Você está na página 1de 4

Obadias

Análise

Esse breve livro sintetiza o significado da relação entre Edom e Israel (Esaú e Jacó) na história da salvação, e ao as­ sim fazer, revela certo aspecto do Dia do Senhor e do Reino de Deus. Edom, a nação que descendia de Esaú, sempre se mostrou antagônica para com Israel, a despeito de serem irmãos como filhos de Isaque. Muitos profetas receberam a comissão de en­ tregar mensagens de condenação contra Edom (Amós, Isaías, Jeremias, Ezequiel, Malaquias), que frequentemente chama­ ram a atenção para a atitude de auto-suficiência e orgulho de Edom, como raiz de seu pecado. No seu livro, Obadias pare­ ce aproveitar uma profecia já existente de condenação contra Edom (v lb-4 e frases dentro dos v 5-9 ) - talvez o mesmo orá­ culo que aparece em Jeremias 49.7-22 - e observa quão terri­ velmente estava sendo cumprida e com que justa retribuição. Obadias, em seguida, relaciona essa condenação particular ao julgamento de todas as nações no iminente Dia do Senhor, quando o remanescente que houver escapado, em Israel, será no mesmo tempo a esfera da salvação e o instrumento do go­ verno do Senhor sobre todas as nações. Ainda que breve, essa profecia apresenta e ilustra as ver­ dades fundamentais da revelação bíblica: o governo soberano de Deus, que será universalmente reconhecido (21); a eleição de Israel, o povo de Deus, visando a sua bênção (17b), eleição essa que será cumprida no remanescente (17a), o qual será o forte braço de Deus no monte Sião; a culminação dos propó­ sitos de Deus no “Dia do Senhor” que, apesar de trazer vindi- cação aos Seus e o desfrutar apropriado da prometida terra de descanso, produzirá condenação contra o inimigo e opressor, do qual Edom é, neste caso, o tipo (15). Embora o livro de Obadias seja apenas uma entre muitas outras declarações proféticas concernentes a Edom, é conve­ niente considerá-lo foco de todas as referências que o Antigo Testamento faz a Edom, visto que não é possível a um comen­ tário dessa natureza tratar de quaisquer outras passagens com detalhes. Por conseguinte, alistamos aqui as principais referên­ cias a Edom: H istó ric a s: Gênesis 25 a 36 (Jacó e Esaú);

Números 20.14-21; Deuteronômio 2.1-8 (o período do Êxo­ do); 1 Samuel 14.47 (sob Saul); 2 Samuel 8.14 (sob Davi); 2 Reis 8.20-22 (sob Jeorão); 2 Crônicas 20.10-23 (sob Josa- fá); 2 Reis 14.7; 2 Crônicas 25.11-13 (sob Amazias); 2 Crô­ nicas 28.17 (sob Acaz); Salmos 137.7; Lamentações 4.22 (queda de Jerusalém); Salmos 83.1-6 (geral). P ro fética s:

Isaías 11.14; 34; 63.1-6; Jeremias 49.7-22; Ezequiel 25.12— 14; 35; Joel 3.19; Amós 1.11,12; Malaquias 1.2— 5.

Autor

Excetuando-se o seu nome (que não é incomum no Anti­ go Testamento), nada se sabe sobre este livro, o mais curto do Antigo Testamento. Nem o período em que o mesmo foi es­ crito está determinado com qualquer certeza. Apesar de que alguns eruditos conservadores atribuem a profecia a algum tempo antes da queda de Jerusalém (586 a.C.), a descrição da destruição da cidade, apresentada nos versículos 11 a 14, mais apropriadamente, cabe dentro da destruição ordenada por Na- bucodonosor, a respeito da qual se sabe (por SI 137.7; Ez 35.5; Lm 4.21, e assim por diante) que os edomitas participaram. Obadias parece haver, também, descrito um desastre em Edom, subsequente à queda de Jerusalém (5-7). Provavel­ mente esse foi o primeiro dos ataques dos nabateus contra o monte Seir, que terminaram por desalojar os edomitas algum tempo entre os séculos sexto e quarto a.C. (compararMl 1.3,4). Nesse caso, a profecia de Obadias pertenceria ao período do exílio ou pouco depois do retomo dos exilados israelitas.

Esboço

UM ORÁCULO DO SENHOR CONTRA EDOM, v 1

4

O

HORRENDO CUMPRIMENTO, v 5 -9

O

PECADO DE ESAÚ CONTRA SEU IRMÃO, JACÓ,

v

10-14

O

CONTEXTO MAIS LATO: O DIA DO SENHOR, v 15 -18

A

CASA DE JACÓ "POSSUIRÁ SUAS POSSESSÕES”,

v 19-21

Os pecados e o castigo de Edom

J r 4 9 .1 4 - 1 6

1 «Is 21.11;

Ez

Ml

25.12-14;

1.3

1 Visão de Obadias. Assim diz o S e n h o r

Deus a respeito de Edom: Temos ouvido as novas do S e n h o r , e às nações foi enviado um

mensageiro que disse: Levantai-vos, e levan-

temo-nos contra Edom, para a guerra.0

2 Eis que te fiz pequeno entre as nações; tu és mui desprezado.

3 A soberba do teu coração te enganou, ó

1 Obadias. Quer dizer "servo do Senhor", nome comum na Bíblia. Assim diz o Senhor Deus. Esta é uma expressão que indica a autoridade divina da profecia inteira. Edom. Esta na­ ção, composta dos descendentes de Esaú, irmão de jacó (que veio a ser chamado Israel), repetidas vezes estava em guerra contra a nação irmã, Israel. O caso mais terrível desta inimi­ zade, entretanto, revelou-se quando os babilônios destruíram a cidade de Jerusalém juntamente com o templo em 586 a.C., oportunidade aproveitada pelos edomitas para de­

predar o que restava da cidade e das fazendas abandonadas.

2 A mensagem

da introdução que descreve o assunto e a situação.

para Edom

começa neste versículo,

depois

3 Habitas nas fendas das rochas. Refere-se à capital de

Edom, a grande cidade de pedra esculpida, na rocha sólida e por isso mesmo chamada Sela ("rocha" em hebraico) e Petra ("rocha" em latim). Alta morada. A maior parte de Edom era

1277

tu que habitas nas fendas das rochas, na tua alta morada, e dizes no teu coração: Quem me deitará por terra?b

4 Se te remontares como águia e puseres o

teu ninho entre as estrelas, de lá te derribarei,

diz o Senhor.c

5 Se viessem a ti ladrões ou roubadores de

noite (como estás destruído!), não furtariam

só o que lhes bastasse? Se a ti viessem os vindimadores, não deixariam pelo menos al­ guns cachos?®

6 Como foram rebuscados os bens de

Esaú! Como foram esquadrinhados os seus

tesouros escondidos!

7 Todos os teus aliados te levaram para

fora dos teus limites; os que gozam da tua paz te enganaram, prevaleceram contra ti; os que comem o teu pão puseram armadilhas para teus pés; não há em Edom entendimento.e

8 Não acontecerá, naquele dia, diz o Senhor, que farei perecer os sábios de Edom e o entendimento do monte de Esaú?f

9 Os teus valentes, ó Temã, estarão ate­

morizados, para que, do monte de Esaú, seja

cada um exterminado pela matança.®

10 Por causa da violência feita a teu irmão

Jacó, cobrir-te-á a vergonha, e serás extermi­

nado para sempre.h

11 No dia em que, estando tu presente,

estranhos lhe levaram os bens, e estrangeiros

lhe entraram pelas portas e deitaram sortes sobre Jerusalém, tu mesmo eras um deles.1'

12 Mas tu não devias ter olhado com pra­

zer para o dia de teu irmão, o dia da sua calamidade; nem ter-te alegrado sobre os fi-

3 í>2Rs 14.7;

Ap 18.7

4 c\o 20.6;

Am 9.2

5 <*Dt 24.21;

Jr 49.9

OBADIAS 19

lhos de Judá, no dia da sua ruína; nem ter falado de boca cheia, no dia da angústia;/

13 não devias ter entrado pela porta do

meu povo, no dia da sua calamidade; tu não

devias ter olhado com prazer para o seu mal, no dia da sua calamidade; nem ter lançado

7 mão nos seus bens, no dia da sua calami­

^ls 19.11-12

dade;

8 não devias ter parado nas encruzilha­

das, para exterminares os que escapassem;

nem ter entregado os que lhe restassem, no

dia da angústia*.

Am 2.16

9 9 SI 76.5;

Jr 49.7

f\ó 5.12-13;

14

10

»Gn 27.11;

Ez25.12; Ml 1.4

11 >fl 3.3

12/Jó 31.29;

Pv 17.5

14

*ls 34.1-17;

63.1-

Jr 49.7-22;

Ez 25.12-14;

35.1-

Am

Ml

1.11-12;

1.2-5

6;

15;

A restauração e felicidade de Israel

15 Porque o Dia do Senhor está prestes a

vir sobre todas as nações; como tu fizeste, assim se fará contigo; o teu malfeito tomará

sobre a tua cabeça.1

16 Porque, como bebestes no meu santo

monte, assim beberão, de contínuo, todas as

nações; beberão, sorverão e serão como se

nunca tivessem sido.m

17 Mas, no monte Sião, haverá livra­

mento; 0 monte será santo; e os da casa de

Jacó possuirão as suas herdades."

15 'Ez 30.3;

18 A casa de Jacó será fogo, e a casa de

José, chama, e a casa de Esaú, restolho; aque­

les incendiarão a este e o consumirão; e nin­ guém mais restará da casa de Esaú, porque o S e n h o r o falou.0

19 Os de Neguebe possuirão o monte de

Esaú, e os da planície, aos filisteus; possuirão 18 também os campos de Efraim e os campos de Samaria; e Benjamim possuirá a Gileade.P

19pAm 9.12

17 "Jl 2.32

IPe 4.17

"»Jr 25.28-29;

16

Hc 2.8

°ls 10.17

rochosa e alta; o que resta de Sela mostra quão seguros os edomitas podiam se sentir. Aliás, os w 6 e 7 dão a entender que só uma traição podia abrir o caminho àquela fortaleza.

6 Esaú. Pai de todos os edomitas, e irmão gêmeo de |acó,

ao qual odiava por causa da profecia de que Esaú serviria a |acó (Cn 25.23,30). Esta rivalidade contra Israel foi herdada pelos edomitas (2 C r 21.8 -1 7 ; Nm 20.14-22). Esquadri­

nhados. Talvez haja aqui uma dupla referência: 1) Obra de um espião a revelar os segredos da fortaleza; e 2) Obra dos soldados invasores, nada deixando de valor na cidade assaltada.

7 Na época de Obadias, a infiltração dos árabes na direção

de Edom já havia começado, mas foi apenas no século V a.C. que a capital caiu em suas mãos, da maneira aqui profetizada. Por outro lado, porém, parece que o mesmo Nabucodonosor que destruiu a Jerusalém, invadiu a Edom alguns anos mais tarde, isto é, no ano 581 a.C.

1 1 -14 Este trecho relembra o que os edomitas tinham feito depois da destruição de jerusalém, fazendo por merecer,

assim, posteriormente, um fim semelhante.

15 O Dia do Senhor. Heb yôm yehõwâh, o dia no qual Deus

julga abertamente, publicamente, sem haver escape (Sf 1.14-18). Todos os "dias do Senhor" são apenas prelúdios do grande período final do julgamento, preeminentemente o Dia do Senhor descrito em Apocalipse, cap 6 até 20, que começa com o derramamento dos julgamentos sobre a terra, e tem por clímax a volta pessoal de Cristo, a destruição dos inimigos de Deus (Ap 19.11-21) e o estabelecimento do Seu reino (Ap 20.1 -6 ).

16 Bebestes. Refere-se à ira de Deus.

17 Livramento. Um meio de escape. É possível que aqui se

profetize a vinda do Salvador que, no monte Sião, em jerusa­ lém, viria a oferecer-se como Libertação do pecado e das suas conseqüências eternas.

18 Ninguém mais restará. Não existe mais nenhum edomita

no mundo de hoje.

OBADIAS 20

20

20

Os cativos do exército dos filhos de Is­

rael possuirão os cananeus até Sarepta, e os cativos de Jerusalém, que estão em Sefarade, possuirão as cidades do Sul.9

qIRs 17.9-10

21 'SI 22.28; Zc 14.9;

1278

21 Salvadores hão de subir ao monte Sião,

para julgarem o monte de Esaú; e o reino será

do

S e n h o r /

1Tm 4.16; Tg 5.20

20 Sefarade. Uma cidade que ficava entre Tiro e Sidom, mencionada em 1 Rs 17.9 e Lc 4.26 sob o nome de Sarepta.

21

Messias e aos Seus servos.

Salvadores.

Os próprios judeus

aplicam

esta

palavra

ao