Você está na página 1de 24

AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.

126-EP/EG-0619

05.21 – SISTEMA DE MEDIÇÃO DE FATURAMENTO

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 1 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

ÍNDICE DO CAPÍTULO

1. INTRODUÇÃO................................................................................................................................................ 4

2. ESCOPO......................................................................................................................................................... 5

2.1. Equipamentos .............................................................................................................................................. 5

2.2. Serviços ........................................................................................................................................................ 6

3. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO SISTEMA DE MEDIÇÃO DE FATURAMENTO .................................................... 7

3.1. Configuração Simplificada ........................................................................................................................... 7

4. REQUISITOS DE PROJETO .............................................................................................................................. 8

4.1. Geral ............................................................................................................................................................ 8

4.2. Materiais ................................................................................................................................................... 10

5. REQUISITOS TÉCNICOS .................................................................................................................................10

5.1. Medidores De Energia ............................................................................................................................... 10


5.1.1. Características Funcionais dos Medidores de Energia ...................................................................... 11
5.1.2. Características Elétricas Dos Medidores ........................................................................................... 12
5.1.3. Características Construtivas Dos Medidores .................................................................................... 12
5.1.4. Certificado De Aprovação De Modelo .............................................................................................. 13

5.2. Transformadores de Instrumentos ............................................................................................................ 14

5.3. Comunicação Do Sistema De Medição ...................................................................................................... 14

5.4. Blocos Terminais ........................................................................................................................................ 15

5.5. Painéis do Sistema de Medição de Faturamento ...................................................................................... 15


5.5.1. Arranjo interno e componentes do painel ........................................................................................ 15
5.5.2. Dimensões ........................................................................................................................................ 16
5.5.3. Pintura e acabamento....................................................................................................................... 16
5.5.4. Fontes de alimentação ...................................................................................................................... 16
5.5.5. Aterramento ..................................................................................................................................... 17

5.6. Cabeamentos e Interligações .................................................................................................................... 18


5.6.1. Seção Mínima de Condutores e Propriedades .................................................................................. 18
5.6.2. Requisitos para Cabeamento Estruturado ........................................................................................ 18

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 2 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

6. DOCUMENTAÇÃO ........................................................................................................................................19

6.1. Geral .......................................................................................................................................................... 19

6.2. Documentação De Projeto ......................................................................................................................... 19

7. ENSAIOS DE ACEITAÇÃO ..............................................................................................................................21

7.1. Ensaios de aceitação em Fábrica ............................................................................................................... 22


7.1.1. Ensaios De Rotina ............................................................................................................................. 22

7.2. Ensaios de aceitação em campo ................................................................................................................ 23

8. NORMAS E PADRÕES ...................................................................................................................................24

ÍNDICE DE TABELAS

Tabela 1: Seções Mínimas de Condutores ............................................................................... 18


Tabela 2: Propriedades dos condutores ................................................................................... 18

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 3 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO

1. INTRODUÇÃO

Esta especificação técnica define o escopo e os requisitos técnicos para o fornecimento de


equipamentos, materiais, sistemas e serviços para o Sistema de Medição de Faturamento (SMF)
da PCH Poço Fundo.

O escopo para fornecimento do SMF inclui, mas não se limita a: elaboração dos projetos
executivos; fornecimento de painéis para medição de faturamento, de medidores de energia, de
cablagem e vias de cabos; serviços de ensaio de fábrica, transporte, montagem em campo,
supervisão de montagem em campo, comissionamento e supervisão de comissionamento, bem
como integração do Sistema de Medição de Faturamento da PCH Poço Fundo com a Central de
Leituras da CONTRATANTE, com a Distribuidora acessada e com a CCEE.

Eventuais dúvidas quanto a aspectos que envolverem qualquer decisão técnica sobre o
fornecimento deverão ser resolvidas junto a CONTRATANTE, quando da elaboração da proposta
técnico-comercial, respeitando os limites de prazos para pedidos de esclarecimentos indicados
no Edital de Licitação.

Os equipamentos, objeto desta especificação, serão construídos para operar nas seguintes
condições ambientais:

 Clima ...................................................................... Tropical Quente Semi-úmido


 Altitude .................................................................................................. <1.000m
 Umidade relativa do ar .......................................................................77% a 81%
 Temperatura mínima...................................................................................... 0ºC
 Temperatura máxima ................................................................................... 45ºC

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 4 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

2. ESCOPO

A CONTRATADA, salvo onde especificado em contrário, proverá toda a mão-de-obra, serviços,


materiais, instalações e componentes necessários ao fornecimento do Sistema de Medição de
Faturamento aqui especificado, sendo que o projeto e o detalhamento de todos os componentes
e equipamentos incluídos no fornecimento deverão obedecer às diretrizes desta Especificação
Técnica.

As quantidades e características específicas de cada sistema e equipamentos, bem como dos


serviços estão definidas nesta Especificação Técnica.

2.1. Equipamentos

Deverão ser fornecidos os seguintes equipamentos:

a) 02 (dois) Medidores para Faturamento de Energia, conforme requisitos do item 5.1, sendo
um medidor Principal e outro como Retaguarda;

b) 01 (um) painel completo para o Sistema de Medição de Faturamento de Energia, com


todos os acessórios necessários ao seu perfeito funcionamento, conforme requisitos do
item 5.5;

c) Cabos para interligação dos medidores com os transformadores de instrumentos,


conforme item 5.6;

d) Equipamentos e acessórios para a Rede de Comunicação dos Medidores de Energia,


Central de Leituras e acesso remoto aos Medidores, conforme item 5.3;

e) Cabos para interligação dos Medidores de Energia com o Sistema de Telecomunicações


da PCH Poço Fundo, conforme critérios estabelecidos no item 5.6.2 desta Especificação
Técnica. A quantidade deverá ser prevista pela Proponente;

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 5 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

2.2. Serviços

a) Elaboração de Projeto Executivo para instalação do Sistema de Medição de Faturamentos


(Painel de Medição, Medidores de Energia, Transformadores de Instrumentos, Vias de
Cabos, Cabeamento, Caixas Terminais, Disjuntores, etc), conforme item 6;

b) Instalação dos Medidores de Energia no painel de medição fornecido, com todos os


acessórios necessários ao seu perfeito funcionamento;

c) Configuração e parametrização dos medidores instalados;

d) Lançamento de todo o cabeamento necessário para o funcionamento do Sistema de


Medição de Faturamento, tais como telecomunicação, alimentação do painel, interligação
do painel com os transformadores de instrumentos e quaisquer outros que se façam
necessários;

e) Lançamento de cabos de comunicação e montagem de vias de cabos, conforme projeto


aprovado pela CONTRATANTE, para interligação entre os Medidores de Energia e o
Painel de Comunicação da Usina, em conformidade com item5.6;

f) Configurar e colocar em funcionamento todos os equipamentos e acessórios de


telecomunicação do SMF, conforme item 5.3;

g) Elaborar o Caderno de Medições da instalação, conforme item 6;

h) Elaborar relatório técnico das atividades realizadas, conforme Submódulo 12.3 dos
Procedimentos de Rede;

i) Inspeção, testes de fábrica e comissionamento de campo conforme o item 7;

Todos os serviços, materiais, ferramentas e equipamentos necessários para a instalação do


Sistema de Medição são de responsabilidade da Contratada.

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 6 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

3. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO SISTEMA DE MEDIÇÃO DE FATURAMENTO

3.1. Configuração Simplificada

Figura 1 - Esquema simplificado do SMF da PCH Poço Fundo

O Sistema de Medição para Faturamento (SMF) será composto basicamente pelos


Transformadores de Instrumentos (TIs), os Medidores de Energia Principal e Retaguarda, os
equipamentos de telecomunicação como conversores, switches, routers e modems, o canal de
comunicação entre a instalação e os agentes que precisam acessar as informações relativas à
medição e todos os equipamentos de interligação desses sistemas.

Os TIs serão instalados no sistema de potência de forma a medir a energia líquida entregue pela
PCH no ponto de conexão ao sistema elétrico. Haverá um Painel de Medição, onde serão
instalados os dois Medidores de Energia. Um deles atuará como principal e o outro como

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 7 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

retaguarda, funcionando como contingência em caso de falha do Medidor Principal. Esses


medidores deverão estar disponíveis para acesso remoto pela CCEE, pela Central de Leituras
da CEMIG e pela Distribuidora Acessada. A comunicação desses agentes com os Medidores de
Energia se dará através dos equipamentos de telecomunicações da PCH/SE e do Canal de
Comunicação que será provido. A Figura 1 mostra um esquema simplificado desse sistema com
seus principais pontos.

4. REQUISITOS DE PROJETO

4.1. Geral

O projeto e o detalhamento de todos os componentes e equipamentos incluídos neste


fornecimento deverão obedecer às diretrizes desta Especificação Técnica, às Normas Técnicas
que regem o tema, às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego, aos
Procedimentos de Rede e aos Procedimentos de Distribuição e as Normas de Distribuição da
Acessada (Cemig ND 5.31).

No caso de discordância entre estas diretrizes e Normas ou outros documentos de referência, o


assunto será objeto de mútuo acordo entre a CONTRATADA e a CONTRATANTE. Não havendo
acordo mútuo, prevalecerá o prescrito na Especificação Técnica.

Exceto quando explicitamente exigido de outra forma nesta especificação, devem ser
consideradas aplicáveis as últimas revisões das Normas relacionadas a seguir, em vigor na data
da abertura da Licitação.

 ABNT NBR NM 247-3 – Cabos Isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões
nominais até 450/750V, inclusive – Parte 3 – Condutores Isolados (sem cobertura) para
instalações fixas (IEC 60227 – 3 MOD);
 ABNT NBR NM 280 – Condutores de cabos isolados – (IEC 60228, MOD);
 ABNT NBR 5410 – Instalações elétricas de baixa tensão – Procedimento;
 ABNT NBR 6251 – Cabos de potência com isolação extrudada para tensões de 1 a 35kV
– Padronização;
 ABNT NBR 6323 – Aço ou ferro fundido – Revestimento de zinco por imersão a quente –
Especificação;

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 8 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

 ABNT NBR 6649 – Chapas finas a frio de aço-carbono para uso estrutural –
Especificação;
 ABNT NBR 6650 – Chapas finas a quente de aço-carbono para uso estrutural –
Especificação;
 ABNT NBR 7034 – Materiais Isolantes Elétricos – Classificação Térmica;
 ABNT NBR 7098 – Desempenho dos contatos dos relés elétricos – Especificação;
 ABNT NBR 7289 – Cabos de controle com isolação sólida extrudada com polietileno (PE)
ou cloreto de polivinila (PVC) para tensões de até 1kV – Especificação;
 ABNT NBR 7290 – Cabos de controle com isolação sólida extrudada com polietileno
reticulado (XLPE) ou borracha etileno-propileno (EPR) para tensões até 1 kV;
 ABNT NBR 8669 - Dispositivos fusíveis limitadores de corrente;
 ABNT NBR 13248 – Cabos de potência e condutores isolados sem cobertura, não
halogenados e com baixa emissão de fumaça, para tensões até 1kV – Requisitos de
desempenho;
 ABNT NBR 14039 – Instalações Elétricas de Média Tensão de 1,0kV a 36,2kV;
 ABNT NBR 14519 – Medidores Eletrônicos de Energia Elétrica (estáticos) –
Especificação;
 ABNT NBR 14520 – Medidores eletrônicos de energia elétrica (estáticos) – Método de
ensaio;
 ABNT NBR IEC 60439-1 – Conjuntos de manobra e controle em baixa tensão. Parte 1:
Conjuntos com ensaio de tipo totalmente testados (TTA) e conjuntos com ensaios de tipo
parcialmente testados (PTTA);
 ABNT NBR IEC 60529 – Graus de Proteção para Invólucros de Equipamentos Elétricos
(Código IP);
 ABNT NBR IEC 60947-2 – Dispositivos de manobra e comando de baixa tensão – Parte
2 Disjuntores;
 IEEE-519 – Recommended Practices and requirements for Harmonic Control in Electrical
Power Systems;
 11.999-EP/EG-546b – Proteção Anticorrosiva – Especificação Técnica;
 ABNT NBR11003 – Tintas – Determinação da aderência;
 NR10 – Norma Regulamentadora – Segurança em Instalações e Serviços em
Eletricidade;
 NR-35 – Norma Regulamentadora – Trabalho em altura;

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 9 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

 ONS – Módulo 12 – Procedimentos de Rede – Medição para Faturamento.

Outras normas poderão ser aceitas desde que, após submetidas à apreciação, sejam
autorizadas pela CONTRATANTE.

É permitida a utilização de normas de outras organizações desde que elas assegurem qualidade
igual ou superior à assegurada pelas normas relacionadas acima e que não contrariem esta
Especificação. Se forem adotadas, elas devem ser citadas nos documentos de projeto e, caso a
CONTRATANTE julgue necessário, o proponente deverá fornecer uma cópia.

Todos os documentos citados como referências devem estar à disposição do inspetor da


CONTRATANTE no local da inspeção.

4.2. Materiais

Todos os materiais a serem usados na fabricação dos equipamentos serão novos e da mais alta
qualidade, livre de defeitos e imperfeições e estarão de acordo com as recomendações das
Normas ABNT e ASTM aplicáveis.

5. REQUISITOS TÉCNICOS

5.1. Medidores De Energia

As características funcionais, elétricas e construtivas dos medidores eletrônicos de energia


elétrica para ligação indireta, objeto desta especificação técnica, deverão estar de acordo com o
descrito em 5.1.1, 5.1.2, 5.1.3 e 5.1.4.

Para as características não mencionadas, o medidor deve atender aos requisitos estabelecidos
nas normas ABNT NBR 14519 e ABNT NBR 14520, ou suas equivalentes internacionais aceitas
para aplicação destes medidores no que diz respeito à medição de faturamento em pontos de
intercambio (Fronteira) e Consumidores Livres.

Os Medidores de Energia deverão atender aos requisitos da Especificação Técnica CCEE/ONS,


constante dos Procedimentos de Rede do ONS, módulo 12, Medição para Faturamento. Caso

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 10 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

haja alguma discordância, deverá ser fornecida uma lista dos itens que não são atendidos pelo
Medidor ofertado.

Como equipamento de referência cita-se o Medidor Schneider ION8650.

5.1.1. Características Funcionais dos Medidores de Energia

 Medição de energia ativa bidirecional trifásica;


 Medição de energia reativa bidirecional trifásica (quatro quadrantes);
 Registros das variações de tensão de curta duração a partir de níveis programados;
 Programação/leitura local e remota, através de software instalado em
microcomputador/notebook sem a necessidade de acesso ao painel frontal dos
medidores;
 Programação de código de identificação alfanumérico de 14 (quatorze) dígitos;
 Programação de horário de verão;
 Funções de autodiagnóstico executadas periodicamente (no mínimo cada 24 horas);
 Mensagens de erros detectados no autodiagnóstico, através de indicador local e
disponível remotamente;
 Indicação de energia ativa e reativa trifásica, com sinalização de sentido do fluxo
discriminando energia fornecida e recebida;
 Registro com data e hora das últimas 15 ocorrências de falta de alimentação e 15
ocorrências de alterações realizadas na programação do medidor;
 Armazenamento dos dados de energia ativa e reativa de forma bidirecional, em intervalos
de 5 (cinco) minutos durante o período mínimo de 37 (trinta e sete) dias;
 Possibilidade de fazer leitura parcial da memória de massa, permitindo neste caso a
leitura apenas dos dados requeridos;
 Comunicação através de rede local padrão ethernet;
 Possibilidade de interligação entre medidores através de porta de comunicação padrão
RS 485;
 Preservação dos registros durante as perdas de alimentação por pelo menos 120 horas;
 Relógio interno com opção de sincronismo externo via comando por central de leituras e
por GPS;
 Deverão permitir acesso remoto através do software ION Enterprise diretamente;

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 11 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

 Deverão possuir saída de comunicação ótica para controle de demanda de


consumidores.
 Registros de Variação de Tensão de Curta Duração (VTCD / Sag Swell), armazenando
em memória local pelo menos a ultimas 100 ocorrências.
 Os medidores devem permitir o acesso, pela Interface Ethernet interna dos medidores,
de até 4 (quatro) Mestres simultaneamente, uma vez que as informações produzidas por
estes medidores como: Tensão, Corrente, VTCD, Potências, Energias, Harmônicos, etc,
possam ser compartilhadas por diversos setores da Cemig, ou que setores diferentes
busquem informações diferentes pertinentes a sua utilização, como Medição de
Faturamento, Operação, Qualidade, Planejamento entre outros.

5.1.2. Características Elétricas Dos Medidores

 Classe de exatidão de 0,2 conforme as normas NBR 14519 e 14520, ou suas


equivalentes internacionais aceitas para as aplicações citadas;
 O medidor deve ser apropriado para ligação indireta a 4 (quatro) fios (estrela) e indireta
a 3 (Três) fios (delta);
 3 (três) tensões de entrada de 115V nominais, fase - neutro, faixa automática de operação
no mínimo de 90V a 130V (permanecendo dentro da classe de exatidão);
 3 (três) correntes de entrada de 5A nominais, faixa automática de operação de 0 a 10A
(permanecendo dentro da classe de exatidão);
 Frequência de 60 Hz;
 Corrente de partida de 0,5% In (corrente nominal);
 Consumo do circuito de corrente por elemento: até 0,5 VA nas condições nominais de
temperatura, frequência, tensão e corrente;
 Consumo do circuito de tensão por elemento: até 0,5 VA nas condições nominais de
temperatura, frequência, tensão e corrente;
 Consumo do circuito de alimentação auxiliar: até 20 VA;
 O medidor não deve ter circuito de alimentação interno ligado diretamente nos circuitos
de potencial (Auto-Alimentado).

5.1.3. Características Construtivas Dos Medidores

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 12 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

 4 (quatro) bornes para conexão de 3 (três) tensões fase e 1 (um) neutro, adequados para
a conexão de cabos de bitola 1,5 a 6 mm2;
 6 (seis) bornes para entrada e saída de 3 (três) correntes, para a conexão de cabos de
bitola 2,5 a 16 mm2;
 Mostrador (display) LCD alfanumérico;
 Diodos emissores de luz (LED) ou infravermelho para energias ativa e reativa com taxas
de pulso proporcionais às grandezas medidas, para calibração em campo ou laboratório;
 Porta ótica de comunicação para programação/leitura local;
 1 (uma) porta de comunicação serial padrão RS232/RS485;
 1 porta de comunicação Ethernet que permita no mínimo 4 acessos simultâneos;
 As portas de comunicação remota para acesso da CONTRATANTE e CCEE, devem
atender a um dos protocolos: Modbus RTU, ABNT (NBR14522), DNP 3.0, ION, IEC
60870-5-102;
 Módulo de memória de massa não volátil, com capacidade mínima para 4 (quatro) canais
de registros de 5 (cinco) minutos, durante 37 (trinta e sete) dias (grandezas a serem
programadas: energia ativa fornecida e recebida, energia reativa fornecida e recebida);
 Temperatura de operação: -10 (menos dez) a +45 (mais quarenta e cinco) graus Celsius;
 Dispositivos de selagem do invólucro do medidor adequados para receber selos com
cabo de diâmetro menor ou igual a 1,8mm;
 O medidor em formato socket deverá ser fornecido acompanhado de uma base para cada
medidor.

5.1.4. Certificado De Aprovação De Modelo

Os medidores devem ter certificado de aprovação ou protocolo de entrada para início de


aprovação emitido pelo INMETRO até a data do processo licitatório. Os medidores devem estar
ainda aprovados para utilização em consumidores livres pela CCEE e no Laboratório de medição
da CONTRATANTE. Caso o proponente utilize medidor que possua apenas protocolo e o mesmo
não seja aprovado pelo INMETRO o proponente deverá substituir todos os medidores instalados
por medidores aprovados no INMETRO e compatíveis com o módulo 12 dos procedimentos de
rede do ONS.

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 13 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

5.2. Transformadores de Instrumentos

Serão utilizados os enrolamentos secundários dos transformadores de instrumentos


especificados no Capítulo 06 – Requisitos Técnicos dos Equipamentos e Sistemas do STA dessa
especificação técnica, que atendam aos requisitos de precisão do Submódulo 12 dos
Procedimentos de Rede.

5.3. Comunicação Do Sistema De Medição

Deverão ser fornecidos, instalados, configurados e colocados em funcionamento todos os


equipamentos necessários para permitir os seguintes acessos aos medidores de energia:

 Remoto pela Central de Leituras da CEMIG;


 Remoto pela CCEE;
 Remoto pela Distribuidora Acessada;
 Acesso local direto aos medidores.

Esses acessos deverão ser possíveis de forma independente e simultânea, ambos através de
rede Ethernet da CONTRATANTE utilizando Protocolo TCP/IP.

A integração dos Medidores de Energia com o Painel de Telecomunicações da PCH Poço Fundo
deverá ser por meio de cabo óptico. Deverão ser fornecidos conversores de mídia adequados
que permitam a comunicação por fibra, além de Mini Distribuidor Óptico Interno ao Painel de
Medição de Faturamento, bem como no Painel de Telecomunicações.

Os conversores de mídia para Ethernet deverão ser alimentados em 125Vcc. Os conectores


ópticos, acessórios e as fusões de fibra fazem parte deste fornecimento.

Os medidores de energia deverão ser integrados a Central de Leituras existente da


CONTRATANTE, sem a necessidade de alteração dessa. A Central de Leituras existente da
CONTRATANTE utiliza o software de leitura “ION Enterprise”.

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 14 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

5.4. Blocos Terminais

Blocos Terminais para os circuitos de corrente e/ou circuitos de potencial e/ou circuito de
alimentação auxiliar deverão ser identificados, adequados para cabos de até 6mm2 (ou superior
caso necessário), com provisão para injeção de corrente, curto-circuito dos TCs (incluindo
acessórios) e isolamento dos circuitos.

Referência: ST6T/1 CONEXEL ou equivalente.

5.5. Painéis do Sistema de Medição de Faturamento

Além dos critérios presentes nesse item 5.5, deverão ser seguidos todos os critérios pertinentes
ao SMF presentes no Capítulo 05.01 – Requisitos Gerais Do Projeto Elétrico e Projeto Mecânico,
dessa Especificação Técnica.

5.5.1. Arranjo interno e componentes do painel

Os painéis deverão ser fornecidos completos e funcionais com todos os componentes,


necessários ao seu funcionamento, incluindo:

• Medidores de energia;
• Chaves de aferição/teste;
• Conversores de mídia;
• Mini distribuidor óptico;
• Placa de montagem;
• Fiação interna;
• Disjuntores;
• Réguas de bornes e acessórios;
• Canaletas;
• Trilhos;
• Placas e plaquetas de identificação;
• Circuito automático de chaveamento de alimentação auxiliar para uma fonte alternativa;
• Tomadas de força para os medidores de energia;

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 15 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

• Barras de terra;
• Resistência anticondensação controlada por termostato (alimentada em 127VCA fase e
neutro);
• Iluminação interna com interruptor (alimentada em 127VCA fase e neutro);
• Tomada monofásica de fase-neutro-terra com padrão de acordo com a ABNT (alimentada
em 127VCA fase e neutro).

Os circuitos dos secundários dos TCs e TPs deverão ser providos de dispositivo de medição,
testes de injeção de sinais e aberturas ou curto circuito. Para tal finalidade, deverão ser
fornecidas chaves de aferição/teste STATES ou equivalente.

5.5.2. Dimensões

Não será aceito painel com medidas inferiores a 800mm de largura por 800mm de profundidade
por 2200mm de altura.

Caso o painel seja colocado adjacente a outros painéis, todos deverão estar alinhados e deverão
ter as mesmas medidas de profundidade e altura, respeitando os mínimos estabelecidos nesse
item.

5.5.3. Pintura e acabamento

A proteção anticorrosiva dos painéis deverá atender aos requisitos da especificação técnica
05.01 – Requisitos Gerais Eletromecânicos.

5.5.4. Fontes de alimentação

O Painel de Medição de Faturamento deverá utilizar duas fontes de alimentação distintas, uma
fonte de Corrente Contínua e outra de Corrente Alternada. As duas fontes trabalharão
alternadamente e nunca simultaneamente. Dentro dos painéis deverá ser instalado um disjuntor
de proteção em cada uma das fontes. Esses disjuntores devem ser dimensionados de acordo

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 16 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

com as normas ABNT pertinentes e de acordo com os parâmetros definidos no Capítulo 05.05 –
Serviços Auxiliares Elétricos - Filosofia CA e CC - Quadros – dessa Especificação Técnica.

Deverá ser instalado, dentro do painel do Sistema de Medição de Faturamento, um sistema de


comutação automática da fonte de alimentação dos medidores. Esse sistema deverá ser capaz
de perceber falta de tensão, subtensão e falta de fase nas duas fontes de alimentação e comutar
entre elas.

A lógica de funcionamento deverá prever que uma das fontes será selecionada como principal e
alimentará os medidores em condições normais. Em caso de falta de tensão, subtensão ou falta
de fase na fonte principal, essa deverá ser desinterligada e a fonte secundária deverá ser
interligada para alimentar os medidores. Ao normalizar a condição da fonte principal, deverá ser
aberta a interligação da fonte secundária e fechada a interligação da fonte principal.

Devem ser consideradas como subtensão todas as tensões abaixo de 90% do valor nominal de
tensão da fonte de alimentação.

O sistema deverá permitir a seleção, através de chave ou dispositivo de fácil acesso, de qual
fonte será considerada principal. Essa chave deverá ser instalada dentro do painel do Sistema
de Medição de Faturamento.

O projeto dessa comutação automática faz parte do projeto executivo que deve ser apresentado
pela CONTRATADA .

Todos os componentes necessários à montagem desse sistema, tais como disjuntores, relés de
subtensão, cabos, conectores, tomadas, bornes, réguas de terminais e outros, serão fornecidos
pela CONTRATADA.

Os parâmetros técnicos das fontes de alimentação como tensão, frequência e demais estão
relacionados no Capítulo 05.01 – Requisitos Gerais do Projeto Elétrico e Projeto Mecânico –
dessa Especificação Técnica.

5.5.5. Aterramento

Deverão ser seguidos todos os critérios de aterramento pertinentes ao SMF constantes no


Capítulo 05.18 – Infraestrutura Elétrica – dessa Especificação Técnica.

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 17 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

5.6. Cabeamentos e Interligações

Além dos critérios presentes nesse item 5.6, deverão ser seguidos todos os critérios de
cabeamento pertinentes ao SMF presentes no Capítulo 05.18 – Infraestrutura Elétrica – dessa
Especificação Técnica.

5.6.1. Seção Mínima de Condutores e Propriedades

Os condutores terão seções mínimas especificadas conforme Tabela 1:

Tabela 1: Seções Mínimas de Condutores


Descrição Seção (mm2) Aplicação
Cabos de controle 1,5
Condutores de alimentação 4,0 Interna e/ou interligação
Secundários de transformadores de corrente 4,0

Como premissa, os condutores devem seguir as propriedades constantes da Tabela 2:

Tabela 2: Propriedades dos condutores


Aplicação Característica do condutor
Tipo encordoamento classe 4 (ou n° superior)
Fiação interna a painéis
Isolação e cobertura 70ºC – 450/750V
Tipo encordoamento classe 2
Interligação
Isolação e cobertura 70ºC – 0,6/1kV

5.6.2. Requisitos para Cabeamento Estruturado

Deverá ser instalado cabeamento estruturado para interligação dos medidores de energia com o
painel de comunicação da Usina. Deverá ser adotado o padrão STP Categoria 6 e Fibra Óptica.

O cabeamento estruturado da rede de dados deverá ser roteado para suas respectivas
interligações através de dutos ou vias de cabos específicos para essa função.

O Cabo Óptico deverá possuir uma quantidade de fibras reserva na mesma quantidade das fibras
em utilização.

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 18 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

Demais requisitos deverão estar de acordo com o especificado no Capítulo 05.18 – Infraestrutura
Elétrica – dessa Especificação Técnica.

6. DOCUMENTAÇÃO

6.1. Geral

Os Documentos de Projeto apresentados pela CONTRATADA deverão obedecer aos requisitos


gerais estabelecidos em toda a seção 6.

Deverão ser seguidos os requisitos da especificação técnica 11.999-EP/EG-608 – Trâmite,


Arquivamento e Requisitos Gerais da Documentação Técnica de Projeto Eletromecânico de
Geração Elaborada pelo Contratado, em todos os assuntos a ela pertinentes.

Os Diagramas Unifilares de Operação deverão seguir os padrões estabelecidos na norma 02118-


EP-5001 – Norma de Elaboração do Diagrama Unifilar de Operação – DUO.

6.2. Documentação De Projeto

Deverá ser fornecida toda a documentação de projeto, que será composta por desenhos novos.
São considerados documentos de projetos Diagrama Esquemático dos painéis do Sistema de
Medição de Faturamento, Memórias de Cálculo, Manual de Montagem, Arquitetura do Sistema
de Comunicação, Desenho Mecânico do Painel, Lista de Materiais, Catálogos de Instrumentos e
Componentes, Desenhos de Transporte, Instruções Detalhadas para testes de campo e
comissionamento e manuais de instruções de transporte, montagem, operação e manutenção.

O projeto será composto no mínimo dos seguintes documentos:

 Lista detalhada dos documentos de projeto;


 Configuração da plataforma de testes funcionais em fábrica conforme especificado no
item 7.1;
 Programa de inspeção e testes em fábrica (PIT);
 Instrução de testes de campo (ITC);

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 19 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

 Relatórios dos Ensaios de Rotina e de Comissionamento;


 Relatório e Certificado de Calibração dos Medidores fornecidos;
 Relatório de serviços realizados, conforme Submódulo 12.3 dos Procedimentos de Rede;
 Vistas frontal, posterior, lateral e interna dos painéis de medição indicando medidores,
chaves de teste, canaletas, dispositivos auxiliares, blocos etc.;
 Diagramas esquemáticos, diagramas de fiação e interligação interna dos painéis de
medição e lista de materiais e componentes;
 Diagramas esquemáticos, diagramas de fiação e interligação dos medidores aos circuitos
de tensão e corrente provenientes dos transformadores de instrumentos e dos circuitos
de alimentação auxiliar dos painéis;
 Diagramas esquemáticos, diagramas de fiação e interligação dos medidores aos
sistemas de telecomunicação;
 Diagrama esquemático do sistema de comutação automática da alimentação auxiliar dos
medidores;
 Memória de cálculo do dimensionamento da cablagem e cargas nominais e relação de
transformação dos TIs. Em função destes cálculos a CONTRATADA deverá confirmar a
bitola mínima especificadas na Tabela 1;
 Deverão ser fornecidos dois cadernos de medição com as seguintes informações:

a) Diagrama Unifilar de Operação da Usina e Subestação, onde se localizará a medição,


mostrando a posição dos TIs, sua interligação aos instrumentos de medição, bem como
suas características, tais como exatidão, relações, fator térmico e constantes;
b) Esquema trifilar dos circuitos de potencial e de corrente, mostrando as interligações entre
os blocos de terminais dos TIs e os painéis de medição;
c) Esquema dos painéis de medição mostrando a interligação com os circuitos de corrente
e de potencial, bem como as ligações dos instrumentos de medição, dispositivos
auxiliares e alimentação;
d) Desenho dos painéis de medição apresentando a localização dos instrumentos de
medição e as medidas dos painéis;
e) Lista de Materiais do painel de medição de faturamento constando todos os componentes
do painel com as respectivas descrições, quantidades, código do fabricante,
nomenclatura conforme ABNT e nome do fabricante;

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 20 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

f) Relatório descritivo do sistema de medição, contendo as características nominais e


memória de cálculo do dimensionamento dos componentes utilizados, tais como:
relações usadas nos TIs e constantes envolvidas, bitola e comprimento dos condutores
e acessórios. Deverão constar também neste relatório os números de série e respectivas
folhas de calibração dos Transformadores de Instrumentos e dos Medidores de Energia;
g) Placas dos TIs demonstrando que os mesmos atendem os itens de exatidão
especificados;
h) Especificação e topologia do sistema de comunicação para leitura remota e local dos
Medidores de Energia, mostrando suas características técnicas e respectivas rotas;
i) Parecer de acesso e Ficha técnica, que serão fornecidos pela CONTRATANTE em tempo
oportuno.

7. ENSAIOS DE ACEITAÇÃO

Todos os materiais, equipamentos e sistemas a serem fornecidos serão inspecionados e


ensaiados com a finalidade de verificar suas características construtivas, o perfeito estado de
funcionamento e a total aderência às características técnicas aqui exigidas no que diz respeito
às funcionalidades, compatibilidade, desempenho, segurança, disponibilidade e expansibilidade.

Estes ensaios deverão ser executados pela CONTRATADA e acompanhados formalmente pela
equipe da CONTRATANTE. Os ensaios serão divididos em:

 Ensaios de Aceitação em Fábrica;


 Ensaios de Aceitação em Campo;

O setor de inspeção da CONTRATANTE deverá ser comunicado da realização dos ensaios e


testes de fábrica, com a antecedência mínima de 15 (quinze) dias. A CONTRATADA deverá
apresentar para aprovação, como parte da documentação de projeto, um roteiro de testes de
fábrica.

Após a CONTRATADA haver comunicado a CONTRATANTE a data da realização dos ensaios


e estando já o Inspetor credenciado pela CONTRATANTE à disposição do mesmo, para sua
realização, se a data de realização dos referidos ensaios for transferida ou o programa de
ensaios interrompido, por falha da CONTRATADA, de seus laboratórios ou dos próprios

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 21 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

equipamentos em questão, todas as despesas provenientes da prorrogação da estada do


Inspetor da CONTRATANTE serão por conta da CONTRATADA, e o valor correspondente será
deduzido pela CONTRATANTE do contrato de fornecimento, tomando por base os numerários
pago ao Engenheiro ou Técnico Supervisor de Inspeção enviado pela CONTRATANTE.

7.1. Ensaios de aceitação em Fábrica

A inspeção e ensaios em fábrica dos equipamentos serão realizados nas dependências da


CONTRATADA, com a presença do Inspetor indicado pela CONTRATANTE, e deverão simular,
na medida do possível, as condições reais às quais os mesmos estarão submetidos no campo.
No mínimo os seguintes ensaios serão conduzidos:

7.1.1. Ensaios De Rotina

7.1.1.1. Ensaios de equipamentos

Os ensaios de rotina serão executados em toda a extensão do fornecimento constando no


mínimo do ensaio dielétrico abaixo:

 Ensaio de tensão aplicada de 2,5 kV no modo longitudinal e 1 kV no modo transversal,


60 Hz durante 1 minuto;
 Calibração dos Medidores de Energia Elétrica – para a realização da calibração dos
Medidores de Energia, os equipamentos envolvidos deverão estar certificados por um
laboratório da Rede Brasileira de Laboratórios de Ensaio – RBLE (conjunto de
laboratórios credenciados pelo Inmetro para a execução de serviços de ensaio) ou por
uma outra instituição de reconhecimento internacional.

7.1.1.2. Ensaios funcionais

Os ensaios funcionais serão executados em uma plataforma que possibilite a comprovação da


funcionalidade e do desempenho global do sistema de medição de faturamento, em todos os

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 22 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

requisitos especificados. Os ensaios funcionais e a plataforma deverão ser propostos pela


CONTRATADA durante a fase de apresentação da documentação de projeto, e submetidos à
aprovação da CONTRATANTE. Os ensaios funcionais deverão ser executados em
equipamentos previamente submetidos aos ensaios de rotina.

7.1.1.3. Ensaio de disponibilidade

Após os ensaios funcionais, a plataforma de testes deverá permanecer em funcionamento


durante 120 horas contínuas sem apresentar qualquer tipo de falha (100% de disponibilidade).
Qualquer falha provocará a reinicialização do ensaio até que se alcance a disponibilidade
especificada;

Os equipamentos que não funcionarem corretamente durante os ensaios deverão ser corrigidos
ou substituídos pela CONTRATADA, e reensaiados até que os requisitos desta especificação
sejam atendidos, sem ônus para a CONTRATANTE e sem prejudicar o prazo de entrega.

A CONTRATADA só poderá providenciar o embarque dos equipamentos quando os resultados


dos ensaios e a inspeção final em fábrica forem considerados satisfatórios pelo Inspetor da
CONTRATANTE.

7.2. Ensaios de aceitação em campo

Após a instalação de todos os equipamentos do sistema, deverão ser realizados os ensaios em


campo para o comissionamento, que serão acompanhados pela Equipe Técnica da
CONTRATANTE. Para estes ensaios, deverão ser no mínimo repetidos os ensaios funcionais
realizados em fábrica e realizados os Procedimentos para Comissionamento do SMF
estabelecidos no Submódulo 12.2 dos Procedimentos de Rede do ONS, tendo-se, no entanto,
condições reais de campo.

Caso estes ensaios não sejam satisfatórios, a CONTRATADA deve sanar os problemas dentro
dos prazos contratuais.

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 23 – 24


AMPLIAÇÃO DA PCH POÇO FUNDO 11.126-EP/EG-0619

8. NORMAS E PADRÕES

Quando não expressamente citado em contrário, todo o fornecimento deverá ser realizado
segundo as normas, conforme sua aplicação, de uma das associações abaixo:

 ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas;


 ANSI – American National Standard Institute;
 IEEE – Institute of Electrical and Electronic Engineers;
 IEC – International Electrotechnical Commission;
 VDE – Verband Deutscher Elektrotechniker.

CAPÍTULO 05.21 – SMF PÁG. 24 – 24