Você está na página 1de 19

Estruturas de Concreto Armado I

Análise de estrutura de pórtico com SAP 2000

Análise Simplificada com forças equivalentes – versão 20

Esta apostila tem por finalidade auxiliar no aprendizado do programa SAP2000 (versão 20) voltado para o
cálculo bidimensional de estruturas de concreto armado. A estrutura apresenta 7 pavimentos (térreo+ cinco
pavimentos tipo + cobertura) como se mostra na figura abaixo e é destinada para residência. Nas duas
direções se tem pórticos de concreto armados. Considerar que todas as paredes de alvenaria estão separadas
da estrutura de concreto armado (apenas se considera seu peso, porem não sua rigidez). As lajes são maciças
com 13 cm de espessura.

a) Planta de Pavimento Tipo b) corte


Planta de pavimento tipo
Informação adicional:

Análise será feita apenas para o pórtico longitudinal mais carregado segundo as direções dos pilares P5-P6-
P7-P8 (direção considerada para o vento). Devido à simetria na direção considerada, a força de vento pode
ser dividida igualmente para cada pórtico nesta direção.

Propriedades dos materiais:

Resistencia característica à compressão do concreto: = 20 MPa (C20)


Tensão característica de escoamento do aço: = 50 MPa (CA50)

Ações verticais:

Pórtico P5-P6-P7-P8 (sem majorar)


Carga Vão 1 Vão 2 Vão 3
Pavimento tipo
g (kN/m) 24,06 18,69 24,06
q (kN/m) 7,48 5,74 7,48
Cobertura
g (kN/m) 18,18 20,69 18,18
q (kN/m) 7,48 5,74 7,48

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

Ações de vento: (v)

Cálculo de Forças de Vento

Velocidade básica do vento (m/s) 45 (ver isopletas)


Categoria 3
Classe A
b 0,94 coef. para cálculode S2
p 0,1 coef. para cálculode S2
Fr 1 coef. para cálculode S2
Ca 1,05 coef. de arrasto
L (m) 10,6 dimensão perpendicular ao vento
n 3 número de porticos na direção do vento

F = Ca. F/
Vo Vk q Ae F
N z (m) Δz (m) S1 S2 (z) S3 (z) Q.Ae pórtico
(m/s) (m/s) (Kg/m2) (m2) (kN)
(Kgf) (kN)
1 2,80 2,80 45 1 0,83 1 37,24 86,69 29,68 2701,75 27,02 9,01
2 5,60 2,80 45 1 0,89 1 39,92 99,59 29,68 3103,50 31,03 10,34
3 8,40 2,80 45 1 0,92 1 41,57 108,00 29,68 3365,66 33,66 11,22
4 11,20 2,80 45 1 0,95 1 42,78 114,39 29,68 3564,98 35,65 11,88
5 14,00 2,80 45 1 0,97 1 43,75 119,62 29,68 3727,69 37,28 12,43
6 16,80 2,80 45 1 0,99 1 44,55 124,06 29,68 3866,12 38,66 12,89
7 19,60 2,80
8

Combinações de carga:

g: carga permanente
q: sobrecarga
v: vento
COMB1 : 1,4.g + 1,4.q + 0,84.v
COMB2 : 1,4.g + 0,98.q + 1,4.v
ENVOL: 1,0.COMB1 + 1,0.COMB2

Para iniciar o programa:

1. Clique duas vezes no ícone do SAP2000 na área de trabalho do computador ou procure a pasta onde foi
instalado o programa e clique duas vezes em SAP2000.exe.
2. No canto inferior à direita da janela aparece uma lista com as unidades. Defina as unidades (kN-m-oC)
3. Para adicionar outras ferramentas, posicionar o mouse sobre a área cinza na parte superior da tela e
clique com o botão direito do mouse.

Geometria Básica

4. FILE – New Model – pressionar o botão associado à figura do pórtico plano (2D Frames).

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

5. Na janela 2D Frames:

 Number of Stories = 6
 Number of Bays Along = 3
 Story Heights = 3,00 (altura do primeiro pavimento, ou seja a distancia desde a parte superior das
sapatas ate o eixo das vigas do primeiro pavimento).
 Bay Width Along = 5,0
 Deixar outras opções como aparecem.
 OK.

A tela principal do programa se divide em duas janelas, uma com a vista tridimensional do pórtico e
outra no plano do pórtico XZ. Para se posicionar numa janela especifica, clique sobre qualquer lugar
dessa janela. Utilizar os botões XY, XZ, YZ e 3D (na barra de ferramentas), assim como aqueles com
seta para acima e para abaixo, para alterar a visualização.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

6. DEFINE – Coordinate Systems/Grids – clique sobre Modify/Show Systems. Em outras versões utilizar
a opção DRAW – Edit Grid.

7. Na janela Define Grid Systems Data.


 Selecionar Glue to Grid Lines (na parte inferior)
 Selecionar a opção Spacing
 Na tabela “X Grid Data” na coluna “Spacing”, se listam atualmente os comprimentos entre os eixos
dos pilares. Alterar esses valores para os valores reais do projeto, deixando sempre ultima linha
com valor zero.
 Na tabela “X Grid data” na coluna “Spacing”. Clique na linha A (Grid ID) e altere para 5,175.
 Modificar o valor da linha B e C para 4 e 5,175, respectivamente.
 Na tabela “Y Grid Data” (eixo perpendicular ao plano da tela), deve aparecer apenas uma linha
com valor “Spacing” 0. Este eixo não é de interesse dado que o problema é resolvido no plano XZ.
 Na tabela “Z Grid Data”. Altere os valores na coluna “Spacing” a partir da linha Z2 até a linha Z6
para 2,8, O valor da linha Z7 (ultima linha) é sempre zero. O primeiro nível sempre tem uma altura
(3 m) maior do que os pavimentos superiores (2,8 m). Formalmente se deve considerar que a
distancia entre pavimentos se define a partir da distancia entre eixos de vigas, no caso do primeiro
pavimento seria a distancia da superfície de apoio das sapatas até as vigas do primeiro andar.
 OK.OK. Deve-se atualizar a janela ativa com os valores corrigidos. Clique sobre a outra janela e
logo pressione o botão com a figura de caneta (Refresh Window) para atualiza-la.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

8. File – Save As...


Selecionar a pasta onde se gravara seu trabalho. Escriva o nome de seu trabalho (sem extensão) e clique
em Gravar. É melhor gravar numa pasta nova (vazia).

Apoios e vínculos

9. Sobre a janela atual clique no botão 3-d. Logo se posicionar na outra janela e ativa-la. Clique no botão
XY, com o botão seta abaixo (down one grid line), mova a vista atual para o plano Z=0.
10. Selecionar os vínculos atuais. Clique no canto superior esquerdo e, mantendo pressionado o botão
esquerdo do mouse, role até o canto inferior direito. Todos os objetos (nós) dentro da janela serão
selecionados (note que os nós são marcados com um X amarelo).

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

11. Menu ASSIGN – Joint – Restraints. A tabela “Assign Joint Restraints” é aberta.
12. Na tabela “Assign Joint Restraints”:
 Marque as caixas correspondentes aos seis graus de liberdade ou mais facilmente pressione o botão
que mostra o apoio engastado.

 OK.
13. Clique no botão Gravar (que tem desenhado de um disquete).

Materiais

14. DEFINE – Materials


15. Na tabela Define Materials selecionar “4000Psi” (concreto) e logo clique em Modify/Show Material

16. Na janela Material Property Data indicar (todas as unidades são em kN e m):
 Weight per unit Volume = 24,0
 Modulus of Elasticity = 2.E7. Esse valor deve ser calculado segundo a Resistencia do concreto.
 Poisson’s ratio = 0,20
 Coeff Of termal expansion = 1.E-5
 Concrete strength = 20000
 Modificar o nome do material em “Material Name and Display Color” para CONCRETO.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

 OK.
17. Clique novamente OK para fechar a janela Define Materials
18. Clique no botão Gravar (ícone com disquete)

Seções

19. DEFINE – Section Properties/Frame Sections.


20. Na janela Frame Properties, escolher a lista Add New Property.
21. Selecionar “Concrete” em “Frame Section Property Type” e logo pressionar a figura “Rectangular”

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

22. Na janela “Rectangular Section”:


Modificar o nome da seção para V1(20x45)
Selecione CONCRETO da lista de materiais em “Material”.
Depth = 0,45
Width = 0,20

OK (retorna à janela Frame Properties).


23. Clique em Add New Property.
24. Realizar o mesmo procedimento para definir as seções das vigas V2(20x45), V4(20x45) e dos pilares
P1(25x25), P2(25x35),P5(25x40),P6(25x55).

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

25. Para facilitar a gerações das seções, também se pode utilizar a opção Add Copy of Property, que gera
uma copia da seção selecionada para ser editada. Ao terminar com todas as seções requeridas, clique
OK para fechar a janela “Frame Properties”.

Assinação das Seções aos Elementos

26. Ativar uma janela com vista 2D – VIEW – Set 2D view – nesta janela selecionar Plane X-Z-plane –
OK. Alternativamente pode pressionar o botão Set XZ View para se posicionar nesta vista.
27. Selecionar todo com o botão all na barra de ferramentas. ASSIGN – Frame – Frame Sections.
V2(20x45) – OK.
28. Acrescentar o tamanho das letras na tela. Options – Dimensions/Tolerances Preferences – alterar
Minimum Graphic Font Size para 6. OK.
29. Selecionar todos os pilares dos eixos A, B, C e D (ver figura baixo). Logo ASSIGN-Frame-Frame
Sections P5(25x40). OK.
30. O pórtico modelado se compõe dos pilares P5-P6-P7-P8, porem como todos eles presentam a mesma
seção transversal, então foi definido a seção P5 para todos eles. Caso as dimensões dos pilares sejam
diferentes se deve selecionar cada eixo e assignar a seção segundo corresponda.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

31. Para desativar os eixos do pórtico na figura. View – Show Grid.


32. Nota: a seleção de um grupo de elementos de barra pode também ser feita com o botão: Set Intersecting
Line Select Mode. Utilizar o botão Clr para desativar qualquer seleção.
33. Clique no botão “Set Display Options” na barra de ferramentas (aquele com um quadrado com check).

34. Na janela Display Options, selecionar a aba General Options. Marcar “Extrude” em “View Type” e
“Shrink Objects” em “General”; logo clique OK.
35. Ativar uma janela com visualização 3D, clique no botão 3-d. Deve-se conferir que as seções
transversais dos elementos do pórtico apresentem as direções e alturas desejadas segundo o projeto.
Caso contrario as mesmas devem ser giradas. Na figura abaixo da para conferir que a maior dimensão
da seção das vigas está na direção do eixo Z. No entanto, no caso dos pilares, a maior dimensão esta na
direção X, porem segundo o projeto a maior dimensão deve estar definida na direção Y.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

Dimensão maior do
pilar na direção X

36. Neste caso, se devem girar os pilares. Selecionar todos os pilares clicando sobre eles ou utilizando
“Select using intersecting line”.
37. ASSIGN – Frame – Local Axes.
38. Na janela Assign Frame Local Axes:
 Na caixa “Angle” indicar 90, logo OK.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

Após rotação, dimensão maior


do pilar na direção Y

39. Ao terminar, clique novamente no botão “Set Display Options” e selecionar a aba “General Options” e
desmarcar “Shrink Objects” em “General” e selecionar “Standard” em “View Type” na janela “Display
Options”. Logo OK.
40. Selecionar todos os elementos clicando no botão all.
41. ASSIGN – Frame – End (Lengths) Offsets.
42. Na janela Assign Frame End Length Offsets:
 Marcar Automatic from Connectivity.
 Escrever 0,7 na caixa Rigid Zone Factor. Isso aqui gera os braço rígidos nos nós dos pórticos.
 OK.
43. Clique no botão Gravar.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

Definição dos Sistemas de Carga e Combinações

44. DEFINE – Load Patterns


45. Na janela Define Load Patterns:
 Desconsiderar o caso DEAD já existente nesta janela.
 Na caixa Load Pattern Name escrever “g”
 Abrir a lista Type e selecionar DEAD.
 Alterar o valor de 1 para 0 em Self Weight Multiplier.
 Clique em Add New Load Pattern
 Agora, na caixa Load Pattern Name escrever “q”
 Abrir a lista Type e selecionar LIVE.
 Deixar 0 em Self Weight Multiplier.
 Clique em Add New Load Pattern
 Agora, na caixa Load Pattern Name escrever “v”
 Abrir a lista Type e selecionar WIND.
 Deixar 0 em Self Weight Multiplier.
 Clique em Add New Load Pattern
 OK.

46. DEFINE-Load Combinations


47. Na janela Define Load Combinations, clique no botão Add New Combo.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

48. Na janela Load Combination Data:


 Load Combination Name: COMB1.
 Na lista Load Combination Type, selecionar Linear Add.
 Na lista Load Case Name selecionar “g”. No Scale Factor escrever 1,4. Clique em Add.
 Na lista Load Case Name selecionar “q”. No Scale Factor escrever 1,4. Clique em Add
 Na lista Load Case Name selecionar “v”. No Scale Factor escrever 0,84. Clique em Add
 OK.

49. De novo, clique no botão Add New Combo.


50. Na janela Load Combination Data:
 Load Combination Name: COMB2.
 Na lista Load Combination Type, selecionar Linear Add.
 Na lista Load Case Name selecionar “g”. No Scale Factor escrever 1,4. Clique em Add.
 Na lista Load Case Name selecionar “q”. No Scale Factor escrever 0,98. Clique em Add
 Na lista Load Case Name selecionar “v”. No Scale Factor escrever 1,4. Clique em Add
 OK.
51. De novo, clique no botão Add New Combo.
52. Na janela Load Combination Data:

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

 Load Combination Name: ENVOL.


 Na lista Load Combination Type, selecionar Envelope.
 Na lista Load Case Name selecionar “COMB1”. No Scale Factor escrever 1,0. Clique em Add.
 Na lista Load Case Name selecionar “COMB2”. No Scale Factor escrever 1,0. Clique em Add
 OK.

53. Terminar a definição das combinações fazendo OK e clicando no botão Save (Gravar).

Cargas

Antes de continuar deve-se calcular as forças laterais do vento, assim como as cargas verticais (permanentes
“g” e sobrecargas “q”) sobre as vigas incluindo o peso próprio destas.

54. Vista no plano XZ (plano do pórtico)


55. Selecionar o nó do primeiro “pavimento tipo” no eixo A (eixo vertical da esquerda).
56. Assign/Join Loads/Forces
57. Na janela Assign Joint Forces:
Selecionar “v” em Load Pattern
Inserir o valor de 9,01 kN em Force Global X. Logo, OK.

58. Repetir o processo para os nós dos outros pavimentos superiores com as forças de vento
correspondentes.
59. Selecionar todas as vigas que tem igual carga permanente (“g”).
60. Clique Assign/Frame Loads/Distributed.
61. Na janela Assign Frame Distributed Loads:
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo
Estruturas de Concreto Armado I

 Selecionar “g” em Load Pattern e inserir o valor de 24,06 kN/m na caixa “Uniform Load”. Verificar que
a opção Gravity esta ativada em “Load Direction”.

62. Encerrar o carregamento permanente “g”, repetindo o processo para outros trechos de viga com seus
respectivos valores de carga.
63. Repetir o processo para os valores da sobrecarga q.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

64. Clique no botão SAVE

Análise

65. Analyze/Set Analysis Options


66. Selecionar o ícone com XZ Plane (Plane Frame).

67. OK
68. Analyze/ Run Analysis
69. Selecionar DEAD e logo pressionar o botão Run/Do Not Run Case
70. Igual para Modal. Esses casos de cargo são criados internamente no programa e não são de interesse,
então são desativados.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

71. Pressionar botão Run Now


72. Display – Show Forces/Stresses – Frame /Cable/ Tendons
73. Na janela Display Frame Forces/Stresses:
 Selecionar ENVOL em Case/Combo Name
 Selecionar Moment 3-3 em Component
 Alternativamente pode selecionar Show Values em “Options for Diagram”.

 OK. Segue a continuação envoltória de momentos fletores.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo


Estruturas de Concreto Armado I

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Prof. Jorge Tamayo