent
Up Comedy, um estilo de humor em palco. Kesteloot, Ben Stas-
Renata Torres abordará diversos temas e terá sen
como convidados os humoristas Maestro e Sinopse
Laureth Manuel, o poeta Zola Ramos e o músico Rex, o Corgi predi-
Cirius Vibez. A apresentação será feita por lecto da Rainha Isa-
Ismael Farinha e Rosene Maura. Renata Torres bel II, foge do Palácio
nasceu a 1 de Julho em Luanda, é formada em e perde-se em Lon-
Artes Visuais pela Universidade Estadual de dres. Dá consigo
Londrina no Brasil, possui formação comple- num Abrigo para
mentar e técnica em Teatro, Moda, Cinema, Cães, onde só pode
Fotografia e Dança. É artista visual, actriz, per- contar com a ajuda
former, comediante e professora. É co-fundadora do mais rafeiro dos
da produtora Envolve Lda e professora do De- rafeiros…
partamento de Artes Visuais, no curso de Moda
do Instituto Superior de Artes de Angola (ISART).
A Kianda Sessions tem como principal finalidade
fomentar a indústria cultural e vem realizando Shazam!
diversas actividades nas mais variadas disciplinas
artísticas, apostando nos novos rostos. Faz
parte também da sua agenda a produção de
festivais culturais. A produtora funciona desde Actores: Zachary Levi,
o ano passado. L o v i n a Ya va r i , M a r k
Strong
Sexta-feira
19 horas Ano: 2019
Elinga Teatro Argumento: Henry Gay-
den
Género: Fantasia, Acção
Realizador: David F.
Sandberg

Sinopse

Todos nós temos um su-


per-herói dentro de nós,
A’Mosi Just A Label no MAAN basta um pouco de má-
gica para trazê-lo para
A’Mosi Just A Label actua na quinta-feira, no Auditório do Memorial Dr. fora. No caso de Billy Bat-
António Agostinho Neto, pelas 19h00. O artista que já usou o seu nome son, gritando uma palavra
próprio, Jack Nkanga, criou o Konono Soul Music, uma sonoridade que - SHAZAM! - Esse garoto
une o tradicional Zombo ou Bazombo a sons popularmente conhecidos adoptivo de 14 anos de
a nível mundial. É música da nova era com características muito próprias. idade pode se transfor-
A’Mosi escreve poesia, textos e letras baseados na intuição humana, en- mar no super-herói adulto
fatizando o bem geral da natureza. O Konono é um género musical do Shazam.
subgrupo étnico Bazombo, da etnia Bakongo, localizado no Norte de
Angola entre a Damba e Maquela do Zombo. Através da música, A’Mosi
Just a Label tenta ajudar-se a si mesmo e outros a compreender e respeitar
a vida, desfrutar da liberdade, celebrar a vida e viver a felicidade eterna.
Os acessos são livres, fruto da parceria que o MAAN tem com a iniciativa
Caixa Artes do Banco Caixa Angola. Lançamento Pet Samatary
Quinta-feira
Actores: John Lithgow,
Investigação Criminal
Auditório do Memorial Dr. António Agostinho Neto
19h00 Jason Clarke, Amy Sei-
metz
e Publicidade Processual Ano: 2019
Argumento: Stephen
No Camões-Centro Cultural Português no âmbito King, Jeff Buhler
da Promoção de Jovens Escritores acontece nesta Género: Terror
terça-feira o Lançamento da primeira obra literária Realizador: Kevin Kölsch,

Festival Anima BR “A Cassule” de Ella Van-Dúnem, da qual consta


77 poemas da jovem poetiza. Segundo Álvaro
Macieira, que fez o Prefácio e fará a apresentação
Dennis Widmyer

Sinopse
no Centro Cultural Brasil-Angola da obra, “a poesia que nos chega repentinamente
na primeira pessoa sem fronteiras, sem desprimor,
Uma família se muda pa-
ra uma nova casa, loca-
sem pudor, sem dor, sem subterfúgios e sem lizada nos arredores de
medo. Considera que a poesia vem directamente um antigo cemitério amal-
da alma, do sentimento, da observação acutilante diçoado, usado para en-
A Embaixada do Brasil e o Centro Cultural do Brasil-Angola (CCBA) e atenta dos fenómenos sociais que a circundam, terrar animais de esti-
promovem de 9 a 18 de Abril o festival Anima BR, composto por seis da sua vivência universal, da sua Marinela (ELLA) mação, mas que já foi
curtas e oito longas-metragens de animação, escolhidas entre as melhores Carifete André de Sabugosa Van-Dúnem, cantora, usado para sepultamen-
produções do Brasil nos últimos anos. O evento inclui oficinas, sessões pintora, desenhadora e blogueira, nasceu em to de indígenas. Algumas
comentadas e votações. Os ingressos são gratuitos. Vão ser exibidas as Luanda, em 1993. Passou parte da sua infância coisas estranhas come-
curtas-metragens de animação Égun-Os Mistérios do Mar, Guida, Caminho na África do Sul e a adolescência e a juventude çam a acontecer, trans-
dos Gigantes, Até à China, Eu Queria Ser um Monstro e Vida Maria. As em Houston, nos EUA. Iniciou-se no mundo formando a vida quotidia-
longas-metragens de animação a exibir são Anunnaki-Mensagens do artístico expondo a sua colecção de moda africana na dos moradores em um
Vento, Lino-Uma Ventura de Sete Vidas, Uma História de Amor e Fúria, e os seus desenhos em Feiras Internacionais em pesadelo
O Menino e o Mundo, Tito e os Pássaros, Cidade dos Piratas, Até que a Houston. Como cantora, participou também em
Sbórnia nos Separe, Wood&Stock: Sexo, Orégano e Rock’n’roll inúmeros concertos. A sua maior paixão e tema
central da sua obra, é contribuir para aumentar
Embaixada do Brasil a auto-estima das mulheres.

Quarta-feira, Instituto Superior de Ciências


Policiais e Criminais