Você está na página 1de 5

Potássio

O potássio é um elemento químico de símbolo K (do grego κάλιο


"kalium", nome original da sua base KOH), número atômico 19 (19
prótons e 19 elétrons), metal alcalino, de massa atómica 39 u,
coloração branco prateado, abundante na natureza, encontrado
principalmente nas águas salgadas e outros minerais. Oxida-se
rapidamente com o oxigênio do ar, é muito reativo especialmente
com a água e se parece quimicamente com o sódio.

É um elemento químico essencial para o homem, encontrado em


muitas hortaliças, e essencial para o crescimento das plantas.

Empregado em células fotoelétricas. Foi descoberto por Humphry


Davy, em 1807, a partir da eletrólise do hidróxido de potássio
(KOH).

Principais características
Tem o Raio atômico maior que o do Hélio. É o segundo metal mais
leve. É um elemento muito maleável - pode ser cortado facilmente
com uma faca. Tem um ponto de fusão muito baixo, arde com
chama violeta e apresenta uma coloração prateada nas superfícies
não expostas ao ar, já que se oxida com rapidez. Entretanto, deve
ser armazenado dentro de um recipiente com querosene.

Assim como os demais metais alcalinos, reage violentamente com a


água, desprendendo hidrogênio (H2), podendo inflamar-se
espontaneamente em presença desta substância.
Aplicações
 O potássio é um metal empregado em células fotoelétricas.
 O cloreto de potássio e o nitrato de potássio são empregados
como fertilizantes.
 Potássio é exigido em grandes quantidades pelas plantas por
ser um regulador de pressão osmótica, ativador de enzimas,
além de ser importante na formação de frutos, resistência ao
frio e doenças.[1]
 O peróxido de potássio é usado em aparatos de respiração de
bombeiros e mineiros.
 O nitrato também é usado na fabricação de pólvora, o cromato
de potássio e o dicromato de potássio em pirotecnia.
 O carbonato de potássio é empregado na formação de
cristais.
 A liga NaK, uma liga de sódio e potássio , é um material
usado como transferente de calor.
 O cloreto de potássio é utilizado para provocar parada
cardíaca em injeções letais.

Outros sais de potássio importantes são o brometo de potássio,


cianeto de potássio, iodeto de potássio e o sulfato de potássio,
entre outros. Uma importante base é o hidróxido de potássio.

Os sabões à base de potássio são os chamados "sabões moles",


tais como os cremes de barbear.

Dietas ricas em potássio podem exercer papel na prevenção e


tratamentos da hipertensão arterial reduzindo os efeitos adversos
do consumo de sal.
Ação biológica
O íon K+ está presente nas extremidades dos cromossomos
(telômeros) estabilizando a estrutura. O íon hexaidratado (igual ao
correspondente íon magnésio) estabiliza a estrutura do ADN e do
ARN compensando a carga negativa dos grupos fosfatos.

A bomba de sódio é um mecanismo pelo qual se conseguem as


concentrações requeridas de íons K+ e Na+ dentro e fora da célula -
concentrações de íons K+ mais altas dentro da célula do que no
exterior - para possibilitar a transmissão do impulso nervoso. A
diminuição do nível de potássio no sangue provoca hipopotassemia.

Hortaliças como beterraba e couve-flor e frutas como a abacate,


banana, damasco, cereja, ameixa, pêssego, são alimentos ricos em
potássio.

É um elemento, também, essencial para o crescimento das plantas,


sendo um dos três elementos consumidos em maior quantidade. O
íon potássio, encontrado na maioria dos tipos de solo, intervém na
respiração.

Sua carência nos humanos pode causar: acne, prisão de ventre,


depressão, cansaço, problemas de crescimento, insônia, fraqueza
muscular, nervosismo, dificuldades respiratórias, cãimbras,
retenção de sal e batimentos cardíacos fracos.

Seu excesso (em nível de nutriente), a hipercaliemia ou


hiperpotassemia, nos humanos pode causar: fraqueza e dificuldade
na articulação das palavras.
História
O nome potássio vem do latim científico pontassionim, e este do
neerlandês pottasche, cinza de pote, nome dado por Humphry Davy ao
ser descoberto em 1807. Foi o primeiro elemento metálico isolado por
eletrólise, no caso a partir da potassa (KOH), composto de cujo nome
latino, Kalium, originou o símbolo químico do potássio.

O próprio Davy descreveu o seguinte relato de sua descoberta ante a


"Sociedade Real Britânica" de Londres em 19 de novembro de 1807:
«Coloquei um pequeno fragmento de potassa sobre um disco isolado de
platina comunicando-o com o lado negativo de uma bateria elétrica de
250 placas de cobre e zinco em plena atividade. Um filamento de platina
em contato com o lado positivo foi posto em contato com a parte superior
da potassa. Todo o aparato funcionando ao ar livre. Nestas
circunstâncias manifestou-se uma atividade muito viva; a potassa
começou a fundir-se nos dois pontos de eletrização. Na parte superior
(positiva) ocorreu uma viva efervescência, determinada pelo
desprendimento de um fluido elástico; na parte inferior (negativa) não
ocorreu nenhum desprendimento de fluido elástico, porém apareceram
pequenos glóbulos de vivo brilho metálico semelhantes aos glóbulos de
mercúrio. Alguns destes glóbulos, a medida que formavam, ardiam
explosivamente numa chama brilhante; outros perdiam pouco a pouco o
seu brilho e encobriam-se finalmente de uma crosta branca. Estes
glóbulos formavam a substância que eu buscava, era a base de um
combustível peculiar, era a base da potassa: o potássio.»

A importância da descoberta é a confirmação da hipótese de Antoine


Lavoisier de que a soda e a potassa reagiam com os ácidos do mesmo
modo que os óxidos de chumbo e prata, porque eram formados de um
metal combinado com o oxigênio, finalmente confirmado com o
isolamento do potássio e, uma semana após, o sódio pela eletrólise da
soda. Além disso, a obtenção do potássio permitiu a descoberta de
outros elementos já que, devido a sua elevada reatividade, é capaz de
decompor óxidos retirando-lhes o oxigênio, deste modo, foram isolados o
silício, o boro e o alumínio.

John Ayrton Paris conta a seguinte anedota: logo depois da descoberta


do potássio, Dr. George Pearson visitou o laboratório da Royal Institution
e, sendo apresentado à nova substância, ao observar seu brilho,
exclamou, sem hesitação, "Ora, é um metal, sem dúvida!" e, ao balançar
o elemento em seu dedo, acrescentou, com grande confiança, "Bendito
seja, como é pesado!" A associação entre o brilho metálico e o grande
peso dos metais era tão forte que até enganava os sentidos, pois o
potássio tem densidade menor que a água.